sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

[16.dez] Tales Ab'Sáber lança ensaio, fragmento no Bar Sabiá

clique para ampliar

Minha Conversa com Krishna





 por Mahatma Dasa

Outro dia, chamei Krishna, pois estava vivendo um momento bem difícil. Havia tantas coisas dando errado e eu não conseguia entender o porquê. Então, perguntei a Ele.

Outro dia, chamei Krishna, pois estava vivendo um momento bem difícil. Havia tantas coisas dando errado e eu não conseguia entender o porquê. Então, eu disse:

“Krishna, Você me ama, certo?”. Com simpatia, Ele falou: “Claro que sim. Eu amo você incondicionalmente”. “Então”, eu perguntei, “como Você ama alguém e, ao mesmo tempo, dificulta sua vida?”. “Ah, sim”, Krishna disse, “isso é bem possível”, e me explicou como.

“Sabe quando você está sentado numa cadeira e, após um tempo, sente-se desconfortável?”.

“Sim”.

“Então, o que você faz?”.

“Mudo de posição”.

“Da mesma forma, quando vejo que você precisa sair de sua posição presente e mover-se para uma melhor, faço com que sua vida fique um pouco desconfortável. Quando faço isso, você começa a se perguntar por que as coisas estão assim. E, então, você Me chama. Por falar nisso, se as coisas estivessem perfeitas, você Me chamaria?”.

“Certo, certo, entendi. Mas será que o sofrimento nunca vai parar?”.

“Ah, claro que sim – quando você aprender suas lições. É óbvio que você poderia também aprendê-las sem sofrimento. Você sabia disso, né? Por exemplo, fazendo o que Eu lhe digo. Porém, você não parece Me seguir o suficiente, e sua tendência é se distrair. Aí, então, é que Eu preciso dar um empurrãozinho. Veja, Eu realmente amo você, mas, às vezes, é um amor duro”.

“E o que acontece quando eu aprendo todas as lições?”.

“Você se gradua. Quando deixar este mundo, não voltará mais, pois não há mais nada a aprender. Você estará ‘fora dessa’, como se fala em seu país”.

“Sim, mas sou muito lento para aprender, e isso significa que vou sofrer muito. Não parece justo”.

“Mas foi você quem criou seu próprio sofrimento. Além disso, o mundo material não é um bom lugar para ficar se você não gosta de sofrer. Então, pare de se queixar sobre o sofrimento. Ele vem com o pacote da reencarnação. Porém, uso o sofrimento para, por fim, ajudar os devotos a superar a tendência de causar seu próprio sofrimento. Lembre-se: Meu presente a você é a liberdade de escolher a coisa certa. E o presente que você pode dar a si mesmo é escolher a coisa certa”.

“Mas não seria melhor se Você não permitisse que eu bagunçasse tudo?”.

“Não, você não seria capaz de viver sem sua total liberdade. Na verdade, você ficaria louco. Além do mais, considerando que a maioria das pessoas em Kali-yuga não são muito inteligentes, você vai descobrir que, normalmente, aprende-se melhor errando e sofrendo as consequências. E quando os Meus devotos precisam mudar ou aprender algo novo e estão estagnados, torno as coisas um pouco mais difíceis para eles. Contudo, faço isso porque os amo”.

“Sim, parece que as dificuldades da vida carregam lições inestimáveis”.

“Sim. Pense nas pessoas que o machucaram ou lhe causaram algum sofrimento e considere se aprendeu algo, ou se você cresceu através dessas dificuldades. Aqueles que o machucaram foram alguns dos seus melhores professores, mas aposto que você os chamou de nomes bem feios. Veja bem: Eu coloco à sua frente pessoas que o perturbam para que, assim, você aprenda a ser mais tolerante, perdoador e compassivo. Você não costumava dizer: ‘É tudo misericórdia de Krishna’, quando era um devoto recém-convertido?”.

“Sim, mas…”.

“Então, você pensa que é Minha misericórdia quando tudo vai bem e, quando não vai, é por causa de outrem?”.

“Bom, é bem mais fácil ver Sua misericórdia na retrospectiva e culpar alguém quando estou passando por um problema, pois, às vezes, as pessoas fazem coisas dolorosas comigo”.

“Mahatma, não há ninguém a culpar. Eles são apenas agentes do karma. Você culpa seu dente quando ele morde sua língua?”.

“Para ser honesto, às vezes, sim”.

“Exatamente. Sempre encontramos algo ou alguém para culpar – sempre buscamos uma desculpa”.

“Certo, entendi. Se eu for perfeito e tiver todas as boas qualidades, não precisarei aceitar outro corpo. Caso contrário, preciso aprender mais algumas coisas, e Você está garantindo que eu as aprenda”.

“É isso mesmo. Seu ofensor lhe traz lições valiosas. Você Me honra, e honra grandes santos, por trazermos a você o presente do conhecimento de que a vida é sofrimento. Não parece hipócrita que você culpe seu ‘ofensor’ quando ele ou ela traz até você o mesmo presente na forma de uma lição de vida? Por que você Me reverencia e culpa o outro? Não é possível que todas as coisas trabalhem pra ajudá-lo e não haja realmente ninguém a culpar e ninguém a perdoar?”.

Mahatma Dasa entrou na ISKCON em 1969 e já serviu como presidente de templo, distribuidor de livros, líder de sankirtana, pregador em faculdade, diretor congregacional e professor e co-diretor do VIHE. Ele é bem conhecido na ISKCON por suas músicas por seus seminários.

Tradução de Chitralekha Devi Dasi. Todo o conteúdo das publicações de Volta ao Supremo é de inteira responsabilidade de seus respectivos autores, tanto o conteúdo textual como de imagens.

Se gostou deste material, também gostará destes: Vingança ou Perdão: Por que Trilha Você Caminha?, O Encontro de Gadadhara e Pundarika, A Ofensa contra Ambarisa Maharaja, O Hóspede Durvasa, Por que Criticamos?, Superando a Inveja, A Ira Amplia os Seus Problemas, Congregação em Conflito, Perdoe e Esqueça.

Do Blog Volta ao Supremo. Leia outros artigos em www.voltaaosupremo.com.

De um governo gestor a um governo de combate



Os desafios do segundo mandato de Dilma continuam os mesmos, mas mais agravados, porque a correlação política de forças se modificou desfavoravelmente. O novo governo precisará se tornar um governo de combate na defesa de seus feitos, na comunicação, no diálogo com os movimentos sociais e as camadas populares, na participação popular e no apoio às manifestações populares.


por Wladimir Pomar



Leia mais em http://fpabramo.us9.list-manage.com/track/click?u=f25308b0151dc7b7f2292ce3d&id=a5c7608b81&e=da0a4f3644

MÚSICA ELETRÔNICA EMBALA ATO FINAL DO ANIVERSÁRIO DO +55


 
A comemoração do primeiro aniversário do bar +55 termina neste fim de semana, com uma festa voltada à música eletrônica nesta sexta-feira (12/12) e bazar no domingo (14/12). São quatro atrações que agitam a data com o melhor da e-music paranaense, desde a abertura da casa às 18h.  House e black music se intercalam com as discotecagens de DJ Flem, Eduardo Almeida, Luiza Bernardi e o duo Funk You, dos DJ Schasko e Murilo. No domingo, acontece o Sunday Sessions especial com Bazar do Bem, com abertura às 16h.
 
 
FIM DE SEMANA DO BAR +55
 
E-music no + 55
DATA: Sexta-feira, 12 de dezembro
HORÁRIO: 18h
DISCOTECAGENS: DJ Flem, Funk You, Luiza Bernardi e Eduardo Almeida
ENTRADA: R$ 20 feminina e R$ 40 masculina
 
Sunday Sessions com Bazar do Bem
DATA: Domingo, 14 de dezembro
HORÁRIO: 16h
ENTRADA: R$ 10 feminina e R$ 15 masculina
 
 
ENDEREÇO: Rua Vicente Machado, 866 – Batel
INFORMAÇÕES: (41) 3322-0900 | www.cincocinco.com.br

FIELD DAY DE GOLFE ENCERRA O ANO DO GRACIOSA


 
Mais de 100 jogadores são aguardados no torneio Field Day, que o departamento de Golfe promove neste sábado (13/12), a partir das 6h40, para encerrar o ano e promover a confraternização entre os praticantes desta modalidade. Disputado na modalidade Texas Scramble, em nove buracos, o torneio terá equipes masculinas, femininas e mistas.
 
O Texas Scramble é jogado por equipes. Cada jogador dá a tacada inicial em sua bola e a melhor jogada serve de referência para o próximo lance de sua equipe. Ou seja, as próximas tacadas serão do local onde a melhor bola da equipe se encontra. A disputa segue neste sistema até o buraco final.

James encerra o ano com semana temática natalina e de Réveillon



O James encerra sua programação de 2014 com uma maratona de baladas, do dia 17 a 21 de dezembro. Tudo com aquele clima natalino e já com ares de passagem de ano. A festa começa com a Quarta Rock Natalina, passando pelo Cambalacho Christmas 3D, In New Music We Trust recebe Discotraxx Best of 2014, POPLine “You Da One” Encantada e termina com o Réveillon James.

A Quarta Rock Natalina (17.12) terá os DJs residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski e Pablo Busetti recebendo o ex-DJ da balada por muitos anos, Claudio Yuge. Além dele, também será convidado pra tocar nas picapes um cliente, que será escolhido em promoção veiculada pelo perfil da noite no Facebook.

O Cambalacho Christmas 3D (18.12) traz a festa da fusão sonora que costuma ser a sempre disputada noite comandada pelos DJs Anaum e Jeff Bass. Desta vez, além da sonoridade que já ganhou o público curitibano, o destaque será também as projeções tridimensionais do VJ Lage.

Na sexta-feira (19.12), a diversão fica por conta da In New Music We Trust recebendo a Discotraxx com as melhores faixas de 2014. Além de mixtape com as 50 músicas do ano, com votação do público, os residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski e Denis Pedroso recebem o DJ Raone Franco (Uberlândia - MG) e seu projeto Sugar Hill, que mistura indie dance com nu-disco e encaixa certinho na proposta da noite. Ele vem se apresentando ao lado da vocalista e DJ Mari-Anna.

No dia seguinte (20.12), a POPLine “You Da One” Encantada realiza o sonho de um cliente e propõe um “dia de príncipe/princesa”, com direito de levar 15 amigos para o camarote no lounge do James, todos com entrada VIP. Nas picapes, os residentes Ale Dantas, Celso Ferreira, Denis Pedroso e o convidado Lu Padilha, que comandou a POPLine durante anos.

E, para encerrar, no domingo tem o Réveillon James (21.12), que vai simular a passagem de ano. Uma grande confraternização entre os clientes e a equipe da casa, com direito a colares havaianos e ponche. Quem for de branco paga só 50% da entrada. Os DJs da última festa de 2014 são os residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski, Celso Ferreira e Denis Pedroso.

Ao longo de toda a semana, os clientes poderão degustar gratuitamente os dez drinks mais apreciados na casa em 2014. O público também participará dos registros com as imagens em estilo polaroid feitas por Lucas Costa e as noites terão decoração especial para lembrar o Natal e o Réveillon.

Após a maratona de final de ano o James entra em recesso a partir do dia 22 de dezembro e só retorna na Quarta Rock do dia 07 de janeiro de 2015.

FINAL DE ANO JAMES - DE 17 A 21 DE DEZEMBRO
QUARTA 17.dez: 22h
A balada das guitarras em clima natalino. DJs residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski e Pablo Busetti. DJ convidado Claudio Yuge. Promoção “DJ Por Uma Noite”, com a escolha de um cliente para discotecar, com entrada VIP para os amigos. Double drink de destilados nacionais até a meia-noite.
R$ 15.

QUINTA 18.dez: 22h
ÚItimo “Baile do Macaco” do ano, com direito a intervenções audiovisuais em 3D com o VJ Lage. DJs residentes Anaum e Jeff Bass.
R$ 25.

SEXTA 19.dez: 22h
Nu-disco, house e indie dance ao lado das grandes novidades das pistas mundiais. DJs residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski e Denis Pedroso. DJs convidados Sugar Hill & Mari-Anna (Uberlândia - MG). Coquetel de Screwdriver até a meia-noite e double shots de tequila ao longo da balada.
R$ 20.

SÁBADO 20.dez: 22h
Noite pop com um camarote pra 15 pessoas no lounge do James. DJs residentes Ale Dantas, Celso Ferreira e Denis Pedroso. DJ convidado Lu Padilha.
R$ 25.

DOMINGO 21.dez: 22h
RÉVEILLON JAMES
O James comemora com seus clientes a passagem de ano com direito a todo mundo de branco, champanhe e contagem regressiva. DJs residentes Ale Dantas, Claudinha Bukowski, Celso Ferreira e Denis Pedroso. Distribuição de colares havaianos e ponche.
R$ 20 e R$ 10 pra quem for de branco.

* Todas as infos e releases sobre nossa programação estão disponíveis em nosso site www.barjames.com.br.
*PROGRAMAÇÃO SUJEITA A ALTERAÇÃO SEM AVISO PRÉVIO.
Av. Vicente Machado, 894. Curitiba/PR. (41) 3222-1426. Formas de pagamento: Todos os cartões de débito e crédito Amex, Diners, Master, Visa e Visa Vale-Refeição.

Grupo Inspiraluz promove feira de arte no Centro de Criatividade



            O grupo de artistas Inspiraluz estará no Centro de Criatividade de Curitiba promovendo uma feira de artes com produtos biosustentáveis. A feira acontece neste sábado e domingo (13 e 14), das 10h às 18h, com artigos de moda, alimentos naturais, objetos criativos, apresentações artísticas, oficinas, exposições, terapias holísticas e rodas de conversa.
            Com foco na produção e no consumo de produtos conscientes, o Inspiraluz viabiliza aos produtores participantes uma forma de comercializarem seus produtos, estimulando a economia criativa. O evento tem entrada gratuita, Esta será a segunda edição da feira, já realizada com sucesso em novembro de 2013, também no CCC.

Serviço:
Inspiraluz – Feira de artes com produtos biosustentáveis
Local: Centro de Criatividade de Curitiba – Parque São Lourenço (R. Mateus Leme 4.700)
Datas e horários: 13 e 14 de dezembro de 2014 (sábado e domingo), das 10h às 18h
Entrada franca

Pianista Bruno Hrabovsky faz recital com sucessos do rock nacional



O pianista Bruno Hrabovsky se apresenta nesta quinta e sexta-feira (11 e 12) no Solar do Barão – Sala Scabi, com sessões às 19h e às 20h30. Assim como em seu tradicional projeto “Rock ao Piano”, o repertório será apresentado usando apenas o instrumento acústico. O setlist conta com músicas de Raul Seixas, Legião Urbana, Nação Zumbi, ruído/mm e vários outros nomes do rock nacional.
Bruno Hrabovsky tem gravado desde 2009 muitas interpretações de músicas conhecidas, principalmente rock, divulgando-as através de seu canal no Youtube. Estudou piano dos 7 aos 22 anos com a professora Luciana Bissi. Desde 2013 está focado exclusivamente no piano, fazendo vários shows. Este ano já fez várias apresentações nos espaços da Fundação Cultural de Curitiba – a primeira com clássicos da música brasileira, a segunda com temas de filmes e recentemente com os sucessos da banda Pink Floyd.

Serviço:
Concerto de piano com Bruno Hrabovsky, apresentando músicas do rock nacional.
Local: Solar do Barão – Sala Scabi (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 –Centro).
Datas e horários: 11 e 12 de dezembro de 2014 (quinta e sexta-feira), às 19h e às 20h30.
Ingresso: R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)

Charme Chulo faz sua estreia no Teatro do Paiol



Reconhecido nacionalmente pela mistura entre rock e música caipira, o quarteto curitibano Charme Chulo fará no dia 14 de dezembro (domingo), às 19h, sua primeira apresentação no Teatro do Paiol. O show marca o lançamento da versão física do álbum “Crucificados pelo sistema bruto”, liberado para download desde novembro no site www.charmechulo.com.br. Além de executar boa parte das músicas do novo trabalho, o Charme Chulo promete incrementar a apresentação com convidados especiais e versões para músicas conhecidas em seu repertório.
A banda Charme Chulo iniciou as atividades em 2003 e logo se consagrou como uma das mais respeitadas e queridas bandas da cena roqueira curitibana e uma das mais representativas do cenário independente nacional, tendo participado de diversos festivais no país e feito shows em dezenas de cidades. Essa resposta positiva se deu graças à originalidade das músicas do grupo, que casam – de maneira bastante pessoal e nada dogmática – o pós-punk com a viola caipira, e também pelo carisma em cima palco, com destaque para o vocalista Igor Filus. Soma-se a isso dois discos muito bem recebidos – Charme Chulo, lançado em 2007, e Nova onda caipira, de 2009.
Ao longo de mais de uma década de estrada, o quarteto – formado também por Hudson Antunes (baixo), Leandro Delmonico (guitarra, viola caipira e vocais) e Dougas Vicente (bateria) – participou de eventos com nomes de peso, como Nação Zumbi e a banda americana Weezer. O grupo participou, em agosto de 2014, do projeto “Tem viola no rock”, patrocinado pela Caixa Cultural, no qual receberam como convidado o cantor Sérgio Britto, dos Titãs. Terceiro álbum da banda, o CD duplo Crucificados pelo sistema bruto (2014), confirma o prestígio e o local de destaque da banda no rock brasileiro contemporâneo.

Serviço:
Show da banda Charme Chulo
Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº - Prado Velho
Data e horário: 14 de dezembro (domingo), às 19h.
Ingressos: R$ 20
Classificação indicativa: livre

PARATY É PROTAGONISTA EM EXPOSIÇÃO E JORNADA DE DEBATES “HISTÓRIAS E OFÍCIOS DO TERRITÓRIO”


Primeira ação pública do Museu do Território de Paraty foca na riqueza histórica e cultural da cidade

No dia 04 de dezembro foi inaugurada a primeira ação pública do Museu do Território de Paraty, realização da Associação Casa Azul e do Ministério da Cultura, com patrocínio do BNDES. Histórias e Ofícios do Território é composta por uma exposição, uma jornada de debates e uma oficina de fotografia e memória.
A exposição conta com registros em vídeo de moradores antigos, painéis expositivos e placas comemorativas com os depoimentos dos moradores que serão espalhadas pela cidade. Na Casa da Cultura (sala Samuel Costa) um conjunto de fotos antigas coletadas durante as entrevistas complementa a exposição. Na oficina sobre fotografia e memória, o fotógrafo Walter Craveiro propõe aos participantes a criação de um mapa afetivo de Paraty, a partir de suas fotos de família, antigas ou recentes. Os visitantes da exposição são convidados a fixar post-its com suas lembranças sobre o mapa de Paraty, nos lugares em que aconteceram grandes e pequenos momentos inesquecíveis. A exposição fica em cartaz até março de 2015 e a oficina, que teve o primeiro módulo entre 3 e 5 de dezembro, terá um segundo módulo em 27 e 28 de fevereiro de 2015.
A jornada de debates, que contou com paratienses e convidados de fora da cidade, aconteceu entre 4 e 6 de dezembro. Veja abaixo os destaques dia a dia.


Dia 1 – Cidade histórica e com história
O primeiro dia de debates foi marcado pela reação emocionada de alguns membros da plateia, como o comendador Antonio Conti – “Eu não poderia deixar, nos meus 85 anos, como paratiense, nascido aqui no fundo dessa rua, de demonstrar minha alegria. Eu sempre pensei que um dia ia voltar nosso passado de amor à terra”, disse.
A inauguração do evento ocorreu no antigo cinema da cidade, rebatizado de Espaço Experimental de Cultura – Cinema da Praça, com as presenças de Mauro Munhoz, diretor-presidente da Associação Casa Azul e diretor geral do Museu do Território de Paraty, Paulo Werneck, curador da programação do museu, e Cristina Maseda, secretária de Cultura de Paraty, com direito a iguarias regionais como o café caiçara.
Na primeira sessão, Munhoz dividiu o palco com André Bazzanella, técnico do Iphan na Costa Verde do RJ, que assinalou a forte relação entre os patrimônios material e imaterial, além da diversidade cultural da cidade e como ela se relaciona com paratienses e turistas: “Quem vem de fora não vê só o conjunto arquitetônico, mas também a cidade vivida. Paraty é uma cidade histórica e com história”.


Dia 2 – Em defesa da cultura
Na segunda sessão da mostra, Angelo Oswaldo, ex-prefeito de Ouro Preto e presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), fez um passeio histórico sobre o ciclo do ouro no Brasil e porto de Paraty, e falou sobre como a estagnação econômica das cidades históricas permitiu que mantivessem suas características e tradições. Além disso, criticou o preconceito contra a efervescência cultural nas cidades: “Ela não pode ser vista como algo que perturbe a placidez do dia a dia”.
Rodrigo Leão de Moura, professor de biologia marinha da UFRJ, alertou para a exploração excessiva dos estoques peixeiros durante a terceira sessão, incentivando a diminuição do consumo do pescado e a busca da informação sobre o que é saudável e sustentável. Almir Tã, pescador e líder comunitário da Ilha do Araújo, chamou a atenção para o descaso e a manipulação em relação aos pescadores, lamentando que sejam dependentes de um cartel.
A quarta sessão teve como convidado o paratiense Seu Zé Ferreira, referência em práticas agroecológicas, que chamou a atenção para a valorização das tradições culinárias locais: “As pessoas esperam encontrar coisas que sejam tradicionais da cidade, mas encontram coisas que nada têm a ver com nossa realidade, o que acaba com a nossa cultura”, disse. A seu lado, o sociólogo Carlos Alberto Dória criticou o desconhecimento sobre a culinária efetivamente brasileira e provocou a elite que “consome coisas afrancesadas, mas gosta mesmo é de leitão”.


Dia 3 – A reflexão em seu devido lugar
O pintor Julio Paraty relembrou, na quinta sessão, a influência dos grandes artistas paratienses Zé Kleber e Djanira no início de sua carreira, e comentou o fato de sempre encomendarem suas famosas bandeirinhas. Paulo Pasta, pintor, professor e escritor, falou sobre o ensino da pintura na sala de aula e a inversão de valores na arte contemporânea: “O mercado toma o lugar da reflexão. Isso é triste, pois seu valor é o dinheiro, não há valor artístico”, disse.
Na sexta e última sessão, a antropóloga Paula Pinto e Silva mostrou como a comida de Paraty traduz os ciclos econômicos da cidade e criticou a relação vira lata que o brasileiro tem com sua culinária. A especialista na culinária paratiense Maria Rameck falou sobre as comidas típicas da cidade e suas lembranças da época em que não havia restaurantes, e encerrou com um carismático conselho: “Nunca coloquei uma Coca-Cola na boca. Não tenho uma estria com 82 anos. Que sirva de lição pra vocês”.
A cobertura completa da abertura de Histórias e Ofícios do Território pode ser conferida no site www.museudoterritoriodeparaty.org.br/  e no facebook oficial do Museu do Território de Paraty www.facebook.com/museudoterritoriodeparaty

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Parceria entre British Council e Festival Novas Frequencias traz artista britânico Philip Jeck para residência no RJ

Artista percorrerá sebos da cidade atrás de toca discos dos anos 50 e 60 e discos de vinil descartados. Debates sobre música e som, com participação dos britânicos, acontecem no dias 13 de dezembro

Como parte da programação da 4ª edição do Novas Frequências, festival internacional de música experimental conectado às novas tendências, o artista sonoro Philip Jeck prepara uma performance resultante da residência artística que desenvolverá no Rio, quando buscará toca discos dos anos 50 e 60 e discos de vinil descartados. Ele percorrerá sebos da cidade e acervos de colecionadores em busca de materiais para sua apresentação, que será realizada no dia 14 de dezembro, às 21h, no Oi Futuro Ipanema.



Philip Jeck, que participa do Festival com o apoio do British Council Brasil, também ministrará uma oficina gratuita, no dia 12 de dezembro, das 15h às 18h, com o intuito de criar uma peça complementar com outros músicos e artistas do Rio de Janeiro. A aprovação dos participantes será feita pelo próprio artista. Interessados devem enviar e-mail (com links e portfolio) para: info@novasfrequencias.com.



Também dentro do Novas Frequências, como parte de uma extensa programação recheada de show intimistas e performances, será realizada uma série de debates, intitulada Talking Sounds, em torno de questões ligadas à música e ao comportamento contemporâneos. Fruto da parceria entre o Festival e o Transform, o programa de artes do British Council, os encontros juntarão importantes figuras britânicas e profissionais de diversas áreas, como jornalistas, antropólogos e críticos. São eles Cut Hands, Jonh Bucher & Mark Sanders, Mark Fell e Philip Jeck, que se reunirãonos dias 6 e 13 de dezembro, no POP (Polo de Pensamento Contemporâneo), no Rio de Janeiro.



Questões pertinentes do universo musical atual, como “quais são as ambições estéticas dos artistas de hoje?”, “a falência da indústria musical tem afetado a produção musical?” ou “até que ponto a tecnologia da informação tem atrapalhado a evolução da música?” serão discutidas nas mesas, que serão medidas por Chico Dub, Bernardo Oliveira e Fred Coelho.



A edição de 2014 do Novas Frequências reúne um total de 33 atrações de 11 países diferentes e acontece em seis espaços da cidade, como Oi Futuro Ipanema, Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, Casa Daros, Audio Rebel, La Paz e POP - Polo de Pensamento Contemporâneo. Sempre em busca de artistas que rompem com fronteiras pré-estabelecidas em busca de novas linguagens sonoras, a programação do festival engloba shows, performances resultantes de residências artísticas, um panorama da música experimental brasileira, oficinas, festas, sound walks e discussões sobre música contemporânea, processo criativo e mercado.



Sobre o British Council/ Transform

O Transform é um programa de artes do British Council, com duração de quatro anos, idealizado para conectar produtores, artistas, autoridades e as principais organizações de artes do Brasil e do Reino Unido, buscando fortalecer os laços entre estes profissionais e instituições de ambos os países para resultados de longo prazo. Apoiar as discussões na produção musical contemporânea a partir da troca de experiências de britânicos e brasileiros nesta área, vai de encontro a um dos principais objetivos do programa de artes do British Council, o Transform, que é promover inovação no Brasil e no Reino Unido por meio de projetos colaborativos como os que podem nascer no Novas Frequências.



Serviço





13 de dezembro, das 14h às 18h



- Mark Fell

Mediação: Bernardo Oliveira e Fred Coelho



- Philip Jeck

Mediação: Bernardo Oliveira e Fred Coelho



Performance Philip Jeck

14 de dezembro, às 21h

Oi Futuro Ipanema



Reduto – Oficina Philip Jeck

12 de dezembro, de 15h às 18:00