segunda-feira, 29 de março de 2010

ABRINDO A ARCA DA ALIANÇA: DO MITO À HISTÓRIA

ABRINDO A ARCA DA ALIANÇA: DO MITO À HISTÓRIA

de Frank
Joseph e Laura Beaudoin

Páginas: 288


"O que é exatamente a Arca da Aliança? De onde ela veio? Onde está agora? As respostas que você encontra nesta nova obra vão deixá-lo surpreso, empolgado e, às vezes, quem sabe, até mesmo com medo, mas vão sempre mantê-lo a par dos fatos. A Arca de muitos nomes, as culturas de muitas faces, os pormenores de vários indivíduos e seus papéis, tudo se reúne aqui para provar que nem a história nem o futuro são mais o que costumavam ser."

- Lee Pennington, produtor de documentários arqueológicos

A Arca da Aliança é ao mesmo tempo o mais famoso e o mais desconcertante objeto da história. Embora seja citada com mais frequência que qualquer outro artefato, do inicio ao fim do Antigo Testamento, e tenha sido descrita como o bem mais precioso dos antigos hebreus, seu verdadeiro significado e seu destino final eram completamente desconhecidos... até agora.

Graças a uma pesquisa de âmbito mundial sobre seu desapare­cimento, o autor Frank Joseph apurou que a Arca não era uma sim­ples lenda; nem era apenas uma caixa rebuscada para armazenar os Dez Mandamentos originais. Ela foi, afirma o autor, construída propositalmente para utilizar os poderes da Terra em proveito da continuidade da existência física da humanidade e de sua evolução espiritual. É, portanto, a riqueza mais valiosa que o ser humano jamais possuiu.


OS AUTORES

FRANK JOSEPH é editor chefe da Ancient American, uma revista de divulgação científica voltada para visitas de além-mar ao nosso continente séculos antes de Colombo. Seus livros incluem The Atlantis Encyclopedia e Discovering the Mysteries of Ancient America. Joseph vive com a esposa e o filho em Wisconsin. LAURA BEAUDOIN é descendente direta dos reis cruzados que governaram Jerusalém nos séculos XII e XIII. Ex-executiva de televisão em Los Angeles, acabou se dedicando a investigar o que, na história de sua família, diz respeito à Arca da Aliança.



UM LANÇAMENTO






***

O Cinema de Quentin Tarantino


O Cinema de Quentin Tarantino

de Mauro Baptista



Coleção: Campo imagético

Nº Páginas: 144

Para Profissionais do cinema, pesquisadores, estudantes e cinéfilos.


Este livro analisa a obra de uma das figuras mais cultuadas da atualidade: o cineasta Quentin Tarantino. Ao estudar os sete longas-metragens escritos e dirigidos por ele entre 1992 e 2009 – Cães de aluguel, Pulp fiction, Jackie Brown, Kill Bill 1 e 2, À prova de morte e Bastardos inglórios –, Mauro Baptista mostra por que Tarantino pode ser considerado um dos grandes nomes da arte cinematográfica.

O livro estuda vários tipos de cinema que são fundamentais para entender o eclético trabalho desse diretor: o cinema clássico americano dos anos 1940 e 1950, com destaque para Howard Hawks; o cinema moderno do primeiro Jean-Luc Godard; o western e particularmente os westerns de Sergio Leone; o cinema pós-moderno; os filmes exploitation americanos da década de 1970 e os filmes de artes marciais.

Trata-se, enfim, de um trabalho indispensável para todos que desejam saber mais sobre cinema e entender melhor a obra desse importante cineasta.



LANÇAMENTO









Lançamento

“O PÚCARO BÚLGARO”, ROMANCE-EM-CENA


O “Púcaro Búlgaro”, encenação de Aderbal Freire-Filho para o texto homônimo de Campos de Carvalho, é a atração do Teatro Regina Vogue neste final de semana, nos dias 3 e 4 de abril. O personagem central do romance é Hilário, que no verão de 1958 descobre um púcaro búlgaro numa pequena sala do Museu Histórico de Filadélfia. A partir daí, obsecado por esse fato, move mundos e fundos a fim de organizar uma expedição que pudesse comprovar ou não a existência da Bulgária (já que da existência dos púcaros ele não duvida).

Em seu apartamento no alto da Gávea, recebe toda a sorte de personagens esdrúxulos, candidatos a tomar parte na viagem – um alfarrabista interessado em abrir uma fábrica de acentos circunflexos na Bulgária, um descendente do sábio hindu que inventou o zero, um professor de bugarologia e bugarosofia, um sujeito chamado Expedito, e que pelo nome se acha credenciado para a expedição, um ex-habitante de Pizza que descobriu que a cidade, e não a torre do mesmo nome, é que está inclinada – enfim, um grupo surreal, dos quais alguns são aceitos para participar da aventura.

Entre os meses de outubro e dezembro de 60, período em decorre a ação do romance, são ultimados os preparativos, escolhido o meio de transporte e traçado o roteiro rocambolesco (com a ajuda inestimável do professor de Bugarologia) que farão Hilário e seus expedicionários para tentar descobrir (“ou não descobrir”) se a Bulgária existe mesmo. Ao final, depois que o expedicionário Expedito foge com a empregada da casa (amante de Hilário) e um cheque de dois milhões, o restante grupo de expedicionários transforma a iminente partida para a Bulgária numa inocente partida de pôquer e desiste da empreitada.

Fechamento de uma trilogia

Campos de Carvalho (1916-1998) foi um dos autores mais incensados e paradoxalmente menos conhecidos da literatura moderna brasileira. O espetáculo fecha a trilogia de romances-em-cena do diretor Aderbal Freire-Filho, iniciada em 1990 com a montagem de “A mulher carioca aos 22 anos”, de João de Minas, e seguida, 13 anos depois, por “O que diz Molero”, de Dinis Machado. Com cenários de Fernando Mello da Costa, figurinos de Biza Vianna, iluminação de Maneco Quinderé e música de Tato Taborda, a empreitada teatral de “O Púcaro Búlgaro” apóia-se no humor inventivo e delirante daquele que forma, ao lado de Guimarães Rosa e Clarice Lispector, a chamada “santíssima trindade” da prosa brasileira.

As afinidades entre os romances-em-cena não se restringem no palco ao ritmo vertiginoso da montagem. Todas preservam o texto original, principal característica do gênero: “O que faço é explorar ao máximo as possibilidades teatrais desse material literário. A razão é querer manter o sabor que as palavras e as descrições de personagens e lugares têm no original. Mas como não há um narrador em cena, cabe aos personagens fazer as narrações, inclusive sobre si próprios. Sem adaptação, obviamente o que eles dizem fica na terceira pessoa, assim como faz o Pelé”, diverte-se Aderbal. “Dessa forma, tento levar às últimas conseqüências a natureza ilusória da cena, brincando o tempo inteiro com a verdade e a mentira, com a farsa da representação”, conclui.

Para o diretor, outra característica fundamental nos romances-em-cena é o humor: “Não acredito que possa fazer um gênero como esse sem ser nesse registro do bufão, da caricatura. Até porque são quase 50 personagens – em ‘A mulher carioca’ e ‘Molero’ eram quase 200 –, fica muito perto da farsa”, explica. “A diferença deste para o espetáculo anterior é que enquanto ‘O que diz Molero’ alternava humor com lirismo, ‘O Púcaro Búlgaro’ intercala um humor popular, escrachado, com outro sofisticado, cheio de referências cultas, mais sutil. Campos de Carvalho é mestre nisso. É um extrato de humor especialíssimo, herdeiro do humor extremado de Rabelais”, compara Aderbal. “A literatura que eu gosto, as coisas que me atraem são levadas pela força do riso; a nobreza do humor, do riso é fundamental. Todos os romances-em-cena são muito divertidos”.

“O Púcaro Búlgaro” estreou em 1º de junho de 2006, no Teatro Poeira no Rio de Janeiro, tendo diversas indicações e prêmios tais como: PRÊMIO ELETROBRÁS/Rio/2006 e PRÊMIO QUALIDADE BRASIL/SP/2007, Melhor Ator (Gillray Coutinho), Melhor Espetáculo e Melhor Diretor (Aderbal Freire-Filho); e PRÊMIO CONTIGO/2007, Melhor Espetáculo/Comédia. Depois de ter viajado pelo Brasil, em 2009 o espetáculo participou de Festival Internacional de Artes Cênicas, em Montevidéu, Uruguai. Com um elenco afinado e premiado – alguns dos atores são conhecidos por suas atuações no cinema e na TELEVISÃO: “A Grande Família”, “Fantástico”, “Sítio do Pica-pau Amarelo”, etc –, o espetáculo ficou conhecido como uma bem-sucedida e deliciosa viagem teatral.


“Um romance-em-cena puro sangue”


Sérgio Salvia Coelho, crítico da Folha de São Paulo, diz que “O Púcaro Búlgaro” é “um romance-em-cena puro sangue” se referindo ao gênero novo que leva cada ator a ser narrador de si mesmo no próprio momento em que age, mantendo o texto integral por meio de um vertiginoso rodízio de personagens. O romance-em-cena é o jogo da ilusão no teatro levado ao paroxismo, verdade e mentira escancaradas simultaneamente, o discurso em terceira pessoa e a ação na primeira pessoa. É ainda a comunhão carnal mais acabada do épico e do dramático, o tempo inteiro narrativo e o tempo inteiro dramático. Uma versão radical do sonho de alguns teóricos do século 20 de convidar para a mesma mesa Aristóteles e Brecht.

FICHA TÉCNICA

Autor: Campos de Carvalho
Romance–em–cena de Aderbal Freire-Filho
Elenco: Ana Barroso, Candido Damm, Gillray Coutinho, Isio Ghelman e José Mauro Brant

Cenário: Fernando Mello da Costa, Rostand Albuquerque
Figurino: Biza Vianna
Música: Tato Taborda
Luz: Maneco Quinderé
Preparação Corporal: Duda Maia
Direção de Produção: Willian Taranto
Realização: Idarte Produções Artísticas Ltda
Patrocínio: PETROBRAS, Lei de Incentivo à Cultura e Governo Federal

SERVIÇO “O Púcaro Búlgaro” Dias e horários das apresentações: 3 de abril às 21 horas e 4 de abril às 19:30 horas Local: Espaço Teatro Regina Vogue Endereço: 7 de setembro n° 2775, loja 2004 - Shopping Estação - Curitiba Telefone/informações: (41) 2101-8292 Classificação etária: 14 anos Duração: 120 minutos Capacidade de público: 326 lugares Valor do ingresso: R$ 30,00 e R$ 15,00 (para estudantes, menores de 18 anos, maiores de 60 anos e professores da rede estadual de ensino. 50% de desconto, sob o valor da inteira, para portadores do Cartão Petrobras na compra de até 02 ingressos).


domingo, 28 de março de 2010

Sá Editora lança romance de estreia de Tatiana Busto Garcia

Cartas ao cão

de Tatiana Busto Garcia



Páginas: 288

Em Cartas ao cão, Tatiana apresenta duas narrativas. A que se passa nos tempos atuais é protagonizada por Nola, uma arquiteta que mora em São Paulo com seu fiel companheiro - o buldogue Kojak - e Tom, o irmão gay que trabalha como modelo. À beira dos 30 anos, Nola gosta de analisar desconhecidos observando suas conversas ou suas compras e enfrenta o dilema de não ter certeza se fez certo em ter colocado sua mãe, já idosa, viúva e em cadeira de rodas, em um asilo.

A outra história ocorre 20 anos antes, em Santos, e tem como personagem principal a menina Lúcia, de oito anos. Prestes a fazer aniversário, Lúcia quer se esconder de tudo e todos, para que ninguém descubra seu segredo: ainda faz xixi na cama. A garota ainda não compreende direito a morte do pai e a presença do padrasto em sua casa. Na escola não tem amigos. Para ela, o mundo do faz-de-conta parece estar desaparecendo em meio à realidade dura do mundo adulto. Em muitos momentos, porém, sua vida parece misturar-se às fantasias que ainda alimenta.

Ambas as histórias têm protagonistas observadoras e cheias de devaneios, que, na verdade, parecem buscar seu lugar no mundo. Durante o romance, situações inesperadas e revelações vão entrelaçar as duas tramas e deixar o leitor sem fôlego.

Na semana do lançamento, a autora lança o site www.cartasaocao.com.br que promete colocar seus personagens em movimento, seja através de uma playlist com as músicas mencionadas no livro, bem como, pra não fugir a veia de cineasta, vídeos que retratam os ambientes percorridos pelos personagens.


A AUTORA
Tatiana Busto Garcia é escritora, ilustradora e cineasta, com formação em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP. Estudou linguagens visuais na Universidad Complutense de Madrid e no London Institute, e movimentos de vanguarda musical na Tate Britanny.

Escreveu e ilustrou o livro infanto-juvenil “A Velha Magrela, a Gata Fornela e os Óculos-Janela”, premiado pela Secretaria de Cultura de Estado, o qual, mais tarde, adaptou para espetáculo teatral que circulou com a Cia. Arueiras do Brasil pelo SESC São Paulo. Com o mesmo livro, foi convidada a realizar diversas sessões de contação de história em livrarias de São Paulo. Criou e roteirizou o “You Rock!”, projeto de série musical interativo formato transmídia e um dos dois finalistas do “Pitching Oi 2010”, ainda em fase de votação.

Além disso, fez direção de arte para vários curtas, mais recentemente, para “Jardim Beleléu” (ficção, 16mm, 15’) de Ari Cândido Fernandes, e “A Sombra de Sofia” (ficção infanto-juvenil, HD, 13’) , de Flávia Thompson, e roteirizou séries televisivas.

Escreveu e dirigiu “Entre o Mar e o Sertão” – documentário sobre a vida e obra do cineasta Glauber Rocha para o SESC TV.


A CRÍTICA “Uma prosa acelerada e inteligente, ao mesmo tempo sutil e excessiva, faz desse romance de estreia da jovem autora uma narrativa que destoa da literatura pop brasileira de hoje.” Bruno Zeni, Guia da Folha

UM LANÇAMENTO

Manoel de Barros e Maria Gabriella Llansol

Manoel de Barros e Maria Gabriella Llansol

inauguram nova coleção da Editora UFMG


A Editora UFMG fez o lançamento da Coleção AmorÍmpar com os livros Manoel de Barros e Maria Gabriella Llansol. A data do lançamento marca dois anos de morte da escritora portuguesa Maria Gabriella Llansol.

Os livros:


Manoel de Barros – Caderno I

Prólogo Lucia Castello Branco; ilustrações Maria José Vargas Boaventura

Manoel de Barros tem uma afinidade com a palavra escrita e seu jeito de ser e agir revela sua alma de poeta. A sua visão de mundo é convertida em palavras rascunhadas no papel, que levam o leitor a mergulhar em seu universo e sentir-se tocado por sua poesia.

A troca de experiências, através de cartas, livros, originais e ideias, resultaram num registro impar entre leitor/autor/leitor. Dessa relação poética, estabelecida entre Manoel de Barros e Lúcia Castello Branco, nasceu o Caderno I Manoel de Barros, um formato que traduz toda uma essência de poesia viva, e como nas palavras do próprio poeta: “eu estou total nele”.


Coleção: AmorÍmpar
Acompanha DVD Língua de Brincar

Maria Gabriela Llansol – Caderno II

Prólogo Lucia Castello Branco; Ilustrações Maria José Vargas Boaventura

Lucia Castello Branco conheceu a obra de Llansol em 1992. A forte impressão causada pelo livro Um beijo dado mais tarde levou Lúcia a elaborar um projeto que incluísse a escritora. A relação que se estabeleceu entre elas, desde então, é descrita pela organizadora como fortes laços de letra e vida.

O caderno II foi elaborado a partir de uma visita ao Espaço Llansol na cidade de Sintra, em fevereiro de 2009. Com a ajuda de amigos e colaboradores, Lúcia percorreu os caminhos que inspiraram Maria Gabriela Llansol, como por exemplo, o da Praia das Maçãs à Casa de Toki-Alai, onde a escritora viveu. Compõem o caderno ramos, folhas e flores, além de fotografias e objetos que são parte do texto e da vida da autora.

Coleção: AmorÍmpar
Acompanham 2 DVDs - Proposição 24 e Redemoinho-Poema

LANÇAMENTOS DA

Amores e tropeços de Sylvia Loeb

Amores e tropeços
de Sylvia Loeb


168 páginas

A psicanalista Sylvia Loeb cria instantâneos da vida cotidiana em que as personagens são flagradas no momento exato em que o embate amoroso, com seus gozos e tombos, se dá – entre os seres, no interior dos seres. Neles, angústias, desejos, silêncios, dores e pulsões de vida e morte são transformados em literatura pela pena habilidosa e sensível da escritora.

Para Sylvia, também autora de Contos do Divã – pulsão e morte e outras histórias, lançado em 2007 pela editora Ateliê, os contos de Amores e Tropeços trazem o corpo como palco privilegiado da luta amorosa “Um movimento de alma ou de uma instância psíquica pode até ser o estopim dessa luta, mas é quando o pensamento chega à carne, à pele ou ao estômago que se vislumbram as questões essenciais de cada ser humano”.

Em seu livro Amores e tropeços, a psicanalista Sylvia Loeb cria instantâneos da vida cotidiana em que as personagens são flagradas no momento exato em que o embate amoroso, com seus gozos e tombos, se dá – entre os seres, no interior dos seres. Neles, angústias, desejos, silêncios, dores e pulsões de vida e morte são transformados em literatura pela pena habilidosa e sensível da escritora.

Para Sylvia, também autora de Contos do divã – pulsão e morte e outras histórias, lançado em 2007 pelo Ateliê Editorial, os contos de Amores e Tropeços trazem o corpo como palco privilegiado da luta amorosa: “Um movimento de alma ou de uma instância psíquica pode até ser o estopim dessa luta, mas é quando o pensamento chega à carne, à pele ou ao estômago que se vislumbram as questões essenciais de cada ser humano”.


Trechos do livro

O que ela mais queria
era ter um pinto. Tinha três irmãos, era a única menina na família. Mimada, querida, a mais novinha. Queria ter um pinto. Igual ao dos irmãos. Eles subiam na janela e faziam concurso de quem mijava mais longe. Ela ficava olhando, queria fazer igual. Treinava, fazia xixi em pé, um fiasco, tudo escorrendo pelas perninhas, morninho, sapatos e meias molhados. Os irmãos caçoavam, um até ajudou a fazer uma geringonça de papelão, uma espécie de funil pelo qual o xixi passaria para mijar longe. Mas perdia a força, o jato virava aguinha boba. A mãe preocupada, você quer ser menino? Não mãe, só queria ter um pinto para mijar longe! Não fale assim, menina, fala fazer xixi. Pois eu queria mijar bem longe, mãe!
Cresceu, estudou, viajou, namorou, casou, teve filhos, viveu feliz com o desejo insatisfeito – mas não esquecido – de ter um pinto, de ter algo pontudo, que aparecesse por fora do corpo. Fez uma plástica no nariz. De aumento.

O umbigo de Isaura
era mágico. Se a gente olhasse com atenção, sem pensar em mais nada, ele se abriria feito calidoscópio. Cores diversas, desenhos geométricos se alternavam, conforme o movimento maravilhado dos olhos. Com paciência, a paisagem se transmutava. Inicialmente em floresta densa e muito verde, depois em praia, mar e montanha, paisagem lunar também. Às vezes tempestade; outras, terremoto. Até chuva de granizo. Isaura tinha de ficar quieta, respirando devagar e pausadamente, expondo seu umbigo mágico a quem elegesse. Ao menor vacilo do expectador, a paisagem se fechava, e o umbigo surgia na sua banalidade habitual, no meio da barriga. Isaura baixava a blusa e nunca mais o mostrava.

No ponto do ônibus,
a menina novinha, hormônios brotavam em espinhas e seios já fartos, cheiro de suor; pelos dourados cobriam seus braços e pernas grossas bem torneadas. Chegou o vizinho, alguns anos mais velho, cigarro na boca, fumaça nos olhos, músculos explodindo na camisa apertada. Olhou para ela e disse bom-dia com voz grave. Jogou o cigarro no chão, apagou-o com o pé num gesto sinuoso da perna comprimida na calça negra. Olhou longamente para seu corpo e correu para pegar o ônibus. Ela ficou ali. Siderada, vexada, abandonada.
Um Lançamento

Google Marketing – o Guia Definitivo de Marketing Digital

Google Marketing – o Guia Definitivo de Marketing Digital
3ª Edição

de Conrado Adolpho



Número de páginas: 656


Um livro ferramenta imprescindível. Conheça os 8 "p"s e utilize melhor o Google. (E.C.)

Estratégias vencedoras de marketing digital em Google Marketing – o Guia Definitivo de Marketing Digital 3ª Edição onde Conrado Adolpho volta com uma metodologia inédita para uma estratégia de marketing campeã usando os 8 Ps do marketing digital:

1. Pesquisa
2. Projeto
3. Produção
4. Publicação
5. Promoção
6. Propagação
7. Personalização
8. Precisão

Aprenda a alavancar seus negócios indo muito além do que o Google pode fazer por sua empresa.

O autor
Conrado Adolpho é publicitário interativo, empreendedor serial, escritor, consultor e palestrante. Estudou em escolas de excelência como ITA, Unicamp, IBTA e FIPE, sendo graduado em marketing e pós-graduado em economia. É diretor da Publiweb, uma das maiores agências de marketing digital do país. É considerado um dos maiores especialistas do país em marketing digital na atualidade. É um estudioso do impacto social da internet e de como ela transforma o mercado, as empresas e as pessoas.

Confira o conteudo em http://www.novatec.com.br/livros/googlemarketing/sumario9788575222041.pdf

VEJA UMA PALESTRA COM O AUTOR



UM LANÇAMENTO

Concurso para jornalista exige apenas segundo grau e oferece salário de R$ 510

A Prefeitura de Cabedelo, município da região Metropolitana de João Pessoa, na Paraíba, está promovendo um concurso público que oferece salário de R$ 510,00 para o cargo de jornalista com carga horária de 40 horas semanais. Além disso, o edital exige apenas ensino médio e registro no Ministério do Trabalho e Emprego. Os dois jornalistas selecionados deverão executar todas as atribuições de um assessor de imprensa, além de trabalhos datilográficos.

O mesmo salário mínimo é oferecido para outros cargos, como os de radialista, publicitário e intérprete, além de outros em que o edital exige apenas o ensino fundamental, como agente de saúde, auxiliar de serviços e motorista. Com a exigência de graduação na área, advogados, administradores, arquitetos e médicos ganharão um pouco mais, R$ 617,00. A remuneração maior é para os professores de educação básica II, com vencimentos de R$ 1.115,14.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba tenta marcar uma audiência com a Prefeitura para discutir a questão. Segundo o presidente da entidade, Land Seixas, apesar de considerar um absurdo, o sindicato não pode recorrer contra o salário, já que órgãos públicos não têm o mesmo piso que o estipulado pela entidade, R$ 1.100. Seixas pretende então discutir a questão da carga horária, que não respeita as cinco horas diárias estipuladas para os jornalistas.

“Vamos marcar uma audiência, mas se não tivermos sucesso, vamos tentar anular o concurso e fazer um ato público contra essa atitude da Prefeitura”, explica. No caso do salário mínimo, que Seixas classifica como uma "humilhação”, o máximo que pode ser feito é unir forças com outras categorias. “Podemos conversar, mas não podemos recorrer. Vamos então nos unir com outras categorias que têm o mesmo problema”.

O presidente do sindicato também se manifestou contra a não exigência do diploma pelo órgão, lembrando de um Projeto de Lei do deputado Ubiratan Pereira (PSB), que exige a contratação de jornalistas diplomados na Prefeitura e Câmara de João Pessoa. “Enquanto o vereador Ubiratan cria um Projeto de Lei para que só possam entrar no serviço público jornalistas com diploma, a prefeitura de Cabedelo faz isso, o que desmoraliza a profissão”, criticou.

por Izabela Vasconcelos, do Comunique-se

A vida sexual da minha tia de Mavis Cheek

A vida sexual da minha tia
de Mavis Cheek



Páginas: 294


Dilys, a heroína deste romance, leva a vida dos contos de fadas de sua infância. O devotado e bem-sucedido marido, além de pagar as contas e bancar suas roupas caras e elegantes, ainda apoia seu projeto de escrever um livro. Só que, por trás dessa vida dos sonhos, existe uma mulher confrontada com um grande vazio existencial. Algo falta, algo que o dinheiro não compra, algo que nem ela mesma sabe o que é.

Até o dia em que se encontra às lágrimas numa estação de trem e um estranho e adorável homem de olhos azuis surge para lhe oferecer um lenço. A inocência desse breve encontro se transforma rapidamente numa sequência de mentiras quando Dilys é arrebatada por uma paixão tão intensa, que ela nunca pensou que viveria. Mas, para manter o romance secreto, precisa inventar um álibi: sua velha, geniosa, atrevida e gananciosa tia. Uma mentira leva a outra até que, repentinamente, ela se vê numa situação bastante complicada.

Enquanto caminha em direção à liberdade (ou à destruição), descobre que a capacidade de trair está em todos nós e que mesmo as velhas tias têm segredos obscuros guardados a sete chaves.

A CRÍTICA

“Este livro está anos-luz à frente da comédia romântica comum... Cheek é uma escritora genuinamente espirituosa, com habilidade para fazer rir.” Daily Mail

um lançamento





NET lança projeto para venda de produtos em bancas de jornais

Novo canal de vendas está sendo implantado em São Paulo

A NET Serviços iniciou no mês de março um projeto para implantação de um novo canal de vendas. O projeto NET Bancas abrange inicialmente a cidade de São Paulo habilitando bancas de jornais como postos de venda dos produtos NET.

“Através de pesquisas, constatamos que o perfil de consumo da população está mudando com grande velocidade. Descobrimos, por exemplo, que as pessoas querem adquirir nossos produtos em pontos físicos, por isso a NET trouxe mais uma opção de aquisição para nossos clientes”, aponta Roberta Godoi, diretora Comercial da NET.

Inicialmente o projeto envolve 100 bancas em São Paulo, que vão receber material de divulgação e treinamento para os jornaleiros sobre o processo de venda e os produtos disponíveis.

A parceria com as bancas envolve pagamento de comissão por venda instalada. Após a aquisição, a instalação dos produtos e atendimento ao cliente funcionarão da mesma maneira que acontece com os outros canais de vendas.

“Temos uma equipe de promotores de venda que dará todo o suporte necessário ao jornaleiro, atuando como um facilitador do processo de venda”, explica Godoi.

Intimo e perigoso

Intimo e perigoso
de Linda Howard


Páginas: 308



A confiança pode ser uma arma, um beijo pode ser uma ameaça, e a intimidade pode ser fatal.
Um misterioso acidente de avião... uma perigosa busca pelas matas de Idaho... uma atração reprimida... e um jogo mortal de gato e rato. Em seu mais novo suspense romântico, Linda Howard, autora da lista de bestsellers do New York Times, combina todos esses elementos numa história arrebatadora que deixará os leitores sem fôlego... e pedindo mais.

Os ardilosos enteados de Bailey Wingate ficam surpresos quando descobrem que o pai deixou, em seu testamento, a madrasta com o controle de toda a sua fortuna, e uma guerra tem início. Um ano depois, viajando de Seattle para Denver num pequeno avião, Bailey quase morre devido a uma falha no motor.

Cam Justice, seu sensual e habilidoso piloto texano, consegue fazer uma aterrissagem forçada. Presa na mata e se esforçando para controlar seus sentimentos pelo homem rusticamente belo ao seu lado, Bailey começa a se questionar se aquilo tudo foi apenas um mero acidente. Quem mexeu no avião? Quem está tentando reunir Bailey e seu marido? Sem contato com o mundo e com poucas chances de serem resgatados, ela deve confiar sua vida — e seu coração — a Cam, enquanto procuram um modo de sair dessa enrascada e voltar para a civilização... onde um assassino pode estar à espera para terminar o serviço.

Sexy e carregado de suspense e ação, Íntimo e Perigoso nos apresenta uma autora consagrada no melhor romance que já escreveu.

um lançamento





sexta-feira, 26 de março de 2010

LANÇAMENTOS DA BERNUNCIA

O MISTÉRIO DE CYGNUS


O Mistério de Cygnus

de Andrew Collins




Páginas: 563 págs.


O Mistério de Cygnus é uma aventura intelectual que investiga o xamanismo e a influência da constelação de Cygnus na mente dos nossos ancestrais do Neolítico. Andrew Collins procura respostas para desvendar as antigas crenças dos nossos antepassados mais remotos. Valendo-se de fontes como a arqueoastronomia, a astrofísica e uma compreensão dinâmica da sabedoria espiritual, O Mistério de Cygnus revela que nossos ancestrais sabiam que a vida se originou nas estrelas, mostra que Cygnus está na raiz de todas as religiões do mundo e oferece evidências de que partículas de Cygnus X-3 teriam atingido a Terra e acelerado a evolução humana durante a última Era Glacial.

Andrew Collins é autor de livros sobre história, arqueologia e ciência. Há mais de trinta anos, ele estuda a relação entre antigas crenças religiosas e o universo, examinando as origens da civilização humana, o desenvolvimento da tecnologia e as inspirações por trás da magia e da religião. Suas descobertas levaram-no a escrever vários livros provocadores, que põem em xeque nossa maneira de pensar sobre o passado.





UM LANÇAMENTO






***

O Egito Invisível e o Poder dos Símbolos de Fernando Schwarz


O Egito Invisível e o Poder dos Símbolos
de Fernando Schwarz


Páginas: 224 págs.



Esta obra reveladora discorre sobre um Egito mais profundo, invisível aos olhos, que se descobre com o coração. Para isso percorre a simbologia dos ritos secretos, as imagens espirituais mais
transcendentes, a surpreendente Geografia Sagrada e os mistérios da mumificação, do embalsamamento e da ressurreição, juntamente com os amuletos e símbolos mais importantes dessa civilização. Um verdadeiro manual, cujas fotos em cores tornam tangíveis as explicações magistrais de um egiptólogo de renome internacional.

Fernando Sc
hwarz é antropólogo e consultor especializado em Egiptologia, ex-catedrático da Escola de Antropologia de Paris, cidade onde reside. Durante mais de trinta anos, dedicou-se a investigar estruturas simbólicas das sociedades antigas tradicionais e modernas.


Realizou, junto a
Darío Bermúdez, o trabalho documental "Egito revelado" e é coautor da série "Arquitetura e geografia sagrada", da TV francesa, exibida em mais de vinte países.



UN LANÇAMENTO








***

Seminário apresenta e discute proposta de implantação do Centro Cultural Banco do Nordeste-Teresina


Para apresentar e discutir a proposta de implantação do Centro Cultural Banco do Nordeste-Teresina, o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) realiza o I Seminário Cultura e Desenvolvimento na próxima segunda-feira, 29, no período de 08h30 às 17 horas. O Seminário acontecerá no auditório do SEBRAE (av. Campos Sales, 1046 - Centro - fone: (86) 3216.1300), em Teresina.

Segundo o gerente do Ambiente de Gestão da Cultura do BNB, Tibico Brasil, o objetivo do Seminário é iniciar um processo de participação democrática da comunidade formadora de opinião no setor cultural piauiense, que venha a contribuir na concepção e implantação do CCBNB-Teresina.

Durante o Seminário, serão apresentadas informações sobre a atuação dos três Centros Culturais Banco do Nordeste já existentes (Fortaleza, capital do Ceará; Cariri, em Juazeiro do Norte, na região sul do Ceará; e Sousa, no alto sertão paraibano), além de uma proposta de atuação do CCBNB-Teresina.

"Queremos promover uma aproximação entre o BNB e a comunidade cultural do Piauí, e principalmente coletar e acolher sugestões, contribuições, avaliações e demandas do público participante do Seminário, referentes à implantação do CCBNB-Teresina", revela Tibico Brasil.

O público-alvo do Seminário são artistas, produtores, gestores culturais, professores, representantes de prefeituras, associações de classe, sindicatos, instituições culturais, organizações não-governamentais e outros parceiros institucionais nos níveis municipal, estadual e federal. Os organizadores estimam um público de 150 a 200 pessoas participantes no evento. Com programação totalmente gratuita, estima-se que o Centro Cultural Banco do Nordeste-Teresina comece a funcionar em meados de 2011.

Conheça a seguir a programação do I Seminário Cultura e Desenvolvimento:

08:30 - Abertura pelo Banco do Nordeste

09:00 - Momento de Integração

09:30 - Apresentação do secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura - SEFIC/MinC - Henilton Menezes

10:30 - Intervalo

11:00 - Apresentação da atuação do CCBNB-Fortaleza (com a gerente deste equipamento, Carmen Paula Menezes)

12:00 - Almoço

13:00 - Apresentação da Proposta de Atuação do CCBNB-Teresina (com o gerente do Ambiente de Gestão da Cultura do BNB, Tibico Brasil)

14:00 - Trabalhos em Grupos

15:30 - Apresentação dos Grupos em Plenária

17:00 - Encerramento

O Globo cria cargo de editora de mídias sociais

O jornal O Globo criou um novo cargo para aumentar sua presença na web 2.0, o de editora de mídias sociais. A função ficará sob responsabilidade da jornalista Nívia Carvalho, ex-coordenadora de Treinamento e Desenvolvimento da Infoglobo. O objetivo da empresa é aumentar o relacionamento da Redação com as mídias sociais e a interação dos leitores com o jornal.

“Muito do trabalho nesse momento é incentivar o melhor uso de redes sociais entre os jornalistas, encontrando caminhos que tornem as ferramentas naturais em nosso dia a dia. Com isso, amplia-se a cultura da publicação descentralizada, levando a mais leitores o que temos de melhor, a informação; e abrindo mais um canal de interação com nosso público”, explica Nívia.

A jornalista diz estar “duplamente feliz”. “(...) pela iniciativa da empresa, pioneira na incorporação da interatividade na produção jornalística e que agora dá mais um passo nessa direção ao investir em mídias sociais; e por mim, que tenho a oportunidade de participar, de alguma forma, do processo de transformação da produção e da distribuição de conteúdo a que estamos assistindo nos últimos tempos”.

Para ela, O Globo já evoluiu muito na interação com os leitores, com uma média de 10 mil participações por dia e 150 contribuições diárias dos leitores, na área de jornalismo participativo, além das contas no Twitter, com destaque para a de Patrícia Kogut, que já tem quase 58 mil seguidores e a do Blog do Noblat, com mais de 30 mil. Mesmo assim, Nívia ressalta que ainda há mais a alcançar. “Mas claro que sempre temos o que melhorar, conhecendo cada vez melhor a audiência (a que temos e o que esperamos atingir) e marcando nossa presença em várias redes sociais, sem esquecer que cada uma tem seu próprio DNA”, afirma.

Mobilização nas redes sociais é o tema do Estação Pátio Savassi

Mobilização nas redes sociais é o tema do Estação Pátio Savassi deste sábado (27/3)




Quem não se lembra das manifestações que ocorreram por todo país, em 1983, pelas “Diretas-Já”, ou dos “Caras Pintadas”, em 1992, que lutavam pelo impeachment do então presidente, Fernando Collor de Mello. Mobilizações sociais, estas, da história recente do país, são exemplo de cidadania e defesa dos direitos de uma nação.

Hoje, com as novas tecnologias de comunicação, grande parte de mobilização social vem ocorrendo via internet; através das redes sociais. Segundo um estudo elaborado pela Universal McCann, o Brasil era, até 2009, o quarto país com maior utilização das redes sociais. No ano passado, 69% dos internautas brasileiros pesquisados disseram ter perfis em redes sociais. Enquanto você lê esse texto, inúmeras pessoas se cadastram em alguma rede social na internet.

Segundo dados divulgados pela empresa responsável pelo Twitter, o microblog tem, diariamente, 50 milhões de mensagens (Tweets). Dois grandes eventos políticos que demonstram o poder dessa rede social para a mobilização mundial são a crise no Irã após as eleições de 2009 e a crise que abalou o Senado Federal, no final do ano passado, com o caso de nepotismo envolvendo o Presidente da casa, José Sarney.

No caso do Irã, a divulgação dos resultados da eleição de 2009 deflagrou protestos que, aos internautas iranianos enviar para o mundo, via durante algum tempo, contaram com a cobertura da imprensa internacional. Quando os jornalistas internacionais começaram a ser censurados e mesmo expulsos do país, coube Twitter, o relato dos fatos que ocorriam, diariamente, em seu país. Já no caso do Senado brasileiro, o movimento "Fora Sarney" esteve entre os mais comentados assuntos do microblog, ao mesmo tempo em que manifestações nas ruas atraíam pouca gente.

Para debater sobre a mobilização social via internet, o projeto Estação Pátio Savassi, convidou o sociólogo, Daniel Perini e o especialista em Gestão de Projetos Culturais, Artur De Leos, para ministrarem a palestra “Como pensar a mobilização política nas redes sociais?”.

O evento será neste sábado, 27 de março, a partir das 11h, no anfiteatro (L2) do Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6061 Savassi). O objetivo é entender até que ponto as mídias sociais são capazes de interferir na esfera pública e de influenciar na agenda política.

Para o sociólogo, Daniel Perini, o Twitter tem despontado como uma importante ferramenta para mobilizar as pessoas. “Mobilização é uma ação coletiva e a internet diminuiu esse custo de participação. Essas ferramentas permitem que o internauta converse com muitas pessoas ao mesmo tempo, sem sair casa. A internet abriu um espaço novo que é muito democrático”, afirma Daniel.


Artur De Leos acredita que a agilidade e instantaneidade, na qual a informação é propagada por essas ferramentas de comunicação, são as principais vantagens da mobilização online. "A rede tem força para mobilizar jovens, ao mesmo tempo em que coloca os políticos sob análise, tudo em tempo real e as pessoas respondem imediatamente. Além do mais, a internet é descentralizada, há muitos agentes. Então o boicote (ao movimento) vai ser feito por quem?”, questiona Artur.

Para eles, a tendência de um movimento que tem relevância e nasce na internet é sempre crescer. A proposta do encontro promovido pela Estação do Saber e pelo Shopping Pátio Savassi é relatar e refletir sobre as experiências políticas vividas pelos palestrantes, apresentar ferramentas virtuais contemporâneas e questionar colaborativamente o alcance dessas possibilidades na vida cidadã.

Sobre os palestrantes
Daniel Perini é bacharel em Ciências Sociais pela UFMG e pós-graduando em Avaliação de Projetos Sociais pela mesma instituição. É fundador da ONG Contato – Centro de Referência da Juventude onde, entre 2001 e 2008, elaborou e executou projetos de geração de renda, cultura e inclusão digital voltados para a juventude. Foi membro titular do Conselho Nacional de Juventude (2005-2008) e presidente do Conselho Municipal da Juventude de Belo Horizonte. Atualmente é orientador assistente do Programa “Peas Juventude” (Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais) e faz parte do núcleo de ativação de rede do programa “Vivo Lab”.

Artur de Leos é bacharel em Fotografia pela Faculdade de Comunicação e Artes do SENAC SP especialista em gestão de projetos culturais pela USP. Atualmente é Coordenador da área de Imagem do Projeto REPIA (Residência de Pesquisa Interdisciplinar Avançada). Participa ativamente como animador de redes colaborativas de produção de conteúdo para a internet televisão, colaborando dentro da rede dos Pontos de Cultura do MINC e do Núcleo de Ativação da Rede “Vivo Lab” e desde 2007 atua como conselheiro da ONG Fábrica do Futuro.

Estação Pátio Savassi
O projeto é uma realização da Estação do Saber e do Shopping Pátio Savassi, com curadoria de Júlia Ramalho Pinto. Em seu quinto ano de existência, conta com patrocínio da CEMIG, Governo do Estado de Minas Gerais, Governo Federal, Ministério da Cultura e Lei Rouanet. As palestras são sempre aos sábados e gratuitas, onde se discutem temas contemporâneos com a participação de intelectuais, escritores e profissionais renomados, numa agradável conversa nas manhãs de sábado.

As palestras poderão ser acompanhadas através do Twitter (Julia Ramalho Pinto www.twitter.com/arpjulia) com postagem de frases e comentários ao vivo das apresentações. Ainda em fase de teste, o evento está sendo transmitido via Ustream na página da Estação do Saber www.estacaodosaber.art.br.

Agenda: “ESTAÇÃO PÁTIO SAVASSI”
Datas: 27 de março (sábado) // Horário: 11h
Local: anfiteatro (L2) do Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6061 Savassi) // Entrada Franca
Informações: Pátio Savassi: (31) 4003-4172 www.estacaodosaber.art.br

Thiago Pereira estreia nesta sexta-feira no Sul-Americano de Natação

No primeiro dia de disputas, nadador brasileiro compete nos 200m costas. Ele ainda participará dos 200m peito e dos 200m e 400m medley

Leia mais em

quinta-feira, 25 de março de 2010

Leila Pinheiro em homenagem póstuma a Renato Russo


“Meu Segredo Mais Sincero” comemora os 30 anos de carreira da cantora





“Meu segredo mais sincero” é o novo projeto de Leila Pinheiro, que sobe ao palco do Teatro da CAIXA, de 02 a 04 de abril, para comemorar os 30 anos de carreira com uma homenagem ao amigo Renato Russo.



No show, que acontecerá também em Brasília e Rio de Janeiro, Leila interpretará grandes sucessos de Renato Russo e da Legião Urbana, como “Pais e Filhos”, “Há Tempos”, “Andrea Doria”, “Via Láctea” e “Ainda é Cedo”, apresentando suas múltiplas possibilidades interpretativas ao mergulhar na vida e na obra do “poeta do rock”, um dos nomes mais importantes da geração BRock, lançado da década de 80 para definitivamente integrar a história do rock brasileiro, e que neste ano completaria cinqüenta anos.



A artista sempre teve um carinho especial pela obra de Renato Russo. Entre as composições mais conhecidas do cantor, Leila já gravou “Monte Castelo”, “Tempo perdido” e “Vento no Litoral”. Em um de seus trabalhos mais recentes lançou a balada “Hoje” feita em parceria com o amigo em 1993.



A cantora



Uma das cantoras favoritas de Renato Russo, Leila Pinheiro é uma das maiores intérpretes brasileiras. Como outros grandes nomes, a paraense começou no piano jovem, aos 10 anos. Estreia aos 20 a carreira como cantora no Pará, com o show "Sinal de Partida", mudando-se no ano seguinte para o Rio de Janeiro, onde grava seu primeiro disco, o independente "Leila Pinheiro" (1983).



Em 1985 ganhou o prêmio revelação no Festival dos Festivais, da TV Globo, em que defendeu a composição "Verde", de Eduardo Gudin e José Carlos Costa Netto. Dois anos depois assinou contrato com a Polygram e gravou o disco "Olho Nu", que a leva ao Japão, onde ganhou o prêmio de melhor intérprete no Festival Mundial Yamaha. Colecionando prêmios, gravou mais dois discos, sendo "Bênção, Bossa Nova" um deles, um álbum em comemoração aos 30 anos da bossa nova, produzido por Roberto Menescal.



A partir daí, Leila passou a ser conhecida como intérprete de bossa nova, rótulo que foi reforçado com "Isso É Bossa Nova", de 1994. Dois anos depois gravou “Catavento e Girassol”, um disco completamente diferente, com composições da dupla Guinga e Aldir Blanc. No final dos anos 90 fez shows com Ivan Lins nos Estados Unidos e participou do tributo a Tom Jobim realizado no Carnegie Hall, de Nova York. Lançou também “Na Ponta da Língua”, um disco só de compositores contemporâneos que a levou em turnês pelo Brasil em 1999 e 2000. Ainda em 2000 entrou em estúdio e gravou "Reencontro", CD com repertório de Gonzaguinha e Ivan Lins. Participou de projetos especiais, como o "Tributo a Tom Jobim" e a "Sinfonia do Rio de Janeiro", de Francis Hime.



Ficha Técnica



Leila Pinheiro: Cantora e pianista

Cláudio Faria: teclado

Maurício Oliveira: contrabaixo

Allen Pontes: bateria

Webster Santos: guitarra, violão



Serviço Show: "Meu segredo mais sincero" - Leila Pinheiro canta Renato Russo Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: de 02 a 04 de abril Horário: Sexta e sábado 21h e domingo 19h Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia) Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Livre para todos os públicos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

LEO GANDELMAN SE APRESENTA NO TEATRO DA CAIXA


Um dos maiores saxofonistas do Brasil em show inédito em Curitiba




A CAIXA Cultural Curitiba apresenta na próxima terça (30) o saxofonista carioca Leo Gandelman. Em show inédito na capital paranaense, Leo Gandelman apresenta técnica e talento com as músicas que marcaram os 21 anos de sua carreira solo.



A apresentação traz músicas de seu mais recente trabalho, “Sabe Você”, e as que habitam suas lembranças. O samba-canção é o ritmo que marca o show, mostrando o melhor da música popular brasileira com clássicos de Chico Buarque, Baden Powell, Vinicius de Moraes, Tom Jobim e Dolores Duran, criando no palco um riquíssimo panorama da MPB.



A formação clássica do músico não o impede de experimentar os diversos ritmos. “Eu me considero eclético. Estamos em uma época em que o músico pode trafegar pelas diversas linguagens”, explica o saxofonista. “Apesar de minha formação musical clássica eu cresci no Rio de Janeiro, perto do samba, e sempre me arrisquei”, complementa.



Leo Gandelman

A música sempre esteve presente na vida de Leo Gandelman, que acumula funções de saxofonista, produtor, compositor e arranjador. Nascido em 1956 é filho de uma pianista clássica e de um maestro, aos 15 anos já era solista da Orquestra Sinfônica Brasileira.



Participou, desde 1977, de mais de 800 gravações. A carreira solo iniciou dez anos depois, inspirada especialmente na música brasileira e no jazz. A versatilidade e a criatividade são marcas registradas que fizeram com que fosse eleito “o Melhor Instrumentista Brasileiro” durante 15 anos consecutivos, pelo concurso “Diretas na Música” do Jornal do Brasil. Leo já gravou dez discos ao longo da carreira, com mais de 500 mil de cópias vendidas.



Com seis temporadas de casa cheia no Blue Note de Nova Iorque, o saxofonista tem carreira notável nos Estados Unidos. Participou como solista de concertos da Orquestra Sinfônica Brasileira no Lincoln Center e no Central Park. Foi solista também da Orquestra Sinfônica da Bahia, de Ribeirão Preto, entre outras, interpretando a Fantasia de Villa Lobos para Sax Soprano e Orquestra e o Concertino para Sax Alto, de Radames Gnatalli. O mesmo repertório o levou à sala São Paulo, onde se apresentou com a OSESP, sob a regência do maestro John Nashling. Foi solista convidado da Orquestra Sinfônica de Brasília no concerto da Independência e gravou com a Orquestra Sinfônica da Petrobrás, sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsky, do Concertino de Radamés Ganattali.



Com o CD "Radamés e o Sax", Gandelman ganhou o premio TIM 2007 como “Melhor Disco Instrumental“ e “Melhor produtor“. Ganhou o prêmio de “Melhor Trilha Sonora” por “Estrela Solitária”, no Festival de Cinema de Recife e Belém e pela APCA ganhou como “Melhor Instrumentista” em 1990 e “Melhor Produtor” em 1991.



Além dos álbuns, Leo Gandelman produziu diversas trilhas para TV e cinema. Temas de novelas e minisséries, de filmes e documentários como “Moacyr” de Walter Carvalho e “Estrela Solitária” sobre a vida de Garrincha também fazem parte de sua história. Apresentou os programas “Momento Jazz” e “Free Jazz in Concert”, do Multishow e Rede Manchete, respectivamente, e produziu álbuns de cantores como Marina Lima, Nico Rezende e Gal Costa.


Ficha Técnica



Tecladista: David Feldman

Baixo: André Vasconcellos

Bateria: Allen Pontes



Serviço



Música: Leo Gandelman

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: 30 de março

Ingressos: R$10 e R$5 (meia)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 21h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

Solar dos Guimarães abre inscrições para cursos de mídia digital


O Ponto de Cultura Solar dos Guimarães – Centro de Estudos Multimeios oferece formação para Fotografia, Mundo Blog, DJ e Mídias Digitais, em cursos gratuitos que acontecem a partir de 19 de abril.



Oportunidades de novas atuações no mercado de trabalho formal estão embutidas nos cursos gratuitos que o Ponto de Cultura Solar dos Guimarães – Centro de Estudos Multimeios, unidade da Fundação Cultural de Curitiba, oferece para jovens com idade entre 15 e 25 anos. As inscrições para os cursos de Fotografia, Mundo Blog, DJ e Mídias Digitais podem ser feitas de 29 de março a 8 de abril, no próprio Solar dos Guimarães, das 13h30 às 18h, e nos núcleos da Fundação Cultural de Curitiba, localizados nas Ruas da Cidadania, das 8h às 18h. Informações pelo telefone (41) 3323-6653.

Realizados em parceria com o Ministério da Cultura – MinC, dentro do programa Cultura Viva, os cursos têm como requisito específico o atendimento à população de baixa renda. Dessa forma, a inscrição é feita mediante o preenchimento de uma ficha com dados pessoais, e a seleção acontece com base na renda familiar. “Esta é uma grande oportunidade para os jovens que se interessam pelo mundo digital e não têm condições para realizar um curso particular, já que os ofertados no mercado geralmente são muito caros”, destaca Lois Pache, responsável pelo Ponto de Cultura.

Os participantes recebem formação profissionalizante, além de serem estimulados a compartilhar conhecimentos com suas comunidades. Neste semestre, as aulas terão início no dia 19 de abril, nos períodos da manhã, tarde e noite e aos sábados, sendo ministradas no Solar dos Guimarães. Serão formadas três turmas de DJ e Mídias Digitais – Nível I, uma turma de Mundo Blog e DJ – Nível II, mais duas de Fotografia, com um total de 70 vagas.



Proposta – O Solar dos Guimarães, unidade de interesse de preservação localizada no centro histórico da cidade, foi reaberto em agosto do ano passado, depois de passar por ampla reforma. O trabalho foi fruto de uma parceria da Prefeitura de Curitiba com o Ministério da Cultura – MinC, que tornou o local mais um “Ponto de Cultura”, seguindo o modelo instituído pelo MinC.

Com a proposta de transformar-se em um centro de formação em música eletrônica e mídias digitais, voltado a oferecer ao público jovem novas oportunidades profissionais, o Solar dos Guimarães já capacitou 80 alunos. Nos cursos, os participantes aprendem, por exemplo, como criar um blog, um podcast e um videoblog, como fazer mixagem, masterização, captação e edição de imagens, além de conhecerem técnicas de webdesign, entre outras habilidades na internet, com a utilização de softwares livres.



Serviço:

Inscrições gratuitas para cursos de Fotografia, Mundo Blog, DJ e Mídias

Data: de 29 de março a 8 de abril de 2010

Locais e horários: Ponto de Cultura Solar dos Guimarães – Centro de Estudos Multimeios (Rua Treze de Maio, 571 – Centro), das 13h30 às 18h; e nos núcleos da Fundação Cultural de Curitiba, localizados nas Ruas da Cidadania, das 8h às 18h

Informações pelo telefone (41) 3323-6653

As aulas terão início no dia 19 de abril e serão ministradas no Ponto de Cultura Solar dos Guimarães – Centro de Estudos Multimeios (Rua Treze de Maio, 571 – Centro)

Errata - concertos na Capela Santa Maria

Concertos comemorativos do aniversário de Curitiba

Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – R. Conselheiro Laurindo, 273 - Centro



Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, sob regência de Ricardo Bologna

Datas e horários:

26 de março (sexta-feira), às 19h - entrada franca.

27 de março de 2010 (sábado), às 18h30 - R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível)



Lançamento do livro de partituras “A obra coral de Henrique de Curitiba Morozowicz”, com apresentações dos grupos Collegium Cantorum, sob regência de Helma Haller, e Madrigal Vocale, sob a regência de Norton Morozowicz.

Data e horário: 26 de março de 2010 (sexta-feira), às 21h - entrada franca.

Formação para Pais

Os resultados que a criança alcança, em termos de desenvolvimento, são grandemente dependentes dos padrões de interacção familiar, nomeadamente da qualidade das relações Pais - Criança.

Os Pais são tradicionalmente os primeiros prestadores de cuidados, os organizadores, os modelos de comportamento, os disciplinadores e os agentes de socilização, num papel de educadores dos seus filhos.

Por vezes é dificil lidar com situações que constituem um desafio à capacidade de ser Pai e Mãe, valendo a pena procurar ajuda para as ultrapassar e tornar o dia-a-dia mais agardável para todos.

A LPFormação vai organizar em Lisboa alguns workshop's para Pais:

Primeiros Socorros na Infância - 10.04 - 10 às 13 horas
Regras, Limites, Castigos e Recompensas - 10.04 - 14 às 17 horas
Vai chegar (chegou) o meu irmão - 24.04 - 10 às 13 horas
Como Lidar com as Birras - 24.04 - 14 às 17 horas
Crianças Irrequietas ou Hiperactivas? - 08.05 - 10 às 13 horas
Despiste da Dislexia - 08.05 - 14 às 17 horas
Desenvolvimento Socio - Afectivo - 22.05 - 10 às 13 horas
Falar de Sexualidade - 22.05 - 14 às 17 horas
A Importância do Brincar no Desenv. Infantil - 29.05 - 10 às 13 horas

As acções têm a duração de 3 horas e também podem ser realizadas nas instalações das instituições interessadas em data e horário a acordar. O custo de inscrição é de 15,00 euros por participante. As acções realizam-se com o mínimo de 10 e um máximo de 25 participantes.

Mais informações em:

www.lpformacao.com - info@lpformacao.com - 219577078 - 963010245 - 913849167

IV Festival BNB das Artes Cênicas realiza 20 espetáculos em três cidades no Dia Mundial do Teatro

27 de março, Dia Mundial do Teatro.

Nessa data (próximo sábado), o IV Festival BNB das Artes Cênicas realizará uma série de 20 espetáculos gratuitos em três cidades (dez espetáculos em Fortaleza; seis em Juazeiro do Norte, no Cariri, região sul do Ceará; e quatro em Sousa, no alto sertão paraibano), durante 13 horas seguidas (de 9 horas às 22 horas).

Em Fortaleza, a programação começa às 9h, na Praça do Ferreira, com a apresentação do espetáculo de teatro de rua "As prosopopeias de Cassimiro Coco", com a Cia. Camarim de Teatro, de Maranguape (CE). Extraído a partir de contos da tradição oral, a peça apresenta de forma lúdica e divertida as gaiatices e molecagens de Cassimiro Coco, um nordestino esperto que de porta em porta consegue engabelar cangaceira valente, delegado incompetente e moças no caritó, aprontando muito mais que João Grilo, Mateus e Pedro Malasarte. Direção e cenografia: Davidson Caldas.

Em seguida, às 10h30, no andar térreo do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108), o Festival prossegue com a apresentação de "Cavalos 1200", dentro da Mostra de Dança, com o trio Andréia Pires, Daniel Pizamiglio e Leonardo Mouramateus. Trata-se de uma ficção para aqueles que não conseguem ficar parados em um quarto, que adoram beijar com os lábios e são extremamente tristes e incrivelmente felizes. 1.200 pessoas em cena, 24 bailarinos por segundo, duas baixas, animais sacrificados por terem quebrado os membros.

Ao meio-dia, no cineteatro do CCBNB-Fortaleza (2º andar), serão encenados três contos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu, pelo ator Silvero Pereira: "O ovo", "Além do ponto" e "Os sapatinhos vermelhos". Intitulado "O ovo, o ponto e os sapatinhos", esse trabalho faz parte de seu processo criativo para a construção de seu novo Solo que tem como dramaturgia a transcrição literária deste autor contemporâneo brasileiro.

A partir das 13h30, será apresentada uma sequência de quatro esquetes (encenações rápidas): "O arquivo", de Victor Giudice, com Fernando Piancó; "A ficção", com a Cia. Teatro com Vida e direção de Ronaldo Costa; "Os sobreviventes", com o Grupo 3x4 de Teatro e direção de Silvero Pereira; e "Que é isso, Maria?", com o Grupo Ikebana IFCE e direção de Danilo Pinho.

Em "O arquivo", o texto de Victor Giudice não quer simplesmente remeter a objetos distantes, mas inscrevê-los, vivos no sentido do leitor/espectador. As palavras aqui têm a generosidade e o desespero de se darem a ver, a sentir. A degradação humana, exploração do homem pelo homem, a perplexidade do ser humano, carregada de ironia e humor sarcástico. Tudo aqui e agora, em perfeita sintonia com a visualidade do nosso tempo.

"A ficção", por sua vez, trata, de forma bem humorada, da relação autor/personagem, numa linguagem inteligente onde o trágico dá lugar ao cômico, a realidade se confronta com a ficção, levando o público a uma ligeira dúvida daquilo que está sendo exposto, de forma a confundir-se quando os atores estão sendo os autores ou quando estão sendo personagens. Assim desenvolvem-se os mais divertidos diálogos propostos à platéia, causando sensações diferentes e divertidas nas situações vividas pelos personagens.

"Os Sobreviventes" é um reflexo das perturbações e angústias da juventude revolucionária, inconformada e transgressora da década de 1970. Caio Fernando Abreu mostra indivíduos solitários, sobreviventes de suas sensações, inseguranças, fobias, instabilidades, bem como de suas frustrações ideológicas. Um monólogo com uma linguagem descontraída e informal que revelará a desolação, a desesperança e o desgaste de uma mulher, causados pela falência do seu ideal e pela partida inesperada de um homem.

No esquete "Que é isso, Maria?", Maria é uma dona de casa carente e solitária com uma personalidade dividida por uma intensa conformação e revolta. Porém, sua solidão parece ter fim quando ela percebe a chegada de uma nova vizinha. Ela percebe que não aguenta mais a vida que tem.

Em seguida, dentro da Mostra Nordeste do Festival, Ricardo Guilherme encenará o espetáculo solo "Bravíssimo", às 17 horas, também no cineteatro do CCBNB-Fortaleza (2º andar). O texto deste monólogo compila e reelabora crônicas de Nelson Rodrigues - publicadas entre 1950 e 1970 - nas quais o escritor analisa arquétipos de identidade do povo brasileiro.

A concepção cênica configura o discurso em duas personagens emblemáticas que encarnam maneiras diametralmente opostas de encarar o Brasil: a grã-fina das narinas de cadáver e a vizinha gorda e cheia de varizes. A primeira representa aqueles que menosprezam o Brasil e a segunda, os que acreditam na transfiguração do País.

Às 18h30, também dentro do Mostra Nordeste, a Cia. de Teatro Lua apresentará "As bondosas". No enredo da peça, Astúcia, Angústia e Prudência são três carpideiras (mulheres que acompanham funerais, pranteando os mortos) que estão saturadas do ofício. Encarregadas de velar o corpo da filha mais jovem de uma família aristocrática, surpreendem-se com o comportamento pouco ortodoxo dos membros da família, a começar pela própria falecida, morta em estranhas circunstâncias.

Encerrando as atividades comemorativas do Dia Mundial do Teatro em Fortaleza, a Mostra Infantil do Festival traz o espetáculo "Lendário mundo de Zico", com o Grupo Garajal, de Maracanaú (CE), no Centro Cultural Patativa do Assaré (av. B, 701 - Conjunto Ceará - fone: (85) 3259.5757).

Nessa peça infantil, Zico, uma criança de 11 anos, sai com sua baladeira para caçar passarinhos e é surpreendido pela chegada de Caipora, que pede para ele não mais caçar passarinhos e nem destruir as florestas. Zico se recusa e continua caçando. Caipora resolve tirar a baladeira dele e o enfeitiçar, prendendo-o na floresta, mas Zico diz que só vai voltar para casa quando aprender a lição. Na sua andança para encontrar o caminho de casa, ele se depara com mais Lendas do Folclore Brasileiro. Nessa divertida aventura, Zico percebe que, assim como as lendas, ele também pode se tornar protetor da Floresta e dos Animais.



Em Juazeiro do Norte, no Cariri

No Centro Cultural Banco do Nordeste-Cariri (rua São Pedro, 337 - Centro - fone: (88) 3512.2855), em Juazeiro do Norte, a programação começa às 15 horas deste sábado, 27, com a Mostra Infantil, trazendo o espetáculo "Faz de Conta", com o Grupo Graxa de Teatro, de João Pessoa (PB).

"Faz de Conta" narra um trecho na vida de dois atores: Bô (Ingrid Castro) e Neco (Joht Cavalcante), que seguem de praça em praça, de teatro em teatro, de escola em escola, brincando com os mais famosos contos clássicos infantis, transformando-os e desconstruindo-os a mercê de suas vontades. Viajando por fábulas como A Cigarra e a Formiga, Branca de Neve, João e Maria, Alice no País das Maravilhas e Chapeuzinho Vermelho, a peça trata com humor e carisma de questões como amizade e a possibilidade ilimitada que o futuro pode trazer.

Em seguida, às 16 horas, ainda dentro da Mostra Infantil, será apresentado o "Clown Magic Show", com Getúlio Dionísio (o Tio "G"). Trata-se de show de ilusionismo e humor onde o Clown Magic encanta a platéia com sua ingenuidade, técnica e muita graça, misturando trapalhadas e mágicas clássicas com criações próprias. Os recursos utilizados no espetáculo são: o "velho e bom" jogo de palhaço, aliado a habilidades manuais com modelagem de bexigas e mágicas clássicas (água, fogo, pombo, entre outras). O Palhaço Poupancinha mergulha no universo cômico em busca uma criação genuína, para interagir com a platéia num clima de alegria, diversão e arte.

Às 16h30, será realizada a oficina infantil "Artelhaços", com as professoras Gildenária Soares e Aparecida Moura, de Sousa (PB). Às 17 horas, dentro da Mostra Teatro de Rua, o Circo-Escola Alegria, da Sociedade Cariri das Artes, do Crato (CE), apresenta o espetáculo "Circo do Sopé", na Praça Padre Cícero, no centro de Juazeiro do Norte. O Circo do Sopé é a expressão do mundo alegre e multicolorido do circo, representado num precioso espetáculo de variedades, onde se destacam elementos simbólicos tradicionais como as artimanhas de palhaços equilibristas, os números aéreos em lira e tecido, além da destreza performática com malabares de fogo.

Às 18 horas, ainda na Praça Padre Cícero, o Grupo Imburana de Danças Populares, de João Pessoa (PB), apresenta o espetáculo cênico-musical "Cocos e cirandas do Nordeste brasileiro". O grupo Imburana, através da vivência direta dos integrantes com variados tipos de cocos de roda e cirandas do Nordeste, principalmente nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas, propõe essa aula-espetáculo, onde o público interage diretamente com as danças apresentadas.

Encerrando a programação alusiva ao Dia Mundial do Teatro em Juazeiro do Norte, o trio de atores cariocas formado por César Tavares, Marcos Camelo e Fernanda Monteiro apresenta a comédia "Os fabulosos", às 19h30, no cineteatro do CCBNB-Cariri. No enredo, dois charlatões e sua partner levam a vida de praça em praça dividindo com o povo suas fabulosas descobertas. Costurando isso, palhaçaria da boa, com refinada pesquisa e treinamento prático em dramaturgia de palhaços. Dessa mistura sai a garrafada fabulosa, que pode não curar muitas doenças, mas promete aliviar a alma com momentos de bom humor, risadas e diversão.



Em Sousa, no alto sertão paraibano

No Centro Cultural Banco do Nordeste-Sousa (rua Cel. José Gomes de Sá, 07 - Centro - fone: (85) 3522.2980), a programação tem início às 14h30 deste sábado, 27, com a oficina "Brincando com o teatro", ministrada por Edileuza Santos e Luiz Cacau. O objetivo da oficina é preparar crianças e adolescentes para a formação artística ou crítica, como platéia consciente da apreciação da arte teatral, promovendo de forma prática a formação do indivíduo. Inscrições desde o último dia 10 na recepção do CCBNB-Sousa. N° de vagas: 30. Classificação Indicativa: 10 a 14 anos.

Em seguida, às 16 horas, será realizada a atividade "Construindo histórias através de jogos educativos", por Nádia Aguiar, de Fortaleza. Serão trabalhadas quatros histórias, em que as crianças irão formar os títulos, a sequência das gravuras e do texto escrito. Trabalho em equipe onde todos irão modificar o final da história e levarão as histórias para casa.

Na Mostra Teatro de Rua, às 19 horas, no Calçadão Mundinho Teodoro, a Trupe Arlequin de Circo Teatro, de João Pessoa (PB) apresentará a peça "Nada, nenhum e ninguém". Trata-se de um espetáculo que mostra as possibilidades de um teatro de celebração, onde se unem para uma viagem irreal o ator e o espectador, no memorial do fabuloso universo da nossa cultura. São personagens dessa estória quatro bufos cômicos de mambembes (Baobá, Tebas, Filó e Zuriel), que por mais de quatrocentos anos vivem situações de conflitos, colocando em evidências seus medos, sonhos, inseguranças e as memórias humanas.

Encerrando as atividades comemorativas do Dia Mundial do Teatro, o trio paulista formado por Lilian de Lima, Rodrigo Mercadante e Milton Morales Filho apresenta o espetáculo "Uma toada para João e Maria - o amor segundo Chico Buarque", no cineteatro do CCBNB-Sousa, às 21 horas.

A peça conta a história de um casal desde a primeira troca de olhares, passando pela paixão inicial, pelo ciúme e separação, saudade e recomeço, tendo como fio condutor as músicas de Chico Buarque e citações de grandes "especialistas" no assunto como Carlos Drummond de Andrade, Roland Barthes, Adélia Prado, Nelson Rodrigues, Oscar Wilde e Bernard Shaw.

Concurso de Esculturas CriAção Scotch

Concurso de Esculturas CriAção Scotch

recebe inscrições até 30 de maio



Com curadoria de Katia Canton, e tendo como padrinho o artista plástico Eduardo Srur, estão abertas até 30 de maio as inscrições para o Concurso de Esculturas CriAção Scotch com o tema criatividade e sustentabilidade, atitudes para promover um mundo melhor. Pessoas com ideias inovadoras, de qualquer segmento, como profissionais e estudantes das áreas de artes plásticas, arquitetura, decoração, design e publicidade de todo o país podem se inscrever, gratuitamente, pelo site www.criacaoscotch.com.br



Com o slogan “Grandes ideias que colam!”, o concurso dará prêmios no valor total de R$ 26 mil para oito selecionados, que serão conhecidos no dia 25 de agosto, na abertura da exposição com os melhores trabalhos no Museu Brasileiro de Escultura (MuBE), em São Paulo.



Até o último dia da inscrição, os candidatos devem anexar três fotos coloridas de seu protótipo, realizado com as fitas adesivas Mágica® Scotch® e/ou Empacotamento Scotch® Transparente, ambas da 3M do Brasil, em arquivo JPG ou GIF, e com tamanho máximo de 1Mb. As esculturas devem ser propostas criativas que considerem possível a interação com o espaço público, no conceito de intervenção urbana.



Uma comissão julgadora selecionará as 20 melhores obras segundo os critérios de criatividade, coerência com o tema, acabamento e respeito às exigências técnicas. A seleção final será feita por votação popular pela internet entre 11 de junho a 13 de julho. A partir das fotos das obras o público escolherá as oito vencedoras que ficarão expostas no MuBE.



Como padrinho, o artista plástico Eduardo Srur fará uma escultura com as fitas propostas pelo concurso, que será instalada no dia 31 de março no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Realizado também nos Estados Unidos e no México, o concurso é uma promoção cultural da 3M do Brasil. “Na 3M, a inovação é fruto do exercício diário de criatividade dos profissionais que trabalham na empresa. E isto se reflete em produtos e práticas que oferecem diferenciação ao mercado”, comenta Luiz Eduardo Serafim, gerente de Marketing Corporativo. “Com este concurso, queremos incentivar o pensamento criativo e também a cultura. O público vai participar na fase final da votação e, depois, apreciar as criações na a exposição”.



A curadora do CriAção Scotch, Katia Canton, é docente do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo desde 1993, onde também atua na área de curadoria. É PhD em Interdisciplinary Arts pela New York University, Tisch School of the Arts (Nova York, EUA) e mestre em Performance Studies, pela mesma Universidade, onde estudou entre 1987 e 1993. Em junho de 2002 tornou-se Livre-Docente em Teoria e Crítica de Arte pela Escola de Comunicação e Artes da USP.



www.criacaoscotch.com.br

http://twitter.com/criacaoscotch

Horário de funcionamento da Casa Romário

Horário de funcionamento da Casa Romário para visitação da exposição


“Factos da actualidade: Charges e caricaturas em Curitiba, 1900 – 1950”,
escrito pelas pesquisadoras Aparecida Vaz da Silva Bahls e Mariane Cristina Buso, uma edição especial da série Boletim Casa Romário Martins, publicada pela Fundação Cultural de Curitiba.

3ª a 6ª, das 9h às 12h e das 13h às 18h.
Sábados domingos e feriados, das 9h às 14h

Agenda de atividades Primavera 2010


Agenda de actividades Primavera 2010 Sociedade Filarmónica Humanitária - Palmela Venha celebrar o inicio da Primavera na SFH - Teatro, Concertos e muito mais




















S
exta-feira 26 de Março, 22 horas PROGRAMAÇÃO "MARÇO A PARTIR" 2010 :: "Quem será o pai da Criança", pelo grupo T.O.N.I. (grupo cénico SFH) :: Café Concerto com "Coverdose" ENTRADA LIVRE



















Sábado 27 de Março, 15 horas CONCERTO DE PÁSCOA DO CONSERVATÓRIO REGIONAL DE PALMELA ENTRADA LIVRE




















Sábado 27 de Março, 21:30 horas AUDIÇÃO DE PÁSCOA DA ESCOLA DE MÚSICA DA SFH CONCERTO DE PRIMAVERA PELA BANDA DE MÚSICA SFH ENTRADA LIVRE



















Terça-feira 30 de Março, 21:30 horas CONCERTO PELA BANDA SINFÓNICA DA G.N.R. ENTRADA LIVRE







INFORMAÇÕES E RESERVAS: TEL. 21 235 0235 --




clique para ampliar

quarta-feira, 24 de março de 2010

Charges e caricaturas curitibanas


Charges e caricaturas curitibanas em exposição na Casa Romário Martins

A exposição “Factos da actualidade: Charges e caricaturas em Curitiba, 1900 – 1950” marca a reabertura de um dos mais tradicionais espaços de exposição da cidade.

A partir desta sexta-feira (26), Curitiba volta a contar com um de seus mais tradicionais espaços de exposição, especialmente dedicado a divulgar a história da cidade. Depois de passar por obras de restauração, a Casa Romário Martins reabre às 19h com uma exposição e lançamento de um boletim que retrata o universo das charges e caricaturas em Curitiba na primeira metade do século passado.

“Factos da actualidade: Charges e caricaturas em Curitiba, 1900 – 1950”, escrito pelas pesquisadoras Aparecida Vaz da Silva Bahls e Mariane Cristina Buso, é uma edição especial da série Boletim Casa Romário Martins, publicada pela Fundação Cultural de Curitiba. Ele apresenta o resultado de pesquisas iniciadas em 2006, com o resgate de um rico material que retrata uma época pelo traço de importantes chargistas.

Com base no acervo da Fundação Cultural de Curitiba, as autoras complementaram suas pesquisas nos acervos da Biblioteca Pública do Paraná e do Museu Paranaense. Nessa trajetória, levantaram mais de setecentas imagens, tendo como ponto de partida as obras de João Pedro, o Mulato. O trabalho desdobrou-se nas charges e caricaturas das revistas, culminando com as criações de Alceu Chichorro.

O boletim divide-se em dois momentos: “A seriedade no humor”, no qual são comentadas as manifestações caricaturais em um contexto geral, e “A sociedade em destaque”, quando Curitiba e seus personagens ganham vida por meio dos caricaturistas que atuaram nas revistas e nos jornais do período estudado. Enfocando assuntos casuais e corriqueiros, questões nacionais e internacionais que dominavam o noticiário daquela época, a sátira aborda temas atemporais e induz à reflexão sobre o nosso próprio cotidiano.

A exposição que toma conta da Casa Romário Martins tem o mesmo nome do boletim e faz um recorte da publicação. São 108 imagens distribuídas em dez painéis que versam sobre os diversos temas discutidos na sociedade curitibana daquele período, como anticlericalismo, modernidade, política, condição da mulher e problemas de infraestrutura urbana. O material foi pesquisado principalmente no acervo da Fundação Cultural de Curitiba, nas revistas de época e nos desenhos originais criados por Alceu Chichorro, os quais destacam a Segunda Guerra Mundial, a política nacional e estadual e a visão que o artista tinha sobre a mulher. Duas vitrines deixam expostas à apreciação do público 14 obras originais desse material.

Tapumes - Enquanto a Casa Romário Martins passava por restauração, os tapumes da obra foram transformados em suporte para uma amostra da exposição, com charges de Alceu Chichorro (1896-1977), um dos mais importantes chargistas paranaenses. As imagens, aplicadas nos tapumes por meio de plotagem, faziam alusão aos principais temas abordados por ele: o conflito da 2ª Guerra Mundial, a política nacional e a mulher na sociedade. Com uma crítica irreverente e mordaz, seus desenhos em preto e branco refletem sua visão do cotidiano da época.

Serviço:
Reabertura da Casa Romário Martins com exposição e lançamento do boletim “Factos da actualidade: Charges e caricaturas em Curitiba, 1900 – 1950” Local: Largo da Ordem, 30 Data e horário: sexta-feira (26), às 19h Entrada franca