sábado, 2 de abril de 2011

Resenha - lançamento - VIDA - UM PRESENTE DO UNIVERSO


VIDA - UM PRESENTE DO UNIVERSO
de Gill Edwards

Páginas: 192

Se você tem um sonho, pode fazer com que se torne realidade. Você pode criar o seu próprio céu na Terra, independentemente do seu ponto de partida. Você precisa simplesmente se concentrar no que deseja e depois parar de bloquear o seu próprio caminho. Este Universo amoroso sempre diz sim a qualquer coisa que você peça, e ele quer entregar os seus presentes, de modo que faz questão de guiá-lo a cada passo do caminho. Em Vida: Um Presente do Universo, Gill Edwards oferece quatro segredos cósmicos para que você possa viver como sempre sonhou: encarar a vida como um presente; compreender a lei da atração; usar os seus sentimentos para entrar no fluxo cósmico e praticar o amor incondicional. Ao pôr em prática esses segredos, você pode fazer com que cada sonho se torne realidade, quer você deseje mais sucesso e prosperidade, saúde, relacionamentos amorosos, atrair sua alma gêmea, conquistar o emprego ou a casa ideal, exercer uma influência positiva no mundo ou simplesmente encontrar alegria e paz interior.




UM LANÇAMENTO

Exposição - Nicole Gulin expõe


Artista Plástica Nicole Gulin expõe suas obras em Castro



Começa amanhã (dia 2 de abril), às 9h, na Casa da Praça em Castro a exposição “Memória Indígena em Castro” com participação da artista plástica Nicole Gulin. Ela se utiliza da técnica da assemblage para pintar quadros de grande formato, neste caso inspirada na temática indígena, principalmente as mulheres.



“A inspiração desta série está em imagens do Xingu e cenas da vida indígena. Desta forma, completei o meu universo da transpiração feminina, marcante, sensual e delicada: catalisadores da alma de mulher”, afirma Nicole.



Quem visitar a exposição poderá ver dez belas pinturas com nuances tridimensionais numa composição que mistura aplicação de roupas, tecidos, colagem e desenhos. A linguagem é bastante contemporânea.



A exposição tem cunho didático e busca mostrar a cultura indígena para a comunidade local. Nesta 6ª edição traz pinturas, tecelagem (cestos, arcos, flechas e adornos), protótipos de moradias típicas de diversas etnias e peças de sítios arqueológicos. Para diretora do Departamento de Incentivo à Artes Plásticas e curadora Karina Marques, “escolhemos esta série da Nicole pois, ao mesmo tempo que sua obra educa, passa a mensagem de carinho pelo ser humano e pelos animais, que é muito forte dentro das comunidade indígenas esse respeito à natureza.”



Nicole Gulin busca inspiração na vida cotidiana. Seus traços são, ao mesmo tempo, firmes e delicados. Começou sua carreira em 2005 de maneira autodidata, hoje tem como mentores o crítico de arte Fernando Bini e as artistas Leila Pugnaloni e Carla Schwab.



Dentre as principais exposições estão: “Caligrafias da Arte Brasileira” em Vaires sur Marne (França) e coletivas no Edifício Villa-Lobos Cultural (SP) e no Museu Militar Conde de Linhares (RJ). Ela já foi premiada com a medalha de ouro no III Salão de Artes Plásticas ABD (RJ) e o segundo lugar no 21° Salão de Artes do Clube Curitibano (PR).



Todas as obras estão à venda, basta entrar em contato: info@nicolegulin.com


Serviço: “Memória Indígena em Castro” Data: 2 de abril a 1 de maio de 2011 Horário: 3ª feira a domingo, das 9h às 11h30 e das 13h30 às 17h Local: Casa da Praça (Praça Sant’Ana do Iapó, 10 I tel.: 42 3906-2128 I Castro-PR) Informações: www.nicolegulin.com

Resenha - Vencendo pela Expansão


Vencendo pela Expansão

de Antonio Godoy
Nº de páginas: 128




O livro aprincipio para ter sido rebatizado, talvez realmente fossse intitulado de “O Segredo de
Einsten”, porém aqui temos Vencendo pela Expansão realocando nas prateleiras o Depois do sucesso, de 2008, com o livro “Construindo Valores” . O livro lançado pela Editora Qualitymark
analisa a forma como Albert Einsten usava a criatividade sob o ângulo da teoria cognitiva.

Situações estressantes e cansativas fazem parte do dia a dia de todos nós. Pesquisas indicam que no cotidiano enfrentamos em média cerca de mais de 20 adversidades por dia. O fato mais alarmante é que os problemas da vida parecem exercer sobre nós um tipo de pressão, fazendo o ser humano viver em uma constante tensão emocional.

Mas, o que nem todos sabem é que, por trás desse efeito, existem leis da física e do universo, além de uma necessidade inevitável de expandirmos, não só em pensamentos como também nas atitudes perante a vida.

Prepare-se para conhecer os segredos mais importantes do universo em que vivemos e a influência que eles exercem sobre nós.

E mais: saber qual o segredo da postura ideal que se deve ter perante as oportunidades e aos desafios da vida e qual a diferença que isso pode fazer em seu cotidiano.

Estamos enfrentando todos os dias uma força que nos pressiona. Quando nossas motivações e energias cessarem essa força terá vencido. E antes que isso aconteça vários problemas surgirão por causa dessa energia de compressão. Mas, oportunidades também surgirão. A vida será sempre uma variação entre a expansão e a contração.

Nesse livro vamos entender mais o significado de existir em nosso universo e os desafios e oportunidades que estão por trás de suas leis. Adriano faz sucesso nas livrarias de todo o país, com um DVD e cinco livros editados, todos na linha de padrões comportamentais. Godoy
atua também como conferencista e consultor de empresas, na área de recursos humanos.



O autor
Antonio Godoy:
Além de consultor empresarial e palestrante pela Federaminas, Adriano Godoy é jornalista e atuou como repórter de texto em redações de jornais no interior de Minas. Por trás disso está um incansável espírito investigativo, que o fez pesquisar a fundo sobre conteúdos da física, biologia, astronomia e química, relacionados ao universo em que vivemos.

E foi assim que desenvolveu um conteúdo todo especial a respeito do universo em suas palestras por todo o Brasil, mostrando e convencendo plateias sobre como as leis da física impactam sobre a vida das pessoas e os desafios empresariais.

Em cima dessa linha de raciocínio quase científico, ele desenvolveu estratégias tanto para o desenvolvimento pessoal como para que empresas possam enfrentar suas piores crises.

Godoy é um consultor peculiar, que seguindo esses princípios, consegue implantar dentro das empresas rotinas, processos e posicionamentos capazes de reduzir custos, otimizar recursos, definir estratégicas futuras e outras ações eficazes no disputado mercado empresarial.

UM LANÇAMENTO








Notícia - Biblioparque ganha prêmio de design

Biblioparque ganha prêmio internacional de design



Posto móvel de empréstimo de livros, criado pela Fundação Cultural de Curitiba com o patrocínio da Vivo, integra o programa Curitiba Lê.



A estrutura itinerante do Biblioparque, que viaja pelos parques da cidade todos os domingos com a missão de estimular o gosto pela leitura, dentro do programa Curitiba Lê, da Fundação Cultural de Curitiba, ganhou um prêmio internacional de design. Selecionado entre os mais importantes de 2011 na categoria Comunicação, o Biblioparque foi reconhecido pela IF, uma instituição alemã que qualifica há mais de 50 anos o melhor do design mundial.

Desenvolvido pela empresa Komm, com o patrocínio da Vivo, o equipamento do Biblioparque é uma das ações da Prefeitura de Curitiba para disseminar a literatura. A ideia partiu do conceito de colocar o livro em movimento, com a criação de postos de empréstimo simplificado e sem burocracia, espalhados em pontos estratégicos da cidade. Assim surgiram também a Estação da Leitura e o Bondinho da Leitura.

O grande número de parques de Curitiba e o número expressivo de público nesses locais, principalmente nos fins de semana, foram fundamentais para colocar em prática o Biblioparque, que pretende completar com a boa literatura os momentos de lazer e descontração dos frequentadores. Inaugurado em outubro de 2010, o equipamento segue a proposta de difundir o gosto pela leitura, a exemplo do que acontece na Europa, nos meses de Verão.

A estrutura do Biblioparque, que ocupa 200 metros quadrados, é composta por um veículo movido a energia elétrica, cobertura inflável, estantes adaptadas para acomodar livros e periódicos, além de computadores, ombrelones, cadeiras para adultos e crianças, pufes e mesas desmontáveis, que permitem ao usuário mais conforto durante a leitura.

São 300 títulos e 900 volumes que oferecem uma variada gama de autores, entre eles Machado de Assis, Guimarães Rosa, Gonçalo Tavares, Isabel Allende e Mario Vargas Llosa, que conquistou o Prêmio Nobel de Literatura 2010, entre muitos outros. A escolha dos livros foi elaborada por uma comissão da Fundação Cultural de Curitiba.

Além da leitura no parque, quem quiser poderá emprestar os livros por 21 dias, de forma simples e sem burocracia. A devolução pode ser feita no próprio Biblioparque ou em qualquer das Casas da Leitura mantidas pela Fundação Cultural.

O programa Curitiba Lê, de incentivo ao hábito da leitura, é uma das prioridades da Prefeitura e compreende ações em todos os bairros da cidade. Para integrar o programa, todas as bibliotecas mantidas pela Fundação Cultural foram transformadas em Casas da Leitura, cada uma homenageando um escritor. No total são 13 espaços que têm como objetivo envolver a comunidade com o hábito de ler.

Outro destaque do Curitiba Lê é a Estação da Leitura no Terminal Pinheirinho, inaugurada em abril de 2010. A iniciativa inédita permite que as pessoas emprestem livros de forma bastante simples, gratuitamente e sem burocracia.

Para quem quiser conferir o que o Biblioparque oferece, a sugestão é conhecê-lo neste domingo (3), no Parque Tingüi, local em que o equipamento estará atendendo, das 10h às 18h. Em caso de chuva, o Biblioparque não funcionará.

Artigo- “Negligência bola de neve.”


As glórias de Srila Prabhupada





“Negligência bola de neve.”

leia em ********

EVENTO -“Encontro de Escritores” no Palácio das Artes

Instituto Cervantes promove “Encontro de Escritores” no Palácio das Artes Evento reúne autores espanhóis e mineiro para debater sobre material transgressor e autobiográfico


O Instituto Cervantes de Belo Horizonte, órgão oficial do Governo da Espanha e referência mundial na difusão da cultura espanhola, promove, em 7 de abril, quinta-feira, às 19h30, no Palácio das Artes, o “Encontro de Escritores”, cujo tema central será “Material Transgressor e Autobiográfico”. O evento é aberto ao público e a entrada é franca.



Na ocasião, estarão presentes os escritores espanhóis Andrés Barba (representante do romance existencialista), Marta Sanz (representante do romance Noir e de gênero), e Marcos Giralt (representante da literatura autobiográfica), além do mineiro Luís Giffoni, que vão falar sobre a renovação das formas e dos gêneros literários ao longo dos anos, destacando os pontos de convergência mais significativos entre eles. Os autores também farão uma breve abordagem sobre as primeiras intuições acerca da própria obra.



O encontro será na forma de uma mesa de diálogo, que abordará, inicialmente, os difusos limites entre material biográfico e material ficcional, para prosseguir para uma discussão sobre o material literário: quais são seus temas específicos —e se eles realmente existem— e qual sua utilização correta, ao se escolher o literário como ferramenta de conhecimento. O debate será mediado pelo jornalista Rogério de Vasconcelos Faria Tavares e pelo catedrático de língua e literatura espanhola, Elias Serra.



“Encontro de Escritores” no Palácio das Artesfoi idealizado pela Embaixada da Espanha no Brasil e, além de Belo Horizonte, ocorre no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo.



Sobre os autores



Os escritores espanhóis integram uma geração que tem trabalhado para a renovação das formas e dos gêneros literários sem deixar de lado a tradição — e usando-a como apoio para tal. Os três autores possuem, além disso, um traço comum significativo: o de aproximar-se da literatura como um laboratório de testes para a compreensão da condição humana.



Marcos Giralt

Marcos Giralt se caracteriza por utilizar literariamente seu material biográfico (e autobiográfico) desde o primeiro romance “Paris” (laureado com o prêmio Herralde), passando por “Los seres felices”, e, em especial, o último livro, “Tiempo de vida” (sobre o falecimento do pai). Os temas do autor são de cunho íntimo e versam sobre o tópico da família e do casal com problemas —assuntos (intimidade e o biografia como material literário) que divide com Marta Sanz, sobretudo em seu romance “Lección de Anatomía”.



Marta Sanz

A escritora madrilenha se destaca do mesmo modo, mas a partir de uma aproximação mais sombria e inquietante, utilizando sempre como reserva os territórios nos quais a vida e a transgressão das normas e comportamentos convencionais permanecem à margem. Esse é o ponto de união (e contraste) com Andrés Barba.



Andrés Barba

Sua temática aborda, quase sempre, assuntos delicados (doenças, pederastia, anorexia, deficiências físicas e psíquicas), mas a partir de uma perspectiva humanística.





Luís Giffoni

Mineiro de Baependi, Luís Giffoni tem em seu currículo 21 livros publicados, dentre eles “O Pastor das Sombras”, “Dom Frei Manoel da Cruz”, “China-O Despertar do Dragão”, “Retalhos do Mundo”, “Infinito em Pó”, “Adágio para o Silêncio”. Giffoni já recebeu premiações e indicações da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), Bienal Nestlé, Prêmio Minas de Cultura, Prêmio Nacional de Romance (e de Contos) Cidade de Belo Horizonte e Prêmio Jabuti.


Serviço Encontro de Escritores – “Material Transgressor e Autobiográfico” Data: Quinta-feira, 7 de abril Horário: 19h30 Local: Palácio das Artes - Av. Afonso Pena, 1537 Entrada franca. Informações: (31) 3789-1600

Resenha - A Voz do Povo é a Voz de Deus


A Voz do Povo é a Voz de Deus
de
Márcio Carapeto
Maurício Werner
Nº de páginas: 136


Mais um título da Qualitymark a intrigar-me, melhor que issso a instigarme uma vez que os autores consideram que os ditos populares, consagrados pelo seu uso rotineiro, guardam em si uma sabedoria toda especial. Sabedoria valorizada nesta obra que busca aplicá-la, de forma prática, para a utilização em conceitos de gestão, de vendas, de atendimento, de marketing e até mesmo no desenvolvimento pessoal, entre outros temas.

Dizem eles que o poder destas mensagens instantâneas, que são os ditos populares, é muitas vezes subestimado, mas é impossível tirar o mérito de expressões que resistem ao tempo, às mudanças sociais, às atuais alterações nos sistemas e nos canais de comunicação e, ainda, às mudanças de comportamento da sociedade e seus diferentes grupos e segmentos.

Bom como cada macaco em seu galho e o palestrante de marketing e o profesor de e administração e mkt nas 136 páginas saem vendendo o seu peixe ou seria ernsinando a pescar. Voltemos ao título e no tempo - culpa de Hermes. Tima ele lá pelas bandas do peloponeso, um templo omde se manifestava, respondia consultas. O devoto aproximava-se dele, rendia-lhe as homenagens e devidamente purificado chegava na orelha do ídolo O nosso Mercurio de Roma) e sussurava sua pergunta. Imediatamente tambava os ouvidos e saia ao atrio do templo, alí o populacha se desmanchaba em bla-bla-blas e pregões. Destapadas as "0iças", o primeiro som humano que chegasse aos seus ouvidos era resposta do deus. Era a decisão de Seus. O Vopx Populi, vox Dei.

Bem eu que não sou de ficar metendo meinha culher nas coisas dos outros posso dizer que o livro fala da ideia é ao mesmo tempo simples e pioneira: recopilar ditos populares que todos conhecemos e fazer sua releitura à luz dos fundamentos da Gestão do Mundo Moderno.
Longe de ser um livro texto, ou um monótono manual de procedimentos, ou uma obra de autoajuda, cada dito popular é revisitado sob a ótica do gestor empreendedor.

Eu e Cascudinho que de economia nos valemos que "que quem empresta nem para si presta" e ¨como "macaco velho não mete a mão em cumbuca", recomendo a leitura da obra, um livro leve, que inclui histórias e pequenas fábulas, com toques de humor, agindo como ponte entre os conceitos que regem o mercado.

"Consulta-se a Deus e o Povo responde, transmitindo a mensagem. Voz do povo, voz de DEus, evidentemente nessa acepção." (LC. Cascudo)

UM LANÇAMENTO







Musica - Instrumental é destaque


Instrumental é destaque na programação musical do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza



Cleivan Paiva, do Crato (CE), Quarteto Bom Tom, de Fortaleza, e Abanda, de Nova Olinda (CE), são as atrações gratuitas da música instrumental no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) em abril. As apresentações acontecem na próxima quarta-feira, 6 (Cleivan Paiva), quinta-feira, 7 (Quarteto Bom Tom), e dia 28, quinta-feira (Abanda), sempre às 12 horas e às 18 horas.

Veja a seguir a sinopse de cada um dos três shows instrumentais:



Cleivan Paiva (Crato, Cariri, CE)

Dia 6, quarta-feira, às 12h e 18h

Violonista, guitarrista, poeta, compositor de música instrumental e lítero-musical. Começou sua carreira artística nos festivais de música do Cariri, sendo posteriormente selecionado no festival de música da TV Cultura de São Paulo e também na extinta rede Tupi de Televisão.

Compôs a trilha sonora original dos filmes "O Caldeirão da Santa Cruz do Deserto" e "A Saga do Guerreiro Alumioso". Desenvolve um trabalho de música instrumental em todo o País, valorizando a criatividade e a improvisação, na música instrumental brasileira de vanguarda.

Dividiu palco em shows com Mauro Senise e Gilson Peranzzetta e como guitarrista tocou em shows do multi-instrumentista Hermeto Pascoal. Em 2005 apresentou seu show, no encontro internacional de trovadores e violeiros em Quixeramobim-CE. Em 2006, apresentou seu Show "Cordas do Brasil Canção" em Quixadá, no Centro Cultural BNB, na Sociedade de Cultura Artística e na EXPOCRATO, entre outros espaços culturais. Cleivan Paiva já registra três discos gravados. São eles: "Guerra e Paz", "Cleivan Paiva" e "Sonhos do Brasil".



Repertório

01. Meio dia (Cleivan Paiva)
02. Raso da Catarina (Cleivan Paiva)
03. Irmandade da santa cruz do deserto (Cleivan Paiva)
04. Xique xique (Cleivan Paiva)
05. Frevo Cariri (Cleivan Paiva)
06. Noite e dia (Cleivan Paiva)
07. Tons Musicais (Cleivan Paiva)
08. Cariri (Cleivan Paiva)



Ficha Técnica

Cleivan Paiva: Violão

Ibberton Nobre: Piano



Quarteto Bom Tom (Fortaleza, CE)

Dia 7, quinta-feira, às 12h e 18h

Quatro excelentes instrumentistas reunidos numa louvável proposta de fazer música exclusivamente instrumental com a máxima qualidade, levando ao público um repertório seleto destacando principalmente a bossa nova, jazz e os grandes sucessos nacionais e internacionais. Desde a escolha do nome do grupo já se percebe a ênfase na sofisticação e requinte, contudo eles não abrem mão da simplicidade e descontração que são bem característicos da musicalidade brasileira. "Bom Tom" é uma singela homenagem a Tom Jobim e, também, remete à idéia de bom gosto, à coisa de bom tom, ou seja, coerência e concordância na busca da excelência que transcende o âmbito musical.

Os integrantes são músicos experientes: Heber Moura estudou piano na infância e na adolescência e chegou a tocar guitarra com bandas de rock, em Recife; é compositor premiado em festivais, com músicas gravadas por importantes cantores cearenses. Franzé vem da escola do rock e no quarteto está tendo sua primeira experiência com a música instrumental, considerando-a um rico aprendizado na elaboração de seus melhores arranjos. Antonio Sampaio é fruto da escola-referência para instrumentistas de sopro no Ceará, o Colégio Piamarta, sob a regência do Maestro Costa Holanda, atuou por vários anos e tocou com importantes nomes da música popular cearense, atualmente é um dos solistas do grupo Regional Hora Marcada. E finalmente, Roberto Pinto é graduado em Música pela Universidade Estadual do Ceará, desde o início dedicou-se ao violão, participando de grupos musicais de rock e de música popular, compositor premiado em festivais, suas músicas foram gravadas por destacados cantores locais e na discografia registra dois CDs gravados, em parceria com Nilo Alves e Hermano Carvalho.

Uma particularidade sobre o Quarteto Bom Tom é que seus componentes são atuantes em outras áreas que vão do Estatístico, Mestre e Doutor em Administração Financeira, professor universitário ao empresário e industrial.

O quarteto já fez inúmeras apresentações em diversos locais, destaque para o Espaço Cultural Oboé, além de restaurantes como o Labaredas, Degusti, Fagulha e Casa do Carneiro. Participou do Festival BNB da Música Instrumental nas edições de 2008 e 2009, nas cidades de Fortaleza, Sousa, Catolé do Rocha e Nazarezinho (estas três últimas no Estado da Paraíba) e do Programa Cultural do Tribunal Regional do Trabalho, em Fortaleza.



Programa

1. Georgia on my mind (Hoagy Carmichael / Stuart Gorrell )

2. Strings of pearls (Jerry Gray)

3. St. Louis Blues (W. C. Handy)

4. Limehouse blues (Philip Braham / Douglas Furber )

5. Take the "A" train (Billy Strayhorn)

6. Samba de uma nota só (Tom Jobim)

7. Ela é carioca (Tom Jobim / Vinícius de Moraes)

8. Wave (Tom Jobim)

9. Insensatez (Tom Jobim / Vinícius de Moraes)

10. Olha (Erasmo Carlos / Roberto Carlos)

11. Flor de lis (Djavan)

12. Corcovado (Tom Jobim)

13. Samba do avião (Tom Jobim)

14. Amazonas (João Donato / Lysias Ênio)

15. Influência do jazz (Carlos Lyra)



Ficha Técnica

Teclados: Heber Moura

Flauta e clarineta: Antonio Sampaio

Bateria: Franzé Batera

Contrabaixo: Roberto Pinto



Abanda (Nova Olinda, Cariri, CE)

Dia 28, quinta-feira, às 12h e 18h

Vindos de experiências Brasil afora e com a bagagem de duas turnês internacionais passando pela Alemanha, Itália e Portugal, o grupo de música instrumental, criado na Fundação Casa Grande, Nova Olinda-CE, é formado por videomakers e videographers, profissionais que utilizam, criativamente, vídeos e gráficos em shows. Com influências de músicos como Gilberto Gil, Jefferson Gonçalves, Heraldo do Monte, Arismar do Espírito Santo e Arnaldo Antunes, com quem já tocaram, e tantos outros com quem mantiveram contatos e também dividiram palco, e das tradições populares, Aécio Diniz, Samuel Macedo e Hélio Filho produzem juntos, desde os nove anos de idade, música e vídeo. Com o produtor musical e percussionista André Magalhães, desenvolveram, no Laboratório de Música da Fundação Casa Grande, o espetáculo "Rua do Vidéo", um musical que mostra o olhar do grupo sobre a região do Cariri, utilizando-se do audiovisual e de trilhas musicais para realizar um passeio pelas ruas e cidades da região. Um diálogo de som e imagens sobre a cultura popular, vista pelo prisma da infância, no interior do Brasil. A rua que dá nome ao espetáculo fica no centro de Barbalha e é nesse espaço que desfilam os grupos de tradição popular. No show, essas imagens são reavivadas.

Estes "meninos da Casa Grande" tentam transformar a música, com influência das origens do seu povo, em uma ferramenta para a construção social de crianças e jovens, e trazem agora, para o encantamento do público, essa mescla de imagens, sons e emoções para o palco do CCBN-Fortaleza.



Programa

01 - A hóstia e cauim (Alemberg Quindins)

02 - Poesia (Poeta Felipe)

03 - Eu vi a maré encher (Agentes do Coco da Batateira)

04 - Aboio para a casa grande FM (Danta Aboiador)

05 - Viola violeta (Aécio Diniz / Samuel Macedo / Hélio Filho)

06 - Canção do lenço (Cego Heleno)

07 - Velejar a barca (Reisado discípulos do Mestre Pedro)

08 - Forró na feira (Aécio Diniz / Samuel Macedo / Hélio Filho)

09 - Wuaicá (Alemberg Quindins / Rosiane Lima Verde)

10 - Galopando (Aécio Diniz / Samuel Macedo / Hélio Filho)



Ficha Técnica

Aécio Diniz (baixo)

Samuel Macedo (guitarra e violão)

Hélio Filho (bateria)

André Magalhães (percussão)

AGENDA CULTURAL CURITBA


clique para ampliar

EVENTO - Lançamento - Isto não é um livro de viagem Lançamento da nova edição de "Galáxias", obra de Haroldo de Campos (Editora 34)

A Editora 34 convida para o bate-papo com Beatriz Bracher e Flora Süssekind na ocasião do lançamento da nova edição de Galáxias, dia 07 de abril, às 19h, na Casa das Rosas.

Em 1991, Flora Süssekind organizou um encontro na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, sobre a oralidade em Haroldo de Campos, evento que deu à Beatriz Bracher, na época à frente da Editora 34, a ideia de publicar a proesia de Haroldo de Campos e, não apenas em sua forma escrita, mas também na voz e leitura do próprio autor. Durante o bate-papo, Beatriz e Flora mostrarão ao público trechos inéditos desta gravação feita em estúdio com Haroldo de Campos.

Serviço:

07 de abril de 2011, quinta-feira, às 19h

Casa das Rosas - Hall (Av. Paulista, 37 - Bela Vista. Tel. 3062-1063)

Entrada Franca

quinta-feira, 31 de março de 2011

EVENTOS - Mostra Palco e Plateia

Mostra Palco e Plateia

De 30 de março a 10 de abril

PROGRAMAÇÃO

Pré-estreia da série Palco e Plateia

A série PALCO E PLATEIA, com 13 programas, buscará apresentar um panorama das artes cênicas brasileiras, mostrando sua manifestação em vários estados brasileiros. O programa abordará o universo de alguns dos principais grupos teatrais brasileiros, assim como do próprio teatro. A intenção é acompanhar o deslocamento da arte por diversas platéias pelo Brasil. Entrada franca.

Dia 30/03, às 20h. Classificação 12 anos

Exibição do programa Camarim

Programa dirigido por Gracindo Jr., o programa revela o que acontece nos camarins e o que pensam as personalidades nos bastidores, além de apresentar ao público um ângulo diferente e privilegiado de ver a arte. Entrada franca.

Dia 01/04 sessão às 15h45min.

Dia 06/04 sessão às 18h. Classificação 12 anos

Retratos Brasileiros com Nildo Parente.

Em mais de 40 anos de carreira, Nildo Parente atuou em dezenas de novelas e filmes. O ator brasileiro que faleceu em fevereiro de 2011. Seus principais trabalhos em teatro foram “Hoje é Dia de Rock”, de Rubens Corrêa; “Francisco de Assis”, de Ciro Barcellos; e “Ai Ai Brasil”, de Sergio Brito. Entrada franca.

Dias 01/04 às 18h, 2/04 às 20h e 3/04 às 15h45. Classificação 12 anos

Retratos Brasileiros com Maria Della Costa

No teatro, Della Costa estreou como atriz na peça "A Moreninha", em 1945, sob a direção de Bibi Ferreira..

A atriz montou peças de alguns dos principais autores da história do teatro: Gorki, Sartre, OŽNeil, Zola, Anouil, Goldoni, Feydeu, Lorca, Arthur Miller, Brecht, Ionesco, Guarnieiri, Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Marcos Rey, Helena Silveira, Jorge Andrade, e Antônio Bivar. Entrada franca.

Dias 31/03 às 20h, 2/04 às 18h. Classificação 12 anos

Retratos Brasileiros com Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha”

Produto exclusivo do Canal Brasil, a série que é produzida e exibida pelo canal terá seus episódios ligados às artes cênicas exibidos no Festival de Curitiba. Entrada franca

Dias 31/03 às 18h, 2/04 às 15h45. Classificação 12 anos

Retratos Brasileiros “Diário de Aquário (Living Theatre)”

Produto exclusivo do Canal Brasil, a série que é produzida e exibida pelo canal terá seus episódios ligados às artes cênicas exibidos no Festival de Curitiba. Entrada franca

Dias 1/04 às 20h, 3/04 às 18h. Classificação 12 anos

BR-3 – o documentário (BR/2009, 73’ - dvd).

Direção: Evaldo Mocarzel.

Sinopse: O documentário com entrevistas e bastidores da montagem da encenação. O filme reconstitui, através de depoimentos, o processo de criação desse importante grupo teatral responsável pela montagem de outros espetáculos memoráveis como “O Livro de Jó”. A produção também registra as oficinas ministradas pelo Teatro da Vertigem na Brasilândia, periferia de São Paulo e a viagem de pesquisa do grupo, que saiu de São Paulo, passou por Brasília e depois seguiu viagem para Brasileia, no Acre. Entrada franca

Dias 4/04 às 18h, 05/04 às 20h. Classificação livre

BR-3 – a peça (BR/2009, 126’ - dvd).

Direção: Evaldo Mocarzel.

Sinopse: Registro da montagem da peça BR-3, encenado pelo Teatro da Vertigem às margens do Tietê e na Baía da Guanabara. Encenada em pleno Rio Tietê, a peça dramática BR-3, escrita por Bernardo Carvalho, montada pelo Teatro da Vertigem e dirigida por Antonio Araújo, chega ao cinema em registro do documentarista Evaldo Mocarzel. O filme acompanha três gerações da família de Jovelina (Marília de Santis). Depois de perder o marido na construção de Brasília, ela se manda para São Paulo, onde se tornará, anos depois, chefe do narcotráfico da Vila Brasilândia. Com Roberto Áudio e Daniela Carmona.. Entrada franca.

Dias 4 e 5/04 às 15h45. Classificação livre

São Paulo Companhia de Dança (BR/, digital, cor, som stereo, 71’ - dvd)

Direção de Evaldo Mocarzel.

A árdua rotina de trabalho de bailarinas e bailarinos da São Paulo Companhia de Dança, talvez o maior sacerdócio entre todas as manifestações artísticas, em que o corpo, ao mesmo tempo, é instrumento de trabalho e a própria obra. Sem entrevistas, em que a palavra é meramente acidental, o documentário desconstrói a primeira criação coreográfica do grupo, Polígono, de Alessio Silvestrin a partir dos ensaios e das aulas de balé clássico e dança moderna. Entrada franca.

Dias 4/04 às 20h, 5/04 às 18h, 6/04 às 15h45. Classificação livre

Teatro Político, uma história de utopia (BR/PR, 2010 – 25’ - dvd).

Direção de Tulio Viaro. Montagem Adalgisa Lacerda.

Pesquisa e roteiro de Ana Carolina Caldas e fotografia de Gilson Camargo.

É a história do movimento político e artístico realizado na Curitiba dos anos 60, por artistas, estudantes, intelectuais e jornalistas que acreditavam no teatro como instrumento revolucionário e que poderia promover conscientização popular. Entrada franca. Classificação livre

Dia 6/04 Às 18h - Exibição conjunta de “Teatro Político, uma história de utopia” e programa “Camarim”.

Exibição do Morgue Story Sangue, Baiacu & Quadrinhos com lançamento do filme em DVD. (BR/2010 )

Direção, texto, sonoplastia e vídeo - Paulo Biscaia Filho.

Sinopse: A trama, que se passa num necrotério, envolve três personagens: Ana Argento, uma bem sucedida desenhista de história em quadrinhos; Tom, um vendedor de seguros cataléptico e Doutor Daniel Torres, um médico legista. Em Morgue Story as histórias dos personagens se cruzam de maneira insólita. Entrada franca. Lançamento em DVD com apresentação do diretor Paulo Biscaia dia 6/04 às 19h30

Dia 6/04 às 20h e 7/04 às 15h45. Classificação 16 anos

Moscou – (BR, 2009, 78’- dvd)

Direção: Eduardo Coutinho

Sinopse: O documentário aborda as três semanas de ensaio da peça "As três irmãs" de Anton Tchecov, com o grupo de teatro Galpão. Debate com Grupo Galpão dia 10/04 às 15h

Sessões dia 07/04 às 18h e 20h e dia 10/04 às 15h45. Classificação livre. Entrada franca

Insolação – (BR, 2009, 100’, - dvd)

Direção: Felipe Hirsch / Daniela Thomas
Roteiro: Will Eno / Sam Lipsyte

Sinopse: Uma cidade vazia, castigada pelo sol, jovens e velhos confundem a sensação febril da insolação com o início delicado da paixão. Como espectros, eles vagam entre construções e descampados em busca do amor inalcançável. Apresentação de Murilo Hauser, da Sutil Companhia, dia 8/04 às 19h30

Sessões dias 8 e 9/04 às 15h45, 18h, 20h** e no dia 10/04 às 18h e 20h. Classificação 14 anos

Entrada paga: R$ 5, 00 (inteira), R$ 2, 50 (meia) e R$ 1, 00 (aos domingos)

Serviço:

CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174

Fone 41 3321-3252 (de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 22h30 e sábados e domingos das 14h30 às 22h30) – www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Tabela da programação do Festival de Curitiba

MOSTRA Palco e Plateia

DATA

FILMES

15H45

18H

20H

30/03

Pré-estreia da série Palco e Plateia

31/03

PALCO E PLATÉIA

Teatro Político

Retratos Brasileiros com Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha

Apresentação com Luiz Carlos Lacerda – (19h30min)

Retratos Brasileiros com Maria Della Costa.

01/04

Camarim

Retratos brasileiros com Nildo Parente

Apresentação com Luiz Carlos Lacerda – (19h30min)

Retratos brasileiros com Diário de Aquário (Living Theatre)

02/04

Retratos Brasileiros com Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha

Retratos Brasileiros com Maria Della Costa.

Retratos Brasileiros com Nildo Parente

03/04

Retratos Brasileiros com Nildo Parente

Retratos brasileiros com Diário de Aquário (Living Theatre)

PALCO E PLATEIA

Teatro Político

04/04

BR 3 – a peça

BR 3 - documentário

Apresentação Evaldo Mocarzel (19h30min)

- São Paulo Companhia de Dança

05/04

BR 3 – a peça

São Paulo Companhia de Dança

Apresentação Evaldo Mocarzel (19h30min)

- BR 3 documentário

06/04

São Paulo Companhia de Dança

Teatro Político e Camarim

Morgue Story com o lançamento do filme em DVD. Apresentação do diretor às 19h30min.

07/04

Morgue Story

Moscou

Moscou

08/04

Insolação

Insolação

Insolação

09/04

Insolação

Insolação

Insolação

10/04

Debate com o Grupo Galpão, às 15h.

Moscou

Insolação

Insolação

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

PROGRAMAÇÃO

De 1º a 7 de abril de 2011

CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1174 fone 41 3321-3252 (diariamente das 09h às 12h e das 14h às 22h30 – sábados e domingos das 14h30 às 22h30) www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

MOSTRA DE CINEMA PALCO E PLATEIA

FESTIVAL DE CURITIBA

De 30 de março a 10 de abril (ver programação anexa)


MIDIANEWS - 'Tô na Globo'. Rapaz atrapalha link do SPTV para divulgar canal do Youtube

Durante entrada ao vivo durante o SPTV 2ª edição desta terça-feira (29/3), o repórter Jean Raupp foi surpreendido por um homem, que atrapalhou o link do jornalista, que divulgava a morte do ex-vice-presidente José Alencar. Aos gritos e olhando para a câmera da emissora fundada por Roberto Marinho, o rapaz divulgou o canal que tem no Youtube.

Raupp estava em frente ao Hospital Sírio Libanês, no bairro da Bela Vista, região central da capital paulista, e ao ser chamado pelo apresentador Carlos Tramontina, comentou que Alencar não resistiu a mais uma internação para o tratamento de um câncer na região do abdômen, doença que enfrentou por 15 anos. No meio da notícia, entretanto, o profissional foi atrapalhado por um rapaz.

“Merd TV aqui, ó! Merd TV. Assistam Merd TV”, disse o rapaz, que estava vestindo um camisa que também tinha a mensagem Merd TV estampada. O nome é o mesmo de um canal no site de compartilhamento de vídeos. O espaço no Youtube foi criado por Rodolfo Bond, que aparentemente foi o responsável por atrapalhar o link da TV Globo.

Após o rapaz fazer a divulgação do canal do Youtube, o repórter global mostrou frieza e agilidade ao trocar de lugar rapidamente e, sem gaguejar ou ‘travar’, continuou falando para os telespectadores do telejornal sobre a morte do político que antecedeu Michel Temer na vice-presidência da República.

MIDIANEWS - O convívio da empresa com as redes sociais

Um estudo da universidade americana de Purdue, feito sob
encomenda da empresa de softwares McAfee com 1.055
empresários em 17 países que adotaram tecnologias 2.0, revelou
números surpreendentes no Brasil. 90% das empresas brasileiras
pesquisadas utilizam redes sociais como Facebook ou Twitter e três
entre quatro destas empresas informaram que estão lucrando com
estas ferramentas.

Como o estudo foi realizado em empresas de maior porte, os 90%
reduzir-se-iam a no máximo 10% se considerássemos o universo
total de empresas, com a inclusão das micro, pequenas e médias
empresas. Mas o fato é que se evidencia uma tendência que
impactará não só os internautas mas também os empresários.

O contato mais próximo que as empresas conseguem com seu
consumidor final pode gerar e está gerando retorno para as
empresas que investiram nesse nicho. Mas há um processo
vicioso: os consumidores são, ao mesmo tempo, trabalhadores de
outras empresas, e a utilização destes softwares tem sido
combatida por provocar a perda de qualidade e tempo de trabalho.
Boa parcela dos lucros que alguns têm obtido com estas
ferramentas tem origem em pessoas que desperdiçam o tempo de
seu trabalho mergulhadas em redes sociais. Ou seja, o lucro de
um é o prejuízo de outro.

Calcula-se que no Brasil um terço das empresas impõem restrições
ao uso de sites como o Facebook, e o número cresce a cada dia.
Essa restrição é vista, algumas vezes com maus olhos pelos
funcionários, que se esquecem que vendem suas horas de serviço
e atenção às empresas. Para que se tenha idéia, o tempo médio
de cada login no Orkut é de 25 minutos; no Twitter, 20 minutos;
no Facebook, 16 minutos. Boa parte desse tempo é desperdiçada
nas empresas em horário de trabalho. Como a tendência é que a
cada dia as restrições no uso da internet no horário de trabalho
sejam maiores, chegaremos a um ponto em que, eventualmente,
os que lucram hoje não alcançarão amanhã números tão
substanciosos e terão que se voltar ao consumidor em suas horas
vagas. Isso mudará o cenário pois, a meu ver, Facebook e Twitter,
têm um apelo maior como distração no horário de trabalho do que
quando concorrerem somente com nossos momentos de diversão.

Não havia Facebook nem Twitter quando Lacordaire alertou: “Por
toda parte onde se quer vender, o homem encontra compradores.”
Isso nos induz a pensar se não somos vítimas de um processo de
servidão. Usamos ou estamos sendo usados por esses sites e
empresas?

Pela certeza que temos de que toda empresa visa o lucro, é
necessário refletir!

“Adicionar” e “seguir” são termos de uso comum nessas
ferramentas. Tenho a percepção que os seguidores, se não se
cuidam, estão na verdade sendo seguidos e controlados. Os
“adicionantes”, se não atentarem, restarão colados como insetos à
lâmpada quente, distanciando-se diariamente da vida real que,
por si, é o que importa.

Vale a pena cada um pensar como nos atingem essas ferramentas
na vida real, para não conhecer na pele o que pensava Benjamin
Franklin: “Se comprares aquilo de que não careces, não tardarás a
vender o que te é necessário.”

*Carlos Alberto Pompeu de Toledo Soares, é diretor da Gcapts
Consultoria, especializada em reestruturação empresarial
gcapts@terra.com.br

MIDIANEWS - Globo lançará 12 portais

Globo lançará 12 portais de notícias regionais e pretende concorrer com o UOL

A Rede Globo anunciou que até o final do ano pretende lançar 12 portais de notícias regionais, que serão integrados ao G1, principal página online de notícias da empresa. Os novos sites terão o mesmo layout do G1. Quatro deles já foram lançados, os de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. A novidade foi apresentada pelo diretor-geral da Rede Globo, Octávio Florisbal, no lançamento da programação 2011 da emissora, na noite desta terça-feira (29/3) em São Paulo.

No próximo mês deve estrear o G1 Bahia, seguido pelo Mato Grosso e Espírito Santo, entre outros estados. A ideia é disponibilizar aos internautas todo o conteúdo jornalístico produzido pelas TVs afiliadas.

“Queremos chegar aos 28 grupos. Com isso nós iremos brigar pela liderança de conteúdo, com o UOL e outros grandes portais”, afirmou Florisbal.

Segundo o diretor-geral, o formato comercial dos portais será parecido com o da Rede Globo e as afiliadas, 50 a 50. “O G1 fará a venda nacional e os portais regionais farão as vendas regionais. Depois contabilizamos tudo e fazemos a divisão”, contou.

Contratações
De acordo com a Globo, a empresa avaliará a possibilidade de trabalhar com as mesmas equipes regionais para manter os portais com os conteúdos produzidos pelas TVs afiliadas. Caso haja a necessidade de novas contratações, as seleções serão feitas localmente, no decorrer do ano.

Teatro - ÓPERA DE SABÃO




Nesta comédia melodramática, três atores narram

seus medos e frustrações e após um teste participam de uma novela

que vai transformar suas vidas... em novela.



Opera de Sabao 3.jpg

Reestréia dia 15 de abril no Teatro Cacilda Backer



Após comemorar 10 anos com Mostra de Repertório no Centro Cultural São Paulo, o IVO 60 leva "Ópera de Sabão" ao palco do Teatro Cacilda Becker na Lapa, recentemente reformado. Um espetáculo provocativo que aborda o universo das novelas (ou soap operas) com ênfase em sua função original: vender sabão.



Partindo de depoimentos dos atores, o grupo criou uma narrativa melodramática que é encenada ao vivo com câmeras e um trio de músicos em formação jazzística. Três atores participam de uma novela e veem suas vidas se transformar em novela.



Com humor crítico e irreverente, marcas registradas do grupo, o IVO 60 questiona os valores que diariamente são vendidos através das novelas. Desde os primeiros melodramas radiofônicos até a tv contemporânea, essas narrativas são sustentadas por propagandas, o que alimenta a provocação da peça: as propagandas estão lá para sustentar a tv, ou a tv está lá para sustentar a propaganda? O que mais é vendido diariamente além dos produtos?



A banda que executa as canções da peça é formada por Caio Juliano (bateria), Gil Duarte (sopros) e Demian Pinto (teclados) , que contracenam com os atores Ana Flávia Chrispiniano, Mariana Leite e Pedro Felicio. O texto de Felipe Sant´Angelo com o IVO 60 mescla depoimentos pessoais com a fictícia "Paz ou Amor" - uma novela dentro da peça.



A direção é de Pedro Granato ("Navalha na Carne", "Criminal" e assistente de Laís Bodanzky em "Menecma"). O vídeo-cenário de Anna Turra conta com projeção e três câmeras manipuladas ao vivo por um switcher.



"Ópera de Sabão" mistura música, vídeo e teatro para fazer o público refletir sobre o que consome diariamente.



Serviço

Ópera de Sabão

Direção: Pedro Granato

Elenco: Ana Flávia Chrispiniano, Mariana Leite e Pedro Felício

Temporada: de 15 de abril a 22 de maio

Horário: sextas e sábados às 21h, domingos às 19h.

Gênero: comédia melodramática

Classificação: 12 anos

Duração: 60 minutos

198 lugares

Ingressos: R$ 10,00 Meia: R$ 5,00

Bilheteria: abre uma hora do espetáculo

Vendas pela internet através do site Ingresso Rápido

www.ingressorapido.com.br

tel: 4003.1212

Local: Teatro Cacilda Becker

Rua Tito, 295 - Lapa - São Paulo / SP

Tel: (11) 3864.4513





Ficha Técnica:

elenco: Ana Flávia Chrispiniano, Mariana Leite e Pedro Felício

direção: Pedro Granato

dramaturgia: Felipe Sant'Angelo e IVO 60

produção: Júlia Barnabé

músicos: Caio Juliano (bateria), Demian Pinto (piano) e Gil Duarte (sopros)

vídeo-cenário: Anna Turra

iluminação: Adriane Escher e Uirá Freitas

preparação vocal: Madalena Bernardes

figurinos: Claudia Schapira

Oficina - Oficina Estética da Leitura

Inscrições abertas para a Oficina Estética da Leitura



Literatura e teatro tornam-se ferramentas para a formação do leitor, na Oficina Estética da Leitura, promovida pela Fundação Cultural de Curitiba. Os interessados em participar da iniciativa têm até o dia 7 de abril para efetuar as inscrições, na Coordenação de Literatura da FCC, situada no Palacete Wolf (Praça Garibaldi). As aulas acontecem de 11 de abril a 31 de maio, sempre às segundas e terças-feiras, das 19h às 22h.

Por meio da descoberta e análise de textos, os participantes – sob o comando do ator, diretor e dramaturgo Marcio Abreu – irão lapidar suas qualidades de leitor, respeitando os movimentos próprios dos textos, ao mesmo tempo em que conferem às obras a sua dimensão sonora. A oficina parte da ideia de que existe na obra literária um leitor implícito, cabendo ao participante dar voz a este leitor.

A viagem pelo mundo da Literatura, empreendida pelos integrantes da Oficina de Estética da Leitura, contará com a orientação segura de Marcio Abreu, criador da Companhia Brasileira de Teatro e responsável por processos de criação no campo da dramaturgia, que incluem a produção de textos originais, adaptação de clássicos, além de tradução, publicação e montagem de textos inéditos. Entre os seus principais trabalhos estão Volta ao Dia (2002), O Empresário (2004), Suíte 1 (2005), Daqui a Duzentos Anos (2005), Apenas o Fim do Mundo (2006) e Deserto (2008).



Serviço:

Oficina Estética da Leitura, sob a orientação de Marcio Abreu, promovida pela Fundação Cultural de Curitiba

Inscrições abertas até o dia 7 de abril de 2011, mediante a doação de um livro de literatura novo, a ser escolhido em lista divulgada pela FCC.

Local: Coordenação de Literatura da Fundação Cultural de Curitiba (Palacete Wolf – Praça Garibaldi, 7 – Centro), no horário das 9h às 12h e das 13h30 às 18h.

Informações: (41) 3321-3317, com Jussara.

As aulas serão ministradas de 11 de abril a 31 de maio, sempre às segundas e terças-feiras, das 19h às 22h, no Palacete Wolf

razo de inscrição para edital da

Notícia - Mino Carta afirma que jornais imploraram pelo golpe militar

Mino Carta afirma que jornais imploraram pelo golpe militar



O jornalista Mino Carta afirmou em entrevista ao programa Provocações, da TV Cultura, que os donos de veículo de comunicação do País apoiaram o golpe militar de 1964. Em conversa com o apresentador Antônio Abujamra, na atração que foi exibida na noite desta terça-feira (29/3), o criador e diretor de redação da revista Carta Capital afirmou que a mídia imprensa apoiou o golpe militar de 1964.

“A imprensa nativa no fim de 1963 implorando pelo golpe de 64, que é uma das grandes desgraças brasileiras. Acho que a maior desgraça é a escravidão, três séculos de escravidão, mas essa é uma desgraça muito grande. Eles (donos dos veículos de comunicação) queriam que os ‘milicos’ chegassem e assumissem o poder, em nome deles”, disse Mino.

Ao ser questionado por Abujamra que, depois de implantada a ditadura militar no Brasil, a “censura entrou” na imprensa, o diretor da Carta Capital declarou que “todos os jornais queriam o golpe e conseguiram”. Mino ainda comentou que o único veiculo impresso que chegou a ser censurado foi O Estado de S. Paulo, mas de forma “branda”.

“O Estadão passou a sofrer censura, mas uma censura muito branda. Uma censura que autorizava o Estadão a publicar versos de Camões (...) ou então, as receitas de bolo no Jornal da Tarde. Os demais jornais não foram censurados”, declarou o fundador da revista Carta Capital.

Para Mino, dizer que os jornais brasileiros foram censurados durante o período de ditadura militar “é uma piada, uma mentira. Uma mentira grossa”.

Agenda - CLP para os dias 31 de Março, 1, 2 e 3 de Abril




Dia 31 de Março | Quinta-feira



Auditório

18h30

Saber Ouvir – Curso Livre de História da Música

Com o Maestro António Victorino d’Almeida e Miguel Leite







Auditório

21h30

“Novas Masculinidades” – tertúlia mensal da UMAR (União Mulher Alternativa Resposta)







Piano bar

21h30

A Palavra sobre a Palavra



Ciclo Encontros com Escritores no Porto (em Homenagem a Eduardo Prado Coelho), uma iniciativa do P.E.N. Clube Português em colaboração com o Clube Literário do Porto



Convidado: Fernando Guimarães




A primeira sessão deste Ciclo, que decorrerá entre Março e Junho de 2011, terá lugar no Clube Literário do Porto, amanhã, dia 31 de Março, pelas 21h30. Estará presente o poeta e ensaísta Fernando Guimarães, que será apresentado por Maria João Reynaud e José Rui Teixeira. O autor, que recebeu recentemente o prémio de ensaio do PEN Clube Português, pela obra que tem por título História do Pensamento Estético em Portugal, editada em 2009, lerá uma escolha de poemas seus e dialogará com o público.

Seguir-se-á uma breve sessão de autógrafos.



Este Ciclo de Encontros prosseguirá com a presença dos escritores Rosa Alice Branco (28 de Abril), Albano Martins (6 de Maio) e António Rebordão Navarro (16 de Junho), apresentados respectivamente pelos ensaístas Fernando Guimarães, Fernando J. B. Martinho e Isabel Pires de Lima.



Os organizadores:

pelo Pen Clube Português (penclubeportugues.org)

Maria João Reynaud e José Rui Teixeira
&

Clube Literário do Porto








Dia 1 de Abril | Sexta-feira



Piano bar

21h30

Apresentação do livro “Janela da Alma”, de Renata Pereira Correia

Anthero Montero apresenta a obra, Marisa Sousa Silva apresenta a autora







Sinopse: Segundo António M. Oliveira, autor do prefácio deste livro, “nesta Janela da alma”, impera a solidão! A solidão e a água, e a areia e as praias, de barcos encalhados em emudecimentos! E reina a procura – uma criança à procura! – de amor, de companhia, de emoções a partilhar, de encantamentos que só a magia consegue! E há sonhos transformados em palavras, alinhadas em frases e versos, dizendo de uma vida que tem muros – muros cravados no ego! – marcas agarradas à alma… estigmas. E a vontade de ser poeta, poeta de palavras doces, de versos tomados como alimento! (...)”



Sobre a autora: Renata Pereira Correia nasceu em Oliveira de Azeméis a 23 de Novembro de 1980. Profissionalmente ligada à área da Animação Sociocultural e da Educação, sempre teve uma forte ligação com a actividade artística, nomeadamente com a escrita. Colabora em alguns sites de poesia e de literatura, fazendo parte de dois clubes literários online. Participa em blogues de outros escritores, e escreve poemas para fotografias captadas por fotógrafos amadores e profissionais. Na Azeméis Fm Rádio, conduz o programa diário " No Canto de um Poeta", dando voz a poemas de autores conhecidos e desconhecidos, misturados com música dos anos 80 e 90 e com entrevistas semanais a pessoas ligadas às diferentes áreas. Escreve letras musicais, para alguns músicos em projectos que englobam a sua escrita, e no cinema tem a sua escrita presente em curtas-metragens em parceria com o fotógrafo António Maia. Tem participado ao longo deste tempo em alguns eventos que envolvem a poesia, trilhando um caminho para a divulgação da mesma, e tem uma paixão pela fotografia que tem vindo a crescer e que tem estado quase tão presente como a escrita. Autora dos Livros de Poesia “Ensaios de Ficção” Setembro 2009, ”Editora Temas Originais; Ilustração por Ricardo Campus“ Pétalas de Esperança”, Março 2010, Edição de Autor (EuEdito) Ilustração por Ricardo Campus, " Janela da Alma", Setembro 2010, Edição de Autor ( EuEdito), fotografia da capa por António Maia.







Galeria do piso 2

21h30

Inauguração com Porto d’Honra da exposição de pintura e desenho de José Alberto Baganha Sinde




Os trabalhos expostos resultaram de uma atividade que é desenvolvida há já alguns anos de forma regular na área do desenho e da pintura, em paralelo e de modo complementar à atividade profissional de professor de artes visuais, no ensino público básico e secundário. O conjunto formado por desenhos e pinturas, revelam carácteres ora mais racionais ora mais experimentais . O desenho mais imediato, experimental e intuitivo. A pintura, nuns casos mais racional, mais elaborada, composta e organizada (iconográfica), noutros mais imediata, gestual e expressiva. De comum, desenhos e pinturas, têm a expressão e a simbologia. Ao nível do procedimento os desenhos acumulam linhas que originam superfícies e texturas. As pinturas, linhas - com a marca do gesto - ou manchas mais elaboradas, corrigidas, sobrepostas e densas. A pintura, a acrílico, em pequeno formato sobre papel, o desenho, a tinta da china, num formato grande.



José Alberto BAGANHA SINDE, nasceu no Porto em 1954. Licenciou-se em Artes Plásticas- Pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto. Em 1978 colaborou com o artista plástico Pierre Louy (Annecy, França) na realização de trabalhos de Batik e Vitral. Atualmente, é professor de Artes Visuais no ensino secundário público, no Porto. Desde 1987 participou já em diversas exposições.







Piano bar

23h00

Concerto “You can’t teach the old maestro a new tune”

Hugo Marinheiro, saxofones

Gilberto Bernardes, saxofone e electronic











:: Dia 2 de Abril | Sábado - Dia Internacional do Livro Infantil



Piano bar

17h00

Apresentação do áudio-livro "A dança dos alcatruzes", de Oceano de Andrade






Sinopse: A dança dos alcatruzes é o ficcional percurso de Cândido Makalani, escritor, e das espirais por si vividas e desejadas. É o encontro entre as partes distantes que formam o individuum. É um quase esquecido narrar de percursos e decisões. É um olhar sobre os gestos dos actores que se cumprem e adiam no palco onde se representa a dramaturgia do Tempo. É o agir e as suas consequências, o encanto e desencanto de quem faz. A dança dos alcatruzes desvela histórias afloradas ou mesmo não-ditas, mascara e desmascara palcos do Homem, da política - o social Aristotélico - da filosofia, da cultura, de um país conhecido como Portugal, e respira a distância, que é o apagador e o giz da memória. A dança dos alcatruzes – uma coreografia quase imóvel – é um território híbrido onde os personagens se metamorfoseiam mediante vontades, se projectam interior e exteriormente, bem como aos seus silêncios e lugares ideais – com os perigos que o ideal comporta. O prefácio da obra é do compositor Nelson de Quinhones, a capa do arquitecto António Póvoas, a gravação e edição de áudio de José Duarte Antunes. O audiolivro contém ainda uma faixa musical de Celina Tavares com orquestração de José Duarte Antunes e arranjos de José Miguel Costa. O design gráfico é responsabilidade de Pedro Teixeira.



Nota biográfica: José Rui Rocha (1981), é o palco onde Oceano de Andrade se representa como personagem literário. Natural do concelho de Vila Nova de Gaia, desenvolveu desde cedo estudos musicais na Academia de Música de São Félix da Marinha cumprindo o curso complementar e estudos em piano e técnica vocal e repertório – canto, licenciando-se em 2003 em Educação Musical. É especializado em Literatura Dramática pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Teve como principais áreas de actividade profissional o ensino da música, teatro, dinâmica de leitura, interpretação, escrita e oralidade e alfabetização. É fundador e presidente da direcção do Janelas Plurais - Núcleo de Arte Dramática – Fafe. Actualmente desenvolve a sua actividade enquanto criador na Kairos – Produções Culturais.







Galeria do piso 2

17h30 – 18h30

Atelier de Filosofia para Crianças e Pais

02_atelier_filosofia_crianças.jpg

Orientador: Tomás Magalhães Carneiro

10 euros por adulto (criança, entrada gratuita)

Inscrições e informações: revistaumcafe@gmail.com

http://filosofiacritica.wordpress.com/









Galeria da Cave

17h30

Inauguração com Porto d’Honra da exposição de pintura “O GESTO DO OLHAR”, dos alunos do Atelier do Gólgota




O GESTO DO OLHAR

Ensina-se uma criança a ler, a escrever, a desenhar, a contar, mas não se ensina a sentir.

Isso, está dentro de cada uma, e nós, educadores, só podemos tornar consciente que aquilo que elas sentem pode ser transmitido por um gesto: um gesto, que é um olhar: uma palavra, um silêncio, uma dança, uma música, um caminhar a pé, um rir, um chorar, um ouvir o outro, os dias monótonos, um desenho que se risca no papel, uma mancha de cor que se destaca numa paisagem.

Quando os faço observar uma pintura e os conduzo dentro dela, para que lhe sigam as linhas do desenho que está por trás e é invisível, ou as linhas negras que ficaram a moldar a silhueta de uma árvore, de um objecto, de um corpo, ou as manchas de cor que definem volumes, ou estados de alma...o que eu pretendo mesmo é que sintam a construção da pintura, que é um pensamento, que é um sentir, e incutir-lhes o hábito de dedicarem o seu tempo ao olhar. Porque com o olhar, vem a consciência do saber sentir. E deste sentir que se conhece, vem atrás a descoberta de si próprio. O que há de mais sério e importante?

Estas palavras não as dirijo às crianças, mas aos pais e educadores. A crise em que todos estamos mergulhados esboça-se há muito, muito tempo. Está na sua origem a ausência da educação do olhar, que é afinal, a ausência da generosidade na partilha do nosso sentir. Porque ele está enterrado, bem enterrado nos escombros da aparência, da ganância.

Acredito nestas novas gerações, na força do seu trabalho gigantesco que terão pela frente, mas salvos pelo gesto do olhar.

(Mónica Baldaque, Porto, 2 de Abril de 2011)



Participantes: Bárbara Nunes da Silva, Carlota Rodrigues, Catarina Cortês, Francisca Costa, Joana Bela, Leonor Sousa Soares, Mariana Azeredo, Mariana Negrão, Maria Inês Ferreira e Teresa Fonseca







Auditório

20h30 – 22h00

Conferência “Super dotação da consciência”

02_Conferencia_Consciencia.jpg


Oradora: Dr.ª Líssia Pinheiro. Licenciada em Psicologia. Trabalhou nove anos em grandes multinacionais, na área de Recursos Humanos, Formação e Desenvolvimento de pessoas. Actua em Psicologia Clínica há quatro anos, no tratamento de pacientes com Transtorno de Pânico, Transtorno de Ansiedade e Depressão, TAB e Drogaditos. Actuou em Terapia de Grupo com bancários portadores de LER/DORT. É voluntária da IAC Lisboa. Professora e pesquisadora da Conscienciologia desde 1997 e actualmente exerce funções de coordenação da IAC Portugal.



Tema: Esta conferência temática irá trazer uma nova abordagem sobre o que vem a ser a Superdotação pelo Paradigma Consciencial. Desenvolverá um assunto importante que é o emprego do trinómio parapsiquismo, intelectualidade e comunicabilidade na manifestação pessoal. O Parapsiquismo é o conjunto das percepções avançadas da consciência humana, para além dos cinco sentidos básicos do corpo humano, utilizando as energias, o animismo e a interacção consciencial avançada. Ampliará a visão sobre os múltiplos modos de inteligência pela consciência neofílica. A consciência possui módulos de inteligências, dentre as múltiplas dotações intelectuais, estes serão discutidos no decurso da apresentação do tema.

Para além disto será abordado sobre a conquista da superdotação através do esforço evolutivo, vida após vida.








Piano bar

22h00

Ciclo de recitais “Conservatório de Música do Porto”









Piano bar

23h30

Entrelaçar - Poesia... Música... Fotografia...

Um recital multifacetado de Pedro Branco e Carla Marques



02_Entrelaçar.jpg









:: Dia 3 de Abril | Domingo



Auditório

11h00 – 12h00

Palestras gravadas ao vivo

Temas para expansão da consciência

Autor – Trigueirinho

Título – “A verdade do coração, o ego e a personalidade”









Piano bar

16h00

“Encontro com os Autores”

Org.: CLP/Edita-me







Auditório

17h30

Cooltiva-te






Para saber a programação, mais detalhes e informações sobre esta e futuras sessões, visite o website: http://cooltivate.wordpress.com/







Piano bar

19h00

“Fim de tarde solidário”
Concerto de música clássica e Porto d’Honra - Angariação de fundos para o Campo de Férias das crianças de São Nicolau



03_Fim de tarde solidário_Cartaz.jpg



Org: CLP/ Centro Social Paroquial de S Nicolau/ Manuel Silva









Piano bar

22h00

Recital

Adriana Ferreira, flauta

Isolda Crespi Rubio, piano




Adriana Ferreira

Laureada aos dezanove anos com o 1° Prémio e dois Prémios Especiais do Concurso Internacional de Flauta «Carl Nielsen» em 2010, a flautista Adriana Ferreira prossegue o seu percurso artístico no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris e na Escola Superior Hanns Eisler em Berlim, sob a orientação de Sophie Cherrier, Benoît Fromanger e Vincent Lucas (flauta), Pierre Dumail e Markus Schreiter (flautim).

Admitida aos doze anos na Escola Profissional Artística do Vale do Ave, na classe da professora Joaquina Mota, a jovem flautista obteve ainda dez primeiros prémios em vários concursos nacionais e internacionais, entre os quais o Concurso de Interpretação do Estoril e o Concours National du Jeune Flûtiste (Paris).

Apresentou-se em concerto em diversos Festivais, destacando-se o do Estoril, Giverny, Copenhaga e Leipzig e as Convenções Internacionais de Flauta de Paris e Manchester. Dedicatária do Concerto para Flauta e Orquestra de Joaquim dos Santos, Adriana Ferreira foi convidada como solista pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica de Odense e Orquestra de Câmara do Kremlin, entre outras. Integra diversas formações de música de câmara, apresentando-se regularmente com a pianista Isolda Crespi, com quem grava o seu primeiro CD em 2011 (Editora Numérica).

Paralelamente, Adriana Ferreira concluiu a Licenciatura de Musicologia na Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV), como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. A sua agenda inclui performances nos Festivais de Kuhmo (Finlândia), Nyborg e “Carl Nielsen” (Dinamarca), Açores (Portugal), Maastricht (Holanda), bem como na Convenção Americana de Flauta de 2011, entre outras apresentações.



Isolda Crespi Rubio

Nasceu em Barcelona onde iniciou os estudos de Piano na Escola de Música Orfeo Gracienc com as professoras Carme Codina e Teresa Ruiz. Em 2000 obteve o Diploma de Professora de Piano no Conservatório Municipal de Música de Barcelona e também obteve a Licenciatura em Cinema e Audiovisuais na Escola Superior de Cinema e Audiovisuais de Catalunya. Em 2004 licenciou-se no Royal College of Music de Londres onde estudou com o professor John Barstow.

Actuou em recitais como solista e pianista acompanhadora em Espanha, Portugal (Casa da Música, Festival de Coimbra...), França, Suíça (Festival de Musique de Sion), Reino Unido (Saint Martin-in-the-Fields, Festival de Edimburgo...), Dinamarca e Coreia do Sul. Em 2002 obteve o primeiro prémio no Concurso de Música Contemporânea para Piano no Royal College of Music. Em 2003 gravou dois CDs com música para dois pianos para a companhia GuildMusic e recentemente tem gravado e actuado em directo para a Antena 2. Tem sido convidada como pianista acompanhadora do Concurso Luso-Galaico “Albertino Lucas” e do Prémio Jovens Músicos.

Actualmente trabalha como pianista acompanhadora e Professora de Piano na ARTAVE.


Apareça!!!!!





Clube Literário do Porto Rua Nova da Alfândega, nº 22 4050-430 Porto Tel. 222 089 228 Fax. 222 089 230 Email: clubeliterario@fla.pt URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt