sábado, 19 de janeiro de 2013

Secretaria de Cultura reabre Chácara Lane como Gabinete do Desenho

A primeira exposição *“Da Seção de Arte ao Prêmio Aquisição: a gênese do
Gabinete do Desenho”*, de longa duração e que acontecerá no térreo, exporá
obras realizadas sobre papel pertencentes ao acervo da Coleção de Arte da
Cidade. Além de discutir os vários aspectos do desenho e das obras
expostas, também pretende ressaltar o ineditismo da formação do primeiro
acervo público de arte moderna no Brasil, realizado por Sergio Milliet no
âmbito municipal, e o seu percurso até a contemporaneidade. Participam da
coletiva os artistas: *Almandrade*, Anatol Wladyslaw, Anna Bella Geiger
,Antônio Bandeira, Antônio Manuel, Carlos Scliar, Carmela Gross, Darel
Valença, Emiliano Di Cavalcanti, *Fernand Léger*, *Joan Miró*,
*Lasar Segall*, Marcelo Grassmann, Maria Bonomi, Nelson Leirner, *Oswaldo
Goeldi*, Pedro Américo, Pierre-Auguste Renoir, Regina Silveira, Renina
Katz, Rosana Paulino, Rugendas, Tarsila do Amaral.



*Serviço: *Mostras coletivas Da Seção de Arte ao Prêmio Aquisição: a gênese
do Gabinete do Desenho (de 2 de dezembro a 21 de abril de 2013) e desenho
esquema esboço bosquejo projeto debuxo ou o desenho como forma de
pensamento (de 2 de dezembro a 24 de novembro de 2013).



*Local:* Gabinete do Desenho
Endereço: Rua da Consolação, 1.024
Telefone: (11) 3129 3574
Horários de visitação: de terça a domingo, das 9 às 18 horas
Entrada gratuita e livre para todos os públicos

Shadowside é destaque na CNN do heavy metal


A banda brasileira Shadowside recentemente foi extremamente elogiada em review sobre o aclamado novo álbum “Inner Monster Out”, pelo portal Blabbermouth, considerado a CNN do heavy metal. Além disso, Dani Nolden foi eleita, pelo segundo ano consecutivo, a melhor vocalista feminina de rock em 2012, em votação popular no Whiplash!, maior portal especializado do Brasil.



 


Dani Nolden novamente foi eleita a melhor vocalista de rock/metal pelo portal Whiplash!



Após anunciar longa turnê ao lado de Helloween e Gamma Ray pela Europa, a banda brasileira Shadowside voltou a ganhar destaque na imprensa internacional. Reconhecido como um dos principais expoentes da nova safra do Heavy Metal, o grupo segue colecionando criticas positivas sobre o álbum "Inner Monster Out".



Desta vez, o portal Blabbermouth, considerado a CNN do heavy metal, teceu diversos elogios ao disco que figurou em diversas listas dos melhores lançamentos dos últimos anos. "A Shadowside está à altura de seu potencial e possivelmente será uma das melhores bandas de 2013". O review completo (em inglês) está disponível em http://www.blabbermouth.net/showreview.aspx?reviewID=2472.



Além disso, a frontwoman Dani Nolden foi eleita, pelo segundo ano consecutivo, a melhor vocalista feminina de rock/metal em 2012, em votação popular do Whiplash!, maior portal especializado do Brasil. A lista completa, com todas as categorias, está disponível em http://whiplash.net/materias/melhores/171431-ironmaiden.html.



Neste momento, Dani Nolden (vocal), Raphael Mattos (guitarra), Fabio Carito (baixo) e Fabio Buitvidas (bateria) estão se preparando para a “Hellish Rock Tour Part II". A excursão tem 37 datas confirmadas em 19 países. Esta será a mais longa turnê internacional da carreira da banda. Eles se apresentarão nas principais casas de espetáculos do Velho Continente como o Olympia, em Paris.

Para refletir sobre a música






Já do meio para o final da maratona de cursos e concertos, e depois de “muito ouvir e fazer música”, os participantes e o público da 31ª Oficina de Música de Curitiba podem se envolver com o universo sonoro de uma forma diferente. A programação do evento inicia, hoje, um ciclo de palestras produzido pelo Sesc Paço da Liberdade, com entrada gratuita.




O primeiro encontro começa, logo mais, às 17h30, com o professor da Universidade Federal do Paraná, Guilherme Rommanelli sobre “Luthieria, Rabeca e Folclore”. A ideia é explorar as relações dos processos de construção do instrumento com o folclore brasileiro, principalmente do litoral paranaense. “A proposta do Sesc foi trazer uma reflexão teórica sobre a arte da música, com a apresentação de trabalhos acadêmicos, pesquisas, projetos de inclusão social e debates. A programação de palestras surgiu para somar conhecimentos dentro da Oficina”, explicou o técnico de atividades musicais do Sesc Paço da Liberdade.




Amanhã (19), haverá uma palestra-aula, com cerca de três horas de duração, com o tema “Música para Sociabilização”. O pianista e professor Ricardo Castro vai apresentar os resultados alcançados com o projeto social Neojibá (Núcleos Estaduais de Orquestra Juvenis e Infantis da Bahia) que levou educação musical erudita de qualidade para jovens de Salvador, na Bahia. O Neojibá já realizou, inclusive, uma turnê na Europa com os participantes do projeto.




“Notas Históricas e Músicas no Choro” é a palestra musical que será ministrada pela pesquisadora Ana Paula Peters, na próxima segunda-feira (21). O diferencial deste encontro é que a história do desenvolvimento do Choro no Brasil, desde seu surgimento até os dias de hoje, será ilustrada pela palestrante – que também é flautista – com exemplos musicais que ela mesma tocará na flauta transversal.




Debate – O músico e compositor Marcelo Jeneci é um dos participantes do debate sobre “A Volta do Vinil X Novas Mídias”, no dia 22, que vai expor e questionar o disco de vinil em oposição à novos formatos e tecnologias. Ainda participam da palestra-debate Rafael Ramos (Polysom) e Marco Antônio Cunha (Vinil Club).




Já no dia 24, Gabriel Schwartz aborda o processo de composição da trilha da peça teatral Oxigênio, as possibilidades e problemas composicionais do processo durante a palestra “Processo Composicional da Trilha da Peça Oxigênio”.





Por fim, encerra o ciclo de palestras no Sesc Paço da Liberdade o encontro ministrado pelo músico, pesquisador e produtor cultural Betão Aguiar para apresentar a pesquisa realizada nas regiões do vale do Paraíba (São Paulo) e Cariri (Ceará), para mapear as manifestações culturais de música e dança com foco na função social do mestre popular.




O Sesc Paço da Liberdade vai disponibilizar 60 ingressos para cada palestra, que podem ser adquiridos no SAC da instituição, duas horas antes do início de cada evento. É necessário apresentar o Cartão do Cliente Sesc Paraná ou crachá da 31.ª Oficina de Música de Curitiba para participar.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.




Serviço:


Local: Sesc Paço Liberdade (Praça Generoso Marques, 180, Centro)










PALESTRA “NOTAS HISTÓRICAS E MÚSICAS NO CHORO”, com Ana Paula Peters – dia 21/01 às 18h30




PALESTRA “A VOLTA DO VINIL X NOVAS MÍDIAS”, com Marcelo Jeneci, Rafael ramos (Polysom) e Marco Antônio Cunha (Vinil Club) – dia 22/01, às 18h




PALESTRA “PROCESSO COMPOSICIONAL DA TRILHA DA PEÇA OXIGÊNIO”, com Gabriel Schwartz – dia 24/01, às 14h




PALESTRA “OS MESTRES NAVEGANTES”, com Betão Aguiar – dia 26/01, às 10h

Marcos Cordiolli participa de reunião no MinC sobre ações culturais na Copa de 2014



O presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, participou na última quinta-feira (17), em Brasília, da reunião convocada pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, com secretários estaduais e municipais de Cultura e com coordenadores dos Grupos de Trabalho das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014. O encontro serviu para apresentar aos secretários o plano estratégico de atuação do MinC na Copa das Confederações em 2013 e na Copa do Mundo de 2014, visando a formulação das agendas culturais das cidades durante a Copa.

Em colaboração com as estruturas estaduais e municipais, o MinC tem o objetivo de realizar o maior festival da cultura brasileira, mostrando para os visitantes e para os outros países as diversas faces culturais do Brasil. Além de Marcos Cordiolli, representando Curitiba, participou da reunião o secretário especial para Assuntos da Copa do Mundo 2014, do governo do Paraná, Mário Celso Cunha.

“Vamos formular um plano de ação no município e constituir um comitê para pensar a intervenção cultural na Copa”, disse Cordiolli. De acordo com o presidente da FCC, será feito um planejamento para a ocupação cultural da cidade, direcionando boa parte das políticas de fomento e apoio para a promoção de eventos, inclusive aproveitando o potencial das tradições étnicas de Curitiba.

Uma das preocupações, segundo ele, será a de modernizar os museus para que recebam mais público. “Vamos apresentar ao Ministério da Cultura um plano de modernização dos nossos museus, prevendo acessibilidade, digitalização de acervos, acolhimento dos visitantes. Será um plano para fortalecer esses equipamentos culturais”, disse.

A programação cultural, conforme a proposta do MinC, será dividida em quatro eixos: Brasil Audiovisual, Brasil Criativo, Brasil Diverso e Brasil das Artes. O MinC deverá lançar editais de conteúdo para montar a programação cultural nas cidades. Os eventos vão aproveitar os espaços públicos, como parques e praças, os equipamentos culturais já existentes, e também vão acontecer nas Fifa Fan Fest, que são áreas oficiais de transmissão de jogos que ficarão próximas aos principais pontos turísticos. Além disso, há projetos para a circulação da produção cultural pelas cinco regiões do país.

Texas Hippie Coalition anuncia show em São Paulo





















A banda norte-americana Texas Hippie Coalition agendou turnê pelo Brasil. A excursão ocorre de 16 a 21 de abril e deve passar pelas cidades de Goiania (19/04 – Bolshoi Pub), São Paulo (20/04 – Manifesto Bar), Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Recife e Buenos Aires (ARG). O grupo está em plena turnê promocional do elogiado disco "Peacemaker".

Banda fez um dos melhores shows da Virada Cultural SP em 2012
Os reis do “red-dirt metal” Texas Hippie Coalition estão de volta ao Brasil! As produtoras CP Management, Metal Music e Manifesto Bar orgulhosamente anunciam a turnê de um dos grupos que mais crescem no cenário norte-americano. A excursão ocorre de 16 a 21 de abril e deve passar pelas cidades de Goiania (19/04 – Bolshoi Pub), São Paulo (20/04 – Manifesto Bar), Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Recife e Buenos Aires (ARG). Os ingressos na capital paulistana já estão à venda. Mais informações no serviço abaixo.
Neste momento, Big Dad Ritch (vocal), Wes Wallace (guitarra), John Exall (baixo) e Timmy Braun (bateria) estão em turnê promovendo o álbum "Peacemaker". Este trabalho foi gravado em Los Angeles e captaneado pelo aclamado produtor Bob Marlette (BLACK SABBATH, ALICE COOPER, ANVIL). O resultado deste disco são 11 canções altamente carregadas com o melhor do Southern-fried classic rock.
"Do topo da minha cabeça à ponta da minha língua, no fundo do meu coração e dos meus pulmões, é de onde as nossas músicas nascem. O espírito bandido continua vivo e o Brasil novamente verá o nosso poder sonoro!”, disse o vocalista Big Dad Ritch.
Formada em 2004, o Texas Hippie Coalition foi uma das atrações da Virada Cultural de São Paulo 2012. Recentemente, eles fizeram algumas apresentações ao lado do Lynyrd Skynyrd pelos EUA. A influencia deles é basicamente Willie Nelson, Waylon Jennings, ZZ Top, Lynyrd Skynyrd, Molly Hatchet, Black Label Society e Pantera.
Confira o videoclipe da música "Turn It Up" em http://www.youtube.com/watch?v=_N0cQJ2BPS0.
Assista a excelente perfomance do Texas Hippie Coalition na Virada Cultural em http://www.youtube.com/watch?v=HUIHKEUDTCk.

Fase erudita encerra com concerto de coro e orquestra dos alunos da 31ª Oficina


Wagner, Tchaikovsky e Heitor Villa-Lobos são os compositores escolhidos para o concerto de encerramento que a Orquestra Sinfônica e o Coro da 31ª Oficina de Música de Curitiba fazem no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, no Guairão, neste sábado (19), às 20h30. Os músicos e regentes da noite participaram da Oficina nas aulas do maestro Osvaldo Ferreira e da maestrina Mara Campos.

Gustavo Koberstein, natural de Brasília, rege “O Idílio de Siegfried”, de Wagner, originalmente chamado de Idílio de Tribschen. É um dos poucos trabalhos sinfônicos de Richard Wagner. Trata-se de uma composição de câmara, concluída em 4 de dezembro de 1870 em Villa Triebschen, para comemorar o nascimento de seu filho Siegfried Wagner (1869) e seu casamento com Cosima Liszt.
Koberstein graduou-se Bacharel em Fagote no ano de 1996 na Universidade de Brasília, onde estudou com Hary Schweizer. Tem também formação de compositor e regente. Presença marcante em festivais e cursos de férias primeiramente como aluno, mais recentemente também como professor, teve contato com personalidades importantes da área de fagote, composição e regência. Atuou em várias atividades de música de câmara e foi professor da Escola de Música de Brasília e professor-substituto da Universidade de Goiás. Foi maestro assistente do Coro Sinfônico comunitário da UnB e da Orquestra Jovem de Brasília. Foi primeiro fagotista da Orquestra da UnB, da Filarmônica de Goiás, da Sinfônica do Paraná e da Orquestra de Câmara Brasileira em Curitiba. Atualmente é fagotista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro.

Na mesma noite, Sammy Fuks rege o Concerto para violino em Ré Maior Op. 35, de Tchaikovsky. Oconcerto foi composto em Clarens, na Suíça, para onde o compositor se retirou após o fracasso de seu casamento com Antonina Milukova. A plateia do Guairão ouvirá, como solista, nesta obra, o violinista, aluno da Oficina, Alexander Trostiansky.

O regente Sammy Fuks tem atuado no Brasil e exterior como solista e camerista. Foi vencedor do Segundo Concurso Nacional Jovens Flautistas da Associação Brasileira de Flautistas, Concurso Werill para Instrumentistas de Sopro e Concurso para Solista da Orquestra Sinfônica da Universidade de Houston - EUA. Obteve o segundo lugar no Concurso Nacional Myrna Brown da Associação Americana de Flautistas. Graduou-se na Escola de Música da UFRJ e especializou-se na Escola Superior de Música de Colônia e Frankfurt. Na Alemanha, foi membro do Grupo de Música Contemporânea da Escola Superior de Colônia e da Orquestra Sinfônica da Rádio de Frankfurt, com a qual se apresentou na Europa e Japão, além de ter participado em diversas gravações em CD. Foi solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra da Arquidiocese do Rio de Janeiro e Orquestra Sinfônica da Universidade de Houston. Apresentou-se ao lado do violoncelista Alceu Reis e do violonista Paulo Porto Alegre na Copa da Cultura, em Berlim, apresentando obras de Villa-Lobos e outros compositores brasileiros. Concluiu o curso de mestrado na Universidade de Houston obtendo, em seguida, a posição de primeira flauta da San Antonio Symphony (EUA). Atualmente, é flautista da Orquestra Petrobras Sinfônica e membro de sua diretoria artística.

A professora de regência e prática coral, Mara Campos, regerá “Magnificat-Aleluia”, de Heitor Villa Lobos, que terá como solista Ariadne Oliveira. Mara Campos atua como regente coral desde 1978. Formou e dirigiu inúmeros conjuntos como: CORALUSP, Coral da Aliança Francesa, Coral da Escola de Belas Artes do Paraná, Coral do Portal, Grupo Som-A-Pino, Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e os Corais Infantil e Juvenil da Escola Municipal de Música. Foi regente convidada dos coros ingleses BBC Singers, New Collegee The Sixteen, do conjunto Vox Brasiliensis, da instalação coral Concerto Concreto da Bienal “A Trama do Gosto” e da gravação do CD Villa-Lobos em Paris. Integrou o Projeto Villa-Lobos de Canto Coral - INM/FUNARTE. Fez criação e direção musical dos espetáculos ZAP - O Resumo da Ópera e Coro dos Contrários - 22. Criou e coordenou os festivais de coros da Aliança Francesa, Igreja São Francisco, Grupo Pão de Açúcar e Theatro Municipal de São Paulo - Encontro de Coros Camargo Guarnieri. Mara Campos ministrou cursos de Regência e Canto Coral em 20 edições da Oficina de Música de Curitiba.

O texto deste cântico vem diretamente da Bíblia, extraído do Evangelho segundo São Lucas. É recitado pela Virgem Maria. Na narrativa, Maria (grávida de Jesus Cristo) encontra Isabel (que está grávida de João Batista). Ao ouvir a saudação de Maria, Isabel sente a criança mexer dentro do seu útero. Imediatamente ela reconhece a manifestação divina neste encontro e louva a Maria por sua presença. Como resposta, Maria entoa o Magnificat. A peça, escrita em 1958, foi concebida como um único movimento. O esquema básico da peça consiste na alternância entre um solista contralto e o coro, sobre o texto em latim do Cântico de Maria. É composto por 13 divisões formais que são demarcadas por mudanças relevantes do texto, harmonia, orquestração, ritmo e texturas.
A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Serviço:
31ª Oficina de Música de Curitiba
Com a Orquestra Sinfônica e Coro da Oficina
Data: 19 de janeiro, às 20h30
Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, no Guairão
Ingresso: R$30 e R$15

Tom Jobim - historias de canções de Wagner Homem, Luiz Roberto Oliveira



TOM JOBIM  E VINICIUS DE MORAES


Parceiros e apaixonados pela cidade do Rio de Janeiro o maestro e o poetinha são a cara de um Rio mais recente. Um Rio que deixa de ser capital  federal e passa a ser orgulho do Brasil , nossa maior divisa turística, beleza esta ainda sobrevivente a tantos desmandos e  a essa guerra anunciada. A biografia dos dois se confunde e passa a construir uma nova memória musical da cidade.
 
Nasce, em meio a forte temporal, na madrugada de 19 de outubro de 1913 , no antigo nº 114 da rua Lopes Quintas, na Gávea,Rio de Janeiro. Em 1928 compõe, com os irmãos Tapajoz, "Loura ou morena" e "Canção da noite", músicas de muito sucesso. O poeta produz muitas obras e em 1954 sai a sua primeira edição de sua Antologia Poética. É 1956, e a partir desse ano começam os "caminhos cruzados". Convida Antônio Carlos Jobim para fazer a música do espetáculo, iniciando com ele a parceria que, logo depois, com a inclusão do cantor e violonista João Gilberto, daria início ao movimento de renovação da música popular brasileira que se convencionou chamar de bossa nova.
 
Anos  mais tarde, em 1962, na mesma época que começa a compor com Baden Powell . Em agosto, faz seu primeiro show, de grande sucesso, com Antônio Carlos Jobim e João Gilberto, na boate AuBom Gourmet, que daria início aos chamados pocket-shows, e onde foram lançados pela primeira vez grandes sucessos internacionais como "Garota de Ipanema" e o "Samba da bênção"Faz ainda um Show com Carlos Lyra,na mesma boate, o Pobre menina rica onde é lançada a cantora Nara Leão.No mesmo ano compõe com Ari Barroso as últimas canções do grande compositor popular, entre as quais "Rancho das namoradas".
 
Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim nasceu às onze e quinze da noite de uma terça-feira, 25 de janeiro, de 1927,. Dizem que chovia muito nesse de seu nascimento na casados pais rua Conde de Bonfim, no bairro carioca da Tijuca. No Villariño onde se formara a dupla Tom & Vinícius, em 1958, outro encontro histórico acontece, envolvendo a dupla e Elizeth Cardoso. Daquela vez o padrinho foi Irineu Garcia, idealizador do selo Festa. Tom Jobim erasem duvida, o melhor de todos os novos compositores brasileiros.
 
É dessa época a sua “Sinfonia  do Rio de Janeiro” uma composição sua com Billy Blanco. A composição buscava desenvolver a idéia musical da montanha, o sol e o mar. O disco foi lançado em 20 de janeiro de 1960. Braguinha (João de Barro), então na gravadora Continental escreveria “Rio de Janeiro...a montanha, o sol, o mar....principalmente o mar, este mar boêmio que canta para embalar as praias claras. E este sol  que passeia no azul e ardentemente beija a mais bela mulher do pais! E a montanha do Cristo Redentor de braços abertos para a cidade e para quem vem de longe...Este disco  maravilhoso...vai encontrar um Rio  um pouco mais agitado,um pouco menos boêmio, mas que, felizmente, conserva ainda, a montanha, o sol, o mar...”
 
Como a primeira sinfonia, dedicada ao Rio de Janeiro, também foi encomendada outra — no caso, pelo pianista Bené Nunes, a pedido do presidente Juscelino Kubitschek, que sonhava com um poema sinfônico em homenagem a Brasília, a nova capital do país, inaugurada em 21 de abril de 1961. Acompanhado de Vinícius, que se incumbiria de escrever o recitativo da sinfonia, Tom viajou até o Planalto Central. Consta que da viagem voltou com os cinco movimentos de “Brasília, Sinfonia da Alvorada” na cabeça. Talvez os dois hoje não compusessem outra com tal empenho. 

 

Não deixe de ler esse livro -


Tom Jobim - historias de canções

de Wagner Homem, Luiz Roberto Oliveira


    
Páginas: 320


 A história da música brasileira e da Bossa Nova passa pelo piano e o talento de Tom Jobim. Canções como Garota de Ipanema, Chega de Saudade, Retrato em Branco e Preto, Águas de Março e tantas outras, foram compostas por ele em parceria com célebres nomes, dentre os quais Newton Mendonça, Chico Buarque e Vinicius de Moraes ? poeta, amigo e ?irmão de copo?. Neste quarto volume da coleção Histórias de Canções, a trajetória de Tom Jobim é apresentada por meio de curiosidades sobre as músicas que o tornaram famoso e admirado em todo o mundo.


LANÇAMENTO DA










 

 

Dívida de sangue de Michael Connelly



Dívida de sangue 


de Michael Connelly


O LIVRO
Agente do FBI aposentado, Terry McCaleb recupera-se de um transplante cardíaco. Agora, quer apenas viver em paz, longe das aventuras do passado. Até que um dia uma mulher muda o rumo de sua vida. Graciela Rivers adentra o barco em que McCaleb mora para suplicar-lhe que a ajude a descobrir o assassino de Gloria, sua irmã -- uma missão que ele recusa com veemência. Mas Graciela o convence com um argumento definitivo: Gloria doara o coração que agora bate no peito de McCaleb. O ex-detetive sente que tem uma dívida com a jovem morta e lança-se com empenho à investigação, enquanto se envolve com a sensual Graciela. Aquilo que à primeira vista parecia uma caso de violência comum (Gloria fora morta durante um assalto) acaba por revelar-se parte de uma trama arrepiante, mais violenta que os piores pesadelos de McCaleb. Ao mesmo tempo em que vacila em retomar sentimentos românticos que há muito não experimentava, ele começa a fazer suposições perigosas. Talvez as clínicas de transplantes guardem alguns segredos. Talvez a operação que o salvou tenha condenado outra pessoa. Talvez a dívida para com Gloria tenha de ser paga com sua própria vida!

O FILME

DÍVIDA DE SANGUE

Título original: Blood Work

Duração: 109 minutos (1 hora e 49 minutos)


Gênero: Policial

Direção: Clint Eastwood

Ano: 2002

País de origem: EUA


Indignado com a brutalidade de um assassino serial, que insiste em lhe deixar mensagens nas cenas dos crimes, o veterano Terry McCaleb não pensa duas vezes em iniciar uma perseguição a pé quando avista o psicopata. Resultado: um enfarte e a certeza de que era preciso diminuir um pouco seu ritmo de trabalho. Dois anos depois, aposentado e transplantado, McCaleb recebe a visita de uma mulher (Wanda de Jesús) com um segredo. O coração que agora batia em seu peito pertencera à vítima de um crime ainda sem solução. Sentindo-se endividado, o veterano contraria sua cardilogista (Anjelica Huston), volta à ativa e parte para as ruas, mesmo sabendo que seu coração pode não suportar mais essa perseguição implacável. Recheado com muito suspense, Dívida de Sangue, adaptação do Best-Seller homônimo de Michael Connely, é ação e mistério do começo ao fim. Prepare seu coração para fortes emoções.

BLOODWORK (2002) Trailer






Um Lançamento





quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

CAIXA CULTURAL CURITIBA MOSTRA A NATUREZA IMPERMANENTE



Exposição reunirá 20 obras do artista plástico pernambucano Kilian Glasner


A CAIXA Cultural Curitiba inaugura, no dia 22 de janeiro, às 20h, a exposição “Natureza Impermanente”, do artista plástico pernambucano Kilian Glasner. A mostra é composta por 20 desenhos em preto e branco, em grandes formatos horizontais, medindo aproximadamente 100x200cm cada, com perspectivas de paisagens reais ou imaginárias. A mostra, que tem curadoria de Julio Cavani, faz parte da série “Do Infinito” e fica em cartaz até o dia 3 de março, com entrada franca.

O artista sobrepõe paisagens, insere elementos e cria novas perspectivas, por vezes realistas e por vezes fantásticas, em novos universos, que podem ser vistos isoladamente ou em conjunto. "Ao fazer cada desenho, pensei que estava criando portais. Ao ver todos os desenhos juntos, vi que de fato se tratava de um portal", conta o artista que, dessa forma, retrabalha significados e transpõe, também pela disposição das obras, os significados sensoriais que pretendia construir com os desenhos isoladamente.

As fotografias são quebradas, re-conjugadas e deslocadas para o papel, compondo uma nova imagem, que é desenhada com técnica realista, usando pastel seco e borracha. O que verdadeiramente se vê é uma paisagem inventada, composta por detalhes de tantas outras paisagens reais. Ao deslocar e recompor espaços, é possível identificar que características fisicamente divergentes e contraditórias possam se complementar e, contrariando leis existenciais, passam a ocupar um mesmo espaço, nos surpreendendo a cada olhar.

Dessa forma, a exposição será, em si, uma instalação. O conjunto dos desenhos em um só espaço atinge o olhar do espectador com as belas e delicadas formas da natureza, junto com arrojadas e dinâmicas formas criadas pelo homem. Trabalhando em conjunto com a curadoria, o artista plástico irá “redesenhar” as obras nas paredes da exposição, formando um mosaico no qual cada obra será complemento da próxima e, apesar de constituir uma peça única, ganhará força como uma nova obra (desenho-instalação) em conjunto.

O artista:
Kilian Glasner nasceu no Recife, em 1978. Fez graduação e mestrado na Escola Nacional Superior de Belas Artes, em Paris, e começou a participar de exposições coletivas no final dos anos 1990. Fez sua primeira mostra individual em 2000, na Galeria Vicente do Rego Monteiro, da Fundação Joaquim Nabuco (Recife). Seguiram-se a esta as exposições “Silêncio”, “Refletion", "Humano", e uma individual retrospectiva. O artista foi contemplado, em 2010, com um prêmio no programa de cultura contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian, a mais importante instituição de apoio às artes plásticas de Portugal.

Kilian Glasner é um dos nomes mais promissores da nova safra de artistas plásticos pernambucanos, integrando a cena artística do Recife.

Serviço:
Exposição “Natureza Impermanente – Kilian Glasner”
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Visita guiada: 22 de janeiro de 2013 (terça-feira) às 19h
Abertura: 22 de janeiro de 2013 (terça-feira) às 20h
Visitação: de 23 de janeiro a 3 de março de 2013 (de terça-feira a domingo)
Horário: de terça-feira a sábado das 9h às 20h e domingo das 10h às 19h
Ingressos: Entrada franca.
Informações: (41) 2118-5114
Classificação etária: Livre para todos os públicos

Trio RdT lança 3 vídeos na internet

RdT lança 3 vídeos na internet

Prestes a lançar seu terceiro álbum, “Elo”, o trio de jazz RdT disponibiliza na internet 3 das músicas que fazem parte desse trabalho. Formado por Guto Bambilla (baixo), Fernando Baggio (bateria) e Walter Nery (guitarra), o RdT está na estrada há cerca de 9 anos e faz um som com diversas influências, usando a linguagem do jazz contemporâneo como guia. Além dos 3 músicos, o americano Mike Moreno, um dos guitarrista de maior destaque da atualidade, participa do CD.

O RdT acaba de colocar no ar em seu site oficial (http://www.rdtmusic.com.br3 vídeos que documentam trechos das gravações de “Elo”; são webclipes das músicas “Sarayu”, “Dawn Alone” e “Liv (vida)”. 

Gibicon recebe prêmio nacional de história em quadrinhos







A Gibicon – Convenção Internacional de Quadrinhos, realizada em outubro pela Fundação Cultural de Curitiba, Quadrinhofilia Produções Artísticas e Znort Editora, foi anunciada como uma das vencedoras do Troféu Angelo Agostini, renomado prêmio da Associação de Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (ACQ-ESP). A Gibicon recebeu o prêmio Jayme Cortez por sua contribuição às histórias em quadrinhos no Brasil.

A escolha dos vencedores foi feita por internautas do blog da ACQ-ESP, que votaram em seis categorias - desenhista, roteirista, cartunista, lançamento, lançamento independente e fanzine -, e também indicaram os vencedores dos prêmios Jayme Cortez e Mestre do Quadrinho Nacional. A edição deste ano do Troféu Angelo Agostini entrou para a história como a que teve mais votos desde a criação do prêmio.

O Troféu Angelo Agostini, realizado desde 1984, é o concurso mais tradicional da arte dos quadrinhos produzida no Brasil. O objetivo da premiação é fazer o resgate e a referência aos grandes artistas do quadrinho nacional. O nome do troféu homenageia o autor da primeira história em quadrinhos brasileira.

 A entrega do 29º Troféu Angelo Agostini acontece no dia 2 de fevereiro no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Hero e Leandro, leituras de um mito




A Cotovia começa o ano em grande com a publicação de mais um título da sua colecção de Ensaio:



AAV - Coordenação de Maria Cristina Pimentel

O mito de Hero e Leandro é uma história de amor e de morte. Os protagonistas são Hero, sacerdotisa de Afrodite (Vénus para os Romanos), que habitava numa torre em Sesto, e Leandro, um jovem de grande beleza, natural de Abido. Habitavam em margens opostas do Helesponto (hoje, estreito de Dardanelos) e o seu amor não colhia a aprovação dos pais dela, nem a sua condição de consagrada ao culto lhe permitia o casamento. Mas, como o amor encontra sempre uma via para unir os que querem, todas as noites Leandro atravessava a nado o estreito para estar com a amada. Na travessia, era guiado por uma luz que Hero acendia no alto da torre em que morava. Numa noite de tempestade, porém, a luz apagou-se e ele não encontrou o caminho: as vagas arrojaram-no de encontro aos rochedos. No dia seguinte, quando o mar devolveu o corpo, Hero, incapaz de sobreviver sem o amado, precipit ou-se do alto do penhasco onde à noite o esperava. Ao longo dos séculos, este mito, na sua beleza trágica, tem seduzido inúmeros escritores, músicos e artistas plásticos.

MARIA CRISTINA PIMENTEL é professora catedrática da Faculdade de Letras de Lisboa e directora do Centro de Estudos Clássicos. Coordena as Áreas de Língua e de Literaturas Latinas. Publicou vários estudos sobre literatura e cultura clássica, com especial incidência em autores como Séneca, Marcial e Tácito, e integrou equipas de tradução de Propércio e Santo Agostinho.

MARINA DA COSTA CASTANHO frequentou a licenciatura e o mestrado em Estudos Clássicos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde apresentou a dissertação Desencontros no amor: Hero e Leandro nas Heróides de Ovídio. É membro do Centro de Estudos Clássicos da Universidade de Lisboa, colabora no projecto Santos e Milagres na Idade Média Portuguesa e é bolseira do projecto Corpus Lusitanorum De Pace.

MADALENA SIMÕES dedicou a "Hero e Leandro" de Museu a sua dissertação de mestrado em Estudos Clássicos pela Universidade de Lisboa (2007). De 2004 a 2012 foi Leitora do Instituto Camões nas Universidades de Hamburgo e de Rostock, na Alemanha. É investigadora do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras de Lisboa.

RUI CARVALHO HOMEM é professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e coordenador do CETAPS - Centre for English, Translation and Anglo-Portuguese Studies. Os seus principais interesses como docente e investigador incluem Shakespeare e o Renascimento inglês, literatura irlandesa, intermedialidade e tradução.

 (clique aqui para ler as primeiras páginas)





HOJE - Pélico faz show no Mundo Pensante



     

No próximo dia 17, quinta, o cantor e compositor Pélico toca no Mundo Pensante, às 22h. Conhecido pela sua atuação na cena independente, por suas canções marcantes e pelos belos arranjos trabalhados de forma precisa em seus álbuns, o músico é um dos representantes da nova cena paulistana .

 

Na apresentação, Pélico mostra o seu terceiro CD "Que isso fique entre nós". O álbum foi produzido  por Jesus Sanchez e é considerado o trabalho mais autoral e confessional de sua carreira.



SERVIÇOS: Pélico faz show no Mundo Pensante



Local: Mundo Pensante

Endereço: Rua 13 de Maio, 825

Data: 17/01 (quinta)

Horário: 22h

Faixa Etária: 18 anos

Preço: R$ 15

Informações: 11 5082 2657

Brothers of Brazil faz show gratuito na "Arena da Mix", dia 19 de janeiro

Brothers Of Brazil faz show gratuito na "Arena da Mix", dia 19 de janeiro

A praia de Maresias, em São Paulo, será palco de diversas atrações promovidas pela Mix tv em parceria com a Mix FM. Na programação, shows do Charlie Brown Jr, Natiruts, Brothers Of Brazil, Gabriel O Pensador e NX Zero.

No próximo dia 19, sábado, a banda Brothers of Brazil toca seus sucessos e músicas do disco mais recente, "On my way". Lançado  no Brasil de forma independente, o álbum traz seis faixas embaladas em muito rock'n'roll, incluindo "On my way", que faz parte da trilha sonora da novela "Balacobaco".
 
Os espetáculos serão apresentados por Rafa Brites e o público poderá acompanhar os sucessos de seus artistas preferidos ao vivo na Arena da Mix, através dos flashes na rádio Mix FM, pelo site www.mixtv.com.br ou conferindo na programação da Mix tv a partir de 12 de janeiro.
 
Programação dos shows:
 
Brothers Of Brazil
Data: 19/01 (sábado)
Horário: 17h
 
Gabriel O Pensador
Data: 26/01 (sábado)
Horário: 17h
 
NX Zero
Data: 02/02 (sábado)
Horário: 17h
 
Arena da Mix
Endereço: Av. Francisco Loup, entrada 4 - Praia de Maresias - São Sebastião/SP
Valor do ingresso: Gratuito (com distribuição de senha por ordem de chegada)
Capacidade: 500 pessoas
Classificação: Livre

Sábado Antropofágico



O Mundo Pensante, localizado no bairro do Bixiga,  integra música, artes visuais e artes do corpo. O local oferece um lounge para bebericar, saborear bons pratos, assistir shows, apreciar exposições de arte e conversar com os amigos.

Programação:

19/01 – Sábado Antropofágico – Show: banda Família Gangsters

A banda paulistana tem uma linguagem musical que reflete a diversidade cosmopolita da capital. Formada por Pedro Lobo ( baixo, vocal), Marcos Mossi (guitarra) e Felipe Gomide (bateria e samplers), o trio faz uma fusão musical por meio da combinação de ritmos regionais brasileiros com tendências universais, como o ska, o dub e o rock’n’roll.

Para o show no Mundo Pensante, o grupo chega com repertório variado, incluindo as músicas "Familiarismo"e "Reciclar Você", faixa que ganhou um clipe registrado nas ruas de São Paulo.

Serviço:

Dia: 19 de janeiro (sábado)

Local: Mundo Pensante

Endereço: Rua 13 de maio, 825 – Bixiga – Bela Vista

Horário: 22h

Preço:   R$ 15

Informações: 11 5082 2657/ http://www.mundopensante.com.br/

Censura: 18 anos

Capacidade: 150 pessoas

Cursos:

Capoeira – "OKilombo"

Nas aulas de capoeira do "OKilombo" a prática da meditação, reflexão, relaxamento e consciência corporal são o foco para o conhecimento de cada ser. Durante os treinos, o praticante procura entender o seu corpo, respeitar os seus limites e atingir o objetivo pessoal específico dentro da prática.

 Serviço:

Inicio: 15/01

Término: 14/03

Dias: terças e quintas

Horário: 19h30 às 21h

Local: Mundo Pensante

Endereço: Rua 13 de maio, 825 – Bixiga – Bela Vista

Horário: 22h

Preço:   R$300,00 (2 x R$150,00)

Inscrições através do e-mail: raphagal@gmail.com




MUNDO PENSANTE
(Rua 13 de Maio, 825, Bixiga - Bela Vista)

INFERNO CLUB: Programação de 18 e 19 de janeiro

 
(Rua Augusta, 501 – Consolação – Tel: 11 3120 4140 - www.infernoclub.com.br)


Nesta sexta (18/1), a festa Dance To The Undeground traz de volta ao palco do Inferno a banda Rock Rocket, acompanhada de um naipe de metais, num show especial. A abertura fica por conta da banda Sheila Cretina e os DJs Rodrigo Branco, Daniel Belleza e Johnny Bird comandam as pick-ups. 

Serviço
Dia: 18 de janeiro (sexta)
Festa: Dance to the Underground
Show: Rock Rocket
Abertura: Sheila Cretina
DJs: Rodrigo Branco, Daniel Belleza e Johnny Bird
Local: Inferno Club
Endereço: Rua Augusta, 501 - Consolação
Horário: Meia-noite
Preço:
Lista - Mulher R$15 / Homem R$20 (lista@infernoclub.com.br)
Porta - Mulher R$20 / Homem R$25
Informações: 11 3120 4140 / www.infernoclub.com.br
Censura: 18 anos
Capacidade: 600 pessoas

A Pop&Wave de sábado (19/1) trará um especial dos Smiths, além dos maiores hits de Madonna, Michael Jackson, Eurythmics, Culture Club, Tears for Fears, U2, New Order, The Smiths, The Cure e muito mais dos anos 80 e 90. No telão e LCD, os vídeos, desenhos e filmes que marcaram a época.

Serviço
Dia: 19 de janeiro (sábado)
Festa: Pop&Wave – Especial The Smiths
DJs: Marcio Vaez (Pop&Wave), Renato Synth (Pop&Wave), Rodrigo Cyber (Bats&Robots), Alê Garanci (Pop&Wave) e Lady Rocker
Local: Inferno Club
Endereço: Rua Augusta, 501 - Consolação
Horário: 23h30
Preço:
Lista - R$15 até 1h / R$20 após 1h (lista@infernoclub.com.br)
Porta - R$30
Informações: 11 3120 4140 / www.infernoclub.com.br
Censura: 18 anos

Capacidade: 600 pessoas

Strike lança “Nova Aurora” no HSBC Brasil dia 20 de janeiro



Só uma banda com muito sucesso e personalidade consegue se manter dez anos na estrada. Em 2013 o Strike comemora uma década de serviços prestados ao rock nacional e vive a melhor fase de sua carreira; mais maduros, tocando cada vez melhor e rodando o Brasil com shows sempre lotados. Neste domingo (20/01) apresentam o show “Nova Aurora” no HSBC Brasil.

Ao vivo tudo ganha mais peso com a sintonia e o carisma do grupo. Marcelo (voz), Rodrigo (guitarra), André (guitarra), Fabio (baixo) e Cadu (bateria) vão tocar as novas "Fluxo Perfeito", “Fora da Lei”, “Sinergia”, “Céu Completo”, “Se Joga”, e outras. Os sucessos “No Veneno”, “A Tendência”, “Paraíso Proibido”, “O Jogo Virou”, “Dogtown Style”, “Aquela História” e “Até o Fim” também fazem parte do repertório.

Nessa ocasião, estreiam o novo cenário, com concepção do artista plástico Zé Carratu e de Haroldo Tzirulnik.

O show terá abertura da banda Pollo.

Serviço
Show: Strike - Lançamento de “Nova Aurora”
Local: HSBC Brasil
Endereço: Rua Bragança Paulista, 1281 - Chácara Santo Antonio - São Paulo
Data: 20 de janeiro (domingo)
Horário de início do show: 19h
Abertura da casa: 17h
Preço:
Camarote - R$200
Frisa - R$160
Cadeira Alta - R$120
Pista - R$80
Capacidade: 1.800 lugares
Censura: 14 anos (menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis)

Banda Sinfônica da Oficina interpreta músicas inspiradas na literatura clássica






A Banda Sinfônica da 31ª Oficina de Música de Curitiba apresenta-se ao lado do músico e professor de trompa solo Bostjan Lipovsek, no dia 17 de janeiro (quinta-feira), às 20h30, no Canal da Música. A plateia ouvirá composições que fazem referência direta à literatura.

Entre as músicas que serão interpretadas no concerto estão as de Robert Smith, compositor de mais de 600 trabalhos. A sinfonia Divina Comédia é a primeira que o americano, nascido em 1958, fez para banda sinfônica. Como o próprio nome diz, é baseada no épico de Dante, A Divina Comédia, e é composta por quatro movimentos: Inferno, Purgatório, Ascensão e Paraíso. Essa é uma das três sinfonias que Smith compôs, além de Dom Quixote e A Odisseia. Essa última terá um dos movimentos apresentados no Canal da Música. A Ilha do Calypso é a terceira parte da composição que começa com A Ilíada, passa pelos Ventos de Poseidon e termina em Ítaca.  No repertório também estão “Liberamente para trompa solo” (Lojze Krajncan) e Porgy and Bess (George Gershwin).

O solista Bostjan Lipovsek é membro da Orquestra Sinfônica da Eslovênia RTV. É professor da Academia de Música de Zagreb, na Croácia, e gravou três CDs solos e dois com os grupos Slovenian Brass Quintet e Wind Quintet Ariart. Apresentou-se com a Orquestra Filarmônica da Eslovênia, Maribor Philharmonics, Orquestra Sinfônica de Berlim, Mahler Chamber Orchestra e a Filarmônica de Israel. Atuou ao lado de maestros como Uroš Lajovic, Yakov Kreizberg, Sian Edwards e Zubin Mehta. Venceu a competição internacional de Porcìa, Itália, e recebeu o Preseten Prize do Ministério da Cultura da Eslovênia (2008).

O regente da noite é Edivaldo Chiquini, professor de trompa, composição e regência. Chiquini é regente da Banda Sinfônica e do Grupo de Metais da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. É primeiro trompista da Orquestra Sinfônica Estadual do Paraná. Iniciou seus estudos com Zdenck Svab; graduou-se no curso Superior de Trompa na EMBAP com Roberto Minczuk e fez mestrado na Universidade de Göteborg (Suécia) com Sören Hermansson. Participou de orquestras sinfônicas e grupos de metais na Suécia, Dinamarca, Noruega e Finlândia. Atua como músico convidado nas orquestras: Sinfônica Brasileira, OSPA - Porto Alegre, Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, Orquestra de Câmera de Curitiba, Orquestra Sinfônica da UEL – Londrina, e na Suécia com a Orquestra da Ópera de Göteborg, Sinfônica de Göteborg, Orquestra de Câmera Sueca-Örebro e com a Orquestra de Câmera da Cidade de Jönköping.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.



Serviço:

31ª Oficina de Música de Curitiba

Banda Sinfônica da 31ª Oficina de Música de Curitiba

Local: Canal da Música – Rua Júlio Perneta, 695 - Mercês

Data e horário: 17 de janeiro, às 20h

Ingresso: R$20 e R$10

HOJE - Músicos de renome em noite de concerto na Capela



Música de câmara da melhor qualidade na 31ª Oficina de Música de Curitiba, nesta quinta-feira (17), às 19h. Os músicos Ricardo Bologna e Marcio Szulak (percussão), Olga Kiun e Clenice Ortigara (pianos), Alexandre Razera (viola), Marcos Fregnani (flauta transversal) e Hélio Leite (harpa) tocam na Capela Santa Maria Espaço Cultural.
No programa, Intermezzo para flauta e harpa, de Hendrick Andriessen (1892 – 1981), compositor e organista holandês, lembrado, acima de tudo, por sua improvisação no órgão e na renovação da música litúrgica católica na Holanda. As composições revelam fortes influências francesas.
O repertório da noite também traz Nocturne Op. 17, escrito originalmente para piano e flauta por Franz Doppler (1821 – 1883), um flautista virtuoso e compositor mais conhecido por suas composições para flauta. Os vários duetos para o instrumento compostos por ele eram tocados por seu irmão Karl. Doppler também escreveu uma ópera em alemão e várias óperas em húngaro, apresentadas com grande sucesso. Os vários duetos de flauta compostos por ele eram tocados por seu irmão Karl. Sua música contém aspectos de música russa e húngara.
La flute de Pan, de Jules Mouquet (1867-1946), em três movimentos, é o trabalho mais conhecido do compositor, também escrito originalmente para flauta e piano. Mouquet foi professor de harmonia no Conservatório de Paris, no início do século XX. Compositores românticos e impressionistas foram suas principais influências criativas.
A Sonata Arpegionne, de Franz Schubert (1797 – 1828), também faz parte do programa. O arpeggione é um instrumento musical de seis cordas, afinado como um violão, mas tocado com arco, como um violoncelo. Foi moda durante não mais de uma década, depois da sua criação por volta de 1823 pelo luthier Johann Georg Staufer (1778-1853). A única peça mais notória que subsiste é a que será apresentada nessa noite na Capela Santa Maria . Mais recentemente, Nicolas Deletaille reintroduziu o instrumento, executando a obra de Schubert no seu instrumento original (esta sonata é hoje habitualmente executada sobretudo em violoncelo ou viola) e encorajando também os compositores a escreverem nova música para o instrumento.
Outra sonata programada para o concerto é a composta para dois pianos e percussão, de Bela Bartok (1881 – 1945), a mais célebre de suas obras. Foi composta durante os meses de julho e agosto de 1937, em Budapeste. A ideia de escrever para dois pianos inquietava o compositor que sonhava também em associar piano e percussão. Em artigo publicado em 1938 num jornal local declarou: “pouco a pouco reforçava-se em mim a convicção de que o piano não contrabalançava de forma satisfatória com a sonoridade frequentemente mordaz dos instrumentos de percussão. Em consequência, o projeto modificou-se de tal forma que dois pianos em lugar de um são confrontados com a percussão”.

A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Serviço:
31ª Oficina de Música de Curitiba
Concerto de Música de Câmara
Data e horário: 17 de janeiro, às 19h
Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro
Ingresso: R$20 e R$10