quinta-feira, 6 de maio de 2010

CAIXA Cultural Curitiba apresenta a quarta sessão do Teste de Audiência




Diretores e espectadores se reúnem na próxima terça, 11 de maio


A CAIXA Cultural Curitiba apresenta no dia 11 de maio, terça-feira, a quarta sessão surpresa do Teste de Audiência. O projeto é uma iniciativa dos cineastas Marcio Curi e Renato Barbieri e está na 2ª temporada na capital paranaense.


A surpresa passou a fazer parte do Teste de Audiência na temporada passada, em que o nome do filme e dos diretores passaram a ser divulgados apenas no momento da exibição do filme. Esta temporada, no entanto, apresenta outras novidades, pois os produtores estão variando diferentes aspectos das sessões. “O Teste de Audiência trabalha com uma equipe de pesquisa bastante atenta e preparada. É um projeto muito dinâmico e, ao mesmo tempo em que pesquisamos sobre os filmes, estamos sempre reavaliando o próprio Teste e a sua metodologia de trabalho. Por isso podemos esperar sempre novas surpresas”, conta o produtor Márcio Curi.



As obras trabalhadas são, comumente, longa metragens. Em 2010, Curi e Barbieri resolveram experimentar outros formatos e gêneros cinematográficos, como a segunda sessão que apresentou os média –metragens “Retratos de Família”, de Marcelo Munhoz, e “Ratão”, de Santiago Dellape. A última sessão apresentou o documentário “No Lixo do Canal 4”, de Yanko Del Pino, estreando o gênero na temporada em Curitiba.



Yanko Del Pino participou pela primeira vez do projeto e afirma que irá incorporar o evento como parte do processo de finalização dos seus filmes, pois a experiência o deixou seguro para terminar a obra. “Com a numerosa plateia e o modo profissional como o projeto foi concebido, deixei de ter vagas impressões para ter uma radiografia precisa da reação do publico”, afirma o cineasta. “O Teste de Audiência terá um impacto nos filmes que por aí passarem, provocando uma maior aproximação com o público. É importantíssimo!”, completa.



O projeto Teste de Audiência



O projeto consiste na projeção de um filme em caráter de surpresa. O filme, ainda em fase de finalização, é analisado em todos os seus aspectos pelo público presente, que participa de um bate papo com o diretor ou produtor da obra após a exibição do filme. Além de oferecer aos cineastas brasileiros uma preciosa ferramenta de trabalho, o Teste de Audiência colabora também para a formação do público e para o desenvolvimento de uma metodologia científica, bastante utilizada em cinematografias mais desenvolvidas, mas inacessível ao cinema independente brasileiro.



Serviço: Cinema: Teste de Audiência – 4ª sessão surpresa Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba/PR Data: 11 de maio Horário: terça 19h30 Ingressos: Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro, no dia do evento, a partir das 18h30 Bilheteria: (41) 2118-5111 Classificação etária: Não recomendado para menores de 16 anos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural

Viagra ou Vairagya: Onde Está a Bem-aventurança?


Sentei-me à mesa de jantar com alguns de meus colegas para nos despedirmos de um funcionário. Logo fui lembrada da razão pela qual tendo a não estar presente em semelhantes encontros. Como usual, a conversa, por fim, volta-se ao assunto do sexo.



Mimi, uma mulher de cinqüenta e oito anos, fala sobre seus esforços por preservar uma vida sexual ativa com seu parceiro, Phil. Ele está tomando o afrodisíaco Viagra, e eu ouço casualmente enquanto Mimi fala muito empolgadamente sobre sua renovada vida sexual. Viagra, na estimativa dela, é um milagre.



“Viagra ou vairagya”, eu penso,
(...)

Leia mais em
*

Centro Cultural Banco do Nordeste disponibiliza perfil no Twitter e canal de vídeos no You Tube






O Centro Cultural Banco do Nordeste está disponibilizando dois canais em mídias sociais: um perfil no microblog Twitter e um canal de vídeos no You Tube.

O perfil no Twitter (www.twitter.com/ccbnb) está compartilhando e colhendo - junto aos internautas - informações, sugestões e opiniões sobre a programação dos três Centros Culturais Banco do Nordeste (Fortaleza; Cariri, em Juazeiro do Norte, na região sul do Ceará; e Sousa, no alto sertão paraibano). O perfil atualmente conta com 363 seguidores.

Recentemente, dentro da programação do IV Festival BNB das Artes Cênicas, a entrevista com o ator, dramaturgo e diretor teatral Ricardo Guilherme foi tuitada ao vivo no perfil do CCBNB, destacando e compartilhando frases emitidas pelo artista sobre sua história de vida e trajetória artística, no decorrer da conversa.

Por sua vez, o canal do Centro Cultural Banco do Nordeste no You Tube (www.youtube.com/user/centroculturalbnb) está exibindo vídeos de entrevistas com os cantores e compositores Raimundo Fagner, Ednardo, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e Antônio Nóbrega, com o dramaturgo, romancista e poeta Ariano Suassuna e com o ator Emiliano Queiroz, além de um debate sobre Literatura na Internet e um vídeo institucional sobre o BNB.

Com duração média total de 55 minutos, cada uma dessas entrevistas e debate disponível no canal do CCBNB no You Tube está dividida em cinco a sete blocos. Ao todo, são 44 vídeos publicados no referido canal, segmentados em sete programas especiais (entrevistas e debate), mais o vídeo institucional.

Entre os diferenciais interessantes do acesso a esses vídeos publicados no canal do CCBNB no You Tube, o designer gráfico do Ambiente de Comunicação do BNB, Gabriel Ramalho, aponta: "os vídeos podem ser vistos na Internet, no momento e na ordem em que o internauta desejar e, também, através de dispositivos móveis, em qualquer lugar, como Ipod, Iphone e demais smartphones; além disso, os usuários podem optar por se inscrever no canal de vídeos, recebendo, assim, todas as atualizações em primeira mão; e todos os vídeos podem ser compartilhados em blogs, redes sociais ou enviados aos amigos".

As entrevistas foram gravadas no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, dentro dos programas Nomes do Nordeste, Literato e Papo XXI. O Nomes do Nordeste mostra a trajetória de vida e a atuação artístico-cultural dos principais nomes da cultura nordestina, por meio de depoimentos de profissionais e artistas reconhecidos nacional e internacionalmente.

Já o Literato contempla a realização de palestras com autores nordestinos, além de debates sobre temas ligados à literatura regional. Nesses encontros, os leitores são apresentados às idéias dos autores, discutindo obras ou temas.

Além do Nomes do Nordeste e do Literato, o CCBNB realiza o Papo XXI. Nesse programa de debates, o tema central são as tendências da cultura para o Século XXI. O objetivo é discutir e aprofundar os conhecimentos sobre temas emergentes da atualidade, com forte repercussão no Nordeste.

Editados no formato DVD, as entrevistas, debates, depoimentos e palestras referentes a esses três programas são veiculados na rede de TVs públicas brasileiras. Organizadas em cinco coleções de dez volumes, esses DVDs são distribuídos gratuitamente pelo Centro Cultural Banco do Nordeste para bibliotecas e estabelecimentos de ensino públicos, equipamentos culturais e organizações não-governamentais, mediante solicitação por ofício. A íntegra das entrevistas com os cantores e compositores Alceu Valença e Geraldo Azevedo também está disponível em forma de livro.

Veja a seguir a sinopse de cada uma dessas entrevistas disponíveis no canal do Centro Cultural Banco do Nordeste no You Tube (www.youtube.com/user/centroculturalbnb):



Raimundo Fagner - Capaz de misturar Luiz Gonzaga, Beatles e Roberto Carlos e fundir com desenvoltura as culturas árabe, ibérica, caribenha e nordestina em sua própria música, ele se autodefine como um "liquidificador ambulante". O personagem é o cantor, compositor, instrumentista, ator e produtor musical cearense Raimundo Fagner Cândido Lopes, nascido em 13 de outubro de 1949, em Fortaleza. Entrevistador: Valdo Siqueira - produtor audiovisual, pesquisador, colecionador musical e radialista. Programa gravado no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, no dia 09/05/2006. Duração: 55 minutos.



Ednardo - Ednardo é integrante da geração de músicos que deixou o Ceará no início dos anos 1970, com o objetivo de tentar carreira profissional em nível nacional. Nessa busca, o músico acabou por levar, não apenas ao "sul maravilha", mas a todo o País, o canto das coisas de seu terra: das dunas brancas à aldeia Aldeota. Do primeiro disco ao lado de Téti e Rodger de Rogério em 1973, o LP "Meu corpo, minha embalagem, todo gasto na viagem", que ficou conhecido como "Pessoal do Ceará", às trilhas para cinema e TV - incluindo seu maior sucesso nacional, "Pavão Mysteriozo", da fonte do cordel para o folhetim global em 1976. Três anos depois, foi um dos articuladores da "Massafeira Livre", evento cultural que deu origem a um disco, compondo novo retrato da música cearense. Desde então, Ednardo segue produzindo, compondo, lançando discos, fazendo shows, refletindo sobre sua arte e as coisas de seu tempo e seu lugar. Entrevistador: Nelson Augusto - jornalista e pesquisador musical. Programa gravado no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, no dia 30/01/2007. Duração: 53 minutos.



Alceu Valença - Nascido em 1946, Alceu Valença é um dos mais expressivos nomes da música brasileira, um artista que atingiu o maior equilíbrio estético entre as bases musicais nordestinas com o universo dos sons elétricos da música pop. Nesta entrevista, esse pernambucano compositor, cantor, mago, anjo avesso, nascido na terra dos Quatro Cantos, reconhecido e aplaudido em todos os cantos do mundo, monta em seu cavalo-de-pau, aguça os sentidos e galopa na fala da infância prodigiosa; das referências e influências musicais; das canções e dos sucessos. Filosofa, defende as raízes nordestinas e conta causos. Este é nosso convite para a reflexão no espelho cristalino do artista, para a folia em torno da vida do eterno menino e brincante. Entrevista realizada pelo ator, apresentador, diretor teatral e dramaturgo Ricardo Guilherme, no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, no dia 05/02/2004. Duração: 55 minutos.



Geraldo Azevedo - Nascido em 1945, Geraldo Azevedo é mais um dos grandes artistas brasileiros que deixa registrada, com seu timbre de voz e seu sotaque tipicamente nordestino, a grandiosidade das cantigas bem arranjadas. Nesta entrevista, esse pernambucano das margens do Rio São Francisco, rincões de Petrolina, defende as águas de sua infância e de sua juventude. Ele, que cedo descobre a bossa nova e experimenta tocar e cantar, apenas como uma forma de estar no mundo. Lembra do tempo que queria ser engenheiro ou arquiteto; dos tempos difíceis, de prisões e torturas. Mas também se enternece com a vida e canções dos inúmeros parceiros. De Jatobá para o mundo, eis aqui circunstâncias desse cantor-passarinho, desse bicho de sete cabeças, desse caravaneiro da vida cigana... Entrevista realizada pelo ator, apresentador, diretor teatral e dramaturgo Ricardo Guilherme, no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, no dia 15/07/2004. Duração: 55 minutos.



Ariano Suassuna e Antonio Nóbrega - Os Romanceiros Ibérico e Brasileiro: Este programa apresenta o encontro de dois dos mais expressivos e autênticos nomes da cultura nordestina: o escritor, dramaturgo, poeta e gravurista Ariano Suassuna e o pesquisador, músico, dançarino e ator Antonio Nóbrega, abordando o tema "Os Romanceiros Ibérico e Brasileiro". Romanceiros é um conjunto de poemas narrativos, unidos por um tema central, onde cada poema é um romance. Romanceiros também pode ser entendido como uma coleção de poesias e canções populares, de um país ou de uma região, que andam na boca do povo. Mediadora: Eleuda de Carvalho - jornalista. Programa gravado no auditório do Centro de Convenções do Ceará, durante a 6ª Bienal Internacional do Livro, em Fortaleza, no dia 29/08/2004. Duração: 55 minutos.



Emiliano Queiroz - Nascido em Aracati (CE), o ator Emiliano Queiroz atuou no teatro e na televisão cearenses (final dos anos 1950 e início da década de 60, respectivamente). Depois transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde desde 1965 integra o elenco da TV Globo - emissora na qual consagrou-se nacionalmente, interpretando personagens marcantes em novelas (Juca Cipó em "Irmãos Coragem" e Dirceu Borboleta em "O Bem Amado") e em filmes como "O grande mentecapto", "Madame Satã", "O Xangô de Baker Street", "Navalha na carne", "Dois perdidos numa noite suja" e "Independência ou morte". Entrevistador: Ricardo Guilherme - ator, apresentador, diretor teatral e dramaturgo. Programa gravado no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza, no dia 30/03/2007. Duração: 55 minutos.



Literatura na Internet - A Internet tem se apresentado como um espaço democrático para a nova e boa literatura feita no Brasil. Como utilizar com sabedoria e criatividade a Internet e manter um canal de diálogo entre escritores e o público? Apresentador do tema: Edson Cruz - editor do site de literatura & arte Cronópios (www.cronopios.com.br ) e da revista eletrônica Mnemozine. Debatedor: Daniel Glaydson - poeta, tradutor e editor da revista virtual de literatura & adjacências Famigerado (www.famigerado.com ), webeditada a partir de Sobral (CE). Mediador: Carlos Augusto Barreto Corrêa Lima - escritor, poeta, editor, ensaísta e antidesigner. Programa gravado no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza (CE), no dia 21/02/2006. Duração: 55 minutos.

Capa criativa

Em sua edição de aniversário, Guia Curitiba Apresenta realiza concurso cultural

Já pensou em ser responsável pela capa de aniversário do Guia Curitiba Apresenta? Pois pode começar a colocar a criatividade para funcionar. No mês de junho, a publicação completa três anos e convida seus leitores para participar de um concurso cultural. Até o dia 14 de maio, a equipe do Guia irá receber ilustrações, desenhos, fotografias e demais expressões artísticas de profissionais ou amadores, que podem enviar um trabalho com o tema “3 anos do Guia”.

Além de ter a arte publicada na capa dos 50 mil exemplares do Guia de aniversário, o vencedor ganhará um vale-compras da Fnac Curitiba no valor de R$300 reais e um voucher para duas pessoas, válido para todos os eventos da programação da Fundação Cultural de Curitiba até o final deste ano. Os interessados em participar podem conferir o regulamento no site da FCC (www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br).



Longa história

Publicado pela Fundação Cultural de Curitiba, o Guia Curitiba Apresenta surgiu em julho de 2008 com a proposta de divulgar os eventos culturais da capital. Dividido em áreas como música, cinema, artes visuais, teatro e circo, literatura, dança e infantil, a revista contém textos sobre os principais destaques do mês, entrevistas com artistas ou pessoas relacionadas à cultura e editorias voltadas exclusivamente ao leitor. Com uma tiragem de 50 mil exemplares, a revista é distribuída gratuitamente em diversos pontos da cidade além de contar com uma versão online disponível em diversos sites ligados à cultura, turismo e entretenimento.



Serviço

Concurso de Capa – Guia Curitiba

Data: Até 14 de maio

Regulamento: www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br
Juliana Ceccatto
41 3213-7590
Rua Eng. Rebouças, 1732
80230-040 Curitiba-PR
www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br
www.twitter.com/ctbaapresenta

Dr. Botica promove mostra de teatro para crianças e adultos

O Teatro de Bonecos Dr. Botica promove neste mês de maio uma mostra de teatro para todas as idades, oferecendo uma programação variada de espetáculos. Neste fim de semana serão encenados dois espetáculos da Cia. di Trento, um para criança e outro para adultos. O Teatro Dr. Botica fica no Shopping Estação. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

O primeiro espetáculo é “Montando Lobato”, que será apresentado neste sábado e domingo (8 e 9), às 15h e às 17h. Na peça, o ator Elcio di Trento é um contador de histórias, que utiliza objetos e fantoches para fazer o público infantil mergulhar no universo de Monteiro Lobato. A outra peça, dirigida ao público adulto, é “Ensaiando Pessoa”, em cartaz de sexta-feira a domingo (7 a 9), às 20h. Um ator, utilizando fragmentos da vida e obra de Fernando Pessoa, elabora, através de experimentações nas linguagens do teatro de figura humana e teatro de formas animadas, a criação do personagem Pessoa.



Confira a programação completa da Mostra do Dr. Botica:



Montando Lobato – Cia. di Trento

8 e 9 de maio, às 15h e 17h



Ensaiando Pessoa – Cia. di Trento

7, 8 e 9 de maio, às 20h ( espetáculo para adultos)



O Rei Que Ficou Cego – Cia. Karagozwk

15 e 16 de maio, às 15h e 17h

***

Compadre Rico e Compadre Pobre – Cia. Karagozwk

14, 15 e 16 de maio, às 20h (espetáculo para adultos)





Ópera de Carvão e Flor – Cia. Teatro Filhos da Lua

22 e 23 de maio, às 15h e 17h



Teatro que História é Essa? – Cia. Teatro Filhos da Lua

21, 22 e 23 de maio, às 20h (espetáculo para adultos)



Chapeuzinho Vermelho – Cia. Rasga Teatro

29 e 30 de maio, às 15h e 17h



Javote – Cia. Rasga Teatro

28, 29 e 30 de maio, às 20h (espetáculo para adultos)



Serviço:

Mostra de Teatro Dr. Botica

Local: Teatro Dr. Botica – Shopping Estação (Av. 7 de Setembro, 2.775)

Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

Exposição “Atapuerca: A aventura da evolução” revela detalhes da evolução humana


O Instituto Cervantes e a PUC/Minas realizam, entre os dias 13 de maio e 10 de junho, a exposição Atapuerca: A aventura da evolução. Porta de entrada para o palco da evolução humana, a mostra ajuda a conhecer como eram e como viviam nossos antepassados na Serra Atapuerca: complexo paleoantropológico localizado próximo à cidade de Burgos, na Espanha, e considerado o mais importante do mundo para o estudo da evolução e dizimação humana na Eurásia.

A Serra Atapuerca reúne um grande número de fósseis de diferentes épocas, registrando mais de um milhão e meio de anos da história da humanidade. Esta pequena serra, onde se concentram restos de pelo menos três espécies humanas diferentes (Homo antecessor, Homo heidelbergensis e Homo sapiens), recebe há 30 anos paleontólogos, arqueólogos, biólogos e geólogos, atraídos pela abundância e a raridade dos materiais recuperados nos seus depósitos.

Entre as riquezas do local destaca-se La Sima de los Huesos, a maior jazida de ossos humanos já encontrada. Consiste em um poço de 12 metros de profundidade onde já foram recuperados mais de 6 mil fósseis humanos, pertencentes a, no mínimo, 28 indivíduos da espécie Homo heidelbergensis. Devido a essa enorme importância, os jazidos da Serra Atapuerca foram declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 2000.

Os visitantes da exposição terão a oportunidade de ver quatro réplicas da indústria lítica, réplicas do crânio “Miguelón”, (o mais bem conservado do Homo heidelbergensis) e do Homo antecessor, bem como 25 painéis informativos sobre as jazidas, a história e o descobrimento da serra. Montada em uma estrutura moderna, a mostra apresenta também ponto de informação por computador, com acesso ao conteúdo da Fundação Atapuerca e abordagens temáticas relacionadas à serra em imagens em 3D. Durante a exposição será exibido também um vídeo em telão, com duração de 30 minutos.



Serviço:

Exposição “Atapuerca: A aventura da evolução”

Local: Museu de Ciências Naturais da PUC–Minas (Av. Dom José Gaspar, 290, Coração Eucarístico)

Data: 13 de maio a 10 de junho de 2010

Visitação: De terça a sábado, das 8h à 17h.

Entrada franca

Informações: (31) 3789-1600

Curitiba 12 Horas acontece neste sábado




São 12 horas de atrações de música, teatro, literatura, circo entre outras atividades, em dois palcos simultâneos montados no Parque do Semeador (Bairro Novo) e no Parque dos Peladeiros (Cajuru).

Doze horas de muita música, teatro, literatura, dança, circo, artes visuais e diversas outras atividades, em dois palcos simultâneos. Este é o Curitiba 12 horas, projeto realizado pela Homem de Ferro Produções Artísticas, por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura, que acontece neste sábado (08), das 10 às 22 horas, no Parque do Semeador (Bairro Novo) e no Parque dos Peladeiros (Regional Cajuru). Todas as apresentações que acontecem nos dois palcos são gratuitas.

Na programação estão peças de teatro, como “Romeu e Julieta” e “Henfil Já”, com direção de Nena Inoue e Maurício Vogue, espetáculo circense especialmente preparado para o evento pelo grupo “Trip Circo”, além da mostra de mini-documentários de artes visuais e a apresentação de alguns escritores como Ivan Justen e Thadeu Wojciechowski, com intervenções literárias.

Também fazem parte da programação, espetáculos de dança como “Meu Brasil Brasileiro”, “Soy Louco por ti, América” e “Nos Tempos da brilhantina”, com a Cia de Dança Tatiana Asinelli.



Música – Na área de música, o evento mescla apresentação de talentos locais com grandes nomes do cenário nacional. Sete bandas da comunidade foram escolhidas para participar do Curitiba 12 horas abrindo espaço para que os novos talentos possam apresentar o seu trabalho ao lado de nomes consagrados como Os Mutantes, Blindagem e Relespública. Os grupos Maxixe Machine, Giovanni e Caruso e o Escambau completam a programação.

“Queremos aproximar as pessoas através do rock and roll”, explica o produtor Luiz Antonio Ferreira. Para ele o evento também tem como objetivo iniciar uma mudança na mentalidade das pessoas. “Procuramos montar uma programação jovem e dinâmica, mostrando que nossos artistas são mais do que bons, são necessários à comunidade. Vamos mesclar centro e periferia em torno das artes.”






Serviço Curitiba 12 horas Data e horário: 8 de maio, das 10h às 22h Local: Parque do Semeador (R. Des. Carlos Pinheiro Guimarães - Bairro Novo) e Parque dos Peladeiros – (R. Antônio Moreira Lopes, 328 – Cajuru) Entrada Franca. Informações: www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

MOSTRA O SEU QUE EU MOSTRO O MEU

2ª Semana Acadêmica do Curso de Cinema e Vídeo da Faculdade de Artes do Paraná/CINETVPR

Mostra de trabalhos desenvolvidos pelos alunos durante o curso.

De 11 a 13 de maio – entrada franca

Classificação 14 anos para todos os programas





Dia 11 às 19h30 – Mostra o Seu que eu Mostro o Meu

Dia 12, às 19h30 – Curtas de Novos Realizadores

Dia 13:

Às 20h – Palestra Panorama atual do curta-metragem no Brasil. Análise crítica da produção de curta-metragem e a sua atual importância no cenário cinematográfico brasileiro. Ministrante: Cleber Eduardo.

Às 21h – Mostra o Seu que eu Mostro o Meu

Maiores informações consultar www.semanadecinema.com

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

PROGRAMAÇÃO

De 7 a 13 de maio de 2010

CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174 - fone (41) 3321-3252 (diariamente das 09h às 12h e das 13h30 às 22h30 – sábados e domingos das 14h30 às 22h30) www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br





PARIS (França/2008 – 129’ – 35mm). Direção de Cédric Klapisch. Com Juliette Binoche, Romain Duris, François Cluzet. A história de um rapaz parisiense que está doente e pensa que vai morrer. Sua condição faz com que ele olhe para todos à sua volta de uma maneira nova e diferente, imaginando que sua morte repentina daria um novo significado à existência das outras pessoas e à vida de toda a cidade. Vendedores de frutas e verduras, uma funcionária de uma padaria, um executivo, uma dançarina, um arquiteto, uma empregada doméstica, um professor, uma modelo, um imigrante ilegal de Camarões... Todos esses personagens, tão diferentes entre si, terão os seus destinos desvendados dentro da misteriosa e fascinante cidade de Paris. Classificação 14 anos

Sessões às 15h45 e 19h30

Dias 11, 12 e 13, sessões somente às 15h45

Ingresso pago: R$5,00 (inteira)

R$2,50 (meia)

R$1,00 (aos domingos)

James Joyce e Guimarães Rosa no projeto XX Narrativas do Século XX


O regionalismo dos autores irlandês e brasileiro no Teatro da CAIXA


XX Narrativas do Século XX apresenta textos de James Joyce e Guimarães Rosa na edição do dia 12 de maio, no Teatro da CAIXA. Os textos serão lidos por Caetano Waldrigues Galindo e Walter Lima Torres Neto, que ocupam também as funções de mediador e diretor, respectivamente. O som ambiente é da flauta de Zélia Brandão.



“Ulisses” é a obra de James Joyce e “Grande Sertão: Veredas” de Guimarães Rosa. Apesar da distância física, e relativamente temporal, os autores possuem em comum o regionalismo presente nas obras de ambos. A terra natal é o foco de James Joyce, enquanto o brasileiro retrata o sertão nordestino.



O escritor irlandês James Joyce, nascido em 1882, é um dos grandes nomes do Século XX. A temática de sua obra é focada na Irlanda, apesar da grande vivência em centros europeus. Seu primeiro romance, o autobiográfico “Retrato do Artista Quando Jovem”, aparece em 1916. “Ulisses“, de 1922, apresenta 24 horas na vida de um homem comum e, por descrever a fisiologia humana com detalhes, foi proibido em certos países por conteudos impróprios. No entanto, é a obra que o levou à fama internacional. “Finnegans Wake”, de 1939, apresenta a outra parte do homem: as camadas mais profundas da mente. James Joyce falece em 1941, se refugiando em Zurique depois de viver 20 anos em Paris.



O brasileiro Guimarães Rosa, nascido em 1908 em Minas Gerais, é um divisor de águas na linguagem da literatura brasileira. O autor modernizou a ficção do regionalismo brasileiro pelo trato dado à língua, voltado especialmente para o sertão. A linguagem é extremamente valorizada nas suas obras, pois representa a “fala do povo”, que unida à sua erudição o permitiu brincar e recriar a língua portuguesa. A inovação lingüística pode ser apreciada em diversas obras do autor. “Sagarana” (1946) introduziu a prosa inventada misturando as heranças europeias e indígenas. “Corpo de Baile”, composto de sete novelas, é de 1956. Inicialmente “Grande Sertão: Veredas” seria uma das novelas de “Corpo de Baile”, no entanto, tomou tal proporção que se tornou uma obra singular e das mais importantes na língua portuguesa. “Grande Sertão: Veredas” conta a história de um sertanejo em suas andanças pelo sertão brasileiro. “Primeiras Estórias”, de 1962, traz 21 narrativas que tratam dos segredos da existência humana. Guimarães Rosa faleceu em 1967, deixando obras em vida e póstumas.



Sobre o projeto



XX Narrativas do Século XX propõe uma leitura mensal, sempre nas quartas, composta por dois textos de autores da literatura universal. A intenção é expor e comparar a panorâmica da literatura mundial no século XX, em que o homem é visto como o “contador de histórias”, em todas as diferentes maneiras de se contar a cultura.



A importância do projeto consiste na maneira diferenciada e criativa de abordar textos literários, provocando no público o interesse pela leitura dos textos originais em sua íntegra. Sempre realizado a partir da leitura de dois textos, o projeto vai além da mera encenação de peças literárias e se torna um ambiente de reflexão sobre a importância da palavra escrita na construção da identidade de um povo.



Ficha Técnica



Coordenação do projeto: Mauro Zanatta

Curadoria: Flávio Stein

Direção de Produção: Leandro Daniel



Serviço



Projeto XX Narrativas do Século XX: Textos de James Joyce e Guimarães Rosa

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: 12 de maio

Horários: quarta 20h

Ingressos: 01 (um) livro não didático

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Não recomendado para menores de 14 anos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

Amanhã! Lançamento



Indicadores de Desempenho de Processos de Planejamento, de Iony Patriota, às 19h,
na Saraiva Mega Store Shopping Recife - R

Grupo pernambucano homenageia o Rei do Baião



A CAIXA Cultural Curitiba apresenta o grupo pernambucano Quinteto Violado, de 14 a 16 de maio. O show “Quinteto Violado canta Luiz Gonzaga” é um passeio pela obra de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, que é a fonte de inspiração suprema do grupo. Além dos clássicos do homenageado, serão exibidas imagens suas que completam o clima da cultura nordestina.

O Quinteto Violado surgiu como uma proposta cultural de valorização da cultura regional na música brasileira. O grupo viveu três momentos: o resgate e leitura dos temas dos folguedos populares; a elaboração de uma nova interpretação dos clássicos da música nordestina e a composição autoral. “O Quinteto surgiu com o encontro de músicos que participaram de movimentos culturais de Pernambuco e que já estavam recebendo influência das mais diversas correntes musicais da época”, conta o músico Marcelo Melo. “O cancioneiro de Luiz Gonzaga faz parte da identidade cultural nordestina e para nós é a influência mais autêntica desta cultura, tanto que está impregnada na história de vida do grupo”, completa Marcelo.

Com arranjos sofisticados, cuidadosa elaboração cênica e agregando as experiências individuais de seus integrantes na pesquisa da cultura tradicional nordestina, o grupo atraiu a atenção do público e da crítica. Percorreu as estradas do país de norte a sul, inspirado nos folguedos populares, cantando o universo das feiras no interior, influenciando a música do amanhã.

O Rei do Baião expressou como ninguém as riquezas da “região problema” do Brasil. Em sua crônica do homem do sertão, revelou a religiosidade do vaqueiro, a astúcia do sertanejo, o flagelo das secas periódicas, sem deixar de lado a denúncia do assistencialismo inócuo. Sua obra é o mais completo inventário da cultura nordestina, que o grupo pernambucano revisita no espetáculo ”Quinteto Violado Canta Luiz Gonzaga”.


Quinteto Violado


O grupo pernambucano Quinteto Violado surgiu em 1971, logo após a irrupção do movimento tropicalista. Com uma proposta fundamentada em elementos da cultura regional, o grupo traçaria a partir de então um novo caminho para a música popular brasileira. Com as mais simples manifestações populares, a essência rítmica e melódica do grupo é uma nova concepção musical, cujo traço fundamental é a interação entre o erudito e o popular, sem desfiguração e reafirmando a idéia de que toda arte é sempre a universalização do popular.

Em seu disco de estreia o grupo talvez nem sequer imaginasse que, muito mais que uma nova roupagem orquestradora, estava produzindo a semente de uma mudança no modo de sentir e expressar a música brasileira. Em 39 anos de estrada se intercalam pesquisas, espetáculos, discos, festivais e excursões internacionais. A saga do Quinteto Violado está hoje registrada em livro, vídeo e mais de 47 discos lançados no Brasil e no exterior.

O amadurecimento cultural e profissional cresce a cada dia no grupo, que se mantém dinâmico em seu trabalho e com a consciência crítica de que não se acomodou ou fez concessões aos modismos da indústria cultural.

Ficha Técnica

Marcelo Melo: Violão, viola e voz

Dudu Alves: Teclado e piano

Roberto Menescal: Bateria e Voz

Ciano: Flauta e Violão

Sandro: Baixo

Raminho: Percussão (participação especial)

Direção e Coordenação Geral: Ângelo Filizola

Produção: Afonso Oliveira

Vídeos (Luiz Gonzaga): Raul Henry (arquivo pessoal)



Serviço



Música: Quinteto Violado

Local: Teatro da CAIXA

Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba

Data: de 14 a 16 de maio

Ingressos: R$20 e R$10 (meia – conforme legislação e clientes CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

terça-feira, 4 de maio de 2010

Alguém já disse que te ama hoje?

Alguém já disse que te ama hoje?
de Albigenor Militão e Rose Militão

Número de Páginas: 168
Um livro que se propõe simplificar a vida e oferece a solução universal para todos os problemas: o amor.

Certas expressões como obrigado, desculpe, por favor, disponha e amo você, acompanhadas ou não de um gesto, fazem uma diferença extraordinária para o bem estar e a autoestima das pessoas. O melhor é que dizer isso não custa nada. É só dizer!

Alguém já disse que te ama hoje? é um livro para sua cabeceira. Nele, os consultores Albigenor e Rose Militão extrapolam os moldes do “livro de auto-ajuda” e, através de textos curtos, simples e objetivos – mas extremamente sensíveis, nos dão valiosos conselhos sobre o amor.

Muitos já tentaram explicar ou entender o amor. Outros tantos procuraram defini-lo. Nesta obra, porém, os autores fogem das especulações vãs de justificar esse nobre sentimento e conseguem mostrar que o mais importante é gerá-lo dentro de si e transmiti-lo ao próximo. Suas várias formas de expressão e demonstração devem estar presentes desde o âmbito profissional até o mais intimo toque pessoal. Afinal, o objetivo da vida é ser feliz!


OS AUTORES
Albigenor Militão é psicólogo, consultor de processos humanos organizacionais, na área de T&D, com especialização em Dinâmica de Grupo, Gestalt-terapia e SH. É consultor nacional do programa “Sebrae Ideal” (Aperfeiçoamento de Lideranças Empresariais), CDL-Fortaleza, Senac-CE e Sebrae-CE. É diretor da Imagem Domínio.

Rose Militão é assistente social, com especialização em Dinâmica de Grupo, publicitária e diretora comercial da Imagem Domínio. É facilitadora de workshops de Mudanças Organizacionais. Tem mais de 10 anos de experiência com sensibilização e acompanhamento de grupos familiares.


UM LANÇAMENTO





O Paraíso é isso! revela os dois lados de Fernando de Noronha




Documentário será lançado no Centro Cultural Banco do Nordeste, em Fortaleza


Cenários paradisíacos, exuberantes belezas naturais e povo acolhedor. Um sonho para os viajantes do mundo inteiro. Assim é conhecido o arquipélago de Fernando de Noronha. Pelo menos, entre os turistas. Pela ótica dos habitantes, é preciso trabalhar duro para sobreviver num lugar como esse, em condições nada confortáveis. Ou seja, viver lá tem um preço. O documentário "O Paraíso é isso!", dirigido pela jornalista Ana Paula Teixeira, retrata os dois lados de Noronha, com as vantagens e as desvantagens de se morar na ilha. O lançamento será no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB), localizado na Rua Floriano Peixoto, 941 - Centro, em Fortaleza, nos dias 8 e 22 de maio (dois sábados), às 10h30, com acesso gratuito ao público.

O vídeo tem 30 minutos e surgiu a partir de conversas informais com alguns visitantes, que falavam do alto custo de vida e das limitações dos moradores. "Até então eu só escutava coisas boas sobre o arquipélago, sobre a beleza, as paisagens. Então achei que esse outro lado renderia um documentário", disse a diretora, que começou a pesquisar mais sobre o tema, entrou em contato com alguns moradores da ilha e descobriu uma série de dificuldades enfrentadas por eles, inerentes a situação de isolamento.

Alguns problemas são bem evidentes e foram registrados no documentário, como a questão da logística, que acaba encarecendo os produtos. É comum ver a mesma pessoa em dois ou três empregos para sustentar os altos valores praticados na ilha. Ramon Fleishman é turismólogo, mas trabalha na TV Golfinho, tem uma pequena empresa de locação de máquinas digitais subaquáticas e ainda é músico à noite. Ele sofre outro problema, também comum em Noronha, que é a própria limitação geográfica, aliada à legislação ambiental. "Moro com a minha esposa e dois filhos numa casa com quarto, cozinha e banheiro. Improvisamos esse espaço na casa dos meus pais porque não temos autorização para construir nada, um impasse para a população em crescimento", explicou. Quase tudo na ilha precisa ser autorizado pelo Parque Nacional Marinho ou pela administração insular.

No vídeo, os personagens também chamam atenção para a dificuldade de acesso aos serviços de saúde. No Hospital de Fernando de Noronha, faltam especialistas em algumas áreas como ginecologia, obstetrícia e anestesia, gerando um transtorno para os moradores, que precisam embarcar para o continente a fim de realizar exames, consultas médicas e cirurgias de média complexidade, inclusive partos. Outros problemas da ilha apontados são os buracos nas estradas vicinais, a coleta irregular de lixo e as poucas opções de lazer.

Mas, por outro lado, há também aqueles moradores que destacaram as oportunidades oferecidas em Noronha, a segurança e a qualidade de vida, motivos pelos quais eles decidiram viver na ilha por opção. Maíra Loei Uchôa é turismóloga, trabalhou em vários estados do Brasil como produtora de grandes shows e acabou se apaixonando por um nativo de Noronha, com quem tem um filho. Ela enxerga os problemas do lugar como graves, mas acredita que a qualidade de vida compensa.

Ângelo Loyo é músico, casado com a escritora Elda Paz. Ambos vivem na ilha por considerá-la uma fonte de inspiração para o trabalho deles, uma combinação perfeita dos quatro elementos do universo. Cláudio Soares, conhecido como Bodão, é instrutor de mergulho e tem o fundo do mar como o seu refúgio. Zé Maria é empresário e fez fortuna com muito trabalho, amor à terra e persistência. São diversas histórias que envolvem também alguma paixão, pelo lugar ou por uma pessoa em especial.

"Essa diversidade mostra também que o povo nordestino é versátil e inteligente, pois consegue administrar o cotidiano estando no sertão ou ilhado em pleno Oceano Atlântico, a 365 km da costa brasileira", analisou a diretora.

Funcionária do Banco do Nordeste há oito anos, Ana Paula inscreveu o projeto no programa Cultura da Gente, oferecido pela instituição como incentivo aos projetos culturais dos funcionários. O projeto foi aprovado em 2009, quando a jornalista reuniu a equipe para gravar o vídeo na ilha, com a ajuda de diversos parceiros locais. "Entrevistando as pessoas, sentimos que o documentário estava funcionando como a voz dos moradores. As pessoas agradeciam pelo espaço que estávamos dando para eles", lembrou Magda Negromonte, produtora.

"O Paraíso é Isso!" tem legendas em português, inglês e espanhol, trilha sonora produzida por músicos da ilha e inclui, como extra, um making of da equipe. A idéia é inscrevê-lo em festivais nacionais e internacionais, distribuí-lo para emissoras de TV's públicas, bibliotecas e cineclubes em todo o país e promover uma exibição especial para os moradores de Noronha, na própria ilha.

SERVIÇO O quê: Lançamento do documentário "O Paraíso é isso!" e do blog www.curtamuito.com Quando: dias 8 e 22 de maio (sábados), às 10h30 Onde: Centro Cultural Banco do Nordeste (Fortaleza) Endereço: rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108 Acesso: Gratuito



O Paraíso é Isso! (Documentário, 2010, 30 minutos), de Ana Paula Teixeira, revela o cotidiano e a realidade dos moradores de Fernando de Noronha, fazendo um contraponto entre as paisagens únicas da ilha, que atraem turistas do mundo todo, com os numerosos problemas de infra-estrutura, burocracia e alto custo de vida, típicos da situação de isolamento. Desafios enfrentados diariamente por esses nordestinos versáteis, que conseguem sobreviver em diferentes situações, estando no sertão ou ilhado em pleno oceano atlântico. Será o preço a pagar para viver num paraíso?

FICHA TÉCNICA
Roteiro - Ana Paula Teixeira e Patrícia de Oliveira
Produção - Ana Paula Teixeira, Clécio Sobral e Magda Negromonte
Trilha sonora - Ângelo Loyo, Durval Lelys e Ju Medeiros
Fotos - Fernanda de Souza
Imagens - Harryson Barros e Carlos Henrique
Imagens subaquáticas - Ciliares
Pesquisa de arquivo - TV Golfinho
Assistente de câmera - Dedê
Making of - Tito Santiago
Montagem - Ana Paula Teixeira e Francisco Alves
Finalização - Francisco Alves
Assessoria de Imprensa - Signo Comunicação
Assistente de direção - Tito Santiago
Direção de fotografia - Arnaldo Carmona
Direção - Ana Paula Teixeira
Realização - Mira Filmes, Humberto Sonorização e Ita Produções
Patrocínio - Programa Cultura da Gente, do Banco do Nordeste

Tecnologia na Educação

Tecnologia na Educação
de Raquel Marques Villardi e Eloiza da Silva Gomes

Número de Páginas: 144

Uma iniciativa pioneira na educação de qualidade e socialmente justa, parceira da inserção das novas tecnologias no processo ensino.
É possível aprender fora da sala de aula presencial. Contudo é necessário um método de educação eficaz, que alie perfeitamente programas de ensinos bem estabelecidos, com conteúdo informativo e informática. Esse é pilar que sustenta o principal objetivo do livro Tecnologia na Educação, de Raquel Villardi e Eloiza Gomes Vieira.

Resultado de uma parceria acadêmica das autoras, a obra representa o trabalho que as profissionais vêm realizando pelo crescimento e pela solidificação da Educação à Distância (EAD) no Rio de Janeiro.

O livro é composto de duas partes. A primeira trata do uso da tecnologia na educação presencial, refletindo sobre a forma como ela interfere nos modos de aprender e ensinar. Na segunda parte do livro, as autoras discorrem sobre a inserção da tecnologia na educação superior, com ênfase nos processos educacionais à distância. Além de fazer um estudo analítico imparcial, Raquel e Eloiza também expõem suas considerações sobre o futuro dos ambientes virtuais de aprendizagem, o papel/competências do professor e as ferramentas de interação, entre outros.

Tecnologia na Educação é uma obra que enfatiza o potencial da EAD no contexto do ensino superior, comprometida com a educação de qualidade e socialmente justa. Uma iniciativa que se destaca pelo pioneirismo e pela visão de futuro, trazendo importantes subsídios à irreversível inserção das novas tecnologias no processo ensino aprendizagem.
AS AUTORAS Raquel Marques Villardi é licenciada em Letras pela UERJ, Mestre e Doutora em Letras Vernáculas pela UFRJ. É professora adjunta concursada da Universidade dos Estado do Rio de Janeiro (UERJ) desde 1983. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação, pesquisadora com projetos financiados pelo CNPq, pela FAPERJ e pela FINEP, atua na área de linguagem e processos educacionais, voltando suas questões especificamente para as tecnologias educacionais e para a Educação a Distância.


Eloiza da Silva Gomes é licenciada em Psicologia e Pedagogia, Mestre em Psicologia Escolar e Doutora em Educação Brasileira. Professora Adjunta concursada da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) desde 1989. Coordenadora do Curso de Licenciatura em Pedagogia para as séries iniciais do Ensino Fundamental, do Consórcio UERJ/CEDERJ e do IESDE. Atualmente é Diretora da Faculdade de Educação da UERJ.

UM LANÇAMENTO





Destacamos os lançamentos de Patativa do Assaré, o Poeta e o Jornalista , de Assis Ângelo e Um Estudo em vermelho de Sir Arthur Conan Doyle

Neste mês de abril a Universidade Falada agregou mais 17 títulos de audiolivros ao seu acervo.

* O que é Marxismo, de Paulo Ghiraldelli

* Nietzsche Apaixonado, de Paulo Ghiraldelli

* Direito Condominial e de Vizinhanca , de Michel R. Wagner

* Contos Africanos, de Julio e Debora D'zambê

* Contos de Todo o Mundo, diversos autores

* Ciclo da Pretensão, de Kleber Mazziero - * Astrologia Arcaica e a Alquimia do Homem - Paideia , Viktor Salis

* A Arte de Viver , Viktor Salis

* A Arte da Comunicação, Thais Alves

* Patativa do Assaré, o Poeta e o Jornalista , de Assis Ângelo


Foram lançados ainda -

* Salmos de Davi, rei Davi,

* Utopia, de Thomas More

* O Principe, de Maquiavel

* Contos Fantásticos, de Julio Verne

* Contos de Sherlock Holmes,de Conan Doyle

* Fedon, de Platão

* O Banquete , de Platão


Destacamos –



Patativa do Assaré

O Poeta e o Jornalista

AUTOR

Assis Ângelo


RESUMO DA OBRA

Neste CD, o registro de conversas em momentos diferentes entre o cearense Patativa do Assaré e o paraibano Assis Ângelo. São momentos lúdicos, francos, bonitos, nos quais o poeta de Assaré, com a simplicidade dos mestres, dos grandes, revela ao jornalista sonhos e medos como o da dor; e não do morrer, em si.

Ele declama, canta, faz chacota, ri. Brinca e deixa claro que sabe da importância da sua poesia como instrumento de transformação social. Conta das suas origens no campo e do seu amor à terra. Lembra detalhes da vida, da dureza do sol e das injustiças que viu seu povo sofrer. Foi poeta violeiro, cordelista, poeta maior.

O primeiro livro publicado foi Inspiração Nordestina, em 1956. O primeiro poema gravado foi A Triste Partida, em ritmo de toada, pelo rei do baião Luiz Gonzaga, em 1964. Depois, Fagner produziria discos com poemas seus e gravaria a canção Vaca Estrela e Boi Fubá, clássico regravado por Rolando Boldrin, Sérgio Reis, Pena Branca & Xavantinho e tantos.

Na segunda metade dos anos de 1970, sua obra seria estudada na Cadeira de Cultura Popular Universal da Sorbonne, França, pelo professor Raymond Cantel. Patativa do Assaré deixou plantada a semente da transformação social nos versos que fez. Igual a ele, nenhum poeta. Lorca, talvez. Neruda, talvez. João Cabral? Talvez... O poeta, agora aos 100 anos, ao contrário de tantos, não teve sua obra completa publicada em volumes de luxo. E daí? Viva Patativa do Assaré!

Duração: 1 hora

BIOGRAFIA DO AUTOR

Jornalista, estudioso da cultura popular. Nasceu em João Pessoa, Paraíba.

Em Caruaru (PE), editou o jornal Diário do Agreste. Em 1976, passou a morar na capital paulista. Trabalhou nos jornais Folha de S. Paulo, Diário Popular e O Estado de S. Paulo, e nas TVs Abril Vídeo, Manchete e Globo.

Produziu e apresentou pela Rádio Capital o programa São Paulo Capital Nordeste, líder de audiência e referência nacional por mais de seis anos.

Recebeu o título de Cidadão Paulistano e participou do documentário franco-brasileiro Saudade do Futuro.

Em 2008 lançou o CD Poetas Nordestinos dos Séculos XIX e XX.


E AINDA



UM ESTUDO EM VERMELHO E OUTROS CONTOS

AUTOR

Sir Arthur Conan Doyle



RESUMO DA OBRA

As intrigantes histórias de Sherlock Holmes e seu fiel companheiro Dr. Watson agora em audiolivro.

Um Estudo em Vermelho, a primeira aventura da série, leva Sherlock Holmes e Dr. Watson até os Estados Unidos para ajudar a polícia a desvendar o curioso assassinato de J. Drebber, americano encontrado morto numa casa abandonada em Londres.

Nada foi roubado e não há ferimentos no cadáver, apenas sangue na sala. Por quê? Quem? Como? Acompanhe passo a passo o mais famoso detetive do mundo em ação!

Ouça a seguir os contos: Os Planos do Submarino, onde Holmes, respondendo a um chamado de seu irmão Mycroft, impede que um segredo de Estado desencadeie um incidente internacional; a resolução do rapto de O Pequeno Lorde; e os desenlaces dos mistérios envoltos em O Pé do Diabo, que farão nossa dupla descobrir que justiça nem sempre significa denunciar o culpado.


As aventuras de Sherlock Holmes são as mais conhecidas e aclamadas histórias policiais de todos os tempos. Inigualáveis e fascinantes, são diversão certa para todos os apaixonados por suspense, investigação policial e mistério!

A obra ainda traz uma completa biografia do autor.

Duração: 7 horas e 20 minutos (em mp3)


BIOGRAFIA DO AUTOR

Sir Arthur Conan Doyle nasceu em Edimburgo (Escócia) em 1859.

Médico, poliglota e escritor, criou seu Sherlock Holmes em 1886, cuja maneira de desvendar os crimes influencia até hoje os métodos investigativos da polícia.

Nascido em uma família pobre, recebeu o título de nobreza em 1902 por seus indiscutíveis méritos. Faleceu em 1930, aos 71 anos de idade.

lançamentos da

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Voce Esta Quebrado Porque Quer de WINGET LARRY


Voce Esta Quebrado Porque Quer
de WINGET LARRY






Esta obra mostra como tomar o domínio das finanças, sair da situação de devedores e conseguir economizar dinheiro para adquirir bens, tais como a casa própria, ou simplesmente para dar a melhor educação aos filhos. Este livro procura encorajar o leitor a atingir seus objetivos, através de exercícios e conselhos. Ele pretende auxiliar o leitor não somente a ter uma atitude correta, mas também auxiliar a fazer escolhas e a realizar ações práticas.


Conheça melhor o autor em
http://larrywinget.net/blog/


A Crítica
Leia a resenha - NY Times book review


UM LANÇAMENTO

Sala De Ensaio de DAISY JUSTUS


Sala De Ensaio

de DAISY JUSTUS


80 pág.


Sala de Ensaio, de Daisy Justus, não é apenas um livro para quem gosta de poesia. É para quem gosta da boa poesia mesclada à psicanálise. A autora – amante de Clarice Lispector e pesquisadora da literatura da América Latina – transparece em seus poemas um amadurecimento visível desde a sua primeira publicação, “O Vestido Grená”, lançado em 2006.

Um lançamento

Contando a arte de Walde-Mar


Contando a arte de Walde-Mar

Kimy Otsuka Stasevskas
Oscar D'Ambrosio

56 p.

Indicações: - Ensino Fundamental e Ensino Médio - Leitor fluente e crítico

A imagem do índio brasileiro é o grande tema das exposições individuais e coletivas realizadas na Europa, nos EUA e no Brasil pelo pintor Walde-Mar. Ele é também fundador do Museu do Índio, localizado em Embu, SP, único da Grande São Paulo sobre o assunto. Ali, conserva, pesquisa e expõe um acervo de mais de 500 peças das mais importantes etnias dos índios brasileiros.

A dedicação de Walde-Mar à causa indígena faz dele um artista diferenciado, seja pela temática, seja pela forma como seu assunto aparece na pintura, marcada sempre por grande delicadeza, sensibilidade e profusão de cores, numa valorização da natureza e das lendas e costumes indígenas.


O ARTISTA
Walde-Mar de Andrade e Silva artista plástico, brasileiro, nascido em Timburi – Estado de São Paulo, em 6 de novembro de 1933. Foi lavrador, comerciário, industriário, pugilista e ator de teatro.

Em 1966 fez curso no Teatro Oficina com o Prof. Eugênio Kusnet, quando encontrou seu caminho no campo das artes.

A natureza é o cenário. E o índio, o principal personagem desse paraíso, onde se vive com alegria, equilíbrio, harmonia, pureza colorido e amor. Em 1968, Walde-Mar escolheu esse tema rico e instigante para desenvolver seu trabalho artístico.

Pesquisador da cultura indígena, viveu entre os índios no Parque Nacional do Xingu, por vários anos, com apoio dos irmãos Villas Boas. Suas experiência são contadas nas palestras que realiza em instituições ligadas à educação e cultura.

A convite de amigos (brasilíndios) fez sua mais recente visita ao Xingu em setembro-2000. Assistiu às festividades de nossos nativos, quando foram reunidas sete tribos.

Realizou sessenta exposições na Europa. Nas dezessete viagens que fez aquele continente, realizou também palestras relacionadas a cultura indígena. Participou de catorze exposições nos Estados Unidos e mais de sessenta no Brasil.

Algumas exposições foram realizadas juntamente com outros eventos voltados à conscientização ecológica. Seu livro, “Lendas e Mitos dos Índios Brasileiros”, editado na Alemanha, encontra-se na 8.ª edição, alcança a 2.ª edição no Japão.
A empresa CIBA-GEIGY editou-o em 1990, (em uma tiragem de 5.000 exemplares) no idioma português. No ano de 1998, a Editora FTD lançou-o no Brasil, na 15.ª Bienal Internacional do Livro, atualmente na 3ª edição.

Tanto na Europa, como no Brasil, educadores e editores, tem incluido-o em seus planos de ensino e em livros didáticos, com propostas pedagógicas multidisciplinares.

Participou da 46.ª Frankfurt Book Fair – Confluence of cultures, em 1994, na Alemanha.

Em 1996 foi lançado na Alemanha o jogo educativo, contendo 110 cartas relacionadas à cultura indígena, traduzindo seu conteúdo com propostas pedagógicas, em treze idiomas.

Walde-Mar tem suas obras nos acervos do Museu de Antropologia da Universidade Estadual de Indiana - Indiana - Estados Unidos; Museu e Antropologia da Universidade Estadual de Michigan – Michigan - Estados Unidos, Museu de Arte Contemporânea - Skopje - Iugoslávia e Museu de Arte Naif - Assis - SP - Brasil.

Em 1999 foi lançado pela Porcelanas Schmidt, uma coleção de pratos decorativos com obras suas, relacionadas a quatro lendas indígenas.

Para 2002, a BRASCRI, Associação Suiço-Brasileira de Ajuda à Criança, editou um calendário com obras suas referentes a doze lendas indígenas.

Convidado para fazer várias mensagens de Natal, em cartões, entre eles, da UNICEF.

Walde-Mar adiciona mais de mil obras adquiridas por colecionadores de diversos países.

Seu atual projeto, o CICI – Centro de Informação da Cultura Indígena, no município de Embu – SP, consta de acervo bibliográfico e acessórios indígenas. Está à disposição para visitação, estudos e pesquisas.

Visitação Pública: de Terça a Domingo a Partir das 10 horas. Para grupos de estudantes e Turistas com visitação ao museu e palestra proferida por Waldemar - somente com agendamento. Endereço: Rua da Matriz, 54 - Centro de Embu das Artes Mais informações: 4704-3278 |

UM LANÇAMENTO

Palestra de Albino Rubim abre seminário de política cultural

A palestra de Albino Rubim, diretor do Instituto de Humanidades, da Bahia, deu início nesta segunda-feira (3) ao encontro sobre política e gestão culturais, que acontece até sexta-feira, no Salão de Atos do Parque Barigüi.

Os desafios contemporâneos no campo da cultura foram tema da palestra de abertura do I Curso Gestão e Financiamento da Cultura e do II Seminário Cultura, Cidade e Desenvolvimento, promovidos pela Fundação Cultural de Curitiba, em parceria com o Observatório Itaú Cultural. A palestra foi apresentada pelo professor Albino Rubim, diretor do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, da Bahia. O encontro, com mais de 500 participantes, entre produtores, artistas e gestores culturais, acontece até sexta-feira (7), no Salão de Atos do Parque Barigüi.

O evento foi aberto pelo diretor financeiro da Fundação Cultural de Curitiba, Nilton Cordoni Júnior, e pela coordenadora do Observatório Itaú Cultural, Josiane Mozer. Ainda nesta segunda-feira, a professora Cláudia Leitão, da Universidade Estadual do Ceará, aborda o tema “O Desafio da Sustentabilidade dos Projetos Culturais”.

Nesta primeira palestra, Albino Rubim empreendeu uma viagem histórica pelos caminhos da cultura brasileira, destacando os períodos de ausência do Estado, a época do totalitarismo e a instabilidade verificada nas políticas culturais. De nomes de ampla visão cultural, como Mário de Andrade, primeiro gestor cultural de São Paulo, passando por Gustavo Capanema, ministro da Educação e Saúde (1934 – 1945), depois pela Era Vargas e a ditadura, até chegar às iniciativas atuais, Rubim destacou pontos importantes, citando a tradição da relação entre autoritarismo e políticas culturais.

Citando a primeira lei brasileira de incentivos fiscais para a cultura, a Lei Sarney (1985), depois a criação da Lei Rouanet (1991) e a Lei do Audiovisual (1993), Rubim evidenciou que as leis de incentivo tornaram-se elo vital do financiamento da cultura, no Brasil. O palestrante lembrou que tais leis ocupam o lugar das políticas culturais governamentais, levando o governo a transferir suas obrigações nessa área. “Não sou contra leis de incentivo. Sou contra a maneira brasileira de leis de incentivo, que aqui se transformaram praticamente na única forma de financiamento da cultura”, enfatizou.

Para Rubim, o mecanismo das leis brasileiras de incentivo à cultura deixou de ser uma parte do processo para se tornar política cultural. “O Estado delegou totalmente à iniciativa privada a decisão sobre o que deve ser financiado e passou a ser um mero repassador de recurso”, ponderou.

Albino Rubim considera que o campo cultural no Brasil continua frágil institucionalmente, mas acredita que o Plano Nacional de Cultura e o Sistema Nacional de Cultura, se aprovados pelo Congresso Nacional, representarão um grande avanço, pois com eles as políticas culturais não ficarão mais na dependência das vontades dos governantes. ” Precisamos de políticas de Estado e não de governo”, diz.

Professor titular da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Albino Rubim também é pesquisador do CNPq e do Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT). Docente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (PÓS-CULTURA), o professor ocupa o cargo de Presidente do Conselho Estadual de Cultura da Bahia. Foi diretor da Faculdade de Comunicação e presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS).



Serviço:

I Curso Gestão e Financiamento da Cultura e

II Seminário Cultura, Cidade e Desenvolvimento

Local: Salão de Atos – Parque Barigui (Av. Cândido Hartmann, s/nº - Parque Barigui)

Data: até 7 de maio de 2010, das 9h às 18h.

www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Informações: seminario_info@fcc.curitiba.pr.gov.br

Diretor do Museu Histórico Abílio Barreto realiza palestra sobre os aspectos arquitetônicos do Caminho de Santiago

No dia 6 de maio, quinta-feira, o arquiteto e diretor do Museu Histórico Abílio Barreto, Leônidas José de Oliveira, participa do ciclo de palestras "O Caminho de Santiago 2010 - Cultura e Espiritualidade". Ele irá falar sobre os aspectos arquitetônicos do Caminho de Santiago, as catedrais, os castelos, as pontes, bem como da arquitetura celta, românica, barroca e gótica.

O encontro tem entrada franca e será realizado às 19h30 na sede do Instituto Cervantes de Belo Horizonte (Praça Milton Campos, 16- 2º andar). Informações: (31)3789-1600.

Caminho de Santiago

O Caminho de Santiago entrou para a história no século IX, quando foram encontrados os restos mortais do apóstolo Tiago, ou, Santiago, onde hoje é a cidade de Santiago de Compostela. Nas últimas décadas voltou a ganhar prestígio, sendo redescoberto como uma alternativa de turismo e convertido num itinerário espiritual e cultural de primeira ordem. Percorrendo diversas cidades medievais e campos pitorescos, é um destino para qualquer tipo de pessoa, não precisando ser religiosa mas que esteja disposta a caminhar muito. Em 1987 foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu. Em 1993, Patrimônio da Humanidade na Espanha, e, em 1998, na França.

Ópera de Bolso no espetáculo da Orquestra de Câmara



Concerto no fim de semana, sob a regência de Wagner Polistchuk e participação dos cantores Rita Marques e Sandro Bodilon, reúne obras de compositores italianos.

A Orquestra de Câmara de Curitiba, grupo musical mantido pela Prefeitura Municipal, dá sequência à temporada 2010 patrocinada pela Volvo com um programa de Ópera de Bolso. Sob a regência do maestro Wagner Polistchuk e com a participação dos cantores Rita Marques (soprano) e Sandro Bodilon (barítono), as apresentações acontecem na sexta-feira (7), às 20h, e no sábado (8), às 18h30, na Capela Santa Maria.

O espetáculo reúne peças de compositores italianos. Tomam conta da Capela Santa Maria os sons da “Sonata Nº 5”, de Gioacchino Rossini (1792 – 1868); da composição “I crisantemi”, de Giacomo Puccini (1858 – 1924); e da obra “O Telefone”, de Gian Carlo Menotti (1911 – 2007). A direção cênica está a cargo de José Brazil, músico, cantor lírico e produtor carioca que vive em Curitiba desde 1986. Discípulo de Leopoldo Carelli e Ernani Aguiar, nas áreas de teoria musical e piano, também teve envolvimento com teatro.

Bacharel em Canto pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, onde se iniciou no universo da produção e da direção cênica, José Brazil integrou o Coral de Curitiba e o Coral Teatro Guaíra, tendo participado de diversas óperas e obras sinfônicas. Trabalhou com alguns dos nomes consagrados da direção cênica, como Sergio Brito, Marcelo Marchioro, Oswaldo Loureiro, Carlos Harmuch e Roberto Innocente. Colaborou nas produções de várias óperas e dirigiu, em 2006, a ópera “A Flauta Mágica”, de Mozart, no teatro Universitário de Cuiabá. Em 2009, respondeu pela direção da ópera “Cosi fan Tutte”, de Mozarte, dentro do programa “Ópera Ilustrada”.

Atualmente, José Brazil faz parte do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba e, além das atividades de músico e cantor, também leciona no Conservatório Musical de Ponta Grossa (PR), ensinando canto lírico para iniciantes e novos talentos.



Os convidados – O concerto da Orquestra de Câmara de Curitiba, neste fim de semana, tem como convidados os cantores paulistas Rita Marques (soprano) e Sandro Bodilon (barítono). Vencedora de importantes concursos, Rita Marques já se apresentou sob a regência de destacados maestros brasileiros e tem atuação marcante em várias óperas, sendo presença constante nos vesperais líricos e concertos didáticos do Theatro Municipal de São Paulo.

Também exibindo no currículo a conquista de expressivos prêmios, o barítono Sandro Bodilon desenvolve temporadas líricas cantando com as melhores orquestras do país, sob o comando de reconhecidos maestros. Recentemente, foi solista das estreias mundiais das óperas Olga, de Jorge Antunes, e A Tempestade, de Ronaldo Miranda. Integrante do Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo, Bodilon trabalha, ainda, com um vasto repertório camerístico, com canções de várias épocas e estilos, dando ênfase à canção brasileira.



O grupo e o maestro – Parte instrumental da Camerata Antiqua de Curitiba, que este ano completa 36 anos de atividades, a Orquestra de Câmara de Curitiba também desenvolve carreira própria e é considerada um dos principais grupos do país. Por um período, a Camerata trabalhou sem a presença de um maestro titular, realizando concertos com regentes e solistas convidados. Desde 2009, a Camerata Antiqua conta com a direção artística do maestro Wagner Polistchuck, dentro da estratégia da Fundação Cultural de Curitiba para fortalecer o grupo, seguindo caminhos de modernização trilhados por orquestras de todo o mundo.

Wagner Polistchuk tem comandado importantes orquestras, entre elas a Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), a Sinfônica da Universidade de São Paulo, a Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo, a Sinfônica de Mendoza (Argentina) e a Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, além da Hermitage São Petersburgo Orchestra, na Suíça. Em seu currículo constam premiações em diversos concursos nacionais e internacionais e, como trombonista, participações de solista convidado em orquestras da Europa.

O maestro, que já regeu a Camerata Antiqua em várias ocasiões e respondeu pela condução do Coro da Camerata em concerto cênico, também participou da gravação de um dos CDs do grupo.



Serviço: Apresentações da Orquestra de Câmara de Curitiba, sob a regência do maestro Wagner Polistchuk, com espetáculo de Ópera de Bolso, dentro da temporada de concertos 2010 patrocinada pela Volvo. Datas e horários: dia 7 de maio (sexta-feira), às 20h, e dia 8 de maio de 2010, às 18h30 Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro) Ingressos: R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível) / promoção não cumulativa

domingo, 2 de maio de 2010

Virada Cultural Paulista

Virada Cultural Paulista leva a Araraquara exposição sobre a família brasileira

A Virada Cultural Paulista, evento realizado pela Secretaria de Estado da Cultura, pela primeira vez desde seu lançamento, em 2007, inclui exposições em sua programação. A partir do dia 05 maio, o público de Araraquara poderá conferir o trabalho da fotógrafa Fifi Tong, em uma montagem organizada pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) em parceria com o Memorial do Imigrante, em São Paulo, e com a Prefeitura, no Museu Voluntários da Pátria, no centro da cidade.

A exposição “Origem” apresenta 30 fotografias ampliadas de famílias brasileiras e foi produzida a partir do livro “Origem - Retratos de Família no Brasil" no qual a artista registrou, em 15 anos de pesquisa em diversas capitais do país, as misturas e os traços do tempo em muitas gerações de famílias. Com a mostra, Fifi Tong propõe uma discussão sobre o valor da família e sobre a influência da carga genética na construção do povo brasileiro.

A artista, descendente de chineses, é formada com o título de BFA (Bachelor of Fine Arts) em fotografia pelo Art Center College of Design, em Pasadena, Califórnia. Iniciou sua carreira em Los Angeles, trabalhando no Trafficanda Studios, e atuou como freelancer em Milão e no Brasil, onde fez trabalhos para estúdios de grandes agências, como a DPZ e a W/Brasil. Em 1992, montou seu próprio estúdio, onde realiza ensaios para moda, publicidade, catálogos e retratos.
A exposição “Origens” fica em cartaz no Museu Voluntários da Pátria (praça governador Pedro de Toledo, s/nº- Centro), do dia 05 de maio a 02 de julho. A entrada é gratuita.

Sistema Estadual de Museus
O SISEM-SP reúne e articula todos os museus do Estado em busca de promover o desenvolvimento e fortalecimento institucional. É coordenado pela Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria de Estado da Cultura (UPPM) e atualmente reúne cerca 502 equipamentos, entre públicos e privados, em 159 cidades. Entre as principais ações do SISEM, está a realização de exposições itinerantes e de estudos detalhados sobre cada museu e sobre as cidades onde estão localizados. O SISEM promove, ainda, diversas atividades locais, como programas de formação, capacitação e aperfeiçoamento técnico de funcionários, além de convênios entre os museus do Estado e instituições nacionais e internacionais, com o objetivo de aprimorar e valorizar as instituições e seus acervos.

Memorial Imigrante
Adquirir, preservar, pesquisar, documentar e divulgar a história da imigração e a memória dos imigrantes no Estado de São Paulo: esta é a missão do Memorial do Imigrante, órgão vinculado à Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo que atualmente atende um público de aproximadamente 10 mil visitantes por mês. A instituição foi criada em 1993 como Museus da Imigração e cinco anos depois foi convertida em memorial. O local ocupa uma parte do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes que, construída entre 1886 e 1888, é um dos poucos edifícios centenários da cidade de São Paulo.


Virada Cultural Paulista
A Virada Cultural Paulista, realizada pela Secretaria de Estado da Cultura, é o maior evento cultural do interior e litoral de São Paulo, reunindo, atualmente, 29 cidades. Lançada em 2007, seguindo o modelo da Virada Cultural da capital, a Virada Cultural Paulista tem para 2010 a expectativa de reunir mais 1,5 milhões de pessoas em mais de 700 atrações. Com uma programação variada e gratuita, o evento leva para o público espetáculos de dança, peças de teatro, shows e, pela primeira vez, exposições.

As cidades que recebem a Virada Cultural Paulista em 2010 são: Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Caraguatatuba, Franca, Indaiatuba, Jundiaí, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santa Bárbara d'Oeste, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba e, na Região Metropolitana da Baixada Santista, Santos, Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande e São Vicente.

Serviço:
"Origem: Retratos de Família no Brasil – Fifi Tong"
Período: de 05/05 a 02/07/2010
Local: Museu Voluntários da Pátria (praça Pedro de Toledo, s/nº- Centro – Araraquara-SP)
Horário: segundas-feiras, das 13h às 18h; de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; e aos sábados, das 9h às 12h
Informações: (16) 3322-4887
Entrada: gratuita

10ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão

10ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão deve receber mais de 400 mil pessoas

A 10ª Feira Nacional do Livro, a segunda maior a céu aberto do Brasil, chega a sua edição de aniversário com uma programação rica em novidades, com grandes nomes de cenário cultural efervescendo a cidade com atrações gratuitas durante 11 dias consecutivos.

A Feira, que cresce a cada ano, além dos 16 mil metros quadrados das praças Carlos Gomes e XV de Novembro, ocupará outros espaços como os Estúdios Kaiser de Cinema, a biblioteca Padre Euclides, o Theatro Pedro II, o Teatro Auxiliadora, Centro Cultural Palace, Pingüim Cultural e os shoppings. Um dos maiores objetivos da organização é que o evento seja itinerante, promovendo cultura gratuita em diferentes espaços da cidade.

As principais novidades de 2010 são o Projeto Corredor Literário, em que autores convidados participarão de bate-papo nos shoppings; a Aldeia Cultural, que convidará artistas a lerem obras de autores locais no Theatro Pedro II; a Vila do Livro e a Casa do Menino Maluquinho, especialmente criados para as crianças. Além disso, adolescentes poderão participar de um amplo projeto de inclusão social, com atividades lúdicas para inserir esse público na leitura, nas artes e no cinema, que acontecerá nos Estúdios Kaiser de Cinema.

Projetos já consolidados como a exibição de filmes no Cinema Cultural e os contadores de histórias da Arena Cultural, ganharão novos espaços.

“Esperamos receber mais de 400 mil pessoas este ano” – comemora Isabel de Farias – presidente da Fundação Feira do Livro. “Ribeirão Preto vai respirar cultura 24 horas, durante 11 dias, com acesso a escritores renomados, shows importantes do cenário musical e livros com preços até 50% menores”.

Dentre os 66 livreiros de todo o país o evento contará com as editoras universitárias que ocuparão a rua Visconde de Inhaúma e trarão lançamentos e livros especialmente para a Feira.

Este ano, mais de 80 autores participarão de Cafés Filosóficos e Salões de Ideias, além de 25 shows como o melhor da música brasileira.

Os homenageados desta edição serão Espanha, Acre, Gilberto Freyre, Ziraldo e Nádia Gotlib. A patronesse é a empresária Marylene Baracchini.

Autores

Os autores já confirmados são: Adriana Lisboa,Alessander Guerra,Ana Paula Maia,Augusto Cury,Carlos Heitor Cony,Carola Saavedra,Celso Antunes,Claúdia Tajes,Clovis Bulcão,Cristina Silveira,Cristovão Tezza,Daniel Galera,Daniel Pelizari,Fabrício Carpinejar,Fabrício Corsaletti,Gabriel Chalita,Guilherme Davoli,Heloisa Bacelar,Ignácio de Loyloa Brandão,João Silverio Trevisan,Laurentino Gomes,Lola Aybar,Luis Tatit, Marcia Bulcão,Márcia Tiburi,Maria Gessy de Sales,Marina Colassanti,Mário Prata,Mário Sergio Cortela,Moacyr Scliar,Mouzar Benedito,Nelson Schapochnik,Nicole Algranti,Palmério Doria,Pasquale Cipro Neto,Paulo Markum,Pedro Bandeira,Rainhas do Lar com Katita e Faby,Raphael Coutinho,Ricardo Daunt,Ricardo Kotscho,Rubem Alves,Saulo Gomes,Sócrates,Tatiana Levy,Thalita Rebouças,Toni Belotto,Wilson Bueno,Xico Sá e Zuenir Ventura.

Shows

Dentre os shows estão grandes nomes como Clube da Esquina, Pedro Luis e a Parede, Roberta Sá, Tom Zé, João Donato e Emilio Santiago, Martinho da Vila, Maria Gadu, Erasmo Carlos e Águia de Ouro.

Aborto e a Linguagem do Inconsciente


Aborto e a Linguagem do Inconsciente Abortion and the Language of Unconsciousness Sua Graça Ravindra Svarupa dasa



Em A Política e a Língua Inglesa, um ensaio publicado em 1946, George Orwell mostrou como a escrita e o discurso político, que, ele disse, são “em geral, a defesa do indefensável”, corrompem a linguagem através de prolixidade, expressões de uso desgastado, imprecisão, ambigüidade e eufemismo. O intento do escritor ou orador, Orwell disse, é ocultar o que ele está de fato dizendo – ocultar inclusive de si mesmo. Por exemplo: “Vilas indefesas são bombardeadas por aviões, os habitantes conduzidos para a zona rural, o gado metralhado, as choupanas reduzidas a cinzas por meio de munição incendiária: isto se chama pacificação. Milhões de camponeses são privados de suas fazendas e conduzidos exaustos pelas estradas com nada mais do que podem carregar: isto se chama transferência de população ou retificação de fronteiras. Pessoas são aprisionadas por anos sem direito a julgamento, ou baleadas na nuca ou enviadas para morrer de escorbuto em explorações florestais nas regiões árticas: isto se chama eliminação de elementos instáveis. Semelhante fraseologia é necessária se alguém quer nomear coisas e eventos sem evocar imagens mentais dos mesmos”.


leia mais em
*********

Brasil – Entre o Passado e o Futuro


Lançamentos das publicações da EFPA em Porto Alegre
Em Porto Alegre - Brasil – Entre o Passado e o Futuro será lançado em Porto Alegre no dia 08/05.
Na mesa de debates estarão presentes Emir Sader e Marco Aurélio Garcia (organizadores), Olívio Dutra, Raul Pont e Tarso Genro.

Será dia 08/5, às 10h, na igreja da Pompéia, Rua Barros Cassal, 220. Mais informações pelos telefones (11) 3211-4888/3284-8900.


Memória - 30 anos da greve de 1980


Memória 30 anos da greve de 1980

A greve de 1980 deflagrada pelos metalúrgicos do ABC e que mobilizou a sociedade contra a política econômica e o governo ditatorial completa 30 anos.

Nesta página especial publicada no Portal FPA, são recuperados depoimentos, documentos e imagens.





Programa Rock-Cordel seleciona banda cearense


Programa Rock-Cordel seleciona banda cearense para o maior festival de heavy metal do mundo

A seletiva cearense para o megaevento alemão Wacken Open Air - o maior festival de heavy metal do mundo - acontecerá no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - 2º andar - Centro - fone (85) 3464.3108), dentro do programa Rock-Cordel, no próximo dia 8 (sábado), de 14h às 20h, com entrada franca.

Após palestra do presidente do júri, Luiz Carlos Vieira, às 14 horas, participam da seletiva cinco bandas selecionadas pela revista musical Roadie Crew: Clamus (15h), Hostile Inc. (15h45), My Fair Lady (16h30), S.O.H. (17h15) e Warbiff (18h). Também se apresenta a banda cearense vencedora da seletiva estadual no ano passado, a Roadsider (18h45).

Para propulsar as turbinas da seletiva no sábado, 8, a programação do Rock-Cordel já terá início na terça-feira, 4 (prosseguindo na quarta-feira, 5, e na sexta-feira, 7), com a exibição de clipes do gênero e a apresentação de 18 bandas, sendo seis shows por dia, de 14h às 20h.



Oficina de Myspace

E no período da manhã, de terça-feira, 4, até sexta-feira, 7, de 10h30 às 12h30, acontecerá a oficina gratuita de Myspace, ministrada pelo jornalista, cineasta e produtor cultural carioca Marcelo Paes de Carvalho, no auditório do CCBNB-Fortaleza (3º andar). Para participar da oficina, basta chegar ao CCBNB-Fortaleza às 10 horas da terça-feira, 4, e adquirir um ingresso gratuito na recepção. Ao todo, são 80 vagas disponíveis.

O conteúdo programático da oficina abrange tópicos como: modalidades de conta no Myspace; adicionando contatos; divulgando seu trabalho; personalização; design específico; trabalhando com vídeo no myspace; colocando música no myspace - com e sem download; divulgação do seu endereço; inserindo imagens; usando o blog do Myspace; interação com outras redes sociais; e dicas valiosas.

Integram o júri da seletiva estadual do Wacken Open Air, edição 2010, os seguintes cinco componentes: Luiz Carlos Vieira (presidente) - músico e redator da revista Roadie Crew há 10 anos, colaborou com as revistas portuguesas Blast! e Metal Heart; Marcelo Paes de Carvalho - jornalista, professor, cineasta, produtor cultural e coordenador de audiovisual do projeto Rock.Doc; Jolson Ximenes - vice-presidente da Associação Cultural Cearense do Rock, baixista das bandas Alegoria da Caverna, Os Transacionais e Obskure - esta, vencedora da seletiva estadual em 2008; Luiz Eduardo Silva - produtor musical, há 11 anos, do programa Cidade do Rock, na rádio Cidade FM 99.9, participou de diversos júris de seleção de bandas para o Palco Nativo do Festival Ceará Music; e Fernando Pessoa - colecionador de CDs e DVDs de Rock há 35 anos, produtor musical, assistente de Comunicação e Cultura do Banco do Nordeste, ativista na cena roqueira de Fortaleza.



Grupos de 22 países de quatro continentes

O festival Wacken Open Air acontece anualmente na cidade de Wacken (norte da Alemanha), um dos mais importantes eventos musicais ao ar livre do mundo. A edição deste ano será realizada durante o verão europeu no período de 5 a 7 de agosto próximo. A atração principal deste ano será o show da banda Iron Maiden. Esta é a 21ª edição do festival.

Mais importante festival de heavy metal do mundo, o megaevento germânico reunirá grupos de 22 países de quatro continentes (Europa, América, Ásia e Oceania), com público previsto em torno de 100 mil pessoas de todas as partes do mundo.

Do Wacken Open Air, participam bandas de heavy metal da Europa (Alemanha, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Inglaterra, Itália, Irlanda, Noruega, Polônia, Portugal, Suécia e Suíça), América (Brasil, Canadá, México e EUA), Ásia (Israel e Japão) e Oceania (Austrália).



Programação



04/05/2010 (TERÇA)

10:30 - Oficina de Myspace

14:00 - SOUL AGONY

15:00 - COLDNESS

16:00 - ENCÉFALO

17:00 - SOAD

18:00 - FACADA

19:00 - BETRAYAL



05/05/2010 (QUARTA)

10:30 - Oficina de Myspace

14:00 - MOTHER'S MILK

15:00 - 13 ROCK DALE

16:00 - SELVAGENS À PROCURA DE LEI

17:00 - ONE

18:00 - CAIO CHAGAS

19:00 - KAME RIDER



07/05/2010 (SEXTA)

10:30 - Oficina de Myspace

14:00 - HOLLYWOOD ROSES

15:00 - DIRTY VICE

16:00 - THE KNICKERS

17:00 - END OF SILENCE

18:00 - CONTAINER

19:00 - SLEEPING AWAKE



08/05/2010 (SÁBADO)

SELETIVA DO WACKEN OPEN AIR

14:00 - Palestra do Presidente do Júri

15:00 - CLAMUS

15:45 - HOSTILE INC.

16:30 - MY FAIR LADY

17:15 - S.O.H.

18:00 - WARBIFF

18:45 - ROADSIDER