sábado, 27 de fevereiro de 2010

Ciência Contemplativa de B. Alan Wallace

Ciência Contemplativa

de B. Alan Wallace




Páginas: 240 págs


Há muito que a ciência considera a religião um conjunto de crenças pessoais sem muita ligação com o entendimento racional da mente e do universo. Entretanto, B. Alan Wallace, propõe que as metodologias contemplativas do budismo e da ciência ocidental sejam integradas numa única disciplina: a ciência contemplativa. A ciência da consciência introduz métodos de investigação da mente por meio de técnicas budistas de meditação. Assim como os cientistas fazem suas observações e conduzem seus experimentos com a ajuda da tecnologia, os meditadores há muito vêm testando suas próprias teorias com a ajuda de capacidades meditativas altamente desenvolvidas para a observação e a experimentação. A ciência contemplativa proporciona um conhecimento mais profundo dos fenômenos mentais, propondo uma perspectiva inovadora para expandir nossa capacidade de alcançar o autêntico bem-estar.

O AUTOR
B. ALAN WALLACE foi monge budista por quatorze anos, ordenado por Sua Santidade o Dalai Lama. Graduou-se em Física e Filosofia da Ciência pelo Amherst College e doutorou-se em Estudos da Religião pela Stanford University. Fundador e presidente do Santa Barbara Institute for Consciousness Studies, ele traduziu uma série de textos budistas tibetanos e é autor de vários livros sobre budismo.



UM LANÇAMENTO



A BÍBLIA DOS CRISTAIS – VOL. 02


A Bíblia dos Cristais vol.02

de Judy Hall



Páginas: 400 págs.


MAIS DE 3 MILHÕES DE CÓPIAS VENDIDAS NO MUNDO TODO

Este segundo volume do best-seller Bíblia dos Cristais apresenta mais de 200 novos cristais, incluindo pedras de vibrações elevadíssimas para a alquimia espiritual e as pedras recém-descobertas da Groenlândia.

Com belíssimas ilustrações coloridas, esta obra é um guia abrangente para cristais excepcionais e suas propriedades terapêuticas, efeitos kármicos e aplicações na limpeza de ambientes e do planeta.

Essencial para leigos e especialistas em terapia com cristais, este livro também traz informações sobre a proteção de ambientes e espaços sagrados, e rituais xamânicos.

UM LANÇAMENTO



****

Jungle Beach ABC 2010 começa domingo com novo formato de disputa

LEIA EM

Teatro da CAIXA apresenta espetáculo baseado na obra “As Boas Mulheres da China”





A autoria e direção da peça “Palavras na Brisa Noturna” são de Fábio Porchat

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de sexta (05) a domingo (07), a peça “Palavras na Brisa Noturna”. O espetáculo é baseado no best seller internacional “As Boas Mulheres da China”, de Xinran Xué, que retrata o drama das mulheres chinesas.

A montagem é livremente inspirada em cinco relatos verídicos do livro, que são adaptados para os dramas das mulheres do mundo do século XX. Apresenta cinco monólogos feitos por diferentes atrizes, que abordam a violência, conflitos pessoais, sexualidade, opressão, dentre outros sentimentos e situações.

A jornalista Xinran Xué, nascida em 1958 em Beijing, apresentou um programa de rádio na China, um país onde poucas mulheres conseguem visibilidade e espaço na mídia, de 1989 a 1997. Xué abriu espaço e deu voz, ainda que com determinadas limitações, a uma China feminina e calada ao longo dos anos. O programa “Palavras na Brisa Noturna” apresentou diversos relatos sobre a vida íntima daquelas mulheres, violência familiar, opressão e homossexualismo, inspirando o livro “As Boas Mulheres da China”.

Esta é a primeira adaptação do livro para o teatro. O diretor Fábio Porchat selecionou cinco dos relatos apresentados no livro e escreveu os monólogos adaptando-os para as situações cotidianas vividas pelas mulheres do mundo todo, apesar de referências visuais remeterem a China, como roupas e cenário vermelhos. Com um nome ligado ao humor, Porchat declara que é o primeiro trabalho dramático. “Eu gosto de bons textos. Não me importa se é comédia ou drama e o livro me trouxe muitas imagens. Eu tirei essas histórias da China e ambientei-as no mundo, dei um caráter universal a essas histórias, que na minha visão precisam ser ouvidas por todo mundo”, esclarece o diretor.

A peça é estrelada por Patrícia Vazquez, Cris Rudolph, Pollyanna Rocha, Fernanda Maia e Regina Gutman, que se apresentam com apenas uma unha das mãos pintada como homenagem a Xinran Xue. A jornalista chinesa adotou o costume para atrair a atenção das pessoas e descobrir histórias emocionantes em um país de mulheres caladas.

O diretor
O carioca Fábio Porchat, nascido em 1983, é formado em Artes Cênicas na Casa de Arte Laranjeiras – CAL e acumula funções de ator, redator, roteirista e diretor. Tem um quadro no programa “Zorra Total” da Rede Globo, faz parte do elenco do espetáculo Comédia em Pé, tem um programa no canal GNT chamado "De perto ninguém é normal", está em turnê pelo país fazendo o stand up "Fora do Normal”, é redator do programa “Os Caras de Pau”, com Marcius Melhem e Leandro Hassum, criador do quadro “Exagerados” no Fantástico, em que trabalha como ator e redator, dentre outras atividades.



Ficha técnica



Texto e direção: Fabio Porchat
Peça livremente inspirada no livro "As Boas Mulheres da China".
Elenco: Patrícia Vazquez, Cris Rudolph, Pollyanna Rocha, Fernanda Maia e Regina Gutman

Produção: Fabio Porchat e Bloco Pi Produções Culturais e Eventos



Serviço Teatro: “Palavras na Brisa Noturna” Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: de 05 a 07 de março Horários: sexta e sábado 21h e domingo 19h Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia) Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Não recomendado para menores de 14 anos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

4º Workshop de Filosofia Prática e Pensamento Crítico no CLP



- Melhore os seus desempenhos cognitivos e argumentativos -

Neste Workshop de Filosofia Prática e Pensamento Crítico serão partilhadas uma série de técnicas, conceitos e instrumentos cognitivos, lógicos e argumentativos da área do Pensamento Crítico. Essas técnicas e competências adquiridas serão aplicadas e praticadas em sessões de debate filosófico em grupo.

Nota: Não são necessários quaisquer conhecimentos de Filosofia para participar neste Workshop, apenas vontade em examinar e melhorar a forma como pensamos.

Datas: 8, 10 e 11 de Março (21h30 – 23h30)

Local: Clube Literário do Porto

Formador: Tomás Magalhães Carneiro

Informações em http://filosofiacritica.wordpress.com/

Preço: 50€

Inscrições: revistaumcafe@gmail.com

Clube Literário do Porto Rua Nova da Alfândega, n.º 22 4050-430 Porto T. 222 089 228 Fax. 222 089 230 Email: clubeliterario@fla.pt URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Lars Grael e Ronald Seifert largam na frente no Star da Pré-Olímpica

leia em

Termina nesse domingo exposição Arte de Fotografar, que está em Taubaté

Vai até esse domingo (28/02) a exposição itinerante com as fotos dos vencedores do concurso Arte de Fotografar - As pequenas coisas da vida, que está no Taubaté Shopping, depois de passar por Jacareí, Caraguatatuba e Guarulhos. A mostra reúne o trabalho dos 40 melhores fotógrafos do concurso e é aberta ao público, das 10h às 22h, na Portaria F, ao lado da Renner.

Os trabalhos premiados na última edição do concurso são de Guaratinguetá, Caraguatatuba, Lorena, Mogi das Cruzes, São José dos Campos, Guaruhos, Jacareí, São Sebastião, Cachoeira Paulista, Pindamonhangaba, Aparecida, Taubaté, Biritiba Mirim, Caçapava, Tremembé e Poá.

O concurso contou com mais de 3.500 fotos de 998 concorrentes, de 28 cidades paulistas, que aceitaram o desafio de fazer com que elementos, que antes passariam despercebidos, ganhassem dimensão artística.

Criado pela Kavantan & Associados - Projetos e Eventos Culturais e com o patrocínio do Instituto EDP e da EDP Bandeirante, o concurso teve grande sucesso de público e crítica e foi aberto a fotógrafos não-profissionais com mais de 9 anos de idade e que moram, estudam ou trabalham em 28 cidades do Estado de São Paulo: Aparecida, Biritiba Mirim, Caçapava, Cachoeira Paulista, Canas, Caraguatatuba, Cruzeiro, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guaratinguetá, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jacareí, Jambeiro, Lorena, Mogi das Cruzes, Monteiro Lobato, Pindamonhangaba, Poá, Potim, Roseira, São José dos Campos, Salesópolis, Santa Branca, São Sebastião, Suzano, Taubaté e Tremembé.

Dentre todas as cidades que participam da mostra, Lorena e São José dos Campos são as que possuem o maior número de vencedores, com cinco cada. Além de ganharem o incentivo financeiro, os vencedores receberam livros sobre arte, troféu, menção honrosa e integram a exposição itinerante.

O concurso Arte de Fotografar é apoiado pelas Prefeituras e Secretarias de Cultura e de Educação das cidades envolvidas. O concurso conta com apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria do Estado da Cultura - Programa de Ação Cultural.
Serviço

Exposição Arte de Fotografar – As pequenas coisas da vida
De 17 a 28 de fevereiro, das 10h às 22h.
Entrada gratuita
Mais informações: 11/3673-4452

Taubaté Shopping
Avenida Charles Schneider, nº 1700 – Taubaté. Fone (12) 3622-1155

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Gerson Bientinez faz show “30 anos de música”


Nesta sexta-feira, dia 26, no auditório do Centro Paranaense Feminino de Cultura, o cantor e compositor curitibano Gerson Bientinez comemora três décadas de carreira com o show “30 anos de música”. Gersinho, como é carinhosamente chamado pelos amigos, irá se apresentar acompanhado das cantoras Rogéria Holtz e Flávia Dias, além dos músicos Sérgio Justen (piano), Vinícius Chamorro (violão) e Cézar Mattoso (sax e flauta).

Talento e experiência fazem da música de Gerson Bientinez algo raro, belo e profundo. Tendo feito sucesso internacional tocando na França (Paris), Suíça (Lausanne) e Polônia (Varsóvia), Gerson tem parcerias com Sebastião Tapajós, Claudionor Cruz e Eudes Fraga, e com boa parte dos principais compositores curitibanos como Waltel Branco, Gerson Fisbein, Noeli Manfredini, Luiz Felipe Leprevost, Valmor Marcelino, Cláudio Ribeiro, Ivan Graciano, Hilton Barcelos, Jamil Snege, Sílvio de Tarso, Etel Frota e Retamozzo, entre outros.

Exímio violonista, que transita do samba ao jazz passando pelo choro e a toada, Gersinho é um músico que deixa cantar as cordas de seu instrumento, embalando- as com belas e raras canções. Em seu trabalho, o poeta e menestrel Gerson Bientinez traça um caminho entre o coração e a técnica, trabalhando suas palavras com sentimento e suas notas com muito refinamento. O resultado é sempre cativante, de grande arte.

Gerson, que foi coordenador do TUC em 1986, e do Teatro Paiol entre 1987 e 1991, tem dois CDs gravados: “Quinze” (Rio de Janeiro, 1995) e “Alta Estima”, (Curitiba, 2005), ambos viabilizados pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Além disso, tem inúmeras músicas gravadas por outros músicos.

SERVIÇO: Show “30 anos de música”, com Gerson Bientinez e convidados Data: 26 de fevereiro Horário: 21 horas Local: Centro Feminino de Cultura (Rua Visconde do Rio Branco, 1717). Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00. Informações: 3232-8123

Estreia projeto literário no Teatro da CAIXA


XX Narrativas do Século XX apresenta obras de Thomas Bernhard e Gonçalo Tavares


A CAIXA Cultural Curitiba apresenta XX Narrativas do Século XX, na quarta-feira (03). O projeto propõe leituras mensais compostas por dois textos, uma prosa e uma poesia, com o intuito de expor e comparar a panorâmica da literatura mundial no século XX. As leituras tratam do “homem contador de histórias” e as diferentes maneiras com que cada autor conta a sua cultura. Além dos dois textos, cada leitura terá a presença de um diretor de teatro, um grupo de interpretes, um músico e um mediador.

Os autores da primeira leitura são o austríaco Thomas Bernhard, com “O Imitador de Vozes”, e o angolano Gonçalo Tavares, com “O Bairro”. O músico convidado para a primeira edição é Fábio Mazzon, a mediação de Luis Bueno e a direção de Flávio Stein.
O projeto

XX Narrativas do Século XX, coordenado por Mauro Zanatta, produzido por Leandro Daniel e com curadoria de Flávio Stein, é uma seqüência e ampliação do Brasis Leituras Plurais, projeto que passou pela CAIXA Cultural Curitiba em 2009. A diferença principal é que o Brasis restringiu o repertório à literatura brasileira enquanto o Narrativas apresenta obras da literatura mundial do século XX.

“Esperamos que ao ampliar o repertório possamos conquistar novos interessados, através do envolvimento de outras culturas e raças, permitindo também uma discussão mais abrangente, de caráter sociológico, filosófico e até pedagógico” explica Zanatta. A sequência se deve aos resultados atingidos com o Brasis. “Em Curitiba existe um público bastante interessado em literatura. A participação nos momentos de discussão e diálogo com os participantes e autores demonstra para nós o quanto a proposta interessa e motiva os espectadores”, aponta o coordenador.

O XX Narrativas mantém o desejo de valorizar a vocalização das leituras e dar atenção à palavra, as melodias e aos ritmos dos textos, por entender que este é o caminho para devolver aos textos a sua função primordial: a de serem lidos e ouvidos. “Acreditamos que com esta proposta podemos contribuir para uma valorização do texto, estimulando dessa forma que as pessoas prestem mais atenção nele e se interessem pela palavra nas suas mais diversas formas”, confia Zanatta. Outro aspecto é a leitura socializada, ou seja, lida em grupo. “Muitas vezes, a leitura silenciosa, cada um sozinho em sua casa, pode deixar o leitor isolado com suas dúvidas e incompreensões e, consequentemente, pode de alguma maneira inibir o diálogo. A oportunidade de discutir o que compreendeu de um texto é sem dúvida uma maneira de ampliar e aprimorar sua capacidade de compreensão não só do texto, mas do mundo, seus fenômenos e sua diversidade”.

Os autores

Na primeira edição do projeto serão apresentados os textos “O Imitador de Vozes” de Thomas Bernhard e “O Bairro” de Gonçalo Tavares.

Thomas Bernhard nasceu em 1931, na Áustria. Na década de 50, quando começou sua carreira artística, se ateve à poesia, passando então nos anos 60 a escrever textos teatrais ácidos e provocadores. Considerado um escritor polêmico, cuja obra mais famosa é “O Náufrago”, Bernhard sempre manteve uma relação de amor e ódio com a Áustria, tanto que após sua morte, proíbe em testamento a encenação de suas peças no país. Ao longo da sua vida recebeu inúmeros prêmios de literatura pelos poemas e peças de teatro

O angolano Gonçalo Tavares nasceu em 1970 e publicou sua primeira obra, “O Livro da Dança”, em 2001. Já recebeu os mais importantes Prémios em Língua Portuguesa: o Portugal Telecom 2007; o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004 com o romance - "Jerusalém" (Caminho-2004); o Prémio Branquinho da Fonseca da Fundação Calouste Gulbenkian e do Jornal Expresso, com o livro “O Senhor Valéry” (Caminho-2002); o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com Investigações.Novalis (Difel-2002) e o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores "Camilo Castelo Branco" com água, cão, cavalo, cabeça (Caminho-2006). Suas obras foram inspiração para peças de teatro, ópera, e outras manifestações artísticas. O romance "Jerusalém" foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer – um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".

Ficha Técnica Coordenação do projeto: Mauro Zanatta Curadoria: Flávio Stein Direção de Produção: Leandro Daniel


Serviço Projeto XX Narrativas do Século XX: Textos de Thomas Bernhard e Gonçalo Tavares Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: 03 de março Horários: quarta 20h Ingressos: 01 (um) livro não didático Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Não recomendado para menores de 14 anos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

"não acordes o gato"


A editora Edita-Me e o autor Henrique Normando, têm o prazer de convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro

"não acordes o gato"


que decorrerá no dia 27/Fev/2010 pelas 17h00 no Ateneu Comercial do Porto.
(Rua Passos Manuel, 44 * 4000 PORTO)

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras

De 10 a 13 de março, em Curitiba, milhares de pessoas de cidades do mundo inteiro estarão juntas em uma Conferência Durante a CICI2010, especialistas dos 5 continentes irão abordar diferentes temas ligados à construção coletiva de realidades urbanas mais inovadoras e humanizadas.
Confira alguns destaques:


A Cidade como "Organismo Vivo"- Steven Johnson

Crítico social, formado em semiótica, estudioso de tecnologia digital. Professor da Universidade de Nova Iorque e autor de seis
best-sellers ligados à interseção da ciência, da tecnologia e da experiência pessoal.


A Cidade como Rede e a Sustentabilidade das Cidades- Pierre Lévy

Filósofo da informação, professor universitário e autor de vários livros do ciberespaço. Entende que inteligência coletiva tem a ver com software livre, blogs, TV digital e educação a distância, além de explorar a internet como a nova grande metrópole mundial.


Experiências em Inovações para a Sustentabilidade- Marc Weiss

Presidente da organização Global Urban Development com representações em Washington, Barcelona, Pequim, Praga, Cingapura e Sidney. Líder do Projeto Climate Prosperity por todo os EUA.

Cadastre-se e saiba mais

Programação de 25 a 28 de Fevereiro no CLP

:: Dia 25 | Quinta-feira

Piano-bar

18h00

Saber Ouvir - Curso Livre de História da Música.


Auditório

21h30

Ciclo de Colóquios da UMAR

(última 5ª feira de cada mês, com excepção de Agosto)

Tertúlia «Amor e paixão: uma perspectiva feminista»


Oradores: Sofia Neves e Manuel Damas


Org.: UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta.

Piano-bar

22h00

Concerto

ByeByeAdriana
“StranJazz”

:: Dia 26 | Sexta-feira

Auditório

23h15

XaTa - Projecto de Poesia Teatral
Org.: Associação Cultural Tenda de Saias.

Piano-bar

22h00

Duo Insieme

BrunoR (viola dedilhada e eléctrica)
Joana Barata (piano)

:: Dia 27 | Sábado

Auditório

15h00

Workshop de Teatro «Sherlock Holmes do Clube Literário»


O projecto http://worldtheatre.blogspot.com pretende proporcionar o contacto com as técnicas de teatro nas suas diversas variantes. O workshop é realizado segundo o mote de Peter Brook, «O teatro é a vida, uma vida mais legível, mais intensa, mais concentrada», fazendo a ligação constante entre o teatro e a vida.

Programa: Peter Brook * Introdução ao teatro * Jogos de apresentação * Aquecimento e relaxamento * Confiança * Concentração * Dinâmica de grupo * Improvisação * As emoções * Exercício final

Entrada livre, sujeita a inscrição para o email: clubeliterario@fla.pt

Piano-bar

17h00

Apresentação do romance

«Deus, o Biombo eterno»

de Rui Almeida Branco.

Apresentação pelo Prof. Ferreira do Amaral

Editora: Lugar da Palavra

Uma viagem alucinante ao mundo das novas seitas religiosas

É a religião salvação ou perdição? Em nome de Deus, que crimes podem ser cometidos? Em Deus, o Biombo Eterno, Rui Almeida Branco conduz-nos, pela mão de um pastor dividido entre o arrependimento e a ânsia de singrar na vida, a uma visita guiada ao submundo das novas seitas religiosas (a IGDU), onde o sotaque é, iminentemente, brasileiro.

Um romance envolvente onde não falta o amor ardente, o crime e o mistério.

E sempre, sempre… o eterno desejo do poder.

22h00

Curso de jazz da ESMAE

Hugo Gama, saxofone tenor
Ricardo Pinto, piano

Num duo formado especialmente para este concerto, Hugo Lopes e Ricardo Pinto interpretam standards de jazz clássicos e alguns temas originais, numa sonoridade intimista e minimalista, onde a simplicidade instrumental estimula a improvisação colectiva e a expressão da personalidade da cada um dos músicos.

:: Dia 28 | Domingo

Auditório

16h00

«O meu computador é um local seguro? – Segurança informática em casa e nas instituições»

Com Nuno Carvalho (director de segurança informática da RTP – Porto, comentador da especialidade no JN) e de um docente do ISEP, do departamento de engenharia informática.

Piano-bar

17h00
26º Café Filosófico

http://filosofiacritica.wordpress.com

organizado pela revista «Um Café»

Direcção: Tomás Magalhães Carneiro


Piano-bar

21h30

Concerto
ENSEMBLE CARL ORFF
“Corais de Bach (2)”

Clube Literário do Porto Rua Nova da Alfândega, n.º 22 4050-430 Porto T. 222 089 228 Fax. 222 089 230 Email: clubeliterario@fla.pt URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

De 26 de fevereiro a 4 de março de 2010


CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174 fone 41 3321-3252 (diariamente das 9h às 12h e das 13h30 às 22h30 – sábados e domingos das 14h30 às 22h30) www.fccdigital.com.br

QUANTO DURA O AMOR? (BR/2009 – 35mm – 80’). Direção de Roberto Moreira. Com Silvia Lourenço, Paulo Vilhena, Danni Carlos.

Três personagens em busca de alguém para amar dividem um endereço no conturbado coração de São Paulo. Recém-chegada do interior, a aspirante a atriz Marina mergulha na noite sedutora da cidade, sem calcular riscos. A advogada Suzana vive uma paixão promissora, mas guarda um segredo que pode mudar tudo. O romântico Jay, um escritor esquecido, tenta achar uma brecha em um coração de acesso difícil. Entre elevadores e elevados, esbarrões e tropeços, eles vão descobrir quanto dura o amor. Classificação 14 anos

Sessões às 16h e 20h

Ingresso pago: R$ 5 (inteira)

R$ 2,50 (meia)

R$ 1 (domingo)

Esqueletos são personagens nos quadrinhos de André Ducci



O desenhista abre a exposição “Esqueletos são simpáticos” nesta sexta-feira (26), às 19h, no Centro de Criatividade de Curitiba.

Esqueletos risonhos, que gostam de pescar, ouvir MPB e se divertem marcando encontros aportam na forma de histórias em quadrinhos, no Centro de Criatividade de Curitiba, com a exposição “Esqueletos são Simpáticos”. A obra do artista curitibano André Ducci é inspirada nas intensas pesquisas sobre anatomia e medicina, que também lhe renderam a série “Anatomista”, com desenhos que unem corpo humano, design, cores e traços criativos, fugindo da frieza dos traços e temas da anatomia tradicional. A exposição abre nesta sexta-feira (26), às 19h.

Para Ducci, os esqueletos estão sempre rindo e sorrindo. Nesse trabalho ele mostrou o flutuar da inocência e do humor quase sombrio das caveiras. As figuras são quase tridimensionais. Elas navegam deliciosamente por entre uma ou outra catástrofe, mas escutam Dorival Caymmi, se jogam, lançam-se ao mar para divertir quem os vê. A exposição tem curadoria de Karen Tortato, artista plástica, escritora, designer e também criadora do Espaço Arte Independente, no James Bar, em Curitiba.

Filho de médico e desenhista, André Ducci, 31 anos, é formado em Gravura pela Escola de Música e Belas Artes e editor de vídeos cirúrgicos no Hospital Pequeno Príncipe. Iniciou seus trabalhos como ilustrador para as marcas de skateboard Drop Dead e Child em Curitiba, em 1997, e também para o Jornal Rascunho. Em 2003 participou da mais recente edição da revista eslovena Stripburger, da antibélica Warburger e de mostras de HQ de Lodz, na Polônia. Desenvolveu projetos de intervenção urbana com as suas séries Anatomista e Join Girls. Seus trabalhos foram publicados na Revista Boca de Recife e no site Cartazêra. Colaborou também para a Revista Simples e diversas exposições de arte, entre elas o Projeto Arte Independente do James Bar de Curitiba.


Serviço: Exposição “Esqueletos são Simpáticos”, de André Ducci Local: Centro de Criatividade de Curitiba – R. Mateus Leme, 4.700 – Parque São Lourenço Data: De 26 de fevereiro (abertura às 19h) a 4 de abril de 2010. Horário: De segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 20h. Sábados, das 8h30 às 12h e das 14h às 18h. Entrada franca.

Teatro do Piá tem espetáculo na linguagem das sombras



O espetáculo “O Rei que ficou cego”, da Companhia Karagozwk, une a milenar técnica do teatro de sombras à simplicidade dos contos populares.

Entra em cartaz neste domingo (28), no Teatro do Piá, a peça infantil “O Rei que ficou cego”, da Companhia Karagozwk. O espetáculo, que integra a tradicional programação dominical promovida pela Prefeitura de Curitiba, foi selecionado por meio do Edital Formas Animadas do Fundo Municipal da Cultura. As apresentações acontecem até o dia 4 de abril, sempre aos domingos, às 11h. A entrada é franca.

A versão do conto popular “O Rei que ficou cego”, de Ricardo Azevedo, ganhou uma primorosa adaptação para a linguagem cênica. Sob a direção de Marcello Andrade dos Santos, a montagem usa a milenar técnica do teatro de sombras para refletir sobre valores éticos, morais e familiares. A luz e a sombra, metáforas para o entendimento dos sentimentos humanos, embasam um espetáculo de magia e encanto.

A Karagozwk desenvolve desde 1985 um trabalho representativo no teatro de sombras, e é uma das únicas companhias brasileiras a dominar essa técnica, que já era conhecida na China, antes de Cristo. O grupo produz em seu ateliê todo o equipamento necessário para a criação de imagens em tempo real.



Serviço: Peça “O Rei que ficou cego”, da Companhia Karagozwk Local: Teatro do Piá (Praça Garibaldi, 7 – Setor Histórico) Data e horário: de 28 de fevereiro a 4 de abril de 2010, com sessões sempre aos domingos, às 11h Entrada franca

Instrumentos e vozes invadem o Bosque da Fazendinha


O programa “Música nos Parques”, patrocinado pela OI, proporciona espetáculos com artistas curitibanos, na tarde deste domingo (28).

O Bosque da Fazendinha é o endereço musical deste domingo (28), com mais uma apresentação do programa Música nos Parques, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba. O show “Saudosos Malucos” é a atração das 15h, com Cris Lemos, Silvia Contursi e Cláudio Menandro. Na sequência, às 17h, entra em cena o espetáculo “Violas e Flautas”, a cargo de Rogério Gulin, Plínio Silva e Hely Carvalho. Em 2010, o programa conta com o patrocínio da OI, que também presenteia o público com bonés, cangas e lenços.

Em “Violas e Flautas”, o público descobre as composições de Rogério Gulin, músico curitibano que se inspira nas raízes da viola caipira e na tradição da música instrumental brasileira para criar uma obra premiada nacionalmente. Unindo novas linguagens e experiência musical, Gulin executa um trabalho pontuado pelo rock folk e pelo rock dos anos 70, em seu lado mais acústico. O show conta com a participação dos músicos Plínio Silva – nas flautas e Krumhorn (instrumento de sopro renascentista) – e Hely Carvalho, no baixo.

Estética do samba – O samba em variados estilos, mas resguardado em sua estética, é a linha mestra do espetáculo “Saudosos Malucos”, que une as cantoras Cris Lemos e Silvia Contursi, mais o instrumentista Cláudio Menandro (violão, cavaquinho e bandolim). Os artistas, vindos respectivamente de São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia, encontraram em Curitiba, há muitos anos, o palco ideal para sua arte.

Composições de Adoniran Barbosa e músicas inéditas de Cláudio Menandro integram o repertório que cria um divertido diálogo entre obras célebres e novos sambas da melhor qualidade. A produção de Cris, Silvia e Menandro evidencia a contribuição do trio para a cultura local.


Serviço:

Música nos Parques

Local: Bosque da Fazendinha

Data: 28 de fevereiro de 2010 (domingo)

Horários:

Às 15h – show “Saudosos Malucos”, com Cris Lemos, Silvia Contursi e Cláudio Menandro

Às 17h – show “Violas e Flautas”, com Rogério Gulin, Plínio Silva e Hely Carvalho

Entrada franca

Taylorismo: Após 100 anos nada superou o modelo de gestão?

Taylorismo ou Administração científica é o modelo de administração desenvolvido pelo engenheiro Frederick Winslow Taylor (1856-1915), que é considerado o pai da administração científica. Caracteriza-se pela ênfase nas tarefas, objetivando o aumento da eficiência ao nível operacional.

Primeiros estudos essenciais de Taylor

* Em relação ao desenvolvimento do pessoal e seus resultados objetivamente: acreditava que, oferecendo instruções sistemáticas e adequadas aos trabalhadores, ou seja, treinando-os, haveria possibilidade de fazê-los produzir mais e com melhor qualidade..

Em relação ao planejamento da atuação dos processos: achava que todo e qualquer trabalho necessita, preliminarmente, de um estudo para que seja determinada uma metodologia própria, visando sempre o seu máximo desenvolvimento.

* Em relação à produtividade e à participação dos recursos humanos: estabelecia a co-participação entre o capital e o trabalho, cujo resultado refletia em menores custos, salários mais elevados e, principalmente, em aumentos de níveis de produtividade.

* Em relação ao autocontrole das atividades desenvolvidas e às normas procedimentais: introduziu o controle com o objetivo de que o trabalho seja executado de acordo com uma seqüência e um tempo pré-programados, de modo a não haver desperdício operacional. Inseriu, também, a supervisão funcional, estabelecendo que todas as fases de um trabalho devem ser acompanhadas, de modo a verificar se as operações estão sendo desenvolvidas em conformidades com as instruções programadas. Finalmente, apontou que estas instruções programadas devem, sistematicamente, ser transmitidas a todos os empregados.

Frederick Winslow Taylor (Filadélfia, Pensilvânia, 20 de Março de 1856 - Filadélfia, Pensilvânia, 21 de Março de 1915) mais conhecido por F. W. Taylor, foi um engenheiro mecânico estadunidense, inicialmente técnico em mecânica e operário, formou-se engenheiro mecânico estudando à noite. É considerado o "Pai da Administração Científica" por propor a utilização de métodos científicos cartesianos na administração de empresas. Seu foco era a eficiência e eficácia operacional na administração industrial.

Sua orientação cartesiana extrema é ao mesmo tempo sua força e fraqueza. Seu controle inflexível, mecanicista, elevou enormemente o desempenho das indústrias em que atuou, todavia, igualmente gerou demissões, insatisfação e estresse para seus subordinados e sindicalistas.


O LIVRO
Taylorismo: Após 100 anos nada superou o modelo de gestão?
de Paulo Moreira da Costa (Organizador)


Número de Páginas: 148
Um livro que alinha o consagrado conceito taylorista aos novos modelos gestão em ascensão neste início de século XXI.

Em 1911, o engenheiro norte-americano Frederick Taylor criou um modelo de gestão que praticamente dominou o mundo empresarial no século XX, e ainda deve permanecer vivo por muitas décadas. Em linhas gerais, o Taylorismo, se caracteriza por ser um conceito que objetiva a execução do trabalho, em conformidade com instruções programadas e metodologia própria, para elevar os níveis de produtividade nas organizações. Com o passar do tempo, o modelo ganhou novos contornos, impulsionados, principalmente, pelo avanço tecnológico e os métodos de relacionamento interpessoal nas corporações. Taylorismo: após 100 anos, nada superou esse modelo de gestão? é uma reflexão que objetiva mostrar novos questionamentos e diálogos em torno da maneira taylorista de produzir. Elaborado por renomados profissionais com vivência prática nas empresas e na área acadêmica nas disciplinas de Administração e Ciências Sociais, o livro incita a realização de novos debates, palestras, seminários e publicações sobre o tema. Ações que contribuirão ainda mais para o alinhamento do taylorismo aos novos modelos gestão em ascensão neste início de século XXI. Afinal, em tempos modernos, só obterão lucro e eficácia corporativa as organizações que efetivamente readaptarem e modernizarem seus conceitos de gestão empresarial.

OS AUTORES
Organizador: Paulo Moreira da Costa é Doutor em Ciências Sociais e Mestre em Administração pela PUC-SP. Administrador pela FIMP-RJ. Avaliador do INEPMEC e Professor de Graduação e Pós-Graduação na Universidade Cruzeiro do Sul e na FASB – Faculdade de São Bernardo do Campo – SP.

Coautores: Edson Keyso de Miranda Kubo é Doutorando em Administração pela FGV-SP e Mestre em Administração pela Kobe University, Tókio, Japão. Administrador pela UNESP-SP. Atua como professor de Graduação e Pós-Graduação no IMES-SP e na Universidade Cruzeiro do Sul.

Ricardo Di Bartolomeo é Doutor em Ciências Sociais pela PUC-SP. Mestre em Administração pela Unifecap, graduado em Administração pela FAAB e Coordenador do curso de Administração da Uninove – Universidade Nove de Julho.

Christian Frederico da Cunha Bundt é Mestre em Administração pela UFSC e Administrador pela UFSM. Professor e Diretor Institucional da Faculdade Metropolitana de Curitiba. Atua como empresário do setor de indústria e serviços em São José dos Pinhais – PR.
Fernando de Almeida Santos é Doutor em Ciências Sociais pela PUC-SP. Mestre em Administração pela Universidade Mackenzie, Administrador pela Fundação Instituto de Ensino de Osasco e Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Católica Dom Bosco. Trabalha também, como Professor da PUC-SP e da Universidade São Judas Tadeu – SP.

Angela Lazagna é Doutoranda em Ciências Políticas. É Mestre em Sociologia e Graduada em Ciências Sociais pela Unicamp – Universidade Estadual de Campinas – SP.

UM LANÇAMENTO







LANÇAMENTO EM BH | COLEÇÃO AMORÍMPAR | MANOEL DE BARROS E MARIA GABRIELA LLANSOL.


clique para ampliar

Belo Horizonte sedia neste sábado (27/2) ‘2° Encontro de Twitteiros Culturais’

A contribuição das redes sociais para a literatura e a formação dos leitores
é o tema desta edição do ETC-BH, coordenado pela Estação do Saber.

Não há dúvidas de que as redes sociais já se tornaram grandes e populares veículos de comunicação e divulgação de idéias. Atualmente, no Brasil, a febre é o Twitter, microblog para troca de mensagens rápidas que vem ganhando espaço entre celebridades e anônimos.

Recente estudo divulgado em janeiro comprova o crescimento e a popularidade do Twitter no Brasil, que ocupa a segunda posição em número de usuários no mundo. O país responde por 8,8% do mercado da rede, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Para ampliar a discussão, como já acontece no mundo virtual, sobre a utilização de novas tecnologias de forma eficiente, principalmente, no segmento cultural, os twitteiros de Belo Horizonte se preparam para o 2º ETC-BH (Encontro de Twitteiros Culturais de Belo Horizonte). Com o tema “Twittando e lendo: twitter, livros e leitura”, o 2º ETC-BH será realizado neste sábado, 27 de fevereiro, às 16h30, no Espaço de Convívio do Uni-BH – Campus Diamantina (Rua Diamantina, 567 - Lagoinha), com entrada franca. A coordenação do evento é da Estação do Saber e este ano conta com Patrocínio da UNI-BH e apoio do Shopping Pátio Savassi.

A primeira edição do ETC-BH foi realizada em novembro de 2009. O objetivo do evento é mobilizar e reunir profissionais de literatura, música, cinema, multimídia, jornalismo e áreas afins, que são ligados em cultura e presentes no Twitter, para um debate democrático e descontraído, parecido com o que se encontra na própria página.

Segundo a coordenadora do ETC-BH, e sócia diretora da Estação do Saber, Júlia Ramalho Pinto, nesta segunda edição o objetivo é debater como as novas tecnologias podem colaborar para a literatura e a formação dos leitores.

Para conduzir os debates, que serão mediados por Julia Ramalho Pinto (@arpjulia), coordenadora do ETC-BH, foram convidados a jornalista e Mestre em Estudos de Linguagem, Raquel Camargo (@raquelcamargo); o Mestre em Lingüística, Wagner Carvalho (@wgnercarv) , professor do Uni-BH e Alan Alencar (@AlenAlencar), graduado em Ciências da Computação e especialista em novas tecnologias.

Sobre o ETC
O evento é uma iniciativa da Poiesis e do PUBLISHNEWS, com parceria da Estação do Saber. O encontro vem tomando proporções cada vez maiores, ao todo são 12 cidades participantes e 11 Estados. Em março, em Curitiba, na Conferência Internacional de Cidades Inovadoras (CICI), acontece o ETC Brasil. Julia Ramalho Pinto representará o @ETC_BH no evento.

O principal foco é reunir as ‘carinhas’ do Twitter em um relacionamento ao vivo, numa conversa descontraída, sobre assuntos variados, a relação do Twitter com a cultura, forma de utilização e como o Twitter pode auxiliar na difusão de informações para públicos não interessados na área. A platéia poderá interagir com perguntas e colocações.

O debate poderá ser acompanhado através do Twitter (www.twitter.com/@twiterBH) com postagem de frases e comentários ao vivo das apresentações e haverá transmissão via ustream pelo site da Estação do Saber (http://www.estacaodosaber.art.br).

Agenda: “ECT (Encontro de Twitteiros Culturais)”
Datas: 27 de fevereiro de 2010, sábado // Horário: 16h30.
Local: Uni-BH – Espaço de Convívio - Campus Diamantina (Rua Diamantina, 567 - Lagoinha)
Entrada Franca // Informações: (31)2551-7663

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

EXPOSIÇÃO IMPERDÍVEL


clique para ampliar

NYTimes lançará site de notícias locais com estudantes de jornalismo

O jornal New York Times anunciou nesta segunda-feira (22/02), a parceria com a New York University para a criação de um novo site de notícias com conteúdo local sobre o East Village, em Nova York.

O site "The Local East Village" será mantido por estudantes de jornalismo da universidade, que serão coordenados por Richard G.Jones e Mary Ann Giordano, veteranos do NYTimes. Além de Jones, professores da universidade acompanharão o trabalho dos estudantes.

"Esta colaboração com o The New York Times, enfatiza o nosso compromisso com os mais elevados padrões jornalísticos na prestação de um modelo inovador de fonte de notícias e informações sobre e para nosso bairro", afirmou Brooke Kroeger, diretor de Jornalismo da universidade.

Maria Zeferina confirma participação na Meia Maratona de São Paulo

Leia mais em

CAMISA DE VÊNUS

O CAMISA DE VÊNUS FARÁ MAIS UMA APRESENTAÇÃO EM SALVADOR ANTES DE PROSSEGUIR COM TURNÊ POR OUTRAS CAPITAIS, COM REPERTÓRIO SELECIONADÍSSIMO CONTENDO AS MELHORES MÚSICAS DA BANDA, EXECUTADAS COM OS ARRANJOS ORIGINAIS DOS ANOS 80.

O SHOW SERÁ DIA 27/02 (PRÓXIMO SÁBADO) NA GROOVE - AL. MARQUES DE LEÃO - BARRA ÀS 22:00 H

2ª Sessão do Teste de Audiência na CAIXA Cultural Curitiba

Os aficionados por cinema podem conferir mais um filme da nova safra brasileira

O Teste de Audiência, projeto idealizado e produzido pelos cineastas e produtores Marcio Curi e Renato Barbieri, apresenta na terça (02) no Teatro da CAIXA, a 2ª sessão de 2010.

O projeto Teste de Audiência

As produções cinematográficas não se sustentam apenas pelo suporte financeiro e pelo espaço para a exibição, é fundamental que as narrativas tenham força e contagiem o público. O aprimoramento da narrativa, do amadurecimento da linguagem cinematográfica e do aprofundamento do diálogo entre cineastas e público justifica a existência e permanência do Teste de Audiência no espaço da CAIXA Cultural Curitiba.

O projeto exibe no Teatro da CAIXA, uma vez por mês, um filme brasileiro ainda em fase de finalização. Por meio de um questionário tabulado pela equipe de pesquisadores a plateia emite sua opinião sobre diversos aspetos do filme como roteiro, trilha, duração, personagens, além de peças promocionais como cartaz e trailer. Ao final, um debate com o diretor/produtor dá chance ao público de fazer perguntas, críticas e elogios. O projeto assemelha-se aos screening tests já tradicionais no cinema internacional.

Subsidiados pelo material obtido na sessão, como os questionários e áudio do debate, os produtores e diretores dos filmes tem uma visão privilegiada dos valores do filme e da percepção do público. Isso pode ajudar nas tomadas de decisões relevantes para o aprimoramento da montagem e para a elaboração da estratégia de lançamento.

Entre os diretores que já participaram do teste, estão: André Klotzel, Alain Fresnot, Anna Muylaert, Marco Altberg, Toni Venturi, Paulo Morelli, José Eduardo Belmonte, Lina Chamie, dentre outros.


Serviço:

Cinema: Teste de Audiência – 4ª Temporada

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba/PR

Data: 02 de março

Horários: terça 19h30

Ingressos: Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro, no dia do evento, a partir das 18h

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Não recomendado para menores de 16 anos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

Renomado pianista internacional se apresenta no Grande Teatro do Palácio das Artes




Em concerto especial gratuito, o pianista David Gómez irá se apresentar na capital mineira, no dia 27 de fevereiro, às 18h30, no Grande Teatro do Palácio das Artes. A apresentação está sendo promovida pelo Instituto Cervantes, órgão oficial do Governo da Espanha e difusor da cultura hispânica, em parceria com a Fundação Clóvis Salgado.

David Gómez trará em seu repertório obras dos compositores clássicos Bach, Mozart, Piazzolla e Chopin. Na performance, que terá cerca de uma hora de duração, o músico também apresentará uma obra do compositor cubano Ernesto Lecuona. David prepara uma homenagem a este compositor cubano em um novo CD, com gravações de temas de Lecuona, que está sendo preparado para ser lançado.

Perfil David Gómez

Nascido em 1974, David Gómez teve seus primeiros contatos com a música ainda muito jovem, através de Marta Christel. Posteriormente estudou com Emilio Muriscot e Claudie Desmeules, professora do Conservatório de Genebra. Ampliou seus estudos com o pianista Michael Davidson no Conservatório de Rotterdam (Holanda), onde formou-se também em direção orquestral e Tango para piano.
Seu primeiro recital foi aos 14 anos e, desde então, tem realizado numerosos recitais na qualidade de solista, apresentando-se nas mais prestigiadas salas da Europa, Ásia, Estados Unidos e Oriente Médio. Gravou o cd "A. Piazzolla. Tangos para piano", que fez imenso sucesso em diferentes cidades européias. Atualmente prepara outra gravação, com o compositor cubano E. Lecuona.
Suas atuações têm recebido reconhecimento internacional desde o ano de 2000, até a atualidade. Foi premiado várias vezes em concursos como por exemplo: Primeiro Prêmio do II Concurso de Piano "Miguel Ballester I Serra", segundo lugar no V Concurso Internacional de Piano "Pio Tur" e no Nacional de Piano "Antoni Torrandell", terceiro prêmio no "Arte Joven 97" e finalista na "Doelen Competition" ( Holanda).

Programa:
J.S.Bach: Suite francesa n.2 en Do menor
- Allemana
- Corranda
- Zarabanda
- Aria
- Minuetto
- Giga

F.Chopin: Cinco valses

F.Mompou: Impresiones íntimas
- Pájaro Triste
- Gitano

J.Turina: Danzas gitanas
- Generalife
- Sacro-Monte

E.Lecuona: Suite española
- Gitanerías
- Malagueña





Serviço Evento: David Gómez - Concerto Especial Local: Grande Teatro do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537 – Centro) Data: 27 de fevereiro Horário: 18h30 Duração: 1 hora Classificação etária: 8 anos Entrada Franca Informações: (31) 3236-7400

Dia 28 – Gaura Purnima (Lua Dourada)


Aparecimento de Sri Krishna Chaitanya Mahaprabhu!


leia mais em
****

HOJE - QUARTA


:: Dia 24 |Quarta-feira

Piano-bar

21h30

Quartas Mal Ditas

Tema: 2010 - Ano Internacional da Biodiversidade


Convidada especial: Ana Sofia Reboleira (Bioespeleóloga, Univ. de Aveiro)

Organização e colagem de textos: Anthero Monteiro.

Leituras por: António Pinheiro, Diana Devezas, Isabel Marcolino, Luís Carvalho, Mário Vale Lima, Manuela Correia, Marta Tormenta, Rafael Tormenta.


Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Fernando Albuquerque Dois cursos de Astrologia


Fernando Albuquerque
Dois cursos de Astrologia
a iniciar em Abril 2010

Porto:
Início a 6 de Abril

Braga:
Início a 8 de Abril

Consultas individuais em Lisboa, Porto e Braga:
sob marcação prévia.


... um nome conceituado junto das empresas...

Há mais de 20 anos que a Astrologia faz parte da sua vida. A investigação que tem desenvolvido nesta área faz de Fernando Albuquerque um nome conceituado nomeadamente junto das empresas e das diversas pessoas a quem tem ajudado a interpretar e perceber os caminhos que percorrem, bem como as decisões que tomam.

Actualmente, Fernando Albuquerque dedica-se ao desenvolvimento de softwares de pesquisa e à consultadoria de empresas, onde aplica na prática as suas competências em astrologia empresarial. Paralelamente, mantém as suas consultas individuais e vai iniciar no próximo mês de Outubro, pelo menos, dois cursos de Astrologia, a pedido da
Indian Rose.


Cada curso tem 4 níveis, de 36 horas cada nível.
São 12 aulas por cada nível, com a duração média de 3horas, cada aula.
Com periodicidade de uma vez por semana.

Local: Circulo de Luz
Rua Heróis de África, nº 456,
4450 Leça da Palmeira
Tel.: 96 378 10 12
circulodeluz@sapo.pt


Organização: Indian Rose - Eventos
www.indianrose.pt

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Editora é obrigada a retirar livro “Lula do Brasil” das livrarias

A Geração Editorial foi obrigada a recolher todos os exemplares do livro "Lula do Brasil - A História Real, do Nordeste ao Planalto", do jornalista inglês, Richard Bourne, das livrarias brasileiras, informa a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo desta sexta-feira (19/02). A obra, escrita pelo ex-repórter do The Guardian, trata da biografia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A editora cumpre decisão liminar da Justiça do Rio de Janeiro, movida pelo cineasta Luiz Carlos Barreto, que alega que a capa da publicação é muito parecida com o cartaz de seu filme "Lula, o Filho do Brasil".

A Geração Editorial reconheceu a “inspiração”, mas disse que não agiu de má fé e prepara uma nova capa para que o livro volte a ser vendido.

Caso a editora não cumpra o recolhimento da publicação, deve pagar uma multa diária de R$ 50 mil por dia. O editor Luiz Fernando Emediato pediu à Justiça que não seja punido por casos isolados de livros remanescentes nas prateleiras. Emediato alega que, por mais esforço que seja feito, o recolhimento completo dos exemplares é "humanamente e logisticamente impossível".

O editor criticou o processo e afirmou que sempre foi "um dos principais conselheiros do presidente da Força Sindical, que está orientando seus 1.800 sindicatos" a apoiarem o filme de Barreto.

As informações são da Folha de S.Paulo.

Fundação Cultural publica edital para Paixão de Cristo


Grupos interessados devem apresentar os projetos e a documentação necessária até o dia 1º de março

A Fundação Cultural de Curitiba lançou o edital público que vai selecionar grupos interessados em apresentar projetos para a encenação da Paixão de Cristo na Pedreira Paulo Leminski e nas Regionais de Curitiba. Serão selecionados até quatro projetos, sendo um para a Pedreira, dois para encenações nas regionais Boa Vista e Bairro Novo e outro em uma Regional a ser definida entre as da Fazendinha, Boqueirão, Portão, Santa Felicidade e CIC.

Serão investidos nas encenações R$ 222 mil. O prazo para inscrição dos projetos e entrega da documentação necessária encerra no dia 1º de março. Os formulários devem ser entregues no Setor de Protocolo da Fundação Cultural, na R. Engenheiros Rebouças, 1732, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30. O Edital, regulamentos e formulários de inscrição estão disponíveis em www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br , link “Lei de Incentivo”, menu “Editais de Inscrições”.

As encenações acontecem na Sexta-Feira Santa, dia 2 de abril. Nas Regionais, os espetáculos terão entrada franca. Na Pedreira Paulo Leminski será cobrado um ingresso simbólico que consiste na doação de um quilo de alimento não perecível, a ser repassado à Fundação de Ação Social (FAS) e distribuído para entidades assistenciais. Podem se inscrever pessoas físicas ou jurídicas, domiciliadas em Curitiba, mas os proponentes deverão comprovar experiência anterior na produção de espetáculos culturais.

A seleção dos projetos será feita por um grupo técnico de análise, formado por até três integrantes indicados pela Fundação Cultural de Curitiba. Na seleção, será avaliada a documentação técnica e jurídica e feita a análise do projeto, sendo que um dos itens de maior peso é o currículo do proponente.



Serviço:

Edital Público - Paixão de Cristo

Inscrição: até 01 de março de 2010

Local: Setor de Protocolo da Fundação Cultural, (R. Engenheiros Rebouças, 1732), das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30.

Informações: www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Gibiteca recebe inscrições para cursos do primeiro semestre

Na programação há opções de cursos de História em Quadrinhos, Mangá e língua japonesa.

A Gibiteca de Curitiba (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro), uma das unidades da Prefeitura Municipal, está com inscrições abertas para os cursos de História em Quadrinhos – HQ (níveis Básico, Intermediário e Avançado), além dos cursos de Mangá (História em Quadrinhos japonesa) e língua japonesa (nível básico). As aulas têm início em março e os alunos contam com opções de turmas em dias e horários diferenciados. Qualquer um dos cursos tem custo mensal de R$ 40 e o pagamento da primeira mensalidade deve ser feito no ato da matrícula. Informações no local ou pelo telefone (41) 3321-3250.

Confira a grade de programação:

HQ NÍVEL BÁSICO

Terças-feiras

Professor: André Caliman

Período: 9 de março a 22 de julho de 2010

Horário: das 16h às 18h

Vagas: 25



Quintas-feiras

Professor: André Caliman

Período: 4 de março a 24 de junho de 2010

Horário: das 14h30 às 16h30

Vagas: 25



Sextas-feiras

Professor: Fulvio Pacheco

Período: 5 de março a 2 de julho de 2010

Horário: das 16h às 18h

Vagas: 25



Sábados

Professor: José Aguiar

Período: 6 de março a 3 de julho de 2010

Horário: das 14h às 16h

Vagas: 30



HQ NÍVEL INTERMEDIÁRIO

Quartas-feiras

Professor: André Caliman

Período: 10 de março a 30 de junho de 2010

Horário: das 14h30 às 16h30

Vagas: 20



HQ NÍVEL AVANÇADO

Sábados

Professor: José Aguiar

Período: 6 de março a 3de julho de 2010

Horário: das 16h30 às 18h30

Vagas: 20



CURSO DE MANGÁ

Segundas-feiras

Professor: Fulvio Pacheco

Período: 8 de março a 21 de junho de 2010

Horário: das 16h às 18h

Vagas: 25



Sextas-feiras

Professor: Adilson Orikassa

Período: 5 de março a 2 de julho de 2010
Horário: das 9h30 às 11h30h
Vagas: 25



CURSO BÁSICO DE LÍNGUA JAPONESA

Quartas-feiras

Professora: Lina Saheki

Período: 10 de março a 30 de junho de 2010
Horário: das 17h às 18h30
Vagas: 15

PROGRAMAÇÃO - CENTRO CULTURAL ALBERTO MASSUDA

A arte e a cultura sempre estiveram presentes na vida de Alberto Massuda, que nasceu no Cairo, Egito, em 1925. Depois de estudar Belas Artes na Universidade do Cairo, foi para Itália fazer curso de Cenografia de Cinema. Com 33 anos veio para o Brasil, e fixo residência em Curitiba, onde seis anos mais tarde se naturalizou brasileiro.

Considerado o precursor do Jovem Surrealismo Paranaense, Alberto Massuda esteve á frente de importantes movimentos artísticos no Estado, como a Associação Paranaense de Artistas Plásticos. Também foi premiado no 16° Salão Paranaense e São do Desenho; e trabalhou com diversos projetos como O artista plástico e a criança, Arte-13 Curitiba e a Arte e a Crítica.

Foi um dos cinco artistas paranaenses que fundaram o Grupo Um, que tinha como proposta facilitar o acesso aos locais de exposição para jovens artistas. Hoje as obras de Alberto Massuda fazem parte do acervo de diversos museus, como o de Arte do Cario, Arte Moderna de Alexandria, Arte Contemporânea do Paraná, Arte do Paraná e Arte de Joinville. Bem como, fazem parte de coleções particulares que estão em locais como Roma, Paris, Tel-Aviv, Varsóvia e Buenos Aires.


CENTRO CULTURAL ALBERTO MASSUDA



PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA



AS EXPOSIÇÕES SERÃO REALIZADAS NA GALERIA DO CENTRO CULTURAL ALBERTO MASSUDA

(Rua Trajano Reis, 443 – Centro Histórico)



- DESENHOS INÉDITOS DE ALBERTO MASSUDA

Lançamento exposição: 22/02 às 19:30h / Entrada Franca

Exposição de 22/02 à 16/03 das 19:30h às 24h de segunda à segunda.



- ALVARO BORGES JR.

Exposição de 18/03 à 17/04 das 19:30h às 24h de segunda à segunda.



- RENE TOMCZAK

Exposição de 22/04 à 20/05 das 19:30h às 24h de segunda à segunda.







PROGRAMAÇÃO MUSICAL ESPECIAL

FESTIVAL “UMA VIAGEM AO MUNDO DA MÚSICA”

* 03 de Março – JAZZIN´S BLUES

Homenagem às Divas do Jazz – Artistas: Selma Baptista e Gebran Sabbag



* 17 de Março – TRIBUTO A RAY CHARLES

O melhor do ídolo Ray Charles.

Artistas: Bernardo Manita e Banda



* 7 de Abril – TANGOS E BOLEROS

Coletânea dos melhores tangos e boleros.

Artistas: Luiz Seman e Banda



* 14 de Abril – REVIVENDO ELIS REGINA

Homenagem a cantora e aos seus maiores sucessos.

Artistas: Cris El Taran e Banda.







PROGRAMAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL



Todas as quintas, sextas e sábados o Espaço Alberto Massuda possui uma programação musical com os melhores estilos e músicos de Curitiba.



QUINTA – JAZZ INSTRUMENTAL

Artistas: Gebbran Sabbag e Saul Trumpete



SEXTA – JAZZ TRADICIONAL

Artistas: Saul Trumpete, F. Montanari, J.A. Boldrini e Cris El Taran



SÁBADO – JAZZ E BOSSA NOVA

Artistas: Cris El Tarran, F. Montanari e J.A. Boldrini

Os maiores acordeonistas brasileiros reunidos em Curitiba

CAIXA Cultural Curitiba promove o Encontro Brasileiro do Acordeom

Acontece, de sexta (26) a domingo (28), o Encontro Brasileiro do Acordeom na CAIXA Cultural Curitiba. O evento, que já aconteceu na CAIXA em Brasília, reúne cinco dos maiores acordeonistas brasileiros: os mestres Dominguinhos, Oswaldinho do Acordeom, Renato Borghetti e os jovens talentos Alessandro Kramer e Luciano Maia. Um encontro de gerações e de regiões, onde predomina o som deste instrumento no contexto da música regional e popular brasileira.

O show apresenta um repertório do cancioneiro popular e das grandes músicas do acordeom e explora de maneira inovadora toda sua musicalidade e sonoridade. As performances são a junção do clássico com o improviso, do nativismo com o contemporâneo, do sul com o nordeste e variam entre solos, duos e o encontro dos cinco instrumentistas, que já participaram de diversos projetos em conjunto. O objetivo é “fazer com que as pessoas conheçam o acordeom, mostrar que o instrumento, que é parte tão grande da cultura do Rio Grande do Sul e do Nordeste, está vivo”, segundo Luciano Maia. “Queremos divulgar o repertório que está um pouco esquecido e os tantos talentos que temos no país”, completa o músico.

O acordeom, criado na Europa, é um instrumento que servia como uma orquestra portátil. Tem forte influência na música brasileira, com destaque para a música regional gaúcha e nordestina e é imprescindível na história da música brasileira. Atualmente vem sendo redescoberto, dando bons ares em gravações de cantores país a fora.

O Encontro Brasileiro do Acordeom tem o desenho do multiinstrumentista Arismar do Espírito Santo, acompanhado de uma banda de base excepcional, que amarra de maneira perfeita a entrada e saída dos músicos, a escolha das músicas, em momentos de extrema energia e outros de grande sutileza e perfeição. O encontro destes cinco acordeonistas é uma oportunidade única de se presenciar de uma só vez o talento raro desses artistas.

Os acordeonistas

Dominguinhos - o pernambucano José Domingos de Moraes, nascido em 1941, começou a tocar e compor aos oito anos de idade. Aos nove anos conheceu Luiz Gonzaga, que achou que o menino tinha futuro, em pouco tempo passou acompanhar o músico em shows, viagens e gravações de discos, se tornando seu herdeiro musical. O músico, conhecido também pelas composições, já fez gravações e turnês com Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânia, entre outros. Ao lado de Gilberto Gil, assina algumas composições como "Lamento Sertanejo" e "Abri a Porta". Seus maiores sucessos foram "Tantas Palavras", com Chico Buarque, "De Volta para o Aconchego", com Nando Cordel, gravada por Elba Ramalho e "Isso Aqui Tá Bom Demais". Já gravou mais de 30 discos, compões trilhas para cinema e venceu quatro prêmios Sharp. Seu último trabalho é o CD "Dominguinhos ao Vivo", no qual apresenta a excelência do forró ao lado de orquestra, trompete, trombone e violino.

Oswaldinho do Acordeom – o carioca Oswaldo de Almeida e Silva tocava sanfona profissionalmente aos 12 anos com ajuda de Pedro Sertanejo, precursor do forró em São Paulo e seu pai. Estudou no Conservatório Dante, em Milão e foi atração no Festival do Campeonato Mundial de Acordeon.

Teve a oportunidade de abrir o show de All Jarreau, na França e participar de projetos como Pixinguinha, USTOP, Free Jazz Festival, Festival de Montreal, Rock in Rio, Festival de Jazz de Montreux (Suíça), Festival de Jazz de Chateauvallon (França), Juan Les Piñs (França), Blue Note (Nova Iorque), Ball Room (Nova Iorque), Show de 500 anos de Descobrimento, Acústico MTV Rita Lee e Festival de Amiens (França). Oswaldinho executa, com excelência, Astor Piazzola, John Lennon, Bach e Beethoven, além do repertório de música popular brasileira e nordestina. Atualmente, com 22 discos gravados, está lançando pela gravadora Kuarup, seus mais novos CDs: “Asa Branca Blues” e “Um Bom Forró”. Seu currículo registra gravações com estrelas como Elba Ramalho, Edson Cordeiro, Caetano Veloso, Jackson do Pandeiro, Lobão, Raul Seixas, Ney Matogrosso, Nara Leão e Milton Nascimento, até Paul Simon, Manu Di Bango, Didier Lockwood e Cassiopéia.

Renato Borghetti - Aos 16 anos subiu ao palco, pela primeira vez profissionalmente, em um dos muitos festivais nativistas que efervesciam no Rio Grande do Sul, nos anos 80. A forma como tocava, com muita entrega e energia, causava forte impressão em quem conhecia as imensas limitações do seu instrumento, a gaita-ponto e assim surgiu a fama de Renato Borghetti. O primeiro disco veio em 1984 e, desde então, Renato Borghetti vem crescendo em popularidade e amadurecendo sua música. Ele alterna trabalhos mais simples e gauchescos com momentos de maior sofisticação e acenos para o jazz e a música erudita. Ainda na década de 80 deu canjas com nomes como Leon Russel e Edgar Winter; participou com sucesso do extinto Free Jazz Festival e se apresentou em cidades que vão de Munique e Stuttgart a Maceió. Tocou com orquestras como a de Câmara do Teatro São Pedro e a Sinfônica de Porto Alegre. Em 1991, Renato Borghetti recebeu o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte como melhor disco do ano na categoria regional, e o convite para integrar o Projeto Asa Branca, quando teve a oportunidade de fazer shows por toda a década ao lado de Sivuca, Dominguinhos, Elba Ramalho, Alceu Valença, entre outros. Hoje, depois de 24 trabalhos gravados, Renato Borghetti é um dos principais representantes da música instrumental gaúcha, com sólida carreira internacional.

Alessandro Kramer - o gaúcho de 29 anos ganhou seu primeiro acordeon aos oito. Com a banda Dr. Cipó gravou três discos. Finalista do prêmio Visa 2007– Edição Instrumental, Alessandro Kramer foi considerado pela crítica européia revelação do Festival do Acordeon Mundial, na edição de 2004, realizado na Áustria, tendo tocado ao lado de músicos como Richard Galeano. Ao longo da carreira, Kramer tem dividido palcos no mundo com nomes como Toninho Horta, Yamandú Costa, Hermeto Pascoal, Alegre Corrêa, Guinga, Arismar e Thiago do Espírito Santo. No último mês de abril, tocou em seis cidades da Alemanha e Áustria com Alegre Corrêa e Guinha Ramirez. Esteve presente no Teatro da CAIXA em janeiro deste ano, no Circuito OFF de Música.

Luciano Maia - Um dos mais respeitados acordeonistas do sul do país na atualidade o gaúcho integrou o tradicional grupo Quero-Quero. Seu primeiro trabalho solo foi “Sonho Novo”, gravando posteriormente “Minha Querência”. Maia participou do projeto “Gaitaço de Sucessos”, que trazia regravações de clássicos do cancioneiro gaúcho. Hoje celebra com orgulho o lançamento do seu quarto CD: “Cruzando a Pampa”, indicado pelo jornal Zero Hora como um dos cinco melhores CDs regionais de 2007 e Prêmio Açorianos de Música como melhor disco regional do ano.

Maia já dividiu o palco com grandes músicos, como Gaúcho da Fronteira, Joca Martins, Luis Marenco, Oscar dos Reis, Renato Borghetti, Neto Fagundes e Rogério Melo, além dos mestres Dominguinhos, Hermeto Pascoal e Arismar do Espírito Santo. Seu nome aparece em mais de 80 discos, entre CDs solo, parcerias, participações especiais, projetos culturais e gravações independentes. O artista também atua como produtor musical, compositor e arranjador, acumulando no currículo a produção dos trabalhos de César Oliveira e Rogério Melo, Joca Martins, Marcelo Oliveira, Felipe Araújo e Abramo Machado e Berenice Azambuja.

Serviço:


Música: Encontro Brasileiro do Acordeom

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: de 26 a 28 de fevereiro

Horários: sexta e sábado 21h e domingo 19h

Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

TONINHO FERRAGUTTI SOLO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA

Acordeonista inaugura a temporada 2010 do projeto Solo Música

A CAIXA Cultural apresenta, na terça (23), a estreia da temporada 2010 do projeto Solo Música, que em 2009 foi um sucesso de público e crítica. A nova temporada prevê 11 concertos, iniciando com Toninho Ferragutti.

O Solo Música apresenta um recital por mês, sempre às terças-feiras, nos quais são exibidas apresentações raras, com artistas solo tocando instrumentos que dificilmente são mostrados em outras programações culturais. A série foi desenvolvida a partir de uma observação dos espaços culturais da cidade. Segundo o produtor Álvaro Collaço, a série é exclusiva, pois diversifica os instrumentos e gêneros na mesma programação.

A Série não privilegia um gênero musical definido, mas a diversidade cultural em solo, promovendo assim uma aproximação entre a música instrumental e erudita, sendo que a única ligação entre os recitais apresentados é o fato de estar no palco um único músico, cuja característica principal é ter absoluta segurança na sua qualidade como instrumentista e intérprete.

Já passaram pelo Teatro da CAIXA, na temporada 2009, o norte-americano Tracy Silverman (violino elétrico), Marlui Miranda (música indígena), Zoltan Paulinyi (viola pomposa), Pereira da Viola (viola brasileira), Ângelo Esmanhotto (sarod), Cristina Braga (harpa), Rodrigo Capistrano (saxofone) e Caíto Marcondes (percussão).

Toninho Ferragutti

Toninho Ferragutti é músico acordeonista e compositor, natural da cidade de Socorro, interior do Estado de São Paulo. É filho de Pedro Ferragutti, também músico saxofonista e compositor. O estudo de música teve início em casa com seu pai e nas rodas de choro, grupos de baile, grupos de música gaúcha, gafieiras, conservatório e aulas particulares de harmonia e acordeom. Cursou três anos de veterinária na Unesp de Botucatu, curso que abandona no último ano para se mudar definitivamente para São Paulo, onde começa sua carreira como músico profissional.

Iniciou nos programas de televisão, gravações de discos e gravações de trilhas para cinema, novelas e atuando em shows e CDs de grandes artistas nacionais (Mônica Salmaso, Antônio Nóbrega, Elba Ramalho, Chico César, Lenine, Elza Soares, Grupo Corpo, Marisa Monte, Mario Adnet e Proveta, entre outros) e em grupos de música instrumental, participações como solista da Orquestras Jazz Sinfônica de São Paulo, sob a regência de Ciro Pererira, Nelson Ayres, da Orquestra Petrobras Pró-musica, sob a Regência de Wagner Tiso e Isaac Karabichevsky e também na orquestra da maestrina e compositora americana Maria Schneider.



Serviço

Projeto Solo Música – Toninho Ferragutti – Acordeom

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba/PR

Data: 23 de fevereiro

Horários: terça 20h30

Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

CARNAVAL

LEIA OS RESULTADOS DOS DESFILES EM

9ª Bienal do Livro abre inscrições para o concurso de redação “A Bienal nas Escolas”

Os alunos do ensino Fundamental II e Médio das escolas públicas
privadas do Ceará já podem inscrever suas redações para
participar do concurso “A Bienal nas Escolas”. Parte da
programação da 9ª Bienal Internacional do Livro do Ceará, que
ocorre de 9 a 18 de abril em Fortaleza, o concurso tem por objetivo
fomentar a pesquisa, a criatividade, a originalidade e o raciocínio
dos estudantes. Esse ano, o tema escolhido para as redações foi
“Ser culto é a única forma de ser livre”, frase do poeta libertário
cubano José Martí.

O concurso de redação é uma ação da Coordenação de Políticas do
Livro e de Acervos da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará
(Secult/CE). Além de premiar oito alunos – quatro da escola
pública e quatro da particular - em duas categorias - escola
particular e escola pública, dividas em duas subcategorias
Fundamental II (6º a 9º ano) e Ensino Médio (1º a 3º ano) - a
Secult publicará e lançará durante a Bienal um livreto contendo as
vinte melhores redações participantes.

As escolas de origem dos premiados receberão um acervo de livros
a ser integrado às suas bibliotecas, favorecendo, assim, toda a
comunidade escolar (gestores, coordenadores, professores,
funcionários, pais e alunos).

O Regulamento do Concurso, os formulários específicos, a folha
padrão de Redação e o Guia de Visitação Escolar estão disponíveis
no sítio da SECULT (www.secult.ce.gov.br). As redações podem ser
entregues nas próprias escolas dos participantes entre os dias 18
de janeiro e 19 de fevereiro de 2010. O resultado será divulgado
no Diário Oficial do Estado, no site da SECULT e durante a
abertura da 9 Bienal Internacional do Livro acontecerá a cerimônia
de entrega de prêmios aos vencedores. Tal evento acontecerá no
dia 9 de abril de 2010 a partir das 19h no Centro de Convenções
do Ceara.

Concurso de Redação "A Bienal nas Escolas"
Inscrições: de 18 de janeiro a 19 de fevereiro
Participantes: alunos do Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) e
Ensino Médio (1º a 3º ano)
Informações: 3101.6785

O ENIGMISTA de Ian Rankin


O ENIGMISTA
de Ian Rankin

544 páginas

John Rebus, o detetive escocês amargurado mas persistente às raias da obsessão, investiga o desaparecimento de Philippa Balfour, estudante de história da arte e filha de banqueiro. David Costello, o namorado da garota, desponta como principal suspeito, além de agir como tal: é um pouco arrogante, leva uma vida descuidada de playboy boêmio, financiada pela família abastada, e não parece despertar muita simpatia em ninguém.

Como sempre acontece nas tramas que protagoniza, Rebus conta com o apoio, por vezes recalcitrante, de seus colegas policiais: a empenhada Siobhan Clarke, o deslumbrado Grant Hood, a insegura Ellen Wylie, e Gill Templer, agora recém-promovida a inspetora-chefe, cargo no qual procura se firmar, depois da aposentadoria do "Fazendeiro" Watson, seu antecessor. É com esse time que Rebus enfrentará um intrincado novelo de pistas, que incluem misteriosas miniaturas de caixões com sinistras bonecas dentro e um elusivo Enigmista, personagem que comanda um jogo na internet cujos desafiadores quebra-cabeças podem levar à elucidação do misterioso desaparecimento da jovem Philippa. Sem falar na presença quase palpável da própria cidade de Edimburgo, com seu tecido de paisagens, ruas, bares, museus e monumentos, que adquirem estatuto de personagem vivo e atuante do livro.

Rebus, protagonista de mais de uma dezena de best-sellers mundiais de alta qualidade assinados pelo escocês Ian Rankin, já tem seus fãs de carteirinha no Brasil. A hipnótica fluência de sua narrativa, que não depende de ações violentas ou mirabolantes e intercala sutilmente reflexões existenciais e investigativas com diálogos rápidos e atilados, sem jamais perder a chance de dar mais uma voltinha no parafuso da trama a cada cena, está certamente na base dessa acolhida.


A CRITICA

"Rankin é o mestre do moderno romance policial climático, operando no mesmo alto nível de Ruth Rendell, Reginald Hill e P. D. James." - The Wall Street Journal

"Ao cabo de um dos livros de Rankin, você se sente imerso no caudaloso corpo de Edimburgo desde a superfície até suas mais obscuras profundezas." - Los Angeles Times

O AUTOR
Ian Rankin
Nasceu em Fife, Escócia, em 1960. Formou-se pela universidade de Edimburgo. Foi coletor de impostos, jornalista, músico punk e professor antes de se tornar escritor premiado. Rankin criou o detetive-inspetor John Rebus, protagonista de uma longa série, inaugurada em 1987 com Knots & crosses.



UM LANÇAMENTO





SETOR 27 - O SEGREDO DO IMPERADOR


SETOR 27 - O SEGREDO DO IMPERADOR
de DANIEL PEDROSA



Páginas: 288


No auge do regime militar, às vésperas do anúncio do Ato Institucional n.º5, um segredo guardado por mais de sete décadas é apreendido na cidade do Rio de Janeiro. Com ele, um grupo de militares, liderado por um oficial sem escrúpulos, leva sob custódia o único homem capaz de desvendar seu mistério. Quarenta anos depois, um atentado terrorista dentro da maior hidrelétrica do mundo, aparentemente articulado por um louco, tem ligações diretas com este acontecimento do passado. Sem conhecer seus motivos, um dedicado defensor público e uma bela historiadora decidem sair em busca da verdade, encontrando sob o reflexo das águas, um lugar há muito tempo escondido.

Um estilo de narrativa objetivo e inteligente desenvolvido através de histórias atuais e surpreendentes, é a característica mais marcante encontrada em seus textos.Atualmente, reside em São José dos Campos, interior de São Paulo, dividindo seu tempo entre o trabalho, a família e a literatura.


O AUTOR

Daniel Pedrosa nasceu no inverno de 1975, na cidade de São Paulo. Engenheiro e escritor, iniciou sua trajetória literária em 2007 com a publicação do Romance No Relógio da Colina pela editora Novo Século. Neste mesmo ano recebeu seu primeiro premio literário com o conto de mistério intitulado O Espírito da Floresta.






UM LANÇAMENTO