sexta-feira, 30 de abril de 2010

Diante da crise – materiais para uma política de civilização de Luc Ferry



Diante da crise – materiais para uma política de civilização
de Luc Ferry


Páginas: 128


O mais novo sucesso de Luc Ferry, Diante da Crise – materiais para uma política de civilização, traz uma análise feita juntamente com o CAS (Conselho de Análise da Sociedade), a pedido do primeiro-ministro da França, François Fillon, após a última crise econômica ocorrida no planeta. Nela, Ferry apresenta respostas para as seguintes questões: O que mudou em decênios? O que está destinado a mudar ao longo dos próximos anos? Como preparar a médio prazo o nosso país para essa mudança?

Discurso do filósofo Luc Ferry no Porto


Dissertação do ex-ministro e filósofo francês, Luc Ferry, sobre «La dépossession démocratique: quel est le vrai pouvoir politique?», por ocasião do 5º aniversário da Instalação do Executivo Municipal.




um lançamento da



Balada da praia dos cães



Balada da praia dos cães
de José Cardoso Pires


Páginas: 368

O LIVRO

Dando continuidade ao processo de relançamento da obra de José Cardoso Pires, considerado um dos mais importantes escritores contemporâneos portugueses, Balada da Praia dos Cães traz uma impressionante história de assassinato baseada em fatos reais. O livro foi realizado a partir do relato do homem acusado como coautor do crime e de relatórios policiais, o que proporciona ao leitor uma sensação de proximidade e verossimilhança muito forte. Um romance considerado um marco na história da literatura policial.



O AUTOR
José Cardoso Pires nasceu em São João do Peso, Vila de Rei, em 2 de outubro de 1925 e faleceu em 26 de outubro de 1998. Passou grande parte da sua infância e adolescência em Lisboa, onde freqüentou o Liceu Camões. Mais tarde ingressou no curso de Matemáticas Superiores na Faculdade de Ciências de Lisboa, que não chegou a concluir. Trabalhou como jornalista e redator publicitário até se dedicar definitivamente à literatura. Foi colaborador de várias publicações, como as revistas Almanaque e Afinidades, e os jornais Diário de Lisboa, Gazeta Musical e de Todas as Artes. Em 1968, Cardoso Pires publicou O Delfim em Portugal, o que conferiu notoriedade ao seu trabalho como escritor. Do autor, a Bertrand Brasil publicou De profundis, valsa lenta e vai lançar em 2009 Balada da praia dos cães.





um lançamento




Você: o peixe que evoluiu


Você: o peixe que evoluiu

de Dr. Keith Harrison




Páginas: 168 págs


O Dr. Harrison além de didático, discorre com fluência e certa dose de humor sobre a teoria evolucionista. Imperdível! (E.C.)


Não há aspecto da natureza mais óbvio e pessoal que o nosso corpo; mas quanto, na verdade, sabemos sobre ele?

De fácil leitura e fascinante, Você: o Peixe que Evoluiu procura responder a muitas perguntas, traçando a evolução de cada um de nós a partir dos nossos ancestrais mais remotos – os peixes. Das águas às árvores e daí para as cavernas, o autor conta a história de nossas origens de uma maneira surpreendente, especulando como o nosso corpo poderá ser no futuro. Imperdível para curiosos, interessados e eruditos.

O AUTOR
Keith Harrison é doutor em zoologia pela Universidade de Nottingham, ex-assessor científico do Museu de História Natural de Londres e ex-diretor de programação do Conselho de Pesquisas do Meio Ambiente do Reino Unido. Membro do Instituto de Biologia da Sociedade Geológica de Londres e da Sociedade Linneana de Londres. Ele já publicou diversos artigos científicos sobre animais vertebrados e invertebrados. Atualmente, trabalha na mídia impressa.




*UM LANÇAMENTO





**

Brincando com o seu gato


Um livro divertido e realmente criativo e util . Ao menos na opinião minha, de Doc Norm e Edgard Allan (E.C)

Brincando com o seu gato

de Jackie Strachan



Páginas: 128 págs.

Aprenda a brincar com os gatos. Talvez você já conheça as suas patadas, perseguições e saltos, mas Em Brincando com o seu Gato você aprenderá jogos que o farão se surpreender com a agilidade e a inteligência do bichano! Os gatos adoram brincar e são caçadores por instinto, mas eles precisam manter os ossos e os músculos fortalecidos, além de serem mentalmente estimulados. Um gato feliz é um gato saudável e em boa forma, mas os exercícios não precisam ser cansativos. Afinal os gatos sempre unem o útil ao agradável!

Com este livro é possível criar brinquedos com objetos que você já tem em casa, entreter o gato quando ele fica sozinho em casa, manter as garrafas do seu gato longe dos móveis, e muito mais!






*UM LANÇAMENTO





**

Lançamento


clique para ampliar

Lançamento UFMG


clique para ampliar

Lula é eleito o líder mais influente do mundo pela revista Time



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito pela revista norte-americana Time o líder mais influente do mundo em 2010. O presidente dos EUA, Barack Obama, ocupa apenas a quarta colocação no ranking.

Em sete edições, esta é a primeira vez que um presidente lidera a lista, que indica as 100 personalidades mais influentes do mundo, divididas em quatro categorias: líderes, heróis, artistas e pensadores.

Lula lidera o ranking dos líderes, seguido pelo presidente de administração da Acer, J. T. Wang. Em terceiro está o chefe do Estado-Maior dos EUA, almirante Mike Mullen. Obama aparece no quarto lugar.

O perfil de Lula foi escrito pelo cineasta Michael Moore, que definiu o presidente como um “filho genuíno da classe operária da América Latina” que se tornou presidente e quer levar o Brasil ao “primeiro mundo”.

Acervo fotográfico da Bloch será leiloado dia 04/05

O acervo fotográfico da Bloch Editores será leiloado no dia 04/05, às 14h, no Rio de Janeiro. O lance inicial é de R$ 1,2 milhão e o dinheiro arrecadado será utilizado para pagar créditos trabalhistas devidos aos ex-funcionários da empresa.

Ao todo são 12 milhões de fotos, cromos e negativos produzidos pelos fotógrafos de revistas como Manchete, Fatos e Fotos, Amiga, Desfile, Sétimo Céu, Geográfica Universal, Pais e Filhos, além de material não utilizado nas publicações.

Os interessados em conhecer melhor o acervo que será leiloado, podem marcar visita ao material com o leiloeiro Fernando Braga, pelos telefones 21-2224-7478/7811.

Lá se vai um pouquinho da minha história. Ao menos é por uma boa causa. (E.C.)

Real Gabinete oferece curso gratuito sobre autores da literatura portuguesa

Acontece no dia 05 de maio, próxima quarta-feira, a primeira aula do curso de extensão grátis “Os Esquecidos relembrados no Real”, promovido pelo Real Gabinete Português de Leitura. O curso abordará autores significativos da literatura portuguesa, mas pouco conhecidos, já que não fazem parte do cânone literário - listagem de livros e textos considerados obrigatórios pelos programas de estudo de Portugal.

Serão cinco encontros, cada um deles com a abordagem de dois especialistas, que irão tratar de azulejaria portuguesa e arquitetura, e de autores como Violante do Céu, Jorge de Sena, Frei Antonio do Rosário e Teófilo Braga, entre outros.

As aulas acontecem sempre às quartas-feiras até o dia 02 de junho. O curso é gratuito, mas há uma taxa opcional de R$ 20,00, referente à emissão do certificado - estudantes pagam R$ 15,00. As inscrições ainda podem ser feitas na secretaria do Real Gabinete Português de Leitura. Para mais informações: (21) 2221-3138.

“Os Esquecidos relembrados no Real”
Período: de 05/05/2010 a 02/06/2010
Dias da semana: quarta-feira
Horário: 14h às 17h30
Coordenadores: Profª. Sheila Moura Hue e Prof. Roberto Loureiro
Grátis – com taxa opcional de R$ 20,00 para emissão de certificado (estudantes pagam R$ 15,00)
Inscrições: Secretaria do Real Gabinete Português de Leitura
Endereço: Rua Luís de Camões, 30 – Centro – RJ.
Telefone: (21) 2221-3138
Horário de Funcionamento: de segunda a sexta- feira, das 9 às 18 horas.

ESAMC Santos oferece curso de roteiro publicitário

A ESAMC Santos, em parceria com o roteirista Renzo Moura, ministrará nos dias 8, 15 e 22 de maio, das 10h às 12h, o curso Como Escrever Roteiros Publicitários Que Funcionam. As aulas, que tem por objetivo ensinar a criar propagandas relevantes, são voltadas para alunos de Marketing, Publicidade e Propaganda, Administração e interessados pela área.

O curso, com duração de 6 horas, custa R$ 250,00 para o público externo e R$ 200,00 para os estudantes da instituição. As inscrições já estão abertas na secretaria da faculdade, localizada na Rua Egydio Martins, 181, na Ponta da Praia, em Santos (SP).

Em Como Escrever Roteiros Publicitários Que Funcionam o aluno aprenderá a estruturar um roteiro publicitário, reconhecerá os pontos importantes de uma redação e as necessidades de comunicação do cliente. Além de desenvolver técnica para posicionar e identificar o peso da concorrência na estruturação de um produto.

As aulas serão ministradas pelo professor Renzo Moura que, também, é escritor aclamado pelos críticos e reconhecido pela mídia nacional por sua narração criativa nos livros “Cinema Falado/25 Filmes Que Podem Arruinar Sua Vida”, “Sinatra – o Homem e a Música” e “Fica Frio – Uma Breve História do Cool”.

Editora Fundação Perseu Abramo celebra sucesso do livro “Brasil – Entre o Passado e o Futuro”


Editora Fundação Perseu Abramo celebra sucesso do livro “Brasil – Entre o Passado e o Futuro” com nova reimpressão e evento reunindo os autores


Coeditado pela Boitempo, obra chega a sua terceira reimpressão em pouco mais de um mês no mercado editorial


“Brasil – Entre o Passado e o Futuro”, coeditado pela Editora Fundação Perseu Abramo e Boitempo, chega a sua terceira reimpressão após apenas um mês do lançamento. Para marcar o sucesso editorial, a Editora Fundação Perseu Abramo realiza evento em São Paulo no dia 1 de maio, a partir das 11h30, no foyer do Auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina, durante a celebração pelo Dia do Trabalho organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). Emir Sader, autor da obra ao lado de Marco Aurélio Garcia, estará presente durante o evento.



O livro reúne ensaios de atores da cena política e intelectual brasileira que buscam assimilar e analisar as intensas transformações ocorridas no Brasil nos últimos sete anos. Os textos se debruçam sobre o passado recente do país na tentativa de desvendar diversos aspectos da realidade brasileira, como sua dinâmica econômica, social, política e cultural.

Brasil: entre o passado e o futuro busca contribuir com o debate sobre o que virá após o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para tanto, contou com a colaboração de importantes intelectuais - integrantes do governo ou não - que nunca deixaram de pensar e sistematizar ideias sobre o processo em curso no país: Marco Aurélio Garcia, Emir Sader, Marcio Pochmann, Guilherme Dias, Luiz Dulci, Nelson Barbosa, José Antonio Pereira de Souza e Jorge Mattoso. Além dos artigos, completa o volume uma entrevista com Dilma Rousseff, feita por Garcia, Sader e Mattoso.

O livro apresenta um conjunto de dados, análises e propostas de intelectuais comprometidos com um projeto de país que será o centro do debate nas disputas eleitorais de 2010. Busca, assim, trazer uma contribuição interpretativa sobre o momento atual, vislumbrando sempre poder transformar o futuro.


Ensaios e autores

Brasil, de Getúlio a Lula - Emir Sader O Brasil herdado - Jorge Mattoso A inflexão do governo Lula: política econômica, crescimento e distribuição de renda - Nelson Barbosa e José Antonio Pereira de Souza A sociedade pela qual se luta - Guilherme Dias e Marcio Pochmann Participação e mudança social no governo Lula - Luiz Soares Dulci O lugar do Brasil no mundo - Marco Aurélio Garcia A política externa em um momento de transição - Marco Aurélio Garcia Um país para 190 milhões de brasileiros - Entrevista com Dilma Rousseff

SERVIÇO Lançamento do livro “Brasil – Entre o Passado e o Futuro” Com a presença de Emir Sader Dia 1 de maio, das 11h30 às 13h30. Foyer do Auditório Simón Bolívar – Memorial da América Latina Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 – ao lado do metrô Barra Funda Entrada Franca http://www.cut.org.br/

Dirigentes e produtores de todo o país participam de seminário sobre gestão cultural

I Curso Gestão e Financiamento da Cultura e o II Seminário Cultura, Cidade e Desenvolvimento serão realizados na próxima semana, de 3 a 7 de maio, no Salão de Atos do Parque Barigui.

A Fundação Cultural de Curitiba, em parceria com o Observatório Itaú Cultural e o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura das Capitais, promove de 3 a 7 de maio, o I Curso Gestão Cultural e Financiamento da Cultura e o II Seminário Cultura, Cidade e Desenvolvimento. O encontro reunirá em Curitiba agentes, produtores e gestores que atuam no setor cultural. Com aulas expositivas e palestras, serão abordados temas como leis de incentivo, políticas culturais e desenvolvimento humano, políticas públicas, produção cultural, sistemas de financiamento e economia da cultura.

O evento será realizado no Salão de Atos Parque Barigui (Av. Cândido Hartmann, s/nº - Parque Barigui). Os palestrantes são professores, consultores e pesquisadores de políticas culturais, além de representantes de órgãos governamentais. Entre os participantes estão Bernardo Mata-Machado, coordenador de Relações Federativas e Sociedade da Secretaria de Articulação Institucional do Ministério da Cultura; Henilton Parente de Menezes, secretário de Fomento do MinC; Romulo Avelar (MG), professor e produtor cultural, assessor de planejamento do Grupo Corpo e do Grupo do Beco; Leonardo Brant (SP), consultor e pesquisador de políticas culturais, presidente da Brant Associados; e Manoel Rangel, diretor-presidente da Ancine – Agência Nacional do Cinema.

Reunião – Aproveitando a permanência na cidade em virtude do seminário, os membros do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura das Capitais se reúnem na quinta feira para dar continuidade às discussões mensais que promovem com o objetivo de contribuir para elevar o grau de organização dos municípios na elaboração das políticas e mecanismos de gestão. Curitiba participa desde a criação do Fórum, em 2005, e atualmente o Presidente da Fundação Cultural, Paulino Viapiana, ocupa o cargo de diretor financeiro da entidade.

Dentre os principais pontos já conquistados pelo Fórum estão a representação no Conselho Nacional de Cultura e a possibilidade de parcerias diretas entre o MinC e as capitais, além de ter contribuído também com sugestões e propostas incorporadas nas discussões sobre a PEC 416/2005, que cria o Sistema Nacional de Cultura, e a reforma da nova Lei Rouanet, entre outras ações desenvolvidas pelo MinC.



Serviço:

I Curso Gestão e Financiamento da Cultura e

II Seminário Cultura, Cidade e Desenvolvimento

Local: Salão de Atos – Parque Barigui (Av. Cândido Hartmann, s/nº - Parque Barigui)

Data: de 3 a 7 de maio de 2010, das 9h às 18h.

Inscrições gratuitas até 30 de abril, pelo site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Informações:

seminario_info@fcc.curitiba.pr.gov.br

Ana Cascardo canta no Domingo Onze e Meia


A cantora apresenta o show “Meu Lugar”, às 11h30 deste domingo (2), no Conservatório de MPB de Curitiba, com um repertório de arranjos ousados.

O programa Domingo Onze e Meia, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba, tem nova edição neste domingo (2), levando à Praça Jacob do Bandolim do Conservatório de MPB de Curitiba a cantora Ana Cascardo. No espetáculo “Meu Lugar”, que tem início às 11h30, a intérprete reúne músicas de seus compositores prediletos, traçando um panorama do trabalho realizado desde o lançamento do primeiro CD, “Esta noite vai ter sol”, de 2007, aos dias de hoje. A entrada é franca.

No repertório selecionado por Ana Cascardo consta desde a sofisticação da obra de Chico Buarque até o tom “cool” de Paulo Leminski. Ao lado do pianista Fábio Cardoso e do percussionista Vina Lacerda, a cantora promete envolver e empolgar o público, com arranjos ousados e muito balanço, valorizando os grandes nomes da MPB, além de compositores locais.

Ana Cascardo começou a carreira artística na década de 1980. Dos 11 aos 19 anos, ela e os irmãos animavam bailes e bares de Itajubá, no sul de Minas Gerais. Em 1985, Ana iniciou os estudos de teoria musical com a pianista Heloisa Feichas. Em 1993 veio morar em Curitiba e continuou a estudar canto. Participou de oficinas com Elza Soares e grandes nomes da música brasileira, em várias edições da Oficina de Música de Curitiba. Depois, entrou no grupo Vocal Brasileirão, do Conservatório de MPB, onde começou a lecionar.

Em 1995, Ana ficou em primeiro lugar no Festival de Intérpretes do Sesc da Esquina. Em 1998 e 1999 foi indicada como melhor cantora. Em 2000 ganhou o prêmio de melhor intérprete no Festival Estação da Canção e, em 2005, foi semifinalista do Prêmio Visa. Também participou de diversos CDs de compositores e intérpretes paranaenses.




Serviço: Programa “Domingo Onze e Meia”, com o espetáculo “Meu Lugar”, a cargo da cantora Ana Cascardo, com participação do pianista Fábio Cardoso e do percussionista Vina Lacerda. Data e horário: dia 2 de maio de 2010 (domingo), às 11h30 Local: Praça Jacob do Bandolim do Conservatório de MPB de Curitiba (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico) Informações: (41) 3321-3208

Cine Papo- mês de maio

Em todas as sextas-feiras do mês de maio, o Instituto Cervantes de Belo Horizonte irá exibir gratuitamente filmes do cinema espanhol que tem a música como elemento de destaque. Antes de cada exibição, há uma apresentação do autor e da obra, realizada por especialistas e, em seguida ao filme, é aberta uma discussão envolvendo os espectadores. O evento faz parte do Cine Papo, projeto que tem como objetivo oferecer ao público um pouco sobre o cinema contemporâneo espanhol de forma lúdica e didática.

O Cine Papo é realizado no próprio Instituto Cervantes às 19h30 e as sessões têm entrada franca até a lotação do espaço. Mais informações: (31) 3789-1600.

Programação Cine Papo - mês de maio
07 de maio de 2010

Habana Blues (Habana Blues, 2005, Espanha, Cuba e França, 115 minutos).

Sinopse: Dois jovens músicos cubanos, Ruy (Alberto Yoel) e Tito (Roberto Sanmartín), têm um sonho em comum: o de ficarem famosos e saírem de Havana. Enquanto preparam seu primeiro grande show descobrem que dois produtores espanhóis estarão recrutando talentos cubanos. É quando eles percebem então que aquela pode ser uma oportunidade única.

Horário: 19h30

Local: Instituto Cervantes - Praça Milton Campos, 16 – 2º andar, Serra.

Legenda em português

Entrada franca

Apresentação do autor e obra por Sabrina Tunes, professora do Instituto Cervantes.



14 de maio de 2010

O milagre do Candeal (El milagro de candeal, 2004, Espanha, 128 minutos)

Sinopse: O próprio diretor Fernando Trueba define este trabalho como um “musical social, um western pacífico em que os bons se defendem com os tambores ao invés de pistolas”. O cineasta espanhol, casado com uma brasileira e apaixonado pela música do Brasil, debruça-se sobre o projeto social da favela do Candeal, em Salvador, coordenado pelo músico Carlinhos Brown, que nasceu ali. Trueba utiliza-se de outro músico, o pianista cubano Bebo Valdez - um dos protagonistas de seu documentário musical “Calle 54” -, para explorar a religião, a cultura e a musicalidade da Bahia, apresentando as atividades empreendidas pelas crianças moradoras do local e que têm contribuído para afastar do Candeal o flagelo da violência e da exclusão.

Horário: 19h30

Local: Instituto Cervantes - Praça Milton Campos, 16 – 2º andar, Serra.

Legenda em português

Entrada franca

Apresentação do autor e obra por Sabrina Tunes, professora do Instituto Cervantes.





21 de maio de 2010

O outro lado da cama (El otro lado de la cama, 2002, Espanha, 114 minutos)

Sinopse: Sonia (Paz Vega) e Javier (Ernesto Alterio) formam um casal que já está junto há um bom tempo. Eles são muito amigos de Paula (Natalia Verbeke) e Pedro (Guillermo Toledo), que estão enfrentando problemas no relacionamento. Paula largou Pedro, que tem certeza que ela o trocou por outro homem. O que Pedro não sabe é que o novo par dela é justamente Javier, que tenta equilibrar o namoro com Sonia com a paixão que sente por Paula.

Horário: 19h30

Local: Instituto Cervantes - Praça Milton Campos, 16 – 2º andar, Serra.

Legenda em português

Entrada franca

Apresentação do autor e obra por Pedro Navarro, filólogo e coordenador acadêmico do Instituto Cervantes de Belo Horizonte.





28 de maio de 2010

Ibéria (Iberia, 2005, Espanha e França, 99 minutos)

Sinopse: Inspirado pela música do compositor espanhol Isaac Albéniz, mostra uma celebração que une a disciplina, a destreza e a paixão do flamenco com a música clássica, o balé e a dança contemporânea.

Horário: 19h30

Local: Instituto Cervantes - Praça Milton Campos, 16 – 2º andar, Serra.

Legenda em português

Entrada franca

Apresentação do autor e obra por Mercedes Pérez, professora do Instituto Cervantes.

Zé Renato canta a jovem guarda no Teatro da CAIXA



Show mescla faixas do último lançamento com sucessos da carreira do artista


A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 07 a 09 de maio, o show “É Tempo de Amar”, com o músico e intérprete capixaba Zé Renato. A apresentação traz sucessos do CD homônimo no qual o músico faz tributo à jovem guarda. No palco, João Castilho (guitarra), Marcos Nimrichter (teclados) e Rômulo Gomes (baixo) acompanham o cantor.



Serão relembrados os clássicos da geração iê-iê-iê, como "O Tempo vai Apagar" e a faixa-título "É Tempo de Amar", além de outras pérolas como "História de um Homem Mau" e "Namoradinha de Um Amigo Meu". O repertório inclui músicas que foram sucesso ao longo de sua carreira como “Anima", composição dele com Milton Nascimento, e “Quem tem a viola”, além de interpretações brilhantes de clássicos da música brasileira.



A primeira música que Zé Renato aprendeu a tocar no violão foi “Namoradinha de um Amigo meu”, o hit juvenil de Roberto Carlos. Suas férias em Vitória, no Espírito Santo, tinham como trilha sonora o cancioneiro da Jovem Guarda. O fato justifica a inusitada incursão do artista por esse repertório. “Tempo de Amar” reúne 13 pérolas das velhas tardes de domingo dos anos 60, em abordagem requintada.



Idealizado a partir da gravação suntuosa de “O Tempo Vai Apagar” para a trilha da novela da Globo “A Favorita”, o CD inclui ainda a única incursão do poeta Vinicius de Moraes pelo universo do iê-iê-iê. Trata-se de “Por Você”, parceria de Vinicius com Francisco Enoé, lançada em 1967 no filme “Garota de Ipanema”, de Leon Hirszman.



Sobre Zé Renato



O cantor e compositor capixaba Zé Renato iniciou sua carreira se apresentando em festivais de música nas décadas de 60 e 70. No final dos anos 70, alcançou maior reconhecimento como integrante do Boca Livre, conjunto vocal do qual também faziam parte Cláudio Nucci, David Tygel e Maurício Maestro.



Sua carreira solo se construiu paralelamente ao grupo. Em 1982 lançou seu primeiro disco solo, “Fonte de Vida”. Ainda na década de oitenta, integrou a banda Zil. Nos anos 90, consolidou sua carreira de solista e se tornou um dos maiores intérpretes da música brasileira. O cantor já lançou doze discos e teve composições suas interpretadas por Nana Caymmi, Leila Pinheiro, Zizi Possi e Lulu Santos, entre outros.


Participou da Sinfonia do Rio de Janeiro de São Sebastião em 2000, ao lado de Francis e Olivia Hime, Lenine, Sergio Santos e Leila Pinheiro. Dois anos depois gravou “Memorial”, em dupla com o maestro Wagner Tiso. “Minha Praia” foi lançado em 2003. Consolidando sua carreira internacional esteve na França em 2005, na caravana do Projeto Pixinguinha. Ainda, encerrando as comemorações do Ano do Brasil na França integrou o elenco da Sinfonia do Rio de Janeiro no auditório da Unesco em Paris e realizou shows divulgando seu cd "Cabô" na capital francesa e em Marseille.



Em 2006 realizou 4 projetos: o show "Encontro das Águas", gravou o segundo CD infantil "Forró pras crianças", o dvd “ Zé Renato ao Vivo" e retornou ao Boca Livre, junto com David Tygel, Maurício Maestro e Lourenço Baeta, lançando em 2007 o cd e dvd "Boca Livre e ao vivo". Acaba de lançar o cd “É Tempo de Amar”, que apresenta na CAIXA Cultural Curitiba.



Em 2004 o artista recebeu o Prêmio TIM de Melhor Disco Infantil, com a produção “Samba pras Crianças”. Ainda neste ano recebeu o Prêmio Rival BR de Música, na categoria de melhor cantor com a obra “Minha Praia”. Em 2007 voltou a receber o Prêmio TIM de Melhor CD Infantil com “Encontro das Águas”, indicado inclusive ao Grammy Latino como melhor álbum infantil. Em 2008 o Boca Livre, grupo que deixou em 2000 e retornou seis anos depois, ganha o Prêmio TIM de Melhor Grupo. Foi premiado neste mesmo ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, na categoria Melhor Cantor em 2008 e Prêmio de Música Brasileira em 2009.



Algumas de suas gravações foram trilhas sonoras de novelas e minisséries, como “Pelo sim pelo não“ para “Roque Santeiro”; “Rodrigo meu Capitão” para “O Tempo e o Vento”; “Salmo” para “O Corsário do Rei”; “Mulher” para “Éramos Seis”; “Na Trilha do meu Sonho” para “O Diabo a Quatro”; “Tamborim” para “A pessoa é o que nasce” e “O tempo vai Pagar” para “A Favorita”.



Zé Renato, em 30 anos de carreira, construiu seu nome com um pé fincado na tradição da música brasileira e outro calçado em seu próprio talento de intérprete.



Serviço Música: Zé Renato Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: de 07 a 09 de maio Horários: Sexta e sábado 21h e domingo 19h Ingressos: R$20 e R$10 (meia – conforme legislação e clientes CAIXA) Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Livre para todos os públicos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

quarta-feira, 28 de abril de 2010

O EVANGELHO DE COCO CHANEL

O EVANGELHO DE COCO CHANEL
de Karen Karbo

‘O Evangelho de Coco Chanel’,
um guia para quem admira o estilo e a vida da estilista

Livro com dicas de estilo e histórias de amor, sucesso e superação pessoal de Coco Chanel
é um must have para homens e mulheres antenados

Há cem anos Coco Chanel abriu a sua primeira loja de chapéus em Paris. Os recursos financeiros vieram de um amigo e essa moça de origem humilde, determinada a vencer na vida, agarrou a oportunidade e deu os primeiros passos para estabelecer um império no mundo da moda internacional e a construção de uma imagem que a tornou um ícone como estilista, mulher e empresária de sucesso do século XX.

No centenário da inauguração da primeira loja que deu origem à griffe, muito tem se falado de Coco, foi até tema de filme da Warner: “Coco Avant Chanel”. E, para homenagear essa que é um exemplo do modelo “self made woman”, a editora Seoman, selo da Editora Pensamento-Cultrix, lança o livro O Evangelho de Coco Chanel: Lições de Vida da Mulher mais Elegante do Mundo, de autoria de Karen Karbo, que fez extensa pesquisa sobre a biografia de Coco e optou por não escrever apenas sobre a vida da estilista, mas um livro para inspirar os leitores com uma história impressionante de reinvenção, confiança e determinação.

Nascida em 1883, Coco cresceu num convento após a morte de sua mãe, quando ela tinha apenas seis anos e foi abandonada pelo pai. As freiras lhe ensinaram a costurar e Coco desenhava chapéus por divertimento. Teve como amante um rico industrial inglês, o mesmo que financiou sua loja de chapéus e a introduziu na alta sociedade. Chanel não foi somente a mulher que criou e imortalizou o “pretinho básico”, também popularizou as calças femininas e roupas práticas que deixavam as mulheres chiques e confortáveis. Com sua personalidade forte e decidida, elegante e passional, de um jeito totalmente francês, Coco conduziu as mulheres diretamente para uma nova era.

Karen Karbo dividiu a biografia de Chanel em capítulos temáticos que sutilmente ensinam lições de vida, com comentários divertidos e atuais. A autora tem artigos publicados no New York Times, Outside, Elle e Vogue.

As ilustrações são de Chesley McLaren, conhecida como “a ilustradora francesa de Nova York” pelos seus elegantes traços; escreveu e ilustrou diversos livros e teve seu trabalho publicado em várias revistas como Town & Country, Vogue, InStyle e Elle.


UM LANÇAMENTO


Brasileirinho apresenta o show “Viva o Brasil”


O Coral Brasileirinho faz duas apresentações, neste fim de semana, do espetáculo “Viva o Brasil”, proporcionando ao público uma viagem musical pelo interior do país. Os shows acontecem sábado e domingo, no MON.

O Coral Brasileirinho faz duas apresentações do espetáculo “Viva o Brasil” neste sábado (1), às 18h, e domingo (2), às 16h, no Teatro do Museu Oscar Niemeyer. Com um repertório de canções que revivem as tradições, a natureza e os personagens do Brasil, o espetáculo proporciona ao público uma viagem musical pelo interior do país.

Com idades que variam de 8 a 13 anos, os 26 cantores do Brasileirinho atuam sob a direção artística de Milton Karam e Helena Bel. O programa foi elaborado dentro dos temas “Lembranças do Interior / O Trem”, “Festas, Tradição, Costumes”, “Crença e Fé”, “Lendas e Mitos”, “Pessoas e Lugares”, “Campo / Rural” e “Natureza”. Neles se encaixam composições de Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, Tom Jobim, André Abujamra, Joyce e Hélio Ziskind, entre outros nomes.



O grupo - Fundado em outubro de 1993, o Coral Brasileirinho desenvolve a proposta de recriar a canção popular urbana brasileira, por meio de arranjos que valorizam o potencial cênico das composições. No repertório do Brasileirinho, desenvolvido ao longo de seus 16 anos de existência, estão músicas que resgatam grandes compositores populares do passado, entre eles Noel Rosa, Sinhô, Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga, Lamartine Babo e Adoniran Barbosa, ao lado de obras de Vinícius de Moraes, Toquinho, Taiguara, Gonzaguinha, Fátima Guedes, Arnaldo Antunes, Caetano Veloso, Chico Buarque, Sá e Guarabyra e muitos outros. Também há espaço para autores locais, como Osiel Fonseca e Milton Karam.

Das mais de 145 apresentações do coral, foram marcantes as realizadas em 1995, no Teatro Amazonas, em Manaus. No mesmo ano, o grupo participou do show que comemorou os 30 anos de carreira de Toquinho, merecendo o convite do compositor para gravar uma das faixas do disco Canção dos Direitos da Criança, lançado em 1997. Em setembro de 2008, o Brasileirinho foi convidado a integrar a turnê do projeto musical Life is a Loop, comandado pelo DJ curitibano Rodrigo Paciornik. A participação do coral aconteceu em projeções de imagens e sons do grupo – gravados em estúdio, em um show especialmente preparado para o projeto –, durante as apresentações do espetáculo que percorreu o Brasil e depois foi levado aos Estados Unidos.



Serviço: Espetáculo “Viva o Brasil”, com o Coral Brasileirinho Datas e horários: dia 1º de maio (sábado), às 18h; dia 2 de maio de 2010 (domingo), às 16h Local: Teatro do Museu Oscar Niemeyer – MON (Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico) Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível) Informações: (41) 3321-3208

Clube Literário do Porto



:: Dia 30 | Sexta-feira

Auditório

21h30

Tertúlias em Cafés



Os intelectuais e a política


Moderador: João Bonifácio Serra


Oradores: Álvaro Domingues, José Pacheco Pereira, Manuel Loff



Coordenação:
Helena Carvalhão Buescu e Maria Alexandre Lousada



Mais informações em: http://centenariorepublica.pt/conteudo/tertuliasemcafes



Evento integrado no programa oficial da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR)




Piano-bar

22h00

Duo Insieme



BrunoR (viola dedilhada e eléctrica)
Joana Barata (piano)




Galeria da Cave

21h30

Inauguração



Exposição de desenho “Sermão aos Peixes”, de Maria Flor

Com Porto d’ Honra


:: Dia 1 | Sábado
Galeria

21h30

Inauguração




Palavras com objectiva . de sonja valentina e PAS[Ç]SOS



1 a 14 de Maio no Clube Literário do Porto



HELENA BRANCO [curadora]



Foi no universo dos blogs que as suas expressões se cruzaram. As imagens dela, espreitares singulares para paisagens do quotidiano, despertaram palavras dele que estendiam os sentires para além das fronteiras fixadas pela lente. A empatia entre o fotografado e o escrito alastrou para textos que se revelaram ampliações. Mas o desafio não sossegou e das palavras nasceram as imagens.

Em Maio de 2009 surgiu o convite para uma exposição de imagens. A fotógrafa alargou-o às palavras. Ao longo de, aproximadamente, um ano foram recolhidas e seleccionadas imagens. Foram escritas e revistas palavras. São doze os trabalhos duplos que constituem a exposição Palavras com objectiva. Escreveram-se imagens e fotografaram-se palavras. Numa significativa maioria expressamente para a exposição.

Serão doze conjuntos de fotografias e textos que convidam a entrar num imaginário que não pretende ser fechado nas inspirações dos autores. São doze conjuntos que pretendem proporcionar, aos que os apreciarem, leituras múltiplas mas pessoais. São trabalhos que ambicionam propiciar, aos olhares que tenham a oportunidade de os avaliarem, a possibilidade de viajar para além do que viram, de fazer seu o observado, de o extrapolar para um imaginário íntimo que lhes confira a certeza de também poderem voar.





Clube Literário do Porto Rua Nova da Alfândega, nº 22 4050-430 Porto Tel. 222 089 228 Fax. 222 089 230 Email: clubeliterario@fla.pt URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt http://clubeliterariodoportofla.wordpress.com/

Talentos da comunidade participam do Curitiba 12 horas

Foram escolhidas sete bandas para tocar no Curitiba 12 horas, ao lado de grupos consagrados como Mutantes, Blindagem e Relespública.

Sete bandas da comunidade foram escolhidas para participar do Curitiba 12 horas, evento a ser realizado pela “Homem de Ferro Produções Artísticas”, com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba. O encontro musical acontece no dia 8 de maio de 2010, das 10h às 22 horas, na Praça do Semeador (Regional Bairro Novo) e no Parque dos Peladeiros (Regional Cajuru).

A “Seleção de Talentos do Curitiba 12 Horas” se deu entre os moradores dos bairros pertencentes às duas regionais, e que agora vão ter a oportunidade de mostrar o seu talento, tocando no mesmo palco que nomes consagrados como Os Mutantes, Blindagem e Relespública. As inscrições para participar da seleção aconteceram entre os dias 5 e 20 de abril e os critérios de julgamento foram quanto às composições (letra, melodia e arranjo) e à interpretação (ritmo e afinação). A comissão julgadora foi composta por Emanuel Moon (músico do Relespública), Getúlio Guerra (produtor cultural e membro da PrasBandas) e Giovanni Caruso (músico integrante do grupo Giovanni Caruso e o Escambau).

Confira as bandas escolhidas:



REGIONAL CAJURU: Gás Pimenta, Freakadelicos, Macumbaria e Narciso Nada.



REGIONAL BAIRRO NOVO: 5 Graus, Ervilhas Astrais e Kakarottos.

Virada Cultural no Museu da Casa Brasileira (MCB)

Virada Cultural no Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura

15 e 16 de maio

Dia 15, sábado



11h – Lançamento de livro “Arquitetura Paisagística Contemporânea no Brasil”

A obra, a ser lançada pela Editora Senac São Paulo, traz uma investigação de professores e pesquisadores sobre a produção paisagística nos períodos colonial e pós-colonial, rumos e tendências, e a contribuição dos afiliados da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (Abap).



14h e 16h – Histórias na Coleção MCB

A atividade, com duração de uma hora, desafia pais e crianças a descobrir em objetos da Coleção MCB características de personagens de uma história especialmente criada para a oficina.



20h – Banda Mantiqueira homenageia compositores brasileiros

Primorosos arranjos de Nailor Proveta e Edson Alves numa homenagem a Pixinguinha, Tom Jobim, João Bosco e Aldir Blanc.



Das 10h à meia-noite – O restaurante Quinta do Museu estará aberto para refeições e serviço de bar



Dia 16, domingo



11h – Quarteto Brasileiro de Cordas interpreta Beethoven

Com um repertório dedicado a Beethoven, o grupo une qualidade artística com o talento de cada profissional.



14h e 16h - Histórias na Coleção MCB

A atividade, com duração de uma hora, desafia pais e crianças a descobrir em objetos da Coleção MCB características de personagens de uma história especialmente criada para a oficina.



18h – Traditional Jazz Band com o melhor do jazz

Uma das mais expressivas bandas de jazz do país executa um repertório empolgante.



Das 10h às 22h – O restaurante Quinta do Museu estará aberto para refeições e, das 18h às 22h, haverá serviço de bar.



Obs: As oficinas Histórias na Coleção MCB têm 20 vagas. Inscrição na recepção do Museu 40 minutos antes da atividade. Crianças deverão estar acompanhadas de um adulto responsável.



Serviço

Virada Cultural – 15/5, aberto até meia-noite, e 16/5, aberto até 22h - Entrada franca

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Brig. Faria Lima, 2705 Tel. 3032-3727 Jardim Paulistano

Site: www.mcb.org.br

Estacionamento: R$ 12,00

Acesso para pessoas com deficiência.

Milton Gonçalves grava voz de personagem título de longa-metragem de animação gaúcho


O ator Milton Gonçalves gravou no último final de semana, no Rio de Janeiro, as vozes do Avião Vermelho, personagem que dá título ao longa-metragem de animação “As Aventuras do Avião Vermelho”, dos diretores gaúchos Frederico Pinto e José Maia. Também integram o elenco do filme os atores Lázaro Ramos, Fernando Alves Pinto, Wandi Doratiotto, Zezeh Barbosa e Sérgio Lulkin, que dublaram as vozes dos personagens Chocolate, Lunar, Ursinho, Josefina e Pai, respectivamente. O personagem principal do filme, o Fernandinho, foi dublado pelo porto-alegrense Pedro Yan, de oito anos. O Avião, personagem que o Milton Gonçalves interpreta é primeiro um brinquedo, depois um meio de transporte e, mais adiante, um amigo para todas as horas. Salva a pele da turma várias vezes, se valendo de sua experiência.

De acordo com os diretores do filme, a gravação das vozes é uma das etapas mais importantes do processo de animação, pois desempenham um papel criativo fundamental no processo de construção do personagem. “Como gravamos as falas antes, podemos trabalhar a animação dos personagens inspirados na interpretação dos atores, na entonação e até mesmo no gestual que o ator utiliza”, destaca Frederico Pinto.

Milton Gonçalves tem mais de 50 anos de carreira artística, trabalhando com cinema, televisão e teatro. Sempre respeitado e querido, ganhou muitos prêmios. Ao todo fez mais de cem filmes, com papéis grandes e pequenos, contracenando também com muitos artistas estrangeiros, como Jacqueline Bisset, Raul Julia e outros. O ator faz parte do seleto grupo de 50 pessoas que está na Rede Globo desde o início. Em sua ficha constam novelas como, “Véu de Noiva”, “Um Homem que Deve Morrer”, “Selva de Pedra”, “Carga Pesada”, “A Grande Família”, “Baila Comigo”, “Pecado Capital”, “Irmãos Coragem”, “Anjo de Mim”, e muitos outros trabalhos, entre novelas, mini-séries e Casos Especiais. O ator também é reconhecido pela sua militância no movimento negro.

“As Aventuras do Avião Vermelho” é um filme para o público infantil, baseado no livro de Erico Verissimo, escrito em 1936. O longa é uma produção da Armazém de Imagens e Okna Produções e está previsto para ser lançado em 2011. Para isso, uma equipe técnica trabalha num estúdio de animação montado no bairro Bom Fim, em Porto Alegre. Segundo os diretores, o processo de animação utilizado combina a fluidez e a organicidade dos movimentos da tradicional técnica do desenho animado 2D, produzido em papel, com as possibilidades de movimentação espacial da animação digital 3D. Os cenários e o planejamento dos movimentos de câmera são produzidos digitalmente em 3D, mesma técnica em que o Avião e todas as máquinas do filme serão modeladas e animadas. Para cada plano é produzido uma série de movimentos e imagens, que servem como base para os desenhos produzidos no papel. Posteriormente eles são digitalizados e coloridos em um processo de pintura digital. O 3D é utilizado como uma ferramenta para aperfeiçoar e facilitar o processo de trabalho, mas a aparência final é a do desenho animado 2D.

80.ª FEIRA DO LIVRO de LISBOA

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

Programação cultural das editoras Assírio e Alvim, Cotovia e Relógio d'Água.

Os eventos irão decorrer na "Praça Amarela - Central" da Feira do Livro de Lisboa, junto aos nossos pavilhões:

Assírio e Alvim - A60, A62, A73, A75

Cotovia - A58, A67, A69, A71

Relógio d'Água - A50, A52, A54, A57, A59, A61, A63, A65

BI Biblioteca Editores Independentes - A56



30 ABR (6ª) – 18h


Artistas Unidos: os actores Américo Silva, João Meireles, Sylvie Rocha, Tiago Matias e Vânia Rodrigues lerão textos sobre a escrita, os livros, a leitura.

1 MAI (SÁB) – 16h


Artistas Unidos: Jorge Silva Melo e Hélia Correia sobre o mais recente romance desta escritora, “Adoecer”.

2 MAI (DOM) – 17h


Leitura do poema “Eu, o Povo” de Mutimati Barnabé João / João Grabato Dias pelo actor e encenador Fernando Mora Ramos (Teatro da Rainha).

4 MAI (3ª) – 18h


A música da banda rock “Os Velhos”.

5 MAI (4ª) – 17h


Actividades da Casa da Achada (Centro Mário Dionísio). Projecção de imagens. Com intervenção do Coro às 18h30.

6 MAI (5ª) – 18h


A música de Samuel Úria.

7 MAI (6ª) – 18h


Projecção de filmes sobre livros e autores.

8 MAI (SÁB) – 16h


Filmes sobre autores da Assírio e Alvim: Mário Cesariny, Teixeira de Pascoaes, Alexandre O’Neill, Álvaro Lapa, Rui Chafes e Lourdes Castro.

9 MAI (DOM) – 17h


Artistas Unidos: leituras encenadas a partir dos “Livrinhos de teatro” e da “Revista Artistas Unidos”. Com os actores: Andreia Bento, António Simão, Pedro Carraca e Sílvia Filipe.

11 MAI (3ª) – 18h


A música de “Os Quais” (Jacinto Lucas Pires + Tomás da Cunha Ferreira) e convidados.

12 MAI (4ª) – 18h


A livraria “Braço de Prata / Eterno Retorno” apresenta-se. Concerto de Jazz.

13 MAI (5ª) – 19h


Projecção de filmes e actuação das batucadeiras do Batuque Finka Pé. Uma colaboração com a Associação Cultural “Moinho da Juventude” da Cova da Moura.

14 MAI (6ª) – 18h


Leitura de “Odes” de Horácio e de “Metamorfoses” de Ovídio por Pedro Braga Falcão. Concerto de quarteto de cordas.

15 MAI (SÁB) – 16h


Poesia Brasileira. Leitura por Diogo Dória. Com a presença do poeta Carlito Azevedo, que dirá poemas de sua autoria.

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

PROGRAMAÇÃO

De 30 de abril a 6 de maio de 2010


CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174 fone 41 3321-3252 (diariamente das 09h às 12h e das 13h30 às 22h30 – sábados e domingos das 14h30 às 22h30) www.fccdigital.com.br

OS INQUILINOS (BR/2009 – 103’ – 35mm). Direção de Sergio Bianchi. Com Marat Descartes, Caio Blat, Cássia Kiss.

Valter estuda à noite. Iara, sua mulher, diz que os novos inquilinos não trabalham, que devem ser bandidos. Ninguém sabe de onde vieram os três rapazes. Iara diz que eles levam mulheres para casa e falam palavras sujas. Os jovens da rua querem ir para a briga, Valter quer dormir. Ele não tem uma arma, tem uma filha e um filho pequenos, fica fora o dia inteiro, não vê o que se passa na rua, ouve o que a mulher diz, o que a rua diz, ouve o barulho da música e das risadas dos inquilinos, de madrugada. E não consegue dormir. Quem vai morrer? Valter não sabe. Classificação 14 anos

Sessões às 15h45, 18h e 20h15

Ingresso pago: R$5,00 (inteira)

R$2,50 (meia)

R$1,00 ( aos domingos)

O UNIVERSO INTELIGENTE de James Gardner

O UNIVERSO INTELIGENTE
de James Gardner


Páginas: 280 págs


Essa é a impactante questão abordada por James Gardner em O Universo Inteligente.

Tradicionalmente, os cientistas oferecem duas respostas desanimadoras: fogo ou gelo. Gardner prevê uma terceira alternativa: o nascimento de um novo universo. O Universo Inteligente é ao mesmo tempo um olhar que mergulha no passado e um mapa do futuro do universo.

Ele explora os mistérios do cosmos e da consciência, e oferece uma visão sincera e fascinante do destino para onde nossa mente está nos levando.


O AUTOR

James Gardner é ensaísta científico e teórico da complexidade reconhecido internacionalmente. Seus ensaios e artigos científicos foram publicados em diversos periódicos científicos e importantes jornais internacionais. Gardner é palestrante destacado em importantes instituições e conferências científicas e atualmente é o principal redator de resenhas de livros de ciência popular para o jornal The Sunday Oregonian.


UM LANÇAMENTO





Zen das Estrelas de St. Clair

Zen das Estrelas

de St. Clair



Páginas: 392 págs.

Zen das Estrelas é uma aventura épica transdimensional que narra a expansão da alma/consciência de todos nós, e nos revela profundas descobertas sobre a humanidade e seus possíveis futuros.
O ponto central da sua mensagem é: após 2012, veremos emergir novas realidades e mudanças que ocorrerão com todos os seres que estiverem abertos a essas transformações.
Zen das Estrelas nos mostra o quanto nos distanciamos de um conhecimento há muito perdido, ainda oculto em antigas doutrinas e, principalmente, como podemos acessar esse conhecimento com os nossos níveis de consciência mais profundos.
Guiado por uma entidade chamada Mestre da Luz, o autor nos traz uma preciosa fonte de informações para este importante período de transição em que vivemos.

O AUTOR
O astrólogo estrategista e cosmólogo St. Clair é conhecido graças aos seus vários programas de rádio e ao seu popular website www.passage11.com. St. Clair prediz com exatidão tendências econômicas globais e eventos políticos em todo o mundo. Seus horóscopos e previsões cobrem nosso tempo até 2048. Neste livro de arte e ficção, ele trata do que chama de nosso relacionamento com o mundo invisível.

*UM LANÇAMENTO





**

“Negros, Índios e o Brasil: Diálogos na Cultura”

Palestras extras na terça e quinta às 19h


A CAIXA Cultural Curitiba informa que serão realizadas duas palestras extras no evento “Negros, Índios e o Brasil – Diálogos na Cultura”, que acontece de 04 a 06 de maio. O evento consiste originalmente em uma série de três encontros e aborda a diversidade cultural brasileira. A curadoria e mediação são de Ana Mae Barbosa e Dennis de Oliveira, professores da Universidade de São Paulo, com a participação de convidados. A temática é a obrigatoriedade do ensino das culturas afro-brasileira e indígena na grade curricular das escolas.



Em parceria com o Núcleo de Estudos Afro Brasileiros da Universidade Federal do Paraná, serão realizadas duas palestras, conforme a programação abaixo:



Dia 04/05/2010 às 19h – “O Negro na Mídia”

Prof. Dennis de Oliveira - Coordenador do Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação – CELACC/ECA/USP

Prof. Paulo Vinicius B. da Silva - Coordenador do Núcleo de Estudos Afro Brasileiros – NEAB/UFPR



Dia 06/05/2010 às 19h – “Identidades Indígenas”

Rosi Kariri - Educadora e Presidente da Associação Indígena Kariri-AIKA (SP)

Romacil Creta - Presidente da Articulação Povos Indígenas do Sul (ARPIN SUL)



Informações e inscrições pelo e-mail neabufpr@gmail.com de 2.ª a 6.ª das 10h às 18h.



Serviço



Encontro: “Negros, Índios e o Brasil: Diálogos na Cultura”

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: 04 e 06 de maio

Horários: terça e quinta 19h

Inscrições: Entrada franca - As inscrições devem ser feitas pelo e-mail neabufpr@gmail.com de 2.ª a 6.ª das 10h às 18h

Público: Professores do Ensino Médio e Fundamental

Lotação: 120 vagas por dia

www.caixa.gov.br/caixacultural

Quartas Mal Ditas Poesia & Jazz


: Dia 28 |Quarta-feira

Piano-bar

21h30

Quartas Mal Ditas

Poesia & Jazz



com a presença do grupo DOIS P ' RA JAZZ

Francisco Seabra, piano

João Belchior, voz



Organização e colagem de textos: Anthero Monteiro.



Intervenientes: Amílcar Mendes, Anthero Monteiro, António Pinheiro, Diana Devezas, Isabel Marcolino, Luís Carvalho, Mário Vale Lima, Rafael Tormenta.



Clube Literário do Porto

Rua Nova da Alfândega, nº 22

4050-430 Porto

Tel. 222 089 228

Fax. 222 089 230

Compositores nórdicos no concerto do Coro da Camerata


Fernando Swiech, músico brasileiro que desenvolve carreira na Alemanha, é o regente convidado para as apresentações que acontecem no fim de semana.

A Capela Santa Maria sedia neste fim de semana o concerto do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, que abre a temporada 2010 patrocinada pela Volvo. A regência estará a cargo do maestro convidado Fernando Swiech e o repertório reúne obras de compositores da Alemanha e Estônia, além dos países nórdicos Noruega, Suécia e Finlândia. As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (30) e às 18h30 de sábado (1º), contando com as participações da atriz Claudete Pereira Jorge e da flautista Zélia Brandão.

O Coro da Camerata Antiqua de Curitiba inicia em grande estilo a série de concertos deste ano, dando sequência às apresentações com maestros convidados. No ano passado, o grupo fez vários recitais, contando com a regência de importantes nomes nacionais, além do francês Martin Gester, do “Le Parlement de Musique”. Também em 2009, o grupo curitibano foi citado pela imprensa europeia entre os dez melhores coros do mundo e participou, no mês de junho, do 18º Festival Corale Internazionale “La Fabbrica Del Canto”, na Itália.

Músico de elevado desempenho profissional, Fernando Swiech iniciou seus estudos em Ponta Grossa (PR). Posteriormente, esteve na Escola de Música e Belas Artes do Paraná e, após conquistar bolsa de estudos da Capes, foi para a Alemanha, onde se estabeleceu e tem importante trabalho como organista e regente na Comunidade Luterana de Altona-Ost, na região de Hamburgo. O convite para que Fernando se apresentasse com o Coro da Camerata nasceu do interesse do grupo em desenvolver um trabalho cênico em suas apresentações e a proposta do maestro de executar a obra “Toten Tanz” do alemão Hugo Distler (1908 – 1942).

“Toten Taz”, composta em 1934, trabalha com três elementos: teatro música e variações para flauta, e reflete dois períodos difíceis da história europeia. A peste negra e o tempo entre as duas guerras mundiais estão presentes nessa obra, não somente nos textos, mas também nos meios musicais de composição desses dois períodos.

O concerto, que tem direção cênica de Jacqueline Daher, cenário e figurinos de Manu Daher e iluminação de Nádia Luciani, também tem peças de Arvo Pärt (1935), da Estônia, e dos compositores de países nórdicos Edvard Grieg (1834 – 1907) e Trond Kverno (1945), da Noruega; Hugo Alfvén (1872 – 1960), da Suécia; e Jaakko Mäntyjärvi (1963), da Finlândia.

A variedade de compositores reunidos proporciona ao público um espetáculo único. Ao lado de “Quatro Salmos”, composta em 1906 e última obra do mais famoso compositor norueguês, Edvard Grieg, está “Aftonen”, de Hugo Alfvén, que descreve o som de uma trompa atravessando a floresta em uma noite de verão, quando o sol praticamente não se põe totalmente na Suécia.

“Dopo la Vittoria”, composição encomendada pela cidade de Milão, em 1997, para homenagear Santo Ambrosio, mostra o talento de Arvo Pärt, um dos mais festejados compositores europeus da atualidade. O “Pseudo-Yoik”, de Jaakko Mäntyjärvi, é baseado no canto típico dos lapões, um dos maiores grupos indígenas europeus que vivem em torno do Ártico. Esse tipo de canto pode descrever tristeza, sorte ou alegria. A “Ave Maris Stella”, de Trond Kverno, é um tema com variações sobre um hino em latim. O texto, do século VIII, é de autor desconhecido e esse hino é cantado nas festas relacionadas à Santa Maria, na Igreja Católica.



Serviço: Apresentações do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência do maestro convidado Fernando Swiech, na abertura da temporada 2010 de espetáculos patrocinados pela Volvo. Datas e horários: 30 de abril (sexta-feira), às 20h, e 1º de maio (sábado), às 18h30. Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro) Ingressos: R$ 10 ou R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível (promoção não cumulativa).

Escritor de Foz do Iguaçu lança livro na Livraria Dario Vellozo


“Um brinde a três amigos”, quinto livro do escritor, professor e vereador Nilton Bobato, tem lançamento às 19h30 desta sexta-feira (30).



A Livraria Dario Vellozo, uma das unidades da Fundação Cultural de Curitiba, recebe nesta sexta-feira (30), às 19h30, o escritor de Foz do Iguaçu, Nilton Bobato, que lançará o seu novo livro “Um brinde a três amigos”. A quinta obra assinada por Bobato é uma antologia de suas principais produções poéticas, presentes em livros independentes anteriores. Além das poesias já publicadas, selecionadas pelo escritor Roberto Medina, o autor reúne nesta publicação cinco poemas inéditos.

Assim como nos demais livros, a poesia de Nilton Bobato revela as singularidades humanas no mundo, as angústias, a provocação, lágrimas, sorrisos e amores envoltos pela rebeldia. Sem a preocupação com o estilo e a forma, o autor manifesta, de forma única, as impressões sobre o tempo, marcadas pela inquietude, reflexão e humor. “Os poemas traduzem o estado momentâneo de humor, amor ou ódio, que caracterizam o cotidiano”, relata Bobato.

O diferencial de “Um brinde a três amigos” é o desejo de um registro definitivo, pois desde 2003 a poesia de Nilton Bobato esteve impressa em livros artesanais, com acesso limitado, em razão da pequena quantidade de exemplares. Mas esta obra tem um outro significado para o escritor: a constatação de que é impossível controlar o vício pela poesia. “Na essência, a publicação deste livro revela uma contradição a uma promessa que havia feito a mim mesmo: não publicar mais poesia depois de Risos da Fronteira. Tentava controlar um vício”.

Nascido em 1967, Nilton Bobato reside em Foz do Iguaçu desde 1980, onde atualmente exerce o mandato de vereador pelo PCdoB. Professor de Língua Portuguesa, é autor dos livros independentes “Risos da Fronteira” (poesia e contos – 2003), “Prato Feito” (poesias – 2002), “Prosa de Sacada” (contos – 2005) e “Sobremesa” (poesias – 2008). Em 2006, recebeu menção honrosa no Concurso Nacional de Poesias Helena Kolody, com o poema “O muro e o corpo”. Em 2007, foi o único brasileiro a integrar a antologia latino-americana de poesias “Poetas de Cara Al Siglo”, com autores de nove países.



Serviço: Lançamento do livro “Um brinde a três amigos”, de Nilton Bobato Local: Livraria Dario Vellozo (Palacete Wolf – Praça Garibaldi, 7) Data e horário: dia 30 de abril de 2010 (sexta-feira), às 19h30 Entrada franca

Africanos são mais uma vez desafio dos brasileiros na Maratona de São Paulo

Leia em ******

terça-feira, 27 de abril de 2010

O projeto “O Direito do Olhar”


Com o objetivo de levar arte e cultura para as crianças, adolescentes, mulheres e funcionárias do sistema prisional da cidade de São Paulo, incentivando-as a expor seus sonhos e expectativas, foi promovido em 2005, pelo IDDD, o concurso cultural “O Direito do Olhar”. Realizado dentro das penitenciárias, hospitais de custódia e unidades da Fundação CASA (ex-Febem), o concurso teve como proposta fazer com que as próprias internas, presas e agentes carcerárias trabalhassem em produções artísticas, na valorização da dignidade que a vivência diária no sistema penitenciário lhes diminuiu.

O concurso foi realizado em todos os estabelecimentos prisionais femininos da capital paulista, como o apoio da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro e da Fundação Conrado Wessel. O número total de presas era de aproximadamente 3.700 e, desse total, 680 mulheres, crianças e adolescentes inscreveram-se espontaneamente para participar. Entre as inscritas foram selecionadas 120 participantes em cada categoria, somando 360. Além delas, duas funcionárias de cada estabelecimento podiam concorrer em cada modalidade artística.

Esse exercício de cidadania foi todo documentado e revelado nas páginas do livro O Direto do Olhar – Publicar para Replicar, que será lançado no próximo dia 28 de abril, às 10h30, no Lions Nightclub. O evento, além de celebrar o sucesso do projeto, propondo a sua continuação, comemora os 10 anos do Instituto de Defesa do Direito de Defesa.

A obra reúne todo desenvolvimento do concurso, tendo como resultado: poemas, contos, desenhos e fotografias, dentre esses, os que foram contemplados com prêmios e menções honrosas e, depois, selecionados para uma exposição. O projeto do livro foi contemplado pelo processo de seleção pública do Programa Petrobras Cultural, no segmento de Educação para as Artes, que entre seus objetivos visa desenvolver, através dos fazeres artísticos, a capacidade criadora e a noção de pertencimento à sociedade.

O Direto do Olhar – Publicar para Replicar tem a intenção de divulgar todo o processo de montagem do concurso para que ele possa ser replicado em outros locais – outros estados brasileiros, e até mesmo em outros países –, de modo a beneficiar as comunidades que se disponham a empreender o caminho retratado, um meio de re-humanização de pessoas submetidas às condições do cárcere, sejam como internas, sejam como funcionárias do sistema. O livro é um exercício de valorização da dignidade da pessoa humana e da cidadania, que refletiu diretamente no comportamento desses indivíduos na sua relação com a sociedade.

A publicação traz textos de Flávia Rahal e Luís Guilherme Vieira, respectivamente, presidente e diretor cultural do IDDD. O prefácio é do cantor, compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e o posfácio é de Márcio Thomaz Bastos, advogado criminal, ex-ministro da Justiça e idealizador do IDDD.

Os depoimentos de alguns dos jurados envolvidos em cada categoria também estão contemplados na obra e abordam um pouco da experiência e da opinião de cada um deles: Ricardo Ohtake (Instituto Tomie Ohtake), Noélia Coutinho (Projeto Portinari), jurados de desenho; Drauzio Varella (médico e escritor) e a jornalista Marina Amaral, jurados de literatura; Eduardo Muylaert (advogado e fotógrafo) e Iatã Cannabrava (fotógrafo), jurados de fotografia.

O projeto “O Direito do Olhar” recebeu, em 2005, moção de aplauso e congratulação do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária do Ministério da Justiça e menção honrosa do “Prêmio Betinho – Cidadania e Democracia”.



O Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), foi fundado em julho de 2000 por um grupo de advogados dedicados, em sua maioria, ao direito criminal com o objetivo claro de fortalecer o direito de defesa e o respeito aos direitos individuais.

Segundo Flávia Rahal, presidente do IDDD, o instituto surgiu com a convicção de seus fundadores de que esforços coletivos na proteção do direito de defesa e do próprio Estado democrático de direito teriam maior impacto tanto no sistema de justiça, como na própria sociedade. “E é assim, atuando em favor de quem não pode, manifestando-se todas às vezes nas quais o direito de defesa apareça violentado e construindo projetos que interferiam na realidade que o instituto cumpre seu papel”, destaca.



Para Luís Guilherme Vieira, diretor cultural do IDDD, o princípio da dignidade da pessoa humana não é privilégio reservado àqueles que vivem soltos. Além disso, “crime não é aquele cancro que só dá no vizinho. Ele ocorre em nossos lares. Imaginar diferente é não atuar como cidadão. É aguardar sentado que ele nos fira diretamente, para que tenhamos, aí, motivos para espernear”.



As atividades do IDDD demonstram a importância do Direito de Defesa para a formação de uma sociedade mais fraterna e equânime. Por meio de mutirões (visitas de advogados a estabelecimentos prisionais para examinar os prontuários de presas e presos e verificar a possibilidade de correção de eventuais ilegalidades), de ações de assistência judiciária gratuita, de pesquisas e da divulgação de seus ideais, busca-se fomentar uma discussão positiva em torno do Direito de Defesa, que, no mais das vezes, ganha apenas o papel de coadjuvante, quando não o de vilão, nas peças encenadas pelos demais atores do sistema judiciário (Polícia, Ministério Público e Magistratura).

“MULHERES SEM HOMENS”, DA IRANIANA SHAHRNUSH PARSIPUR, DISCUTE ABERTAMENTE A VIRGINDADE

Depois de ter sido banido do Irã e ter causado a prisão da escritora Shahrnush Parsipur, o livro “Mulheres sem Homens” chega ao Brasil em 2010, pela editora Martins Martins Fontes.

Com previsão de lançamento para o segundo semestre deste ano, a obra causou polêmica no Irã por falar abertamente sobre a questão da virgindade. O livro conta a história de cinco mulheres iranianas: uma prostituta, duas solteiras, uma dona de casa e uma professora. Todas enfrentam opressões por conta da discriminação sexual, tradições culturais e ideias sobre virgindade e a sexualidade da mulher. As vidas destas cinco personagens acabam se cruzando em um jardim de Karaj, um lugar próximo ao Teerã.

Em 2009, o livro ganhou uma versão cinematográfica, com direção de Shirin Neshat, que levou o Leão de Prata, segundo prêmio mais importante do Festival de Veneza.


Sobre a autora:


A escritora Shahrnush Parsipur nasceu no Teerã, no dia 17 de fevereiro de 1946. Ela começou sua carreira literária aos 16 anos, escrevendo histórias curtas e alguns artigos. Shahrnush é formada em sociologia pela Universidade do Teerã. Todas as suas publicações foram banidas do Irã e atualmente ela mora nos Estados Unidos.

Maria da Conceição Tavares faz 80 anos


Maria da Conceição Tavares completou 80 anos neste sábado, 24 de abril de 2010. Célebre pela apaixonada militância, autora de influente obra acadêmica, Conceição participou de boa parte dos principais debates políticos e econômicos do país na segunda metade do século XX.

Portuguesa naturalizada brasileira, economista, matemática, professora, Conceição está presente na vida do PT e da Fundação Perseu Abramo. Pelo Partido dos Trabalhadores, foi eleita deputada federal pelo Rio de Janeiro, em 1994. Sempre bastante próxima das iniciativas da FPA, é autora de livros publicados pela Fundação.

Para homenageá-la nesta data, o Portal FPA preparou página especial com depoimentos de pensadores, militantes e lideranças históricas, além de imagens e material de acervo. O especial pode ser acessado neste link.

Novos editais do Fundo contemplam as áreas de cinema e patrimônio cultural

A Fundação Cultural de Curitiba lança novos editais do Fundo Municipal da Cultura. Os editais vão selecionar projetos de pesquisa sobre a paisagem fabril de Curitiba no final do século 19 e produções em cinema digital.


Novos editais do Fundo Municipal da Cultura da Prefeitura de Curitiba estão com inscrições abertas, contemplando patrimônio cultural e cinema digital. Na área de patrimônio, o edital tem a finalidade de conceder apoio financeiro para a produção de projetos de pesquisa voltados ao registro da paisagem fabril de Curitiba, entre o final do século 19 e meados do século 20. Na área de cinema e vídeo, serão selecionados filmes digitais nas categorias iniciantes e não-iniciantes. As inscrições encerram no dia 16 de junho. Os editais estão disponíveis no site www.fundacaoculturalcuritiba.com.br

/Lei de Incentivo.

O edital “Identificação e registro da paisagem fabril de Curitiba” faz parte da proposta de garantir o registro do patrimônio cultural urbano de Curitiba, formado entre o final do século 19 até a década de 1960 – período marcado pelo surgimento de inúmeros estabelecimentos fabris, voltados aos mais diversos setores de produção e trabalho, como olarias, indústrias de beneficiamento de mate, alimentos, fósforos, moinhos, louças, vidros, vestuários, mobiliários e serrarias. Essas fábricas contribuíram não apenas para o desenvolvimento da economia local, mas também para a impulsão da ocupação e urbanização de muitas regiões da cidade.

No processo de expansão urbana ocorrido após a década de 1960, culminando com a criação da Cidade Industrial, muito se perdeu na paisagem com a transferência ou desativação de vários estabelecimentos surgidos nas décadas anteriores. No entanto, eles ainda permanecem nas memórias e na paisagem urbana como referenciais de um cotidiano já perdido, mas ainda vivo nas lembranças de muitos curitibanos.

Cinema – Dois editais contemplam a área de cinema e vídeo, sendo um deles exclusivamente para proponentes iniciantes. Os editais têm o objetivo de apoiar a produção de filmes digitais, nos gêneros ficção, documentário e animação. Entre os proponentes não-iniciantes, que comprovem experiência e já tenham sido selecionados em outros programas do Fundo, serão selecionados projetos de curta e longa-metragem. Entre os iniciantes serão escolhidos projetos de curta-metragem digital, com duração de 8 a 15 minutos.



Serviço:

Editais do Fundo Municipal da Cultura – inscrições até 16 de junho de 2010

“Identificação e registro da paisagem fabril de Curitiba”

“Filme digital – categoria não iniciante”

“Curta-metragem digital – categoria iniciante”

Informações no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br, link “Lei de Incentivo”, menu “Editais de Inscrições”

Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail paic.atendimento@fcc.curitiba.pr.gov.br

SHOW CHICO BUARQUE - Histórias de canções


Clique para ampliar

Ana Mae Barbosa e Dennis de Oliveira em encontro sobre a diversidade cultural brasileira



“Negros, Índios e o Brasil: Diálogos na Cultura” na teoria e na prática no Teatro da CAIXA

A CAIXA Cultural Curitiba patrocina o encontro “Negros, Índios e o Brasil – Diálogos na Cultura”, de 04 a 06 de maio. O evento consiste em uma série de três encontros e aborda a diversidade cultural brasileira. O encontro tem a curadoria e mediação de Ana Mae Barbosa e Dennis de Oliveira, professores da Universidade de São Paulo e a participação de outros profissionais convidados.

O projeto é voltado para professores do ensino médio e fundamental. A programação conta com três palestras de profissionais da área educacional que irão abordar os aspectos teóricos da temática e gerenciar dinâmicas com o público. O tema da discussão é a obrigatoriedade do ensino das culturas afro-brasileira e indígena (Leis 10.639/03 e 11.645/08, respectivamente) na grade curricular das escolas, conforme a legislação.

O que fazer e como abordar o assunto dentro da sala de aula para crianças e adolescentes, criando atmosferas em que reconheçam a influência destas culturas na vida diária? Tendo esta questão em mente, os curadores desenvolvem o trabalho tendo a cultura visual como foco, extrapolando a sala de aula e colaborando para um maior entendimento da diversidade, trabalhando a tolerância às diferenças e contribuindo para o conhecimento e o desenvolvimento de uma identidade brasileira.

O foco deste projeto é disseminar o conhecimento dos especialistas e apresentar práticas pedagógicas com atividades em que o professor estabeleça uma relação direta com o tema, com abordagens práticas para a aplicação em sala de aula. A condução das atividades será feita com um especialista em cada uma dos temas, seguida de uma dinâmica de grupo.

O objetivo do ciclo não é apenas socializar informações a respeito destas temáticas, mas contribuir para a discussão de uma ação pedagógica que dê conta dos objetivos desta legislação. O evento conta com o apoio institucional do Celacc – Centro de Estudos Latino Americano de Cultura e Comunicação da ECA/USP.

Outras informações podem ser encontradas no site www.negroindiobras.com.br e no blog www.negroindiobras.blogspot.com

Curadores/mediadores

Ana Mae Barbosa - Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, mestrado em Art Education - Southern Connecticut State College e doutorado em Humanistic Education - Boston University. Atualmente é professora titular aposentada da USP e professora da Universidade Anhembi Morumbi. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Artística, atuando principalmente nos seguintes temas: Arte-Educação, Artes Visuais, História do Ensino da Arte, Ensino da Arte, Ensino do Design, Administração de Arte e Multiculturalidade.

Dennis de Oliveira - Graduado em Jornalismo, mestrado e doutorado em Ciências da Comunicação pela USP. Atua na área de Comunicação, com ênfase em Comunicação Popular com os temas: comunicação e cultura, processos midiáticos e culturais, comunicação e recepção, processos midiáticos e jornalismo, mídia e racismo e integração na América Latina. É coordenador do CELACC (Centro de Estudos Latino Americanos de Cultura e Comunicação) e membro do Neinb/USP (Núcleo de Estudos Interdisciplinares do Negro Brasileiro). Consultor na área de comunicação, educação e cultura para empresas e instituições governamentais e ONG.

Palestrantes

Dirléia Mathias - Pedagoga, licenciada em Supervisão Escolar e nas disciplinas pedagógicas do Ensino Médio pela UFPR, Especialista em Metodologia do Ensino Superior pelo Instituto Brasileiro de Pós Graduação, Integrante do GEAA - Grupo de Estudos e Trabalho Africanidades Araucária, Diretora Pedagógica do Sindicato Municipal dos Professores de Araucária, Pedagoga do Colégio Estadual Brasílio Vicente de Castro e Coordenadora Geral do Fórum Municipal em Defesa da Escola Pública Gratuita e Universal.

Lisy Salum - Possui graduação em Educação Artística pela Fundação Armando Álvares Penteado, mestrado e doutorado em Antropologia Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. É docente do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP, com ênfase em estudos africanistas. Atua nas áreas de arte africana, cultura material, coleções em museus, arte e religiosidade afro-brasileira, imaginário, imagens e fotografia. Pesquisadora de arqueologia histórica, historiografia da arte e antropologia com estudos sobre àquilo que, na cultura material, envolve problemas de território relevantes aos problemas do Negro no Brasil e nas Américas.

Rosimary de Araujo (Rosi Kariri) - Professora indígena com formação em Meio Ambiente pela Escola Técnica ETEVAV em Jundiaí. Estudante de Ciências Sociais da PUC-SP. É presidente da Associação Indígena Kariri e Coordenadora do Encontro Kariri. Também é conselheira do CEPISP - Conselho Estadual dos Povos Indígenas de São Paulo e Diretora do Ponto de Cultura: Casa da Cultura Indígena, em Cotia, um convênio entre o Ministério da Cultura e a Secretaria Estadual da Cultura.

Programação do evento em Curitiba

Terça-feira (04 de maio) das 13h às 17h

Arte e Cultura Afro-brasileira

Mediação: Dennis de Oliveira

Especialista: Dirléia Mathias

Quarta-feira (05 de maio) das 13h às 17h

Arte e Cultura indígena

Mediação: Dennis de Oliveira

Especialista: Rose Kariri

Quinta-feira (06 de maio) das 13h às 17h

Cultura Visual no Brasil influenciado pelas culturas indígena e afro-brasileira

Mediação: Ana Mae Barbosa

Especialista: Lisy Salum

Serviço:


Encontro: “Negros, Índios e o Brasil: Diálogos na Cultura”

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: de 04 a 06 de maio, com uma temática diferente a cada dia

Horários: de terça a quinta, das 13h às 17h

Inscrições: Entrada franca - As inscrições estão encerradas.

Informações: (41) 2118-5114 (de terça a sexta das 10h às 18h)

Público: Professores do Ensino Médio e Fundamental

Lotação: 60 vagas por dia

www.caixa.gov.br/caixacultural