quinta-feira, 29 de março de 2012

A CORPORAÇÃO QUE MUDOU O MUNDO



A CORPORAÇÃO QUE MUDOU O MUNDO
-The Corporation That Changed the World
de Nick Robins

tradução de Pedro Jorgensen
304 páginas


Esta é uma história popular de uma das empresas mais famosas do mundo. Fundada em 1600, a Companhia das Índias Orientais foi a precursora da multinacional moderna. Começando a vida como um comerciante de especiarias asiáticas, a Companhia terminou seus dias com o fim império indiano da Grã-Bretanha. No processo, ela chocou seus contemporâneos com a escala de sua violência, corrupção e especulação. Este é o primeiro livro a expor o registro social da Companhia. Robins revela uma história oculta que vai da tragédia a intriga. Guerra, fome, mercado de ações e até mesmo duelos entre executivos rivais estão presentes nesta história. Para Robins, o legado da Companhia fornece lições interessantes sobre como garantir a responsabilização dos negócios globais de hoje.

O LIVRO
Fundada em 1600, a Companhia das Índias Orientais revolucionou o mundo, tornando-se a precursora da multinacional moderna. À época, o fenômeno comercial foi incomparável, e ainda hoje a história da empresa se faz importante. Desde seu começo, quando apenas comercializava especiarias, até seus últimos dias, como agente de lucros da coroa britânica, passando por seus momentos de glória e as mazelas que causou, tudo está registrado em A Corporação que Mudou o Mundo, de Nick Robins

A INTRODUÇÃO



O AUTOR



um lançamento da



PROGRAMAÇÃO CINEMATECA | 30 DE MARÇO A 05 DE ABRIL DE 2012

Dia 30 – 14h

MOSTRA ESPECIAL COMEMORATIVA AO ANIVERSÁRIO DE CURITIBA (programação final)

Em comemoração ao aniversário de Curitiba a Cinemateca apresenta uma mostra de filmes relacionados à cidade. Trata-se de uma sessão extra, às 14 horas, especialmente em comemoração aos 319 anos da existência da capital do Paraná.

Nesta mostra os curitibanos serão contemplados com produções locais. Serão exibidos importantes filmes realizados por diretores da cidade, além de filmes que retratam a cultura de Curitiba.

Dia 30 – 14h

LANCE MAIOR (1968, BR/PR/SP – 100 min - ficção). Direção de Sylvio Back. Com Reginaldo Farias, Regina Duarte, Lota Moncada, Irene Stefania.

Primeiro longa-metragem do diretor Sylvio Back. Foi realizado em Curitiba e lançado nacionalmente em 1968. A ação é centrada em personagens jovens, de camadas sociais diferentes, na Curitiba da época: a descoberta amorosa, a Universidade, as baladas, o emprego, a família, a luta pela sobrevivência.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

28/03 a 05/04

MOSTRA DE CINEMA PALCO E PLATÉIA

Promoção: Cinemateca de Curitiba, 21º Festival de Teatro de Curitiba.

Apoio: Canal Brasil

Em parceria com o 21º Festival de Curitiba e Canal Brasil, a Cinemateca de Curitiba exibe trabalhos de vários diretores, que tomaram como desafio capturar a essência da experiência teatral e será acompanhada por Evaldo Mocarzel, diretor da série Teatro sem Fronteiras, série produzida pelo Canal Brasil.
A mostra, paralela ao Festival de Teatro de Curitiba, reúne os oito episódios da série Teatro Sem Fronteiras de Evaldo Mocarzel e Ava Rocha que trazem importantes espetáculos do teatro experimental paulistano. Palco e Platéia traz ainda o lançamento do curta Kobachuk: a vida e a arte de um brincante de Thiago Couto, selecionado no Edital de Filme Digital da Fundação Cultural de Curitiba de 2011, Vianinha sobre o dramaturgo Oduvaldo Viana Filho e Navalha na Carne, de Braz Chediak, baseado na obra de Plínio Marcos.

De 28 a 31 – Teatro Sem Fronteiras – Canal Brasil

Dia 28 - 16h, 18h e 20h

HYSTERIA - GRUPO XIX (Brasil, 2011 – 25 min).

Trata-se de um dos espetáculos mais bonitos já encenados no Brasil e no mundo nas últimas décadas, sobre mulheres consideradas histéricas no Século XIX e todo construído a partir de diários encontrados num asilo psiquiátrico do passado. Com o premiado Grupo XIX de Teatro.

ASSOMBRAÇÕES DO RECIFE VELHO - OS FOFOS ENCENAM (Brasil, 2011, 25 min).

Trata-se de um documentário arquitetônico todo rodado no Recife Antigo, através do qual se desvenda a dramaturgia da passagem do tempo e, sobretudo, as fantasmagorias nas fachadas dos casarios no centro da capital pernambucana. O filme tem montagem da artista plástica Lea Van Steen.

Dramaturgia do Newton Moreno a partir do livro homônimo de Gilberto Freyre e encenação do grupo Os Fofos Encenam. Classificação 12 anos para o programa.

Presença do diretor, Evaldo Mocarzel, na sessão das 18 horas para debate.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

Dia 29 - 16h, 18h e 20h

KASTELO - VERTIGEM (Brasil, 2011 - 25 min).

“Kastelo”, do Teatro da Vertigem, uma das mais importantes companhias do Brasil e do mundo, resolveu discutir o trabalho no mundo corporativo em seis andaimes e em rappel, do lado de fora do terceiro andar do Sesc Paulista, em plena Avenida Paulista. Com montagem também assinada pela artista plástica Lea Van Steen.

A ÚLTIMA PALAVRA É A PENÚLTIMA – VERTIGEM LOT E ZIKZIRA (Brasil, 2011 - 25 min).

As companhias de artes cênicas Teatro da Vertigem, Zikzira e LOT fazem juntas uma intervenção numa passagem subterrânea em São Paulo. A inusitada experimentação artística é inspirada na obra “O Esgotado”, de Deleuze. O filme foi montado pelo cineasta Fernando Coster. Classificação 12 anos para o programa

Presença do diretor, Evaldo Mocarzel, na sessão das 18 horas para debate.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

Dia 30 - 16h, 18h e 20h

HYGIENE - GRUPO XIX (Brasil, 2011 - 25 min).

Encenada nas ruas abandonadas da capital Rio Branco, a peça conta a história de um grupo de imigrantes que tem sua moradia ameaçada diante de uma investida higienista nos cortiços da cidade de São Paulo do século 19.

A edição foi feita pela montadora e finalizadora Nathália Okimoto, de Curitiba, que agora trabalha em Belo Horizonte.

MEMÓRIA DA CANA - OS FOFOS ENCENAM (Brasil, 2011 - 25 min)

Adaptação da obra "Álbum de Família", de Nelson Rodrigues, a peça retrata conflitos familiares presentes numa sociedade patriarcal nordestina. As cenas foram inspiradas nas lembranças dos atores do grupo "Os Fofos Encenam".

O filme foi montado por Mariana Fresnot, filha do cineasta Alain Fresnot. Classificação 12 anos para o programa

Presença do diretor, Evaldo Mocarzel, na sessão das 18 horas para debate.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

Dia 31

Sessão Especial de VILA VERDE – SATYROS (Brasil, 2011 - 25 min).

15 h - no Teatro Peça Por Peça, na Vila Verde (Rua Emilio Romani, 316 CIC), com presença de membros da Companhia Os Satyros e de Evaldo Mocarzel, para debate.

Na Cinemateca Sessões às 16 h, 18h e 20h

Com o grupo Satyros, um dos mais importantes de São Paulo, que foram pioneiros na revitalização da Praça Roosevelt, no centro de São Paulo, um dos locais que liderou durante muitos anos o ranking de local mais violento da Grande São Paulo e hoje virou um point cultural. “Vila Verde” é uma espécie de intervenção urbana encenada na periferia da capital paranaense durante o Festival de Teatro de Curitiba há alguns anos. O encenador Rodolfo García Vásquez foi para esse bairro na periferia de Curitiba, que também durante muitos anos liderou o ranking de violência na cidade, e entrevistou os moradores daquela comunidade. Depois misturou os atores e atrizes do grupo com os personagens “reais” do local e dirigiu um espetáculo recriando as histórias contadas por todos da Vila Verde.

FESTA DE SEPARAÇÃO - LUBI MARQUES, JANAÍNA LEITE E FEPA (Brasil, 2011 - 25 min)

Concebido pela atriz Janaina Leite e pelo filósofo Felipe Pinto (Fepa), o documentário cênico é baseado na ruptura do casal e na posterior festa de separação. Vídeos e números musicais debatem as práticas amorosas no século 21. O filme foi montado e co-dirigido pelo cineasta Fernando Severo.

Classificação livre

Entrada gratuita

01/04 – 16h, 18h

A NAVALHA NA CARNE (Brasil, 1970 – 91 min - ficção). Direção de Braz Chediak.

A navalha na carne é a menos conhecida e talvez a mais cinematográfica das grandes adaptações de peças de teatro para o cinema no Brasil. Dirigida a partir do texto do dramaturgo Plínio Marcos, o filme ainda hoje impressiona pela crueza das situações, pela ousadia de um prólogo de quase 30 minutos sem diálogos e pelas excepcionais interpretações de Glauce Rocha, Jece Valadão e Emiliano Queiroz. Mas, acima de tudo, pela capacidade do diretor de transformar em grande cinema um duelo verbal com apenas três atores, passado em tempo real, em um quartinho de pensão.

VIANINHA (Brasil, 1984 – 27 min – documentário). Direção de Gilmar Candeias e Jorge Achôa.

A obra e as idéias do dramaturgo Oduvaldo Viana Filho, o Vianinha, examinadas em uma cronologia biográfica que traça um painel dos acontecimentos mais significativos das décadas de 1960 e 70.

Classificação 18 anos

Entrada gratuita

20h

Lançamento do documentário KOBACHUK, A VIDA E A ARTE DE UM BRINCANTE ( Brasil, 2012 - 15 min). Direção de Thiago Couto.

O documentário Kobachuk: a vida e a arte de um brincante apresenta a vida e obra do paranaense Manoel Kobachuk, ator e diretor de teatro. Tido com um dos mestres mais respeitados do Brasil na arte do Teatro de Bonecos, Kobachuk coleciona histórias e espetáculos apresentados ao longo de 50 anos de carreira artística.

Após a sessão, debate com o diretor Thiago Couto e com Manoel Kobachuk.

VILA VERDE – SATYROS (Brasil, 2011 - 25 min).

Classificação livre

Entrada gratuita

02/ a 05/04

Dias 02 e 03/04 - 16h e 18h

Dias 04 e 05/04 - 16h, 18h e 20h

A NAVALHA NA CARNE (Brasil, 1970 – 91 min).

VIANINHA (Brasil, 1984 – 27 min).

Classificação 18 anos

Entrada gratuita

02 e 03/04 – somente às 20 horas - RETRATOS BRASILEIROS - DIARIO DE AQUÁRIO (Brasil, 2009 – 43 min - Prod. da Canal Brasil / Matinê Filmes). Direção de Luiz Carlos Lacerda.

O filme conta a passagem pelo Brasil do grupo de vanguarda norteamericano Living Theatre em 1971, sua prisão e a repercussão no mundo, à partir do Diário da prisão, de Judith Malina.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

Cinemateca

Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco

Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 22h30. Sábados e domingos, das 14h30 às 22h30.

Informações: (41) 3321-3252

Show Lançamento de CD Rafael Schimidt

Show Lançamento de CD Rafael Schimidt

O músico Rafael Schimidt, vai lançar seu terceiro álbum "Outras Histórias" no

SESC Vila Mariana

dia 12 de Abril

ao lado de duas feras do circuito de música popular instrumental - Swami Jr e Zé Barbeiro.

Homenagem a Lala Schneider no aniversário de Curitiba




Um dos símbolos do teatro paranaense, a atriz Lala Schneider, falecida em 2007, recebe uma homenagem de Curitiba, quando a cidade comemora o aniversário de 319 anos. Neste sábado (31), às 12h, o prefeito Luciano Ducci e o governador Beto Richa inauguram na Praça Santos Andrade um monumento que eterniza a contribuição da atriz para a cultura brasileira. Ele leva a assinatura dos artistas Alfi Vivern e Maria Inés Di Bella.
Localizada bem em frente ao Teatro Guaíra, a obra revela o rosto de Lala Schneider em forma de máscara, saindo de um bloco bruto de granito de sete toneladas que, na parte superior, transforma-se em estrela. A máscara, feita em bronze, pesa 270 quilos e capta a emoção da atriz que conquistou plateias no teatro, na televisão e no cinema.
“É uma estrela que nasce do granito bruto, simbolizando todos os desafios que essa artista venceu”, destaca Alfi Vivern, ao falar sobre a mensagem da escultura. Para elaborar a obra, Alfi e Maria Inés Di Bella mergulharam na rica trajetória de Lala Schneider, reconhecida como primeira-dama do teatro paranaense.

Os artistas plásticos argentinos, que escolheram Curitiba para viver, já integram a história cultural do Paraná. Maria Inés Di Bella aqui chegou em 1978 e tem esculturas espalhadas por diversas cidades brasileiras. A artista é responsável por vários trabalhos que marcam a paisagem curitibana, entre elas o monumento de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, instalado na Rua Barão do Cerro Azul, ao lado da Catedral Basílica de Curitiba.

Alfi Vivern, no Brasil desde 1972, dirigiu o Museu de Arte Contemporânea do Paraná, de 2007 até 2010. Com várias exposições individuais e coletivas no Brasil e exterior, possui obras em países como Egito, Emirados Árabes, Bélgica, Espanha, França, Colômbia, Peru, México, Estados Unidos, Argentina, Turquia, Alemanha, Itália, Coreia e China.


A atriz – Nascida em 23 de abril de 1926, em Irati (PR), Lala Schneider subiu pela primeira vez ao palco em 1950, na peça "O Poder do Amor", no Teatro do Sesi. Atriz de teatro, televisão, cinema, diretora e professora de interpretação, Lala figurou entre as melhores atrizes do Brasil.
Lala Schneider atuou em 99 peças, nove filmes e oito novelas, durante 52 anos de carreira artística. Na Rede Globo, fez participações em novelas como “Lua cheia de amor” e “Felicidade”, além da minissérie “Tereza Batista”. A artista conquistou 16 prêmios, entre eles o Troféu Gralha Azul na categoria Melhor Atriz, em duas ocasiões: na edição 1984/1985, com “Colônia Cecília”, e em 1992/1993, com “O Vampiro e a Polaquinha”.
No cinema, trabalhou principalmente com cineastas paranaenses. A atriz esteve em “Guerra dos Pelados”, “Aleluia Gretchen” e “Making of Curitiba”, de Sylvio Back; “O Cerco da Lapa”, de Berenice Mendes; e “Maré Alta”, de Egídio Élcio, entre outros. Seu último trabalho local foi o filme "Mistéryus", baseado em contos de Valêncio Xavier.
Em homenagem à atriz, o diretor João Luiz Fiani inaugurou um teatro em Curitiba, em 1994, com o nome de Fundação Teatro Lala Schneider. Em 2004, Lala Schneider recebeu do Centro Cultural Teatro Guaíra a Medalha Comemorativa dos 50 anos do Guairinha (Auditório Salvador de Ferrante), homenagem concedida às personalidades que fazem parte da história do teatro paranaense. A artista faleceu em 28 de fevereiro de 2007.

Serviço:
Comemorações do aniversário de Curitiba
Inauguração do monumento em homenagem a Lala Schneider, pelo prefeito Luciano Ducci e o governador Beto Richa.
Data e horário: dia 31 de março de 2012 (sábado), às 12h
Local: Praça Santos Andrade
Entrada franca

O visível e o inteligível – Estudos sobre a percepção e o pensamento na filosofia grega antiga


O visível e o inteligível – Estudos sobre a percepção e o pensamento na filosofia grega antiga
Miriam Campolina Diniz Peixoto,
Marcelo Pimenta Marques, Fernando Rey Puente


Coleção: Humanitas
Dimensão: 22,50 x 15,50
Peso: 250 gramas

O LIVRO
O presente livro reúne textos de três especialistas em Filosofia Antiga que tratam da questão do conhecimento perceptivo e intelectivo na Antiguidade. Procuram apresentar, em suas diferentes análises, a complexa inter-relação entre a percepção e o pensamento em autores antigos, como Heráclito, Parmênides, Demócrito, Platão e Aristóteles. O objetivo dos ensaios é expor que a esfera do visível – a dimensão do conhecimento perceptivo – interage com a do invisível – o domínio da razão e do pensamento –, não havendo uma cisão radical desses dois âmbitos, ainda que eles sejam claramente distintos.

A distinção entre o visível e o inteligível é um tópos recorrente em diversos pensadores antigos. Os autores Miriam Campolina Diniz Peixoto, Marcelo Pimenta Marques e Fernando Rey Puente analisam mais detidamente como essa oposição se apresenta em diferentes obras específicas, a fim de mostrar que, embora distintos, os domínios cognitivos da percepção e do pensamento não podem ser tratados dicotomicamente. Os textos aqui reunidos visam, pois, mostrar a interação efetiva entre o conhecimento perceptivo e o intelectivo em alguns dos mais significativos pensadores da Antiguidade. A pluralidade de autores analisados e o diferente modo de estudá-los são o indício de uma atividade de pesquisa coletiva coesa, mas ciosa das diferentes abordagens metodológicas, bem como das diversas reconstruções individuais dos filósofos antigos por parte desses pesquisadores.

Os Autores
MIRIAM CAMPOLINA DINIZ PEIXOTO é doutora em Filosofia pela Université Marc Bloch e professora de Filosofia a da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Organizadora do livro A saúde dos antigos: reflexões gregas e romanas (2009). MARCELO PIMENTA MARQUES é doutor em Filosofia pela Université Marc Bloch e professor de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Autor de O caminho poético de Parmênides (1990) e de Platão, pensador da diferença (2006). FERNANDO REY PUENTE é doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas e professor de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Autor de Os sentidos do tempo em Aristóteles (2001) e Ensaios sobre o tempo na filosofia antiga (2010).

LANÇAMENTO DA

"Rito", exposição individual da cearense Sabyne Cavalcanti, entra em cartaz no CCBNB-Fortaleza


O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) abrirá na próxima terça-feira, 3, às 18 horas, a exposição individual "Rito", da artista visual cearense Sabyne Cavalcanti, com curadoria de Solon Ribeiro.

Com entrada franca, a exposição ficará em cartaz até o próximo dia 12 de maio (horários de visitação: de terça-feira a sábado, de 10h às 20h; e aos domingos, de 12h às 18h).

Nesta mostra, Sabyne Cavalcanti apresentará trabalhos que investigam as relações entre a terra, a grama, o ferro e o espaço, encontrando na corrosão e no desgaste natural originados pelas intempéries a união entre a artista e os elementos da natureza que a cerca.

O corpo e os elementos da natureza são suporte desde a pré-história para a produção artística. A artista encontrou, através de sua pesquisa com esses "materiais", uma forma de uni-los e extrair dessa junção o mais puro conceito de arte, levando o visitante a uma supra-sensação, ao dilatamento de sua espontaneidade expressiva adormecida, condicionada ao cotidiano.



Rito (texto do curador da exposição, Solon Ribeiro)

A terra em sua matéria retém a memória de um lugar e é elemento primordial de transformações e invenções.

Removendo literalmente a terra e transportando para outro lugar, o espaço passa a ser explorado, construído, habitado, enquanto movimento de percepção, interação e intervenção.

A experimentação do espaço se faz necessário para entendê-lo como uma rede de signos, com um sistema de objetos significantes, onde cada componente tem seu sentido elaborado e socialmente compartilhado a partir de suas relações.

No seu programa de trabalho, além do uso da terra, Sabyne Cavalcanti se dedica a pesquisa de diversos materiais perecíveis, criando espaços de relacionamentos nas instituições de arte, que funcionam mais como um laboratório do que como um espaço expositivo, um lugar de renovação da energia, onde não apenas o espaço, mas o tempo da galeria é alargado e cujos significados são construídos coletivamente.

Com essas Ações de Remover, Deslocar e Experimentar, Sabyne propõe a construção de um espaço alquímico e se interroga dos limites físicos e conceituais da arte.

Exposição de sapatos - SAPATARIA ROCOCÓ





SAPATARIA ROCOCÓ

É um trabalho de composição do figurinista Paulo Vinícius a partir de materiais e conceitos que resgatam a confecção artesanal, na procura por uma poética do Rococó.
Trata-se da exposição virtual de uma coleção formada por 12 pares de sapatos que tiveram seus modelos originais alterados e customizados.
Os principais elementos utilizados foram rendas, bordados, tecidos, tintas, passamanarias, pedrarias, contas e outros materiais que depois de pesquisados e reunidos, passam a compor uma estética do exagero, do kitsch, ideal perseguido para este trabalho a partir da retomada das características barrocas.

PAULO VINÍCIUS
Experimenta na sua Sapataria Rococó a possibilidade de diferentes aberturas de frentes de criação em figurino que o interessam: é propositor, criador e executor deste trabalho e o relaciona com suas experiências desenvolvidas no teatro, no carnaval e na moda; além de estabelecer parcerias artísticas que dialogam com sua criação. O artista olha para as suas criações de figurino e cena, remonta, atualiza e leva para o mundo um universo inscrito em 12 sapatos. Paulo trabalha em um formato completamente artesanal e, paradoxalmente, apresenta ao público sua criação virtualmente.
]
FICHA TÉCNICA:
Figurinista: PAULO VINÍCIUS
Fotógrafo: MARCO NOVACK
Designer gráfico: PABLITO KUCARZ
Assistente de fotografia: CAROLINA FAUQUEMONT
Texto incidental: AMÁBILIS DE JESUS
Assessor de Imprensa: FERNANDO DE PROENÇA

O link para o trabalho é:
http://www.sapatariarococo.blogspot.com.br/

Inscrições para candidatos à conferência regional de cultura encerra HOJE (29)

Termina nesta quinta-feira (29 de março) o prazo de inscrição de candidatos a delegados, representantes da cidade de Curitiba, para a Conferência Regional de Cultura. A conferência regional será realizada em Araucária, em data a ser definida, com a finalidade de eleger um membro para o Conselho Estadual de Cultura. A eleição para escolha dos delegados de Curitiba será no dia 16 de abril, das 9h às 20h, no Memorial de Curitiba.

Para candidatar-se como delegado é necessário preencher a ficha de inscrição no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/eleicao até 29 de março, reunir os documentos e comprovações exigidos, e entregá-los no protocolo geral da FCC (Rua Engenheiros Rebouças, 1732 – Rebouças). Entre os requisitos para a candidatura de delegado estão: ser domiciliado ou residente em Curitiba; comprovar atuação na área cultura e ser reconhecido pela comunidade local como participante, organizador ou incentivador da cultura; e encontrar-se inscrito no Cadastro de Agentes Culturais do Estado do Paraná (site www.cultura.pr.gov.br). Outras informações sobre a habilitação estão no edital nº 042/12 da FCC.

Além dos candidatos a delegados, também devem se inscrever os eleitores que vão escolher os representantes de Curitiba na conferência. Qualquer pessoa domiciliada em Curitiba pode participar do procedimento como eleitor. Basta fazer o seu cadastro no site até o dia 10 de abril, preenchendo o formulário eletrônico como “eleitor”, e comparecer no dia da eleição portando um documento de identificação (com foto).

A lista dos candidatos habilitados a participar do processo eleitoral será divulgada no dia 3 de abril. Serão eleitos, na etapa municipal, seis delegados e quatro suplentes. O Conselho Estadual de Cultura foi instituído recentemente, em janeiro, pela Lei 17.063/2012.

Fora do Eixo nos Parques

Neste domingo 01/04, o Tubo Coletivo ocupa o parque São Lourenço, junto ao Música nos Parques, da prefeitura municipal de Curitiba, com o projeto Fora do Eixo nos Parques, que organiza parte da programação musical, pintura infantil, jogos infantis, cantinho da leitura e book crossing. A programação cultural vai das 15:30 as 18:00.

quarta-feira, 28 de março de 2012

VALEU MILLÔR !





Livre pensar é só pensar !

(Millôr Fernandes)
não sei quanto de tal * - 2012+


"QUE O MANUEL BANDEIRA ME PERDOE, MAS...VOU-ME EMBORA DE PASÁRGADA"...

FUI !




Vou-me embora de Pasárgada
Sou inimigo do rei
Não tenho nada que quero
Não tenho e nunca terei
Vou-me embora de Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
A existência é tão dura
As elites tão senis
Que Joana, a louca da Espanha
Ainda é mais coerente
Do que os donos do país.

A gente só faz ginástica
Nos velhos trens da central
Se quer comer todo dia
A polícia baixa o pau
E como já estou cansado
Sem esperança num país
Em que tudo nos revolta
Já comprei ida sem volta
Pra outro qualquer lugar
Aqui não quero ficar.
Vou-me embora de Pasárgada.

Pasárgada já não tem nada
Nem mesmo recordação
Nem a fome e a doença
Impedem a concepção
Telefone não telefona
A droga é falsificada
E prostitutas aidéticas
Se fingem de namoradas.

E se hoje acordei alegre
Não pensem que vou ficar
Nosso presente já era
Nosso passado já foi.
Dou boiada pra ir embora
Pra ficar só dou um boi
Sou inimigo do rei
Não tenho nada na vida
Não tenho e nunca terei
Vou-me embora de Pasárgada.

(Millor Fernandes, no Jornal do Brasil)

O Texto é do Millor. O título é "Que o Manuel Bandeira me perdoe, mas... vou-me embora de Pasárgada!"

terça-feira, 27 de março de 2012

O despertar da Irlanda (Col. A saga de Dublin - vol. 2)




O despertar da Irlanda (Col. A saga de Dublin - vol. 2)
Título Original: Ireland awakening

de Edward Rutherfurd


Tradutor: Domingos Demasi


Coleção: A Saga de Dublin

Páginas: 798

Formato: 16 x 23



Em DESPERTAR DA IRLANDA, Edward Rutherfurd, em estreita colaboração com os principais historiadores irlandeses, conta a história do O'Byrne, MacGowan, Doyle, Walsh e famílias Tidy, juntamente com os Smiths católicos, presbiterianos e Leis Budges, ao longo dos séculos turbulentos de Cromwell , A ascensão e a Fome para o Levante da Páscoa e do Estado Livre Irlandês.

No contexto da Confederação da Irlanda, a vinda de Cromwell, o massacre de Drogheda, e a Batalha de Boyne , o adultério de Margaret Smith com o chefe irlandês Brian O'Byrne e as muitas conseqüências.

Chegamos inclusive ao mundo excitante mas perigoso do renascimento celta de WB Yeats, o crescimento do Sinn Fein nas ruas de Dublin de James Joyce, e a notável história das mulheres do Levante da Páscoa.



O LIVRO
Depois do sucesso de Os príncipes da Irlanda, onde retrata os mais significativos acontecimentos da história irlandesa até o século XVI, Edward Rutherfurd visita de novo as verdes planícies da terra de Joyce. O DESPERTAR DA IRLANDA abrange o período entre 1597 e as primeiras décadas do século XX. Através do cotidiano de gerações de diversas famílias, afetadas pelas convulsões sociais e políticas da época, ele traça o perfil desse país e seu povo, transformando em personagem uma das mais intrigantes nações européias.


No auge da Reforma e da Contra-Reforma, o destino da Irlanda se alterará de forma inexorável pelo aparecimento de um personagem-chave para a história de toda a Europa: Oliver Cromwell. Sua ascensão ao poder e a campanha na Irlanda marcam o início de uma época marcada pela hegemonia do poder protestante e que relegará ao segundo plano os cidadãos católicos. O descobrimento do Novo Mundo, a comoção provocada pela Revolução Francesa, a Grande Fome são outros episódios marcantes abordados aqui por Rutherfurd.


Em O DESPERTAR DA IRLANDA, Rutherfurd demonstra mais uma vez seu talento para mesclar ficção e realidade em um contundente romance que aborda tanto acontecimentos históricos como conflitos religiosos e políticos, assassinatos e guerras. Mas oferece, também, um belo painel da formação e desenvolvimento do país e de seus habitantes. No cenário da dramática história política da Irlanda, revisita as dinastias familiares, tais como os Walsh e os Doyle, cujas épicas viagens através dos séculos continuam até o Levante da Páscoa e a Independência, no século XX.


Também do autor

Os príncipes da Irlanda (Col. A Saga de Dublin - vol. 1)
Edward Rutherfurd


O AUTOR

Edward Rutherfurd nasceu na Inglaterra, e mais, na catedral da cidade de Salisbury. Educou-se no mesmo local, e nas universidades de Cambridge e Stanford, na Califórnia. Trabalhou na pesquisa política, e também na venda de livros e publicação. Depois de inúmeras tentativas para escrever livros e peças de teatro, ele finalmente abandonou sua carreira no setor livreiro e em 1983 voltou para a casa de infância para escrever SARUM, um romance histórico, com uma história de dez mil anos, situado na área em torno de Stonehenge e Salisbury. Quatro anos mais tarde, quando o livro foi publicado, tornou-se um best-seller internacional instantâneo , permanecendo 23 semanas na lista do New York Times Bestseller. Desde então, escreveu cinco outros best-sellers : RUSSKA, um romance da Rússia; LONDON; THE FOREST situado na Floresta da Nova Inglaterra, que fica perto de Sarum, e dois romances que cobrem a história da Irlanda a partir do momento logo antes de Saint Patrick até o século XX. Em 2009 Nova York foi publicado, e ele está trabalhando duro em um outro grande romance no momento. Seus livros foram traduzidos em vinte idiomas.

Ao longo dos últimos trinta anos, Edward tem dividido seu tempo entre a Europa e Nova York. Ele viveu no East Side da cidade, o lado oeste, em Westchester e Connecticut.

Edward Rutherfurd é um membro dos Amigos da Catedral de Salisbury, o Salisbury Civic Society, e os Amigos da Chawton House, que está localizado na aldeia de Jane Austen e dedicado ao estudo de mulheres escritoras. Ele também é o patrono do Teatro Nacional da Irlanda (o Abbey Theatre) em Dublin.

Em 2005, a cidade de Salisbury comemorou os seus serviços à cidade, nomeando uma das ruas proximas ao mercado medieval de 'Rutherfurd Walk
Link
Os seus passatempos incluem o teatro e o tênis.Link



Link
Ensaios selecionados

My Best Christmas

Thoroughly Modern Manhattan
My Favourite Fictional Character
A Lifetime Of New York Minutes



SAIBA MAIS EM
http://www.edwardrutherfurd.com/

um lançamento






Curso para pré-candidatos/as: lançamento ao vivo dia 30/03 às 19h


clique para ampliar

Prefeitura libera mais R$ 6 milhões para o Mecenato

O Programa de Apoio e Incentivo à Cultura de Curitiba, na modalidade Mecenato Subsidiado, conta em 2012 com uma verba total de R$ 11 milhões, que corresponde a até 1% da arrecadação fiscal do município. Parte desse valor – R$ 5 milhões – foi liberada pela Prefeitura em janeiro. A segunda parcela, de R$ 6 milhões, foi antecipada e acaba de ser disponibilizada aos produtores culturais.

O valor correspondente ao primeiro lote – R$ 5 milhões – já foi captado na sua totalidade pelos produtores que dispõem das certidões de enquadramento aptas a receber os recursos. O esgotamento desse lote em pouco mais de dois meses decorre, segundo avaliação da Fundação Cultural de Curitiba, do interesse crescente das empresas em apoiar projetos culturais e da qualidade de projetos aptos à captação. “Estamos empenhados em divulgar os programas de incentivo à cultura, mostrando aos empresários as vantagens de apoiar eventos culturais. Também temos ofertado cursos de capacitação de artistas e produtores para elaboração de projetos para leis de incentivo”, diz a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Roberta Storelli.

Como resultado desse trabalho, cresce a cada ano o número de projetos inscritos nos editais e em condições de fazer uso dos incentivos fiscais. Em 2011, a captação foi de 96,16%, o equivalente a R$ 9.836.777,56.

Música com Bebés e Papás


Música com Bebés e Papás
1 Abril - Domingo

Os bebés e respectivos acompanhantes são expostos a um ambiente musical rico, de qualidade, variado em timbres e estilos musicais, com vista à aquisição de um vocabulário e repertório musical.
A música e as histórias sonoras contadas transportam-nos para um mundo de fantasia, proporcionando momentos inesquecíveis.

Horário
Sessão 1 - 10h30
Sessão 2 - 11h30

Bebés até aos 36 meses



Bebé + Adulto acompanhante - 10€
Bebés + 2 Adultos acompanhantes - 15 €

inscrições através do email info@conception.pt ou no Orfeão do Porto


Orfeão do Porto
Praça da Batalha, 123, 1º
Porto

Camerata Antiqua abre temporada 2012 com concerto no aniversário de Curitiba






A abertura da temporada 2012 de apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba, patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo, integra as comemorações dos 319 anos da cidade e também é voltada à Semana Santa. Nesta quinta-feira (29), às 20h, a Capela Santa Maria abriga o pré-lançamento do concerto “A Paixão de Bach”, sob a regência do maestro mineiro Luís Otávio Santos. Na ocasião, será executada a versão reduzida do programa, com entrada franca. O espetáculo completo acontece às 20h de sexta-feira (30) e às 18h30 de sábado (31), com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).
A “Paixão Segundo São João”, escrita por Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), estreou na Sexta-feira Santa de 1724, na igreja luterana de Leipzig (Alemanha). A peça, considerada pelos estudiosos da música universal como uma das maiores obras corais de Bach, mostra que o compositor escrevia para alimentar o espírito. Ao longo dos séculos, a composição teve formas diversas de interpretação, mas, neste concerto, a Camerata Antiqua resgata os padrões estéticos do barroco.
“Na música antiga, a interpretação é mais retórica, mais eloquente. E a Camerata sempre teve um olhar atento para essas obras”, ressalta o regente Luís Otávio Santos, que contará com cantores convidados para o espetáculo. No papel principal do Evangelista atuará o tenor americano David Munderloh e, como Jesus, estará no palco o barítono austríaco Norbert Steidl.
A obra é uma representação dramática do texto contido no Evangelho de João, emoldurada por dois corais – na abertura e no final – e dramatizada de forma reflexiva em recitativos, corais e árias. O tenor é o narrador – a voz do evangelista João. Os demais solistas cantam as palavras de Jesus, de Pilatos, de Pedro e de outros personagens que participam da história. Bach dá às palavras do coro configurações mais elaboradas do que nos recitativos solos.
A Paixão Segundo São João é triste, emocional, intensa e meditativa. A profundidade da obra é alcançada a partir de sua sutileza. Por mais difícil que fosse trabalhar dentro dos limites do texto de João, Bach foi capaz de criar uma obra em movimento, com unidade musical e fortes traços psicológicos, além de profundamente espiritual.

O regente – Luís Otávio Santos, regente convidado para o concerto da Camerata Antiqua de Curitiba, na abertura da temporada 2012, é formado em violino barroco pelo Koninklijk Conservatorium Den Haag (Holanda). Nos 15 anos em que morou na Europa, o músico atuou em destacados grupos, sendo spalla e solista, desde 1992, da renomada orquestra barroca belga “La Petite Bande”, dirigida por Sigiswald Kuijken. Com a orquestra tem realizado turnês por toda Europa, China, Japão, México, Argentina, Colômbia e Chile, além de gravar dezenas de CDs e programas de televisão para as televisões belga, francesa e japonesa.
O músico ainda liderou outros conjuntos europeus, entre eles “Ricercar Consort” (direção de Philippe Pierlot), “Le Concert Français” (direção de Pierre Hantai), “Nederlandse Bachverening” (direção de Gustav Leonhardt) e “Den Haag Baroque Orchestra”. Foi professor de violino barroco na “Scuola di Musica di Fiesole”, em Florença (Itália), de 1997 a 2001, e no “Conservatoire Royal de Musique de Bruxelles”, de 1998 a 2005.
Na sua discografia solo destacam-se a integral das Sonatas de Johann Sebastian Bach, ao lado do cravista Peter-Jan Belder, para o selo holandês Brilliant; As Quatro Estações de Vivaldi com La Petite Bande, pelo selo belga Accent; e as Sonatas para violino de J. M. Leclair, para o selo alemão Ramée, gravação que recebeu o prêmio “Diapason d’Or”, a maior distinção francesa concedida a um registro fonográfico.
Luís Otávio Santos integra o conselho artístico da Camerata Antiqua de Curitiba, além de responder pela direção artística do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (MG), que tem mais de 20 anos de história. Nesse evento é também regente da Orquestra Barroca do Festival, que já gravou nove CDs e um DVD com obras brasileiras e europeias, em registros inéditos no Brasil.
Em 2007, Luís Otávio Santos foi agraciado com o título de Comendador da Ordem do Mérito Cultural, concedido pelo Governo Federal e o Ministério da Cultura por seu envolvimento com a cultura nacional e reconhecimento à carreira internacional. Também é fundador e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo, no qual ministra aulas de violino barroco desde 2008.

Serviço:
Apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos, na abertura da temporada 2012 de concertos, patrocinada pelo Ministério da Cultura e pela Volvo. No programa está a obra “Paixão Segundo São João”, escrita por Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), sob a regência do maestro Luís Otávio Santos.
Datas e horários: dia 29 de março (quinta-feira), às 20h, versão reduzida do programa com entrada franca. No dia 30 (sexta-feira), às 20h, e no dia 31 de março de 2012 (sábado), às 18h30, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).
Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Curitiba elege representantes para conferência regional de cultura

A Fundação Cultural realiza, no dia 16 de abril, das 9h às 20h, no Memorial de Curitiba, a eleição para escolha de delegados, representantes da cidade de Curitiba, para a Conferência de Cultura da Regional de Curitiba. Organizada pela Secretaria de Estado da Cultura, a conferência regional será realizada em Araucária, em data a ser definida, com a finalidade de eleger um membro para o Conselho Estadual de Cultura.

As inscrições para candidatos a delegados e eleitores estão abertas e podem ser feitas pelo site da Fundação Cultural de Curitiba (www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/eleicao). Qualquer pessoa domiciliada em Curitiba pode participar do procedimento como eleitor. Basta fazer o seu cadastro no site até o dia 10 de abril, preenchendo o formulário eletrônico como “eleitor”, e comparecer no dia da eleição portando um documento de identificação (com foto).

Para candidatar-se como delegado é necessário preencher a ficha de inscrição no site até 29 de março, reunir os documentos e comprovações exigidos, e entregá-los no protocolo geral da FCC (Rua Engenheiros Rebouças, 1732 – Rebouças). Entre os requisitos para a candidatura de delegado estão: ser domiciliado ou residente em Curitiba; comprovar atuação na área cultura e ser reconhecido pela comunidade local como participante, organizador ou incentivador da cultura; e encontrar-se inscrito no Cadastro de Agentes Culturais do Estado do Paraná (site www.cultura.pr.gov.br). Outras informações sobre a habilitação estão no edital nº 042/12 da FCC.

A lista dos candidatos habilitados a participar do processo eleitoral será divulgada no dia 3 de abril. Serão eleitos, na etapa municipal, seis delegados e quatro suplentes. O Conselho Estadual de Cultura foi instituído recentemente, em janeiro, pela Lei 17.063/2012.

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.


Heitor foi ao lançamento do livro do Antonio Prata e do Laerte, participou da segunda passeata em defesa da sua biblioteca, a passeata da vitória (parcial), e conta tudo no seu blog: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

Espiritismo e Consciência de Krishna - parte 2



Espiritismo e Consciência de Krishna:

Um Estudo Comparativo em Transmigração da Alma,

Posição dos Espíritos (Bhutas), Epistemologia e Objeto de Culto

leia mais em

*****

NÃO ao encerramento do CLP

Caros Amigos,

Acabei de ler e assinar esta petição online:

«NÃO ao encerramento do CLP»

http://www.peticaopublica.com/?pi=SOSCLP

Pessoalmente concordo com esta petição e acho que também vais concordar.

sábado, 24 de março de 2012

Mãe dos fiéis: Um romance sobre o nascimento do islã



Mãe dos fiéis: Um romance sobre o nascimento do islã
Título Original: Mother of the believers
de Kamran Pasha


Tradutor: Mariluce Pessoa

Páginas: 532
Formato: 16x23



No coração da Arábia do século VII, surge um novo profeta chamado Maomé. Homem comum, ele vê sua vida mudar quando o anjo Gabriel lhe faz as primeiras Revelações. Em pouco tempo sua mensagem de paz e justiça conquista o coração dos primeiros muçulmanos, mas sua crença afronta os principais líderes políticos da região. À medida que seus ensinamentos se estendem por toda a Arábia e unificam tribos rivais, sua jovem esposa Aisha narra a extraordinária transformação do marido em guerreiro e estadista. Mãe dos fiéis resgata a essência do islamismo ao contar a história de uma mulher notável destinada a anunciar a mensagem de Maomé ao mundo.




O Autor Kamran Pasha Fala sobre seu Livro Mother of the Believers


um lançamento






O Ensino de geografia na escola de Lana de Souza Cavalcanti



O Ensino de geografia na escola

de Lana de Souza Cavalcanti



Coleção: Magistério: Formação e trabalho pedagógico

Nº Páginas: 208

Público Alvo: Professores e alunos de Geografia

Segundo LANA DE SOUZA CAVALCANTI a Geografia como disciplina escolar deve ser encarada de forma diversa da ciência geográfica , "embora ambas analisem a realidade pela mesma perspectiva. O modo como cada uma compõe e organiza os temas de estudo é diferente. No mais, a primeira é um feixe de referências - e, entre elas, está a ciência geográfica estudada nas nossas universidades. Para lecionar no Ensino Fundamental, não basta aplicá-la diretamente, nem de um modo simplificado. A disciplina tem história, estrutura e lógica próprias. Muitos professores recém-formados não têm isso claro e se sentem atormentados por não conseguir aplicar o que aprenderam na graduação. "

O LIVRO
Esse livro aborda a formação e a prática do professor de geografia, com vistas a um ensino efetivamente voltado para a aprendizagem do aluno, considerado como sujeito histórica e socialmente constituído e ativo na construção de seus conhecimentos. Nesse ensino, o professor tem o papel de mediar a relação do aluno com os conteúdos geográficos, buscando ajudá-lo em seu processo de desenvolvimento intelectual, cognitivo, afetivo e social.
Ao apresentar princípios teóricos e implicações práticas da formação inicial e continuada em geografia, a obra traz contribuições para estudantes e professores preocupados em qualificar a prática docente cotidiana e em dar sentido crítico aos conteúdos da disciplina.


O CONTEÚDO
APRESENTAÇÃO
1. A FORMAÇÃO PROFISSIONAL: PRINCÍPIOS E PROPOSTAS PARA UMA ATUAÇÃO DOCENTE CRÍTICA
2. REFERÊNCIAS PEDAGÓGICO-DIDÁTICAS PARA A GEOGRAFIA ESCOLAR
3. UM PROFISSIONAL CRÍTICO EM GEOGRAFIA: ELEMENTOS DA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR
4. GEOGRAFIA ESCOLAR, FORMAÇÃO CONTÍNUA E TRABALHO DOCENTE
5. TRABALHO DOCENTE EM GEOGRAFIA, JOVENS ESCOLARES E PRÁTICAS ESPACIAIS COTIDIANAS
6. CONCEPÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS E DOCÊNCIA DA GEOGRAFIA NO MUNDO CONTEMPORÂNEO
7. CONCEITOS GEOGRÁFICOS: META PARA A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DOCENTES
8. GEOGRAFIA ESCOLAR E PROCEDIMENTOS DE ENSINO DE UMA PERSPECTIVA SOCIOCONSTRUTIVISTA
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

UM LANÇAMENTO







O Cavaleiro da Terra de Ninguém Vida e tempos de Cristóvão Pereira de Abreu



O Cavaleiro da Terra de Ninguém

Vida e tempos de Cristóvão Pereira de Abreu

de Sinval Medina


Formato: 14x21
Nº de páginas: 432


Segundo Euripedes Falcão Vieira , doutor em Geografia e Bacharel em Ciências Econômicas eProfessor emérito do Rio Grande do Sul -
"Na teoria geral da população uma fixação inicial gera processos demográficos, dinamizando o núcleo primevo em direção a um adensamento populacional, formação de vila, de cidade e de zona urbana. O que aconteceu em Rio Grande foi uma pré-definição geográfica de lugar, uma determinação de criar povoamento e a instalação de um comando militar de posse territorial. São dois momento, duas datas. A primeira em 27/09/1736 com Cristovão Pereira de Abreu à frente, e a outra, em 19/02/1737, com o Brigadeiro Silva Paes entrando na barra do Rio Grande e assumindo o comando dos fortes já existentes e tomando posse do território do Rio Grande do Sul. Não há dúvida, porém, face a documentação dos próprios protagonistas do fato geográfico e histórico que a primazia do núcleo inicial da futura cidade do Rio Grande data de 27/09/1736 e a figura de seu fundador não oficializado foi Cristovão Pereira de Abreu.

Penso que a polêmica não visa mudar a data nem o “fundador simbólico”, mas não devemos subalternizar o núcleo inicial e a figura que o organizou. Interpretar que Rio Grande não tinha um núcleo de povoamento anterior ao Brigadeiro José da Silva Paes é desconhecer a realidade geográfica onde os fatos se desenrolaram, ou em outra perspectiva, a pesquisa foi incompleta.

Cristovão Pereira de Abreu participou, também, em 1737, sob o comando de Silva Paes, da construção do forte São Miguel, hoje território Uruguaio; em 1754, aos setenta e quatro anos, para garantir os limites estabelecidos no Tratado de Madri, confrontou com os nativos missioneiros comandados por Sepé Tiaraju. Em 1755, o grande pioneiro, desbravador e lutador pela posse da territorialidade rio-grandense morreu em Rio Grande, no núcleo de povoamento que iniciara e seria, mais de dois séculos após, a cidade portuária do Rio Grande. Cristovão Pereira de Abreu nasceu em 1680, ano da criação da Colônia do Sacramento. Por mais de 30 anos percorreu as terras do litoral sul, onde acabou ficando para a eternidade. Deixou cartas e relatórios que estão preservados na Biblioteca Rio-Grandense em Rio Grande."

Agora com o livro de Sinval Medina parece ter odevido reconhecimento da história!

O LIVRO
Explorador, sertanista, combatente: Cristóvão Pereira de Abreu é o cavaleiro da Terra de Ninguém - o território que hoje é o Rio Grande do Sul e que, no período colonial, mal fazia parte do Brasil. Conhecido como Rei dos Tropeiros, foi ele quem, nas primeiras décadas do século XVIII, abriu o caminho entre São Paulo e aquela região, permitindo a integração social, política e econômica do Sul com o restante do país.

Resultado de minuciosa pesquisa, este livro é uma biografia romanceada, na qual Sinval Medina reconstrói a trajetória do fidalgo português que cruzou o oceano para tornar-se um dos personagens mais importantes de nossa história.

UM LANÇAMENTO


Governo lança programa para política de educação no campo Ascom MEC - 21/03/2012 Pelo Pronacampo, mais de 3 milhões de estudantes receberão material

Governo lança programa para política de educação no campo

Pelo Pronacampo, mais de 3 milhões de estudantes receberão material didático relacionado à realidade do campo, por meio do Programa Nacional do Livro Didático. O Programa Nacional de Biblioteca da Escola atenderá professores e estudantes, ao oferecer obras de referência sobre as especificidades do campo e das comunidades remanescentes de quilombos.

Lançamento dos livros de Louis Lavelle e Tarcísio Padilha


A Editora É convida para o lançamento dos livros de Louis Lavelle e Tarcísio Padilha

clique para ampliar











Ciclo de debates – 25 anos em Contexto

Este ano é muito especial: em 2012 estamos comemorando 25 anos da Editora Contexto. Para dar início às celebrações, realizaremos uma série de debates comandados por profissionais renomados de cada área e sempre enfocando temas atuais e de grande interesse. Os eventos acontecerão sempre no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

Confira abaixo as datas, os temas, os convidados já confirmados e participe. A entrada é gratuita.




25 ANOS – O CONTEXO JORNALÍSTICO
Data: 2 de abril – Horário: 19h

Milton Leite, Pollyana Ferrari, Milton Jung e Carlos Eduardo Lins da Silva

A revolução tecnológica atingiu em cheio o jornalismo, provocando enormes mudanças que estão sendo absorvidas aos poucos por jornalistas e empresas do ramo. O que mudou nos últimos 25 anos? Para onde vai o jornalismo?



*****

25 ANOS – O CONTEXTO HISTÓRICO
Data: 4 de junho – Horário: 19h
Cicatrização das marcas da ditadura, consolidação da democracia, liberdade de expressão, governos civis escolhidos por voto e incorporação de parcela maior da população na cidadania são marcos da nossa história nos últimos 25 anos. Contudo, persiste uma distância enorme entre a sociedade civil e o estado. O que fazer para aproximá-los?

*****

25 ANOS – O CONTEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA
Data: 6 de agosto – Horário: 19h
Se é verdade que ainda não há uma língua brasileira, o último quarto de século tornou evidente a existência de uma língua portuguesa brasileira. Qual é a especificidade dessa língua? É possível (e desejável) aproximar o português falado da norma culta e vice-versa?

*****

25 ANOS – O CONTEXTO EDUCACIONAL
Data: 1º de outubro – Horário: 19h
A deterioração do ensino público limita o crescimento do país, dificulta a mobilidade social e a prática de uma cidadania integral. O que fazer para alterar este quadro?

*****

25 ANOS – AS CIDADES BRASILEIRAS EM CONTEXTO
Data: 3 de dezembro – Horário: 19h
Crescimento desordenado, aumento da violência, trânsito caótico: as cidades brasileiras, inclusive as médias, sofreram grandes alterações nos últimos 25 anos. Por outro lado, é nelas que vive a esmagadora maioria da população. O que pode ser feito pelas cidades e pelas pessoas?

Galpão comemora 30 anos em Curitiba



Além de apresentar ‘Eclipse” nacionalmente, Grupo abre portas para o teatro mineiro no Festival de Curitiba





O Grupo Galpão estreia, pela primeira vez fora de Belo Horizonte, o espetáculo "Eclipse", no ano em que completa 30 anos de história. Nos dias 6, 7 e 8 de abril, a companhia desembarca no Paraná para se apresentar na 21ª edição do Festival de Teatro de Curitiba.

“Eclipse” completa o projeto “Viagem a Tchékhov”, lançado pelo Grupo Galpão em 2011. O Grupo propôs um mergulho, durante um ano, na obra do autor russo, com o objetivo de montar dois espetáculos.



--

Sinopse “Eclipse”

Cinco pessoas aguardam o final de um eclipse solar. Enquanto isso discutem sobre a existência e a condição humana perpassando os contos e a filosofia do escritor russo Anton Tchékhov. À medida que a espera se torna longa, o confronto dessas visões de mundo desencadeia uma série de situações absurdas.

--



O Galpão Cine Horto realiza, a curadoria da segunda edição da mostra “Grupos de BH - Teatro para Ver de Perto”, sob a coordenação artística de Chico Pelúcio e Leonardo Lessa. O centro cultural do Grupo Galpão levará para o Fringe, em Curitiba, um panorama da produção recente de jovens grupos teatrais da capital mineira, além de lançamento de duas publicações do Selo Edições CPMT e bate-papo sobre algumas tendências da criação teatral contemporânea. As atividades acontecerão de 31 de março a 8 de abril, no Teatro Novelas Curitibanas.



MOSTRA “Grupos de BH - Teatro para ver de perto”

Os sete espetáculos de seis grupos mineiros, que compõem a programação de nove dias do Teatro Novelas Curitibanas, foram escolhidos por terem em comum a criação dramatúrgica original e a relação de proximidade com o espectador como premissa para a encenação. O público do Festival poderá assistir, no Teatro Novelas Curitibanas, aos seguintes espetáculos: “A Pequenina América e Sua Avó $ifrada de escrúpulos” da Mayombe Companhia de Teatro, “Quintal”, da Cia. Casca, “Outro Lado”, da Cia. QuatroLosCinco, “Robinson”, da Cia Pequeno Mamute Capitão Amável, “Da ordem das coisas” e “Mudanças”, da Companhia do Chá e “Cachorros não sabem blefar”, da Cia. Cinco Cabeças.

Jogando no Quintal 10 anos




Dias 7 e 8 de abril, no Estúdio Emme





O Jogando no Quintal comemora 10 anos de sua criação resgatando a agenda de exibição das primeiras temporadas, quando o grupo fazia apresentações somente no primeiro final de semana de cada mês. As próximas apresentações acontecem nos disa 7 e 8 de abril, sábado e domingo.



O Jogando no Quintal traz no elenco os maiores nomes do improviso no Brasil. O grupo permanece junto desde a sua formação o que possibilitou o aprofundamento da pesquisa que continua surpreendendo e divertindo o público a cada apresentação. O espetáculo foi idealizado por César Gouvêa e Marcio Ballas.



Alguns jogos de improviso que serão apresentados serão inéditos e alguns há muito não apresentados farão retornos surpresas a cada sessão da temporada que se estende até o mês de setembro. Em algumas delas, convidados inéditos e que já se apresentaram com o grupo farão participações especiais.



Baseado nos jogos de improviso e nas regras do futebol, só que jogado por palhaços-atletas, o Jogando no Quintal traz a energia dos estádios para o teatro transformando o público em torcedor e incendiando a platéia a cada partida. Mais de 250 mil pessoas já assistiram o Jogando no Quintal.



10 anos em cartaz

O Jogando no Quintal comemora 10 anos em cartaz com uma programação pautada pela ação que traduz uma das essências do grupo: O COMPARTILHAR.



Uma programação gratuita terá o objetivo de abrir os bastidores do espetáculo e revelar o que está por trás do nariz vermelho. Workshops, exibição de vídeos e debates serão realizados durante todo este ano no Quintal de Criação.



O espaço foi inaugurado em 2009 e hoje atrai mais de 500 alunos por ano, entre leigos e atores, que buscam formação na linguagem da improvisação e do palhaço. O Quintal de Criação é hoje a grande fonte de inspiração para a criação de outros grupos e espetáculos que surgiram em todo o país.



O site terá uma nova identidade visual visando ampliar a possibilidade de comunicação direta com o público e a troca de experiências.




JOGANDO NO QUINTAL – 10 anos

Temporada: 07 e 08 de abril | 05 e 06 de maio | 02 e 03 de junho | 07 e 08 de julho | 04 e 05 de agosto | 01 e 02 de setembro.

Início do espetáculo: sábado as 21h e domingo às 19h30

Abertura da casa: sábado às 20h00 e domingo às 18h30

Duração do espetáculo: 90 minutos

Preço: 20,00 ( NÃO TEM MEIA ENTRADA)

canais de vendas:

On line: aloingressos.com.br

Bilheterias do Estúdio Emme: de segunda a sábado, das 13h00 - 19h00.

Censura: 18 anos

Estacionamento: serviço de vallet: R$ 20,00

Cartão de crédito: Mastercard e Visa

Cartão de Débito: Redeshop e Visa Electron

Acesso para deficientes.

Ar condicionado.

Estreou dia 3 de março

Estúdio Emme

Av. Pedroso de Moraes, 1036

https://www.facebook.com/EstudioEmme

contato@estudioemme.com.br

Informações: 11 3031 3290



Ficha Técnica

Criação e direção: César Gouvêa e Marcio Ballas

Direção: César Gouvêa

Elenco: Allan Benatti, César Gouvêa, Cláudio Thebas, Eugênio La Salvia, Lú Lopes, Marcio Ballas, Marco Gonçalves, Nando Bolognesi, Paola Musatti, Paulo Federal, Rhena de Faria, Vera Abbud, Gabriela Argento, Álvaro Lages, Danilo Dal Farra, Ernani Sanches.

Cenário: César Gouvêa

Direção de Produção: Ludmilla Picosque

Técnico de som: Felipe Mesquita

Iluminação: Aline Barros e Marcel Gilber

Contra regra: Getulio e Fernando Albuquerque

Produção Executiva: Humberto Rodrigues

No aniversário de Curitiba, idosos fotografam a cidade

No dia 29 de março, aniversário de Curitiba, um grupo de aproximadamente 90 idosos, moradores dos bairros Portão e CIC, farão um passeio de ônibus pela cidade, com paradas em parques e pontos turísticos para tirar fotografias e fazer caminhadas. Os ônibus saem às 14h do Parque Cambuí (Portão) e do CRAS Vila Verde (Rua Emílio Romani, 2637 – CIC), e passam pela Praça do Japão, Museu Oscar Niemeyer, Bosque Alemão e Parque Tanguá, onde acontece um piquenique de confraternização.

O passeio fotográfico completa as atividades da oficina de fotografia “Aprender a Ver”, destinada especialmente a idosos que queiram aprimorar a técnica. A oficina será realizada de 26 a 28 de março, na Associação Curitibana da Melhor Idade (Portão), com orientação do fotógrafo Bruno Stock. Os participantes terão aulas teóricas e práticas, que abordam história da fotografia, noções de enquadramento, composição, angulação e iluminação.

As vagas para a oficina já estão preenchidas, mas ela não é requisito para participar do passeio fotográfico do dia 29. Quem quiser se integrar ao passeio, deve se inscrever nos núcleos regionais da Fundação Cultural de Curitiba no Portão e CIC, e depois se apresentar no local de embarque com sua câmera fotográfica. A atividade é gratuita.



Serviço:

Passeio fotográfico dos idosos

Data: 29 de março (quinta-feira), às 14h

Locais de saída dos ônibus:

Parque Cambuí – Rua Carlos Klemtz, s/n – Portão

Centro de Referência de Assistência Social – CRAS Vila Verde – Rua Emílio Romani, 2637 – CIC

Atividade gratuita

Informações: (41) 3350-3965 (Portão) e (41) 3212-1523 (CIC).

SANTO FORTE no ESTÚDIO EMME




O Dj e pesquisador musical Tutu Moraes

agita quinzenalmente o Estúdio Emme com a Festa do Santo Forte.

A próxima edição acontece no dia 31 de março.









A Festa do Santo Forte foi idealizada pelo

DJ e pesquisador musical Tutu Moraes que,

ao transformar a música popular brasileira

em protagonista da noite, criou um

dos maiores sucessos da noite de São Paulo.



Seus sets inusitados fazem uma mistura de gêneros

que reúne pontos de umbanda e candomblé com carimbó,

frevo, tropicália e até marchinhas de carnaval.

Tutu incorpora todas as vertentes do samba

com a música independente,

criando assim uma atmosfera de repertórios

extensos e diversificados.



“O grande diferencial da Festa do Santo Forte

é a qualidade das referências musicais

– todas canções brasileiras –

garimpadas de norte a sul, de diferentes culturas”

fala Tutu Moraes sobre a Festa.



Ele destaca também o público, parte imprescindível

para a evolução da energia que paira a cada edição.



De caráter essencialmente underground,

a Santo Forte reúne músicos, atores, artistas plásticos,

cineastas e também curiosos, dispostos a dançar ao som

de diferentes ritmos, que em algumas

noites proporcionam verdadeiras catarses na pista.



Serviço

FESTA DO SANTO FORTE

Data: 31 de março (sábado)
Abertura da casa: 23h30
Ingresso: Antecipado: R$ 25,00

Na porta: R$ 40,00

Local: Estúdio Emme

Av. Pedroso de Morais, 1036 – Pinheiros
Horário da Bilheteria:

de segunda a sábado, das 13h00 às 20h00,

para venda de ingressos antecipados.

bilheteria reabre no sábado,

no horário do início da festa,

para a venda de ingressos na porta.

Tel para informações: (11) 2626 5835
Valet no local
Não recomendado para menores de 18 anos.
A casa aceita cartões, dispõe de chapelaria,

e área aberta (externa) para fumantes

Realização
Santo Forte Produções
www.santoforteproducoes.com.br
Estúdio Emme
www.estudioemme.com.br



Sobre o Estúdio Emme

O Estúdio Emme proporciona uma experiência completa, através de serviços exclusivos, para quem gosta de moda, música, cultura e diversão. Instalado junto à loja da marca, que dá nome à casa, em Pinheiros, o local tem uma programação que destaca o pop, rock, música brasileira, música eletrônica e suas variações em DJ sets ou performances ao vivo.