quinta-feira, 3 de maio de 2012

Queria que estivesse aqui de Peter Nelson

Queria que estivesse aqui

de Peter Nelson



Formato: 16 x 23cm

Páginas: 256




O LIVRO
Para Paul, a vida se tornou uma sucessão de obstáculos. Abandonado pela esposa, o pai acaba de sofrer um derrame, sua nova namorada está indecisa entre ele e outro homem e, além disso, Paul se vê obrigado a lidar com questões familiares antigas, coisas que adiou até agora, mas finalmente terá de enfrentar.

Por outro lado, ele ainda conta com 3 sustentações em sua vida: as doses no Bay State Bar, seu novo par de tênis (que o lembra de fazer exercícios), e Stella, sua grande amiga e companheira, que lhe dá sábios conselhos, que não o julga, e lhe dá amor incondicional. O único problema é que Stella não pode acompanhá-lo em todos os lugares. Stella é uma cachorra, mistura de labrador com pastor, e fala, literalmente, com Paul.

Sábia, seus conselhos não poupam os sentimentos do dono, mas está sempre presente para oferecer amor e companhia incondicionais.

“Queria que estivesse aqui” é uma obra sensível sobre o poder do amor, não importa de quem e como ele venha. Retratando também de forma incomum a amizade entre um homem e seu cão, o autor consegue transportar o leitor para uma sincera visão do quem somos, o que podemos ser e de nossa capacidade de aprender se nos enxergamos com os olhos do outro.

 
A CRITICA
“Este romance é nostálgico… mostra como a sabedoria de Stella guia Paul de volta à vida. Uma nobreza que traz poder à história” – USA Today

“Uma história deliciosa… Sim, Stella fala. E as conversas são tão encantadoras e reais que dificilmente alguém vai perguntar de onde vem esse poder especial.” – Bark magazine



O AUTOR
Pete Nelson mora com a esposa e o filho em Nova York. Escreve para diversas revistas como Esquire e Playboy. Autor diversas vezes premiado, com mais de 19 livros publicados, também é cantor e compositor.


LANÇAMENTO DA











Ministério da Cultura investe R$ 373 milhões no PNLL para aumentar índices de leitura

  


A Ministra da Cultura, Ana de Hollanda, anunciou nesta segunda-feira (23/04), Dia Mundial do Livro e dos Direitos do Autor, investimentos de R$ 373 milhões do Ministério da Cultura no Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) em 2012.  As ações apresentadas contemplam os quatro eixos estratégicos do Plano, que ganhou a condição de ação de governo – e não mais apenas do MinC e do Ministério da Educação – em decreto assinado em fins de 2011 pela presidenta Dilma Rousseff.

Ao todo, serão 42 projetos desenvolvidos em 2012 com o objetivo de promover o livro, a leitura, a literatura, as bibliotecas e a criação e a difusão da literatura brasileira. A coordenação será da Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

EIXOS ESTRATÉGICOS VALOR (EM R$)
1 – Democratização do Acesso
 254.627.554,16

2 – Fomento à Leitura e a Formação de Mediadores
 56.165.936,11

3 – Valorização Institucional da Leitura
 8.000.000,00

4 – Fomento à Cadeia Criativa e à Cadeia Produtiva
 54.907.059,00

Para 2012, o foco são os programas de construção e modernização de bibliotecas, que estão no topo da lista de recebimento de recursos públicos. O Ministério empregará nada menos que R$ 254 milhões em ações como a implantação de bibliotecas com telecentros nas Praças dos Esportes e da Cultura/PEC, em bibliotecas do Espaço Mais cultura e na construção e reforma de bibliotecas-parque e bibliotecas de referência e, ainda, no apoio às bibliotecas comunitárias e pontos de leitura e na implantação, revitalização e modernização de bibliotecas municipais.



Também serão investidos na ampliação dos acervos e na formação de bibliotecários e funcionários de 2.700 bibliotecas municipais e comunitárias de 1.500 municípios em todos os estados. Outra medida anunciada foi a ampliação do calendário nacional de feiras de livro e festivais literários para 200 eventos em 2012, a maior parte deles com apoio financeiro do MinC e apoio direto a 175 caravanas de escritores pelo País.



Ao mesmo tempo, será dobrado o número de agentes de leitura para atuar junto às famílias de baixa renda.



Entre as novidades anunciadas será a publicação de editais específicos para contemplar as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, onde os índices de leitura são menores. Outra inovação é a contemplação, em um desses editais, do chamado Custo Amazônico, que prevê a transferência de 30% a mais de recursos para os estados da Amazônia Legal.



Para o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, que esmiuçou os objetivos do PNLL ao lado da Ministra Ana de Hollanda, “não será uma ação isolada que fará aumentar os índices de leitura no Brasil, mas sim um conjunto delas, de forma planejada, permanente e, sobretudo, crescente”.



Outros projetos anunciados:



·         Ampliação do Programa Agentes de Leitura, com criação de 4 mil agentes, junto com o Ministério da Educação, para apoiar as bibliotecas escolares/comunitárias e a fomentar a leitura entre as famílias no campo. Com os novos convênios e desembolsos, serão, no total, 7.672 agentes atuando em 2012;

·         Formação de 1.200 novos agentes mediadores de leitura em 40 encontros realizados pelos 74 comitês do Proler e, ainda, a implantação de 10 novos comitês em regiões ainda desassistidas;

·         Projeto Cidadania & Leitura, com a formação de 400 agentes mediadores de leitura para atuar em bibliotecas comunitárias, pontos de leitura e promover em ações de leitura em comunidades atendidas por 20 comitês do Proler, dentro das comemorações de seus 20 anos de fundação;

·         Programa de Formação de Pessoal para Bibliotecas, com cursos presenciais e/ou à distância que vão atender 2.800 bibliotecários e gestores. Outros 1.100 profissionais participarão, em 2012, dos cursos, seminários, encontros e painéis para oferecer maior qualificação na área;

·         Implantação de 30 pontos de leitura da Ancestralidade Africana em ex-quilombos e terreiros, mediante repasse de recursos financeiros e distribuição de acervos, mobiliários e computadores;

·         Apoio à implantação de Planos Estaduais e Municipais de Livro e Leitura;

·         Bolsa Biblioteca Nacional/Funarte de Criação Literária e Bolsa Biblioteca Nacional/Funarte de Circulação Literária, totalizando 50 bolsas para apoiar a criação literária e a circulação dos escritores das diversas regiões do país pelo território nacional;

·         Projeto Livraria Popular, com a criação de 700 pontos de venda de livros de baixo preço e formação de 1.300 micros e pequenos varejistas do livro em cursos de educação à distância;

·         Programa de Internacionalização do Livro e da Literatura Brasileira, com ampliação do número de bolsas concedidas (150 novas em 2012, além de outras 70 em andamento), implantação, em 2012, do Colégio de Tradutores (seis residentes e 160 participantes de atividades), do intercâmbio de 40 autores nacionais no exterior para divulgar suas obras e publicação de revista internacional de literatura brasileira em inglês e espanhol;

·         Ampliação da participação nas principais feiras de livros internacionais, para aumentar a presença da literatura brasileira no exterior, inclusive com realização de grandes exposições;

·         Lançamento de coleção com 100 Clássicos Brasileiros no formato ebook, para disponibilização para as bibliotecas digitais;

·         Clique aqui para acessar os demais investimentos do Ministério e da FBN em 2012.

A Ministra Ana de Hollanda salientou que “a leitura não é um ato reflexo, aprendida naturalmente. É o resultado de uma sofisticada operação, aprendida ao longo de anos, e que, por isso mesmo, precisa ser cultivada cuidadosamente, para além dos muros da escola”.



“Para tal, precisamos de uma boa e vasta literatura, de uma competente e ampla rede editorial e de divulgação. Necessitamos de um exército de mediadores de leitura, que dentro das bibliotecas e nos mais variados espaços ajudem sobretudo crianças e jovens a descobrirem a necessidade humana do prazer da leitura”, destacou a Ministra.



Os investimentos de R$ 373 milhões do MinC no PNLL não incluem projetos e programas que ocorrerão este ano, cujos investimentos foram realizados em exercícios anteriores. Tampouco abrange ações de outros órgãos do Governo Federal que também vão integrar o PNLL.

CAIXA Cultural / Inspirado em obra de Marina Colasanti, "A Tecelã" abre temporada na CAIXA Cultural Curitiba

Inspirado em obra de Marina Colasanti, “A Tecelã” abre temporada na CAIXA Cultural Curitiba

Unindo ilusionismo e teatro de animação, a peça conta com a trilha sonora de Nico Nicolaiewsky


A CAIXA Cultural apresenta o espetáculo “A Tecelã”, da Cia Caixa de Elefante, de 11 a 13 de maio. Inspirada em obra de Marina Colasanti e com dramaturgia visual e direção assinada por Paulo Balardim, a peça é baseada em alguns mitos que envolvem a tecelagem, como o suposto poder da tecelã de transformar seus desejos em realidade.

Para apresentar a história da mulher capaz de converter imaginação em realidade, através de seus fios, a produção aposta numa combinação de linguagens, tais como teatro de bonecos, vídeo, dança e ilusionismo, sem perder o clima intimista. As cenas vão se alinhavando, perpassadas por uma belíssima trilha original composta por Nico Nicolaiewsky.

O mito que orienta o espetáculo é Aracne, a mais famosa tecelã da mitologia grega, que venceu Atenas através da arte de tramar os fios. Por este mito, a montagem aborda a crescente solidão feminina, a capacidade humana de criar novas realidades a partir do pensamento e a dificuldade de expressão e relacionamento com o parceiro.

Para as exigências de manipulação deste espetáculo e confecção dos bonecos, a Cia. Caixa do Elefante teve que desenvolver uma nova tecnologia de construção, acrescentando leveza e resistência aos manequins, que têm escala humana. A Companhia realiza pesquisas em artes cênicas, envolvendo e aliando o domínio da construção dos bonecos com a manipulação e a interpretação do ator. As técnicas utilizadas são milenares e, através da tecnologia, surgem novas variantes que constroem uma história contada através da dramaturgia de imagens. No dia 12 de maio será oferecido um workshop de formação em teatro de bonecos.

“A Tecelã” conquistou os prêmios Açorianos 2011 de melhor espetáculo, dramaturgia e trilha sonora, o prêmio Baskem do POA Em Cena 2011 de melhor atriz, o prêmio Myriam Muniz 2009 e 2012, o prêmio FUMPROARTE 2009 e o prêmio Fundação Piratini TVE e FM Cultura de Teatro em 2011.

A Caixa do Elefante:
A companhia porto-alegrense A Caixa do Elefante Teatro de Bonecos foi fundada em 1991 e é, hoje, uma das companhias de teatro de bonecos mais atuantes e de maior destaque no panorama artístico nacional. Suas premiadas montagens, direcionadas tanto para o público infantil quanto para o adulto, já percorreram diversos países da Europa, América do Norte e América do Sul, representando e valorizando, em cada um deles, a essência de nossa autêntica cultura. Figura, nas histórias apresentadas pela companhia, a essência do teatro de animação latino-americano: textos populares que mesclam poesia e comicidade, apresentados com um primor técnico que envolve um delicado trabalho de construção e manipulação de bonecos.

Ficha Técnica:

Gênero: Teatro de Animação, vídeo e ilusionismo.
Duração: 50 minutos
Direção de encenação, dramaturgia e concepção estética: Paulo Balardim
Assessoria para efeitos especiais de ilusionismo: Eric Chartiot
Direção musical e composição de trilha original: Nico Nicolaiewsky
Elenco: Carolina Garcia, Valquíria Cardoso  e Viviana Schames
Construção de bonecos, silhuetas de sombra e cenotécnica: Caixa do Elefante Teatro de Bonecos

Serviço:
Teatro: “A Tecelã”
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: de 11 a 13 de maio de 2012
Hora: sexta e sábado às 20h e domingo às 19h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

Serviço:
Workshop: Teatro de Bonecos
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: 12 de maio (sábado das 14h às 18h)
Inscrições:As inscrições são gratuitas e devem ser encaminhadas, a partir de 07 de maio, para o e-mail caixacultural08.pr@caixa.gov.br. As vagas são limitadas.
Público alvo: Interessados a partir de 18 anos

Fronteiras do Pensamento traz Peter Greenaway a São Paulo

Fronteiras do Pensamento traz Peter Greenaway a São Paulo

Revolucionário, o cineasta afirma que o cinema está morto

O cineasta britânico Peter Greenaway nunca foi um diretor comum. Nos longas repletos de referências artísticas barrocas e nas instalações multimídias que faz em museus pelo mundo, procura sempre provocar o espectador. Pregando há anos que o cinema convencional está morto, Greenaway chega a São Paulo na próxima terça-feira, 08 de maio, para a segunda conferência do Fronteiras do Pensamento São Paulo, às 20h30, na Sala São Paulo.

"O que precisamos fazer para continuar a experiência audiovisual é deixá-la mais imediata", afirma Greenaway. Para ele, o futuro da sétima arte "envolverá interação, imersão total e telas de notebooks e tablets. O cinema, uma criação do fim do século 19 para servir de diversão ao proletariado, não tem, hoje, o mesmo poder de estimular a fantasia. A sétima arte deve se reinventar e produzir obras originais que ampliem a imaginação, e não criar filmes mecanizados iguais a milhares de outros".

Muitas vezes definido como um pintor que se tornou cineasta, Greenaway inaugurou uma nova modalidade de instalação hipermidiática, em que pinturas interagem com o público e ganham vida própria. Nine Classic Paintings (Nove Pinturas Clássicas) teve início no ano de 2006 para a celebração dos 400 anos de Rembrandt, levando ao Rijksmuseum, em Amsterdã, uma instalação teatral a partir da obra "A Ronda Noturna". Desde então, Greenaway releu "A Última Ceia", de Leonardo da Vinci e "As bodas de Caná", de Paolo Veronese. O projeto prevê, ainda, trabalhos sobre obras de Velazquez, Pollock e Picasso, entre outros.

Diretor de O livro de cabeceira e Afogando em números, recebeu o Prêmio de Melhor Contribuição Artística no Festival de Cannes, em 1988, por este último. Seu interesse em criar exposições se deve ao desinteresse crescente pelo cinema e à ideia de testar a tecnologia cinematográfica avançada do século 21 atrelada aos milhares de anos de história de sua antecessora bidimensional, a pintura ocidental. "Se eu me queixo de o cinema ser ruim, preciso tentar colocar alguma coisa de volta em seu lugar", declara.
A palestra de Greenaway abre espaço para as discussões sobre o futuro da sétima arte, ampliando as questões colocadas nas conferências do Fronteiras do Pensamento. A programação 2012 segue com o arquiteto Cameron Sinclair no início de junho.

Programação completa:

08 maio: Peter Greenaway

05 junho: Cameron Sinclair

29 agosto: Michael Shermer

05 setembro: Tzvetan Todorov

18 setembro: Susan Greenfield

10 outubro: Michel Onfray

30 outubro: Mohamed ElBaradei



Sobre o Fronteiras do Pensamento_ O Fronteiras do Pensamento é um projeto cultural múltiplo que aposta na liberdade de expressão intelectual e na educação de qualidade como ferramentas para o desenvolvimento. Através de uma série anual de conferências, o Fronteiras abre espaço para o debate sobre a identidade do século XXI, apresentando pensadores, cientistas e líderes que estão, cada um a seu modo, na vanguarda em suas áreas de pesquisa e pensamento.

Organizado a partir de um curso de altos estudos, dirigido ao grande público, o seminário direciona seu foco para a análise da contemporaneidade e perspectivas para o futuro, tendo como valores básicos o pluralismo das abordagens e o rigor acadêmico e intelectual de seus convidados. Originários de regiões díspares, com visões distintas e muitas vezes conflitantes, os conferencistas dirigem suas análises para a compreensão deste século, formando, no conjunto de palestras ao longo do ano, uma linha plural e interdisciplinar de pensamento. Desta forma, o projeto busca avaliar tendências, aceitando a provocação destes que são, hoje, os maiores pensadores em atuação.

Segundo o curador do evento, prof. Dr. Fernando Schüler, o Fronteiras "quer trazer para o debate temas imprescindíveis, dando aos participantes uma visão real dos próximos 10 ou 20 anos, nas diferentes áreas contempladas. Serão temas que nos trarão inquietação".

Realizado em Porto Alegre há seis anos, o Fronteiras soma mais de 100 conferências internacionais realizadas para milhares de espectadores. A temporada 2012 marca o segundo ano de atuação do projeto em São Paulo.

O QUÊ: Fronteiras do Pensamento São Paulo 2012

QUANDO: 08 de maio a 30 de outubro - sete conferências

ONDE: Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, 16 - Luz)

INGRESSOS: venda do Passaporte integral para as sete conferências

Plateia elevada: R$ 1.715,00

Plateia central: R$ 1.960,00

DESCONTO: 50% para assinantes Folha de S.Paulo, assinantes Revista Piauí, alunos da Casa do Saber, assinantes e associados OSESP, estudantes, professores e maiores de 65 anos.

O pagamento pode ser parcelado em até 5x sem juros nos cartões de crédito.

Os ingressos não serão vendidos individualmente.

ONDE COMPRAR: Central Fronteiras do Pensamento (11 4007 1200), Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br ou 4003.1212 - SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA) e nas seis lojas da Livraria da Vila em São Paulo. Clientes do programa Seu jeito de ler, da Livraria da Vila, tem 50% de desconto no passaporte adquirido exclusivamente nas lojas da livraria.

Mais informações no site www.fronteiras.com ou pelo telefone (11) 4007.1200.

Fronteiras do Pensamento São Paulo é apresentado pela Braskem e tem o patrocínio da CPFL e Natura. Universidade parceira Mackenzie. Promoção Folha de S.Paulo e parceria cultural Casa do Saber. Parceiros de mídia Revista Piauí, TV Cultura e CBN.

O show Chicas na CAIXA Cultura

O show Chicas será realizado nos dias 18, 19 e 20 de maio, em substituição ao espetáculo Flutuações que foi adiado ainda sem data determinada.



A CAIXA Cultural apresenta o grupo Chicas, formado por Amora Pêra, Fernanda Gonzaga (filhas de Gonzaguinha), Paula Leal e Isadora Medella, com o show do último disco “Em Tempos de Crise Nasceu a Canção”. As artistas reúnem ecletismo com a dinâmica das vozes e dos diferentes instrumentos. O grupo conquistou o prêmio TIM de Melhor Grupo de MPB em 2007 e foi eleito pelo jornal O Globo como um dos dez melhores shows do ano (2007) concorrendo com Chico Buarque, The Police , Bjork,etc.

Local: CAIXA Cultural

Data: de 18 a 20 de maio

Horário: sexta e sábado 20h e domingo 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (conforme legislação e correntista CAIXA)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Notícias da Fundação Perseu Abramo


Lançamento
Livro Renée France de Carvalho - Uma vida de lutasserá lançado em Belo Horizonte
Capa - Livro
No dia 07 de maio, às 19hs, no CREA-MG, a Fundação Perseu Abramo e Associação dos Amigos do Memorial da Anistia promovem o lançamento do livro Renée France de Carvalho - Uma vida de lutas. 

O lançamento contará com as presenças de Renée, Nilmário Miranda, presidente da FPA e Raul de Carvalho, filho de Renée e Apolonio de Carvalho. 
Leia mais


 

Livros
EFPA no 3º Salão do Livro de Guarulhos 
De 04 a 13 de maio, escritores, educadores, estudantes e público em geral participarão do 3º Salão do Livro de Guarulhos - Cidade amiga da leitura, que acontece no CECAP (Av. Odair Santanelli).
A EFPA estará na Feira no estande nº 26 com todo o seu catálogo (clique aqui para conhecer os títulos). Cerca de 50 convidados/as das áreas de literatura, música e teatro participarão das atividades do evento, que tem em sua programação como debates, lançamentos de livros, leituras etc. Aproximadamente 400 editoras participarão do 3º Salão, expondo 80 mil títulos em cerca de 80 estandes distribuídos numa área de 8 mil m².
Saiba mais sobre o salão

RADAR A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol convida ANELIS ASSUMPÇÃO


RADAR ''A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol''

O Teatro Paiol é um dos espaços de circulação em destaque no cenário musical brasileiro. Com uma programação musical de qualidade, o teatro possui um público fiel na capital paranaense e é relevante na trajetória de artistas consagrados no cenário musical nacional. O projeto “Radar - A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol’’ trará para a Curitiba artistas relacionados à música contemporânea brasileira que integrarão a programação dos 40 anos do Teatro Paiol. No total serão realizadas 09 edições de Radar, com início em maio. O projeto é idealizado e realizado pela Verdura Produções Culturais e tem como principal objetivo a formação de público e o intercâmbio musical entre os artistas.


Para a sua estreia no próximo dia 10 de maio, Anelis Assumpção abre com chave de ouro o projeto. A cantora e compositora apresenta pela primeira vez, em Curitiba, o seu primeiro trabalho solo, Sou Suspeita, Estou Sujeita, Não Sou Santa (2011). No Teatro Paiol, Anelis lança também o compacto Not Falling, um disco em vinil de 45 rotações com apenas a música inédita que dá titulo ao projeto, mixada por Victor Rice. Anelis sobe no palco acompanhada por uma superbanda formada por Zé Nigro (teclados), Cris Scabello (guitarra), Mau (baixo) Lelena Anhaia (guitarra e violão), Edy Trombone (trombone) e Lenis Rino (bateria).

“Com a sagacidade de quem canta na fluência das melhores conversas de botequim, a filha de Itamar Assumpção encontra o ponto certo do molho na mistura de uma descompromissada poesia com um balanço refogado na fervura do samba, do reggae, do hip hop e da chamada vanguarda paulistana – expressão essa, designada para identificar a inclassificável música de seu pai e comparsas como Arrigo Barnabé.” (Ramiro Zwetsch).

O projeto conta com o apoio cultural da Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Lumen FM, Serra Verde Express, BWT Operadora, Jacobina Restaurante, Cia do Impresso, Simetria Grafica e Meio Fio Cultural, Singélida Produções, Tubo Coletivo.

http://scubidu.bandcamp.com/album/sou-suspeita-estou-sujeita-n-o-sou-santahttp://scubidu.bandcamp.com/album/sou-suspeita-estou-sujeita-n-o-sou-santa

Radar - A nova música brasileira nos 40 anos do Teatro Paiol convida Anelis Assumpção
Data: dia 10 de maio (quinta-feira)
Onde: Teatro Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho – tel: 3213 1340)
Horário: 21h
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (estudantes, professores, idosos, doadores de 1Kg de alimento, doadores de Sangue e deficientes físicos).

SESSÃO DE AUTÓGRAFOS COM O PADRE JUAREZ DE CASTRO


clique para ampliar



A Lua de Papel convida para a sessão de autógrafos com o Padre Juarez de Castro. O evento acontece no sábado, dia 5, a partir das 15h, na livraria Nobel do Raposo Shopping.

25º BRASILEIRO DE MOTO AQUÁTICA (JET SKI ): PRIMEIRO WORKSHOP SERÁ REALIZADO NESTA SEXTA-FEIRA

O encontro começa às 17 horas, na Represa do Guarapiranga, em São Paulo. O segundo será no sábado, às 10 horas, no mesmo local. Entre os destaques da competição está o catarinense e bicampeão mundial Alessander Lenzi, que busca o 15º título nacional.

O primeiro workshop promovido pela Associação Brasileira de Jet Sports – BJSA, será realizado nesta sexta-feira, às 17 horas. O evento também marca o início de uma série de ações sócio-educativas que a entidade promoverá a partir de agora. O encontro acontecerá na Represa do Guarapiranga (av. Atlântica, 4.000, antiga Robert Kennedy) e também faz parte da programação da etapa de abertura do 25º Campeonato Brasileiro de Moto Aquática (Jet Ski). O segundo workshop está marcado para sábado, às 10 horas e na sequência tem início as competições, que prosseguem no domingo. Um dos destaques confirmados é o bicampeão mundial Alessander Lenzi, de Jaraguá do Sul (SC), que competirá na categoria Freestyle Profissional (manobra livres).

Os temas que serão abordados nos workshops por representantes da Associação Brasileira de Jet Sports e Marinha do Brasil são os seguintes: segurança, manutenção preventiva e corretiva, normas e regulamentos; boa dirigibilidade e convívio com banhistas – curso e exame de Moto nauta (Marinha). Os workshops serão direcionados para proprietários de motos aquáticas, donos de marinas e público em geral.

A Associação realizará essas ações sócio-educativas por todo o país, em parceria com a Marinha do Brasil, Prefeituras e Fabricantes.  “Além do campeonato, que a entidade promove há 25 anos, a partir de agora faremos este trabalho de orientação para que as pessoas utilizem a moto aquática (jet ski) de maneira correta e responsável, evitando possíveis acidentes. É um veículo que serve não apenas para o lazer mas também é utilizado pelo Corpo de Bombeiros,  como equipamento de resgate e salvamento não só no mar, mas em enchentes e eventos de calamidade pública onde rapidez, segurança e agilidade são fundamentais”, destacou Luiz Marcelo Teixeira, o Pardal, presidente da entidade.

As disputas do 25º Campeonato Brasileiro de Moto Aquática (Jet Ski) começa neste sábado e um dos destaques é Alessander Lenzi, bicampeão mundial (2001/209). O piloto catarinense é sério candidato ao 15º título nacional consecutivo na categoria Freestyle Profissional. Considerado um dos principais nomes da modalidade no mundo, promete algumas manobras novas já nessa abertura de campeonato.

Ele também é tricampeão do Circuito Mundial da União Internacional de Motonáutica (UIM), bicampeão da Copa do Mundo, bicampeão mundial de Manobras nas Ondas. No começo de setembro de 2007 venceu a Copa do Mundo da Rússia, organizada pela EJSBA – Europe Jet Sports Boating Association. No início de dezembro de 2007 ganhou a Copa do Rei, disputada em Pattaya, na Tailândia.

Para a etapa de abertura, a movimentação das equipes no local já começou com acerto dos equipamentos e adaptação dos pilotos, conforme a programação:

.Na sexta-feira, recepção dos pilotos, e acerto dos motores,

.No sábado, das 9 às 11h30 horas inscrições dos pilotos e vistoria. Às 12h30 treinos oficiais, seguidos das tomadas de tempo da categoria Super Course, às 14 horas começam a primeira série bateria das categorias do circuito fechado, às 17h30 será disputada a primeira bateria do Freestyle.

.No domingo, às 10 horas, disputa das categorias Super Course. Às 14 horas, tem início a segunda série de bateria do circuito fechado, seguida pelo Freestyle. Às 16h30 premiação.

A 25º edição do Campeonato Brasileiro de Jet Ski é uma realização BJSA - Associação Brasileira de Jet Sports, com homologação da International Jet Sports Boating Association – IJSBA. Os apoios são da Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, Kawasaki, Sea-Doo/BRP E Yamanha.  Jet Traction, CPM7 Full Promotion, PhotoJetski, Solas e Globo Jet. O evento conta com a supervisão da Marinha, Guarda Civil Metropolitana e Corpo de Bombeiros.

Maiores informações nos sites www.bjsa.com.br,  www.jetski.com.br e www.photojetski.com.br

Livros Cotovia e as novidades para Maio

Os Livros Cotovia têm o prazer de anunciar as novidades que o mês de Abril 2012 trouxe à editora.
Publicámos, em colaboração com os Artistas Unidos, um livrinho de teatro:

                   7€


Na nossa livraria online, durante todo o mês de Maio, os Livros Cotovia oferecem um desconto de 30% na compra de cada um dos livros da colecção Curso breve de literatura brasileira.



Aproveitamos para lembrar que os portes de envio para compras efectuadas através da nossa livraria online continuam a ser gratuitos para as entregas em Portugal.

No Blog da Cotovia publicámos, durante o mês passado, os textos seguintes:

Versos que lembram – Sá de Miranda de A.M. Pires Cabral
No antigo curso complementar dos liceus estudei Sá de Miranda. Era meu professor o Dr. FCM, pessoa certamente competente, mas sem rasgo, com o qual não se aprendia senão o que o programa mandava — e o programa não mandava penetrar nos fundões da beleza da literatura. Faço-me entender? (para continuar a ler clique aqui)

A troika e A curva de Fernando Mora Ramos
Não sei bem porquê mas esta troika traz-me de tempos adolescentes, numa paisagem que o tempo tornou difusa, em imagens agora renovadas, A curva, de Tankred Dorst. Se bem me lembro, o espectáculo, encenado pelo Fernando Gusmão – um encenador com cabeça e culto -apresentava-se no Cinema Dicca, na então Lourenço Marques. (para continuar a ler clique aqui)

A garrafa de Bénédicte Houart
Chamo-me emília. Emília de apelido mouca. De mim ninguém se recordaria não fora a g arrafa. A casa na praça central da vila há muito ruiu. Já não a habito porque descobri mais vasta terra. Se é que lá morei, foi há tanto tempo, permito-me duvidar. A garrafa, essa, permanece intacta. Guardou-a alguém como relíquia. Do diabo em quem já pouca gente acredita. Pois eu digo: existe. E age. (para continuar a ler clique aqui)


Se estiver em Lisboa, não se esqueça de visitar os nossos pavilhões na Feira do Livro (A36-A38): para além dos livros do dia, encontrará títulos que pensava esgotados e várias promoções.

PRORROGAÇÃO - NISE DA SILVEIRA SENHORA DAS IMAGENS


Sucesso prorroga mais uma vez a temporada de

“Nise da Silveira – Senhora das Imagens”



Peça multimídia revela ao grande público a história de uma das mulheres

mais importantes do século XX: Nise da Silveira,

médica psiquiatra  alagoana que revolucionou o tratamento da esquizofrenia

  ao implantar ateliês de pintura em hospitais psiquiátricos.






A partir de 17 de maio, as sessões passam a acontecer

 as quintas e sextas-feiras no Teatro Eva Herz



"Raras vezes me emocionei tanto

vendo um espetáculo teatral."

GRACINDO JÚNIOR – Ator e diretor





A peça NISE DA SILVEIRA – SENHORA DAS IMAGENS repete o sucesso feito no Rio de Janeiro, Brasília, Alagoas e Espírito Santo e prorroga pela terceira vez a temporada em São Paulo até o dia 27 de julho. A partir do dia 17 de maio, as sessões, antes as quartas e quintas-feiras, passam a acontecer as quintas e sextas-feiras às 21h. ( Até 10 de maio as sessões acontecem as quartas e quintas-feiras, às 21h)



Criado pela Essencial Cia. de Teatro, o espetáculo tem direção e dramaturgia de Daniel Lobo (Prêmio APCA com o espetáculo “O menino detrás das nuvens”), atuação solo de Mariana Terra, coreografias da bailarina Ana Botafogo e trilha sonora inédita do pianista João Carlos Assis Brasil.



Em cena, participações especiais do poeta e crítico de arte Ferreira Gullar (em vídeo), do ator Carlos Vereza, cuja voz, ouvida em off, dá vida ao psicanalista Carl Gustav Jung (que, inclusive, visitou o Museu de Imagens do Inconsciente, instituição criada por Nise da Silveira), importante referência na vida da psiquiatra e de José Celso Martinez Corrêa, admirador de longa data da psiquiatra. “Procuramos fazer do espetáculo um grande caleidoscópio, assim como era o trabalho da própria Nise”, conta Daniel Lobo.



Nise da Silveira – Senhora das Imagens une teatro, dança, música, projeção de imagens e pantomima para revelar ao grande público a história de uma das mulheres mais importantes do século XX: Nise da Silveira,  médica psiquiatra alagoana que virou referência no tratamento da esquizofrenia no Brasil ao implantar ateliês de pintura em hospitais psiquiátricos, contrapondo-se aos polêmicos tratamentos com eletrochoque aplicados nos pacientes, tipo de método vigente na época.



A peça apresenta um painel dos acontecimentos marcantes na vida da psiquiatra. Fatos como a chegada ao Rio de Janeiro, em 1927, a amizade com Manuel Bandeira, a prisão no governo Getúlio Vargas, a aproximação com o escritor Graciliano Ramos e a relação com o psicanalista Carl G. Jung, estão na narrativa que culmina na consagração internacional das obras criadas por seus pacientes.



A partir dos trabalhos artísticos surgidos desse processo, Nise iniciou um estudo profundo das expressões simbólicas das pinturas para penetrar no universo do inconsciente de cada um deles, o que, talvez, tenha sido o seu grande trunfo. “A força daquela mulher  revolucionou a psiquiatria através da arte e de um processo mais humanitário de cura, de um olhar para o seu semelhante, que não fosse um olhar tão duro, um olhar tão científico, mas um olhar de amor ao próximo”, explica o diretor Daniel Lobo.



A temporada paulista celebra os 60 anos do Museu de Imagens do Inconsciente, criado pela psicanalista Nise da Silveira e que teve origem nos ateliês de pintura e de modelagem da Seção de Terapêutica Ocupacional do Centro Psiquiátrico Pedro II, no Rio de Janeiro, em 1946.



A concepção do espetáculo


Mariana Terra, Daniel Lobo, Ferreira Gullar e Ana Botafogo

 




A Essencial Cia. de Teatro concebeu espetáculo multimídia unindo teatro, dança, vídeo, canto e pantomima. Sobre o cenário de Ronald Teixeira são projetadas pinturas do Museu de Imagens do Inconsciente, concebidas por sete pacientes de Nise da Silveira, os quais eram apelidados por ela de “camafeus”. A bailarina Ana Botafogo assina, pela primeira vez em seus 35 anos de carreira, coreografias para um espetáculo teatral. A cada dia de encenação três danças, de um total de sete, são apresentadas ao público. Portanto, dificilmente um mesmo espectador verá a mesma cena se voltar a ver a peça.

As pinturas desses camafeus de Nise da Silveira impressionam pela força das cores, das pinceladas, e foram considerados por Ferreira Gullar (que também é crítico de arte, além de poeta) e Mário Pedrosa (crítico de arte e literatura) como alguns dos maiores pintores brasileiros de seu tempo.


Serviço
Nise da Silveira – Senhora das Imagens
Local: Teatro Eva Herz - Livraria Cultura | Conjunto Nacional - Avenida Paulista, 2.073 - Bela Vista - São Paulo/SP
Temporada: de 17 de maio até 27 de julho de 2012, Quintas e Sextas - feiras, às 21h
Até 10 de maio sessões as quartas e quintas-feiras, às 21h.
Fone bilheteria: 11 3170-4059 Site: www.teatroevaherz.com.br e www.ingresso.com
Capacidade: 168 lugares (Quatro espaços para cadeirantes) Duração: 1h30 min
Classificação: a partir de 16 anos
Ingresso: R$50,00. Meia-entrada para estudantes, idosos, professores da rede pública de ensino e portadores de necessidades especiais
Horário de atendimento da bilheteria: de Terça a sábado: das 14h às 21h e domingos: das 12h às 19h
Acesso para deficientes/Banheiro para deficientes/Ar condicionado/Aceita todos os cartões/Não aceita pagamento em cheque.

12/5 MARIANA MUNIZ ESTREIA 2MUNDOS



A bailarina e atriz Mariana Muniz volta em cartaz com o espetáculo

2MUNDOS
Estreia no dia 12 de maio no Teatro Sérgio Cardoso




Inspirado pelo diálogo entre a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais),
o silêncio e as intersecções entre movimento e palavra,
o espetáculo 2Mundos é um projeto de dança-teatro dirigido
ao público de ouvintes e não-ouvintes.
Supervisão geral de Eduardo Tolentino de Araújo.


“Mesmo no silêncio e com o silêncio
Dialogamos”
Carlos Drummond de Andrade


2MUNDOS é um projeto de Dança-Teatro inspirado no universo da cultura surda. Ele foi  concebido e realizado pela criadora e intérprete Mariana Muniz sob a supervisão geral do diretor Eduardo Tolentino de Araújo. O espetáculo, que estreou em 2011, e volta em cartaz no dia 12  de maio para uma curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso.

A dramaturgia do espetáculo é baseada na construção de cenas elaboradas no corpo da bailarina e atriz, que comunicam o universo imaginário, produzido pela pesquisa da relação entre o silêncio e os sentidos simbólicos das linguagens da dança e do teatro, em diálogo com a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

No contexto social dos surdos, o gesto corporal é a mais importante maneira de comunicação e o espetáculo  faz convergir a LIBRAS com a dança e o teatro, pelos dois aspectos essenciais na elaboração cênica: comunicação e arte.

2MUNDOS é também um projeto que surge do desejo de dialogar artisticamente, ouvindo gestos e movimentos para criar imagens e apreender sons onde o silêncio nos convida a considerar o ato de ler como um modo de ouvir.

“Pensar as artes cênicas nessa intersecção Dança - Teatro nos permitiu olhar para a potência expressiva do gesto. Podemos nos comunicar tranquilamente através da palavra falada, mas quando diante de uma situação limite, de grande tensão ou emoção, as palavras não bastam e gesticulamos; e, assim nos comunicarmos com mais sinceridade em relação ao que pretendemos expressar”, fala Mariana Muniz sobre o espetáculo que dá continuidade à pesquisa da Cia. que leva seu nome sobre as intersecções entre dança e teatro, movimento e palavra, poesia e dança, numa exploração radical da comunicação através do corpo/voz.

Para a Cia. Mariana Muniz pesquisar uma língua complexa e estruturada como é a LIBRAS, subvertê-la e explorá-la artisticamente em suas possibilidades lexicais e em sua sintaxe, é fazer poesia no espaço e no tempo, buscando algo que sirva como ponte entre o universo de ouvintes e de não ouvintes.



Serviço:

Cia. Mariana Muniz de Teatro e Dança
Apresenta:
2Mundos
Supervisão Geral:
Eduardo Tolentino de Araújo
Concepção, interpretação e dramaturgia:
Mariana Muniz
Direção:
Cláudio Gimenez
Assessoria Técnica em LIBRAS e imagens projetadas:
Carlos Avelino de Arruda Sampaio
Data:  dias  12 , 13, 19 e 20 de maio – sábados e domingos
Horário:  19h
Preço: R$ 15,00 / meia entrada R$ 7,50
Recomendação: Livre
Capacidade: 144 lugares
Duração: 50 minutos
Local: Teatro Sérgio Cardoso
Sala Paschoal Carlos Magno
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista
Telefone: 11 3373.7220
Horário de funcionamento da bilheteria:
de quarta a domingo, das 15h às 19h.

Ficha Técnica


Supervisão Geral:
Eduardo Tolentino de Araújo

Concepção, interpretação e dramaturgia:
Mariana Muniz

Direção:
Cláudio Gimenez

Assessoria Técnica em LIBRAS e imagens projetadas:
Carlos Avelino de Arruda Sampaio

Música Original:
Ricardo Severo

Figurino:
Tânia Marcondes

Iluminação:
Ricardo Bueno

Projeto Gráfico:
Paula Viana

Registro Videográfico:
Osmar Zampieri

Fotos:
Cláudio Gimenez

Assessoria de Imprensa:
Flavia Fusco

Produção:
Cria da Casa (Cybelle Young e Priscila Wille)

Assistente de Produção:
Michelle Karine

Agradecimentos Especiais:
Maria Lúcia Lee, Alexandre de Freitas Guimarães e Carlos Martins e às Estagiárias: Tatiana Saltini e Luzia Bugno.
 

No Domingo Onze e Meia, homenagem ao Rei do Baião



O compositor Luiz Gonzaga recebe, neste ano em que se comemora o centenário do seu nascimento, uma homenagem especial da cantora Cida Airam e do Trio Quartinha. No show “Rei do Baião”, que será apresentado dia 6 de maio, no programa Domingo Onze e Meia, o grupo toca alguns dos maiores sucessos do artista com a clássica formação “gonzagueana” (sanfona, zabumba e triângulo). O show acontece às 11h30, no Conservatório de Música Popular Brasileira.
Aspectos curiosos e informativos sobre o autor da antológica “Asa Branca”, sua carreira e sua obra serão apresentados durante o espetáculo. O show foi construído após a pesquisa sobre a trajetória artística de Luiz Gonzaga, com consultas às principais biografias, cronologias e contato direto com o Museu Fonográfico Luiz Gonzaga, localizado em Campina Grande (PB), e com o jornalista Xico Nóbrega, biógrafo e estudioso da obra do compositor.
Cida Airam, dona de uma bela e expressiva voz, estará acompanhada pelo Trio Quartinha, composto pelos nordestinos Ricardo Ribeiro, Mestre Pita e Alexandre Vianna. O trio conhece bem o trabalho desenvolvido pelo Rei do Baião e consegue transmitir com talento e primor as peculiaridades dos ritmos do nordeste, presentes na obra de Luiz Gonzaga.

Serviço:
Domingo Onze e Meia
Show “Rei do Baião – Homenagem de Cida Airam e Trio Quartinha”
Local: Conservatório de Música Popular Brasileira – Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico.
Data e horário: 6 de maio de 2012 (domingo), às 11h30
Entrada franca.
Informações: (41) 3321-2855

VOCÊ ESTÁ CONVIDADO PARA O LANÇAMENTO DO NOVO LIVRO DE J.P. CUENCA, "A ÚLTIMA MADRUGADA"

A editora LeYa convida para o lançamento do novo livro de J. P. Cuenca, "A última madrugada". Os lançamentos acontecem em São Paulo e no Rio. Em São Paulo, ocorre no dia 8 de maio, no Sesc Vila Mariana, em parceria com o "Sempre um papo", a partir das 20h, com bate-papo e autógrafos do autor. E no Rio, no dia 18 de maio, na Livraria da Travessa de Ipanema, a partir das 19h.

 

Vigor Mortis apresenta novo espetáculo: À MEIA NOITE LEVAREI TEU CADÁVER

Um espetáculo em comemoração aos 15 anos da companhia curitibana Vigor Mortis e uma homenagem ao cineasta José Mojica Marins, o Zé do Caixão.
Texto, Direção e Vídeos: PAULO BISCAIA FILHO
Direção de produção: MARCO NOVACK
Com: LEANDRO DANIEL COLOMBO.
Participações em vídeo: CAROLINA FAUQUEMONT, IRIA BRAGA Ee LUIZ BERTAZZO.
Participação especial: JOSÉ MOJICA MARINS.
Cenário, Figurino e Adereços: PAULO VINÍCIUS
Iluminação: WAGNER CORRÊA
Sonoplastia: PAULO BISCAIA FILHO
Maquiagem: MARCELINO DE MIRANDA
Ass. de figurino: DAY BERNARDINI
Ass. de Produção: NIKA BRAUN
Cenotécnico: BIRA PAES
Operador de Luz: ÉRICA MITIKO e ALEX MARQUES
Operador de aúdio e vídeos: EUGENIA CASTELLO
Ilustração: ZANSKY
Design gráfico: FABIANO VIANNA
Fotografia: MARCO NOVACK
Realização: VIGOR MORTIS VÍDEO STAGE AND WORDS

SERVIÇO:
De 25/04 à 13/05 - TUC - Galeria Julio Moreira, Largo da Ordem, 30 - Curitiba / PR
De quarta à Sábado- Duas sessões: as 19h e 21h - Apenas um domingo, dia 13 de Maio, as 19h e 21h.
ENTRADA FRANCA - Bilheteria abre uma hora antes de cada sessão.
Informações: 9125-9578

Incentivo: FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA - PAIC Programa de Apoio e Incentivo as Artes - Prefeitura Municipal de Curitiba
Patrocínio: Banco do Brasil - Governo Federal

Cinemateca abre inscrições para oficina de cinema digital



A Cinemateca de Curitiba está com inscrições abertas para mais uma edição da Oficina Prática de Cinema Digital. A oficina, que será ministrada gratuitamente, integra as ações relacionadas ao edital Filme Digital – Ficção, Documentário e Animação – Categoria Iniciante, do Fundo Municipal da Cultura. 
Os interessados deverão preencher o formulário de inscrição disponível no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br, e enviar o documento exclusivamente para o e-mail cursoscinefmc@gmail.com, até o próximo dia 30 de maio. Materiais e informações adicionais, além do solicitado no momento da inscrição, serão desconsiderados.
A oficina abordará temas como a história do cinema, produção, roteiro, direção, fotografia, som e edição. As aulas serão ministradas a partir do mês de junho vindouro, nos fins de semana.
Para participar da oficina, o candidato deve ser maior de 18 anos e residir em Curitiba. Entre os critérios de seleção da comissão julgadora também estão itens como coerência e clareza no preenchimento de todos os campos da ficha de inscrição, sendo que os pretendentes devem ser iniciantes em produção audiovisual. Ao todo, serão disponibilizadas 30 vagas, havendo lista de espera para 10 nomes.
A lista dos aprovados será divulgada no dia 4 de junho de 2012, no site da Fundação Cultural de Curitiba. Os selecionados deverão confirmar sua presença até o dia 6 de junho, às 18h. Caso isso não ocorra, o candidato será considerado desistente e a vaga passa automaticamente para o próximo nome da lista de espera. O mesmo vale para os faltantes do primeiro dia de aula. Dúvidas e esclarecimentos sobre a oficina serão respondidos exclusivamente por e-mail, no endereço cursoscinefmc@gmail.com.

Serviço:
Oficina Prática de Cinema Digital
Inscrições: até 30 de maio de 2012, exclusivamente pelo endereço eletrônico cursoscinefmc@gmail.com
A lista dos aprovados será divulgada no dia 4 de junho de 2012, no site da Fundação Cultural de Curitiba www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br).
Data de realização das oficinas: 16 de junho a 26 de agosto de 2012
Local: Sala de cursos da Cinemateca de Curitiba (Rua Carlos Cavalcanti 1.174 – São Francisco)

Maxixe Machine e Walter Franco em show no Paiol



O Teatro do Paiol abriga, neste fim de semana, um espetáculo que reúne a banda paranaense Maxixe Machine e os músicos paulistas Walter Franco e Diogo Franco, pai e filho. As apresentações, que integram as comemorações de 40 anos do Paiol, acontecem na sexta-feira e no sábado (4 e 5), às 21h. Ainda na sexta-feira (4), Walter Franco e o grupo Maxixe Machine estarão no Conservatório de MPB de Curitiba para um bate-papo musical, às 17h, com entrada franca.
O show no Paiol tem a intenção de estabelecer uma conexão musical entra a banda Maxixe Machine e o compositor Walter Franco, que fará uma retrospectiva de sua carreira, apresentando antigos sucessos, entre eles "Coração Tranquilo", "Respire Fundo" e "Vela Aberta", além de canções inéditas como "Signo" e "Is not rock’n roll", feitas em parcerias com Paulo Leminski.
Reconhecido como um polêmico exemplo do experimentalismo de vanguarda, Walter Franco já teve suas canções gravadas por grandes nomes da MPB, como Chico Buarque. Formado pela Escola de Artes Dramáticas, o músico aproxima-se da poesia concreta em suas canções. As letras de sua autoria, com um viés mais político, fizeram de Franco um ícone da resistência militar, nos anos 70. Neste espetáculo, o compositor mostra que seu som e sua poesia continuam instigantes e contemporâneos.
O espetáculo também conta com a participação de Diogo Franco, que apresenta composições próprias. Filho de Walter Franco, Diogo tem influência direta da musicalidade do pai em suas obras.
O público terá, ainda, a oportunidade de conferir o som da banda Maxixe Machine, que surgiu a partir do grupo Beijo AA Força. O grupo, que acaba de lançar seu mais novo trabalho, “Sambas em Tiro de Guerra”, tem em suas raízes as influências de punk rocks, polkas e maxixes, da literatura e de clássicos da música popular brasileira.

Serviço:
Espetáculo com a banda paranaense Maxixe Machine e os músicos paulistas Walter Franco e Diogo Franco, pai e filho.
Data e horário: dias 4 e 5 de maio de 2012 (sexta-feira e sábado), às 21h.
Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação etária: 12 anos
Informações para a imprensa: Rodrigo Browne – (41) 9145-7027 / (41) 3363-7759

Bate-papo musical com Maxixe Machine e Walter Franco
Data e horário: dia 4 de maio de 2012 (sexta-feira), às 17h.
Local: Conservatório de Música Popular Brasileira (Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico).
Entrada franca.

PROGRAMAÇÃO CINEMATECA | 04 A 10 DE MAIO DE 2012



De 04 a 06 - 16h, 18h e 20h

Dias 07 e 08 - somente às 16h

MEU MUNDO EM PERIGO (BR, 2007 – 92 min. – ficção – 35mm). Direção de José Eduardo Belmonte. Com Eucir de Souza, Rosane Mulholland, Milhem Cortaz.

“Meu mundo em perigo” acompanha a história de três personagens: Elias, um fotógrafo que perde a guarda do filho e mergulha em um inferno interior do qual não consegue fugir; Isis, uma mulher enigmática com quem Elias passa a se relacionar; e Fito, um homem que entra em desespero após perder o pai em um acidente de trânsito provocado pelo fotógrafo.

Classificação 14 anos

Ingresso pago: R$5,00 (inteira) – R$2,50 (meia) e R$1,00 (aos domingos)

Dia 07 - 19h

Lançamento dos filmes

QUILOMBOLAS DAS LAURÁCEAS (BR/PR, 2011 – 20 min – documentário). Direção de Flávio Rocha.

Retrato de um local que abriga muita história e ainda exibe um modo de vida peculiar, que consegue utilizar os recursos ao seu redor para obter o necessário. Trata-se das comunidades quilombolas do Vale do Ribeira paranaense que conservam esse e outros processos culturais utilizando-se da natureza disposta em seu território.

TRÂNSITOS CAIÇARAS EM REDES FANDANGUEIRAS (BR/PR, 2011 – 65 min – documentário). Direção de Flávio Rocha.

O documentário localiza os trânsitos fandangueiros entre o litoral norte do Paraná e o litoral de São Paulo, em suas diferentes dimensões de sociabilidade, daquelas orientadas pelas relações familiares às acionadas pela inserção desta expressão em cenários da produção e circulação artística, em programações culturais e turísticas.

Classificação livre para o programa

Entrada gratuita

Dia 08 - 20h

Lançamento dos filmes

O APARTAMENTO (BR/PR, 2012 – 21 min – ficção. Direção de Elisandro Dalcin. Elenco: Greice Barros, Luiz Felipe Leprevost.

Luiz Albuquerque é um executivo de multinacional. Cristiane é sua diarista. Apesar de compartilharem o mesmo espaço, nunca se conheceram pessoalmente. No apartamento, onde a ausência de Luiz está presente em todos os cômodos, Cristiane busca vestígios de alguém com quem dividir a solidão.

PRAIA DA SAUDADE (BR/PR, 2012 – 25min – ficção). Direção de Tiago Constante. Elenco: Larissa Tavares, Wesley Valete.

Dois jovens se encontram no calor do verão, se apaixonam, vivem esse amor e depois têm que retornar às suas vidas.

Classificação 12 anos

Entrada gratuita

De 09 a 13 - 14h, 17h e 20h

ITINERÂNCIA RECINE NA CINEMATECA DE CURITIBA

Promovida pelo Arquivo Nacional/RJ e Rio de Cinema Produções Culturais
Realização - Cinemateca de Curitiba e Consulado da Itália em Curitiba.

O REcine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo comemorou em 2011 dez anos de existência celebrando a presença italiana no cinema brasileiro. A Cinemateca de Curitiba traz uma parte da mostra reunindo clássicos do cinema italiano e do cinema brasileiro. São 15 programas e uma palestra. Todos com entrada gratuita.

DIA 09 – quarta-feira

Programa 1 - 14 h

Total do programa: 39 minutos

EXIBIÇÃO DE CURTA-METRAGENS ITALIANOS DO MUSEU NACIONAL DO CINEMA, TURIM

Um matrimônio interplanetário De Enrico Novelli (Itália, 13 min., PB, 1910, DVD)

Um jovem astrônomo estuda as estrelas usando seu telescópio. Ele vê a paisagem lunar e um maravilhoso palácio onde uma jovem observa o céu tão atentamente quanto ele. A jovem alienígena o vê: o amor à primeira vista.

Um raio de sol De Arrigo Frusta (Itália, 14 min., PB com tingimento, 1921, DVD)

O príncipe de um país frio e nevoento está com uma doença incurável. O rei percebe que seu filho deseja um raio de sol. Em vão, os astrônomos do reino trabalham com seus instrumentos para encontrar o Astro-rei.

O tambor sardo De Umberto Paradisi (Itália, 12 min., PB com viragem e tingimento, 1911, DVD)

Durante as lutas do Ressurgimento, que culminou com a unificação da Itália, companhia de soldados italianos cercada pelo exército austríaco numa casa isolada envia um jovem tambor em busca de ajuda. Mesmo ferido na perna, o jovem executa bravamente sua missão.

Classificação livre para o programa

Programa 2 - 17 horas

Total do programa: 77minutos

PRIMÓRDIOS DO CINEMA ITALIANO

Série de curtas-metragens dos primeiros anos do cinema italiano

Il diavolo zoppo (O diabo côxo, Itália, 14 min., PB, 1909, DVD)

Desprezado por Tomasa, o jovem Leandro recebe ajuda do diabo para se vingar e conquistar Serafina, jovem princesa.

Comment la gourmandise gata le Noël de Gribouille (Como a gula estragou o Natal de Gribouille, Itália, 13 min., PB, 1910, DVD)

Guloso e na surdina, Gribouille ataca as delícias do Natal. Com o estômago pesado sonha com uma ida ao céu e ao inferno.

La nuova camiriera è troppo bella (A nova camareira é muito bela, Itália, 10 min., PB, 1912, DVD)

Nova camareira é muito bela e atrai o interesse do patrão e demais empregados da casa. Ela e a patroa resolvem pregar uma peça em seus admiradores.

Lea e il gomitolo (Léa e o novelo, Itália, 4 min., PB, 1913, DVD)

Contrariada, Léa faz tricô. A partir de um determinado momento,

Léa começa a destruir a casa à procura do novelo que se agarrou no cós da sua saia sem que ela perceba.

Classificação 14 anos para o programa

PRIMÓRDIOS DO CINEMA BRASILEIRO

Fragmentos da vida De José Medina. Produção de Gilberto Rossi (Brasil, 30 min., PB, 1929, DVD)

Numa construção em São Paulo, um trabalhador cai de um andaime e, à beira da morte, pede ao filho que trilhe o caminho da honestidade. O filho, no entanto, prefere se tornar um vagabundo.

Batismo de Carmencita De Natural Filme e Rossi & Companhia (Brasil, 2 min., PB, 1921, DVD)

Um dos assuntos de um cinejornal. Cerimônia de batismo do bebê Carmencita Silveira: padre, familiares, padrinhos e amigos na igreja e na residência dos pais.

Rossi actualidades nº 126 – Um sarau no paço de São Cristóvam De Rossi Film (Brasil, 4 min., PB, 1926, DVD)

Apresentação da peça “Um sarau no Paço de São Cristovão” no Theatro Municipal em espetáculo beneficente organizado pela Liga das Senhoras Católicas.

Classificação 12 anos para o programa

Programa 3 – 19 h

Total do programa: 64 minutos

RARIDADES BRASIL-ITÁLIA

As colônias italianas no Rio Grande do Sul De Antonio Carlos Textor (Brasil, 22 min., 1975, DVD)

A saga da imigração italiana no Rio Grande do Sul, vista através de reconstituição fotográfica e de filmagem nos principais núcleos na serra gaúcha, onde se fixaram os primeiros colonos italianos chegados ao estado. Prêmio de Melhor Curta Gaúcho, Festival de Gramado, 1976.

Cinquenta anos de colonização italiana no Brasil (Brasil, 20 min., 1937, DVD)

Série de imagens que mostram a presença italiana no Brasil. O complexo industrial de Rodolfo Crespi em São Paulo. Vistas da cidade de São Paulo. A família Crespi e Rodolfo Crespi trabalhando em seu escritório. Uma solenidade

fascista no Colégio Dante Alighieri.

Eliane Lage De Ana Carolina Maciel e Caco Souza (Brasil, 22 min., PB, 2008, DVD)

Documentário dedicado à atriz Eliane Lage, estrela de filmes da Cia. Cinematográfica Vera Cruz, como Caiçara (1950), de Adolfo Celi; Ângela (1951), de Tom Payne, e Sinhá Moça, de Tom Payne e Osvaldo Sampaio.

Classificação 14 anos

DIA 10 – quinta feira

Programa 4 – 14 h

Total do programa: 77 min

Angelo Agostini: sua pena, sua espada De Luiz Carlos Lacerda (Brasil, 10 min., PB, 1968, DVD)

Nos tempos do Império, os traços do cartunista Angelo Agostini projetaram os problemas sociais de um Brasil patriarcal e escravagista. Republicano e abolicionista, o italiano transformava suas charges em estandartes de corajosas campanhas, como o fim dos maus-tratos a doentes mentais.

José Medina De Júlio Heilbron (Brasil, 15 min., PB, 1969, DVD)

Aspectos da obra de Medina, figura das mais influentes do ciclo paulista do cinema mudo, onde aparecem cenas de seus filmes e sequências de Intolerância, de David W. Griffith, por quem Medina foi bastante influenciado.

América, o grande acerto de Vespúcio De Rogério Sganzerla (Brasil, 27 min., 1992, DVD)

Nesta obra experimental, que conjuga cinema e teatro, Sganzerla recorre a um aparato técnico mínimo para deixar o ator Otavio Terceiro exercer o papel de Américo Vespúcio. Baseada em uma carta do navegador, intitulada Novus Mundus, relato do descobrimento da América.

Classificação 14 anos para o programa

PIONEIROS DO CINEMA BRASILEIRO

Fragmentos de filmes do início do século XX. Produção Arquivo Nacional (Brasil, 25 min., PB, 2011, DVD)

Classificação livre

Programa 5 - 17 h

70 anos de Brasil De Jurandyr Noronha (Brasil, 70 min., PB, 1974, DVD)

Trechos de cinejornais e documentários sobre os principais acontecimentos do início do século XX no Brasil. É uma homenagem aos pioneiros do cinema nacional.

Classificação livre

Programa 6 - 19 h

PIONEIROS DO CINEMA BRASILEIRO

Fragmentos de filmes do início do século XX. Produção Arquivo Nacional (Brasil, 25 min., PB, 2011, DVD)

Classificação livre

20h

Palestra com Clóvis Molinari - Curador do REcine

DIA 11 - Sexta-feira

Programa 7 - 14 h

Sai da frente De Abílio Pereira de Almeida (Brasil, 80 min., 1952, DVD)

Isidoro (Mazzaropi), dono de um caminhãozinho, é contratado para transportar alguns móveis para Santos. Descendo a serra pela Via Anchieta, Isidoro provoca inúmeras situações cômicas. Seu principal amigo é um cão chamado Coronel, interpretado pelo cão Duque, famoso astro da Vera Cruz.

Classificação livre

Programa 8 - 17 h

O gigante De Mario Civelli (Brasil, 83 min., 1969, DVD)

Imagens de uma São Paulo que começava a agigantar-se nos anos de 1920, a ousadia da arquitetura de Brasília, a pobreza dos candangos, a estrada Madeira-Mamoré e a perfuração de petróleo em Lobato (BA) formam o retrato de um país de identidade múltipla. Filme censurado em 1968.

Classificação livre

Programa 9 – 19 h

Rio Zona Norte ( Brasil, 1957, 90 min, DVD) de Nelson Pereira dos Santos. Um clássico do cinema novo, com Grande Otelo, Jece Valadão, Paulo Goulart. Delicado retrato da vida de um artista popular carioca, a partir das memórias do personagem vivido por grande Otelo, um talentoso e humilde compositor de sambas de salão que vive na periferia do Rio de Janeiro.

Classificação 14 anos

DIA 12 - Sábado

Programa 10 – 14 h

Cadáveres ilustres De Francesco Rossi (Itália, 127 min., 1976, DVD)

Juízes da Suprema Corte estão sendo assassinados misteriosamente e o detetive Rogas assume a investigação do cãs.

Classificação livre

Programa 11 – 17 h

O caso Mattei De Francesco Rossi (Itália, 116 min., 1972, DVD)

Filme baseado na história de Enrico Mattei, empresário e personalidade importante na história da Itália que morreu em um misterioso acidente de avião em 1962.

Classificação 14 anos

Programa 12 – 19 h

Oriundi De Ricardo Bravo (Brasil, 97 min, 2000, DVD).

Durante a festa de seus 93 anos, o imigrante italiano Giuseppe Padovani é apresentado a Sofia, cuja semelhança com Caterina, sua esposa morta tragicamente há muitos anos, o deixa impressionado.

Classificação 14 anos

DIA 13 – Domingo

Programa 13 - 14 h

Sacco e Vanzetti De Giuliano Montaldo (Itália, 120 min., 1971, DVD)

Boston, início dos anos 20. Nicola Sacco (Riccardo Cucciolla) e Bartolomeo Vanzetti (Gian Maria Volonté), dois imigrantes italianos anarquistas, são detidos pela polícia, acusados de um assassinato. O julgamento deles torna-se

político, pois querem condená-los por serem estrangeiros.

Classificação 14 anos

Programa 14 - 17 h

Queimada De Gillo Pontecorvo (Itália, 112 min., 1969, DVD)

No século XIX, um representante inglês (Marlon Brando) é mandado para uma ilha do Caribe sob domínio português com intuito de incentivar uma revolta para favorecer os negócios da coroa inglesa. Dez anos depois, ele retorna para depor quem ele colocou no poder.

Classificação 14 anos

Programa 15 - 19 h

Cabíria De Giovanni Pastrone (Itália, 180 min., 1914, DVD)

Primeira exibição no Rio de Janeiro da cópia restaurada do clássico do cinema mundial. No século III a.C, a jovem Cabíria é raptada por piratas e vendida como escrava em Cartago. Quando ela seria oferecida em sacrifício ao deus Moloch, é salva pelo nobre Fulvius Axilla e seu escravo Maciste.

Classificação livre

DIA 13, domingo - 18h

EXIBIÇÃO ESPECIAL DE CURTA-METRAGENS ITALIANOS DO MUSEU NACIONAL DO CINEMA, DE TURIM, com acompanhamento de piano por Sérgio Justen, durante a sessão. Filmes mudos das décadas de 10 e 20.

Total do programa: 39 minutos

Um matrimônio interplanetário De Enrico Novelli (Itália, 13 min., PB, 1910, DVD)

Um jovem astrônomo estuda as estrelas usando seu telescópio. Ele vê a paisagem lunar e um maravilhoso palácio onde uma jovem observa o céu tão atentamente quanto ele. A jovem alienígena o vê: o amor à primeira vista.

Um raio de sol De Arrigo Frusta (Itália, 14 min., PB com tingimento, 1921, DVD)

O príncipe de um país frio e nevoento está com uma doença incurável. O rei percebe que seu filho deseja um raio de sol. Em vão, os astrônomos do reino trabalham com seus instrumentos para encontrar o Astro-rei.

O tambor sardo De Umberto Paradisi (Itália, 12 min., PB com viragem e tingimento, 1911, DVD)

Durante as lutas do Ressurgimento, que culminou com a unificação da Itália, companhia de soldados italianos cercada pelo exército austríaco numa casa isolada envia um jovem tambor em busca de ajuda. Mesmo ferido na perna, o jovem executa bravamente sua missão.

Classificação livre

Local: Capela Santa Maria

Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro

Entrada gratuita

Obs: somente esta exibição do dia 13, domingo – às 18h – será realizada na Capela Santa Maria.


Cinemateca

Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco

Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 22h30. Sábados e domingos, das 14h30 às 22h30.

Informações: (41) 3321-3252

LEYA TRAZ PARA O BRASIL O RENOMADO AUTOR ANGOLANO PEPETELA



A editora LeYa traz para o Brasil o renomado autor angolano Pepetela para promover o lançamento de seu novo romance "A Sul. O Sombreiro". O autor fará eventos de lançamento em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre.

Em São Paulo, no dia 7 de maio, o autor participa do Livro ao Vivo Especial, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, a partir das 19h, com mediação de Ronaldo Bressane.

No Rio de Janeiro, Pepetela participa, no dia 10, de bate-papo com Edna Maria dos Santos (UERJ) e noite de autógrafos na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, a partir das 19h.

E em Porto Alegre, Pepetela participa de bate-papo com Charles Kiefer e noite de autógrafos na PUC-RS, no dia 11, a partir das 19h30.


LANÇAMENTO DA





segunda-feira, 30 de abril de 2012

A Geoestratégia da Natureza


A Geoestratégia da Natureza

Luís Henrique Ramos de Camargo


Cada nova notícia sobre os problemas ambientais do planeta parece aumentar a sensação de impotência das pessoas diante de alguma ação capaz de reverter um quadro que só tende a se agravar. Em A Geoestratégia da Natureza, Luís Henrique Ramos de Camargo apresenta fundamentos que comprovam por que é fundamental a participação efetiva da sociedade nos processos decisórios que envolvam a utilização do meio ambiente.

O autor critica o conceito de mudança climática que, segundo ele, está preso a uma lógica cartesiana-newtoniana que pensa o planeta e suas dinâmicas ecológicas de uma ótica linear.

Quem já conhece o tema poderá ampliar o olhar crítico sobre os modelos lógicos e ecológicos que acompanham os relatos sobre os efeitos das mudanças do clima. Aos que ainda estão iniciando seu contato com a matéria, o livro será perfeito para que tenham a crítica devida ao que se convencionou chamar de mudanças climáticas.

Conheça melhor o autor

Luís Henrique Ramos de Camargo


LLANÇAMENTO




 

Literatura e Revolução - lançamrento UFMG

Literatura e Revolução

Izabel Margato, Renato Cordeiro Gomes (organizadores)


Coleção: Humanitas

2012. 224 p.Dimensão: 22,40 x 15,50


O LIVRO
Este livro reúne textos que buscam abarcar novas dimensões dialógicas capazes de estimular reflexões produtivas acerca do lugar da revolução na cena intelectual do século XX. As formulações críticas e teóricas aqui reunidas privilegiam os modos de pensar e de promover a literatura como parte de processos revolucionários voltados para a valorização da heterogeneidade em meio à massificação. As relações entre a experiência estética contemporânea e as tarefas éticas e políticas da arte são tópicos fundamentais nesta obra. Assim, a revolução surge, principalmente, no olhar atento sobre a marca da escrita, sobre a precisa beleza da palavra que se ­ fixa e que se impõe lentamente almejando a libertação de sentidos prévios.

OS ORGANIZADORES
Izabel Margato é Professora Associada (S 14) de Literatura Portuguesa no Programa de Pós Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Coordena, desde Outubro de 1984, a Cátedra Pe. António Vieira de Estudos Portugueses, tendo realizado 15 Seminários e 2 Colóquios Internacionais. Como pesquisadora 1 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (CNPq), tem desenvolvido projectos de produtividade em pesquisa, desde Agosto de 1993. É investigadora do Instituto de História Contemporânea (IHC) da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, onde trabalha num projecto sobre o Neo-Realismo Português. Lidera os grupos pesquisa: “Realismo, Realismos: matrizes e transformações”, “As representações do intelectual” do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).  Desde 2001, integra o Comité de Avaliação dos Programas de Pós-Graduação da CAPES – Área Letras e Linguística. É  autora de Tiranias da Modernidade (Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008) e de As Saudades da Menina e Moça (Lisboa: IN-CM, 1988) e organizou em conjunto com Renato Cordeiro Gomes, Espécie de Espaço (Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2008);  Literatura Política Cultura (Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005); O Papel do Intelectual Hoje (Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2004), assim como 11 números da revista SEMEAR.

Renato Cordeiro Gomes é doutor em Literaturas de Lingua Portuguesa pelo Departamento de Letras da PUC-Rio. Mestre também pelo Departamento de Letras da Puc-Rio. Graduado em Direito e Letras pela UFRJ. Š Professor universitário há mais de vinte anos, lecionando em cursos de graduação e pós-graduaçãoo. Š consultor da FAPERJ e pesquisador do CNPq. Membro da Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC) e da Associação Internacional de Literatura Comparada (ILCLA).
Publicou diversos artigos no Brasil e no exterior. Publicou os livros "João do Rio" e "Todas as cidades, a cidade: literatura e experiência urbana". Seus interesses de pesquisa são nas áreas de Teoria da Comunicação, Literatura Brasileira, Literatura Comparada e em aspectos simbólicos dos Fenômenos Urbanos.

LANÇAMENTO DA



 

COMO ENTREI NA LISTA NEGRA DA HERMÈS de Michael Tonello

COMO ENTREI NA LISTA NEGRA DA HERMÈS

de Michael Tonello

 

 Número de Páginas: 336

 

 

O LIVRO

Motivado pela saga desesperada de muitas mulheres atrás de uma bolsa Birkin, o autor narra com um humor inteligente e sagaz, suas aventuras incomuns e conta como conseguiu driblar as enormes filas e adquirir, uma a uma, a bolsa mais falada entre os fashionistas. O ex maquiador e cabeleireiro conta como foi sua jornada para se tornar um empresário bem-sucedido, investindo na venda e revenda dessas peças tão cobiçadas. Ele traz também a sua experiência com as celebridades e com as pessoas que vivem de aparência.

O AUTOR

MICHAEL TONELLO cresceu em Massachusetts. Viajou pelo mundo como maquiador e cabeleireiro, até receber a oferta de um emprego na Espanha. Apesar de o trabalho não ter dado certo, ele resolveu se estabelecer em Barcelona. Pressionado a encontrar uma profissão em que não precisasse lidar com papéis, começou um lucrativo negócio no eBay como revendedor de todos os artigos Hermes. Michael vive em Barcelona, com seu parceiro,]uan. Acesse também o site do livro (em inglês): www.bringinghomethebirkin.com





UM LANÇAMENTO




Crime e Cidades de Claudio Beato



Crime e Cidades
de Claudio Beato


2012. 291 p.


O LIVRO
Este livro abordará as interconexões entre crime, políticas públicas e organizações policiais em ambientes urbanos e os dados e indicadores necessários para a compreensão dessas dimensões. O Brasil é um país urbano. Há 60 anos apenas, 31% da população vivia nas cidades. Hoje, são mais de 83% vivendo nos centros urbanos. Mais de 104 milhões de brasileiros vivem em cidades com mais de 100 mil habitantes. São inúmeros os problemas que esse tipo de sociedade enfrenta. Este texto lidará com alguns aspectos perversos, mas inseparáveis do desenvolvimento das cidades, especialmente no formato que ele adquiriu nas grandes cidades latino-americanas, dominadas pela ocupação informal de largas parcelas dos territórios urbanos e pela rarefação de mecanismos de controle social, especialmente nas periferias.



O AUTOR
CLAUDIO BEATO é professor do Departamento de Sociologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e diretor do Crisp (Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública), da mesma universidade.

Conheça melhor as ideias de CLAUDIO BEATO

Os protagonistas no Rio são as milícias


Estamos assistindo ao fim de um período e ao provável ingresso em outro patamar, que exigirá instrumentos mais amplos que as UPPs

A interpretação oficial corrente sobre os eventos no Rio de Janeiro tem atribuído à reação dos traficantes às UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) a explicação para o impressionante surto de violência.
Trata-se de argumento simplificador, que desconhece o complexo processo que vem se desenvolvendo ao longo de quase duas décadas e que agora ingressa em um novo patamar de organização da atividade criminosa.
Atividades criminosas têm-se estruturado seguindo uma lógica bastante similar nos grandes centros urbanos brasileiros. Iniciam-se com atividades de gangues de bairros em ambientes urbanos deteriorados e assolados por péssimas condições econômicas e sociais.
O aprisionamento desses membros cria um novo patamar de organização, que se estrutura inicialmente no interior das prisões, com formação de coalizões, tendo como objetivo inicial sua proteção e, posteriormente, associação para fins criminais. Essa é a origem de PCC (Primeiro Comando da Capital), Comando Vermelho, ADA (Amigos dos Amigos) ou Terceiro Comando.
Nesse estágio, inaugura-se também um período de intensa competição entre grupos, com uso maciço de armas de fogo e a introdução crescente de mecanismos de corrupção. O amplo domínio territorial desses grupos é a marca desta fase.
Este arranjo se desmorona e o que estamos assistindo são os estertores desse período.
Seus protagonistas encontram-se crescentemente acuados: de um lado, por estratégias do governo estadual que são bastante distintas do padrão vigente; por outro, temos emergência de grupos mais voltados para uma lógica empresarial e com padrões de eficiência criminal mais elevados.
Há uma expansão das atividades comerciais, que agora não se limitam apenas ao tráfico de drogas, mas se estendem a diversos outros tipos de atividades ilegais, tais como a venda informal de serviços e bens públicos por meio de “gatos”, provisão de bens e serviços, como gás, transporte e segurança, e até mesmo exploração de prostituição.
No lugar do violência, a cooptação, o ingresso no mundo da política e a infiltração institucional. Os protagonistas centrais deste processo no Rio têm sido as milícias, para quem o espetáculo exuberante da etapa anterior não é mais funcional para os negócios.
Por sua vez, o Estado do Rio de Janeiro tem atuado firmemente em estratégias visando o restabelecimento da ordem, buscando a erradicação das armas de fogo e a retomada de territórios.
Estamos assistindo ao fim de um período e ao provável ingresso em outro patamar, que exigirá instrumentos e políticas mais amplos e profundos que a bandeira das UPPs. Estas, aliás, devem se multiplicar e deveriam ser parte de um projeto sistêmico e com perspectiva mais estratégica.


LANÇAMENTO DA