sexta-feira, 31 de outubro de 2008

LANÇAMENTOS DA SÁ


Clique para ampliar

Ciclo de leitura reúne textos teatrais inéditos de autores curitibanos

A Fundação Cultural de Curitiba apresenta neste fim de semana o Ciclo de Leituras Nova Dramaturgia, com apresentação de textos inéditos contemplados no Edital Oraci Gemba 2008, do Fundo Municipal da Cultura.

A Fundação Cultural de Curitiba apresenta neste fim de semana o Ciclo de Leituras Novas Dramaturgias, com leituras dramáticas de cinco textos teatrais inéditos de autores curitibanos. Os textos foram selecionados pelo Edital Oraci Gemba 2008, do Fundo Municipal da Cultura da Prefeitura de Curitiba. As leituras acontecem sexta-feira (31), às 21h; sábado (01), às 19h e 21h; e domingo, às 17h, no Teatro Novelas Curitibanas; e segunda-feira (03), às 19h30, no Teatro Universitário de Curitiba – TUC.

Na ocasião serão lançados também o livro Dramaturgias Curitibanas, contendo os textos integrais dos autores contemplados no edital de 2007 e que participaram do Ciclo de Leituras no ano passado, e o Anuário do Teatro Curitibano 2007, com fotografias e informações sobre todos os espetáculos produzidos e apresentados pelas companhias de teatro de Curitiba naquele período. Os lançamentos estão marcados para sexta-feira (31), às 19h, no Teatro Novelas Curitibanas.

O ciclo Novas Dramaturgias e o edital Oraci Gemba atendem ao objetivo da Fundação Cultural de Curitiba de incentivar a criação teatral e a formação de novos autores no âmbito da comunidade artística curitibana. Este ano foram selecionados os textos Seance – As Algemas de Hoidini, de Paulo Biscaia Filho, O Caminho dos Girassóis, de Fátima Ortiz, A Triste História de Hanna Kowalick, a Bruxa de Curityba, de Enéas Lour, Um Herói de Quebra-Cabeças, de Leandro Borgonha, e Tempo, de Renato Perré.

Os textos de Paulo Biscaia, Enéas Lour e Renato Perré são dirigidos ao público adulto, enquanto as produções de Fátima Ortiz e Leandro Borgonha destinam-se ao público infantil. Todos os selecionados têm larga experiência como atores e diretores de teatro, tendo sido muitas vezes premiados por suas atuações. Agora estão tendo a oportunidade de difundir também suas criações na área de dramaturgia, colocando novos textos para encenação das companhias teatrais.

Confira a programação do Ciclo de Leituras:

Teatro Novelas Curitibanas (Rua Carlos Cavalcanti, 1222)

dia 31 de outubro (sexta-feira):

às 19h – lançamentos do livro Dramaturgias Curitibanas 2007, com sessão de autógrafos dos autores e distribuição gratuita dos livros, e do Anuário do Teatro Curitibano 2007.

às 21h – leitura do texto Seance – As Algemas de Houdini, de Paulo Biscaia Filho (categoria adulto)

dia 1º de novembro (sábado)

às 19h – leitura do texto O Caminho dos Girassóis, de Fátima Ortiz (categoria infantil)

às 21h – leitura do texto A Triste História de Hanna Kowalick, a Bruxa de Curityba, de Enéas Lour (categoria adulto)

dia 2 de novembro (domingo)

às 17h – leitura do texto Um Herói de Quebra-Cabeças, de Leandro Borgonha (categoria infantil)



Teatro Universitário de Curitiba – TUC (Galeria Júlio Moreira – Setor Histórico)

dia 3 de novembro (segunda-feira)

às 19h30 – leitura do texto Tempo, de Renato Perré (categoria adulto)

Livro Dramaturgia Curitibana 2007 - O livro Novas Dramaturgias reúne os textos contemplados pelo Edital Oraci Gemba 2007, tendo como autores Eduardo Diório Jr., Fátima Ortiz, João Luiz Fiani, Luana Godinho, Mara Moron e Simone Kobachuk. Em suas páginas consolidam-se as leituras efetuadas para as comunidades, no ano passado. Conheça as obras que integram a publicação:

AO PÉ DA HISTÓRIA (infantil) – Escrito por Luana Gomes Godinho de Castro – atriz, cantora e professora de teatro –, o texto conta a trajetória de três personagens que representam três gerações: uma criança, uma adolescente e uma senhora, que todos os dias, incansavelmente, acordam o dia e a noite para construir e contar histórias. Graduada em Educação Artística / Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná, Luana está concluindo a especialização em Literatura Dramática e Teatro, na UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

ENTRE NA RODA (infantil) – Uma divertida e inusitada história foi criada por Eduardo Diório Junior, professor, lingüista, poeta, escritor, dramaturgo e produtor cultural. O enredo mostra um delegado de polícia e um detetive que investigam o caso de uma morena desaparecida, cujas pistas estão em cantigas de roda. Com vários contos premiados e publicados em todo o Brasil, além de espetáculos teatrais montados em Curitiba, Eduardo também trabalha na iniciativa privada com teatro-treinamento.

MEMÓRIAS DO PALHAÇO AMOROSO (infantil) – Um trabalho de Fátima Maria Ortiz Lour, atriz, autora, diretora de teatro e arte-educadora, reconhecida nacionalmente por sua produção dirigida ao público infantil. Formada em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná, com especialização em Educação Fundamentada na Arte, pela Universidade Tuiuti do Paraná, é autora de mais de 15 textos de teatro para crianças. Nessa obra, Fátima enaltece a capacidade humana da memória, reunindo lembranças da infância, de amizades e de amores.

DESEJOS NA RUA DAS FLORES (adulto) – A solidão de um homem sentado em um banco de praça, no centro de uma cidade moderna, permeia o texto de João Luiz Fiani de Assis Baptista. Construída de maneira coloquial, a narrativa aproxima o leitor da situação vivida pelo protagonista e leva à reflexão sobre o tema. Com mais de 80 textos escritos, Fiani é formado pelo Curso Permanente de Teatro do Teatro Guaíra, trabalhando como ator, produtor, dramaturgo e diretor teatral. Com 28 anos de carreira, participou de mais de 50 peças teatrais e dirigiu perto de 300 espetáculos, além de diversas atuações na televisão e no rádio. Em 1994 inaugurou um dos primeiros teatros particulares do Paraná, o Lala Schneider, em homenagem a uma das mais importantes atrizes paranaenses. Em 2002, fundou a Casa de Teatro Edson D' Ávila.

O FIM DO MUNDO (adulto) – O título sintetiza onde se concentram todas as intenções humanas, diluídas no abismo profundo da ilusão. A obra é de Simone Kobachuk, graduada em Artes Cênicas / Direção pela Faculdade de Artes do Paraná. Simone atua principalmente nas linguagens do teatro de animação integradas ao ator, como forte expressão para a construção da cena teatral contemporânea. Tem amplo conhecimento e formação nas áreas do canto e da dança, que complementam sua ação no teatro.

TIBAGI, TIBAGI (adulto) – A obra que mistura ficção e referências reais tem como núcleo uma família negra oriunda da Bahia, que chega à cidade em 1930, em busca de melhores condições de vida. Trazendo na bagagem seus sonhos, religiosidade, culinária, música, emoções e toda a esperança de poder inaugurar um novo tempo, a família vem atraída pelo garimpo de ouro e diamantes no rio Tibagi e luta contra as dificuldades e preconceitos numa região de imigrantes europeus. A autora é Mara Lúcia Moron, atriz e dramaturga que atua na área cultural há mais de 30 anos. Formada em jornalismo pela UFPR, foi diretora artística e diretora de produção/técnica em Artes Cênicas do Teatro Guaira, quando teve sob sua responsabilidade a Orquestra Sinfônica do Paraná, o Balé Teatro Guaíra, a Escola de Danças Clássicas, o Teatro de Comédia do Paraná e a pauta de ocupação dos três auditórios que compõem o complexo.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O RETORNO DO CAVALEIRO DE DRAGÃO

CORRUPÇÃO


CLIQUE PARA AMPLIAR

Dia 01 de Novembro às 16h – Sala de Leitura Jorge de Sena do CCB

Convidamo-lo a participar connosco, no dia 01 de Novembro, na segunda sessão organizada pelos Livros Cotovia para a comemoração dos 20 anos da editora.

Neste evento, assistiremos a uma lição do Professor Vítor Aguiar e Silva sobre Camões e a uma leitura de alguns poemas pelo actor Luis Miguel Cintra.

A entrada é livre para todas as sessões até ao limite da capacidade da sala. É aconselhável a confirmação da presença para os eventos de 01 de Novembro, 09 de Novembro e 16 de Novembro, através do telefone 213471447 ou do mail info@livroscotovia.pt

Hora da Prosa com lançamento de boletim e vídeo sobre o Teatro Paiol

Os 35 anos de história do Teatro Paiol são contados numa nova publicação da Fundação Cultural de Curitiba. O teatro também é tema de um documentário dirigido por João Marcelo Gomes.



O Teatro Paiol é tema da nova edição do programa Hora da Prosa, desenvolvido pela Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Curitiba. Nesta quinta-feira (30), às 20h, no próprio teatro, personalidades que marcaram a história daquele espaço, um dos símbolos da cultura curitibana, estarão reunidas para uma conversa com o público. Participam do encontro o ex-prefeito Jaime Lerner, a ex-presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Lúcia Camargo, os músicos Paulo Vítola e João Egashira, a atriz Yara Sarmento, o jornalista Silvio de Tarso e a produtora Luci Daros.

Durante a Hora da Prosa, a Fundação Cultural de Curitiba lança a publicação Teatro Paiol – 35 de Anos de Aplausos, que registra os principais momentos dessa trajetória. Com pesquisa de Débora Agulham Carvalho, o número 137 da coleção Boletim Casa Romário Martins relata desde os antecedentes da construção do paiol de pólvora, em 1906, numa área distante nos arredores da cidade, até a sua transformação em teatro, 65 anos mais tarde. O boletim mostra ainda os principais encontros, shows, concertos e encenações que passaram pelo palco do Paiol e que fazem parte da memória cultural da cidade.

Na ocasião será lançado também o documentário Paiol, de João Marcelo Gomes. Selecionado pelo edital Vídeo Digital 2006, do Fundo Municipal da Cultura, o vídeo aborda sua arquitetura peculiar, a adaptação para se tornar um teatro e os eventos que ali aconteceram. Com trilha original de Indioney Rodrigues, o vídeo contém depoimentos de Jaime Lerner, dos músicos João Bosco, João Egashira, Glauco Sölter, Arrigo Barnabé e Carlos Careqa, do historiador Marcos Napolitano (USP), do dramaturgo Rafael Camargo, do artista plástico Jair Mendes e da jornalista Mara Mourão.



História - O Teatro Paiol foi inaugurado no dia 27 de dezembro de 1971, com show de Vinícius de Moraes, Toquinho, Marília Medalha e Trio Mocotó. No espetáculo, Vinícius apresentou a composição inédita Paiol de Pólvora, que acabou dando nome ao teatro. O espaço nasceu na esteira das inovações urbanas ocorridas em Curitiba no início dos anos 70, sendo a primeira iniciativa de reciclagem de uma edificação de valor histórico-cultural. O Paiol agitou o ambiente cultural, deu novo fôlego às artes curitibanas e propiciou a criação da Fundação Cultural de Curitiba, em 1973.

O Paiol sempre contou com uma programação diversificada. Nos primeiros quatro anos, muitos espetáculos marcaram época, como Funeral para um Rei Negro, com o compositor Lápis e a cantora Evanira; a apresentação de Cidade sem Portas, de Paulo Vítola; e Arena conta Tiradentes, sucesso nacional de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri. Pouco depois surgiu ali o MAPA (Movimento Atuação Paiol), que nasceu com o intuito de mostrar ao público local o valor da produção musical dos compositores curitibanos.

A partir de 1979, o Paiol abrigou mais um projeto inovador – as Parcerias Impossíveis, encontros de personalidades de diferentes áreas e de opiniões contrárias. A primeira foi entre o jornalista João Saldanha e o músico Paulinho Nogueira. Depois teve parcerias entre Ziraldo e Sérgio Ricardo, Caetano Veloso e Jorge Mautner, Lula e Maurício Tapajós, Villas-Boas Corrêa e Sérgio Cabral, entre outras. Além de se consagrar como reduto da música curitibana, o Paiol também abrigou shows de inúmeros artistas nacionais. Pelo palco do Paiol passaram Zezé Motta, Djavan, Nana Caymmi, Alaíde Costa, Leni Andrade, Hermeto Pascoal, Baden Powell, Elza Soares e muitos outros.

Com base em fontes históricas e depoimentos recentes, a pesquisa apresenta uma retrospectiva da programação artística e cultural ao longo de mais de 30 anos. O boletim também inclui as reformas e os projetos de readequação do espaço. A mais recente foi concluída em março de 2006, dentro do programa de recuperação dos espaços culturais da Prefeitura de Curitiba. O teatro foi reinaugurado com show de Toquinho, que trouxe as lembranças da noite memorável ocorrida em 1971.



Serviço:

Hora da Prosa, com Jaime Lerner, Lúcia Camargo, Paulo Vítola, Yara Sarmento, João Egashira, Silvio de Tarso e Luci Daros. Lançamentos do Boletim Casa Romário Martins – Teatro Paiol 35 Anos de Aplausos e do documentário Paiol.

Local: Teatro Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho

Data e horário: 30 de outubro de 2008 (quinta-feira), às 20h

Entrada franca.

Nova Cartografia reúne curitibano e cearense

Dois escritores, Jorge Pieiro, de Fortaleza, e Ricardo Pedrosa Alves, de Curitiba, participam do encontro literário promovido pela Fundação Cultural.



O projeto Nova Cartografia, que promove encontros entre escritores paranaenses e de outras regiões do Brasil, traz à cena nesta quinta-feira (30), às 19h30, no Palacete Wolf, dois poetas: o curitibano Ricardo Pedrosa Alves e o cearense Jorge Pieiro. Caberá aos participantes a leitura mútua de suas obras. Roberto Prado será o mediador da noite. A entrada é franca.

Ricardo Pedrosa é autor do livro Desencantos Mínimos, editado em 1996. Em 2006 venceu o Concurso Helena Kolody. Na área musical foi parceiro de Ulisses Galetto, com a letra de Agora fogo mordido, que faz parte do CD Fogo Mordido, do Grupo Fato (2000).

Jorge Pieiro, que vive em Fortaleza (CE), é natural de Limoeiro do Norte, também no Ceará. Iniciou-se nas letras em 1977 e publicou neverness, fragmentos de panaplo, galeria de murmúrios. Colabora com jornais e revistas do Brasil e do exterior, escrevendo ensaios críticos, resenhas e traduções.



Serviço:

Projeto Nova Cartografia, com Ricardo Pedrosa Alves (Curitiba/PR) e Jorge Pieiro (Fortaleza/CE)

Mediação: Roberto Prado (Curitiba/PR)

Data e horário: 30 de outubro de 2008 (quinta-feira), às 19h30

Local: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Setor Histórico)

Entrada franca

terça-feira, 28 de outubro de 2008

LULU VÊ DEUS E DUVIDA


LULU VÊ DEUS E DUVIDA
de Danielle Ganek


Páginas:256







”Em seu romance de estréia, Danielle Ganek capta o absurdo da cena de arte nova-iorquina com pinceladas inteligentes e vigorosas.” Vanity Fair

Um livro recomendado pela Vanity Fair pode parecer um tanto quanto frívolo, mas não é esse o caso do romance de estréia de Danielle Ganek. A autora mora em Nova York com o marido, três filhos e um pouco de arte. Suas obras preferidas são as que os filhos fazem na escola. Talvez isso bastaria para entender a acidez de uma mulher que vive cercada de arte, que tem um marido colecionador e patrono de artistas contemporâneos e que foi editora do magazine Mademoiselle.

Sinopse do Livro - "Mia McMurray trabalha na galeria de artes de Simon Pryce, em Nova York. Do seu confortável posto de observação, por trás de uma mesa, na entrada, ela é capaz de dizer, num piscar de olhos, quem entrou para comprar e quem veio apenas dar uma espiada nas telas; que artista vai ser alçado ao sucesso ou ao fracasso; qual obra alcançará preço e prestígio estratosférico ou cair no anonimato. É desse posto privilegiado de observação que assiste à morte, em frente à galeria, do pintor Jeffrey Finelli, no dia da inauguração da sua primeira vernissage.

A galerina, Mia McMurray, que esconde o desejo de ser pintora, trabalha na galeria para aprender e estar ao lado de pessoas criativas. Envolvida na mostra de artes do pintor Jeffrey Finelli, sua vida se transforma após a morte dele, ficando amiga da sobrinha e musa inspiradora do artista, Lulu Finelli. Essa amizade faz com que Mia descubra seus verdadeiros desejos.

A obra mais cobiçada do pintor Jeffrey Finelli é “Lulu encontra Deus e duvida Dele”, o que atrai muitos colecionadores, astros da música, celebridades e agentes. A autora deixa bem claro como os bastidores do mundo da arte podem mudar rapidamente, possibilitando a boa procura pela obra, após o falecimento do autor.

No dia do velório, Mia McMurray e Lulu Finelli conhecem o ateliê do pintor na expectativa de encontrar novas obras de arte que tenham ficado para trás. E no momento em que descobrem que ele deixou apenas as ferramentas para fazer a arte, foi uma surpresa total. Lulu convida Mia a pintar ao lado dela e começa a descobrir um talento adormecido pintando um quadro naquela mesma noite."

“Danielle Ganek desenvolveu não só uma história com personagens envolventes, mas um olhar cáustico sobre o mundo da arte contemporânea. Uma viagem deliciosa para quem quer que goste da sensação de se perder num livro.” Arthur Golden, autor de Memórias de uma gueixa

Natalie Portman vai ser a estrêla de Lulu ?

Em entrevista recente Ganek nos disse que o livro ainda "está fora de Hollywood, e até agora não foram feitas ofertas, mas as pessoas estão em conversações conosco. Talvez em breve". Se o livro realmente for filmado, quem estaria em seu elenco ideal? "Eu amo a idéia de alguém como Natalie Portman no papel de Mia. E então, quem é a mais linda, a loira quente - não sei, talvez Sienna Miller . Para Simon, alguém sugeriu Rupert Everett, e acho que seria uma grande idéia. " Ganek insiste, porém, que estes personagens não são baseados em pessoas reais no mundo da arte Nova York. Acreditamos?



UM LANÇAMENTO DA





DE PASSAGEM POR PARAÍSO



DE PASSAGEM POR PARAÍSO
de Susan Wiggs


Gênero : Ficção Estrangeira - Romance
Páginas : 406


Sinopse - Para os antigos persas, “paraíso” era um amplo parque. Segundo a Bíblia, um jardim aprazível onde Deus colocou Adão e Eva, depois da sua criação; o Éden. O lugar em que reina a felicidade, o céu.

Na história de Susan Wiggs, Paraíso é uma cidade. Uma cidade costeira considerada pacata, mas ao mesmo tempo cheia de mistérios. Wiggs – que se consagrou na crítica após abarcar dois prêmios literários nos Estados Unidos e em público, figurando nas listas de mais vendidos – constrói um enredo comovente, que fala de decepção e alegria, de medo e coragem, e da eterna capacidade do ser humano de recomeçar.

A Autora - Susan WIGGS é uma aclamada autora de muitos Bestsellers e de romances inesquecíveis, incluindo Home Before Dark e A Summer Affair. Vive em uma ilha no Pacífico Noroeste com o marido e a filha, onde ela está atualmente trabalhando em seu próximo romance. Usou também o pseudônimo de Susan Childress.

LIVROS DE Susan Wiggs

Miranda The Mist and the Magic The Lily and the Leopard Lakeshore Christmas Lakeshore Chronicles #6 (Eddie & Maureen)
Dancing on Air Tudor Rose Book 3
Vows Made in Wine Tudor Rose Book 2
Circle in the Water Tudor Rose Book 1
Two of the Deadliest: New Tales of Lust, Greed, and Murder de Outstanding Women of Mystery editado por Elizabeth George (antologia)
Fireside Lakeshore Chronicles #5(Kimberly and Bo)
Irish Magic (antologia)
Just Breathe Ficção Contemporânea
Summer by the Sea Romance contemporâneo
Passing Through Paradise Ficção Contemporânea
The You I Never Knew Ficção Contemporânea
That Summer Place (antologia)
The Horsemaster’s Daughter Romance Histórico Calhoun Chronicles #2(Hunter and Eliza)
The Charm School Romance Histórico Calhoun Chronicles #1(Isadora and Ryan)
Snowfall at Willow Lake Lakeshore Chronicles #4 (Sophie & Noah)
Dockside Lakeshore Chronicles #3 (Greg & Nina)
The Winter Lodge Lakeshore Chronicles #2(Jenny and Rourke)
“Homecoming Season” em More Than Words anthology Lakeshore Chronicles (Miranda)
Summer at Willow Lake Lakeshore Chronicles #1(Olivia and Connor)
Lakeside Cottage Romance contemporâneo
Table for Five Ficção Contemporânea
The Ocean Between Us Ficção Contemporânea
Home Before Dark Ficção Contemporânea
Powder And Patch de Georgette Heyer (prefácio Susan Wiggs)
It Happened One Christmas Romance contemporâneo
A Summer Affair Romance Histórico Calhoun Chronicles #5(Isabel and Blue)
The Hostage Romance Histórico Chicago Fire Book 1(Deborah and Tom)
The Mistress Romance Histórico Chicago Fire Book 2(Kathleen and Dylan)
The Firebrand Romance Histórico Chicago Fire Book 3(Lucy and Rand)
The Drifter Romance Histórico
Enchanted Afternoon Romance Histórico Calhoun Chronicles #4(Helena and Michael)
The Lightkeeper Romance Histórico
Halfway to Heaven Romance Histórico Calhoun Chronicles #3(Abigail and Jamie)
Cinderfella Romance contemporâneo
Susan Wiggs Collection Romance Histórico
Husband for Hire Romance contemporâneo
Winds of Glory The Raven and the Rose
Kingdom of Gold Discovery Trilogy Book 3
Lord of the Night
Jewel of the Sea Discovery Trilogy Book 2
Briar Rose Embrace the Day
October Wind Discovery Trilogy Book 1
Moonshadow
Texas Wildflower
In Our Dreams Antologia
Irish Magic II Antologia
Merry Christmas, Baby Antologia
Writing Romances (colaboradora)
This Time...Marriage Antologia
A Purrfect Romance Antologia
The Canary Who Sailed with Columbus Livro ilustrado juvenil

Pela Bertrand Brasil

Título: DE PASSAGEM POR PARAÍSO

Título: DE VOLTA PARA CASA

Título: MESA PARA CINCO

Um lançamento



segunda-feira, 27 de outubro de 2008

ESTRÉIA DE KATE MORTON NO BRASIL



A CASA DAS LEMBRANÇAS PERDIDAS
de Kate Morton


Páginas:536

Sinopse do Livro

"Em 1924, o belo, rebelde e misterioso poeta Robbie Hunter se mata com um tiro durante uma das festas que decretam os últimos suspiros da poderosa aristocracia inglesa. As irmãs Hannah e Emmeline Hartford vêem tudo mas nada podem fazer para evitar o suicídio, que coloca um ponto final num doloroso triângulo amoroso formado por elas e Hunter. A tragédia vai separá-las para sempre e o tempo encobrirá tudo com o véu do esquecimento. Mas um filme sobre os Hartford vem resgatar todos os detalhes de um passado cheio de segredos que permanecem guardados na memória de Grace Bradley, aos 98 anos, única testemunha ainda viva do drama vivido por uma família e das profundas transformações vividas pela sociedade da época. "

Este é o mote de A casa das lembranças perdidas, surpreendente romance de estréia da australiana Kate Morton, título mais bem-sucedido na Inglaterra desde O código da Vinci, com direitos de tradução vendidos para 29 países.

Com mais de 600 mil exemplares vendidos só na Inglaterra, best-seller imediato nos Estados Unidos, Alemanha, França, Itália e Austrália, A casa das lembranças perdidas fala de segredos e de atos terríveis que pessoas comuns são capazes de cometer para libertar-se ou, ao contrário, preservar o status quo. Status a ser mantido de qualquer maneira, principalmente na Inglaterra do início do século XX, um período de transformações sociais, políticas e econômicas radicais, que colocam em xeque a conservadora aristocracia inglesa, incapaz de se adaptar aos novos tempos: à ascensão de uma nova classe de gente rica cujo poder é baseado no dinheiro e não na família de nascimento, ao novo papel da mulher que quer – e se vê obrigada a – trabalhar, à destruição e aos traumas causados pela Primeira Guerra Mundial.

Em meio a tudo isso, Grace Bradley, a narradora desta história, vai e volta no tempo à medida que sua memória e saúde – já falhas – são testadas pela equipe de filmagem que está produzindo um filme sobre os Hartford e a convida para voltar à imponente mansão da família em Riverton, no condado de Essex. O ano é 1999 e um retorno ao local onde tudo começou desperta nela sensações que já imaginava esquecidas.

No passado, Grace fez parte do corpo de empregados da mansão e, como os demais funcionários, tinha como lar o “andar de baixo”, onde os donos jamais pisavam. A separação entre ela e os patrões, no entanto, vai se rompendo quando passa a ganhar tarefas que envolvem um contato cada vez maior com os habitantes do “andar de cima”. Numa de suas obrigações, conhece três jovens moradores de Riverton e sente um elo especial com um deles: Hannah, irmã de Emmeline, a caçula, e de David, o primogênito.

A autora alterna a narrativa de A casa das lembranças perdidas em dois tempos e a coloca na visão de Grace e Hannah. Grace, a menina pobre e recatada, com um desejo profundo e aparentemente sem explicação de tornar-se eternamente ligada a Hannah, à custa de qualquer outro relacionamento. Uma lealdade que vai permiti-la testemunhar e a encobrir as desventuras da patroa. Já Hannah, jovem aventureira com idéias libertárias e emancipadas, obrigada a tornar-se uma dona-de-casa casada e infeliz, mas cujos desejos reprimidos vão levá-la à tragédia que se conclui na fatídica noite de verão de 1924.
Kate Morton dá a cada um de seus personagens uma personalidade marcante. Além da dupla de protagonistas, há Emmeline, a animada menina que adota o papel de socialite festeira; David, que tem sua vida tomada nos campos de combate da França durante a Primeira Guerra Mundial; Alfred, o amado de Grace, que volta da guerra sem a energia e a jovialidade que impressionaram a jovem arrumadeira; e Robbie, o amigo de David, outro sobrevivente, que, no futuro, vai protagonizar uma triste e perturbadora história de amor com Hannah. Ao redor deles, um mundo de hipocrisia e segredos que vão sendo revelados a cada página deste romance.


A AUTORA
Kate Morton cresceu nas montanhas do sudeste de Queensland, na Austrália. Graduou-se em Arte Dramática e Literatura Inglesa e atualmente esta doutorando-se na Universidade de Queensland. Kate mora com o marido e dois filhos em Brisbane.

A casa das Lembranças Perdidas - The Shifting Fog - foi seu primeiro livro.

Depois viriam

(2007) - The House at Riverton
(2008) - The Forgotten Garden


UM LANÇAMENTO DA



UM POUCO MAIS DE ROMANCE



Barbara Delinsky (nascido em 9 de agosto de 1945, em Boston, Massachusetts, E.U.A. como Ruth Greenberg) é uma escritora norte-americana das mais presentes nas listas de best-sellers. Ela também escreveu e publicou sob 0s pseudônimos Bonnie Drake e Billie Douglass.

Sua mãe morreu quando ela tinha apenas 8 anos. Em 1976, formou-se na Newton High School, em Newton, Massachusetts. Também se formou em Psicologia na Tufts University e concluiu seu mestrado em Sociologia no Boston College.

Delinsky é casada com Steve Delinsky, advogado. Durante os primeiros anos de seu casamento, ela trabalhou para a Sociedade Massachusetts para a Prevenção contra a Crueldade com Crianças. Após o nascimento de seu primeiro filho, trabalhou como fotógrafa e repórter do jornal Herald Belmont. Ela também encontrava tempo para fazer trabalho voluntário em hospitais, e de servir no Conselho de Administração da Friends of the Massachusetts General Hospital de Câncer da Mulher e na sua Junta Consultiva.

Em 1980, depois de um par de gêmeos, Delinsky leu um artigo sobre três mulheres escritoras, e decidiu então tentar colocar a sua imaginação no papel. Após três meses de pesquisa, escreveu e vendeu o seu primeiro livro. Ela começou a publicar para a Dell Publishing Company (Candlelight Ecstasy Romance) , como Billie Douglass, para Silhouette Books (S. Intimate Moments and S. Desire) como Billie Douglass, e para Harlequin Enterprises como Barbara Delinsky. Agora, ela só usa o seu nome de casada, Barbara Delinsky e alguns de seus romances publicados sob outros pseudônimos, estão para ser publicada sob este nome. Desde então, mais de 30 milhões de cópias de seus livros foram impressas e publicados em 25 línguas. Um de seus romances, A Woman's Place, baseou o filme Lifetime estrelado por Lorraine Bracco.

Em 2001, Delinsky diversificou e escreveu o livro de não-ficção - Secrets from the Sisterhood of Breast Cancer Survivors. Sobre a doença a qual sobreviveu. Doou a renda do livro para que com esses recursos, fosse financiada uma bolsa para oncologistas pelo Massachusetts General Hospital, que treina cirurgiões de mama.

A família Delinsky reside em Newton, Massachusetts. Steve Delinsky tornou-se um renomado advogado da cidade, enquanto ela escreve diariamente em seu escritório em cima da garagem da casa.

LIVROS DE Barbara Delinsky

como Bonnie Drake

Novelas

* The Pasionate Touch (1981)
* Surrender by Moonlight (1981)
* Sweet Ember (1981)
* Sensuous Burgandy (1981)
* The Ardent Protector (1982)
* Whispered Promise (1982)
* Lilac Awakening (1982)
* Amber Enchanment (1982)
* Lover From the Sea (1983)
* The Silver Fox (1983)
* Passion and Illusion (1983)
* Gemstone (1983)
* Moment to Moment(1984)

como Billie Douglass

novelas

* Search for a New Dawn (1982)
* A Time to Love (1982)
* Knightly Love (1982)
* Sweet Serenity (1982)
* Fast Courting (1983)
* Flip Side of Yesterday (1983)
* Beyond Fantasy (1983)
* An Irresistible Impulse (1983)
* The Carpenter's Lady (1983)
* Variaton on a Theme (1984)

como Barbara Delinsky

novelas

* Bronze Mystique (1984)
* Finger Prints (1984)
* Secret of the Stone (1985)
* Chances Are (1985)
* First Things First (1985)
* Threats and Promises (1986)
* Straight from the Heart (1986)
* Within Reach (1986)
* First, Best and Only (1986)
* Jasmine Sorcery (1986)
* Twilight Whispers (1987)
* Cardinal Rules (1987)
* Heat Wave (1987)
* Commitments (1988)
* T.L.C. (Tender Loving Care) (1988)
* Through My Eyes (1989)
* Heart of the Night (1989)
* Montana Man (1989)
* Having Faith (1990)
* Facets (1990)
* A Woman Betrayed (1991)
* The Stud (1991)
* The Outsider (1992)
* The Passions of Chelsea Kane (1992)
* More Than Friends (1993)
* Suddenly (1994)
* For My Daughters (1994)
* Together Alone (1995)
* Shades of Grace (1995)
* A Woman's Place (1997)
* Father Figure (1997)
* Three Wishes (1997)
* Coast Road (1998)
* The Vineyard (2000)
* The Woman Next Door (2001)
* Flirting with Pete (2003)
* The Summer I Dared (2004)
* Looking for Peyton Place (2005)
* Family Tree (2007)
* The Secret Between Us (2008)
* While My Sister Sleeps (2009)

Serie Something Forever

1. A Special Something (1984)
2. The Forever Instinct (1984)

* A Special Something / The Forever Instinct (coletivo) (1991)

Serie Victoria Lesser

1. The Real Thing (1986)
2. Twelve Across (1987)
3. A Single Rose (1987)

* A Collection: The Real Thing / Twelve Across / Single Rose (coletivo) (1994)

Serie The Dream: Crosslyn Rise

1. The Dream (1990)
2. The Dream Unfolds (1990)
3. The Dream Comes True (1990)

* Dreams (coletivo) (1999) (The Dream / The Dream Unforlds / The Dream Comes True)

Serie Blake Sisters

1. Lake News (1999)
2. An Accidental Woman (2002)

Serie Multi-Autor Montclair Emeralds

4. Fulfillment (1988)

Coleções

* Three Complete Novels: A Woman Betrayed / Within Reach / Finger Prints (1993)
* Sensuous Burgundy / Gemstone (1997)
* Passion and Illusion / The Carpenter's Lady (1998)
* Rekindled: Lilac Awakening / Flip Side of Yesterday (1998)
* Bronze Mystique / Secrets in Silence (2001)
* Passion: Chances Are / Be Mine, Valentine / Mingled Hearts / Dazzle / Married to the Enemy (2002)
* Coast Road / Three Wishes (2007)
* Trust: The Real Thing / Secret of the Stone (2008)

Obras coletivas em colaboração

* With This Ring (1991) (com Bethany Campbell, Bobby Hutchinson and Anne McAllister)
* Threats and Promises & Her Secret Pash by Amanda Stevens (1993)
* Expecting! (1996) (The Stud by Delinsky, / Question of Pride by Michelle Reid / Little Magic Rita Clay Estrada)
* Forever Yours (1997) (Threats and Promises by Delinsky / The Aristocrat by Catherine Coulter / Loving Evangeline by Linda Howard)
* Heart and Soul (1998) (The Dream by Delinsky / All That Sparkles by Stella Cameron / Independent Wife by Linda Howard)
* Heatwave (1998) (Part of the Bargain by Linda Lael Miller / The Dream Unfolds by Delinsky / Under the Knife by Tess Gerritsen)
* Summer Lovers (1998) (First, Best and Only by Delinsky / Granite Man by Elizabeth Lowell / Chain of Love by Anne Stuart)
* Dangerous Desires (1999) (Too Wild To Wed? by Jayne Ann Krentz / Montana Man by Delinsky / Falling Angel by Anne Stuart)
* Meant to Be (2001) (Dreams by Jayne Ann Krentz / Waiting Game by Delinsky / Perfect Husband by Kristine Rolofson)
* Bronze Mystique & Secrets in Silence by Gayle Wilson (2001)
* Father of the Bride & Handsome as Sin by Kelsey Roberts (2001)
* Take 5: Chances Are / Be Mine, Valentine / Mingled Hearts / Dazzle / Married to the Enemy (2002) (with Vicki Lewis Thompson and Ann Major)
* Lost in the Night (2002) (The Real Thing by Delinsky / Heat Lightening by Tara Taylor Quinn / Father: Unknown by Anne Stuart)
* In Too Deep (2003) (Having Faith by Barbara Delinsky / It Takes a Rebel by Stephanie Bond)
* Family Passions (2004) (with Tess Gerritsen)

Não Ficção

* Uplift: Secrets from the Sisterhood of Breast Cancer Survivors (2001)
* Does A Lobsterman Wear Pants? (2005)

Lançamento

A FELICIDADE MORA AO LADO
de Barbara Delinsky

Gênero : Ficção Estrangeira - Romance
Páginas : 462

Sinopse - "A felicidade mora ao lado é uma história comovente sobre uma amizade que acaba em amor, mas também em atos de desespero.
O casal Danica e Blake Lindsay segue para uma casa no litoral do Maine, extremo nordeste dos Estados Unidos. O que seria o refúgio perfeito da viagem e a inspiração para uma reconciliação de um casamento em crise se torna um prato cheio para a solidão e angústia de Danica.
Em vez de curar as feridas de um relacionamento desgastado, ela quase sempre se encontra sozinha, enquanto a carreira política do marido está em rápida ascensão em Boston. Não fosse pela companhia protetora de seu novo vizinho, o gentil e carinhoso Michael Buchanan, ela certamente seria consumida pela solidão e pelo desespero.
Danica se vê confortada ao ser acolhida por Buchanan, e encontra na atenção do novo vizinho uma amizade tão forte, alentadora e verdadeira que vai aos poucos se transformando em um sentimento de maior intensidade.
Pela primeira vez na vida, o privilégio de conquistar a felicidade pode estar ao alcance de Danica. Mas será que ela vai agarrar essa chance sendo esposa de outro homem, presa pelos laços do matrimônio a uma união marcada pela desconfiança e pelo sofrimento... e por segredos tão chocantes, capazes de escandalizar toda uma nação?"

Um lançamento



domingo, 26 de outubro de 2008

32 Encontro Anual da ANPOCS


clique para ampliar

1 º A MORRER




James Patterson

Detém o recorde da lista dos Mais Vendidos do New York Times com 39 títulos.

É responsável por um em cada 15 romances de capa dura mais vendidos em 2007. Naquele ano, um número estimado de 16 milhões de livros de James Patterson foram vendidos nos Estados Unidos mais do que John Grisham e Stephen King juntos.

Já vendeu mais de 150 milhões de livros em todo o mundo.

É o único autor a ocupar o primeiro posto do New York Times na área de Ficção Adulta. Patterson é também o único autor a ter TRÊS livros simultâneamente na lista de Best Sellers do New York Times .

Criou as duas primeiras séries de Best Sellers sobre detetives da década passada - A Patterson's Alex Cross series, incluindo Along Came a Spider e Kiss the Girls tops de venda dos últimos 12 anos. A outra série de Best Sellers de detetive também pertence ao Patterson, a Women's Murder Club série, incluindo 1st to Die , 2nd Chance , 3rd Degree , and 4th of July .

Women's Murder Club tornou-se uma série de televisão na ABC em outubro de 2007.

É o fundador da James Patterson PageTurner Awards, que, durante três anos seguidos, premiou em dinheiro s mais de US $ 600.000 a grupos e indivíduos que praticam o notável trabalho de espalhar a diversão e emoção através do livro e da leitura. Patterson também é membro da diretoria da organização "Primeiro livro" cuja missão é levar "o primeiro livro" nas mãos da juventude marginalizada e doou milhares de livros para tropas no exterior.

Novo lançamento no Brasil

1 º A MORRER
de James Patterson


Páginas: 376


Sim, solucionar crimes é tarefa da polícia. Mas há aqueles que, de tão hediondos e complicados, somente uma força-tarefa é capaz de desvendar. É a partir do encontro informal entre uma policial, uma jornalista, uma especialista em medicina legal e uma promotora pública que os crimes de 1 º a morrer podem ser esclarecidos. O livro abre uma série Women's Murder Club, do best seller James Patterson, que emplaca um thriller após o outro na lista do The New York Times. Sucesso absoluto nos Estados Unidos, a série Women’s Murder Club é uma mistura de CSI com Sex and the city , e, não à toa, virou seriado de TV, veiculado no Brasil pela FOX.

Ação e suspense de tirar o fôlego justificam o sucesso da série protagonizada por um quarteto feminino cheio de personalidade unido em torno de um ideal: desvendar os crimes mais inusitados da cidade. O ponto de partida de 1º a morrer é o brutal assassinato de um jovem e rico casal que está prestes a começar a lua-de-mel numa luxuosa suíte de um hotel cinco estrelas de San Francisco, crime que, com pequenas variações, se repete em duas outras cidades americanas, deixando claro que se trata do trabalho de um assassino em série.

A investigação fica a cargo da policial Lindsay Boxer, que acaba de receber a terrível notícia que está com uma rara doença que pode levá-la à morte. Sentindo-se abalada, ela teme que sua fragilidade física e emocional possa interferir no bom andamento das investigações e busca aliadas na fiel amiga Claire Washburn, uma competente médica legista, e na intrometida repórter Cindy Thomas, que, de potencial inimiga do trabalho policial, acaba se tornando peça-chave nas investigações. Juntas, elas fundam o Women’s Murder Club , ou Clube das Mulheres contra o Crime, que, mais tarde, ganha o reforço de Jill Bernhardt, uma ambiciosa promotora pública. Cada uma com suas habilidades específicas, elas se unem para descobrir e prender o serial killer .

Em uma trama cheia de reviravoltas, as pistas que parecem conduzir ao criminoso à certa altura levam as protagonistas a concluir que tudo o que elas sabiam parece estar assustadoramente errado.


UM LANÇAMENTO DA

SEGUNDO LIVRO DA TRILOGIA DA FRATERNIDADE

Saiu o segundo livro da Trilogia da Fraternidade

Laços de Gelo
de Nora Roberts

346 páginas

Essa trilogia foi lançada originalmente como

CONCANNON SISTERS
Born in Fire (1994),
Born in Ice (1995),
Born in Shame (1996)
















clique para ampliar

A Autora

Nora Roberts (nascida Eleanor Marie Robertson a 10 de Outubro de 1950) é uma escritora norte-americana, autora de best-sellers românticos. Foi a primeira mulher a figurar no Romance Writers of America Hall of Fame.

Autora de maior destaque da lista de best sellers no New York Times e a primeira a ser escolhida para a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, Nora Roberts é considerada uma pintora de palavras que, a cada pincelada, dá vida a personagens cheios de energia e vigor.

Escritora metódica e insaciável, Nora já publicou mais de 160 romances, a maior parte no gênero suspense romântico, traduzidos para 25 idiomas e editados em todo o mundo. Sua alta popularidade como romancista advém do grande talento que possui para sensibilizar o leitor ao escrever narrativas de suspense que também falam sobre turbilhão de emoções que acontecem quando entramos em contato com nossos sentimentos mais profundos, principalmente amor e paixão.

Suas histórias prendem o leitor com temas intensos, descritos de forma clara e objetiva, passando uma mensagem curta e rica em detalhes. Os capítulos de seus livros são longos e poucos, em média apenas 12. As paisagens descritas nos levam a viajar do México aos subúrbios de Washington, com certa suavidade e exatidão com as quais sonhamos acordados ou temos pesadelos!

Histórias publicadas no início de sua carreira: Negócio de Risco (1986); Alerta da Natureza (1984); A suspeita (1989).

No ano de 1995, a autora editou o primeiro volume da Série Mortal no original Naked in death (Nudez Mortal) sobre o pseudônimo de J.D. Robb, o qual hoje é prestigiado pelo mundo inteiro com mais de 25 volumes (em alguns países o número é menor). Autora consagrada já vendeu mais de 2 milhões de livros em todos os países publicados.

Um lançamento


sábado, 25 de outubro de 2008

William P. Young em São Paulo e Curitiba


clique para ampliar

O LADRÃO DE TUMBAS


O LADRÃO DE TUMBAS de Antonio Cabanas
Ficção Estrangeira - Ficção
Páginas : 630


O ladrão de tumbas é a história de Shepsunaré, filho e neto de ladrões, e a de seu filho Nemenhat, que arrastaram suas vidas errantes pelos caminhos de um Egito em que a miséria e o instinto de sobrevivência os levaram a praticar o pior crime a ser cometido naquela terra, o saque de tumbas.
Apesar de o livro ser uma obra de ficção, o contexto em que se desenrola a trama – os primeiros anos do reinado de Ramsés III – é verídico. Todos os acontecimentos históricos do romance também são verdadeiros e relatados com fidelidade. Cabanas é um estudioso de egiptologia e aficcionado pelo assunto, o que o fez pesquisar minuciosamente os episódios descritos na publicação.
As mulheres se destacam neste thriller egípcio e protagonizam cenas marcantes que envolvem erotismo, beleza, curiosidades sobre costumes daquele povo e até mesmo informações sobre a indumentária na época. Personagens como Kadesh, Nubet e Men-Nefer “roubam” as atenções, disputando com os ladrões o foco da trama.

O autor - Antonio Cabanas nasceu em Las Palmas, Espanha. É comandante da companhia de aviação espanhola Iberia. Cabanas estudou egiptologia, idioma egípcio antigo e escrita hieroglífica. É membro da Associação Espanhola de Egiptologia desde 1990. Seus romances figuram no topo da lista dos mais vendidos da Espanha. O ladrão de tumbas é o seu primeiro livro publicado no Brasil.

Um lançamento

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O FILHO-PRESENTE


O FILHO-PRESENTE
de Kabouna Keita

Gênero : Biografia - DEPOIMENTO
Páginas : 384


A vida de um menino africano que, recém-nascido, foi dado de presente pela mãe a outra mulher e se tornou um respeitado educador na Europa.

O filho-presente é um relato autobiográfico onde a emoção está entranhada em cada página. O leitor é levado a acompanhar de perto os desafios, as metas e um modo de vida muito peculiar apresentado com riqueza de detalhes por Kabouna Keita. O autor, nascido no Mali, foi dado por sua mãe a uma mulher – uma das co-esposas do avô de Keita – que não podia ter filhos. Mais importante que isso, no entanto, é o fato de que essa mulher, chamada Boli, tanto amou e acreditou no menino que se tornou a responsável por transformar uma criança em um homem que lutou e conquistou seus sonhos.

Um lançamento

Parcerias de cama e mente


Parcerias de cama e mente
Como o temperamento tece as relações
de Maria da Luz Calegari

Coleção: Comportamento
184 páginas

O amor e suas múltiplas faces são dissecados nesta obra de abordagem inédita. Aqui, Maria da Luz Calegari demonstra que o temperamento está por trás de todas as escolhas amorosas, e que estas se apóiam em visão de mundo, interesses e valores. Com referências filosóficas, históricas, sociológicas e psicológicas, a autora conta histórias de parcerias bem-sucedidas (anônimas e célebres).


UM LANÇAMENTO DA

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Rio Curitiba une os talentos de Rogéria Holtz e Celso Fonseca



Os dois músicos repetem em Curitiba o show que apresentaram em sete capitais do Nordeste, durante o Projeto Pixinguinha.

A cantora curitibana Rogéria Holtz e o músico carioca Celso Fonseca apresentam, às 21h desta sexta-feira e sábado (24 e 25), no Teatro Paiol, o show Rio Curitiba. O espetáculo é o mesmo que os dois apresentaram durante o Projeto Pixinguinha, em sete capitais do Nordeste. A parceria rendeu também um CD, produzido entre 2006 e 2007, com a seleção das melhores canções da poeta Alice Ruiz.

Celso Fonseca é o produtor musical do CD intitulado No país de Alice, além de ter participado como músico em 11 das 13 faixas. O espetáculo leva o nome de uma canção de Waltel Branco e Alice Ruiz, Rio Curitiba. A canção estreita as relações musicais entre as duas cidades, unindo a poesia curitibana, a voz de uma das melhores intérpretes paranaenses e as melodias e harmonias da bossa nova.

Rogéria Holtz é considerada um dos expoentes da música no Paraná. Vencedora de vários festivais, tem se destacado no cenário musical com um repertório que prioriza os artistas locais. Recebeu cinco troféus como melhor intérprete em festivais, entre eles o Troféu Saul Trumpet, em 1998, a mais importante premiação da música no estado. Durante oito anos foi contralto do Grupo Vocal Brasileirão, da Fundação Cultural de Curitiba. Em 2003, lançou seu primeiro CD solo, Acorda, com músicas de compositores paranaenses, interpretadas com acompanhamento somente à base de cordas.

Celso Fonseca tem uma trajetória de sucesso na MPB. Compositor, arranjador, violonista e produtor, o músico acompanhou Gilberto Gil e consolidou a sua carreira de compositor ao lado de Ronaldo Bastos, uma parceria iniciada na década de 1980 e que está bem representada no CD Polaróides, editado em 2007. Celso Fonseca também desenvolve carreira solo, levando a música brasileira para shows no exterior.

Serviço:

Show Rio Curitiba, com Rogéria Holtz e Celso Fonseca

Local: Teatro Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)

Data: 24 e 25 de outubro de 2008, sexta-feira e sábado, às 21h

Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50

Ópera Ilustrada leva obra de Mozart ao palco da Capela


A ópera “O Rapto do Serralho”, que narra o rapto de uma nobre espanhola por piratas turcos, tem apresentações na sexta e no sábado (24 e 25).

O programa Ópera Ilustrada, contemplado pelo edital do Fundo Municipal da Cultura da Prefeitura de Curitiba, tem nova edição neste fim de semana, com a obra O Rapto do Serralho, do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791). Sob direção geral e artística de Neyde Thomas e Rio Novelo, o espetáculo conta com a regência do maestro Julio Medaglia, que também atua como comentarista. As apresentações acontecem às 20h30 de sexta-feira (24) e sábado (25), na Capela Santa Maria – Espaço Cultural.

Com a proposta de tornar acessível ao público um importante repertório operístico, o programa Ópera Ilustrada reúne renomados artistas e cantores. Desta vez, para contar a história de Konstanze, uma nobre espanhola raptada por piratas turcos, sobem ao palco a soprano Kalinka Damiani, o tenor Jeferson Pires, a soprano Lindsay Funchal, o tenor Ricardo Castro, o baixo Claudio Guimarães e o ator Jorge Brasil. O acompanhamento estará a cargo da pianista Ulrike Graf.

O espetáculo, que tem direção cênica de Marcio de Abreu, conta ainda com o Coro Nova Philarmonia, composto por Andressa Marques, Camila Silva, Maria Cristina Medeiros, Kátia Santos, Edilange Xavier dos Santos, Elaine Falco, Maria Carolina Osternack, Silmara Campos, Ananias Neto, Eli Cordeiro Júnior, Alison Silva, João Paulo Broitman, Wantuil Rigoni Neto, João Carlos Moreno e Rodolpho Vieira.

A ópera O Rapto do Serralho, obra composta por Mozart em sua transição para a maturidade, teve estréia em 16 de julho de 1781, em Viena, com elogios à genialidade musical do autor. Elaborada sob a forma de singspiel (que integra o canto ao teatro falado), é semelhante à obra-prima A Flauta Mágica. O libreto de Johann Gottlieb Stephanie Der Jüngere narra um episódio ficcional, que envolve a dama espanhola Konstanze, levada para a Turquia, e seu amado Belmonte, que parte para resgatá-la.

Serviço:

Programa Ópera Ilustrada

Apresentações da ópera O Rapto do Serralho, do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791), com libreto de Johann G. S. Der Jüngere. Direção geral e artística de Neyde Thomas e Rio Novelo.

Data e horário: dias 24 e 25 de outubro de 2008 (sexta-feira e sábado), às 20h30

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

20 anos de LIvros Cotovia

Dia 27 de Outubro às 21h – Sala de Ensaio do CCB

Convidamo-lo a participar connosco, no dia 27 de Outubro, na primeira de 7 sessões organizada pelos Livros Cotovia para a comemoração dos 20 anos da editora.

Este primeiro evento, dedicado ao teatro, começará com a leitura do primeiro acto de Os Pilares da Sociedade de Henrik Ibsen, por Jorge Silva Melo e terminará com o lançamento dos seguintes livros: Peças Escolhidas III de Henrik Ibsen e Silenciador de Jacinto Lucas Pires.



PRÓXIMAS SESSÕES:

Dia 1 de Novembro: CCB – Sala Jorge de Sena
16h – Camões, uma lição de Vítor Aguiar e Silva. Leitura de poemas por Luis Miguel Cintra.

Dia 9 de Novembro: CCB – Sala Jorge de Sena
Das 11h às 13h – Brevíssimo curso de literatura brasileira, com Abel Barros Baptista, Carlos Mendes de Sousa, Clara Rowland e Osvaldo Silvestre.
Das 15h às 17h – Lançamento do livro Um crime delicado de Sérgio Sant’Anna e de A poesia andando: 13 poetas no Brasil, com a presença de Marília Garcia e Valeska de Aguirre, poetas organizadoras desta antologia.

Dia 12 de Novembro: Livraria Pó dos Livros
18h30 –
Lançamento do novo livro de Luís Quintais, Mais espesso que a água e leitura de poemas por Diogo Dória.

Dia 16 de Novembro: CCB – Sala Jorge de Sena
Das 11h às 13h –
Brevíssimo curso de literatura grega e latina, com Delfim Leão, Frederico Lourenço e Paulo Farmhouse Alberto.
Das 15h às 17h – Lançamento de Odes de Horácio, na tradução de Pedro Braga Falcão e do livro Novos ensaios helénicos e alemães de Frederico Lourenço.

Dia 19 de Novembro: Livraria Pó dos Livros
18h30 –
Lançamento do novo livro do Jacinto Lucas Pires, Assobiar em público. Com apresentação de Carlos Vaz Marques.

Dia 29 de Novembro: CCB – Sala Jorge de Sena
18h30 –
Apresentação da série de livros BI-África Minha, constituída por 11 títulos de vários autores africanos: Amílcar Cabral, Luandino Vieira, Hernique Galvão, Castro Soromenho, Uanhenga Xitu, Baltasar Lopes, Luís Bernardo Honwana, Ruy Duarte de Carvalho e Mutimati Barnabé João.
Participam Ana de Almeida, António Duarte Silva e Francisco Teixeira da Mota.

(Com o apoio da Casa das Áfricas de São Paulo, Brasil).

DEZ DECISÕES QUE MUDARAM O MUNDO


DEZ DECISÕES QUE MUDARAM O MUNDO - 1940-1941
de Ian Kershaw


Páginas - 704

Foi durante a Segunda Guerra Mundial que nasceu a Investigação Operacional e o Apoio à Decisão, quando os Aliados se viram confrontados com problemas (de natureza logística, de táctica e estratégia militar) de grande dimensão e complexidade. As grandes decisões narradas no livro podem ter sido gestadas em um ambiente como este, mas foram obtidas nos diferentes escalões de comando, abrangendo desde os chefes de estado até os comandantes de grandes unidades. Elas canalizaram o curso da História, modificaram a vida de milhões de pessoas, destruíram impérios, alteraram o mapa do mundo e regularam o desenrolar de batalhas.

Para apoiar os comandos operacionais na tomada de decisões fundamentais, foram então criados grupos multidisciplinares de cientistas em que se incluíam matemáticos, físicos e engenheiros, a par de outros oriundos, por exemplo, das ciências sociais. Porém no livro, objeto desta resenha questionamos se é possível dizer algo de novo sobre a Segunda Guerra Mundial, já tão analisada?

A resposta é sim se observarmos o estudo de Ian Kershaw, que enfrenta o tema de um prisma inédito, revelando facetas surpreendentes desse trágico acontecimento da história moderna. O historiador examina no detalhe dez decisões dos líderes das principais potências mundiais, tomadas entre maio de 1940 e dezembro de 1941.

Colocando o foco em um período de dezenove meses e nas figuras de proa desse drama de proporções gigantescas - Winston Churchill, Franklin Roosevelt, Adolf Hitler, Benito Mussolini, Josef Stálin, entre outros -, o autor acompanha os meandros dos processos decisórios: as alternativas em jogo; o confronto de pontos de vistas; as investidas e hesitações; as deliberações que têm lugar em meio a acordos e embates.

"Cada um dos dez capítulos descreve o longo caminho das tomadas de decisão, mostrando como cada uma delas tem lugar em uma só rede, construída ao ritmo frágil e turbulento das estratégias diplomáticas e dos cálculos realizados pelos diversos atores nela envolvidos. Se a reconstituição das escolhas feitas permite aferir o quadro político e as circunstâncias que as produzem, algumas delas parecem desafiar qualquer tipo de compreensão racional, como é o caso do massacre dos judeus ordenado por Hitler. "Por mais lógico que pudesse ter sido o caminho rumo ao genocídio, em vista da natureza da perseguição nazista aos judeus", afirma o autor, "a patologia do anti-semitismo demoníaco que lhe servia de base é um desafio à racionalidade"."

um lançamento da

Editora Sextante traz ao Brasil William Young, autor de A cabana


Editora Sextante traz ao Brasil William Young, autor de A cabana, livro que já vendeu 100 mil exemplares em dois meses e figura em primeiro lugar nas listas de mais vendidos do Brasil e do The New York Times

“O mais recente exemplo de como o boca a boca pode criar um best-seller.”

The New York Times

“A ficção aqui não está a serviço dela mesma. Ela é um instrumento, um meio de aconselhar, inspirar, consolar o leitor. (...) O potencial que ele tem para oferecer consolo é inegável.”

Revista VEJA

A Editora Sextante traz ao Brasil pela primeira vez William P. Young, autor de A cabana, um dos maiores fenômenos do mercado literário americano nos últimos anos, com quase dois milhões de livros vendidos. Publicado nos Estados Unidos por uma editora pequena, A cabana se revelou um desses livros raros que, através do entusiasmo e da indicação dos leitores, se torna um sucesso de público e imprensa. O livro está em 1º lugar na lista de mais vendidos do The New York Times há três meses. No Brasil, o livro está no topo da lista desde seu lançamento, há oito semanas: já vendeu 100 mil exemplares. William P. Young estará em São Paulo de 27 a 30 de outubro.

Na trama criada por Young, a filha mais nova de Mack Allen Phillips, Missy, é raptada durante uma viagem de fim de semana, que deveria ser repleto de diversão e alegria. Após uma extenuante investigação, evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas em uma cabana abandonada. Imerso numa dor profunda e paralisante, Mack entrega-se à tristeza durante longos quatro anos. Ainda abalado pela culpa e pela saudade da filha, ele recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.

Apesar de desconfiado, ele vai ao local do crime numa tarde de inverno e adentra passo a passo no cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre. Deus, Jesus e o Espírito Santo estão à sua espera para um “acerto de contas” e, com imensa benevolência, travam com Mack surpreendentes conversas sobre vida, morte, dor, perdão, fé, amor e redenção, fazendo-o compreender alguns dos episódios mais tristes de sua história. Em um mundo tão cruel e injusto, A cabana levanta um questionamento atemporal: Se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?


Intensa e sensível, A cabana faz o leitor refletir sobre o poder de Deus, a grandeza de seu amor por nós e o sentido de todo o sofrimento que precisamos enfrentar ao longo da vida.

Sobre o autor:

William P. Young nasceu em Alberta, no Canadá, mas passou grande parte de sua infância em Papua Nova Guiné junto com seus pais missionários em uma comunidade tribal. Ele pagou seus estudos religiosos trabalhando como DJ, salva-vidas e diversos outros empregos temporários. Formou-se em Religião em Oregon, nos Estados Unidos.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

JANELA INDISCRETA

JANELA INDISCRETA
- E outras histórias
de
Cornell Woolrich

208 páginas


Em "Janela indiscreta", um homem com a perna quebrada passa o tempo observando os prédios em volta do seu e desconfia, sem prova concreta, de que o vizinho da frente é um assassino. O livro traz também as geniais "Post-morte
m", "Três horas", "Homicídio trocado" e "Impulso" deste autor de clássicos do gênero policial que é Cornell Woolrich.


O AUTOR
George Hopley-Cornell Woolrich (4 de dezembro de 1903 - 25 de setembro de 1968) foi um escritor americano , contista e novelista . Seu biógrafo, Francis Nevins Jr., classificou-o como o quarto melhor escritor de histórias de crime e suspense da sua época, somente atrás de Dashiell Hammett, Erle Stanley Gardner e Raymond Chandler. Algumas de suas obras mais conhecidas foram publicados sob os pseudónimos irlandêses, William e George Hopley.

SUAS OBRAS
* Cover Charge (1926)
* Children of the Ritz (1927)
* Times Square (1929)
* A Young Man's Heart (1930)
* The Time of Her Life (1931)
* Manhattan Love Song (1932)

* The Bride Wore Black (1940)
* The Black Curtain (1941)
* Marihuana (1941, as William Irish)
* Black Alibi (1942)
* Phantom Lady (1942, as William Irish)
* The Black Angel (1943,baseado em sua história Assassinato em cera)
* The Black Path of Fear (1944)
* After Dinner Story (1944, como William Irish)
* Deadline at Dawn (1944, como William Irish)
* Night Has a Thousand Eyes (1945, como George Hopley)
* Waltz into Darkness (1947, como William Irish)
* Rendezvous in Black (1948)

* I Married a Dead Man (1948, como William Irish)
* Savage Bride (1950)
* Fright (1950,como George Hopley)
* You'll Never See Me Again (1951)
* Strangler's Serenade (1951, como William Irish)
* Hotel Room (1958)
* Death is My Dancing Partner (1959)
* The Doom Stone (1960,publicado em capítulos no Argosy 1939)
* Into the Night (1987, um manuscrito inacabado, finalizado por Lawrence Block)


Filmes baseados em histórias de Woolrich

* Four O'Clock (2006 film) (contto "Three O'Clock")
* Original Sin (2001 film) (romance "Waltz Into Darkness") Pecado original
* Cloak & Dagger (1984 film) (conto"The Boy Who Cried Murder")
* I Married a Shadow (1983 film) (conto"I Married a Dead Man")
* Union City (1980 film) (conto "The Corpse Next Door")
* Seven Blood-Stained Orchids (1972 film) (novela Rendezvous in Black )
* The Bride Wore Black dirigido por François Truffaut (1968)
* Mississippi Mermaid (baseado em Waltz Into Darkness ) direção de Truffaut (1969)
* Nightmare (1956) (romance)

* Rear Window (1954) (conto"It Had to Be Murder") dirigido por Alfred Hitchcock

Janela Indiscreta
(Rear Window, 1954)


» Direção: Alfred Hitchcock
» Roteiro: John Michael Hayes
» Gênero: Suspense
» Origem: Estados Unidos
» Duração: 112 minutos
» Tipo: Longa

Jeff (James Stewart) é um repórter incapacitado de exercer sua profissão temporariamente, por causa de uma perna quebrada. Como ele é muito ativo, suas fotos sempre foram de situações perigosas ao extremo, Jeff precisa urgentemente de algo para ocupar o seu tempo livre. Espiando através da janela de seu apartamento a vida dos vizinhos, ele passa a desconfiar que um homem matou sua mulher e escondeu o corpo. Com a ajuda de sua noiva Lisa (Grace Kelly), Jeff vai, a todo custo, tentar provar que está certo em um divertido e voyerístico filme do 'Mestre do Suspense'.

* No Man of Her Own (1950) (stconto "I Married a Dead Man")
* The Window (1949) (conto"The Boy Who Cried Murder")
* Night Has a Thousand Eyes (1948) (novela)
* I Wouldn't Be in Your Shoes (1948) (novela)
* The Return of the Whistler (1948) (conto)
* Fear in the Night (1948) (conto"Nightmare")
* The Guilty (1947) (conto "He Looked Like Murder")
* Fall Guy (1947) (conto "Cocaine")
* The Chase (1946 film) (novela The Black Path of Fear )
* Black Angel (1946 film) (novela)
* Deadline at Dawn (novela) (as William Irish)
* The Mark of the Whistler (1944) (conto)
* Phantom Lady (1944) (novela) (
* The Leopard Man (1943) (novela Black Alibi )
* Street of Chance (1942) (novela The Black Curtain )





UM LANÇAMENTO




segunda-feira, 20 de outubro de 2008

LEIA O LIVRO, VEJA O VÍDEO E ASSISTA A PEÇA


CLIQUE PARA A AMPLIAR

Sobre a Vírgula

Uma oportuna lembrança da boa campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa).


Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.

ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.