terça-feira, 31 de julho de 2012

Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos de Phil Sutcliffe

Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos

de Phil Sutcliffe


Páginas: 288
Formato: 23,5 cm x 28 cm



Em 1981, há exatos 30 anos, o Estádio do Morumbi, em São Paulo, tremeu como nunca – e não foi por causa do futebol. No auge de sua carreira, a banda inglesa Queen fez apresentações inéditas no país. Em duas noites consecutivas, o quarteto inglês levou ao delírio mais de 200 mil jovens brasileiros com aquele que seria o primeiro megaconcerto de suas vidas – um show de rock "de verdade", como nunca tinha sido realizado por aqui, com efeitos de luz deslumbrantes, som poderoso e a magnética presença de palco de Freddie Mercury e companhia. Não poderia haver uma iniciação melhor em termos de superevento: nenhuma outra banda foi tão eficaz em arrebatar estádios pelo mundo todo quanto o Queen.

Essa vocação para a grandiosidade, para o espetáculo dirigido a grandes públicos, fez do Queen um fenômeno de popularidade. Nem a passagem do tempo, nem o fim do banda, com a morte de Mercury, em 1991, foram capazes de lançá-la ao esquecimento. Ao contrário, seu nome se torna cada vez mais forte à medida que hits como We will rock you, We are the champions ou Love of my life se eternizam como clássicos do rock. Os segredos dessa fórmula de sucesso duradouro são esmiuçados em Queen – História ilustrada da maior banda de rock de todos os tempos, escrito e compilado pelo jornalista britânico Phil Sutcliffe.

Discografia completa e comentada

Além de recuperar entrevistas feitas por ele mesmo com integrantes da banda, Sutcliffe empreendeu uma ampla pesquisa em tudo o que já se publicou a respeito do Queen. A investigação, capaz de surpreender até os mais ardorosos e bem-informados fãs, se estendeu a ponto de resultar na coleta de um rico acervo iconográfico: o livro traz mais de 500 imagens de shows, fotos dos integrantes da banda e itens de memorabilia, tais como cartazes de shows, capas de disco, canhotos de ingresso e programas de concerto.

Outro destaque do volume é a discografia completada e comentada: cada álbum do Queen ganhou análises detalhadas assinadas por jornalistas especializados em rock, como Jim DeRogatis e Greg Kot (autores de The Beatles vs. The Rolling Stones: opiniões ruidosas sobre a grande rivalidade do rock'n'roll, outro lançamento recente da Globo Livros), ou por amigos próximos da banda. As influências da obra de Freddie Mercury, Brian May, Roger Taylor e John Deacon ecoam, ainda, nos depoimentos de artistas como Slash, guitarrista do Guns'N'Roses, e Tom Morello, do Rage Against the Machine, admiradores confessos do Queen.

O AUTOR


O jornalista inglês Phil Sutcliffe começou sua carreira como aprendiz do jornal Newcastle Evening Chronicle em 1970, e atuou como freelancer de reportagem e edição em revistas de música (Sounds, The Face, Smash Hits, Q Magazine, Mojo), jornais (LA Times), websites além de ocasionalmente trabalhar com rádios e na TV. Entre seus livros, Phil escreveu a biografia de grandes bandas como The Police e AC/DC, além do livro sobre o Queen.     




 UM LANÇAMENTO


Mais Você – Receitas e Viagens Internacionais Ana Maria Braga

 

Mais Você – Receitas e Viagens Internacionais

Ana Maria Braga

266 páginas, que conta com fotos e 92 receitas

Em Nova York, os aromas podem sair de uma pâtisserie ou dos carrinhos estacionados em qualquer esquina. Para entrar no clima da cidade, Ana Maria Braga, apresentadora do programa Mais Você na TV Globo, experimentou um cachorro-quente, o sanduíche número um dos Estados Unidos. Alguns pontos turísticos desse país, de Portugal e da Itália, foram esquadrinhados para montar quase que um álbum de recordações, o livro Mais Você – Viagens e Receitas Internacionais, que a Globo Livros, em parceria com a Globo Marcas, lança em novembro.

Em Portugal, por exemplo, no pequeno vilarejo de Óbidos, cercado por muralhas e cheio de becos tortuosos, Ana Maria e a equipe se renderam ao sabor adocicado da ginjinha, um licor de cereja que pode ser servido com ou sem a fruta. Em Leiria, não resistiu ao leite creme, uma sobremesa que, segundo ela, acariciou a alma. E, claro, ela não deixou de ir à Fátima, para agradecer à santa que tanto a acolheu em tempos difíceis. Como prova de sua devoção, percorreu de joelhos, sob forte emoção, os duzentos metros até o altar da capela.

Na Itália, a equipe andou por caminhos cheios de cinzas fininhas, mais parecidas com talco, quando visitou o vulcão Etna, e se deliciou em Roma com lulas à dorê e salada verde com fartos pedaços de queijo parmeggiano reggiano, que faziam cócegas no céu da boca. Sobre Ariccia, conhecida como a “capital da porqueta”, literalmente pelo cheiro, ela conta que “o aroma ao redor dos carrinhos nas ruas atrai até o mais inapetente dos pedestres. As pessoas se aglomeram em torno dos carrinhos, que brilham de tão limpos. E elas saem de lá felizes, carregando as fartas porções que são devoradas ali mesmo, em mesinhas sob guarda-sóis. A carne é embrulhada em papel-manteiga e acompanhada de fatias de pão italiano”.


Nas 266 páginas, que conta com fotos e 92 receitas, a apresentadora narra outras histórias saborosíssimas, como o porquê de os sanduíches de bifanas– aqueles bifes finos de carne de porco empanados, servidos com pão francês fresquinho – terem se tornado um marco de suas viagens. Ana Maria ainda dá receitas de pratos bem tradicionais, como o Fettucine Alfredo e os Ovos Beneditine – “estopins” das viagens internacionais do Mais Você. Em uma conversa com o então diretor do programa, Nilton Travesso, Ana Maria e a equipe ficaram sabendo da predileção dele por esse prato, servido no hotel Plaza, um dos mais chiques de Nova York. Há muitas, muitas outras receitas imperdíveis, como zabaione e acorda alentejana. Mas se o leitor quiser saber como é feita a punheta de bacalhau, não poderá deixar de ler o livro.




UM LANÇAMENTO

Dieta das emoções: Como manter a saúde sem se tornar refém das oscilações de humor

 

Dieta das emoções: Como manter a saúde sem se tornar refém das oscilações de humor

de Dr. Mike Dow com Antonia Blyth


Nº de páginas: 248          


Lançamento de julho pela Editora Lua de Papel, Dieta das emoções traz dicas para acabar com a guerra entre a saúde e o seu bom humor sem perder o esforço por uma dieta.
Esqueça as dietas restritivas, em que você deixa de comer determinados alimentos! Pois saiba elas que funcionam, no máximo, até você passar por uma situação que mexa com suas emoções.
Cortar carboidratos ou proteínas definitivamente não é a solução para perder peso rapidamente e isso poderá causar um desequilíbrio emocional determinante para o fracasso de sua dieta. Todas as dietas trabalham com alguma restrição e isto pode se tornar um problema.
Comer é um ato de prazer, satisfação, necessidade criada pelo cérebro sobre alguma substância que o organismo sente falta. Se simplesmente cortamos um alimento, criamos uma verdadeira guerra interna, entre a satisfação e a frustração. E geralmente, quando não atendemos a um chamado natural do organismo, ele fica à espreita de uma oportunidade para sabotar o nosso esforço, destruindo em poucas horas, todo o sacrifício de semanas de dieta.
Quando estamos tensos ou ansiosos, buscamos serotonina; quando estamos deprimidos ou tristes buscamos dopamina.
Geralmente as encontramos essas substâncias em alimentos calóricos e viciantes, com efeito imediato, porém a curto prazo, mas as mesmas necessidades podem ser atendidas por outros alimentos. Esse é o segredo deste livro.

OS AUTORES

Dr. Mike Dow é psicoterapeuta e especialista em recuperação de dependências. É conhecido como um respeitado especialista nas áreas de relações, alimentação e comportamento. Seus estudos têm tido destaque em importantes jornais e programas de TV. Dieta das emoções é seu primeiro livro nos EUA e Europa e sua abordagem inovadora sobre o assunto vem sendo reconhecida entre críticos e especialistas da área.

Antonia Blyth escreve ssobre saúde e beleza, e trabalha para publicações como a US Weekly e a edição britânica da Marie Claire.



LANÇAMENTO DA









A Grama do Vizinho é Mais Verde de Kerstin Gier

 

 A Grama do Vizinho é Mais Verde
de Kerstin Gier

- Número de páginas: 272
- Formato: 16 cm x 23 cm


O LIVRO

Se você pudesse voltar no tempo e viver os últimos cinco anos de novo, faria exatamente o que fez? O que você mudaria?



Chega ao Brasil o romance feminino Top 10, das listas dos mais vendidos, em vários países da Europa.
A Grama do Vizinho é Mais Verde, fala sobre o amor e as dificuldades de se mudar o próprio destino – numa trama divertida e surpreendente.



Kati é uma mulher jovem e razoavelmente feliz com seu marido, o Félix. Porém, depois de cinco anos juntos, às vezes se pergunta se seria mesmo uma boa ideia passar o resto da vida com ele. Um encontro casual com Mathias, pôs fogo nesse oculto rastilho de pólvora.

Eles se conheceram num workshop de empresa. Kati pareceu ser a única mulher do mundo que não deu mostras de ficar impressionada com os atributos do bonitão. Isso mexeu com a vaidade do cara, que a teria esquecido rapidamente, se não fosse um SMS.

Voltando do trabalho, para se ver livre de um chato no metrô, Kati pegou o celular e começou a enviar SMSs para diferentes pessoas. Na pressa, os torpedos foram mandados para destinatários errados. Assim, convida o zelador do prédio para um jantar romântico; sua sogra ganha uma mensagem cheia de palavrões… E Mathias acaba recebendo uma mensagem originalmente direcionada a uma amiga, na qual o descrevia como pretencioso, metido a lider e elogiava alguns atributos dele.

Mathias respondeu. E a partir daí, a vida de Kati, Félix e Mathias nunca mais seria a mesma.


A autora


Kerstin Gier nasceu em 1966 e, desde criança, queria ser escritora. Estudou literatura germânica e inglesa e também música. Aos 30 anos publicou seu primeiro romance, Homens e outras catástrofes, que acabou virando filme com a belíssima atriz alemã Heike Makatsch no papel principal. Nos últimos 15 anos, Kerstin publicou 32 livros, alguns traduzidos para vários idiomas, às vezes, sob os pseudônimos de Sophie Berard ou Jule Brand. Este, A Grama do Vizinho é Mais Verde, foi lançado originalmente na Alemanha em novembro de 2011, e logo chegou ao topo das listas de Best-sellers. Para fugir ao assédio da mídia e poder se dedicar ao que mais gosta – escrever-, Kerstin, o marido, o filho e um velho gato preto, vivem, anonimamente, em uma pequena aldeia de montanha.




Kerstin Gier sempre quis ser uma escritora. No entanto, ela achou surpreendente, como o editor Lübbe nos meados dos anos noventa fez seus primeiros manuscritos  fossem impressos sem qualquer problemaz e... Não é de admirar logo que apareceu, seu romance floresceu logo se tornou um best-seller e mais tarde foi filmado também.


Um lançamento


 

NETWORKING PROFISSIONAL Guia FINANCIAL TIMES

NETWORKING PROFISSIONAL Guia FINANCIAL TIMES

de Heather Townsend

PÁGINAS:      288

 

 

O LIVRO
NETWORKING PROFISSIONAL Guia FINANCIAL TIMES
Como usar o poder do networking para ser bem-sucedido nos negócios.   

 
O novo livro da editora M.Books é um excelente guia prático repleto de dicas rápidas e fáceis para ajudar a tirar partido do poder do networking profissional.

Ser bem-sucedido no networking não se trata apenas de estar ligado às pessoas certas. Significa ter relações sólidas, ser visível nas comunidades certas e ter um alto grau de credibilidade pessoal. O networking é uma habilidade que se deve usar como norma e não como uma arma a ser sacada num momento de crise. Networking Profissional irá ajudar á garantir que o tempo investido na criação de uma rede de contatos trará os resultados desejados. O livro mostra tudo que é preciso para se tornar um profissional de primeira classe no networking.

Por que criar uma rede de contatos.

Conheça em detalhes -

•Maximizar sua eficácia no networking face a face.
•Tirar o máximo proveito das oportunidades de networking on-line, inclusive via LinkedIn, Facebook e Twitter.
•Blogar para aumentar sua credibilidade, visibilidade e marca pessoal.
•Causar uma primeira impressão positiva.
•Criar um clima de empatia e afinidade e travar uma conversa produtiva com as pessoas que conhecer.
•Estabelecer contatos em um ambiente desconhecido.
•Criar sua própria comunidade.
•Vencer as barreiras culturais.
•Ser bem-sucedido na criação de uma estratégia integrada de networking.
•Arrumar tempo para tudo isso mesmo sendo um profissional. Muito ocupado.

A AUTORA


Heather Townsend – É especialista em melhoria do desempenho em empresas prestadoras de serviços profissionais além de ser especialista em mídia social. Ela é a consultora mais bem conceituada do Reino Unido em orientação profissional e desenvolvimento de relações por meio das mídias sociais

Coaching Mastermind Testimonial from Heather Townsen



Conheça melhor o tema em http://www.coachmastermind.co.uk/

 

um lançamento


O caminho da esperança


   

O caminho da esperança

Título Original:     Le chemin de l'espérance

de Edgar Morin, Stéphane Hessel

Tradutor:     Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco


Páginas:     64

O LIVRO
Em O caminho da esperança, Edgar Morin e Stéphane Hessel criam uma via política de saúde pública e anunciam uma nova perspectiva. Segundo os autores, enquanto os jovens procuram um futuro de sucesso, os políticos continuam a se submeter à tirania econômica. Para enfrentar esta realidade, eles pregam uma luta dos Estados contra o domínio da especulação financeira.

O objetivo dessa obra é encorajar os povos a reagir e mostrar que a impotência leva ao fatalismo, à despolitização, à desmundialização. Ora, o isolamento e o fechamento em si próprio levam a um mal ainda maior que o encontrado na atualidade. É, portanto, fundamental ter outro pensamento e outras políticas – econômica, social, trabalhista, da cidade, do campo, agrícola ou, ainda, de consumo – para dirigir-se a uma política de bem-estar.

Apesar das tendências claramente apregoadas, não se trata de propor um pacto aos partidos existentes, mas de contribuir para a formação de um poderoso movimento do cidadão, de uma insurreição das consciências que possa engendrar uma política à altura dessas exigências.


Edgar Morin
Nascido em Paris, filho único de uma família judia sefardi, seu pai, Vidal Nahoum, era um comerciante originário de Salônica. Sua mãe, Luna Beressi, faleceu quando ele tinha 10 anos. Ateu declarado, descreve-se como um neo-marrano. Estudou direito, história, filosofia, sociologia e economia. Em 1942, obteve a licenciatura em direito e em história e geografia.

Em 1941, adere ao Partido Comunista, «num momento em que se sentia, pela primeira vez, que uma força poderia resistir à Alemanha nazista».

Entre 1942 e 1944, participou da Resistência, como tenente das forças combatentes francesas, adotando o codinome Morin, que conservaria dali em diante.

Durante a Liberação, é transferido para a Alemanha ocupada, como adido ao Estado Maior do Primeiro Exército Francês na Alemanha, em 1945, e, em 1946, como chefe do departamento de propaganda do governo militar francês. Nessa época, escreve seu primeiro livro, L'An zéro de l’Allemagne ("O Ano Zero na Alemanha"), publicado em 1946, no qual descreve a situação do povo alemão no pós-guerra. O livro foi muito apreciado por Maurice Thorez, que o convida a escrever para a revista Lettres françaises.

A partir de 1949, distancia-se do Partido Comunista, do qual será excluído em 1951, por suas posições antistalinistas.

Aconselhado por Georges Friedmann, que conheceu durante a ocupação alemã, e com o apoio de Maurice Merleau-Ponty, de Vladimir Jankélévitch e de Pierre George, entra para o CNRS em 1950. Começa a escrever L'Homme et la Mort ("O Homem e a Morte"), lançado em 1951.

Em 1955, coordena um comitê contra a guerra da Argélia e defende particularmente Messali Hadj, pioneiro da luta anticolonial e um dos próceres da independência da Argélia.

Em 1960, funda, na École des hautes études en sciences sociales (EHESS), o Centro de estudos de comunicação de massa (CECMAS), com Georges Friedmann e Roland Barthes, com a intenção de adotar uma abordagem transdisciplinar do tema, e cria a revista Communications. Morin é também fundador da revista Arguments (1957-1963).

Nomeado diretor de pesquisa do CNRS em 1970, será também, entre 1973 e 1989, um dos diretores do Centro de estudos transdisciplinares da EHESS, sucessor do CECMAS.


um lançamento






CAIXA LEVA IMPRECAÇÕES AO PALCO DO TEATRO JOSÉ MARIA SANTOS





A comédia crítica da Cia Serial Cômicos estreia texto inédito de Michel Deutsch





A Caixa Econômica Federal apresenta, de 2 a 19 de agosto, a peça “Imprecações”, da companhia Serial Cômicos. A montagem, que reúne três textos do francês Michel Deutsch – “As Despedidas” (Les Adieux), “Os Beijos” (Les Baises) e “Teste de Elenco” (L’Audition) –, tem a direção de Márcio Mattana. O espetáculo, que conta com incentivo do banco pela Lei Municipal de Mecenato, entra em cartaz no Teatro José Maria Santos em Curitiba/PR.



Organizado em torno do processo de colagem, o espetáculo mistura materiais contrastantes para produzir uma comédia crítica e repleta de cinismo, na qual o retrato da vida cotidiana convive com a farsa e a paródia. A encenação de Márcio Mattana aposta no contraste entre uma elocução verbal rigorosamente realista e composições claramente artificiais, buscando sempre uma sensação de estranheza por trás do humor.



“Os materiais de Michel Deutsch, embora divertidos, têm um forte sentido político. Não se trata de simples matéria de diversão, trata-se de revelar a estranheza da vida ordinária para, por meio da paródia, criticá-la”, explica o diretor.



O autor:

O dramaturgo francês Michel Deutsch é, juntamente com Jean-Paul Wenzel, um dos criadores do Teatro do Cotidiano, movimento que promoveu importante renovação na dramaturgia francesa das últimas décadas. Sua obra, extensa e heterogênea, reúne desde grandes dramas de fundo histórico, como “A Década Vermelha” (La Decenie Rouge), à coletâneas de comédias curtas, como “John Lear” e “Imprecação 36” (Imprécation 36).



Ficha Técnica:

Autor: Michel Deutsch

Tradução: Cynthia Becker e Marcelo Bourscheid

Direção geral: Márcio Mattana

Elenco: Diego Duda, Ludmila Nascarella, Mazé Portugal e Thadeu Peronne

Duração: 60 minutos



Serviço:

Espetáculo “Imprecações”

Local: Teatro José Maria Santos – Rua 13 de maio, 655 – Curitiba (PR)

Data: de 2 a 19 de agosto de 2012

Horário: de quinta-feira a sábado às 20h – domingo às 19h

Telefone: (41) 3322-7150

Ingresso: R$ 10 e R$ 5 (meia - estudantes, idosos e clientes CAIXA)

2/8 PREMIO BRASIL FOTOGRAFIA






Ministério da Cultura e Porto Seguro Cia de Seguros Gerais

convidam para o

Prêmio Brasil Fotografia



Premiação e abertura da exposição, dia 2 de agosto,

a  partir das 20h, no Espaço Cultural,

Rua Rio Branco, 1489 - Campos Elíseos.







O Prêmio Brasil Fotografia é destinado a fotógrafos

brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil.

A ação curatorial propos a apresentação de ensaios

e séries fotográficas que elaborassem

uma reflexão na qual a fotografia,

independente de temas pré-estabelecidos,

trouxesse à tona a diversidade de abordagens

possíveis que reflita a história social

e estética do olhar contemporâneo



Na edição 2012  do Prêmio Brasil Fotografia

foram selecionados e premiados oito fotógrafos

que com seus trabalhos formam uma pequena,  mas representativa,

mostra da produção fotográfica contemporânea brasileira.

A Comissão de Premiação  foi composta por: Cildo Oliveira, artista visual;

Eder Chiodetto, curador e pesquisador; Fabiana Bruno, fotógrafa;

Geórgia Quintas, professora; Simonetta Persichetti critica e  professora.

São eles:



Premio Aquisição



Miguel Chikaoka

Prêmio Brasil Fotografia Especial

Fábio Messias

Prêmio Brasil Fotografia

Carlos Dadoorian

Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas

Letícia Ramos

Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas

Natalie Laufer Salazar

Prêmio Brasil Fotografia Revelação



Menções

Daisuke Ito

Feco Hamburger

Paulo Pereira



No dia 2 de agosto acontece um evento, para convidados, de entrega dos prêmios e abertura da exposição dos trabalhos,  a partir das 20h, no Espaço Cultural.  Exposição abre para o público no dia 3 de agosto.

Portão Cultural abre inscrições para dança de salão





Quem gosta de dançar terá uma ótima oportunidade para praticar e aprimorar seus conhecimentos. A partir desta quarta-feira (1°), o Portão Cultural abre as inscrições para o projeto “Um Sonho a Dois”, de dança de salão. As aulas, ministradas por Luiz Dalazen gratuitamente, acontecerão a partir do dia 5 de setembro, toda quarta-feira, em dois horários: 16h às 18h ou 19h às 21h.  Para que as aulas sejam melhor aproveitadas, só serão aceitas inscrições pares, sendo quinze homens e quinze mulheres, acima de 16 anos.

O projeto desenvolvido por Dalazen é pioneiro no país e busca ensinar a técnica da dança de salão com um viés mais cênico. Segundo o professor de dança, o objetivo principal é se distanciar da forma tradicional, onde o homem é sempre o responsável por conduzir a mulher, mas buscar desenvolver uma perspectiva de palco, onde a responsabilidade dos movimentos é de ambos. “Com isso é possível discutir os limites do quanto ‘desconstruir’ a técnica clássica da dança de salão, sem perder o seu caráter e identidade”, revela Luiz.

 Para participar das aulas não é necessário ter conhecimento prévio, basta ter disposição para aprender. Entre os gêneros que serão ministrados durante o curso estão o tango argentino, o bolero carioca e o samba de gafieira. No final da oficina, será montado um miniespetáculo com as técnicas que foram aprendidas.

Escolhido por edital do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, o projeto “Um Sonho a Dois” é desenvolvido em parceria com a Escola Cido Arruda Dança de Salão, onde Dalazen dá aulas. Com mais de dez anos de experiência em dança de salão, Luiz tem como foco de pesquisa a transposição coreográfica das técnicas do salão para o palco.

Formado pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em Joinville, no Curso de Qualificação Profissional em Tango-Dança, Luiz Dalazen se especializou em Teoria e Movimento da Dança, com ênfase em Danças de Salão. O professor também conta com passagens pela Alemanha, Itália, Venezuela, Costa Rica, Uruguai, Paraguai e Argentina, onde esteve para realizar pesquisas e aprimorar seu conhecimento técnico e metodológico.



Serviço:

Projeto “Um Sonho a Dois” – Aulas de Dança de Salão com Luiz Dalazen

Inscrições: Sala da administração do Portão Cultural, pelo telefone (41) 3345-1197 ou pelo e-mail cineteatro@fcc.curitiba.pr.gov.br

Horário: 10h às 12h e 14h às 18h

Data: 1° a 24 de agosto

Início das aulas: 5 de setembro (toda quarta-feira)

Local: Auditório Antônio Kraide – Portão Cultural (Av. República Argentina, 3430)

Horário das aulas: 16h às 18h ou 19h às 21h
Inscrições gratuitas

Lançamentos, sessões de autógrafo, presença de autores nacionais e estrangeiros mobilizam editoras para o maior encontro brasileiro do livro.


Alguns nomes e atrações da 22ª Bienal Internacional do Livro já circulam para fomentar a curiosidade do público para a maior temporada brasileira do livro, de 9 a 19 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na cidade de São Paulo



Um dos trunfos do evento, e atração certa para adolescentes e jovens, é a escritora Cecily Von Ziegesar, cuja vinda à Bienal, no primeiro fim de semana do encontro literário, está sendo detalhada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Editora Record. A autora das séries de sucesso Gossip Girl e It Girl lançará sua nova obra, “Gossip Girl Psycho Killer”. As narrativas de Cecily deram origem à série televisiva Gossip Girl, exibida no Brasil pelo canal de assinaturas Glitz. Criada na elite nova-iorquina e tendo estudado em um dos colégios chiques da cidade, Cecily confere boa dose de realismo aos personagens que criou, tão requintados, elegantes, fúteis e divertidos quanto aqueles com quem conviveu.



Atrações indiscutíveis também são conduzidas pela Globo Livros, que organizou uma tarde inteira de autógrafos para o autor de Agapinho, Padre Marcelo Rossi, e acerta a agenda de outras sessões com Ziraldo, Claude Troigros e Mauricio de Sousa.



E os veteranos do mundo dos livros terão de dividir a atenção dos visitantes da Bienal com autores jovens e de sucesso precoce – caso da mineira Paula Pimenta. O lançamento de suas obras, da Autêntica Editora, são superdisputados por adolescentes e costumam congestionar espaços



Degustação cultural
Especial para a turma em educação constante, do nível básico ao superior, é o evento programado pela Gol Editora para o lançamento de uma biblioteca on-line na Bienal. Será uma degustação virtual na “Nuvem de Livros – A Biblioteca do Futuro!”, que tem conteúdos produzidos pela Fundação Roberto Marinho, Canal Futura e editoras associadas ao projeto desenvolvido em parceria com a Vivo e Itautec. São milhares de livros digitalizados, de autores nacionais e estrangeiros, além de audiolivros, audiocursos, teleaulas e outros conteúdos interativos.



Autores independentes
O espaço deles na Bienal é a Travessa Literária, da qual o brasileiro Carlos Hiran participa pela primeira vez. Médico especializado em saúde pública, o autor é amazonense, viveu no Rio de Janeiro e mora fora do Brasil há 10 anos, atualmente em Paris. Hiran pretende apresentar na Bienal dois romances: “As Farsas dos Moços de Capela”, que se desenvolve em cenário histórico de Portugal; e “Canções que Movem Pedras”, história de um indivíduo que desenvolve dependência por música (musicofilia).



Também participante da Travessa Literária, a produtora Livro Falante apresentará audiolivros como “O Meu Pé de Laranja Lima”, clássico da literatura escrito por José Mauro de Vasconcelos, e “Chopin, o poeta do piano”.



Só para crianças
O livro “Brincar com Palavras”, da editora Peirópolis, estará entre as novidades para o público infantil da Bienal. É o novo título do português José Jorge Letria, autor do premiado “Avô Contra Outra Vez” e presença confirmada no evento.


Na programação oficial da Bienal dirigida a crianças, destaca-se A Cidade do
do Livro, um ambiente com propostas lúdicas variadas para incentivar o contato com os livros e o hábito de leitura.


As novas gerações terão muitas outras atividades especiais na 22ª Bienal do Livro, que nesta edição foi organizada em sete pilares temáticos a partir da orientação de uma equipe de curadores, da qual faz parte o diretor do Museu da Língua Portuguesa, Antonio Carlos de Moraes Sartini.



O Espaço Infantil tem curadoria do Instituto Pró-livro, enquanto no Espaço Jovem # Você + Quem=? o comando é do jornalista Zeca Camargo em parceria com Maria Tereza Arruda Rangel Campos. Os jornalistas Paulo Markum e A.P Quartim de Moraes são responsáveis, respectivamente, por Salão de Ideias e Espaço Negócios e Guiomar Namo de Mello, pelo Espaço do Professor. André Boccato está à frente do Espaço Gourmet Cravo e Canela e o crítico de cinema Rubens Ewald Filho orienta Telas & Palcos.



SERVIÇO
22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Período: 9 a 19 de agosto de 2012
Horário de funcionamento: das 10 às 22h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
End.: Av. Olavo Fontoura, 1.209 – São Paulo – SP Site: www.bienaldolivrosp.com.br
Valor do ingresso: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia)
Entrada gratuita: professores, profissionais da cadeia produtiva do livro, bibliotecários, estudantes inscritos pelo sistema de visitação escolar programada, maiores de 60 anos e crianças com até 12 anos, mediante apresentação de documento comprobatório.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Louca Pra Casar de Susanne Leinemann

Louca Pra

Casar

de Susanne Leinemann


Livro com 304 páginas
Formato 16 cm x 23 cm


O LIVRO
Nesse romance, cheio de pitadas de humor, a protagonista segue uma série de regras, supostamente infalíveis, para conseguir um casamento de sonhos.

Nina tem um bom emprego e um futuro profissional promissor. Não se considera bonita, mas sabe que é atraente. Namora sem compromisso e curte baladas, de onde raramente sai sozinha. Quando se sente atraída, não pensa duas vezes em ir para a cama, até mesmo antes de saber o nome do parceiro. Às vezes se arrepende. Outras, não. Mas sempre se diverte.

No entanto, depois de completar 30 anos, Nina meteu na cabeça que precisa se casar. Sonha com um homem de boa aparência, cortês, educado, bem de vida e bom de cama. E vai à luta para conseguir o seu, munida das dicas, supostamente infalíveis, de uma bem-sucedida executiva da empresa onde trabalha.

A AUTORA
Susanne Leinemann graduou-se em História na Friedrich Schiller University Jena, e cursou a escola Alemã de Jornalismo, em Munique. É colunista do jornal Berliner Morgenpost. Em 2011, com uma reportagem publicada na revista Time, venceu o Prêmio Henri Nannen, o equivalente, no Brasil, ao Prêmio Esso de Jornalismo.


http://bit.ly/KgGerJ clique aqui e leia o prtimeiro capitulo

Louca Pra Casar é o seu terceiro romance.



Um lançamento

Foco narrativo e fluxo da consciência

Foco narrativo e fluxo da consciência
Questões de teoria literária
de Alfredo Leme de Carvalho

 


Formato: 14 x 21
Páginas: 96

Até mesmo os que ainda ensaiam os primeiros passos em estudos literários poderão encontrar neste livro um caminho de acesso ao amplo e complexo tema do foco narrativo e fluxo da consciência. Se o terreno é árido e a abordagem da obra rigorosa, o texto é agradável e fluente. Partindo das teorias mais amplas para as mais específicas, o autor, Alfredo Leme Coelho de Carvalho, intercala explicações acerca dos marcos desses conceitos com exemplos concretos de sua aplicação, sempre citando obras clássicas.

Para apresentar com clareza o assunto, ele expõe, primeiramente, de forma crítica, as classificações sugeridas por estudiosos consagrados, como Brooks e Warren, Pouillon e Komroff, para depois apreciar o que denomina “leituras complementares”, contemplando Henri James, Kayser, Stanzel, Tomachevski, Uspenski.

Enquanto discorre sobre as teorias, o autor convida o leitor a revisitar, sob prismas novos e reveladores, passagens de escritores brasileiros e estrangeiros célebres, como Machado de Assis, Clarice Lispector, Sartre, Faulkner e Michel Butor.

Tal estratégia resulta em uma trama criativa e de conteúdo denso, leitura necessária não apenas para estudantes de Letras, mas também para todos os que se interessam por desvendar os significados das obras literárias.

O AUTOR

Alfredo Leme Coelho de Carvalho é autor de O narrador infiel (2006) e A ficção distópica de Huxley e Orwell (2011). Foi professor e diretor do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce) da Unesp.

um lançamento


COMO IDENTIFICAR UM PSICOPATA

COMO IDENTIFICAR UM PSICOPATA

de Kerry Daynes , Jessica Fellowes


Número de Páginas: 238

Nem todos os psicopatas são assassinos compulsivos ou criminosos, como você pode pensar. Alguns, aparentemente, são pessoas comuns. Na verdade, 1% a 3% da população em geral tem fortes tendências psicopatas. Neste livro, a psicóloga forense Kerry Daynes explica como funciona a mente de um psicopata. Ela revela os traços de comportamento que os vários tipos de psicopata têm em comum e dá sugestões de como lidar com eles ou, melhor ainda, de como evitá-los a todo custo. Por meio de estudos de caso, este livro o ajudará a identificar os possíveis psicopatas em sua vida.

AS AUTORAS



Kerry Daynes é psicóloga forense. Ela tem uma clínica particular e, junto com uma equipe de psicólogos e psiquiatras, presta serviços para diversos órgãos públicos, inclusive auxiliando importantes investigações policiais. Uma semana comum de trabalho pode abranger desde pacientes estressados até assassinos em série. Além disso, atua como perita nas varas criminal e de família. Kerry já trabalhou com alguns dos criminosos mais complexos da Inglaterra, tanto nos presídios como fora deles. Faz comentários especializados na TV e no rádio, participando inclusive da série de documentários "Killing Mum and Dad", da rede Sky, e da série "Mania", do Channel Four. Em 2008, ela apresentou o programa "The Making of a Monster" para o Canal Crime & Investigation, analisando os antecedentes de assassinos famosos.

 Jessica Fellowes, escritora e jornalista freelance, escreve matérias para o Mail on Sunday, Sunday Times Style, Daily Telegraph e Psychologies. Ela já trabalhou como subeditora da revista Country Life.


UM LANÇAMENTO




 

TELAS, TRAMAS E TRAPAÇAS DO NOVO MUNDO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA






Novo show de Nei Lisboa mescla canções novas com antigos sucessos do músico gaúcho





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, na próxima sexta-feira (3), sábado (4) e domingo (5). O show “Telas, tramas e trapaças do novo mundo”, do músico gaúcho Nei Lisboa, que vai alinhar o repertório inédito e recente com as suas canções de maior sucesso, equilibrando o roteiro entre os conceitos de inovação e releitura de uma trajetória.



A instrumentação da banda atende a essa dualidade e, sobretudo, cai no gosto dos amantes da moderna MPB e do jazz, com a percussão de Giovanni Berti, o piano elétrico de Luiz Mauro Filho, o baixo acústico de Clovis Freire, a guitarra de Paulinho Supekovia e o clarinete e saxofone de Marcelo Piraino.



Com nove discos na carreira, entre outras tantas coletâneas, e interpretado por vozes como Caetano Veloso, Zelia Duncan e Ná Ozetti, Nei Lisboa construiu, nas últimas três décadas, uma obra musical moderna, urbana, reflexiva e atenta aos signos do seu tempo.



Embora alicerçado na performance musical, “Telas, tramas e trapaças do novo mundo” também pode ser entendido como um texto, crítico e propositivo, das relações contemporâneas mediadas pela internet e a virtualidade.



Ficha Técnica:

Voz e Violões: Nei Lisboa

Guitarra e violão: Paulo Supekovia

Piano/teclado: Luiz Mauro Filho

Percussão: Giovani Berti

Baixo Acústico: Clovis Boca Freire

Sopros: Marcelo Piraino



Serviço:

Nei Lisboa em “Telas, tramas e trapaças do novo mundo”

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 03 a 05 de agosto de 2012 (sexta-feira a domingo)

Hora: sexta e sábado, às 20h – domingo, às 19h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Editora Biruta lança o livro juvenil A Última Carta

clique para ampliar


A Última Carta, o mais recente romance juvenil publicado pela Editora Biruta, será lançado no dia 3 de Agosto, às 19h, na Livraria da Vila da Lorena. O livro, de David Labs com ilustrações da Casa Rex, conta a história de Luda, uma jovem que, apesar de inconformada, parece já ter o seu destino traçado. Sua vida é apresentada aos leitores através de trechos de seu diário, notícias de jornal, cartas e a imaginação do narrador, que tenta compreender as lacunas e imprecisões da vida da personagem.

Luda sempre teve ambições que não cabiam na pequena cidade de Vagas do Destino e aspirações que estavam longe de atender às expectativas de sua família. A transformação da protagonista e a libertação de seus desejos tem início com a chegada de uma carta anônima. Entre as ruas da pequena cidade burguesa parada no tempo e os bulevares de Paris no final da Segunda Guerra Mundial, se desenrola a história de Luda, desde o recebimento da primeira carta, até a chegada da última.

David Labs, nascido em Assis, São Paulo, é sociólogo, professor universitário e articulista. Publicou outros textos, mas A Última Carta é o seu primeiro romance.

TRIXMIX Próxima edição, dia 2 de Agosto, no Estúdio Emme






Direção: Mark Bromilow

Diretor Artístico do Varekai, Cirque du Soleil (2008 – 2010)



Mestre de cerimônia: Palhaça Rubra




O Trixmix é um projeto que reúne

consagrados artistas

da cena circense, burlesca e cômica

para apresentações autorais.



O Trixmix já reuniu

consagrados artistas  nacionais e internacionais

para apresentações autorais

 onde a surpresa, o humor, a beleza e o inusitado

fazem de cada noite uma celebração única.

A direção artística é de Mark Bromilow,  produtor independente,  diretor, escritor, tradutor, educador e ator,  com experiência de trinta e cinco anos  de artes cênicas em todo o mundo. “Meu trabalho tenta transcender as divisões  dos vários ambientes culturais,  linguísticos e sociais e se esforça para quebrar a tradicional separação que acontece  entre as disciplinas artísticas”,  fala Bromilow. Ele desenvolve novos programas,  eventos e co-produções internacionais dividindo seu tempo entre a Austrália, Canadá e  Brasil, onde mora atualmente.



TRIXMIX

Edição de 2 de Agosto

Abertura da casa:  20h30 com DJ e drinks

Início do show: 21h30

Duração do espetáculo: 70 minutos

Festa depois do show com DJ Kefing

Local: Estúdio Emme
Av. Pedroso de Morais, 1036

Recomendação: 18 anos

Ingresso:  R$ 50,00 / R$ 25.00 meia

Vendas antecipadas: na bilheteria do local

Horário de funcionamento:

segunda a sábado, das 13h às 19h.

Entrada e assentos para deficientes

Serviço de bar e restaurante
Estacionamento:
Valet - R$ 20,00.

Informações: 3774-0415



Agenda Trixmix

até dezembro de 2012

02 de agosto de 2012
16 de agosto de 2012
06 de setembro de 2012
20 de setembro de 2012
04 de outubro de 2012
18 de outubro de 2012
1 de novembro de 2012
15 de novembro de 2012
6 de dezembro de 2012

O 'Baile do Bixiga70' volta a esquentar o tradicional bairro do Bixiga, onde nasceu a banda.


Depois de shows aclamados em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Garanhuns, o Bixiga70 volta pra terra da garôa com "sede de baile"! Em show extenso, com versões de músicas de Luiz Gonzaga, Antibalas, Os Tincoãs, Soul Jazz Orchestra e Fela Kuti, além da participação de alguns dos DJs mais conceituados da cidade agitando as duas pistas da casa. O Baile promete!

Programação

    Pista 1:
    0h/2h - Paulão
    2h/4h - Bixiga70
    4h/6h - MZK

    Pista 2:
    23h/5h - Veneno Sound System

Evento no Facebook : https://www.facebook.com/events/402143353176952/

Serviço:
Local: Sambarylove (R. Rui Barbosa, 42 - Bixiga)
Data: 28/07/2012
Horário: 23h
Preço:
Lista R$15,00
* Atenção *
os nomes na lista serão válidos para entrada até as 00:30h
email: lista.bailebixiga70@gmail.com ... (nome na lista só por e-mail)

Na porta:
R$ 25,00

Venda de Camisetas e CD do BIXIGA70!

- ACEITA VISA E MASTERCARD -
Será exigida a apresentação de documento de identidade (proibida a entrada de menores 18 anos)

Jogando no Quintal 10 anos

4 últimas apresentações do ano

Dias 4 e 5 de agosto e  1º e 2 de setembro


O Jogando no Quintal comemora em 2012 10 anos de sua criação. Desde março o espetáculo vem sendo apresentado no primeiro final de semana de cada mês. A temporada está chegando ao fim e o Jogando fará somente mais 4 apresentações este ano, nos dias 4 e 5 de agosto e 1º e 2 de setembro.



O Jogando no Quintal traz no elenco os maiores nomes do improviso no Brasil.  O grupo permanece junto desde a sua formação o que possibilitou o aprofundamento da pesquisa que continua surpreendendo e divertindo o público a cada apresentação.  O espetáculo foi idealizado por César Gouvêa e Marcio Ballas.



Alguns jogos de improviso que serão apresentados serão inéditos e alguns  há muito não apresentados farão retornos surpresas a cada sessão da  temporada que se estende até o mês de setembro. Em algumas delas, convidados inéditos e que já se apresentaram com o grupo farão participações especiais.



Baseado nos jogos de improviso e nas regras do futebol, só que jogado por palhaços-atletas, o Jogando no Quintal traz a energia dos estádios para o teatro transformando  o público em torcedor e incendiando a platéia a  cada partida. Mais de 250 mil pessoas já assistiram o Jogando no Quintal.



10 anos em cartaz
O Jogando no Quintal  comemora 10 anos em cartaz com uma programação pautada pela ação que traduz uma das essências do grupo: O COMPARTILHAR.



Uma programação gratuita terá o  objetivo de abrir os bastidores do espetáculo e revelar o que está por trás do nariz vermelho. Workshops, exibição de vídeos e debates serão realizados durante todo este ano no Quintal de Criação.



O espaço foi inaugurado em 2009 e hoje atrai mais de 500 alunos por ano, entre leigos e atores, que buscam formação na linguagem da improvisação e do palhaço. O Quintal de Criação é hoje a grande fonte de inspiração para a criação de outros grupos e espetáculos que surgiram em todo o país.



O site terá uma nova identidade visual visando ampliar a possibilidade de comunicação direta com o público e a troca de experiências.

 JOGANDO NO QUINTAL – 10 anos

Temporada: 04 e 05 de agosto | 01 e 02 de setembro.

Início do espetáculo: sábado as 20h30 e  domingo às 19h30

Abertura da casa:  sábado às 19h30 e  domingo às 18h30

Duração do espetáculo: 90 minutos

Preço: 20,00  ( NÃO TEM MEIA ENTRADA)

Ingressos: na bilheteria do Estúdio Emme: de segunda a sábado, das 13h00 - 19h00.

Censura: 12 anos

Estacionamento: serviço de vallet: R$ 20,00

Cartão de crédito: Mastercard e Visa

Cartão de Débito: Redeshop e Visa Electron

Acesso para deficientes.

Ar condicionado.

Estreou dia 3 de março

Estúdio Emme

Av. Pedroso de Moraes, 1036

https://www.facebook.com/EstudioEmme

contato@estudioemme.com.br

Informações: 11 3031 3290



Ficha Técnica

Criação e direção: César Gouvêa e Marcio Ballas

Direção: César Gouvêa

Elenco: Allan Benatti,  César Gouvêa, Cláudio Thebas, Eugênio La Salvia, Lú Lopes,  Marcio Ballas, Marco Gonçalves,  Nando Bolognesi, Paola Musatti,  Paulo Federal, Rhena de Faria,  Vera Abbud,  Gabriela Argento, Álvaro Lages, Danilo Dal Farra, Ernani Sanches.

Cenário: César Gouvêa

Direção de Produção: Ludmilla Picosque

Técnico de som:  Felipe Mesquita

Iluminação:  Aline Barros e Marcel Gilber

Contra regra: Getulio e Fernando Albuquerque

Produção Executiva: Humberto Rodrigues

Ministério da Cultura e Porto Seguro Cia de Seguros Gerais apresentam o Prêmio Brasil Fotografia










Premiação e abertura da exposição,

para convidados, acontece no dia 2 de agosto,

a partir das 20h, no Espaço Cultural.

Exposição abre para o público no dia 3 de agosto.



Letícia Ramos

Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas



Na edição 2012  foram selecionados e premiados oito fotógrafos

que com seus trabalhos formam uma pequena,  mas representativa,

mostra da produção fotográfica contemporânea brasileira. A Comissão de Premiação  foi composta por: Cildo Oliveira, artista visual;

Eder Chiodetto, curador e pesquisador; Fabiana Bruno, fotógrafa;

Geórgia Quintas, professora; Simonetta Persichetti critica e  professora.

Os prêmios variam entre R$ 10.000 e R$ 40.000 reais*.



Premio Aquisição



Miguel Chikaoka

Prêmio Brasil Fotografia Especial

Fábio Messias

Prêmio Brasil Fotografia

Carlos Dadoorian

Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas

Letícia Ramos

Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas

Natalie Laufer Salazar

Prêmio Brasil Fotografia Revelação



Menções

Daisuke Ito

Feco Hamburger

Paulo Pereira



No dia 2 de agosto acontece um evento, para convidados, de entrega dos prêmios e abertura da exposição dos trabalhos,  a partir das 20h, no Espaço Cultural.  Exposição abre para o público no dia 3 de agosto.



O processo é o produto



A arte, hoje, localiza seu caráter e seus atributos nas interações, nos resultados do desenvolvimento do processo criativo e no legado deste processo, e não somente no objeto-produto finalizado.



É possível perceber que ocorre uma profunda união e conexões dependentes entre a arte e outros elementos, como a sociedade, a tecnologia, a educação, a filosofia, o re-uso e a renovação, unidos por uma participação coletiva e colaborativa.



A criação se desenvolve  em um processo concomitante de investigações, caminhando pela definição, produção, formação e documentação.

O artista sai de sua área de conforto para compor sua obra tendo em vista a apropriação dos planejamentos e metodologias concernentes a outros meios não originalmente artísticos.



A hibridação de técnicas e práticas como componente inerente à ação criadora vem se disseminando como umas das fortes características das linguagens contemporâneas.



Antigas nomenclaturas, como pintura, escultura, fotografia já não são suficientes para definir as novas propostas estéticas. Mas estas técnicas continuam sendo utilizadas como meio para transmitir projetos e trabalhos.



Edição 2012



Miguel Chikaoka- Prêmio Brasil Fotografia Especial



Nesta edição, o Prêmio Brasil Fotografia selecionou e premiou oito fotógrafos. Com suas trajetórias individuais, eles apresentam seus ensaios e propostas formando uma pequena, mas representativa, mostra da produção fotográfica contemporânea brasileira.



A Comissão de Premiação, formada por Cildo Oliveira, artista visual; Eder Chiodetto, curador e pesquisador; Fabiana Bruno, fotógrafa;  Geórgia Quintas, professora; Simonetta Persichetti critica e  professora, indicou o fotógrafo e educador de Belém do Pará Miguel Chikaoka para o Prêmio Brasil Fotografia Especial, considerando sua formação e seu trabalho experimental, e de cunho social, junto à comunidade. Além de ser idealizador e agregador do núcleo Fotoativa, o profissional é responsável pela formação de vários fotógrafos paraenses.



Resgatando técnicas arcaicas e reconstruindo de forma manufaturada novas e pessoais plataformas para o desenvolvimento de suas ideias, Letícia Ramos, Prêmio Brasil Fotografia Pesquisas Contemporâneas, situa sua obra no limite entre as artes visuais, o cinema e a arquitetura.



Na investigação da paisagem e de suas formas de representação, ela amplia suas pesquisas sobre inventos, inventores, projetos ópticos, desenhos de observação, mapas imaginários, diários científicos e as tecnologias de registro do movimento. Sua poética está impregnada de questões proeminentes sobre seu estado ontológico, nas quais o tempo, em sua mobilidade, multiplicidade e simultaneidade, é parte da formação da imagem.

Signos e anamnese



Trabalhando através de memórias atávicas, Natalie Laufer Salazar, Prêmio Brasil Fotografia Revelação, busca resgatar a trajetória de sua família por meio do número tatuado no braço de sua avó no campo de concentração.



A marca, transformada em signo ao ser aplicada nos ambientes e mobílias da casa da avó, mantém vivos os horrores do holocausto, ocupando estes referenciais de infância e tatuando os espaços das memórias futuras.



Fábio Messias, Prêmio Brasil Fotografia Ensaios, busca, através de um sobrevoo nos cômodos da casa da avó, sua presença em locais de referência. A narrativa do artista mostra sua dor aparente e a angustiante situação de sua consciência, desconectando-se e se desconstruindo inexoravelmente,



Em sua instalação Parabéns, São Paulo e Oratório, Carlos Dadoorian, Prêmio Brasil Pesquisas Contemporâneas, apropria-se de imagens do noticiário de televisão sobre as agressões à comunidade gay ocorridas na Avenida Paulista, reeditando-as e trazendo um significado de homenagem e indignação em contraponto com as imagens do vídeo Oratório, referenciais às prisões dos homossexuais judeus e ao holocausto armênio.





O corpo e o espaço



Feco Hamburger, Menção, desenvolve seus trabalhos em vários níveis de percepção e intersecção, exigindo permanente atenção visual, mental e física para decodificação dos seus significados. A representação imagética, a luz, o tempo, o movimento percorrem a gênese criativa no sentido de uma descoberta sensorial na exploração da obra



Paulo Pereira, Menção, com seu ensaio Corpo de Passagem, explora o corpo consciente na entrega das experiências do imaterial. Mas em momento algum a questão é mostrada de forma explícita, e sim por meio de indícios estrategicamente construídos no desenvolvimento de sua narrativa.



O espaço mítico dos sonhos de heroísmo e superação está no ensaio Losolmo Gym, de Daisuke Ito, Menção. Ele surge através do olhar sobre a desordem e o caos, e é reconstruído a partir da memória e dos sonhos dos garotos pobres de serem lutadores de boxe em uma academia decadente de Havana.



Cildo Oliveira

Curador Geral do Prêmio Brasil Fotografia



Serviço

Prêmio Brasil Fotografia 2012

Exposição aberta ao público

de 3 de agosto a 30 de setembro de 2012

de terça a domingo, das 10h às 17h

Acessibilidade a portadores de necessidades especiais



Espaço Cultural Porto Seguro

Avenida Rio Branco, 1489 - Campos Elíseos

www.portoseguro.com.br/fotografia



Visitas mediadas à exposição

Agendamento 11.33375880 – agendamento@premiobrasilfotografia.com.br

Zôo é o nome da primeira individual de Alex Hornest na galeria LOGO







Nesta exposição, o artista apresenta uma nova série de pinturas sobre tela e esculturas em bronze, concreto, resina e madeira. As pinturas são dispostas em dípticos/trípticos, conforme moldes iconográficos de animais, organizados de forma casual, sem alusões hierárquicas entre o doméstico e o selvagem.



O que interessa para o artista são as transformações orgânicas, como reações que ocorrem na queima da matéria e suas possibilidades de renovação e reverberação estéticas na obra.



Embaladas com tinta branca, as camadas de desenho e pintura criam nuances e movimentos, e, desta forma, escondem partes óbvias da anatomia corporal de seus Bichos/Objetos, revelando, assim, novas formas e geometrias.



Hornest nasceu em São Paulo, é o mentor e o único integrante de um Projeto denominado 72 d.i.e.s.e.l. ( 72 delinquentes infantis especialistas sobre estilo livre) onde ele interpreta personagens que, sob nomes e suportes diferentes, levam adiante um processo de pesquisa e ações que incluem animação, colagem, filmes documentários, fotografia, e instalações. A lógica é subversiva, e baseada em re-apropriações de seus próprios personagens, sintetizando a persona do artista: Alex Hornest, um especialista sobre estilo livre.



As telas que utiliza para essa série de pinturas foram criadas a partir de um painel gigante, construido especificadamente para uma exposição realizada em Bogotá, Colômbia e transportada para o Brasil e re-trabalhada pelo artista.



Essa sequência de fatores, elaborada de forma intencional, dissimula e oculta processos, personagens e materiais, manifestando o propósito criativo de Hornest de não revelar completamente a identidade de seus 72 outros Projetos.



Por meio da pintura e da escultura, o artista reafirma seu desejo de seguir investigando novos caminhos.

Individual Alex Hornest - Zoo
>abertura: 7 de agosto, das 11h às 19h

> visitação: 8 de agosto a 1º de setembro
terça a sábado, das 11h às 19h



galeria LOGO:
Rua Artur de Azevedo, 401
Jardim Paulista
São Paulo, Brasil
tel 55 11 3062 2381
www.galerialogo.com  

TIQUEQUÊ COMEMORA 10 ANOS DE CARREIRA E LANÇA O DVD INFANTIL TU TOCA O QUÊ?





O grupo de música mistura elementos das danças brasileiras,

das brincadeiras populares, da percussão corporal e do teatro

em trabalho dedicado ao universo infantil. Grupo apresenta pockets shows gratuitos.



O grupo Tiquequê comemora 10 anos de carreira com o lançamento de seu primeiro DVD “Tu Toca o Quê?”, gravado ao vivo durante uma apresentação no Teatro Alfa, em São Paulo.



São apresentados durante o show diversos arranjos musicais, combinando instrumentos tradicionais – violões, cavaquinhos, escaleta e vozes – com percussão corporal, baldes, caixas de CDs e outros objetos, mostrando às crianças que a criação musical pode se alimentar de diferentes fontes sonoras. O grupo traz elementos das danças brasileiras, das brincadeiras populares, da percussão corporal, do teatro e das histórias para fazer com que CAPA LADO72.jpg  “Tu Toca o Quê?” seja mais que um simples show de música. A riqueza visual do espetáculo é reforçada por um cenário interativo e tridimensional de tecidos coloridos sobrepostos que criam diferentes efeitos de luz. Nos buracos, os integrantes podem brincar de se esconder ou se revelar.



Há também momentos em que este mesmo cenário funciona como tela para a projeção de pequenos vídeos de animação, que dialogam com as músicas. Quatro caixas móveis são configuradas de várias maneiras para complementar as cenas, formando uma escada para um gigante, uma casa para um quati , um palco para pés-cantores.



Outro destaque do grupo é a inclusão no repertório de canções que à primeira vista não pertencem ao universo infantil. Canções esquecidas ou desconhecidas, antigas ou recentes são resgatadas pelo grupo, como “Nem Tudo” (Arnaldo Antunes), “Prato Fundo” (Noel Rosa) e Alô Alô, como Vai?” (Jorge Benjor); além de composições inéditas do próprio grupo, como “Quero Começar” (Wem), “ O Gigante” (Angelo Mundy) e “A Rosa e o Cravo” (Diana Tatit).



O grupo já se apresentou em diversas unidades do Sesc, em escolas de São Paulo, CEU, entre outros.



Toda esta energia do show ao vivo foi gravada e o DVD “Tu Toca o Quê?” chega às lojas no dia 10 de agosto  pela gravadora MCD. Para comemorar o lançamento, já estão agendados pockets shows gratuitos:


 


·       19/8 domingo das 16h às17h


na Livraria Saraiva do Morumbi


·       25/8 sábado, das 15 às 16h


na Livraria Cultura shopping Bourbon


·       26/8 domingo, das 16h às 17h,


na Fnac Pinheiros


·       01/9 sábado, das 16h ás 17h


Na Livraria Saraiva do Shopping Center Norte


·       2/9 domingo, das 16h ás 17h


·       Na Livraria da Vila – Fradique Coutinho


 

Ficha Técnica

Direção e Produção: Tiquequê

Produção Executiva: Mara Zeyn

Figurino: Isabela Telles

Cenário: Renato Theobaldo

Caixas Cenário: Marcelo Jabu

Vídeos de animação: Gabriel Almeida

Adereços: Manoella Rotelli e Naya Sá

Duração: 35 minutos

Gravadora MCD

Preço: R$ 28,90

Previsão de chegada às lojas:  10 de Agosto

À venda nas melhores lojas e livrarias do país



www.tiqueque.com






Sobre o Grupo



O Tiquequê surgiu do encontro entre três primas que vinham de uma família cheia de artistas e um jovem músico.

Todos, desde pequenos, gostavam de cantar e de fazer teatro, e ao se dar conta de que o universo infantil era seu maior interesse em comum resolveram criar um grupo para trabalhar em festas. Pronto: o trabalho seria juntar um pouco de tudo que faz parte desse universo — música, dança, teatro, brincadeiras, histórias — e transformar certos elementos simples (como pequenos instrumentos inusitados, sons do corpo e de objetos do cotidiano, gestos, trechos de passos de dança...), em um espetáculo que pudesse comunicar muito com muito pouco.



A simplicidade, a perspectiva e a reação das crianças foram as principais organizadoras e diretoras das criações do grupo. E foi o que eles fizeram por 6 anos. Não só em festas, mas em eventos de escolas, teatros e espaços de convivência de SESCs. Então, uma das meninas foi morar fora do país por um tempo... E, justamente nesse momento, eles encontraram outro músico, que também gostava de crianças e de teatro! Perfeito! Seria um novo quarteto!

Passaram-se mais quatro anos, e eles criaram novos espetáculos, dessa vez com uma produção maior — novos cenários, novos figurinos, novas possibilidades. “Tu Toca o Quê?” e “Canta Outra” fi zeram temporadas de grande sucesso em São Paulo. E o Toc Patoc, aquele primeiro espetáculo do grupo, continuava a ser solicitado.



Hoje o grupo já conta com um CD, uma pequena linha de produtos artesanais — chapéus, camisetas, cadernos — relacionados a momentos e personagens de seus espetáculos.

Além do lançamento do DVD “Tu Toca o Quê?” um novo CD, totalmente autoral, já está em fase de pré-produção.

Inscrições abertas para o Conselho Municipal da Cultura



A Fundação Cultural de Curitiba publicou os editais com os procedimentos destinados à eleição de membros da sociedade civil e da comunidade artística para a formação do Conselho Municipal da Cultura de Curitiba. As inscrições de candidatos interessados em participar do processo estarão abertas até 8 de agosto de 2012. Os eleitores também precisam se cadastrar para que possam participar da eleição marcada para o dia 13 de agosto.

O Conselho Municipal da Cultura, órgão que institucionaliza a relação entre a administração municipal e os setores da sociedade ligados à cultura, participando da elaboração e da fiscalização das políticas culturais, é constituído por 25 membros titulares e 25 membros suplentes. Nove vagas titulares e nove suplentes são reservadas para os representantes da sociedade civil organizada. Aos representantes da comunidade artística e cultural são destinadas sete vagas titulares e sete suplentes. Os demais membros são representantes do Poder Executivo Municipal e da Câmara Municipal de Curitiba. O mandato é de dois anos.

Na eleição de membros da sociedade civil, podem se candidatar cidadãos que comprovem ligação com uma atividade cultural, como participantes, organizadores ou incentivadores da cultura. A inscrição desses candidatos deve ser feita nos núcleos da Fundação Cultural de Curitiba, junto às nove regionais do município. Aqueles que quiserem participar apenas na condição de eleitores devem fazer o seu cadastramento, no dia da eleição, na regional onde reside. O cadastramento, tanto dos candidatos como dos eleitores, só pode ser realizado nas regionais onde se localizam suas respectivas residências ou domicílios.

O cadastramentos das entidades eleitoras (pessoas jurídicas) e candidatos (pessoa física), representantes da comunidade artística e cultural, deve ser feito no protocolo da Fundação Cultural de Curitiba – Rua Engenheiros Rebouças, 1.732 – Rebouças.

Os candidatos, mesmo os que representam a sua comunidade, devem comprovar a atuação em atividades culturais, em pelo menos uma das seguintes áreas: música, artes cênicas, audiovisual, literatura, artes visuais, patrimônio histórico, artístico e cultural; folclore, artesanato, cultura popular e demais manifestações culturais tradicionais. As organizações culturais precisam comprovar que desenvolvem atividades culturais há pelo menos um ano.

Todos os procedimentos para escolha e indicação dos membros pela comunidade artística organizada e sociedade civil estão previstos nos editais 095/12 e 096/12 respectivamente, da Fundação Cultural, disponível para consulta no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br, no link Editais e Portarias.



Serviço:                    

Inscrições para eleitores e candidatos a membro do Conselho Municipal da Cultura de Curitiba

Data: de 25 de julho a 8 de agosto de 2012.

Os editais 095/12 e 096/12, com informações sobre todos os procedimentos referentes à eleição de membros do Conselho, estão disponíveis no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br, no link Editais e Portarias.

Julho termina com diversas opções de peças infantis




A garotada já está voltando às aulas, mas o final do mês de julho promete muita arte e diversão, com uma programação teatral dedicada ao público infantil. No Teatro de Bonecos Dr. Botica (Shopping Estação), as sessões são às 15h e às 17h, de quinta-feira a domingo (26 a 29), com uma montagem diferente a cada dia. No sábado e domingo (28 e 29), às 16h, a atração do Auditório Antônio Carlos Kraide (Portão Cultural) é a peça “Música, Maestro”, enquanto o Teatro do Piá (Praça Garibaldi) apresenta “Um Mundo para Todo Mundo”, às 11h de domingo (29).

A agenda do Teatro Dr. Botica começa com “Tito e seu cãozinho”, de Bernardo Sicuro Kobachuk, na quinta-feira (26).  A obra enfoca as divertidas e poéticas aventuras do menino Tito e seu cãozinho Golias, na tentativa de preparar uma surpresa para a mãe do garoto. Com trilha sonora executada ao vivo, a peça utiliza bonecos nas técnicas de luva, vara e manipulação direta.

Na sexta-feira (27), Claudio Miiller leva ao Dr. Botica a montagem “O Coelho e a Tartaruga”, uma adaptação criativa da fábula de Esopo e La Fontaine, “A Lebre e a Tartaruga”, que mostra o confronto entre inteligência e excesso de confiança. No sábado (28), o Dr. Botica coloca em cartaz “A Casa dos Contadores de Histórias”, a cargo da Cia. dos Ventos. O trabalho, envolvendo atores, bonecos e objetos, mostra ao público as histórias que uma casa guarda sobre quem lá viveu.

Para o domingo (29), a atração do Dr. Botica é o mais novo espetáculo da Cia. Teatro Filhos da Lua, “Canto em Canto – O lampião e a menina”. No palco, dois atores revelam a difícil missão de fazer dormir uma menina cheia de medos. Nessa luta eles contam com a preciosa ajuda de um velho lampião que, por ter passado a vida toda ouvindo histórias sob sua luz, tornou-se um exímio contador e cantador de histórias.



Bonecos musicais no Kraide – O Auditório Antonio Carlos Kraide (Portão Cultural) oferece às crianças, no sábado e no domingo (28 e 29), às 16h, um universo musical de abrangência brasileira e internacional, com o premiado espetáculo “Música, Maestro”, da Cia. Manoel Kobachuk. Mesclando o contemporâneo e o tradicional, o show desfila diferentes manifestações musicais para encantar a plateia.

No roteiro estão danças gaúchas, apresentadas com ingredientes bem atuais. O fandango litorâneo ganha forma com visual e musicalidade populares, enquanto o jazz contemporâneo se mostra numa roupagem musical e interpretativa de muita modernidade. O jazz tradicional de New Orleans e o mágico violoncelo do Rostropovich estão presentes, em companhia de uma infinidade de ritmos.

A montagem utiliza bonecos de diferentes técnicas, com dimensões variadas, que contracenam com atores e criam imagens inesperadas, possibilitando a reprodução cênica de folguedos, danças e sapateados. A peça tem o apoio de som instrumental e vocal, numa solução que propicia a interação com o público.



Mágica integração – No domingo (29), às 11h, o Teatro do Piá apresenta “Um Mundo para Todo Mundo”, escrito e dirigido por Leandro Borgonha, que aposta no discurso poético para tratar das necessidades especiais. A montagem, que conta com uma intérprete de Libras (linguagem brasileira de sinais, destinada a portadores de distúrbios da audição), utiliza a memória e a imaginação como ponto de partida para a integração.

A peça retrata a história de Peter, um garoto que habita um planeta gelado. Solitário, o menino constrói um boneco de neve que ganha vida. Do boneco, Peter recebe um presente muito especial: uma luneta mágica que permite ver o coração. A partir de então, ele começa a viajar por diversos mundos, aprendendo mais sobre cada um deles e transformando seu modo de enxergar cada tipo de deficiência.



Serviço:

Peças infantis de 26 a 29 de julho de 2012:

Local: Teatro de Bonecos Dr. Botica (Shopping Estação – Av. Sete de Setembro, 2.775).

Datas: dia 26 (quinta-feira) – “Tito e seu cãozinho”, de Bernardo Sicuro Kobachuk; dia 27 (sexta-feira) – “O Coelho e a Tartaruga”, de Claudio Miiller; dia 28 (sábado) – “A Casa dos Contadores de Histórias”, da Cia. dos Ventos; dia 29 (domingo) – “Canto em Canto – O lampião e a menina”, da Cia. Teatro Filhos da Lua.

Horário: sessões às 15h e às 17h.

Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (estudantes, idosos e crianças de até 12 anos).



Espetáculo “Música, Maestro”, da Cia. Manoel Kobachuk.

Local: Auditório Antônio Carlos Kraide (Portão Cultural – Av. República Argentina, 3.430 – Portão).

Datas e horário: dias 28 e 29 (sábado e domingo), às 16h.

Entrada franca.



Espetáculo “Um Mundo para Todo Mundo”, escrito e dirigido por Leandro Borgonha.

Local: Teatro do Piá (Praça Garibaldi, 7 – Setor Histórico)

Data e horário: dia 29 (domingo), às 11h.


Entrada franca

Doze grupos foram selecionados para mostra de bandas pop rock

O Instituto de Arte e Cultura de Curitiba – ICAC divulgou a relação dos 12 selecionados para a Mostra de Bandas de Pop Rock. As bandas contempladas foram: Banda Clara Crocodillo (Regional Santa Felicidade), Banda Green Fay (Regional Portão), Banda Lenda Zero (Regional Portão), Banda Test Drive Rock (Regional Boqueirão), Beti Malu (Regional Matriz), B. Sociedade Voodoo (Regional Boqueirão), Gambiaha!!! (CIC), Javali Banguela (Bairro Novo), Jumping Jacks (Boa Vista), Lissona (Cajuru), Made in Santa (Santa Felicidade) e Plexo Solar 2 (Matriz).
As 12 bandas selecionadas terão como prêmio a gravação de um CD, sendo uma faixa para cada banda. Receberão, ainda, 80 cópias do CD gravado para divulgação de seu trabalho, sem qualquer outro tipo de remuneração. Completa a premiação uma apresentação gratuita, no Auditório Antonio Carlos Kraide do Portão Cultural, em data e horário a serem definidos. O objetivo da mostra é revelar novos talentos musicais e divulgar a produção das bandas curitibanas, selecionando pelo menos uma de cada regional da cidade.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Catturandi De Provenzano aos Lo Piccolo: Como Capturar um Perigoso Foragido


Catturandi

Subtítulo: De Provenzano aos Lo Piccolo: Como Capturar um Perigoso Foragido

de I. M. D.


Especificações: Brochura | 176 páginas

Dimensões: 230mm x 160mm



De uns tempos para cá, a máfia italiana se tornou um tema recorrente entre livros. O que ainda ninguém tinha visto era uma obra que explicasse como age a mais famosa polícia de caça a mafiosos. O que torna 'Catturandi' mais impressionante é a narrativa de , realizada anonimamente por um dos mais experientes policiais do esquadrão.

A principal ideia do livro é mostrar o processo que abrange desde o início da busca até a condenação do criminoso. I.M.D., sigla que representa o autor, descreve desde o vocabulário utilizado pela polícia, como "captor", "favorecedor" e "foragido", até as técnicas de escuta, perseguição e interceptações, passando pelos tipos de comunicação dos bandidos e pela importância das mulheres no processo.

Diferentemente do que muitas pessoas podem pensar, a caça a determinados chefões pode demorar tanto dias quanto anos. I.M.D., conhecido como o "Sargento dos Telefones" por trabalhar com escuta e interceptações, trabalhou anos em um mesmo caso por mais de uma vez.

'Catturandi' explica como leis e experiências pessoais, regras e instinto, competência profissional, capacidade de improvisação e, principalmente, paciência fazem de um policial um "especialista" da Divisão Catturandi.





um lançamento


Magia Roubada Título Original: Stolen Magic de Mary Jo Putney


Magia Roubada

Título Original:     Stolen Magic

de Mary Jo Putney


Tradutor:     Renato Motta

Páginas:     490
Formato:     16 x 23 cm





Presença constante nas listas de mais vendidos do New York Times, Wall Street Journal e Publishers Weekly, e vencedora de prêmios literários importantes, Mary Jo Putney apresenta seu segundo livro no Brasil: Magia Roubada. Uma trama em que a magia e a ciência se encontram e onde o amor e as obrigações se enfrentam.

O universo mágico está de volta com todo o romance e a aventura que encantaram os leitores em Um Beijo do Destino. O universo mágico, situado na exuberante paisagem londrina do século XVIII, agora é retomado pela incrível história de Simon Malmain, o duque de Falconer.

Magia Roubada possui personagens bem-desenvolvidos e uma trama que deixa o leitor a todo momento tenso com uma possível reviravolta. Putney alia amor, erotismo e ficção científica na medida certa, criando um livro que agradará tanto os fãs românticos quanto os fanáticos por fantasia.

Quando lançado em 2005, o livro foi considerado um dos dez melhores romances do ano pela Booklist, além de concorrer ao Romantic Times Award.

A AUTORA
Presente nas listas de mais vendidos do New York Times, Wall Street Journal e Publishers Weekly, Mary Jo Putney formou-se em Literatura do século XVIII e em Desenho Industrial na Universidade de Syracuse. Nove vezes finalista e duas vezes vencedora do prestigiado prêmio RITA (Romance Writers of America), além de quatro prêmios Golden Leaf consecutivos na categoria Melhor Romance Histórico e do Romantic Times pelo conjunto da obra na categoria Romance Histórico, seus livros também têm recebido prêmios frequentes de sites de leitores na internet. Putney, que já escreveu mais de 20 romances, vive perto de Baltimore, nos Estados Unidos.



um lançamento