sábado, 16 de janeiro de 2010

A PALAVRA É SUCESSO

Em uma determinada empresa foi encontrado um recém-nascido, que imediatamente foi entregue a um diretor. A diretoria, muito preocupada, determinou que se criasse um grupo de trabalho para esclarecer:
1) Se o achado era produto da casa;

2) Se algum funcionário da empresa estava envolvido com a criança.


Depois de longa investigação, a comissão elaborou um relatório dizendo que o bebê encontrado em uma sala não podia ser produto da casa, pelas seguintes razões:
1) Na empresa nunca se fêz nada com prazer e amor;

2) Na empresa jamais duas pessoas colaborariam íntimamente entre si;

3) Na empresa nunca foi feito nada que tenha pé nem cabeça;
4) Na empresa jamais aconteceu qualquer coisa que ficasse pronta no prazo de nove meses.

Esta historinha exemplar escrita por Sérgio Cantalice e publicada originalmente no jornal Estado de Minas busca mostrar que a melhoria da qualidade e da produtividade está extremamente relacionada com o ambiente de prazer e de amor na empresa. E que Lições que podemos aprender?

1) É necessário um ambiente harmonioso na empresa. Fazer as coisas com seriedade não significa trabalhar de cara fechada e com mau humor. A produtividade aumenta quando realizamos o trabalho dentro de um ambiente onde predomina a alegria, a descontração, e não a tristeza ou o medo.
2) Sem colaboração mútua, é difícil que as coisas aconteçam.
Uma única pessoa usando práticas de melhoria da qualidade pode fazer uma grande diferença em uma empresa. Mas raramente uma única pessoa possui conhecimento ou experiência suficiente para compreender tudo o que está envolvido em um processo.
3) Tudo tem que ser coerente e transparente. Gerência participativa e clareza na comunicação é sem dúvida a chave para o sucesso de um programa de melhoria da qualidade.
4) Trabalhar de uma forma organizada e dentro do cronograma traz bons resultados.
Todo projeto deve ter responsabilidades e prazos definidos para que se possa medir e acompanhar os resultados.

O fato é que a valorização do conhecimento em admistração e gerenciamento são fundamentais para o sucesso de qualquer projeto.

Portanto aqui vão duas indicações de livros (as primeiras do ano) nessa área. Lançamentos de nossos parceiros da Qualitymark
.

Planejamento como Fator de Sucesso
de Maurício Valadares

Número de Páginas: 208

É um livro que apresenta melhores técnicas e interpretação do planejamento para micro, pequenas e médias empresas.

As empresas são entidades vivamente influenciadas pelo ambiente externo. Em um mercado cada vez mais competitivo, só através de uma cultura prática de planejamento, o empresário será capaz de promover tanto o crescimento como o desenvolvimento empresarial sustentado.

Foi com esse pensamento que Maurício Valadares escreveu Planejamento como fator de Sucesso, uma obra que reúne as atividades clássicas da elaboração de projetos empresariais com base nos ensinamentos de planejamento estratégico. De modo didático, o autor divide o livro em cinco módulos, cada um contendo não só o desenvolvimento conceitual do tema tratado, mas também as demonstrações práticas por meio de diversos exemplos e de convites a aplicações voltadas para a realidade da empresa. Dessa forma, cada questão tratada, passa a ser incluída no cotidiano empresarial e serve como suporte indispensável à continuidade de planejar.

Planejamento como fator de Sucesso incentivará o leitor as criar suas próprias condições para executar seus projetos empresariais, não perdendo nunca o foco no futuro da empresa, uma vez que ele será induzido, a todo o momento, a conhecer e atualizar os valores que seu público prioriza.

O AUTOR Maurício Valadares é engenheiro formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pós-graduado pelo ITA de São José dos Campos, onde foi professor. Nos últimos anos tem trabalhado como consultor de empresas em programas de qualidade, gestão e desenvolvimento de novos fornecedores de peças e serviços para as recentes indústrias brasileiras como aeronáutica, siderúrgica e mecânica. É sócio-fundador e diretor da MCBV – Engenharia & Desenvolvimento Empresarial.


Sucesso de A a Z
de Carla Galo

Número de Páginas: 128

Ideal para profissionais de RH e de Treinamento & Desenvolvimento, bem como para o leitor interessado na construção do sucesso.


Sucesso. Um tema que instiga e ao mesmo tempo aflige o homem moderno. Esta obra, escrita por Carla Galo, especialista em desenvolvimento de talentos humanos, apresenta um elenco de 22 palavras que formam o “vocabulário dos vencedores” e relata a história de pessoas comuns que personificam cada um dos vocábulos.

Criatividade, humor, emoção e principalmente entusiasmo – principais características da palestrante que tem encantado platéias em todo Brasil – estão presentes neste livro. O relato abre mão dos aspectos filosóficos do sucesso e apresenta o tema de forma objetiva e pragmática.

O vocabulário dos vencedores e as histórias que personificam os vocábulos levarão o leitor a refletir sobre suas potencialidades e deficiências como uma ferramenta para a elaboração de um planejamento pessoal de conquistas e vitórias.

Carla Galo surpreende o circuito de grandes eventos com sua metodologia teatral, em que aborda temas atuais e consistentes por meio de esquetes teatrais interpretadas por ela mesma com maestria e competência. Neste Sucesso de A a Z, o leitor certamente irá se surpreender com as novas abordagens dadas pela autora ao tema. Uma verdadeira referência na construção do sucesso.


A AUTORA Carla Galo é especialista em desenvolvimento de talentos humanos, consultora de vendas, marketing e endomarketing. Há vinte anos é facilitadora de treinamentos e vivências, tendo seu portifólio de clientes grandes empresas como Vivo, Tigre, Engepack, Coca-Cola, Vedacit, entre outras. Em 2000 iniciou sua carreira de palestrante e inovou por meio da utilização de esquetes teatrais. É também conferencista de âmbito nacional requisitada para os principais congressos e convenções, onde utiliza a criatividade e a emoção na abordagem de temas atuais e consistentes.


UM LANÇAMENTO







FCC assume a programação do Teatro de Bonecos Dr. Botica

A Fundação Cultural de Curitiba assume a partir deste mês a gestão do Teatro de Bonecos Dr. Botica, numa parceria com o Boticário, que continua responsável pela manutenção do espaço no Shopping Estação e pela infraestrutura adequada para realização das peças e atividades artístico-culturais pertinentes à arte bonequeira.

O objetivo da parceria, que inicialmente tem a duração de três anos, é potencializar ainda mais o uso do espaço com apresentações de diversos grupos culturais e fortalecer o Teatro de Bonecos no roteiro cultural do município.

A Fundação Cultural assume a responsabilidade pela programação, que inicialmente apresenta peças de quinta a domingo e feriados, com atrações diferenciadas. Serão fomentadas diversas formas de animação como fantoches e bonecos, dando oportunidades para os atores locais. “Esta parceria é muito importante para a cidade, pois aumenta as opções culturais tanto para a população quanto para a classe artística. Poder contar com um espaço como este para as apresentações é muito bom,” destaca Paulino Viapiana, presidente da Fundação Cultural.

Os grupos serão selecionados por meio de editais do Fundo Municipal da Cultura, como o de Formas Animadas, e também por meio de parcerias diretas com artistas locais. Além do Teatro de Bonecos Dr. Botica, os editais selecionam ainda grupos para o Teatro do Piá e espetáculos a serem apresentados em espaços culturais e comunitários, nas nove regionais da cidade.



O Teatro - Iniciativa do Boticário, o Teatro de Bonecos Dr. Botica nasceu com os objetivos de preservar e difundir a milenar arte do teatro de bonecos, desenvolver pesquisa de novas linguagens, democratizar o acesso de todas as camadas da população e investir na formação de novos profissionais. Desde sua criação, em 2001, a Cia. Manoel Kobachuk, um dos grandes nomes do teatro de bonecos do Brasil, era responsável pela gestão do espaço. Neste período, o Teatro de Bonecos Dr. Botica tornou-se rapidamente referência nacional e internacional nesta área.

Localizado no Shopping Estação, em Curitiba, sua infraestrutura tem capacidade para 100 espectadores, além de um miniteatro aberto ao público: a Janela do Teatro, lugar onde acontecem curtas apresentações de aproximadamente dez minutos de duração.



Programação – Em janeiro o Teatro de Bonecos Dr. Botica terá programação dupla. A peça “A História da Música” abre a temporada de 2010, a partir desta quinta-feira (14), às 15h. Com direção de Marcello Santos, o espetáculo mostra a trajetória da música, da pré-história até os dias de hoje. Inicia com a origem e descoberta dos sons, a música nas civilizações antigas as grandes orquestras e os caminhos percorridos até a atualidade. A peça, que integra a programação da XXVIII Oficina de Música de Curitiba, vai até o dia 29 de janeiro.

O outro espetáculo em cartaz durante o mês é “O Rei que Ficou Cego”, também dirigido por Marcello Santos, com texto de Ricardo Azevedo. A peça conta a história de um rei que perde a visão e apenas uma água milagrosa, encontrada na terra do gigante, no país do “quem vai lá não volta”, pode salvá-lo. Seu filho caçula parte em busca da tal água, enfrentando vários desafios pelo caminho. O espetáculo inicia no dia 14 e vai até o dia 29, com apresentações às 17h.

A partir do dia 30 entra em cartaz “João e Maria”, com texto e direção de Manoel Kobachuk. As apresentações vão até o dia 21 de fevereiro, às 15h e 17h.



Serviço:

A História da Música

Texto e trilha original: Angelo Esmanhoto

Direção: Marcelo Andrade dos Santos

Dias: 14, 15, 16, 17, 21, 22, 23, 24, 28 e 29/01, às 15h

Ingresso R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)



O Rei que Ficou Cego

Texto: Ricardo Azevedo

Direção: Marcelo Andrade dos Santos

Dias: 14, 15, 16, 17, 21, 22, 23, 24, 28 e 29/01, às 17h

Ingresso R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)



João e Maria

Texto e direção: Manoel Kobachuk

Dias: 30 e 31/01, 4, 5, 6, 7, 13, 14, 20 e 21/02, às 15 e 17h

Ingresso R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Doação de livros para escolas públicas


O projeto de incentivo à leitura “Ler é Bom, Experimente!", criado em 2000 pelo escritor Laé de Souza, está com as inscrições abertas até 15 de março de 2010. O programa é voltado às escolas da rede pública de todo o país, com turmas a partir do 7º ano (6ª série) do ensino fundamental. Neste ano 1000 escolas participarão do projeto e receberão gratuitamente 38 exemplares do livro “Nos Bastidores do Cotidiano” e ainda material didático tal como: folhas pautadas para redação, questionários, Manual do Professor com sugestões para dinamizar a leitura em sala de aula e plano de aplicação do projeto.

A partir da leitura da obra são realizadas diversas atividades com o objetivo de incentivar o hábito da leitura e escrita, e estimular a criação de textos, performances, discussões e debates nas salas de aula. Na etapa final, os alunos que apresentarem os melhores trabalhos são premiados com outra obra do autor.

Esta iniciativa já atingiu cerca de 2,5 mil escolas com a participação de 100 mil alunos em todo o país e conta com o patrocínio (pelo terceiro ano consecutivo) da Companhia de Seguros Aliança do Brasil, empresa do Banco do Brasil, e o apoio do Ministério da Cultura.

As obras utilizadas nesta edição do projeto são: “Nos Bastidores do Cotidiano” e “Espiando o Mundo pela Fechadura”, ambas da autoria do cronista Laé de Souza, publicadas pela Editora. Os textos apresentam linguagem coloquial, o que facilita a compreensão da leitura e retratam o cotidiano de pessoas comuns, situações inusitadas e personagens marcantes, sempre com abordagem bem-humorada e leve, embora crítica.

Sobre o autor:
Laé de Souza, cronista, dramaturgo, bacharel em Direito e Administração de Empresas, é autor de vários projetos de leitura em execução há doze anos, apoiados pelas leis de incentivo à cultura, focados nas escolas da rede pública, parques, praças, hospitais, transportes coletivos, hipermercados e outros, com o intuito de formar leitores de todas as etnias, faixas etárias, credos e classes sociais. “É preciso criar oportunidades para o público conhecer o mundo maravilhoso da leitura, entretanto, com a preocupação de oferecer obras que lhe prendam a atenção e desperte o interesse por outros livros. O projeto ‘Ler é Bom, Experimente!’ foi criado para conquistar e formar novos leitores”, afirma Laé.



Serviço:
Inscrições: até 15 de março de 2010 pelo site www.projetosdeleitura.com.br
Informações: (11) 2743-9491 e 2743-8400
Todo o material é fornecido gratuitamente às instituições de ensino.

Em site de apostas, Timão é favorito no Paulistão

LEIA EM

Trio internacional, percussão e música antiga no domingo na Oficina

A 28ª Oficina de Música de Curitiba oferece ao público neste domingo (17) uma extensa programação de concertos. Entre as opções estão um recital de violino, contrabaixo e piano, o concerto do conjunto de percussão formado por 19 instrumentistas e a apresentação dos professores de música antiga da Oficina.

O trio formado por Christine Hook (violino), Olga Kiun (piano) e Alexander Trostianski (contrabaixo) estará às 16h30, na Capela Santa Maria. Na primeira parte, Olga Kiun apresenta com a alemã Christine Hoock um repertório bem eclético de obras para piano e contrabaixo, dos compositores Johann Sebastian Bach, do japonês Kozaburo Hirai e do libanês Rabih Abou-Khalil. Em seguida, apresenta com o russo Alexander Trostiansky, professor do Conservatório Tchaikovsky de Moscou, duas obras para piano e violino - uma de Manuel de Falla e outra de Tchaikovsky. A segunda parte é dedicada ao trio. Juntos apresentam composições de Giovanni Bottesini, Astor Piazzolla e José Bragato.

O Ensemble de Percussão da Oficina de Música reúne professores e alunos, sob a direção de Fernando Rocha, mais a participação especial do flautista Maurício Freire (flauta) e do clarinetista francês Etienne Lamaison. Os 19 percussionistas que estarão no palco do Sesc da Esquina, às 19h, vão executar um repertório variado. Uma das obras interessantes é o Rock Étude 5, do canadense Bill Douglas. Nesses estudos, o compositor explora estruturas rítmicas bastante complexas, influenciadas pela música Índica, da África, do Brasil, além do rock e do jazz.

Outro destaque do Ensemble é uma obra do cubano Amadeo Roldán, um dos primeiros compositores a utilizar ritmos e instrumentos afro-cubanos em obras sinfônicas. Sua obra Rítmica nº 5 é considerada a primeira obra da música erudita ocidental escrita exclusivamente para instrumentos de percussão. No programa também estão obras de dois americanos: Mark Ford, autor de "Afta-Stuba!", escrita para três músicos tocando uma mesma marimba, e Gerge Crumb, um dos mais renomados e influentes compositores norte-americanos da atualidade. O grupo tocará ainda músicas dos brasileiros Hermeto Paschoal, João Parahyba, Azael Rodrigues, Eduardo Campos, além de uma composição do próprio Fernando Rocha em parceria com Etienne Lamaison.



Música antiga - A programação de domingo encerra com o concerto dos professores de música antiga da Oficina. O repertório de composições é dos séculos 17 e 18. O concerto acontece às 20h30, no Canal da Música. Vivaldi, Bach, Couperin e Jean-Marie Leclair são os compositores escolhidos e serão apresentados pelo grupo com o uso de instrumentos da época, como a viola da gamba, teorba e cravo. O concerto reúne músicos de renome internacional na área da música antiga: Marília Vargas (soprano), Luis Otávio Santos (violino), César Villavicencio e Veronique Lima (flauta doce), Ricardo Kanji (traverso), Alberto Kanji (violoncelo), Juan Quintana (viola da gamba), Guilherme de Camargo (teorba) e Jacques Ogg (cravo).



Serviço:

Recital de violino, contrabaixo e piano com Christine Hook, Olga Kiun e Alexander Trostiansky

Local: Capela Santa Maria (R. Conselheiro Laurindo, 273)

Data: 17 de janeiro de 2010 (domingo), às 16h30

Ensemble de Percussão da Oficina de Música

Local: Sesc da Esquina (Visconde do Rio Branco, 969)

Data: 17 de janeiro (domingo), às 19h

Concerto de Música Antiga

Local: Canal da Música

Data: 17 de janeiro (domingo), às 20h30

Ingresso - R$ 10 ou R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível. Venda de ingressos diretamente na bilheteria do teatro, uma hora antes do espetáculo.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O TERCEIRO JESUS

O TERCEIRO JESUS
Sub Titulo: O Cristo que não podemos ignorar
de Deepak Chopra

Páginas:256


O LIVRO

Numa época de fundamentalismo religioso, o líder espiritual Deepak Chopra propõe uma nova leitura dos princípios judaico-cristãos a partir de uma interpretação mais ampla e contemplativa dos ensinamentos de Jesus. Para além do Jesus histórico, criador dos fundamentos da teologia cristã, e daquele visto como filho de Deus, que personifica uma instituição religiosa, o autor apresenta um mestre universal que deixou à humanidade um legado de compaixão, tolerância e amor.

O princípio básico do cristianismo, que se origina de Mateus 7:12, é simples o bastante para ser ensinado até mesmo a crianças pequenas: faça aos outros o que você gostaria que lhe fizessem. No entanto, tomado ao pé da letra, esta regra de ouro requer que você trate um inimigo como um igual, exigindo total empatia pelo ser humano no que ele pode ter de bom ou de ruim. Esta dificuldade pode, segundo o autor, ser resolvida. Basta buscar nas palavras e ações do Nazareno uma nova interpretação, que ultrapasse seu sentido mais literal.

Para entender como a visão de Jesus era efetivamente radical é preciso examiná-la na sua totalidade. Para Chopra, Cristo pretendia estabelecer o Paraíso na terra. Guerras e conflitos desapareceriam e as pessoas se relacionariam de alma para alma, independentemente de sua riqueza e posição pessoal. Os homens seriam motivados pelo amor a Deus e no lugar da raiva, do medo e da dúvida a humanidade sentiria o amor e as bênçãos divinas. O comportamento amoroso e pacífico dirigido a todos sem distinção acabaria refletindo em corpos saudáveis e livres de doenças. Assim, Deus se faria presente no cotidiano dos homens.

Tal utopia é possível de ser vivenciada. E é nas palavras de Jesus que se encontra o caminho para a felicidade. Na verdade, segundo o autor indiano, Cristo deixou sinais claros em seus ensinamentos que são os fundamentos de uma vida espiritual rica e plena de realizações. Quando ele afirma que é Luz, dá ao homem a chance de se perceber como alguém que pode encontrar a iluminação.

O autor também realiza uma reflexão crítica sobre questões delicadas para o cristianismo. Em uma sociedade competitiva e fundada no materialismo, as instituições religiosas muitas vezes se posicionam de modo inflexível com relação a direitos civis, como o aborto e as disputas territoriais, que geram conflitos e guerras. Mas esse drama é projetado do mundo interior para o exterior. Somos atraídos para o drama porque é o nosso drama. Mas o que faria Jesus se hoje estivesse presenciando tais acontecimentos? Ele continuaria provavelmente seguindo o seu caminho. Manifestaria coragem, verdade, solidariedade e amor que realmente possuía. Não fingiria ser o que não era.

Dividido em três partes, o livro de Deepak Chopra vai além de uma abordagem diferenciada de Jesus Cristo. Propõe caminhos para os que acreditam na possibilidade da construção de um mundo melhor e mais sintonizado com a espiritualidade. Numa linguagem simples, o autor mostra que o legado de Jesus é acessível a todos, sejam quais forem suas origens étnicas, políticas e religiosas.

O AUTOR
Deepak Chopra, (22 de Outubro de 1946) nasceu na Índia onde se formou em medicina pela universidade de Nova Deli. Especialista em endocrinologia, exerce a profissão desde 1971, onde chefiou a equipe do New England Memorial Hospital. Em 1985, fundou a Associação Americana de Medicina Védica. Em 1993 muda-se para S. Diego e abre o "The Chopra Center For Well Being", onde desenvolve os seus próprios programas e cursos para o desenvolvimento pessoal.

Deepak Chopra é autor de mais de 25 livros de auto-ajuda, traduzidos em 35 línguas, tais como "A Cura Quântica", "As Sete Leis Espirituais do Sucesso", "Criando Saúde", incluíndo cinco programas para a televisão pública dos EUA e proponente de outras idéias místicas. Sua proposta de auto-ajuda é centrada na afirmação "se compreendermos a nossa verdadeira natureza e soubermos viver em harmonia com as leis naturais, a sensação de bem-estar, de entusiasmo pela vida e a abundância material surgirão facilmente".

Em 1999, a revista Time incluía-o na sua lista das 100 personalidades do século, chamando-lhe "poeta e profeta das medicinas alternativas".



UM LANÇAMENTO



Guernica

Guernica
A saga de uma família em meio à guerra civil espanhola
de Dave Boling


Selo: Prumo Leia

Nº de páginas: 480

O LIVRO

História e ficção se entrelaçam nesse bonito romance sobre a resistência de uma família, do amor entre os seus e das inabaláveis tradições bascas. O bombardeio de Guernica na véspera da Segunda Guerra Mundial foi um experimento devastador realizado pela Luftwaffe nazista durante a Guerra Civil Espanhola. Para os bascos, foi um ataque à alma de sua nação; para o mundo, um crime sem precedente na história da humanidade. Picasso ficou tão horrorizado com o ataque que resolveu imortalizar sua impressão em um mural que se tornaria para sempre um ícone mundial da atrocidade que o ser humano é capaz de cometer.

O AUTOR

Nascido na região de Chicago, Dave Boling é jornalista no estado de Washington. Seu primeiro romance, "Guernica" está sendo publicado em 15 países e 13 línguas, com um mundo idioma Inglês edição vendidos a nível mundial. It won the Pacific Northwest Booksellers Association award for fiction for 2009, and was a selection. Ele ganhou o prêmio de ficção em 2009, da Pacific Northwest Booksellers Association e foi indicado pela Barnes and Noble "Discover Great New Writers" . Selecionado como uma das 12 novas vozes do romance para 2009. Também no Reino Unido, foi selecionado para o Richard and Judy's Summer Reads of 2009. Foi eleito o favorito do verão em oito seleções através de uma votação dos leitores e telespectadores.




UM LANÇAMENTO DA

Abertas as inscrições para o curso de pós-graduação em Jornalismo Literário

ABJL oferece duas turmas esse ano para jornalistas e profissionais
das diferentes áreas preocupados com a qualidade da escrita

A Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) está com inscrições abertas para as turmas de 2010. Esse ano serão duas turmas do curso de pós-graduação lato sensu, em São Paulo, Capital. O curso, que tem a duração de 18 meses, será iniciado em março e ministrado na sede da ABJL – Academia Brasileira de Jornalismo Literário, à Rua General Jardim, 618, conj. 51, região central da capital paulista.
As matrículas podem ser feitas online no site da ABJL, www.abjl.org.br. Outras Informações podem ser obtidas pelo e-mail abjl@abjl.org.br ou pelo telefone (11) 3129-8320. As aulas são quinzenais: às segundas, terças e quartas-feiras das 19 às 23h para a turma A e às sextas à noite e aos sábados das 8 às 17h para a turma B.

O curso de pós-graduação tem um elenco de disciplinas que privilegia os fundamentos teóricos e a prática dos diversos tipos de produção desse gênero jornalístico, desde a grande reportagem, passando pelas biografias, até as narrativas de viagem e o livro-reportagem. Também integram essa estrutura curricular disciplinas como Criatividade, Escrita Criativa (método Escrita Total), Fundamentos da Psicologia Junguiana, História Oral e Estrutura Narrativa Mítica.

Esse programa de pós-graduação é direcionado não só a jornalistas, mas também a profissionais das diferentes áreas preocupados com a qualidade da escrita. Ao longo do curso, os melhores textos dos alunos são publicados na revista eletrônica mantida pela ABJL, a www.textovivo.com.br.

Qualidade literária
Um dos mais sofisticados, efetivos e ambiciosos do mundo. Assim o diretor-fundador do Programa de Jornalismo Literário da Fundação Nieman, da Universidade de Harvard, Mark Kramer, referiu-se ao programa de pós-graduação da ABJL. Ele foi um dos conferencistas do primeiro Seminário Brasileiro de Jornalismo Literário realizado pela ABJL, em São Paulo, em 2007.

Kramer teve a oportunidade de conhecer o curso de especialização em Jornalismo Literário que a ABJL vem realizando desde 2005 e que já formou mais de 400 profissionais nessa vertente de produção jornalística, que se caracteriza pela qualidade literária do texto e humanização dos relatos do cotidiano.

Sobre o curso
O curso de pós-graduação oferecido pela ABJL é realizado em parceria com a Faculdade Vicentina (Favi), de Curitiba, Paraná. Esse pioneiro programa foi criado pela ABJL especialmente para atender profissionais de diversas áreas: Jornalismo, Comunicação Social, Letras, História, Ciências Sociais, Educação e Psicologia, entre outros. A ABJL é uma organização não governamental que ensina, pesquisa, divulga, promove, pratica e avança o Jornalismo Literário para os novos níveis, com abordagem multicultural e multinacional.

Sob a coordenação dos jornalistas-professores Celso Falaschi, Edvaldo Pereira Lima e Sergio Vilas Boas, o curso sustenta a sua proposta pedagógica em cinco pilares: no Jornalismo Literário focalizado sob perspectiva multidisciplinar, tendendo à transdisciplinaridade; em um programa que absorve propostas e princípios de novos paradigmas no campo do conhecimento contemporâneo; no compromisso com a transformação social e com a expansão de consciência dos indivíduos; na integração e na linha do tempo entre a tradição do passado, a realidade do presente e a visão do futuro; e em um modelo inovador de avaliação dos estudantes, na medida do que é possível dentro do contexto normativo do MEC – Ministério da Educação e Cultura.


Serviço
ABJL - Academia Brasileira de Jornalismo Literário
Rua General Jardim, 618, conjunto 51 - Santa Cecília, próximo ao Sesc Consolação e estações Santa Cecília ou República do metrô em São Paulo, capital.
E-mail: abjl@abjl.org.br
Telefone: (11) 3129-8320
Site: www.abjl.org.br

Concurso literário “Lula, o Filho do Brasil”


Concurso literário distribui exemplares de “Lula, o Filho do Brasil”, biografia que inspirou filme de Fábio Barreto

Ação integra parceria entre a Editora Fundação Perseu Abramo e a comunidade virtual Viciados em Livros


Para comemorar o 100º concurso literário da comunidade da rede social virtual Orkut “Viciados em Livros”, o site se uniu à Editora Fundação Perseu Abramo para oferecer um prêmio especial: a biografia “Lula, o Filho do Brasil” - obra que serviu de inspiração para o cineasta Fábio Barreto dirigir o filme homônimo, em cartaz nos cinemas – e mais outros títulos escolhidos pelos vencedores.

Para concorrer, basta postar no link da promoção http://migre.me/gdpg até o dia 31 de janeiro, um comentário de no máximo sete linhas sobre o nome do livro, escrito por Denise Paraná. Os participantes devem residir no Brasil e podem enviar apenas um texto, acompanhado de um e-mail para contato.

Uma comissão vai julgar as três melhores respostas, que ganharão um exemplar de “Lula, o Filho do Brasil” cada. O primeiro colocado ainda irá escolher mais dois livros da Editora Fundação Perseu Abramo para levar de graça para casa e quem ficar em segundo lugar pode escolher mais um título.

“Lula, o Filho do Brasil”


Com mais de 11 mil exemplares vendidos desde 2002, "Lula, o Filho do Brasil" está em sua terceira edição e quarta reimpressão. O volume possui 528 páginas, cinco entrevistas com o presidente Lula, 14 entrevistas com parentes e amigos, quatro capítulos analítico-acadêmicos da autora – que fazem parte de sua tese de doutorado – e ainda um caderno de fotos de 32 páginas.

Segundo o professor Antonio Candido, na apresentação do livro, “esta biografia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o mais completo levantamento sobre a trajetória do maior líder popular do Brasil. No livro, Lula fala sobre si mesmo como nunca falou. Abrindo as janelas da memória, retoma as primeiras lembranças da infância, conta dos sonhos e conquistas, sem esquecer as derrotas e os sofrimentos”.

A editora reimprimiu nova tiragem de exemplares, que está disponível em toda a rede de livrarias do país.

Homenagem a Chopin

Homenagem a Chopin reúne pianista polonês e Orquestra de Câmara de Curitiba

A 28ª Oficina de Música de Curitiba se integra às comemorações dos 200 anos de Chopin e realiza na próxima sexta-feira (15) mais um concerto com obras do compositor. Desta vez, a homenagem será feita pela Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba com a participação especial de solistas internacionais que vieram para Curitiba como professores convidados da Oficina de Música. O concerto será às 20h30, no Canal da Música.

Na primeira parte da apresentação, será executado o Trio em Sol menor, Op. 8, pelo pianista polonês Jan Krzysztof Broja, o violinista russo Alexander Trostiansky e o violoncelista russo Alexander Znachonak. Na segunda parte, a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba executa o Concerto nº 1 em Mi menor. Op.11 ao lado do pianista polonês Marian Sobula, sob a regência do maestro Wagner Polistchuk.

Os músicos convidados são verdadeiros mestres em seus instrumentos. Todos são reconhecidos mundialmente e fazem recitais em vários países. Alexander Trostiansky é professor do Conservatório de Moscou. Alexander Znachonak atualmente reside em Portugal, onde é professor e chefe de naipe da Orquestra Filarmônica de Beiras. Jan Broja tem uma agenda intensa de recitais pela Europa. Ele colaborou como consultor musical na produção do filme "O Pianista", de Roman Polanski. Marian Sobula também realiza apresentações em todo o mundo, com o intuito de promover a Polônia e sua cultura.

A vinda dos pianistas Jan Krzysztof Broja e Marian Sobula recebe o apoio cultural do Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba.

Serviço:

Concerto em homenagem aos 200 anos de nascimento de Frédéric Chopin

Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba e solistas internacionais

Local: Canal da Música (R. Júlio Perneta, 695)

Data: 15 de janeiro de 2010 (sexta-feira), às 20h30

O frevo retratado em “Preto no Branco” na CAIXA Cultural



O Teatro abre as portas para a dança popular nordestina

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta de sexta (22) a domingo (24) o espetáculo de dança "Preto no Branco", da Cia de Dança Artefolia, de Pernambuco. O espetáculo foi inspirado no significado da expressão "pôr o preto no branco", para levar ao público, em detalhes, a história do frevo desde o seu surgimento, passando “a limpo” sua trajetória, suas interfaces entre música, dança e contexto social, a pluralidade e o hibridismo que o faz tradicional e contemporâneo ao mesmo tempo.



Em “Preto no Branco” a Cia de Dança Artefolia apresenta um dançar nordestino não estereotipado, que aproveita elementos das culturas populares, no caso, do frevo, para produzir uma "obra contemporânea de dança popular”. O objetivo é despir o frevo dos formatos convencionais e falar dele como expressão de uma coletividade, explorando vários planos e dimensões do espaço cênico para mostrá-lo em suas múltiplas e dinâmicas formas. É também apresentar as possibilidades de desdobramento de uma movimentação e sua tradução em um projeto coreográfico que impressiona pelo primor da qualidade técnica dos intérpretes e pelo teor poético da pesquisa.



O frevo é o maior ícone do carnaval pernambucano, agora reconhecido pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, como Patrimônio Imaterial. Sempre oferece uma nova forma de vê-lo e vivê-lo, e por isso a Artefolia busca aproximar o público do universo do frevo, ritmo que embora seja mais reverenciado durante o carnaval, merece destaque o ano inteiro.



Além do espetáculo, serão oferecidas oficinas de frevo gratuitas e, anteriormente a cada apresentação, haverá uma palestra ministrada por Carmem Lelis, coordenadora do projeto “Inventário e Registro do Frevo Como Patrimônio Cultural Imaterial” (IPHAN 2006/2007).



Sobre a Companhia



A Cia. de Dança Artefolia iniciou suas atividades em 1993, com a dança popular. Estreou em 1997 com o espetáculo “Pernambucando”. Um ano depois foi selecionada para participar do V Festival Internacional de Dança da Amazônia em Belém(PA) e recebeu a premiação máxima. “Bela à Vista – A Descoberta de Cabral”, segundo espetáculo, com roteiro homônimo escrito por Valdir Oliveira, foi aos palcos em abril de 2000. Dois anos depois foi “Irreverência” que angariou todos os prêmios de dança popular do IX Janeiro de Grandes Espetáculos (2003). Em 2004, a Cia. Artefolia repete o sucesso, dessa vez com a coreografia “Patuscada”, que dá ao grupo também o Troféu APACEPE de “Destaque da Dança”.


Simultaneamente às diversas apresentações da obra “Tambores e Maracás” (2005), a Artefolia criou o espetáculo “Preto no Branco”. Com esta montagem, a Cia de Dança procura viabilizar o acesso à dança popular e a democratização da cultura.


Ficha Técnica


Direção: Marília Rameh

Coreografia: Ivaldo Mendonça, Célia Meira e Marília Rameh

Produção: João Pedrosa

Oficinas: Mestre Mago e Tiziu, Célia Meira e Ivaldo Mendonça



Serviço: Dança: Preto no Branco Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba/PR Data: de 22 a 24 de janeiro Horários: sexta e sábado 21h e domingo19h Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Livre para todos os públicos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

AUTORES ASSOCIADOS FAZ FESTA DE 30 ANOS

Dia 21 de janeiro, às 19h, a Editora Autores Associados promove uma festa para comemorar seus 30 anos de existência. O evento reunirá autores, professores, parceiros, amigos, entidades do mercado editorial, imprensa e aqueles que fizeram ou fazem parte de todos esses anos de editora.

30 anos de conquistas no mundo editorial e educacional

As publicações principalmente na área educacional deram uma ótima reputação para a Editora Autores Associados ao longo desses 30 anos. Em 2005, buscando inovação na linha editorial, também apostou em literatura infantil e livros para o grande público, principalmente com o tema meio ambiente. Outra área forte para a editora é a de educação física e esportes, pois há quase 30 anos também acompanhou os principais congressos da área e as principais produções editoriais.

O objetivo da editora, atualmente, é trabalhar para o progresso social e essa preocupação é inerente ao processo de avaliação dos originais que passam pelo Conselho Editorial, composto por: Bernardete A. Gatti, Carlos Roberto Jamil Cury, Dermeval Saviani, Gilberta Jannuzzi, Maria Aparecida Motta e Walter Garcia.

Em 2010 iniciamos o nosso processo de internacionalização com a publicação de algumas de nossas obras em espanhol internacional e futuramente em inglês. Nesta primeira etapa buscaremos distribuir 6 de nossos livros para toda Iberoamérica. Também passaremos a publicar traduções de grande interesse para nossos leitores e para ampliar nosso catálogo. Passaremos a trabalhar de forma mais agressiva a venda de nossos títulos para que sejam traduzidos em outras línguas. Participaremos, por meio do Projeto Apex/CBL, das principais feiras internacionais de livros, entre elas a de Frankfurt e de Guadalajara. Entre outros projetos.

“No âmbito nacional estamos planejando uma reformulação profunda em nossa distribuição, com a criação e integração dos departamentos de venda, logística e marketing. O que tornará nossos livros mais presentes e acessíveis aos leitores”, diz Flávio dos Reis, diretor.

A questão da acessibilidade aos leitores é uma constante preocupação de todo o mercado editorial, e por isso cada vez mais se investe em e-commerce. “Nosso portal na internet está cada vez mais moderno e eficiente, com venda direta ao leitor, com descontos e envio gratuito para todo território nacional. Assim, o livro sempre estará à disposição do leitor, sem o problema antigo de quem não achava o livro para compra”, complementa Reis.

Shows de Glauco Solter e André Prodóssimo


Shows de Glauco Solter e

André Prodóssimo animam o

Jardim Botânico


O programa Música nos Parques chega ao Jardim Botânico no próximo domingo (17). As atrações são os shows de Glauco Solter, com o seu convidado Léo Damião, e de André Prodóssimo Trio, às 15h e às 17h. O projeto é desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba em parceria com a OI para levar mais uma opção de lazer aos curitibanos e divulgar o trabalho dos músicos paranaenses. Em janeiro, os shows nos parques integram a programação da 28ª Oficina de Música de Curitiba.

O contrabaixista Glauco Solter comanda o espetáculo “Talentos Paranaenses”, com a participação de músicos convidados de Curitiba e de outras cidades, como Cascavel, Londrina e Pato Branco. Neste show ele apresenta o músico Léo Damião, de Paranaguá. Cantor, compositor e violonista autodidata, Damião é vencedor de muitos festivais. Um de seus sucessos é a canção “Navega”, com a qual recebeu o prêmio de melhor intérprete do Festival Universitário da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Suas composições recebem influência de Djavan, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Milton Nascimento.

Quem for ao Jardim Botânico também terá a oportunidade de assistir ao show de uma das revelações da cena instrumental curitibana. André Prodóssimo mostrará com seu trio o repertório do CD “Samba Paraná”. Ele se apresenta ao lado do guitarrista Rodrigo Simões e do baterista Márcio Rosa. Violonista, compositor e arranjador, André integra a Orquestra À Base de Cordas do Conservatório de MPB e o Clube do Choro. O CD “Samba Paraná” é seu primeiro solo e reúne composições próprias.

O Música nos Parques acontece até o final de março, sempre aos domingos, em áreas de lazer da cidade. Estão programadas apresentações no Jardim Botânico, Parque Barigui, São Lourenço, Cambuí, Tingui, Tanguá, Bosque de Portugal, Parque Bacacheri, Bosque do Papa e Bosque da Fazendinha.



Serviço:

Música nos Parques

Local: Jardim Botânico

Data: 17 de janeiro de 2010 (domingo)

Às 15h – Glauco Solter e Léo Damião, com o show “Talentos Paranaenses”

Às 17h – André Prodóssimo Trio, com o show “Samba Paraná”

Entrada franca

Curso de fotografia digital com Brasilio Wille abre inscrições




Estão abertas as inscrições para o curso “Câmera Digital e Seus Recursos”, que tem início no dia 18 de janeiro, no Solar do Rosário. Com 15 horas-aula práticas e teóricas, o fotógrafo publicitário e professor Brasilio Wille ensinará a usar ajustes de cores, resolução, estudar e ver os pixels, configurações e modos das câmeras digitais.



Brasilio atua no ramo da fotografia profissional há mais de 20 anos e é especializado em Sistemas Digitais. Seu destaque mais recente é a participação na coletiva fotográfica que faz uma releitura do filme La Dolce Vita, de Federico Fellini, em exposição até o dia 31 de janeiro no Espaço Cultural Cafezau. Brasilio marca presença com uma foto em preto e branco de Yumi Okamura, inserida no contexto original do filme.



Serviço Datas: 18,19,20, 25 e 26 de janeiro de 2010 Horário: das 17h às 20h Local: Solar do Rosário (Rua Duque de Caxias, 04 – Curitiba-PR) Investimento: R$ 360. Pode ser pago em 2 parcelas de R$ 180 (com cheques pré-datados) Informações e inscrições: (41)3225-6232, ou info@solardorosario.com.br

Quarteto americano é uma das atrações da Oficina de Música

Quarteto americano é uma das atrações da Oficina de Música neste fim de semana



O grupo americano "Fry Street Quartet", uma das atrações internacionais da 28ª Oficina de Música de Curitiba, fará sua apresentação no próximo sábado (16), às 20h30, no Canal da Música. O público terá a oportunidade de conferir o trabalho do quarteto que foi saudado pelo jornal New York Times como "um triunfo de conjunto musical". Unindo precisão técnica e espontaneidade, o quarteto tem obtido as melhores críticas em todos os países em que se apresenta. Os quatro integrantes do conjunto de dois violinos, viola e violoncelo são também professores da Oficina de Música.

Fundado em Chicago, em 1997, o quarteto adotou o nome do bairro da cidade onde ensaiou pela primeira vez e que, antigamente, era governado por Al Capone. Sob a orientação de Marc Johnson, violoncelista do renomado Quarteto Vermeer, "Fry Street" foi vencedor do concurso "Yellow Springs" e do concurso Internacional de Banff String Quartet. O grupo participou do Encontro Internacional de Música de Câmara Seminário, que aconteceu em Israel, em 2000, quando estudou com Isaac Stern. Na ocasião, Stern convidou o quarteto para o "Isaac Stern Chamber Music Workshop", em Nova York, resultando em uma apresentação no Carnegie Hall, em 2001.



Carreira internacional - O "Fry Street Quartet" começou sua carreira internacional em 2002, como embaixador cultural dos Estados dos Balcãs, patrocinado pelo Carnegie Hall e pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. A turnê contou com a estreia europeia do "Y2K J. de Mark Weippert´s", obra encomendada para o quarteto, com o patrocínio do Meet the Composer. Outras apresentações internacionais incluíram o ProQuartet Academy at Pont-Royal (França), Festival de Música de Câmara de Praga, Festival de Outono de Trutnov (República Tcheca) e Oberschützen Kulturvereinigung (Áustria).

Ao longo dos anos, o "Fry Street Quartet" contou com a colaboração de renomados músicos, entre eles os pianistas Misha Dichter, Wu Han e Joseph Kalichstein, o Quarteto de Cleveland com seu fundador, o violoncelista Paul Katz, e o pianista Robert McDonald. Outras colaborações memoráveis incluem performances com o Mendelssohn String Quartet, Donald Weilerstein na New School, em Nova York, e com os pianistas Jerome Lowenthal e Ursula Oppens, a violinista Nurit Pacht e a soprano Toni Arnold, além de ter sido quarteto residente na Alliance Française, em Nova Iorque.

O quarteto tem ocupado o cargo de grupo residente na Caine School of the Arts at Utah State University, em Logan (Utah), desde 2002. Também é convidado frequentemente para tocar em Harrisburg (Pensilvânia), no Market Square "Summermusic", e no Mozart Gemeinde, série de música de câmara na Áustria.

Igualmente à vontade no repertório clássico de Mozart e Beethoven ou música contemporânea, o "Fry Street Quartet" estreou recentemente sua inovadora série "From Prodigy to Master", comparando obras do início e do fim da vida de compositores como Haydn, Mozart, Beethoven, Schubert e Mendelssohn, engajando composições modernas inspiradas nas obras dos grandes mestres do gênero do quarteto de cordas. Nessa área está a menos conhecida coleção de quartetos de cordas de Benjamin Britten, bem como uma estreia mundial de "st qt", dedicado ao "Fry Street Quartet", de Thomas McFaul, compositor conhecido em todo o mundo por sua obra Meow Mix-j do jingle publicitário. Essa série oferece um ambiente único e íntimo para concertos, com palestras, discussões e participação do público.

Um importante marco na temporada de 2008/2009 do "Fry Street Quartet" foi a execução do primeiro quarteto do Ciclo de Quartetos de Beethoven, na Universidade Estadual de Utah, com a palestra que antecede os concertos sendo proferida pelo renomado estudioso Robert Winter. Em colaboração com a Sound Design Ray Kimber e Graemme Brown, a quinta gravação comercial do "Fry Street Quartet" apresenta um quarteto do início e outro quarteto tardio de Beethoven com a qualidade de gravação de áudio que utiliza a revolucionária tecnologia IsoMike T e SACD.



Serviço:

Concerto do Fry Street Quartet - William Fedkenheueur (violino), Rebecca Mc Faul (violino), Brant Bayless (viola) e Anne Francis (violoncelo).

Data: 16 de janeiro de 2010 (sábado), às 20h30

Local: Canal da Música (R. Júlio Perneta, 695)

Ingresso - R$ 10 ou R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível. Venda de ingressos diretamente na bilheteria do teatro, uma hora antes do espetáculo.

Atuais campeões mundiais de Star torcem por ventos fracos

LEIA EM

Inauguração de Nova Jagannatha Puri em Florianópolis


LEIA EM

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

BACHARELADO EM FOTOGRAFIA – O Único no Rio

A partir de fevereiro 2010, o Instituto de Humanidades da Candido Mendes oferecerá no seu Campus PIO X o curso de Bacharelado em Fotografia. O curso terá duração de três anos. Seu objetivo é formar profissionais com uma sólida base humanista e intelectual aliada a competências e habilidades técnicas e artísticas para a realização da imagem fotográfica nos tempos atuais. Na era digital, a produção imagética não se restringe apenas à fotografia; por isso, o curso contemplará, também, os inúmeros desdobramentos e aplicações dessa produção, tais como vídeo, cinema, web designer, artes visuais e design. Pretende-se que o egresso do curso seja um fotógrafo humanista, preparado para atuar em diversos segmentos do mercado de produção, difusão e recepção da imagem.
A coordenação será do fotógrafo Prof. Dr. Andréas Valentin.

Maiores informações no site www.candidomendes.edu.br ou através da central de informações 0800-282-5353.

CAMISA DE VENUS - 30 ANOS DE CARREIRA

A BANDA CAMISA DE VENUS FARÁ APRESENTAÇÃO COMEMORATIVA DOS 30 ANOS DE CARREIRA
DIA 29/01 EM SALVADOR.
LOCAL: CAIS DOURADO HORÁRIO:22:00h

AS MÚSICAS SERÃO INTERPRETADAS EM SUA VERSÃO ORIGINAL, E O GRUPO CONTARÁ COM NOVO VOCALISTA: SCOTT.

OS DEMAIS INTEGRANTES PERMANECEM: GUSTAVO MÜLLEM (GUITARRA SOLO) KARL HUMMEL (GUITARRA BASE) E ROBÉRIO SANTANA (CONTRA-BAIXO). O BATERISTA SERÁ LOUIS. PROMETEM UMA NOITE INESQUECÍVEL COM MUITO ROCK AND ROLL DE QUALIDADE. APÓS SEGUEM EM TURNÉ, PASSANDO POR SÃO PAULO, RECIFE, BELO HORIZONTE, PORTO ALEGRE, RIO DE JANEIRO, CURITIBA, FORTALEZA E OUTRAS.

INGRESSOS JÁ ESTÃO À VENDA NAS LOJAS TICKET MIX DOS SHOPPINGS BARRA, IGUATEMI E PARALELA ALÉM DA LOJA IGUANA NO SHOPPING ESTRADA DO CÔCO.

BRUNO JACOB COMPETE COM NOVO EQUIPAMENTO NO 23º CAMPEONATO BRASILEIRO DE JET SKI


LEIA MAIS EM

Recital de piano José Veloso Rito

Dia 16 | Sábado



Piano-bar

23h00


Melodias de Sempre




Neste recital de piano José Veloso Rito irá interpretar músicas de sua autoria, (Este meu futuro, Fui ao Porto ver o Rui , etc .), bem como alguns clássicos , nomeadamente Chopin e Skriabin. Na segunda parte será estreado um Prelúdio por si composto, O VOO DOS GANSOS que , em honra ao Clube Literário do Porto, o autor tocará pela primeira vez em público. Para os mais entusiastas o pianista interpretará também as célebres Czardas de Monti, Tangos, etc...

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Inovação e criatividade na cultura na Galiza

:: Dia 15| Sexta-feira

Piano-bar

15h00







INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE NA CULTURA

NA GALIZA E NO NORTE DE PORTUGAL





Organizado pela Fundación do Centro de Estudos Eurorrexionias (CEER), www.fceer.org





15:00h

Apresentação do projecto Lecturas Compartidas na Eurorrexión

Intervenção do coordenador do Club de Lectura virtual Eurorrexional



15:30h Debate: Inovação e criatividade na cultura na Galiza e no Norte de Portugal.



15:50 Leitura de poemas de Uxio Novoneyra (autor homenageado nas Letras Galegas 2010).


Informação do autor: http://www.uxionovoneyra.com/


Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

No aniversário de São Paulo, Orquestra Grupo Pão de Açúcar faz espetáculo


Em homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo, a Orquestra Grupo Pão de Açúcar faz uma apresentação no dia 25 de janeiro, às 11h, no Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura. Sob a regência do maestro Daniel Misiuk e direção artística de Renata Jaffé, a orquestra formada por 40 jovens com idades entre 10 e 21 anos vai mostrar como a música aparece como o elo maior entre professores, alunos e colegas, e que transforma a comunidade em que estão inseridos e onde são os protagonistas em igual importância.



O repertório da apresentação reúne músicas dos principais grupos de imigrantes de São Paulo, como italianos, japoneses, judeus, e também ritmos regionais, nordestino e sertanejo. Programa: Abertura da Sinfonia Paulistana (Billy Blanco); Czardas (Vittorio Monti); Gabriel’s Oboe (Enio Morricone) ; Hava Nagila (canção folclórica hebraica); Io Che Amo Solo Te (Sergio Endrigo); Atrás do Trio Elétrico (Caetano Veloso); Leilão (Cesar Menotti e Fabiano); Brasileirinho (Waldir Azevedo).



Os jovens participantes tiveram o início do aprendizado musical no Programa de Música do Instituto Grupo Pão de Açúcar, que há 10 anos mantém o Método Jaffé de Ensino Coletivo de Cordas como base de seu Programa Social de Desenvolvimento Humano. O princípio é dar ao jovem das comunidades de São Paulo a oportunidade de exercer a cidadania plena, trabalhando em equipe, valorizando semelhanças e aceitando as diferenças. Eles ganham uma ferramenta importante para seu futuro, que é o conhecimento, precursor da liberdade e da ascensão social.



Os jovens participantes tiveram o início do aprendizado musical no Programa de Música do Grupo Pão de Açúcar, que há dez anos mantém o Método Jaffé de Ensino Coletivo de Cordas como base de seu Programa Social de Desenvolvimento Humano. O princípio é dar ao jovem das comunidades carentes de São Paulo a oportunidade de exercer a cidadania plena, trabalhando em equipe, valorizando semelhanças e aceitando as diferenças. Eles ganham uma ferramenta importante para seu futuro, que é o conhecimento, precursor da liberdade e da ascensão social.



Mais de 8.000 jovens já passaram pelo Programa de Música do Grupo Pão de Açúcar, sob a orientação da professora Renata Jaffé e sua equipe. Em dez anos de atuação, alguns de seus ex-alunos já alcançaram a maioridade e tornaram-se profissionais na música, ou em outras atividades para as quais as lições aprendidas nos anos de vivência do curso foram fundamentais.



Este espetáculo não faz parte do projeto Música no Museu, realizado aos domingos, às 11h, de março a dezembro, que se consolidou na agenda de São Paulo como uma alternativa de lazer que reúne música de qualidade em um cenário agradável: o terraço do MCB, em frente ao seu jardim de 6.600 metros quadrados.



Maestro Daniel Misiuk - Iniciou sua carreira musical como trompista, atuando solo com grupos de câmara, e como professor de orquestra. Há 15 anos desenvolve excelente trabalho como regente, iniciado nos Estados Unidos e depois na Itália. De volta ao Brasil, o maestro Misiuk desenvolveu um intenso trabalho de concertos didáticos e de formação de público na prefeitura de São Paulo, quando criou e desenvolveu o Projeto Teatro Municipal Visita, que levava a cada mês 45 grupos sinfônicos e de câmara do Teatro Municipal às casas de cultura, bibliotecas, teatros de bairro de São Paulo, além de atuar como maestro na Orquestra Sinfônica Municipal nos Concertos Didáticos do Teatro Municipal de São Paulo. Com o Método Jaffé, o maestro já preparou e apresentou mais de 100 turmas de ensino, e desenvolve o trabalho com as orquestras formadas a partir do método em Santos e São Paulo.



Renata Jaffé - Iniciou seus estudos de violino com seu pai, Alberto Jaffé, tendo sido também aluna do violinista Claudio Cruz. Em1982 mudou-se para Champaign – Urbana, em Illinois, Estados Unidos, continuando seus estudos na National Academy of Arts. Foi também violinista das Orquestras Sinfônica Municipal de São Paulo e Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. É professora de violino desde 1986, e foi professora de violino do Pensacola Christian College – Florida, em 1994/95, época em que também começou a desenvolver o trabalho coletivo com o Método Jaffé, ainda nos Estados Unidos.



Serviço

Música no Museu – “Orquestra Grupo Pão de Açúcar”

Segunda-feira, 25 de janeiro, às 11h Entrada franca

Duração: 60 min

Capacidade: 230 lugares

Local: Museu da Casa Brasileira – Terraço - Av. Brig. Faria Lima, 2705

Tel. 3032-3727 Jardim Paulistano Site: www.mcb.org.br

Estacionamento: R$ 10,00

Visitação: o MCB estará aberto das 10h às 18h, expecionalmente, em homenagem ao aniversário da cidade de São Paulo

Ingresso: R$ 4,00 Estudantes R$ 2,00 Gratuito domingos e feriados

Acesso para pessoas com deficiência.

Visitas monitoradas: 3032-2564

Pianista propõe novo método para o ensino da música

A pianista Abigail Silva lança na 28ª Oficina de Música de Curitiba um novo método para o ensino de piano, resultado de 30 anos de trabalho e pesquisas em torno de didáticas na área musical. O livro "Aprender, tocar e criar ao piano" (Editora Vitale) será lançado na próxima sexta-feira (15), às 20h, no Canal da Música. No mesmo dia, às 14h30, na Capela Santa Maria, a pianista fará uma palestra para os interessados em conhecer o método.

A proposta de Abigail Silva é formar, desde os primeiros acordes, o pianista e o músico ao mesmo tempo. Assim, nas primeiras aulas o aluno já tem contato com conhecimentos avançados. "As aulas, ao contrário das tradicionais, são agradáveis e divertidas, possuindo várias atividades diferentes, como improvisações, repertório, transposições, variações, leitura à primeira vista, jogos para leitura de notas e acordes", explica a pianista.

As pesquisas de Abigail Silva desenvolveram-se a partir do método do americano Robert Pace, com quem se especializou na década de 1970, nos Estados Unidos. Depois disso, ela atuou como representante de Pace no Brasil e trabalhou durante três décadas com esse modelo de ensino, até elaborar o seu próprio método. Professora do Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba, Abigail Silva diz que, ao usar principalmente a criatividade e a diversificação, o método faz com que o aluno se sinta sempre contente e estimulado a aprender a arte de tocar piano e desenvolver-se como músico.



Palestra de Abigail Silva sobre o livro "Aprender, tocar e criar ao piano"

Local: Capela Santa Maria - Espaço Cultural (R. Conselheiro Laurindo, 273)

Data: 15 de janeiro de 2010 (sexta-feira), às 14h30

Entrada franca.



Lançamento do livro "Aprender, tocar e criar ao piano"

Local: Canal da Música (R. Júlio Pernata, 695)

Data: 15 de janeiro de 2010 (sexta-feira), às 20h

Entrada franca.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Três policiais que vão prender...a sua atenção

A Editora Globo através de seu selo "Suspense" nos brinda com textos verdadeiramente empolgantes, no melhor estilo da literatura policial. As mulheres são o destaque, ( ontem, foi o aniversário de morte da rainha do crime Agatha Christie ) uma vez que, quer se queira ou não, reinam absolutas nesse tipo de literatura. Mas ha espaço também para os homens, e desta vez para um brasileiro. Confiram ! (E.C.)


Quando haverá boas notícias?
de Kate Atkinson

Páginas: 408


Quem nunca leu um romance policial, mal conseguindo respirar entre uma página e outra, terá sua oportunidade com o livro da inglesa Kate Atkinson. Uma trama complexa, recheada de reviravoltas e, inevitavelmente, sangue.

O que parecem ser histórias paralelas de personagens que pouco têm em comum, logo se transforma em uma narrativa intrincada. Aos seis anos de idade, Joanna viu sua mãe, sua irmã e seu irmão, ainda bebê, serem brutalmente assassinados. Trinta anos depois, casada, com um filho pequeno e uma carreira bem-sucedida como médica, ela recebe a notícia de que o criminoso, Andrew Decker, será libertado.

Enquanto isso, o detetive particular Jackson Brodie procura descobrir se é o pai do filho de sua ex-namorada, mas acaba sofrendo um acidente. Ele é salvo por Reggie, uma adolescente órfã que trabalha como babá para a doutora Hunter. Quando a médica e seu bebê desaparecem misteriosamente, a jovem convence Jackson a resolver esse mistério.

A AUTORA
Kate Atkinson
Nasceu em York, e estudou Literatura Inglesa na Universidade de Dundee, concluindo o seu mestrado em 1974. Durante seu último ano de curso, casou-se pela primeira vez. O casamento durou apenas dois anos, mas deu-lhe a primeira filha, Eva, que nasceu em 1975. Posteriormente, estudou doutorado em literatura americana. Depois de deixar a universidade, assumiu diversos trabalhos , de secretária a professora. Viveu em Whitby, Yorkshire, por um tempo e agora vive em Edimburgo.







Olhe outra vez
de Lisa Scottoline


Páginas: 432


Esta já esta se tornando um clássico.

Ellen Gleeson recebe pelo correio um cartão com a foto de uma criança perdida e quase joga fora. Mas ela olha outra vez e entra em pânico: a criança da foto é idêntica ao filho que adotou legalmente. Como se estivesse vivendo um pesadelo, ela se pergunta: será que a criança da foto é o seu filho? Ellen resolve investigar, e a verdade vai mudar sua vida.


Lisa Scottoline conduz o leitor por uma trama repleta de emoções e sobressaltos. Um policial surpreendente de uma das rainhas do suspense nos Estados Unidos. Lisa Scottoline já publicou dezesseis romances, que venderam 25 milhões de cópias em trinta países. Olhe outra vez ficou semanas na lista de best-sellers do jornal The New York Times.


"Honesto e emocionante, com personagens que você vai lembrar muito tempo depois de terminar este livro magnífico." - James Patterson


"Scottoline é uma estrela, este romance é imperdível." - Revista Time


A AUTORA
Lisa Scottoline
Lisa Scottoline (nascida em 1 de julho de 1955) é autora americano de thrillers com abordagem de temas legais. Seus romances foram traduzidos para 25 idiomas.

Scottoline nasceu na Filadélfia, Pensilvânia, e graduou-se com louvor na Universidade da Pensilvânia, ganhando uma licenciatura em Inglês e depois em direto. Trabalhou em um escritório de advocacia de prestígio na Filadélfia, mas após o nascimento de sua filha resolveu ficar em casa . Começou a escrever como uma forma de fazer dinheiro em casa. Desde então, escreveu 13 romances que viraram best-sellers, incluindo Final Appeal que recebeu, em 1995 Edgar Award for Best Paperback Original Mystery, e Moment of Truth, que alcançou a quinta colocação na lista de Best Seller do New York Times .

Scottoline escreve uma coluna intitulada "Chick Wit" para o The Philadelphia Inquirer. Uma coletanea de suas colunas serão compiladas em um novo livro intitulado "Why My Third Husband Will Be A Dog: The Amazing Adventures of an Ordinary Woman" ou algo como "Por que meu terceiro marido será um cão: As Incríveis Aventuras de uma mulher comum", e foi programado para final de 2009/iniciu 2010. Seu romance próximo policial , Think Twice, está programado para ser lançado em março de 2010.




O Comando Negro
de Álvaro Cardoso Gomes

Páginas: 360


O Comando Negro, de Álvaro Cardoso Gomes, inaugurou a nova coleção policial da editora e marca uma virada na carreira literária do autor. Se o “realismo fantástico” caracterizou suas primeiras obras, ele agora parte para o “realismo brutal” do romance policial noir, centrado na realidade crua e no policial “durão”.

A filha de um grande empresário paulistano vai parar no esconderijo do traficante Nenzinho, líder da facção criminosa conhecida como “Comando Negro”. O investigador Medeiros, do 113º DP, bairro de Campo Grande, é então convocado a trazer a garota de volta. A fim de se infiltrar no quartel-general do “Comando”, Medeiros, apesar de visceralmente íntegro, vê-se obrigado a assumir a condição de renegado da polícia e a agir fora da lei, além de poder contar a partir de agora apenas com sua coragem e sua esperteza. Caminho certo para uma dura crise existencial em meio ao caos e à violência, para não falar da “porrada” adicional de uma grande perda amorosa.

Em seu segundo romance policial (depois de A boneca platinada e antes de As jóias da coroa, inédito, com os quais O Comando Negro compõe uma trilogia), Álvaro Cardoso Gomes cria uma aventura policial clássica, com linguagem crua e ritmo frenético, centrada num personagem da mesma linhagem de Philip Marlowe, Sam Spade e Mike Hammer, além de cheia de referências ao seu universo ficcional (“Liguei o som, e a voz de Nina Simone, cantando Alone again, encheu o ambiente”). Mas, ao mesmo tempo (“Os tiros, os gritos e o cheiro de sangue me conduzem outra vez pelas ruas esburacadas de Engenheiro Marsilac, aquele fim do mundo...”), o livro transporta toda a força do gênero para uma realidade muito mais próxima, e ainda mais brutal: o mundo do crime organizado, do tráfico de drogas e da corrupção policial no cenário sombrio da periferia de São Paulo.

O AUTOR
Álvaro Cardoso Gomes (Batatais, 28 de março de 1944), é crítico literário, ensaísta e romancista brasileiro.

É formado em Letras pela USP, onde se tornou professor títular de Literatura Portuguesa. Especializou-se na literatura do final do século e em poesia e romance contemporâneo. Lecionou Literatura Brasileira na University of California, Berkeley e no Middlebury College (EUA) e fez várias pesquisas em Portugal e nos Estados Unidos.

Álvaro Cardoso Gomes nasceu na cidade paulista de Batatais, em 1944, e viveu a adolescência em Americana, também no interior de São Paulo, o cenário de best-sellers como A hora do amor, Para tão longo amor, etc.. Hoje mora em São Sebastião, no litoral paulista.

É autor de diversos livros juvenis, além de livros de poesia, de contos, romances para adultos(entre eles O sonho da terra, que recebeu o Prêmio Bienal Nestlé) e obras acadêmicas. É também crítico literário e leciona atualmente no programa de pós-graduação da Universidade São Marcos, onde foi pró-reitor de graduação (2001-2003).

LANÇAMENTOS DA

Próximos concertos reúnem professores da Oficina de Música

Os próximos concertos da 28ª Oficina de Música de Curitiba, nesta terça e quarta-feira (12 e 13), reúnem músicos internacionais e grandes mestres em seus instrumentos. Atuando como professores nos mais de 80 cursos da Oficina de Música, eles também dedicam uma parte do tempo para recitais e concertos da programação.

Nesta terça-feira (12), às 20h30, na Capela Santa Maria, os professores Olga Kiun e Alexander Znachonak fazem um recital de piano e violoncelo, tocando obras de Schubert, Chopin e Schumann. Amanhã, quarta-feira (13), às 19h, no Sesc da Esquina, professores de instrumentos de sopro formam um quinteto de flauta, oboé, clarinete, fagote e trompa. Eles apresentam duas obras de Villa-Lobos e uma de Paul Hindemith. Participam da apresentação os professores Maurício Freire, Isaac Duarte, Étienne Lamaison, Fábio Cury e Jean Philippe Chavey.

Outra oportunidade de assistir a um concerto de professores será amanhã (quarta-feira), às 20h30, no Canal da Música. Será a vez dos mestres da música antiga formar um conjunto de câmara com repertório de composições dos séculos 17 e 18. São eles Marília Vargas (soprano), Luis Otávio Santos (violino), César Villavicencio e Veronique Lima (flauta), Ricardo Kanji (traverso), Alberto Kanji (violoncelo), Juan Quintana (viola da gamba), Guilherme de Camargo (teorba) e Jacques Ogg (cravo).



Recital de piano e violoncelo - Olga Kiu e Alexander Znachonak

Data: 12 de janeiro de 2010 (terça-feira), às 19h30

Local: Sesc da Esquina (R. Visconde do Rio Branco, 969)

Quinteto de sopros dos professores da Oficina de Música

Data: 13 de janeiro de 2010 (quarta-feira), às 19h

Local: Sesc da Esquina (R. Visconde do Rio Branco, 969)

Concerto de Música Antiga

Data: 13 de janeiro de 2010 (quarta-feira), às 20h30

Local: Canal da Música (R. Júlio Perneta, 695)

Ingresso - R$ 10 ou R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível. Venda de ingressos diretamente na bilheteria do teatro, uma hora antes do espetáculo.

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

De 15 a 21 de janeiro de 2010

Domingo, dia 17 de janeiro – Ingresso R$1,00


CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174 fone 41 3321-3252 (diariamente das 09h às 12h e das 13h30 às 22h30 – sábados e domingos das 14h30 às 22h30) www.fccdigital.com.br


NOEL - O POETA DA VILA (BR/2007). Duração 100’. Direção de Ricardo Van Steen, com Rafael Raposo, Camila Pitanga, Paulo César Pereio. A trajetória de Noel Rosa, um dos maiores compositores da história da MPB, que trocou a faculdade de Medicina pelo samba e pela boemia carioca, na década de 20, tornando-se ídolo do rádio, aos 19 anos, com o enorme sucesso alcançado com a canção Com Que Roupa. O filme acompanha não apenas a carreira musical de Noel, como também sua vida afetiva que, até morrer prematuramente de tuberculose, dividiu-se entre dois grandes amores: Lindaura, jovem operária com quem se casou, e Ceci, dançarina com quem manteve um caso tempestuoso. Classificação: 14 anos

Sessões às 16h e 20h

Dia 16, não haverá sessão deste filme

Ingresso pago: R$5,00 (inteira)

R$2,50 (meia)

R$1,00 (aos domingos)



O ZELADOR (BR, 2007 - 85’). Direção de Barren Bartlett

Documentário sobre a trajetória de Mestre Russo como uma das figuras mais importantes da tradicional roda de capoeira que já acontece desde 1973 no centro de Caxias - Rio de Janeiro. Classificação 12 anos

Dia 16, às 16h e 20h – entrada franca.

A sessão das 20 horas contará com a presença de Mestre Russo.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Educando Corpos e Criando a Nação

Educando Corpos e Criando a Nação, o mais novo lançamento da Apicuri com a PUC Rio resgata toda uma era do culto ao corpo no melhor (pior) estilo da geração ariana. As demostrações publicas dos jovens que praticavam uma nefanda "educação física" era uma total macaqueação de outros regimes autoritários? É bom relembrar que tais atividades foram retomadas no civísmo da "OSPB" durante a ditadura militar pós 64. Participe deste debate através deste livro (E.C.)

EDUCANDO CORPOS E CRIANDO A NAÇÃO:
Cerimônias Cívicas e Práticas Disciplinares no Estado Novo

de Maurício Parada


248 páginas

O livro "Educando corpos e criando a nação" analisa o que o autor denomina de cultura cívica varguista, ou seja, um conjunto de políticas públicas implementadas durante o Estado Novo (1937-1945) sob a direção de Getúlio Vargas.

A criação de novos valores cívicos é estudado por Maurício Parada a partir de dois eixos: o calendário de festas promovidas pelo Estado e a prática cotidiana experimentada especificamente na sala de aula. Dia de Tiradentes, Dia do Trabalho, Semana da Pátria, Dia da Juventude, Hora da Independência, cada qual com seus temas e públicos específicos, sua trajetória e pedagogia próprias, construindo uma nova cultura política, guia para a nação em direção à modernidade, soberania e ordem.


O livro, "Educando corpos e criando a nação" trata ao mesmo tempo de política e cultura demonstrando a riqueza dessa aproximação.


O autor

Maurício Parada é doutor pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Leciona no Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e no Mestrado em História da Universo. Escreveu diversos artigos sobre política e cultura e organizou o livro Fascismos: conceito e experiências, publicado pela Editora Mauad X em 2008.





um lançamento da



AMOR DE CONSUMO

PILOTO URUGUAIO COMPETE NO 23º CAMPEONATO BRASILEIRO DE JET SKI


Leia em

São Paulo em livros

Para comemorar o aniversário de São Paulo, a Editora Terceiro Nome faz uma promoção para os livros com o tema: até 25 de janeiro, o desconto é de 30% para livros comprados pelo www.terceironome.com.br e 40% para os livros retirados na Editora (Rua Belmiro Braga 70 - Pinheiros - São Paulo/SP).

"O Formato Mulher"

Lançamento do livro "O Formato Mulher", de Ana M. Klobucka

12 de Janeiro, terça-feira, 18h30












Sobre o livro

Ao longo dos últimos cem anos, deixou de ser exclusivo no palco da literatura portuguesa o protagonismo do “sujeito masculino que nos escreve”, no dizer de Eduardo Lourenço. Com rigor teórico, informação histórica minuciosa e por meio de uma série de leituras de textos de referência, O Formato Mulher examina as circunstâncias e as consequências da emergência da autoria feminina no campo cultural da poesia portuguesa moderna, detendo-se nas grandes figuras que elege: Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner Andresen, Maria Teresa Horta, Luiza Neto Jorge, Ana Luísa Amaral e Adília Lopes.

Nota biográfica

Anna Klobucka é professora no Departamento de Português da Universidade de Massachusetts Dartmouth (EUA), onde ensina principalmente literatura portuguesa e literaturas africanas de língua portuguesa. É autora de Mariana Alcoforado: Formação de um Mito Cultural (IN-CM, 2006; ed. original Bucknell University Press, 2000) e coordenadora da primeira edição do manual Ponto de Encontro: Portuguese as a World Language (Prentice Hall, 2007). Co-organizou (com Helena Kaufman) After the Revolution: Twenty Years of Portuguese Literature 1974-1994 (Bucknell, 1997) e, com Mark Sabine, Embodying Pessoa: Corporeality, Gender, Sexuality (University of Toronto Press, 2007; edição portuguesa no prelo).

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt