terça-feira, 30 de junho de 2009

A BIBLIOTECA ESQUECIDA DE HITLER

A BIBLIOTECA ESQUECIDA DE HITLER
- Os livros que moldaram a vida do Führer
de Timothy W. Ryback


Páginas - 336

Sabe-se que as três bibliotecas particulares de Adolf Hitler, localizadas em Berlim, Munique e no refúgio de Obersalzberg, nos Alpes bávaros, chegaram a abrigar mais de 16 mil volumes. O mais enigmático dos genocidas do século XX possuía coleções completas de Shakespeare, Goethe, Schiller, Kant e Fichte, encadernadas com ostensivo luxo e assinaladas com o característico ex-libris nacional-socialista. Livros sobre ocultismo e misticismo racial também despertavam a atenção do leitor assíduo, porém caótico, que se vangloriava de ler ao menos um livro por dia.
Timothy W. Ryback, autor de The last survivor: legacies of Dachau, premiado em 2003 com o Hans Rosenberg Book Prize, dá merecido destaque aos livros que influenciaram a escrita de Mein Kampf na célebre prisão de Landsberg, depois do putsch frustrado de 1923, mas não deixa de mencionar curiosos volumes presenteados por admiradores e bajuladores, trechos assinalados por Hitler nas margens dos livros ou detalhes como a presença física do ditador num fio de cabelo encontrado em meio às páginas envelhecidas. Durante oito anos de incansável pesquisa em coleções públicas e particulares nos Estados Unidos e na Europa, Ryback rastreou desde os livros lidos pelo obscuro cabo-mensageiro Hitler, nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, até as consoladoras leituras dos dias finais no bunker de Berlim, em 1945. O trabalho do historiador e diplomata norte-americano foi altamente elogiado por Ian Kershaw, o maior especialista em Adolf Hitler da atualidade.

O AUTOR
Timothy W. Ryback

Doutorou-se em alemão pela Universidade Harvard, onde também ensinou história e literatura. Autor do premiado The last survivor: legacies of Dachau, escreve regularmente no New York Times, na New Yorker e na Atlantic Monthly. É cofundador e codiretor do Institute for Historical Justice and Reconciliation, sediado em Haia, e membro da Académie Diplomatique Internationale de Paris.









UM LANÇAMENTO






Lançamentos de Ana Maria Machado



SAIBA MAIS EM



lançamentos da

Traição mortal


Traição mortal
de J. D. Robb


Coleção: Série Mortal
Páginas: 420



Ao investigar um homicídio cometido num ambiente que lhe é bem familiar — um hotel de seu marido —, a detetive Eve Dallas se vê diante de um assassino que aprecia de forma muito especial as coisas sofisticadas da vida... e da morte.

No luxuosíssimo Roarke Palace Hotel, uma camareira entra na suíte 4.602 para a habitual troca de lençóis e toalhas, mas enfrenta o seu pior pesadelo. Um assassino a deixa morta, estrangulada por um fino fio de prata. É mais um ataque do assassino conhecido como Sly Yost, um apreciador de boa música, bons vinhos e... homicídios. Um assassino de aluguel que atua entre a elite. A tenente Eve Dallas o conhece bem. O problema é que, nesse caso intrincado, conhecer o assassino não a ajuda a elucidar o crime. Porque existe mais alguém envolvido. Alguém com motivos pessoais. E Eve é obrigada a enfrentar a aterrorizante possibilidade de que o alvo verdadeiro de tudo isso seja, na verdade, o seu marido Roarke.

UM LANÇAMENTO



Petrobras e Confederação Brasileira de Handebol promovem campeonato nacional escolar do esporte

Leia mais em

********ESPECIAIS****************

Secretário da Presidência mostra detalhes do Blog do Planalto

O secretário de imprensa da Presidência, Nelson Breve, apresentou detalhes do Blog do Planalto, que estreia no fim de julho. O projeto, que está na fase de montagem de equipe, foi apresentado pela primeira vez ao público. Entretanto, o layout ainda não está definido. A ideia é fazer uma votação popular para escolher a versão final. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, durante o 10° Fórum Internacional Software Livre, em Porto Alegre.

“É a primeira vez que alguém de fora do governo vê este layout”, disse Breve.

O presidente Lula não vai escrever no blog. O espaço será mantido e atualizado por uma equipe de cinco profissionais: um programador, um webdesigner, um repórter, um redator e um coordenador. No início, o site será conservador, sem espaço para a manifestação dos leitores.

“Primeiro, vamos ver como funciona. Não sabemos como vai ser isso, quantos vão comentar, se será lido só por jornalistas ou se vai virar um sucesso”, explica Breve.

PROGRAMAÇÃO JULHO DE 2009

1 de Julho de 2009 - 4ª Feira

AUDITÓRIO


20h30

Mini-curso de Budismo



2 de Julho de 2009 - 5ª Feira

AUDITÓRIO




5ª Conferência Latina sobre Redução de Riscos (CLAT5)



11h30 – 13h | Suporte Básico de Vida



Workshop em português

Local: Clube Literário do Porto

Moderador: Eduardo Silva (APDES, Portugal)

Participantes do INEM



16h00 | O Papel do Traficante na Redução de Riscos



Workshop em Português e Inglês

Local: Clube Literário do Porto * Rua Nova da Alfândega, 22 - 4050-430 PORTO

Moderadora: Isabel Ponte (IDT, Portugal)

Theo van Dam (LSD, Holanda)

António Magalhães (GNR de Guimarães, Portugal)

Mário Silva (Portugal)



17h – 18h30 | Redução de Riscos, Exclusão Social e Direitos



Humanos: Soluções Interventivas

Workshop em português, francês e espanhol



Moderador: Jorge Barbosa (IDT, Portugal)

Serge Longère (PROSES, França)

Alba Mestres (Grupo Enfermaria Barcelona, Espanha)

Marco Manso (Aliança RR Fátima Cavalcanti, Brasil)



3 de Julho de 2009 - 6ª Feira

AUDITÓRIO


5ª Conferência Latina sobre Redução de Riscos (CLAT5)



13h | Políticas de Drogas, Democracia E Direitos Humanos



Conferência em Espanhol e Português



Moderador: Martín Vázquez Acuña (Juiz do Tribunal Oral nº 1, Argentina)

Relator: Luís Filipe Guerra (Juiz de Paz do Julgado de Paz do Porto, Portugal)

Mónica Cuñarro (Magistrada do Ministério Público, Argentina)

José Henrique Torres (Juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo, Brasil)

Pablo Ruz Gutiérrez (Juiz do Tribunal xde Primeira Instância e Instrução nº 5 Collado Villalba, Espanha)

Luigi Marini (Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Cassação, Itália)

Eduardo Maia Costa Juiz do Supremo Tribunal de Justiça, Portugal)



14h30 – 16h | Clínica de Proximidade



Workshop em Português



Moderadora: Paula Portela (Enfermeira E.T. Gaia, Portugal)

Isabel Prado e Castro (médica, Portugal)

Raquel Duarte (CDP de Gaia, Portugal)

José Fraga (Centro Hospitalar de Gaia, Portugal)





21:30h







Lançamento do livro “Eutanásia e outras Questões Éticas no Fim da Vida” (Coordenação: Rui Nunes, Guilhermina Rego, Ivone Duarte), da Colectânea Bioética Hoje, editado pela Gráfica de Coimbra.

A apresentação da obra vai estar a cargo do Professor Altamiro da Costa Pereira (professor da Faculdade de Medicina do Porto) e do Dr. Paulo Duarte Teixeira (Juiz de Direito).


21h30

"A emergência do princípio feminino e a realização das mulheres"

Tertúlia com a participação Rosa Maria Oliveira autora do livro de Poesia Magna Mater e do psicólogo clínico Dr. Paulo Lima Santos.


A dramatização de Poemas do Magna Mater está a cargo de Ana Salgueiro, Ana Parreira, Ana Paula Relvas e Anabela Lopes do grupo de teatro Ceta de Aveiro e de ZéTo Rodrigues da Oficina de Música de Aveiro.



23:00h

Concerto

Sofia Guedes, soprano

Francisco Seabra, piano


4 de Julho de 2009 - Sábado

AUDITÓRIO

21h30

Apresentação da revista literária Callema n 6

PIANO-BAR


23:00h



Melodias de Sempre

Daniela Anjo, flauta transversal

Miguel Oliveira, piano

GALERIA


21:30h

Inauguração da exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


5 de Julho de 2009 - Domingo


GALERIA


Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


6 de Julho de 2009 - 2ªFeira

GALERIA


Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


7 de Julho de 2009 - 3ªFeira

AUDITÓRIO


21:30 - 23:30h



Oficina de Filosofia Prática e Pensamento Crítico



Inscrições

revistaumcafe@gmail.com

91 668 63 99

GALERIA

Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES

Projeto Afina-se revela talentos musicais

Alunos dos cursos práticos do Conservatório de MPB mostram o resultado do aprendizado em espetáculos gratuitos, de 1º a 14 de julho.



O resultado do trabalho desenvolvido nas salas de aulas do Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba, no primeiro semestre do ano, pode ser conferido pelo público em espetáculos gratuitos. No período de 1º a 14 de julho, os alunos participam do Projeto Afina-se, com apresentações no Auditório Nhô Belarmino e na Praça Jacob do Bandolim do Conservatório de MPB, no Teatro Londrina do Memorial de Curitiba, no TUC – Teatro Universitário de Curitiba e no Wonka Bar.

O evento proporciona às comunidades a possibilidade de apreciar o talento e a criatividade desses novos artistas. Nos shows, sob orientação dos professores, sobem ao palco estudantes iniciantes e de nível avançado dos diversos cursos de instrumento, canto e práticas de conjunto. De cunho didático, o projeto conta com toda uma estrutura de produção, que abrange o aparato de cartazes e programas impressos, sonorização e iluminação, ingredientes indispensáveis para estabelecer uma ponte entre a escola e o ambiente musical profissional.

Confira a agenda de apresentações das turmas e seus respectivos professores:



Dia 1º de julho (quarta-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Praça Jacob do Bandolim

CANTO POPULAR (Suzie Franco), CANTO POPULAR (Ana Cascardo)



Dia 2 de julho (quinta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

BAIXO ELÉTRICO (Marcelo Pereira), VIOLÃO (Guilherme Campos), CANTO POPULAR (Adriana Fabro)



Dia 3 de julho (sexta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

CAVAQUINHO (Julião Boêmio), CANTO POPULAR (Joubert Guimarães)



Dia 4 de julho (sábado), às 14h

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

FLAUTA TRANSVERSAL (Zélia Brandão), CONJUNTO DE MPB (Glauco Sölter), VIOLÃO (Cláudio Menandro), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



Dia 6 de julho (segunda-feira):

às 18h30 – Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

PIANO PARA CRIANÇAS (Cristina Loureiro), ACORDEOM (Marina Camargo), ACORDEOM (Rubens Pires), PIANO (Beth Fadel), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



às 20h – Wonka Bar

PERCUSSÃO (Alex Figueiredo)



Dia 7 de julho (terça-feira), às 18h30

TUC – Teatro Universitário de Curitiba

VIOLÃO (Fabiano “Tiziu” Silveira), TROMBONE (Osmário Estevam Jr.), BATERIA P/ CRIANÇAS (Paulo Oliveira), CANTO POPULAR (Adriana Fabro)



Dia 8 de julho (quarta-feira), às 18h30

TUC – Teatro Universitário de Curitiba

PIANO (Reginaldo Nascimento), CANTO POPULAR (Joubert Guimarães), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



Dia 9 de julho (quinta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

CANTO POPULAR (Suzie Franco), CANTO POPULAR (Ana Cascardo)



Dia 11 de julho (sábado), às 14h

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

VIOLÃO/ VIOLA CAIPIRA (Rogério Gulin)



Dia 13 de julho (segunda-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

SAXOFONE (Raul Valente), VIOLÃO P/ CRIANÇAS (Daniel Fagundes)



Dia 14 de julho (terça-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

BATERIA (Toni Antoniacomi)



Endereços:



Conservatório de MPB de Curitiba – Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico – telefone 3321-3208

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina – Rua Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico – telefone 3321-3313

TUC – Teatro Universitário de Curitiba – Galeria Julio Moreira, 30 – Setor Histórico – telefone 3321-3312

Wonka Bar – Rua Trajano Reis, 326 – São Francisco – telefone 3014-6252

segunda-feira, 29 de junho de 2009

MELÔ DO DIPLOMA DE JORNALISTA

Da série - Perco o amigo mas não perco a piada!

Sorria, afinal é segunda feira e ainda teremos muitos meses de "dunguices"!

domingo, 28 de junho de 2009

Ensaios sobre corvos e escrivaninhas

À MESA COM O CHAPELEIRO MALUCO
- Ensaios sobre corvos e escrivaninhas

de Alberto Manguel

Páginas - 248


O LIVRO

Para Erasmo de Roterdã, a loucura - o alegre extravio da razão - explica muitas das atividades em que incorrem os seres humanos: a guerra, o amor, a política, as artes. Bertrand Russell, ao completar noventa anos, comentou: "Ao longo de toda a vida, ouvi dizer que o homem é um animal racional; até hoje, porém, não tenho uma só prova de que seja mesmo". A verdade é que em todas as épocas houve loucos, e a atual não é exceção. Neste livro de ensaios saborosos, Alberto Manguel parte das frases mais famosas de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, para inventariar um universo de personagens, artistas e obras que se nutrem do tipo de demência sublime que, desde a Antiguidade, desafia regras e instituições. Assim, o leitor encontrará Pinóquio, o capitão Nemo e Dom Quixote ao lado de Stevenson, Borges, Gaudí e Van Gogh, e partirá em viagem pelo mundo de sonhos e realidades em constante mutação que chamamos de "cultura". Um livro de brincadeiras finas e reflexões bem fundamentadas sobre o prazer inigualável da leitura.

O AUTOR
Nasceu em 1948, em Buenos Aires, e é hoje cidadão canadiano. Passou a sua infância em Israel, devido ao seu pai ser embaixador argentino nesse país. Completou os estudos no Colégio Nacional de Buenos Aires, nunca chegando a frequentar qualquer curso universitário. Em 1968 transferiu-se para a Europa e, à excepção de um ano em que esteve de volta a Buenos Aires, onde trabalhou como jornalista para o periódico La Nación, viveu em Espanha, em França, em Inglaterra e em Itália. Enquanto esteve na Europa ganhou a vida como leitor para várias editoras, como a Gallimard, Denöel, Les Lettres Nouvelles, em Paris, Calder & Boyars em Londres e exerceu o cargo de editor estrangeiro na Editora Franco Maria Ricci em Milão.


Em meados dos anos 70, aceitou o cargo de editor-assistente das Editions du Pacifique, uma editora do Tahiti. Em 1982, depois de publicar The Dictionary of Imaginary Places (em colaboração com Gianni Guadalupi), mudou-se para o Canadá, onde residiu até 2001. Editou uma dúzia de antologias de contos sobre temas que vão do fantástico à literatura erótica. Autor de livros de ficção e de não-ficção, desenvolve uma actividade intensa como editor e tradutor, além de contribuir regularmente para jornais e revistas do mundo inteiro. Actualmente reside em França. É membro da União de Escritores Canadianos, do PEN Canadá e da Fundação Guggenheim. Foi nomeado oficial da Ordem das Artes e das Letras, em França.


A OBRA

»Não Ficção
1985 - Into the Looking-Glass Wood: Essays on Books, Reading, and the World
1996 - A History of Reading
2006 - With Borges
2006 - A Room Full of Toys: The Magical Characters of Childhood
2006 - The Library at Night
2006 - Magic Land of Toys
2006 - A Reading Diary: A Year of Favourite Books (2006)

»Antologias
1968 - In another Part of the Forest: The Antology of Gay Literature (Com Craig Stephenson)
1984 - The Oxford Book of Canadian Ghost Stories
1984 - Black Water: The Book of Fantastic Literature
1985 - Dark Arrows: Stories of Revenge
1985 - Other Fires: Short Fiction by Latin American Women
1988 - Evening Games: Stories for Parents and Children
1990 - Black Water 2: More Tales of the Fantastic
1991 - White Fire: More Tales of the Fantastic
1991 - By the light of the Glow-Worm Lamp: Tree Centuries of Reflections on Nature
1993 - The Gates of Paradise: The Antology of Erotic Literature
1998 - Fathers and Sons: An Antology
2006 - The Ecco Book Of Christmas Stories

»Novelas
1980 - The Dictionary of Imaginary Places
1991 - News from a Foreign Country Came
2004 - Stevenson Under the Palm Trees

»Outros Géneros
2001 - Reading Pictures: A History of Love and Hate
1997 - The Bridge of Frankenstein
1998 - The Ark in the Garden: And Other Fables for our times

Obras editadas em Portugal
1998 - Uma História da Leitura (Editorial Presença)
2003 - Stevenson sob as Palmeiras (Asa)

Obras do autor publicadas pela Companhia das Letras

À MESA COM O CHAPELEIRO MALUCO

AMANTE DETALHISTA, O

BIBLIOTECA À NOITE, A

CIDADE DAS PALAVRAS, A

DICIONÁRIO DE LUGARES IMAGINÁRIOS

HISTÓRIA DA LEITURA, UMA

LENDO IMAGENS

LIVROS E OS DIAS, OS

NO BOSQUE DO ESPELHO

STEVENSON SOB AS PALMEIRAS

UM LANÇAMENTO






TRES NOVOS LIVROS DE BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS





















lançamentos da

DOIS NOVOS LIVROS DE MARINA COLASANTI

































LEIA EM



lançamentos da

Diploma cai, mas empresas ainda querem profissionais formados

A recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a exigência do diploma para o curso de jornalismo, dividiu a categoria e trouxe várias questões sobre a regulamentação da profissão. Jornalistas formados, não-formados, estudantes e professores querem saber, o que muda a partir de agora no mercado de trabalho?

Uma das principais portas de entrada na profissão é o programa de estágio. Três dos principais jornais do País usam deste meio para treinar futuros profissionais. Mesmo com a mudança na legislação, para alguns veículos de comunicação, ter curso superior ainda é um critério de seleção. Um exemplo é o jornal O Globo.

"Acreditamos no papel da escola"
“As organizações Globo respeitam a decisão do STF, mas acreditamos no papel da escola e na qualidade dos profissionais formados. Portanto, estar cursando ou ser formado em Comunicação Social continua sendo um dos critérios para a inscrição dos candidatos”, disse Luiza Correa, responsável pelo programa de estágio “Boa Chance” do jornal O Globo.

Por estar em andamento, o processo seletivo do Estadão não muda neste ano. Para o ano que vem ainda não se sabe se haverá alguma mudança.

“O processo seletivo para 2009 não terá mudanças porque já está na sua fase de encerramento das inscrições. Para 2010 não está nada decidido, pois a lei ainda é recente” informou Marisa Oliveira, responsável pelo “Curso Intensivo de Jornalismo Aplicado” do jornal.

A Folha de S.Paulo não se preocupa com a decisão do STF. Mesmo antes dela, não exigia a graduação em Jornalismo.

“Nada mudou para o grupo Folha. O requisito principal para se inscrever no programa é o diploma. Qualquer pessoa que tenha curso superior concluído ou em curso, pode participar, basta que seja criativa, bem formada e julgue ter talento para jornalismo”, afirmou Ana Estela de Sousa Pinto, responsável pelo programa “Treinamento Folha” da Folha de S. Paulo.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Instituto Vladimir Herzog foi lançado

Nesta quinta-feira (25/06) foi lançado o Instituto Vladimir Herzog, na Cinemateca, em São Paulo. A iniciativa é de familiares e amigos do jornalista, assassinado em 25/10/1975, pelo regime militar.

O instituto reúne acervo com fotos, reportagens e outras informações sobre o Herzog. O local será aberto ao público e interessados em pesquisar a vida do jornalista.

Além de disponibilizar dados sobre Herzog, o instituto pretende realizar debates sobre o papel do jornalismo, das mudanças na carreira e das novas mídias.

Na mesma ocasião foi lançado o regulamento da 31ª edição Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. O instituto, em parceria com o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, ficará responsável pelo prêmio. Outra premiação será para estudantes de comunicação, o Prêmio Jovem Repórter Fernando Pacheco Jordão.

Além do lançamento do instituto, na Cinemateca Brasileira, houve uma homenagem ao cardeal D. Paulo Evaristo Arns, ao rabino Henry Sobel e ao reverendo James Wright, que realizaram um culto em memória de Herzog logo após a sua morte.

Eternamente Sua


Eternamente Sua
de Rubens Paulo Gonçalves


Amor à primeira vista é uma experiência compartilhada por muitos.

Vidas anteriores? Uniões passadas? Identificações psíquicas?

Superpondo acontecimentos ocorridos em três tempos, o autor parte em busca de respostas: o tempo cronológico, físico e dimensional, limitado pela realidade; o tempo do sonho que pertence somente ao sonhador e é limitado por seu próprio psiquismo; o tempo espiritual, de duração desconhecida e que pode explicar alguns fatos misteriosos.


UM LANÇAMENTO


Tribo do Mouse


Tribo do Mouse
de Ulisses Giorgi , Juarez Poletto , João Reginatto



Número de Páginas: 224 páginas


Tribo do Mouse - Histórias, Dicas e Truques do Mundo Corporativo é um livro para surpreender. Longe do ranço e da banalidade de títulos cheios de formulismos que beiram à autoajuda, a tribo mostra que há vida, humor e humanidade no cotidiano de uma empresa. A fuga do lugar-comum estampada nos sensíveis e pertinentes relatos de a Tribo do Mouse, é acompanhada de uma audácia da editora Fábrica de Leitura: a publicação tem duas capas, para que o leitor escolha qual quer levar para casa.

O livro relata a vida no escritório pelo prisma mais real possível. As crônicas e pensatas inspiradas em casos verídicos têm o frescor da linguagem coloquial características dos blogs e ganham agora a versão impressa para comemorar os dois anos na Internet.

A ausência de referências que falassem sobre o cotidiano real das empresas, o mais distante possível de fórmulas robóticas, com análise crítica, dicas e histórias que tocassem profundamente quem vive nesse ambiente foi a motivação inicial dos textos. As situações relatadas mostram como e quem são as pessoas do chamado "mundo corporativo" e ainda ajudam a entender o funcionamento das relações e comportamentos dentro da empresa. De forma clara, irônica e bem objetiva, a Tribo do Mouse vai tirar você da zona de conforto e colaborar para um empurrãozinho em direção a tendências e soluções para sua vida profissional.

Os autores João Reginatto, Juarez Poletto e Ulisses Giorgi nasceram no Rio Grande do Sul, mas seguem carreiras em diferentes latitudes (Porto Alegre, Curitiba e Dublin, na Irlanda). Eles são Jack, Reggie e Zambol e integram a tribo, que surgiu de forma natural entre amigos com experiências pessoais e profissionais muito próximas.

UM LANÇAMENTO


Deus: um guia para os perplexos



Deus: um guia para os perplexos
de Keith Ward



Páginas: 352


O teólogo Keith Ward é possuidor de uma biografia que o qualifica plenamente para desenvolver com conhecimento de causa o tema deste ensaio. Além de sacerdote da Igreja Anglicana e teólogo, é filósofo e professor de Filosofia da Religião do King’s College de Londres e professor responsável pela cadeira de “Divinity” da Universidade de Oxford.

Autor de diversos livros sobre sua especialidade, Ward transita ao mesmo tempo com leveza e profundidade pelas questões filosóficas e teológicas, fazendo-o com a naturalidade e a segurança de quem domina o assunto. Por este motivo acabou tornando-se o interlocutor mais qualificado para rebater os questionamentos levantados por alguns cientistas a respeito da natureza e da existência de Deus, como os do biólogo Richard Dawkins, autor de Deus, um Delírio.

Em Deus: Um Guia para os Perplexos, Ward conduz o leitor por uma autêntica viagem — bem dosada com algumas pitadas do característico humor britânico — pela história das religiões e da filosofia, desde as divindades gregas até chegar a Hegel e Marx, passando por todos os mais importantes pensadores da história do mundo, tais como, por exemplo, Platão, Agostinho, Aristóteles, Tomás de Aquino, Kant, Heidegger, Schopenhauer e Nietzsche.

Sua erudição e preparo para desenvolver o tema fazem com que o texto adquira uma qualidade inquestionável e uma clareza fundamental para prender o leitor de forma definitiva, levando-nos a um passeio esclarecedor pela história do pensamento humano com um interesse redobrado, tamanha é a capacidade do autor para criar tópicos com títulos originais e até poéticos como “O amor que move o Sol”, “O poeta do mundo”, “O Deus dos filósofos” e “A escuridão entre as estrelas”, para citar apenas alguns.
Por tudo isso, Deus: Um Guia para os Perplexos torna-se uma leitura indispensável não só para estes “perplexos”, mas também para todos os crentes e não-crentes, embora tudo leve a crer que os primeiros tirarão um proveito maior de sua leitura, já que Keith Ward fornece argumentos inesgotáveis para mostrar que, como afirma Leonardo Boff no prefácio, “pensar Deus é (...) conectar-se com aquela Energia soberana e boa que pervaga o Universo e penetra nas profundezas de cada um”. Waldemar Falcão, músico, astrólogo e escritor


um lançamento da





Professor Rui Nunes lança livro sobre eutanásia no Clube Literário do Porto



O Clube Literário do Porto recebe no próximo dia 3 de Julho (sexta-feira), pelas 21h30, o lançamento do livro “Eutanásia e outras Questões Éticas no Fim da Vida” (Coordenação: Rui Nunes, Guilhermina Rego, Ivone Duarte), da Colectânea Bioética Hoje, editado pela Gráfica de Coimbra 2.

Uma obra que pretende, segundo os seus autores, “abordar em profundidade a prática da eutanásia. Ao longo deste livro são tratados temas de particular controvérsia, desde a realidade nacional sobre a morte medicamente assistida, às ordens de não-reanimar ou mesmo os cuidados paliativos. Porém, e apesar de se desejar um debate livre, aberto e tolerante sobre a eutanásia, deve igualmente considerar-se que um pedido de eutanásia pode ter subjacente um apelo de alguém que se encontra isolado, alienado e em profundo sofrimento.

Ou seja, para alguns doentes a solidão em que se encontram implica que a morte assistida – na forma de eutanásia ou de assistência ao suicídio – seja a solução final, ainda que não desejada, para o seu problema existencial. Assim, a prevenção da dor e do sofrimento, com o apoio da família e da sociedade, trazem seguramente um novo sentido à vida quando a morte é previsível”.

A apresentação de «Eutanásia e outras questões éticas no fim da vida» vai estar a cargo do Professor Altamiro da Costa Pereira (professor da Faculdade de Medicina do Porto) e do Dr. Paulo Duarte Teixeira (Juiz de Direito).

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt
BLOGUE: http//www.clubeliterariodoporto.blogspot.com

Inscrições para cursos do Conservatório de MPB


Os interessados têm à disposição 440 vagas distribuídas entre 33 cursos de instrumentos e voz (crianças e adultos), teoria e prática de conjunto (adultos).

O Conservatório de Música Popular Brasileira, unidade da Prefeitura administrada pela Fundação Cultural de Curitiba, realiza de 29 de junho a 3 de julho as inscrições para os cursos do segundo semestre. Os interessados passam por testes de nivelamento que acontecem de 6 a 10 de julho, com taxa de R$ 10 por curso. As inscrições devem ser feitas na secretaria do Conservatório de MPB (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico).

Estão sendo ofertadas 440 vagas, distribuídas entre 33 cursos de instrumentos e voz (crianças e adultos), teoria e prática de conjunto (adultos). As vagas são limitadas por curso. As matrículas serão efetuadas após os testes, mediante o pagamento da taxa de R$ 50, mais a primeira parcela do curso desejado. Informações complementares podem ser obtidas pelos telefones (41) 3321-3208 e (41) 3321-3315.

Confira o calendário de inscrições:

NÚCLEO DE CANTO: somente dia 29.06.2009/segunda-feira (canto popular)

NÚCLEO DE TECLADOS: somente dia 30.06.2009/terça-feira (piano e acordeom)

NÚCLEO DE SOPROS E TEORIA: somente dia 01.07.2009/quarta-feira (trompete, flauta doce para crianças, flauta doce para adultos, flauta transversal, trombone, clarinete, saxofone)

NÚCLEO DE CORDAS: somente dia 02.07.2009/quinta-feira (violão, violão para crianças, cavaquinho, guitarra, baixo elétrico, viola caipira)

NÚCLEO DE BATERIA E PERCUSSÃO: somente dia 03.07.2009/sexta-feira

Período de testes 6 a 10 de julho de 2009, com taxa de R$ 10 por curso

Matrícula – no período de 6 a 10 de julho de 2009, com pagamento da taxa de R$ 50 + 1ª parcela do curso desejado

Documentos para matrícula:
1 foto 3X4 recente
RG e CPF ou certidão de nascimento

Valores:

Instrumento ou voz – 5 X R$ 60 – semestral – 16h/aulas

Disciplina teórica básica – 5 X R$ 32 – semestral – 16 ou 32h/aulas

Disciplina teórica complementar – 5 X R$ 64 – semestral – 32h/aulas

Prática de conjunto – 5 x R$ 27 – semestral – 32h/aulas

Vagas por cursos de instrumento, voz e teoria:

Acordeom (8) – baixo elétrico (20) – bateria (22) – canto popular (62) – cavaquinho (16) – clarinete (4) – flauta doce (6) – flauta transversal (15) – guitarra elétrica (20) – percussão (16) – piano (35) – saxofone (15) – teoria (60) - trombone (8) – trompete (8) – viola caipira (15) – violão (61).

Bateria para crianças (10) – flauta doce para crianças (10) – piano para crianças (15) – violão pra crianças (15)

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

De 26 de junho a 2 de julho de 2009

Domingo, 28 de junho – ingresso a R$1,00

CINEMATECA - Sala Groff Rua Carlos Cavalcanti nº 1.174 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3252 (diariamente, das 14h30 às 21h) – Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br

FRONTEIRA (BR/2008 – 35mm – 85’) Direção de Rafael Conde. Elenco: Berta Zemel, Débora Gómez, Alexandre Cioletti. Fronteira narra uma história de amor e mistério em um velho sobrado onde vive Maria Santa, jovem cuja fama de milagreira ultrapassa as montanhas do interior de Minas. A chegada de dois novos personagens terá efeitos perturbadores sobre Maria Santa: um viajante, com quem vive uma intensa paixão, e Tia Emiliana, velha senhora empenhada em preparar um grande milagre. Classificação 14 anos

Sessões às 16h e 20h

Dia 27, sessão somente às 14h

Ingresso pago: R$5,00 (inteira) - R$2,50 (meia) – R$1,00 (domingo)

ENQUANTO ESTAMOS DORMINDO (BR/PR, 2009 – 35mm/col, 20’ - ficção). Direção de Vergínia Maria Grando. Roteiro/Produção de Rosangela Supptitz. Elenco: Leandro Daniel Colombo, Ana Clara Fischer, Vitor Lacerda, Cynthia Senek, André Meira, Aline Fernanda Hiittll. Um adolescente, filho de pais catadores de papel, convive entre duas realidades: sua comunidade e as ruas. Na rua, se envolve em situações de risco sem, no entanto, perder a sua essência. Como palco, as velhas ruas do centro histórico de Curitiba e a vila Zumbi dos Palmares, na região metropolitana. Classificação livre

Dia 27, às 19h e 20h30 – Entrada franca

PIP POP MOSTRA DE VIDEODANÇA

Organizada pela diretora e coreógrafa Carmen Jorge mostra o resultado de um período dedicado aos estudos da videodança configurados em 6 vídeos realizados por artistas paranaenses através do projeto TECNOLABORATERRITÓRIO, idealizado e realizado pela PIP Pesquisa em Dança.

BERNARDA (BR/PR, 2009 - 2’38”) de Giorgia Conceição e Yara Barros.

PARALELO (BR/PR, 2009 – 2’18”) de Rodrigo Slompo, Mariana Baptista e Emanuella Kalil.

CONTRA – OBJETO (BR/PR, 2009 – 4’25”) de Luana Navarro, Cláudio de Souza e Gabriel Machado.

LAPSE (BR/PR, 2009 – 6’42”) de Viviane Mortean, Marlon de Toledo e Vadeco.

PINKO 5 (BR/PR, 2009 – 11’) de Angelo Luz, Marlon de Toledo e Vadeco.

CLIPIP (BR/PR, 2009 -6’) de Carmen Jorge, Angelo Luz, Viviane Mortean, Marlon de Toledo e Vadeco. Videodança premiada no Festival Tápias do Rio de Janeiro e Selecionada no projeto Primeiros Passos do SESC Pompéia. Classificação livre para todos os filmes

Dia 28, às 14h30 – Entrada franca





PROGRAMAÇÃO

De 26 de junho a 2 de julho de 2009

Domingo, 28 de junho – ingresso a R$1,00

CINE LUZ Rua XV de Novembro, nº 822 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3261 (diariamente, das 14h30 às 21h). Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br

DIVÃ (BR, 2009 – 90’). Direção de José Alvarenga Jr. Elenco: Lilia Cabral, José Mayer Reynaldo Gianecchini, Cauã Reymond. Mercedes, uma mulher de 40 anos que vive às voltas com as alegrias e desafios da sociedade contemporânea, casada e mãe de dois filhos, decide, mesmo sem saber bem o porquê, procurar um psicanalista. E, assim, o que antes era apenas uma curiosidade, se transforma em uma experiência devastadora, que provoca uma série de mudanças em sua vida cotidiana. No divã, Mercedes questiona o seu casamento, a realização profissional e seu poder de sedução. A melhor amiga Mônica, a companheira de todos os momentos, vê de perto a transformação de Mercedes e participa de suas novas experiências e descobertas, apesar de nem sempre concordar com suas escolhas. As revelações de Mercedes para o analista, assim como as conversas com a melhor amiga, dão novo rumo à vida de Mercedes que a princípio parecia boa, estável, mas sem grandes emoções. É só o princípio de uma grande transformação. Classificação 14 anos

Sessões às 15h30, 17h30 e 20h

Domingo, dia 28 - sessões somente às 17h30 e 20h

A OITAVA COR DO ARCO-ÍRIS (BR, 2004 – 80’). Direção de Amauri Tangará, com Diego Borges, Izabel Serra, Waldir Bertúlio. Na pequena vila de Nossa Senhora da Guia, vive o menino Joãzinho, criado pela avó Dona Dindinha que muito doente sustenta o neto com a mísera aposentadoria que recebe. Quando Joãzinho flagra a avó rezando a Deus, pedindo para que ele a leve logo, pois não suporta as dores da saúde fragilizada por conta da idade, o menino resolve vender “Mocinha”, sua cabrita de estimação. Com o dinheiro arrecadado, Joãozinho pretende comprar os remédios da avó. Começa aí a jornada do pequeno protagonista, que percorre as vilas ao redor de sua moradia a fim de conseguir vender a cabrita. Classificação livre.

Domingo, dia 28 – sessões às 10h30 e 15h30

Banda Etnocívis lança CD com show no TUC


Espetáculo nesta sexta-feira (26), às 20h, leva ao palco as composições do grupo curitibano, reunidas no álbum “Reggaerock Popcore”.

O TUC – Teatro Universitário de Curitiba, um dos espaços culturais da Prefeitura Municipal, abriga nesta sexta-feira (26), às 20h, o show da Banda Etnocívis, no lançamento de seu primeiro CD, intitulado “Reggaerock Popcore”. O grupo curitibano é pioneiro na divulgação da Bioarte, movimento que une a intervenção do artista e a ação da natureza.

Criada há seis anos pelo vocalista e compositor Nerecy Ramos, a banda tem no nome a junção das palavras etnia, nacionalidade e humanidade. Na formação atual, além de Nerecy (voz e violão), estão os músicos Macau (baixo), Jean Carlo (bateria), Esdras Constantino (guitarra) e Pico (percussão). Em seu primeiro trabalho, registrado pela gravadora Gramofone, o grupo mostra composições próprias, com influências de todos os integrantes.

No histórico da Banda Etnocívis constam participações em diversos encontros musicais, entre eles o Festival GPP-SBT, Natal Pop Fest-Studio H-Mix, Festival Nokia Music Express e Festival Fusionis. Atualmente, a banda é uma das atrações do bar El Mago, em Curitiba, e tem como maior sucesso a musica Maremoto Cachoeira.

No show desta sexta-feira, o público também poderá conferir exposição de obras do artista plástico e fotógrafo Marcos Pereira, participante do movimento da Bioarte e responsável pelo trabalho gráfico da capa do CD “Reggaerock Popcore”.

Serviço:

Show da Banda Etnocívis, com lançamento do CD “Reggaerock Popcore”

Data e horário: dia 26 de junho de 2009 (sexta-feira), às 20h

Local: TUC – Teatro Universitário de Curitiba (Galeria Júlio Moreira – Setor Histórico)

Ingressos: R$ 6 e R$ 3

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Obras de Bach em concerto da Camerata Antiqua de Curitiba



Um programa dedicado a Johann Sebastian Bach marca as apresentações do fim de semana, sob a regência do maestro convidado Luís Otávio Santos.

O moteto, gênero musical polifônico que surgiu no século XII, encontrou seu ápice nos Seis Motetos de Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), obras que integram o repertório da Camerata Antiqua de Curitiba, no concerto deste fim de semana. Sob a regência do maestro convidado Luís Otávio Santos, o grupo musical da Prefeitura Municipal apresenta-se às 20h de sexta-feira (26), na Igreja Bom Jesus, e às 18h30 de sábado (27), na Capela Santa Maria, dentro da temporada 2009 de concertos patrocinada pela Volvo.

O público terá a oportunidade de apreciar composições que ocupam um lugar ímpar no conjunto de obras de Bach. Escritos em alemão e com textos sacros, os motetos exigem preparo e talento dos músicos para a sua execução. Consta que, em uma visita a Leipzig, Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791) ouviu a apresentação de um dos motetos de Bach e considerou que aprenderia muito com aquela composição. O programa completa-se com outra obra de Bach, a Suíte Nº 3 para Orquestra em Ré Maior.

O regente – O regente convidado para este concerto da Camerata Antiqua de Curitiba é Luís Otávio Santos, formado em violino barroco pelo Koninklijk Conservatorium Den Haag (Holanda). Desde 1992, o músico atua como spalla e solista da renomada orquestra barroca belga “La Petite Bande”, dirigida por Sigiswald Kuijken, com a qual já realizou turnês por toda Europa, China, Japão, México, Argentina, Colômbia e Chile, além de gravar dezenas de CDs e programas de televisão para as televisões belga, francesa e japonesa.

Luís Otávio Santos também lidera outros grupos na Europa, entre eles “Ricercar Consort” (direção de Philippe Pierlot), “Le Concert Français” (direção de Pierre Hantai), “Nederlandse Bachverening” (direção de Gustav Leonhardt) e “Den Haag Baroque Orchestra”. Foi professor de violino barroco na “Scuola di Musica di Fiesole” em Florença (Itália), de 1997 a 2001, e no “Conservatoire Royal de Musique de Bruxelles”, de 1998 a 2005.

Na sua discografia solo destacam-se a integral das Sonatas de Johann Sebastian Bach, ao lado do cravista Peter-Jan Belder, para o selo holandês Brilliant; As Quatro Estações de Vivaldi com La Petite Bande, pelo selo belga Accent; e as Sonatas para violino de J. M. Leclair, para o selo alemão Ramée, gravação que recebeu o prêmio “Diapason d´Or”, a maior distinção francesa concedida a um registro fonográfico.

No Brasil, Luís Otávio Santos responde pela direção artística do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (MG), que tem 19 anos de história. Neste evento é também regente da Orquestra Barroca do Festival, que já gravou nove CDs e um DVD com obras brasileiras e européias, em registros inéditos no Brasil. Em 2007, Luís Otávio Santos foi agraciado com o título de Comendador da Ordem do Mérito Cultural, concedido pelo Governo Federal e o Ministério da Cultura por seu envolvimento com a cultura nacional e reconhecimento à carreira internacional.

Serviço:

Apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos, dentro da temporada 2009 de concertos, patrocinada pela Volvo. No programa, obras de Johann Sebastian Bach (1685 – 1750)

Data: 26 de junho de 2009 (sexta-feira), às 20h

Local: Igreja Bom Jesus (Praça Rui Barbosa, s/n – Centro)

Entrada franca

Data: 27 de junho de 2009 (sábado), às 18h30

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Ingressos: R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível)

Mostra “A Noite de São João” comemora os 150 anos da primeira ópera brasileira



O Coral Vozes de Itu abre a mostra “A Noite de São João”, na
noite desta sexta-feira, no Espaço Cultural Almeida Júnior,
assinada pelo Museu da Música – Itu, em parceria com o Sistema
Estadual de Museu. A exposição, que fica em cartaz de 27 de
junho a 09 de agosto, será realizada em comemoração aos 150
anos da primeira ópera brasileira escrita em Itu, em 1859, por
Elias Álvares Lobo
A encenação da ópera só se deu em 1860, no Rio de Janeiro, para
o Imperador Pedro II, tendo a música regida por Carlos Gomes.
Os originais da ópera – uma raridade – foram doados em janeiro
deste ano, por Eliseu Belculfinè, guardião do tesouro da história
brasileira, ao Museu da Música- Itu. “Trata-se de um conjunto de
partituras originais do compositor ituano, Elias Lobo, um dos
professores de Chiquinha Gonzaga. A Noite de São João foi a
primeira ópera com libreto em língua portuguesa e musicada por
brasileiros, com argumento regional” explica Luís Roberto de
Francisco, regente do Coral Vozes de Itu e responsável pelo Museu
da Música.
Segundo Luis de Francisco, a obra, que está em processo de
digitalização e restauração, “na verdade é um conjunto saboroso
de modinhas, coros e árias, escritas a partir do Libreto de José de
Alencar, autor de O Guarani”.
A mostra será montada em quinze painéis e traz também um
documento inédito de Elias Lobo, parte de um memorial, no qual o
compositor, que viveu nas cidades de Itu, Rio de Janeiro, Itatiba,
Campinas e São Paulo, relata seus primeiros anos de vida, página
que contém informações relativamente desconhecidas da história,
narrando, inclusive, seus professores, primeiras obras e fala de
seu aproveitamento como aluno de música. O Espaço Cultural
Almeida Júnior, local da mostra, outrora residência da Baronesa de
Itu, serviu de palco para Elias Lobo, onde realizou inúmeros
saraus, em seu tempo.
Segundo a curadora do Museu da Música – Itu, Maria de Lourdes
Sioli, “a obra é uma das melhores representações da singeleza da
música do interior paulista, dando a cor local ao texto de José de
Alencar.” O argumento da Noite de São João, uma ópera cômica, é
o amor entre dois primos – Inês e Carlos, numa trama onde
surgem um frade e uma cigana. Escrita em dois atos, conta com a
participação de um coro de convidados para uma Festa de São
João.
A participação especial estará a cargo do Coral Vozes de Itu, que
cantará alguns trechos da obra. Há mais de dez anos, o grupo vem
se dedicando à recuperação de obras ituanas. Apresentou, em
2001, pela primeira vez, o coro de abertura da ópera em destaque
e seu regente, Luís Roberto de Francisco, é um dos responsáveis
pela recuperação dos originais. “A Noite de São João é um marco
histórico na música brasileira e um elemento que hoje serve de elo
entre as representações do universo caipira e nossa busca de
identidade paulista“, ressalta a presidente do Coral, Allie Marie
Dias de Queiroz
Está prevista a presença de inúmeros descendentes do compositor
– Elias Álvares Lobo, inclusive de seus bisnetos José Eduardo e
Maria Antonia, que farão a doação de uma imagem de São José,
que pertenceu ao maestro.
ELIAS LOBO E O MUSEU DA MÚSICA-ITU
Elias Lobo foi republicano histórico, participante da Convenção de
Itu e escreveu o Hino Republicano de São Paulo, entoado nas
reuniões dos Clubes de Cafeicultores simpatizantes dos ideais no
interior e na capital. Foi também professor de música da Escola
Normal de São Paulo, que formou os primeiros professores da
República paulista e para ela escreveu um método de música.
O Museu da Música – Itu está instalado à Rua Floriano Peixoto,
480, no centro de Itu, onde mostra de longa duração traz a
história da música na Igreja Matriz de Itu, desde 1684. É mantido
pelo Instituto Cultural de Itu.
O evento conta com apoio da Associação Cultural de Amigos do
Museu Casa de Portinari, da Secretaria Municipal de Cultura de Itu
e da Itu Tintas.
A Associação Cultural Vozes de Itu é mantida por associados e
apresentações em eventos, mais informações:
www.vozesdeitu.com.br.

SERVIÇO:
Mostra: A Noite de São João, 150 da primeira ópera brasileira
De 27 de Junho a 09 de agosto de 2009
Espaço Cultural Almeida Júnior, Rua Paula Souza, 664 - ITU

Abertura – 26 de junho de 2009, 20h.
Participação do Coral Vozes de Itu

Veja no YouTube manifestações contra fim da obrigatoriedade do diploma em 4 estados


As manifestações que os estudantes de jornalismo organizaram contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) estão no YouTube. Os protestos foram realizados na segunda-feira (22/06) no Rio de Janeiro, Brasília, Teresina e São Paulo.

Em Brasília, o vídeo exibe os estudantes reivindicando a saída de Gilmar Mendes. No Rio de Janeiro pedem a regulamentação da profissão, uma das faixas dizia: “Só o diploma de jornalista garante qualidade de informação. É melhor para a sociedade”. Já em Teresina, o deputado Fábio Novo apoiou a manifestação dos jornalistas, defendendo o diploma para exercer a profissão.

Como aconteceu em São Paulo, nas outras cidades o número de manifestantes não foi tão grande quanto o esperado. Mas os estudantes prometem novos protestos.

Clique nas imagens para assistir aos vídeos no YouTube.


São Paulo Rio de Janeiro
Brasília Teresina

terça-feira, 23 de junho de 2009

SALSA IN RIA


clique para mais informações

LANÇAMENTO

Orquestra À Base de Corda e Carlos Malta tocam Pixinguinha


O músico Carlos Malta é o convidado especial do show da Orquestra À Base de Corda, que acontece neste fim de semana, no Teatro do MON.



A Orquestra À Base de Corda, grupo mantido pela Fundação Cultural de Curitiba, apresenta-se neste sábado (27), às 20h, e domingo (28), às 19h, no Teatro do MON (Museu Oscar Niemeyer). O espetáculo conta com a participação especial do flautista e saxofonista Carlos Malta.

O músico e a Orquestra À Base de Corda unem suas sonoridades para executar composições de Pixinguinha, gravadas por Malta em seu CD Pixinguinha Alma e Corpo. Escritas originalmente para quarteto de cordas mais sopro, as músicas foram adaptadas para esse concerto. Também fazem parte do repertório composições de Malta, gravadas com o seu grupo Pife Muderno.

Carlos Malta é conhecido como o “escultor do vento”, tal a sua habilidade na execução dos múltiplos timbres do saxofone (barítono, tenor, alto e soprano) e das flautas. Além disso, é compositor, orquestrador, educador e produtor cultural. Sua carreira como instrumentista e professor se expande para além das fronteiras do Brasil. Ministrou cursos na Berklee School (EUA), Universidade da Flórida, Conservatório de Paris e Royal Academy of Music (Dinamarca).

Liderando seus diferentes grupos, apresentou-se na França, Suíça, Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, Holanda, Dinamarca, África do Sul, Marrocos, Japão, Venezuela, República Dominicana e em Cuba, onde tocou com Michel Legrand e Chucho Valdéz (2004). Em 2008, fez participações especiais nos shows de Bob Mc Ferryn, Dave Mattews Band, Roberto Carlos & Caetano Veloso no tributo a Tom Jobim.

Carlos Malta lançou sete CDs. O primeiro foi Rainbow, em duo com o violoncelista suíço Daniel Pezzotti, indicado ao Prêmio Sharp. Depois vieram O Escultor do Vento, onde mostra algumas de suas composições, dobrando seus saxofones e flautas, e criando uma verdadeira orquestra de sopros; Pife Muderno, indicado ao Grammy Latino e no qual Malta pôde elaborar e desenvolver uma nova leitura para o repertório das bandas de pífaro; e Tudo Coreto, com sua banda Coreto Urbano, com sete metais e três percussões, apresentando arranjos modernos calcados na tradição das bandas do interior. Malta fez homenagens a Elis Regina, no CD Pimenta, recriando clássicos eternizados pela voz da cantora, e a Pixinguinha, neste CD que configura a base do espetáculo com a orquestra curitibana.



A orquestra – Mantida pela Fundação Cultural de Curitiba, a Orquestra À Base de Corda foi criada por Roberto Gnattali, em 1998. Dedicada à pesquisa e à divulgação da música brasileira, possui formação instrumental ímpar – com violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão 7 cordas, piano e percussão –, que confere ao grupo sonoridade bastante particular.

O repertório da orquestra procura abranger diversos períodos da história da música brasileira e inclui composições de seus integrantes. Os arranjos são especialmente elaborados por músicos da orquestra e por nomes como Paulo Bellinati, Maurício Carrilho, Leandro Braga, Dante Ozzetti, Jayme Vignoli, Mario Manga, André Abujamra, Paulo Aragão, Josimar Carneiro. Já teve como convidados Mônica Salmaso, Roberto Corrêa, Ceumar, Pedro Amorim, Dominguinhos, Joel Nascimento, Andrea Ernest Dias, Caíto Marcondes, Maurício Carrilho, Zé Renato e Ná Ozzetti.

Desde 2001, a Orquestra À Base de Corda conta com a direção musical do violonista e bandolinista João Egashira. Em 2008, a Orquestra lançou seu primeiro CD, intitulado Antiqüera, ao lado do violeiro Roberto Corrêa, tendo sido indicado para o Prêmio Rival. Este ano, ao lado de Roberto Corrêa, participou da gravação do programa “Instrumental SESC Brasil”.


Serviço: Orquestra À Base de Corda e Carlos Malta Local: Teatro do MON (Museu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico) Data: 27 de junho (sábado), às 20h, e 28 de junho (domingo), às 19h. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 Informações: (41) 3350-4441

Ensemble Bissamblazz faz espetáculo no Museu da Casa Brasileira


Uma bem-sucedida e alegre fusão de bossa nova, música erudita e jazz caracterizam o Ensemble Brasileiro Bissamblazz que faz apresentação no domingo, 28 de junho, às 11h, no Museu da Casa Brasileira, instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura. Com direção e regência do baterista Magno Bissoli, o grupo é integrado por Vitor Alcântara, Cássio Ferreira de Sousa, Gustavo D 'Amico, Felippe Figueiredo, Fábio Dias (saxofones e flautas); Paulo de Viveiro, Paulo Jordão, Rubinho Antunes, André Brito dos Santos (trompetes e flugelhorn); Gilberto Gianelli, Ricardo Higino, Gregori Lauriano (trombones); Fernando Cardoso (trombone baixo); Fábio Leandro (piano); Sidiel Vieira (contrabaixo).



Programa: Ginga (Magno Bissoli); Brasiliana (Magno Bissoli); Ária – Cantilena, nº 1 das Bachianas Brasileiras Nº 5 (H. Villa-Lobos); End of a dream (Magno Bissoli); Safari (Rubinho Antunes); Correndo na Frente (Nenê); But I am not Hamlet (Magno Bissoli).



O projeto Música no Museu está consolidado na agenda de São Paulo como uma alternativa de lazer que reúne música de qualidade em um cenário agradável: o terraço do Museu da Casa Brasileira, em frente ao seu jardim de 6.600 metros quadrados.



Formado em 1993, o Ensemble Brasileiro Bissamblazz dedica-se a manter a música instrumental na vanguarda da consciência artística nacional, apresentando composições e arranjos originais inspirados nas tradições culturais brasileiras. Sua discografia, elogiada pela crítica especializada, expressa a convergência na diversidade da música instrumental contemporânea, divulgando uma arte que apresenta os traços da brasilidade atual.



A música de seus álbuns fez parte da trilha sonora do programa especial sobre o Brasil, realizado pela TV2 dinamarquesa em 1999, durante a visita da rainha da Dinamarca ao Brasil, e do documentário “Rio de Janeiro – Ontem e Hoje”, de José Joaquim Monteiro Soares, realizado pela Guanabara Produções em 2005. Seu álbum Caixa Preta recebeu a chancela das comemorações oficiais do V Centenário do Descobrimento do Brasil no ano de 2000. Em 2007 apresentou-se nos festivais de jazz da Dinamarca, Suécia e Noruega.



Magno Bissoli - Nascido em 1956, autodidata, iniciou seus estudos de música aos 12 anos tocando violão. A partir de 1971 interessou-se pelo estudo dos instrumentos de percussão e demais áreas da música, levando-o a uma formação erudita. Viveu na Dinamarca de 1981 a 1983, onde publicou um método pela Libra Music APS e participou de performances de vanguarda com multi-linguagens, concertos de jazz e world music. Colaborou com a divulgação da música brasileira naquela região do mundo e organizou intercâmbios com instituições ligadas ao Ministério da Cultura dinamarquês.

Trabalhou com Bibi Ferreira; Orquestra Sinfônica da USP; solista do Balé da Cidade de São Paulo no 1º Festival Internacional de Música e Dança.

Em julho de 1996, foi convidado pela Academia Real de Música da Dinamarca através do Conservatório Rítmico de Copenhague, como um dos representantes do Brasil na reunião da Unesco sobre técnicas metodológicas no ensino da música rítmica.

Sua discografia inclui 15 títulos como intérprete e 11títulos como produtor. Sob encomenda da companhia de teatro dinamarquesa Batida, compôs a trilha sonora para a peça Fargo & Søn em 2007/2008.

Percussionista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo atua em grupos de câmara nas áreas da música instrumental brasileira, música erudita e jazz. É professor doutor em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, com tese sobre as relações entre a música brasileira e a construção de uma identidade nacional.



Serviço Música no Museu – “Ensemble Brasileiro Bissamblazz” Domingo, 28 de junho, às 11h Entrada franca Duração: 60 min Capacidade: 230 lugares Local: Museu da Casa Brasileira – Terraço - Av. Brig. Faria Lima, 2705 Tel. 3032-3727 Jardim Paulistano Site: www.mcb.org.br Estacionamento: R$ 10,00 Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h Ingresso: R$ 4,00 Estudantes R$ 2,00 Gratuito domingos e feriados Acesso para pessoas com deficiência. Visitas monitoradas: 3032-2564

segunda-feira, 22 de junho de 2009

AS VIRGENS DE VIVALDI


AS VIRGENS DE VIVALDI
de Barbara Quick

354 páginas

Neste novo arrebatador romance, Barbara Quick recria o décimo oitavo século em Veneza em todo o seu esplendor e decadência.

Uma história de intriga e anseio, meias-verdades e mentiras, As Virgens de Vivaldi nos mostra através dos olhos de Anna Maria dal Violin, uma faceta do músico Antonio Vivaldi.

Aos catorze anos, Anna Maria, abandonada no Ospedale della Pietà quando bebê, está determinada a descobrir quem é e de onde veio. Sua busca a leva para além das paredes do claustro e nos apresenta o complexo mosaico da sociedade de Veneza a partir da vida da adolescente . Neste mundo, onde a plena metade do ano, a cidade inteira é mascarada e camuflada no anonimato do Carnaval, nada é o que parece ser.

As Virgens de Vivaldi é uma fascinante olhar dentro da fonte da herança musical de Vivaldi, entrelaçada com a emocionante história de uma jovem mulher .


Este é um livro maravilhoso com narração é vibrante e lírica. Uma fantástica mistura de fatos históricos com ficção e fantasias da imaginação da autora. Tudo poderia ter sido recriado ao ouvir-se Vivaldi enquanto lê-lo, e Barbara Quick's com as descrições das emoções humanas e reações são mais que suficientes para recriar a atmosfera em sua mente.

UM LANÇAMENTO



Prêmio Brasil Ambiental: inscrições abertas para categoria “Texto Jornalístico”

Profissionais da imprensa agora têm até 17 de julho para inscrever suas reportagens na categoria “Texto Jornalístico” do Prêmio Brasil Ambiental. Organizada pela Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro, a iniciativa irá contemplar a melhor matéria voltada para meio ambiente e sustentabilidade.

As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas pelo hotsite amchamrio.com/premiobrasilambiental. O autor da publicação vencedora ganhará um fim de semana no Hotel Iberostar Bahia, com direito a acompanhante e passagens aéreas oferecidas pela WebJet.

Esta é a quinta edição do Prêmio Brasil Ambiental, que reconhece projetos socioambientais desenvolvidos por empresas publicas e privadas. A categoria “Texto Jornalístico” foi criada no ano passado.

domingo, 21 de junho de 2009

STF vai decidir se cobra diploma de jornalismo para concurso público



A comissão de concursos públicos do Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá nas próximas semanas se irá exigir diploma do curso de jornalismo para a contratação de 14 profissionais da área. O edital seria divulgado no final deste mês, mas a decisão foi adiada, diante do fim da exigência do diploma pelo STF.

As 14 vagas são para área de comunicação social do Supremo, para o cargo de analista, função que exige nível superior. O que não se sabe ainda é se o STF aceitará somente jornalistas para o cargo ou profissionais de outras áreas.

Confira a programação completa da Semana Olímpica 2009